Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2018

Gremlins

Eu e o meu futuro marido andamos tal e qual os Gremlins...  Fofinhos e queridinhos de dia (Mogwais, portanto!)... Mas viramos monstros durante a noite, devido à falta de sono e à incapacidade de lidar com as crises nocturnas do pequeno. Já agora... Sou só eu que tenho memórias traumáticas dos Gremlins? Tinha um medo terrível deles.

HoHoHo!

O meu postal de Natal para vocês! Eu sempre fui daquelas pessoas que deliram com o Natal. Há sempre uma certa nostalgia ao cair da noite de 25 de Dezembro... Tantas semanas a ansiar, a preparar, a contar os minutos... e pufff, de repente já passou. Este ano, com o nosso pequeno, foi ainda mais especial. O Natal não é só das crianças, mas elas tornam tudo muito mais encantador. O delírio do meu pequeno e do primo mais velho é digno de registo e a alegria deles é contagiante. Espero que o vosso Natal tenha sido tão bom como o nosso e, já sabem... nos dias 31 de Dezembro e 1 de Janeiro temos nova dose. Até lá, façam dieta!

Boas festas!

Meus amores, obrigada por estarem desse lado há uma década inteirinha.  Agradeço a todos os que por aqui passam e desejo, do fundo do coração, um santo e feliz Natal a todos os leitores. BOAS FESTAS! 

Insta Week(s)

Os três calendários de advento cá de casa. Tradição a manter! O rescaldo da ida à capital... vá, ao Estoril. Agora sim, na capital. Últimos dias com os óculos 'velhos'.  A árvore de Natal da casa de família continua a ser a mais bonita. Já tudo em modo natalício! Troquei o meu Pirata por esta versão mais morena... Ontem foi dia de festa na creche do Rafinha. Uma alegria! Continuo a ter a grinalda mais bonita, feita pela minha mãe. FELIZ NATAL. Que esta época festiva seja abençoada!

Odiozinho de estimação

Nisto das compras natalícias, faço mesmo um esforço para tentar adquirir prendas no comércio tradicional. Mas oh senhores, às vezes apanha-se com cada peça... O meu tipo de lojista "favorito" (leia-se: o mais irritante) é aquele que manda na carteira dos outros. Hoje de manhã, lá fui eu com a minha mãe a uma loja. Por acaso até compramos três peças, mas aquilo já me estava a dar uns nervos de morte. "Ai esse casaco é muito lindo. E baratinho. Custa X." Bom, o barato é um conceito relativo... :) "Ai fica-lhe mesmo muito bem". Não pedi opinião. "Esse também lhe fica bem". Aproveito para questionar a minha mãe para me ajudar a escolher entre um e outro. "Ora, então leva os dois! Estão num excelente preço". Só para que conste, a senhora disse-me que uma peça custava 35 euros e afinal estava marcada a 25 euros, o que, já de si, tinha sido muito engraçadinho... Lá escolhi. "Mas leve o ou

(Alto e pára o baile!)

Uma pessoa pode parecer-te bem porreira, agradável, de conversa divertida... Mas se sai daquela boca um "aqueles animais deviam era ser todos abatidos, que só incomodam as pessoas"... Oh meus amigos. Reviro os olhos e nem perco mais o meu tempo.

Quando eu achava que já nada me surpreendia...

Eis que me deparo com as belas das notícias que dão conta da venda de peças do helicóptero do INEM à venda no OLX. Que o ser humano sofre de curiosidade mórbida, já se sabia... quantos de nós acabamos por olhar para algo que sabíamos que ia ser "feio", mas olhamos na mesma, porque a curiosidade levou a melhor? Mas caramba, quão baixo se pode descer? Como é que esta gente dorme de noite? Não pensam nos quatro desgraçados que perderam a vida? Nas famílias?  Não têm o mínimo de vergonha? 115 euros peças do helicóptero, a sério? Quem seria o traste que iria comprar semelhante? É por isso que eu digo sempre, e cada vez mais: O ser humano não é em nada superior aos animais. É que este nível de crueldade não existe no mundo animal.

