Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2011

O Sam

Eu tinha um gato, o Sam. Era um gato especial, muito mimado, demasiado senhor do seu nariz, demasiado independente. Adoptei-o do canil do Porto, no primeiro ano da faculdade. Na altura, adoptei-o em conjunto com o meu primeiro namorado. Quando a relação terminou, não correu lá muito bem e o C. quis ficar com o gato. Senti-me culpada porque tinha sido eu a terminar o namoro e pronto, ele lá ficou com o gato. Eu já tinha três gatos, em casa, e ele não tinha mais nenhum. Entreguei o gato. Há já 3 anos e tal que não vejo o meu Sammy, mas continua a ser o gato que mais amo no mundo. O mais especial, o mais diferente, o mais meu.

Hoje não resisti e enviei um email ao tal ex-namorado, a pedir para saber como estava o Sam. Está bem. Ele mandou-me fotos. Deixaram-me de lágrimas nos olhos. O meu Sam, Sammy-Sam.

Declaro oficialmente aberta a época de Natal

A Dona Rena já anda no meu casaco, vaidosa e imponente, a mostrar que é Natal.
Amanhã é dia de enfeitar a casa tooooda para o Natal. Árvore de Natal é pouco. Temos fitas nas cortinas, pequenas botinhas de tecido nas maçanetas das portas, botas gigantes na porta do meu armário da roupa. Temos velas, temos cestos para pôr bombons, temos tudo natalício. Aqui em casa, o Natal é muito enfeitado, colorido e brilhante. Amanhã é, provavelmente, dos dias mais divertidos do ano... apesar da trabalheira que dá a arrumar!
Também é dia de inaugurar o calendário de chocolate, com uma janelinha para cada dia do mês, até dia 25. Comprei um também para o namorado, a ver se ele ganha a tradição. O chocolate não sabe a nada, mas adoro comer um a cada dia, logo pela manhã.
Feliz mês minha gente!

Eu adoro, o namorado nem por isso... "Ai se eu te pego" em versão inglesa! :D

Para rir um bocadinho. :)

Hot or not?

Camel toe, para os amigos.


Mulherio deste Portugal, calças justas SIM.
No entanto, calças tão justas que dá para perceber as vossas formas mais... vá... íntimas... NÃO. É para lá de feio!
Quase que morria de susto, ao vir para o trabalho. Metia medo. A menina daquela menina (perceberam, hein?) devia estar a morrer sufocada.

Vamos lá pôr os pontos nos "is"

Quer dizer, minha gente, eu não vou viver na penúria. Não vou comer atum todos os dias, estava a brincar. Vou viver com o namorado por temos possibilidades de pagar o carro, a renda, a comida, e sobrar uns tostões para nós. Quem ler alguns comentários, até parece que vou passar fome só para poder viver junta. Nada disso, não sou louca. A mãe não se importa de me dar guarida, não é que me vá expulsar de casa em breve, tenho tempo. Mas vou viver junta, numa casa só nossa, porque quero, porque posso. Não é que vá andar a pedir esmola para poder pagar as coisas... Pois está claro que não vou poder ir comer francesinha sempre que quiser mas sabem que mais? Vou aprender a fazer francesinha e passo a fazer umas caseiras. ahahahah

Post em jeito de resposta a comentários no post abaixo

Cada um tem a sua forma de viver, as suas prioridades... as minhas sempre foram o amor. Isso é tão legítimo como ter a ambição de ter uma carreira de sucesso, um passaporte recheado de viagens, uma conta bancária cheia de dinheiro, uma vida repleta de actos solidários, a dedicação a causas, o que seja. Cada pessoa tem as suas prioridades, elas vão sendo definidas conforme a educação que a pessoa tem, conforme as vivências, uma mistura de factores.

A minha prioridade sempre foi o amor, é um facto. Mas não descuro, em momento algum, a minha vida pessoal. Tenho o meu trabalho, que adoro, e não abdico dele por nada. No Sábado tive um jantar com amigas, este Sábado vou ter outro e, se deus quiser, daqui a duas semanas terei outro. Jantares meus, de actividades minhas... se bem que o namorado pode vir, se lhe apetecer. :) Mas eu não abdico de mim nem das minhas coisas... assim como ele não abdica das coisas dele. Ainda hoje foi para o Porto, ensaiar com a banda dele. E eu cá estou, …

Das prioridades de cada um (e das conversas de mulheres)

E ela disse-me que achava surpreendente eu colocar a minha vontade de viver com o mais-que-tudo à frente de tudo o resto. À frente do dinheiro que poderia guardar para mim, para roupa, viagens e outras coisas. Coisas só minhas. E eu pensei: nada me fará mais feliz do que ter uma casinha com o homem que amo. Mesmo que o dinheiro não sobre. Mesmo que tenhámos de comer massa de atum a semana inteira. Mesmo que não possa ir ao cinema, jantar fora ou comprar uma roupa nova. Vou tê-lo a ele, à nossa casa, e possivelmente um gato só nosso.
Consigo perceber perfeitamente quem vive de uma forma mais, digamos, egoísta (palavras dela). Quem vive mais para si e para as suas vontades. Eu nunca fui assim, apesar de reconhecer vantagens em ser dessa forma. Sempre fui muito altruísta e sempre acreditei que não há nada que me satisfaça mais do que estar ao lado de quem quero.
Amor. What else?


