Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2010

Quando eu achava que não podia descer mais...

Passo a tarde a ouvir a música do Rei Leão. Coisa mais linda. :')
And can you feel the love tonightIt is where we areIt's enough for this wide-eyed wandererThat we got this farAnd can you feel the love tonightHow it's laid to restIt's enough to make kings and vagabondsBelieve the very best



Psiuu... A música é linda. "Descer mais" porque ando uma remelosa do pior.
Homem atacou crianças com um martelo num infantário da China

"Cinco crianças de um jardim-de-infância no leste da China foram hoje, sexta-feira, feridas por um homem que as atacou com um martelo, antes de se imolar pelo fogo. Trata-se do terceiro ataque numa escola desde quarta-feira e o quarto em pouco mais de um mês. Segundo a agência oficial Nova China, o homem borrifou-se de gasolina com duas crianças nos seus braços antes de atear o fogo, numa escola de Weifang, na província de Shandong. Os professores resgataram imediatamente as duas crianças que com outros três feridos ligeiros foram conduzidas ao hospital, onde de acordo com fontes médicas, se encontram num estado estável. Este drama acontece numa altura em que três ataques com armas brancas, visando alunos ou crianças em jardins-de-infância, foram perpetrados desde 23 de Março no país, fazendo oito mortos e perto de 50 feridos."JN
Impressão minha ou os chineses estão loucos? Três ataques a crianças em poucos dias? Cred…
Apesar de eu ser assim bastante dada às emoções não tenho grande jeito para declarações de afectos.

Não tenho mesmo jeito. As pessoas que mais amo são aquelas a quem menos mostro afecto. Eu e a mana somos iguaizinhas nisso. Ah, não me lembro de dar um abraço à minha irmã, apesar de ela ser a pessoa mais importante do meu mundo. Ou melhor, até me lembro, foi aí há uns oito anos... Coisa pouca, portanto.

E porquê isto?

Porque a minha mana é finalista. E eu fico muito contente por ela. Mas agora vou ter de lhe escrever na fita de finalista e não sei o que raio escrever.

Posso só escrever "Amo-te e desejo para ti mais do que alguma vez desejarei para mim".

É capaz de chegar.
I could stay awake just to hear you breathing
Watch you smile while you are sleeping
Far away and dreaming
I could spend my life in this sweet surrender
I could stay lost in this moment forever
Well, every moment spent with you
Is a moment I treasure

I don't wanna close my eyes
I don't wanna fall asleep
'Cause I'd miss you, babe
And I don't wanna miss a thing
'Cause even when I dream of you
The sweetest dream will never do
I'd still miss you, babe
And I don't wanna miss a thing

Aerosmith - I don't wanna miss a thing


Não posso ouvir disto... Fico ainda mais melosa do que é normal. Incrível, eu sei, mas possível!

Quero uma destas!

"Já imaginaram como seria, por exemplo, Bryan Adams a tentar encantar uma multidão em português? "Ela corta que nem uma faca.... E sabe tãããoo bem!"... a versão tuga de "Cuts Like a Knife" seria digna de qualquer bailarico de aldeia! Ou então, U2 no Estádio de Alvalade a cantar: "Eu queria correr, mas ela me fez rastejar... oh oh oh, a coisa mais doce!". A primeira parte poderia ser feita pelo nosso Emanuel, estou certa. Sempre me diverti imenso a traduzir para português músicas ou deixas cinematográficas... acreditem: dá para rir, e muito! Mas e se alguém se lembrasse de fazer precisamente o contrário e montar um negócio onde a sabedoria popular portuguesa fosse traduzida para os olhos estrangeiros?
"You're made at steak", diria o Camarinha
Não, a ideia não foi do Zezé Camarinha (se bem que o consigo imaginar pelo Algarve a ameaçar os ingleses que lhe estragam os engates com um belo "You're made at steak!" (Tás feito ao b…