(blushing)

Quase uma década de blogue e ainda fico corada quem nem um tomate quando alguém me diz que lê o meu blogue. Ou então que tem alguém próximo que lê o meu blogue. Uma pessoa até se esquece que, efectivamente, é lida por algumas pessoas e que este "diário" é pouco pessoal!

Ai, Mango...

Lá está a maldita da Mango com o tipo de vestido com que eu quero casar, mas a insistir no tom errado... Tem de ser bege ou rosa claro, menina Mango!

Facto!

Ao ritmo que as coisas vão e com os imprevistos constantes da nossa vida, vamos chegar ao dia do casamento e nem 5 euros vamos ter poupado. Achava eu que um filho não me dava assim tanta despesa (o primeiro ano foi enganador)... Foi só entrar na creche e, entre a mensalidade e o combustível, vai uma bela fatia de salário... 

O Primeiro!

Com alguma frequência leio mães e pais a queixarem-se nas redes sociais do excesso de "trabalhos" solicitados pelas creches e jardins-de-infância. Eu não sinto mesmo nada disso. Na creche do meu rapaz, pelo que explicaram, vão pedir meia dúzia de trabalhos ao longo do ano lectivo... Não consigo mesmo achar demasiado... pelo contrário, até. Gostava de ter uma tarefa todos os meses. O Rafael só tem 18 meses, não percebe nada disto, mas acredito que esta seja uma forma bonita de estimular as actividades entre pais e filhos e ajudar os pais a sentirem-se envolvidos no dia-a-dia da creche. Por aqui, hoje concluímos o nosso primeiro trabalho e não podíamos estar mais orgulhosos. A avó materna fez a botinha em feltro e tratou da estrela com a identificação... Os pais passaram uma hora a colar bolinhas pompom com cola quente.  Se não for a botinha mais gira da creche, certamente andará lá perto!

Odiozinho de estimação

Refeições com serviço volante. Não consigo entender o conceito de almoço/jantar volante, com a malta a comer de pé, prato na mão e copo preso por "presilhas" de plástico.  A quem é que aquilo dá jeito? Não consegues usar os dois talheres ao mesmo tempo. Para pegares no copo, tens de fazer ginástica com os talheres. Usar o guardanapo é o verdadeiro desafio! Também não é bom para a socialização... A malta a comer de pé, de casaco vestido, mulheres com as malas ao ombro ou a tiracolo... sacas e mochilas no chão... Quem é que se consegue sentir confortável? Ainda por cima, acho bastante incómodo estar a comer e a "conversar" com pessoas com quem não se tem confiança - geralmente, as refeições volantes são em trabalho, em seminários, palestras, congressos, encontros de negócios. Já sei que a ideia é ser rápido e eficaz, mas não consigo achar minimamente prático. Nah . Não me convencem. É demasiado "relaxed" para o meu gosto. 

Arejar!

Péssoau , vim à capital. Vim três dias ao Estoril, a trabalho, e tem sido tão refrescante que me sinto quase como nova.  Muito trabalho, mas muitas risadas e - claro!- muitas visitas às iluminações de Natal. Ontem andamos uma duas horas a visitar as iluminações do Terreiro do Paço, Armazéns do Chiado... Bateu forte aquela vontade de experimentar viver numa cidade grande. O trânsito e a confusão do estacionamento são uma chatice... mas depois existem estes privilégios... que valem ouro!

Escolhas animalescas

Quem questiona esta loucura que é ter um cão, quatro gatas, dois adultos e um bebé num apartamento... ... Bom... É porque nunca viu as gargalhadas que o meu bebé dá quando vê o cão ou quando consegue fazer mimos às gatas! Ri-se que nem um perdido quando atiramos algo para o cão comer e ele consegue "apanhar no ar". Desata a sorrir quando dá algo ao cão para comer e ele lhe lambe as mãos em retribuição. Fica maluco de riso quando a gata se roça nele. É contagiante.

Dramas femininos

Não há coisa mais complicada do que encontrar um profissional de manicure como deve ser.  Estou farta de tentar e cansada de não acertar. Próxima semana, próxima tentativa.