Adenda: Eu não critico, de forma alguma, quem vive mais para si. Aliás até consigo encontrar imensas vantagens e…

As pessoas não são mesmo todas iguais #4 (4?)

Existe uma grande diferença entre as pessoas que comem de boca fechada, que tentam fazer pouco ruído enquanto mastigam e que limpam a boca durante a refeição...

E as pessoas que adoram mostrar o que estão a comer, de boca bem aberta, que fazem mais barulho do que um bacorinho e que se sujam todas mas, pasmem-se, parecem não reparar.

Sou só eu que, no fim da refeição, pego no meu espelho de bolso e vejo o estado geral da minha dentadura? Dispenso ficar com pedaços de chocolate ou de espinafres no meio dos dentes.
Chegar a casa já depois das 21 horas, jantar, passar camisola a ferro, lavar camisola à mão, preparar roupa para o dia seguinte, pronto, isso está feito. Agora duche rápido, tirar maquilhagem e deitar na cama, a descansar. Ando cansada, tão cansada. E irritadiça. E ainda hoje é segunda-feira...

Boa noite minha gente. *

Serei um bicho raro?

Eu nunca fui de férias. Assim mesmo ir-ir de férias. Em família, a última vez que fui de férias foi, pasmem-se, na Expo 98. Lá fomos nós, minhotos, até à capital, terra de mouros, passar 3 dias na Expo. O meu pai sempre trabalhou fora do país, a minha mãe não fazia férias sem ele, pelo que os meus tempos livres eram mesmo passados em casa.

Depois, com o divórcio, a porca começou a torcer o rabo e deixou de haver dinheiro para férias. A loucura das loucuras foi há 3 anos, quando fui 5 dias para o sul de Espanha... em casa do meu pai. Nada de excitante, portanto.

Desde então, menos férias tive ainda. Ou estive a estudar e passava o Verão a trabalhar, para amealhar dinheiro, ou passei o Verão a estagiar, ou a fazer outra coisa qualquer. De férias é que não estive.

Posto isto, sou um bicho raro. Nunca fui ao Algarve. Não sou viajada, não tenho por hábito sair do país (Galiza não conta). Em breve, também não me parece que vá viajar, visto que quero juntar os trapinhos. Um dia, quem sabe? Pelo…

(quase tão) inevitável como a morte

Sempre que decido maquilhar-me, mal acabo de aplicar o rímel nas pestanas, decido espirrar. Toda a gente sabe que é impossível espirrar de olhos abertos e, por isso, borrato-me logo toda. Depois lá tenho de molhar uma cotonete com desmaquilhante e tentar limpar, mas fico suja, claro está.

Resumo da noite

Não morri pelo caminho. Quer dizer, ia-me matando, e levando comigo as outros 4 ladies, porque ao sair de uma estrada, assim metida para dentro, não vi o carro que vinha da esquerda. Bom, sobrevivemos, é o que posso dizer! Retiro o que disse, afinal não confio assim tanto em mim. Quando converso, perco a concentração.

Mas, fora isso, a viagem foi muito tranquila. Diverti-me para lá de muito, conversas de mulheres é sempre uma coisa engraçadíssima. A menina Petra cozinhou uma caril com molho de coco e de manga, estava bem bom. A conversa variou entre:

* Culinária, comigo e com a A. caladinhas, que pelos vistos somos as únicas que não sabem cozinhar;
* Pares de cornos, sendo que 3 mulheres, num total de 5, já foram traídas. Ele há coisas que não se entendem, os homens são mesmo canalhas. Nós somos inteligentes, não somos nada de deitar fora e ainda somos boas pessoas, vá-se lá entender os machos;
* A blogosfera, of course.

Mesmo muito bom!

Jantar da Blogosfera - O local

Pois é, minha gente, quem se inscreveu, deve agora dar uma opinião sobre o local do jantar. Como hora, sugiro 20 horas. Como local, depois de conversações com o Gonçalo, pensámos no Magnus Coffee, bem no meio da Rua da Boavista. Nunca lá jantei, mas o Gonçalo diz que é bom. Eu acredito, lá aspecto o sítio tem. :)

Toca a espreitar e a dar opinião. Se quiserem, apresentem sugestões.

Collants

Eu não sei como é com as outras mulheres, mas os meus collants mousse não duram nada. Um dia de uso e já têm vários fios puxados, algum foguete ou estão rotos em algum sítio. Especialmente furos nos dedos dos pés... e eu tenho as unhas curtas! Vá-se lá entender.