Somos pelos filhos

"Em regra, um bom pai e uma boa mãe tratam bem dos seus filhos. Fazem tudo por eles, trabalham, trabalham, trabalham, chegam a casa, cozinham para eles, lavam-lhes a roupa, estendem-lhes a roupa, recolhem-na, passam-na a ferro, fazem-lhes chá quando lhes dói a barriga, fazem-lhes o pequeno almoço se estão doentes (e alguns mesmo quando não estão), abdicam de si por eles. Deixam de ir ao ginásio porque o dinheiro não sobra, mas não tiram os filhos do karaté, natação, música, violino, dança. Deixam de ir ao cabeleireiro com a frequência devida, descuram as madeixas, andam com as brancas à mostra, mas não deixam que o cabelo dos filhos ande espigado.

Passam a comprar roupa barata e só em dias de festa, mas não deixam de comprar Carhart, Nike, Adidas, Levis, Replay, para os meninos. Os mesmos meninos que, apesar de saberem das dificuldades dos pais (e se não as sabem, é falha dos pais, pois deve aprender-se cedo que o mundo é imperfeito e o dinheiro não chove), não se inibem de exigir
Isto é que era.

Aqui a lady tem calor. Já bebeu um litro de água na última hora e não sabe mais o que fazer.

Dá-me um autógrafo II

Quando eu pensava que os homens da blogosfera não me conseguiam surpreender mais... Eis que chega o Patife.

O Patife diz "Tenho a mente limpa e a boca suja. Sujo a boca para limpar a mente." Foi claro, não foi?

http://fodefodepatife.blogspot.com/

O blogue diz palavrões e fala de ordinarices post sim, post sim.O blogue é feito obviamente para quebra as regras da boa educação. E eu farto-me de rir com aquilo. Procuro num blogue irreverência e diferença, e isso o blogue tem para dar e vender. Gente sensível e delicada não visite, se faz favor.

Dá-me um autógrafo Patife.
Sou altamente confiável.

E tenho um orgulho do caraças nisso.

O que mais gostam em vocês? Vamos lá a ser positivos e a valorizar o que é bom de valorizar.


Bem, também sou um bocado mosca morta e não sei dizer que "não", mas isso agora não interessa para nada.

É Primavera... Altura de se ver o passarinho verde... Uh huh, estou a falar de amor. Again.
Quando se gosta tem-se sempre tempo para a outra pessoa.

Não se arranjam desculpas. Não se diz que "é impossível". Tudo é possível aos olhos de quem ama.

Quando se gosta, tem-se sempre tempo para um "I just called to say I love you..." mesmo que se esteja enterrado em trabalho.

Quando se gosta, tem-se sempre um minuto para mandar uma mensagem, nem que seja a dizer algo banal. Um minuto. Um minuto livre toda a gente tem, mesmo que seja enquanto se bebe um café ou se dá uma trinca numa sanduíche.

Quando se gosta, faz-se uma viagem de duas horas para se estar 30 minutos com a outra pessoa. E a viagem não é um sacrifício - é puro prazer.

É tão mais fácil dizer-se que não se tem tempo... Assim como é tão mais fácil arranjar desculpas obviamente esfarrapadas. Desculpas que não mais revelam que falta de interesse.

Dizer que se gosta é fácil. Difícil é demonstrá-lo.

Divisão de tarefas

Que é como quem diz (atenção que não é tradução exacta)...

EU vou:

- Preparar o teu almoço
- Fazer a cama
- Beijar-te sempre que estiveres zangado

TU vais:
- Apanhar as aranhas (e as centopeias, já agora)
- Levantar o correio
- Abraçar-me a toda a hora


Cutxi cutxi. :)

Voltar a ser

Ontem fui ouvir fado. Carminho. O fado tem sempre o mesmo efeito em mim: arrepia-me por completo. O dramatismo, a escuridão, a voz, as letras... As letras... Em alguns momentos senti uma ou outra lagrimazita a querer dar um ar de sua graça. Não o permiti.
Eu sei
Que vou voltar
Ao coração por um fio
Porque é do meu feitio
Nem sei como mudar

Mais vale somar paixão
Somar desilusão
Até tudo nos doer

Porque eu vou
Voltar a ser
Tudo o que eu já fui um dia
Tudo o que eu já queria ser
Antes de te querer

Letra e Música: João Monge


Porque é do meu feitio e eu não sei mudar - nem quero mudar. Bom Domingo!
Há homens que mais parecem porcos. Pior, são pior que porcos. Porque os porcos são Porcos porque lhes deram esse nome. Já os homens que são porcos, são-no porque não têm carácter para ser merda melhor.

