Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2019

Ho Ho Ho! Merry Christmas!

Este fim-de-semana decoramos a casa. O pequeno acabou por não participar grande coisa, temos de admitir... Mas chegou à sala, até levou a mãozinha ao peito, e exclamou um "Oh! Está perfeita!".  Minha riqueza.  Para celebrar, tivemos visita de amigos e fiz o imbatível bolo de cenoura delicioso. Cenoura, nozes, canela, cobertura e recheio de queijo creme. Não falha, sempre um sucesso! (registo da Helena)

Da Alegria

A alegria que foi ver o brilho no olhar do meu pequeno quando liguei a nossa cortina de luzes.  Não sei quem ficou mais feliz: ele... ou eu por reconhecer nele o entusiasmo que também eu sinto com o Natal. O marido não é muito festivo, mas espero influenciar o nosso menino para ser igual à mãe!

Aprendizagens

Uma das maiores aprendizagens destes mais de 9 anos de namoro/casamento é o "saber seguir em frente". Todas as relações têm crises. Todas as relações atravessam fases de maior enamoramento e de maior afastamento. Todas as pessoas vivem altos e baixos, passam por fases de maior êxtase ou de tendência mais depressiva. Vai daí, aprendi que não nos podemos deixar envolver pelas fases negativas. Todos temos fases egoístas. Todos temos atitudes umbiguistas, que acabam por afectar e/ou magoar o outro. Todos dizemos aquilo que não devemos - e não sentimos.  Aprendi a não guardar rancor.  Já fiquei muito magoada com coisas que o meu marido me disse - alguns legítimas, outras nada justas. Já lhe disse muitas outras coisas que o feriram - alguns vezes com intenção, a maioria das vezes no calor da discussão. No entanto, quando voltamos um ao outro e nos reencontramos, eu esqueço. Não fico a moer e a remoer. Para quê? O rancor só nos corrói - seja numa relação, numa a

Planear a vida

Antigamente, uma pessoa até podia planear jantares fora, idas ao cinema ou passeios a dois. Agora, ando a procurar saber onde vão acender as luzes de Natal primeiro, a organizar passeios para o pequeno, a descobrir onde vamos ter carrosséis, insufláveis e animação variada. O Natal é quando um homem quer. E esta mãe quer que o seu rebento viva o Natal ao longo de todo o mês.

Ho Ho Ho!

Há já vários dias que ando a controlar uma vontade quase incontrolável de decorar a casa para o Natal. Por tradição familiar, sempre montei a árvore no dia 1 de Dezembro - na casa da minha mãe, é sagrado ser neste dia. Mas, este ano, talvez por achar que o pequeno vai delirar realmente com as festividades (o que não aconteceu no primeiro nem no segundo Natal), estou em pulgas. Pensei que era um bicho raro por querer montar tudo em Novembro, mas imensa gente parece ser adepta de decorar a casa com as ornamentações natalícias cada vez mais cedo.  Natal, anda lá. Estou à tua espera!

Maravilhas da maternidade

Desta vez, é mesmo uma maravilha. Com quase dois anos e meio, o pequeno já é muito mais "mimoso". Já se expressa perfeitamente, já diz "Amo-te muito" e responde um sorridente "Eu também" quando somos nós a confessar-lhe amor. Dá abraços e beijos, já procura o afecto e tornou-se muito mais sociável. Enrosca-se no meu colo, pede ternuras no sofá e adora aqueles cinco minutos de mimo ao acordar. Agora, sim, a maternidade está a tornar-se uma maravilha (não, não apreciei particularmente a fase mais bebé). 

31!

Ora bem, o que é que eu tenho? Tenho 31 anos, que celebro hoje. Tenho uma família fabulosa, um filho mais doce que o mel, um marido inexcedível, uma família patuda que me enche de alegria. Hoje dei por mim a pensar que, acima de tudo, tenho a certeza absoluta que nunca fiz mal a ninguém. São já mais de três décadas a ser boa pessoa, a não incomodar os outros, a não prejudicar os demais. Essa deve ser a maior conquista destes 31 anos. Ser feliz e gostar de ver os outros felizes. Parabéns a mim e à minha irmã. Duas boas almas num mundo cada vez mais negro.

Mais nunca é demais!

Quando me perguntam o que me devem oferecer no meu aniversário, acaba por me fugir sempre a mesma resposta... Cachecóis, mantinhas de pôr nas costas, ponchos e écharpes.  Sou daquelas pessoas que não gostam de usar camisolas muito quentes - até porque o meu local de trabalho não é frio e tem aquecimento. Gosto é de usar blusas ou camisolas mais finas e envolver-me em cachecóis ou lenços aconchegantes.  Tenho imensos... Um horror de quantidade... Mas adoro sempre receber mais! A minha mãe fez um todo colorido para me oferecer no meu aniversário. Mas venham eles. Nunca são demasiados!

Termóstato avariado

Na cama, é todo um filme. Eu sou toda fã de lençóis polares, cobertores peludos, edredões, mantas e mantinhas. Ele é um calorento, que todas as santas noites "destrói" o seu lado da cama ao tentar soltar-se dos lençóis e cobertores. Espertos são os casais que escolhem camas com colchões individuais.

Facto

Por mais deprimente que pareça, depois de ser mãe passei a dar um valor incrível ao facto de ter sobrado comida que o pequeno adora para o jantar de hoje.  A simples ideia de comprar apenas duas baguetes frescas e de fazer sandochas de queijo e presunto para o jantar dos adultos parece-me um sonho. É hoje.