Das viagens de carro

Deus sabe que eu não gosto de conduzir. Ou melhor, eu gosto de conduzir, não gosto é dos outros condutores. Eu sou daquelas pessoas muito cautelosas a conduzir... como não tenho grande experiência (nem dois anos de carta) gosto de andar devagar, 100 km/h em plena auto-estrada, na loucura das loucuras, com a estrada vazia, vou aos 120. Não sinto necessidade de andar rápido, pronto. Também tenho a mania de estar constantemente a olhar pelos espelhos, a ver todos os ângulos. Bom, o que eu quero dizer é que confio em mim, não confio é nos outros.
Este Sábado tenho de conduzir. 70 Km até ao Porto, para jantarada com a amiga Petra, uma amiga dela e ainda outra blogger que quero muito conhecer. Quando voltar a casa, já vai ser de noite... e eu não gosto nada de conduzir à noite. Um medo irracional, sei lá. Tenho de me habituar.
Rezem por mim.

Jantar de Natal da blogosfera - Falta uma semana!

Pois é, minha gente, o jantar de Natal da blogosfera é já daqui a uma semana, no Sábado de 3 de Dezembro, no Porto. Ainda estou à espera que se cheguem à frente... esperava mais de vocês, ai ai ai.

Por agora, somos estes:

S* (pois tá claro...)
NI
Puzz
Gonçalo (o génio da ideia!)
_aTucse_
ana (com minúscula, mesmo)
Scarlet_Perry

E eu já fiz as minhas compras solidárias, para oferecer à Acreditar, que apoia pais e amigos de crianças com cancro. Mais uma vez, importa referir que a oferta é facultativa e, caso queiram participar, cada um dá o que pode. Eu fiz umas compras que, modéstia à parte, são mesmo giras. E gastei a módica quantia de 8,50 euros. Mais pormenores sobre o que é que a Acreditar precisa, aqui.

Duas renas com mola, para deixar mensagens, posts-its, papéis, whatever.
Quatro lápis, duas renas e dois Pais Natal.
Duas pulseiras de criança com berlicoques natalícios.

First kiss

Às vezes pode até nem parecer, mas eu sou uma menina tímida. Tão tímida mas tão tímida que quando Dom Namorado me tentou dar um primeiro beijo, virei-lhe a cara. Foi uma corte de clima amoroso brutal. Ele foi deixar-me a casa e acho que não falou mais pelo caminho, de tão espantado que estava. Eu não sabia onde me enfiar. Depois de meia-hora no carro, em que ele pedia desculpa e eu lhe dizia que não havia motivo para pedir desculpa, a coisa lá se deu. E eu, para me redimir, quase que me atirei para cima do banco dele. Não fosse ele fugir. :)

Dar um tempo

Fará sentido? Muitas vezes se ouve um casal dizer que decidiu "dar um tempo". Alguém já o fez? Qual poderá ser o sentido, o objectivo desse mesmo tempo? E, já agora, durante o tempo em que dão tempo à relação, qual o nível de compromisso existente? Pode haver traição?
Sempre achei essas história de "dar um tempo" muito estranha. Sempre achei que uma pessoa ou gosta, ou não gosta; ou quer, ou não quer. E "dar um tempo" sempre me soou a um arrastar da inevitável separação.
Dar ou não dar um tempo, eis a questão de hoje. :)

Dos salários

Estou aqui numa "discussão" com o namorado.

Ele acha que alguém que cumpre a mesma função numa empresa deve ganhar o mesmo, independentemente das diferenças no tempo de trabalho na empresa. Quer isto dizer, alguém que esteja há vinte anos numa empresa e alguém que entrou há um mês devem ganhar o mesmo, se cumprirem a mesma função, visto que o esforço e o trabalho é supostamente o mesmo.

Ora bem... Eu penso diferente. Eu acho que uma empresa deve valorizar "os da casa", os que já lá estão há alguns anos. Para mim, uma empresa devia respeitar/acarinhar os trabalhadores que, ao longo dos anos, se esforçaram por uma empresa. Por exemplo: não me pareceria justo que eu, que estou há um ano no meu local de trabalho, ganhe o mesmo que a minha colega que já lá está há vinte anos, embora tenhamos a mesma função e façamos a mesma quantidade de trabalho. Oh pah, acho que a antiguidade deve ser mesmo um posto, respeitado, até porque um funcionário que já está há algum tempo na ca…

Das greves

Em dia de greve, as reportagens televisivas mostram-nos sempre um facto curioso e que eu, por mais esforço que faça, não entendo:

Há sempre algum idiota na estação de comboios, na estação de autocarros, seja onde for, à espera do comboio e do autocarro que obviamente não vai chegar. E resmungam, indignados, porque oh, que surpresa, o transporte demora a chegar.

Greve é greve. Eles anunciam. Avisam com antecedência suficiente para que as pessoas possam procurar uma forma alternativa de ir ter ao trabalho. À boleia, de táxi, a pé, de bicicleta, como puderem.

Os serviços mínimos têm de ser garantidos, óbvio, mas fora isso, esperar pelos transportes é ser crente...

Confesso:

Quando o namorado, durante a noite, decide roncar (o que, graças a Deus, acontece com pouca frequência)... eu simulo um ataque de tosse até ele acordar. Se tenho o azar de acordar e ele está a roncar, não consigo dormir mais. Então ponho-me a tossir até que ele acorda, rebola para o lado e deixa de roncar. Simples e eficaz.

Pois que é assim...

Fui preterida.

O cunhado veio cá a casa e o namorado decidiu ir sentar-se no sofá da sala a jogar PES. E eu pronto, fiquei sozinha e abandonada no quarto, a arranjar as unhas e à espera que a novela comece.


Brincadeirinha. Eu quero é que ele se divirta e descontraia, que também lhe faz muita falta. A vida não pode ser só amor. :P

Jantar de Natal e a Acreditar

Natal é paz, é amor, é amizade, é partilha... e também é solidariedade. Por isso, a ana, do Coisas Exdrúxulas, sugeriu que além de nos "ajuntarmos" para jantar, também fôssemos solidários. Proposta imediatamente aceite.
Durante o jantar, vai então ser feita uma recolha de bens para as crianças da Acreditar. A Acreditar é uma Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro, causa mais do que nobre. Sugerimos então a oferta... Uma coisa simbólica e facultativa, à vontade (e à carteira) do freguês. E de que é que eles precisam? Bom, entre muito mais, precisam de:
* Pensos rápidos coloridos, em substituição dos vulgares pensos castanhos.
* Pequenos brindes NOVOS (baralhos de cartas, pulseiras, anéis, colares, bolas, canetas, porta-chaves, animais de plástico, carros, CD’s de música, lápis de cor etc.)
* Fraldas de bebe e de incontinência
* Jogos Playstations 2 e 3, originais

Como é suposto ser um jantar de blogosfera, e porque o gesto é simbólico, acho que levar os tais pensos col…

Do que é nosso...

O namorado ontem queixou-se de que eu só ponho aqui no blogue as parvoíces que ele me diz, escondendo o facto de ele fazer os poemas mais lindos do mundo e de me escrever cartas (em papel!) de cada vez que temos datas importantes. Ora, eu tenho um namorado maravilhoso, lá isso tenho, mas admito que o conteúdo dessas cartas e poemas guardo só para mim. Por mais que os outros se esforcem, nunca os iriam perceber. :)

Conversas de casal

Inspirados na novela, começamos a enumerar, em jeito de brincadeira, uma série de nomes carinhosos/remelosos/pirosos que poderíamos chamar um ao outro...

Meu tesouro,
Meu biju,
Meu rubi,
Minha pérola,
Meu tesourinho,
Meu ursinho,
Meu pedaço de céu,
Meu arco-íris dourado,

A brincadeira terminou quando ele sugeriu chamar-me "Pote de mel".

Pote?!?

Porra. Esse nome dispenso bem. :P
Eu não sei o que raio me nasceu na ponta do nariz, durante a noite... mas pareço o Rudolfo!

Da ocupação

Hoje ele tem folga. Voltamos aos almoços a dois, aos lanches a meio da tarde. Ao tempo para nós. Eu digo-vos uma coisa... nunca na vida pensei que nos fôssemos ver tão pouco tempo. Ele acorda quando eu ainda durmo, não o vejo ao almoço, chega-me a casa depois das oito da noite... quando não chega depois das 21:30. Uma pessoa tem ali duas horinhas antes de dormir e já vai com sorte! Benditas folgas.

Facebookas

As Minhas Pequenas Coisas

A partir de agora, aceito amigos no Facebook. Escusam de ser meus fãs, podem mesmo ser só meus amigos. :) É só clicar na imagem.

Do estágio

O meu estágio acaba oficialmente no final deste mês. Depois, graças a Deus, a todos os santinhos e também ao meu trabalho (não tenho de ser modesta, eu mereço), assino contrato.

Tive de preencher uma papelada onde avaliei o estágio, as condições, o apoio que me foi dado, o papel da orientadora. Não sou de exageros, mas dei um bonito 20 ao estágio, na minha avaliação. Sem o apoio deles nunca teria corrido tão bem. E eles apoiaram-me. Todos, diariamente, em tudo o que foi preciso.

Jantar de Natal da blogosfera - II

Pois é, o jantar de Natal da blogosfera vai acontecer no dia 3 de Dezembro, algures no Porto.

Quem alinha? Vá vá, não sejam tímidos. É época de partilha e de amor... e quem tem vergonha, passa fome. :D

Para consultar quem vai, é só ver a lista ali do lado direito.

Habituem-se ao modo "natalício"!

A partir de 1 de Dezembro, dia em que, por tradição, enfeito a casa com as coisas do Natal, a época festiva vai ser tema diário aqui no blogue. É a minha altura favorita do ano. As pessoas parece que ficam mais ternurentas, mais amigas, mais solidárias. Muito bonito de se ver... e de sentir!

Tenho de fazer uma listinha das prendas que quero dar. Tenho de marcar na agenda os jantares de Natal... que devem ser, pelo menos, 3: blogosfera, amigos e trabalho.

Dezembro promete ser um mês muito bonito. Venha ele. :)

Dos Domingos

É acordar às 10:30, sentir o abraço dele, um pedaço de mimo ao acordar. Tomar o pequeno-almoço a dois, preparar as coisinhas dele (adoro fazê-lo) enquanto ele toma banho e se arranja. Um beijo rápido, uma despedida, que ele tem de ir trabalhar. "Até já amor".

Ai!

Ai que chove, ai que está frio, ai que isto de o namorado trabalhar a 30 quilómetros é uma tragédia, que eu estou habituada a almoços e lanches a dois. Ai que isto do namorado não me poder falar todo o dia é tragédia ainda maior. Ai que o namorado trabalha só com mulheres e, isso sim, é um perigo. Ai que eu não sou ciumenta, mas não as conheço, sei lá se são feias ou bonitas. Ai!

Da poupança

No Natal, vou comprar coisas úteis. Por agora, só sei que preciso de uma placa de alisar o cabelo. Tenho de fazer uma lista de coisas úteis e que não se compram com frequência. Se a coisa correr bem, daqui a 2 ou 3 meses posso juntar os trapinhos. A partir do dia em que passarmos a ter a nossa casa, o "bicho vai pegâ!" e o dinheiro não vai sobrar. Portanto, mais vale ir já fazendo o enxoval.
Não precisamos de móveis, de televisão ou electrodomésticos, que o senhor namorado já tem tudo isso. Precisámos é daquelas pequenas coisas... Detalhes! Eu não consigo não secar o cabelo. Para mim, é essencial. Não vou provocar um "desfalque" cá em casa e levar tudo comigo.
Entrei este mês em modo Poupança. E, por agora, tenho-me portado muito bem. Não comprei nem uma coisinha... excluindo as prendas de anos, mas isso não foi feito com dinheiro meu, por isso não conta.

Dos animais

Homem que eu ame tem de amar animais tanto quanto eu os ame.

Felizmente, partilhámos esse amor. Com igual intensidade. Ele é mais cães, eu sou mais gatos. Mas ambos somos pelos animais.

Da juba

Está na hora de cortar o cabelo. Está todo espigado, o sacana. Trato-o tão bem, aplico-lhe sérum e mesmo assim o raio está sempre todo partido nas pontas. Além disso, está muito comprido e "juboso".
Só que isto é uma chatice. Tenho a cara redonda, não me fica bem cabelo curto. E tenho muiiiito cabelo, pelo que cortar demasiado pode ser arriscado e fazer-me parecer uma vassoura.
Acho que vou optar pelo "do costume". Cortar 4 ou 5 dedos de comprimento, escalar na frente e escadear atrás. É tudo.

Das oportunidades

Amanhã, em princípio, entramos numa nova fase. Para melhor. Relaciona-se com o mais-que-tudo, claro. E se ele está bem, eu estou bem. Portanto, a ver como correm os primeiros dias da nova experiência profissional. Se correr bem, ficamos um bocadinho mais perto de podermos arranjar uma casinha só nossa. :)

Das lojas caras

Eu já trabalhei numa loja cara. Numa loja onde, a camisola mais sem graça e básica, custava 150 euros. O resto dos preços, tá bom de ver, era sempre a subir.
E foi a partir dessa experiência, que durou 7 meses, que perdi o interesse em comprar roupa cara. Não acho que seja melhor do que a roupa mais acessível. Pode até ser mais gira (que não era), mas não garante mais qualidade. Obviamente cada caso é um caso, mas fiquei desconfiada.
Importa referir que trabalhei numa loja de roupa italiana. Roupa italiana, aquela que é considerada das melhores do mundo. Tecidos de lá, mão de obra de lá, tudo vindo directamente de Itália, numas cruzetas (ou cabides, para os lisboetas) douradas, muito giras e chiques.
Ora bem, como definir a qualidade da dita roupa, em poucas linhas?
Ganhava borboto. Um borboto terrível. A nossa farda era roupa da loja. No fim do primeiro dia, estava cheia de borboto na zona dos braços. Por diversas vezes as clientes iam lá reclamar e nós dizíamos que íamos enviar a p…

As pessoas não são mesmo todas iguais #3

Existe uma grande diferença entre as pessoas que, quando querem cuspir alguma nojeira, o fazem discretamente para um lenço de papel ou se dirigem ao WC...
E aquelas que puxam tanto o escarro que até parece que lhes vão sair as entranhas pela boca. E depois, para terminar em beleza, cospem aquela porcaria para o chão. Nojo.

Coisa feia de se ver...

Os portugas decidiram assobiar enquanto tocava o hino da Bósnia. Não quero cá saber se os bósnios fizeram o mesmo no jogo em casa deles. É feio e mostra muita falta de fair-play.

Adenda 1: E puseram-se a cantar de galo quando fizemos o 2-0, com "olé olé olé" e oh, já levamos um.

Adenda 2: E também está visto que não aprenderam a lição. Fizeram o 3-1 e puseram-se, again, com os "olé olé". E o que é que aconteceu? Pimba, mamaram o segundo. Bem feita.

Adenda 3: Quando estamos a ganhar 6-2, o futebol é bem mais giro. :D

Da Chuva

Começa-se o dia assim, com a juba lisa...

E acaba-se assim. Parece que apanhei um choque eléctrico.

Amor é:

Ficar radiante porque ele, em vez de voltar amanhã, volta já hoje. :)

Não é que me vá dar grande atenção, já sei que vai ficar plantado durante duas horas no sofá, a ver a bola. Mas é a maior alegria do mundo tê-lo perto.

Da asma

Não sei o que se passa, mas ultimamente ando sempre atacada da asma. Antes, tinha de usar a bombinha da asma aí duas ou três vezes ao ano. No último mês, é coisa para ser usada diariamente. Acordo atacada, passo o dia atacada, deito-me atacada. Quando me rio um bocado mais, quando espirro um bocado mais, quando me dá para tossir um bocado mais, quase me dá uma coisinha má. Arre!
Estou aqui, estou a fazer um esforço do caraças para não usar a bomba. É que aquilo provoca-me tremores, quando usada em demasia.

Do Amor...

Já mudei o meu discurso. Há uns tempos, dizia que era realista e que apesar de ter uma relação linda e maravilhosa, não era especial. Toda a gente diz que a sua relação é especial e eu não queria dizer a mesma coisa da minha. Achava assim meio a atirar para o parvo.

Mas é mesmo. Especial, intensa, única. E perdemos imenso tempo só a olhar um para o outro. E eu sei que tenho ao meu lado o homem mais maravilhoso que podia ter. Nem os nossos 8 anos de diferença fazem mossa. Somos perfeitos juntos.

Jantar de Natal

Dia 3 de Dezembro.
Lamento a quem não pode na data mas, de facto, quanto mais cedo melhor... Já sei que existe outro jantar a ser organizado, para dia 3, no Porto... Mas até agora não obtive resposta da organização do outro jantar, pelo que vou tratando das confirmações e logo se vê.
Quem pode e quer? Marquem nas vossas agendas, no telemóvel, onde quiserem. Mas só confirmem se quiserem mesmo-mesmo ir. :)
E já temos folha de presenças, ali do lado direito. É só ver e confirmar.

Neste aspecto, não mudo nem nunca mudarei de opinião

Matar animais para lhes tirar a pele e fazer roupa supostamente chique é a coisa mais horrorosa e desumana que podem fazer. Não me choca que usem pele de vaca para roupa ou calçado, até porque a vaca também é abatida para comer. Mas matar raposas, martas, visons, focas, apenas para roupa de luxo... enfim, é coisa que me repugna.


Andarem com peles dos bichos ao pescoço faz-me imensa impressão. Se vissem uns vídeos dos bichos a seres esfolados ainda vivos, talvez vos tocasse o coração. Talvez.

Sobre o abate de animais para comidinha, também sou da opinião de que o abate deve ser feito da forma mais indolor possível. Não sou ingénua e sei que tal não acontece, nem de longe nem de perto, mas mantenho a minha posição.

Jantar de Natal da blogosfera nortenha

Oh oh oh!

E que tal um jantar de Natal a juntar a blogosfera nortenha? Nortenha e não só, claro está, que até os mouros são bem-vindos. :D

Que me dizem à ideia? Ali para o dia 3 de Dezembro (Sábado) ou, no limite, no dia 10 (também Sábado), de modo a evitar a avalanche de jantares de Natal que se realizam a partir do meio do mês.

Que me dizem? Gostam de ideia, estão interessados? Ou é melhor esquecer?

No Porto, mais uma vez, que é para a coisa ser de simples acesso. E não pensem que eu tenho fixação no Porto, pois ainda faço 70 quilómetros para vir ter ao Porto. É só mesmo porque é uma terra que toda a gente conhece.

Esta gente ganha dinheiro com cada porcaria...

“O meu objetivo maior é mostrar a todos quem é o Carlos Cruz, como vivia e como esta mentira acaba com qualquer pessoa, independentemente dela fazer ou não parte do processo”, explica Marta. Para a jovem, o processo Casa Pia foi arrasador, mas não desiste de provar a inocência do pai que, segundo a própria, continua cheio de força para lutar até ao fim. “A essência, os valores e os princípios dele mantêm­-se”, garante. O livro As Outras Vítimas conta ainda com depoimentos de Raquel Rocheta, Marluce, Martim e Roberta (os filhos mais velhos de Cruz) e dos advogados Serra Lopes e Ricardo Sá Fernandes.

Nova Gente

Isto mete-me nojo. É a palavra: nojo. Agora esta aqui não tem mais nada que fazer na vida, do que escrever um livro a fazer papel de vítima? Qual é a utilidade? O teu pai é tão inocente como o Bibi. As vítimas foram as crianças. A Marta não tem culpa nenhuma do que o que o pai fez, mas chega de tentar tapar o sol com a peneira.

O Carlos Cruz escreve livros, a ex mulher escre…
Quando ele sorri o meu mundo ganha nova cor. Ou então ganha várias cores, fica tipo arco-íris, colorido e bonito. :)

São Martinho

Já viram que lindo está o Google hoje? Eu, louca por castanhas, amei!

Qualidades de um bom namorado

Entende que, de vez em quando, tu ficas deprimida "só porque sim".

Hoje fiquei deprimida, durante duas ou três horas, porque não encontrava nada no armário que me agradasse. O eterno drama feminino. E ele coitado, claro que não entende o drama, mas finge que percebe.

Do sono

Sabem aquela do "gosto de ficar acordada de noite, a ver-te dormir"?

Gosto mesmo. Mas não é bem de noite, é mais ao acordar. O despertador toca, eu acordo, ele continua no reino dos sonhos. E eu gosto sempre de o ver, embrulhado nas mantas mas com os pés de fora (típico). Se está destapado, eu tapo-o. Levanto-me então, vou tomar banho, regresso enrolada no roupão e aninho à beira dele, até ele acordar. Mimo para aqui, "morzinho" para ali. É um ritual delicioso.
Com este frio, sabe mesmo bem um lanche a meio da tarde. Meia de leite directa e as melhoras bolas de berlim do mundo, as do Natário. Com a companhia do melhor namorado do mundo, o meu. Tenho uma vida santa, há que admitir.

Das estreias

Sou mesmo vaidosa. Já estou a estrear o casaco novo e as botas novas. E são não estreei também um lenço novo, oferta do mano, porque não está assim tanto frio. Para dizer a verdade, o casaco novo é um bocado quente e hoje está Sol. Mas que se lixe. Ao menos faço figura bonita. :D

Da felicidade

Ramo de flores, oferta da tia fofa.
Prenda do namorado lindão.
O bolo. Caso não tenham reparado, é uma caixa de jóias... com jóias dentro. Tudo comestível. E ao lado pode ver-se um bocado da "tampa" da caixa de jóias, com o nosso nome gravado. Não é lindo e original?
Sobremesa cheesecake.
Gataria sempre presente. Fred is in the house, say yeahhhh.
O amor.


Se há coisa que eu gosto de fazer, é de registar os momentos felizes. Sou uma espécie de repórter fotográfica cá de casa.

Ser homem é...

O namorado resolveu fazer uma apresentação power point para o meu aniversário, ao som de "Nothing compares to you", da Sinéad O'Connor.

Eu, como romântica que sou, fico a chorar. Ele, homem como é, põe-se com conversas do género "então? Não é para chorares". Yeah, right, como se isso se controlasse...

Eu resmungo com ele e sento-me na cama. Desequilibro-me e estatelo-me no chão. Ele desata-se a rir.

Não haja dúvida, tem muito jeito para prendas românticas.

Já cá cantam 23 anos (Parabéns a mim!)

Pois é, hoje faço 23 anos. Eu e a mana gémea, pois está claro.
São uns 23 anos muito bem feitos. Tem sido um ano óptimo. O trabalho corre bem, gostam de mim, eu gosto deles, e vou cá ficar depois de terminado o estágio. A situação familiar também corre pelo melhor, com toda a gente bem de saúde. Tenho o melhor namorado do mundo, que amo de paixão, e os planos futuros são mais do que muitos.
Sempre gostei de fazer anos. É um dia especial, em que a família fica ainda mais próxima. Jantámos todos juntos, comemos até rebentar, rimos muito, falamos muito, abrimos as prendas e fingimos um ar muito surpreendido.
Hoje faço 23 anos. Parabéns a mim. :)
Tarefa para a noite (além de trabalhar): Fazê-lo esquecer os problemas e sorrir. Difícil, mas possível. Eu consigo. O nosso amor consegue. :)

"Polar Postcrossing edição 2011 is coming to town"

No ano passado não participei, mas este ano estou lá batida. É a troca de postais entre a blogosfera, muito nobre iniciativa criada pela Pólo Norte. Vamos lá todos a ser amiguinhos e celebrar o Natal como deve ser, com direito a postal de papel e tudo.

As regras são simples e estão aqui. Ou então cliquem na imagem, que vai dar no mesmo. Eu envio um postal e recebo um postal de volta.

A Panda pediu...

E eu gosto de (tentar) ajudar.

Ela está a participar no concurso "7 dias para mudar o meu estilo" e só precisa de um votozinho. Não custa nada, é só clicar e confirmar por email.

"É, parece que estou cansada :D Cansada de andar sempre com as mesmas roupas, de estilo desportivo. Perdi recentemente quase 20kg e já não tenho quase nada que me sirva. Era uma boa recompensa, para além de que também faço anos este mês. Obrigada!"

http://www.7diasparamudaroteuestilo.com/votar.php?id=611&fb_ref=.TrW_MRAxlLg.like%3B.TrW9jq6KcO0.like&fb_source=home_oneline

Quem quiser, vote na Panda. :)

As pessoas não são todas iguais #2

Há uma grande diferença entre as pessoas que dão sem receber, de forma altruísta e despretensiosa...

E aquelas pessoas que só dão quando sabem que podem receber algo em troca.

E isto aplica-se em tudo. No trabalho, na amizade, no amor. Sempre gostei de pessoas que dão (e se dão) sem pensar no que podem lucrar com isso.
E amanhã vamos ao estádio, ver o Boavista. Um fim-de-semana dedicado aos hobbies do namorado. É bem. Tudo para o ver feliz. :)

Da música

Já vos disse que o mais-que-tudo tem uma banda e que eu sou assim a fã número 1? O vocalista é realmente muito mau, taditxo, mas o baterista é do melhor. E eu gravo tudo o que é concerto, pois tá claro.

Hoje temos novo concerto. :]

Da droga

Acabo de assistir, no tribunal, às alegações finais de um processo relacionado com o tráfico de droga. Chego a brilhantes conclusões:

- Há mesmo escumalha do pior, que usa e abusa dos outros;
- Há gente que gosta demasiado de dinheiro fácil;
- Há gente que acha que os juízes são atrasados mentais e que vão acreditar na conversa do "ai que estou tão arrependido";

- Há mulheres muito CEGAS, que podem ir para a prisão por causa de homens sem escrúpulos, que as põem a traficar e vender droga. E elas, burras de amor, não só colaboram como, no final da sessão, ainda lhes dão um beijo de despedida. Ele voltou para a cadeia. Ela aguarda decisão cá fora. E mesmo cá fora, não deixa o gajo. Impressionante.

As pessoas não são todas iguais # (nova rubrica)

As pessoas não são, mesmo-mesmo, todas iguais.

Há uma grande diferença entre os que, quando convidados para algo, te respondem "Diz-me lugar e hora, lá estarei. Se não puder, arranjo maneira de poder".

E aqueles, cujas agendas são ocupadérrimas, e respondem um invariável "não sei se posso, logo te digo".

A sério, acham que alguém ainda cai nessa? Vê-se logo que só vão aceitar a proposta se, entretanto, não surgir algo melhor.

Por falar em "senhora doutora"...

Um dos meus ódios de estimação é a expressão "sôtora", que as pessoas parecem usar com cada vez mais frequência.

Custa alguma coisa dizer as palavras certinhas? É "senhora doutora" ou "senhor doutor"."Sôtora" ou "sôtor" é feio e totalmente brega.
Enviei um email para a Universidade, a fazer queixa e a exigir uma resposta. Adianta de um corno tratarem-me por "senhora doutora", se não me atendem o telefone. Incompetentes.

Estamos em altura de muito trabalho. E ainda bem. Adoro a adrenalina, o ter de escrever rápido, a parceria impecável que tenho com a minha "chefe".
Hoje comecei novo horário... começo a entrar mais cedo. Às 10. Nada mau. Prefiro trabalhar de manhã, rende mais.

Grrrrr

Fico tola com a incompetência de uma instituição tão grande como a Universidade onde tirei a licenciatura e o mestrado.
Todos os dias, desde há uma semana, ligo para lá, para tirar uma dúvida. Ligo de manhã e de tarde e nunca - nunca! - me atendem. Fico a ouvir o atendedor de chamadas durante mais de meia-hora e desisto. É de bradar aos céus. Para além do dinheiro que gasto em vão, enerva-me que ninguém se digne a atender as chamadas.

Conto de Fadas (2)

Mais uns artigos da loja mais linda do mundo: a da mana. Conto de Fadas. Aceita encomendas online. :)

Do almoço

Como eu gosto de vir a casa na hora do almoço. A correr, é certo, com uma passagem de 10 minutos no supermercado. Mas chego a casa, tenho o mais-que-tudo à espera, e podemos almoçar juntos, entre conversas e mimos.

Ganha-se logo novo ânimo para a tarde de trabalho.

Das doenças (ai...)

Não sou de ficar doente, sou até bastante rija e é difícil ficar constipada mais do que umas horas. Mas já estou há dois dias muito atacada... dificuldades em respirar, nariz ranhoso, espirros constantes. Já estou a tomar um medicamento antigripal e a beber xarope. Infelizmente, não posso abusar da bomba da asma... não faz bem. Por isso, o feriado não foi tão bom como podia ser. Tenho de me esforçar para respirar. Uma chatice.