E não me tentem convencer do contrário. Hoje NÃO.

Ai que as crianças são tão fofinhas e o melhor do mundo

Diz que o Youtube faz cinco anos. Então para celebrar criou-se um vídeo dos cem vídeos mais vistos de sempre.

Pois diz que esta coisa é das coisas mais vistas. 181 milhões de visualizações.

Sinceramente, estão a gozar com a minha cara? Mas que raio de piada é que isto tem? Mas qual é a graça disto?

Façam-me um desenho que me explique. Ultrapassa-me, pronto, ultrapassa-me.

Assumo que não sou minimamente maternal, mas gosto de crianças. Das crianças educadas, leia-se.

Mas é pah, isto não tem piada nenhuma. Pode ter gracinha para os pais, que se babam a olhar para os pequenos rebentos. Pode ter graça para os familiares mais próximos... Mas para o resto do mundo, não estou a ver a graça. Ao menos vejam o panda a espirrar, que é bem mais giro e ainda só vai nos 59 milhões.

É do calor II

Ando com saudades de proximidades,se é que me entendem...


Vou mas é trabalhar, para deixar de ter pensamentos idiotas. Idiotas e totalmente inúteis, diga-se de passagem.

De como chatear uma mulher com uma pergunta

Imaginem que vão tomar café com um anterior foco de interesse (AKA, homem que vos interessou).

Corre tudo muito bem, a conversa é agradável e desprovida de segundas intenções.

Saem do café e ele decide mandar a pérola:

"Estás mais cheiinha, não estás?"

Vamos lá ver uma coisa meus amigos: a mulher até pode ter mais vinte quilos, não devem fazer comentários desses. Não vos fica bem. Muito menos se não a viam há uns meses e já não têm confiança para tal. A mulher esquece que a conversa foi agradável durante uma hora. Vai-se concentrar única e exclusivamente nessa frase bronca que acabaram de dizer.


Dos sonhos

Já há dois dias seguidos que sonho com morte.

Anteontem sonhei que o homem mais importante da minha vida morria. E que eu dava a mão ao esqueleto dele. Ficava ali, de mão dada a ele, ou ao que dele sobrava. Chorava imenso. Acordei com os olhos molhados.

Esta noite sonhei que um ex-namorado morria (desculpa aí!!). O sonho tinha pormenores sórdidos, uma coisa de cortar a respiração. Via-o a morrer, a afogar-se. Via-o no funeral, deitado numa mesa com os familiares à volta. Incrivelmente, era enterrado no jardim daquela que supostamente era a minha casa (???). Acordei atormentada. Coisa mais horrível.


Isto assusta-me. Não entendo.

Do engate (ou de como afugentar qualquer mulher com mais de dois neurónios)

De tão ridículo que foi, decidi partilhar convosco.

Tive de ir à biblioteca pesquisar uns livros para um trabalho de mestrado. Fui até aos Jardins do Palácio de Cristal. Livros úteis para a pesquisa, nem vê-los. Aproveitei então para me sentar num sofázinho a ler umas revistas.

Ao caminhar para o sofá reparei no olhar descarado de um homem que lá estava. Vinte e muitos anos, pareceu-me. Bem apresentado, até. Ignorei. Peguei na "Focus" e sentei-me. Daí a um pouco o fulaninho descarado levanta-se do seu sofá e senta-se no sofá em frente ao meu. Ser directo sim, ser descarado nunca. Não causou boa impressão. Obviamente tinha o jornal apenas para dar a ideia de homem interessante e culto.


Daí a pouco levanto a cabeça e o dito homem está assim (como esse aí, mas sem os lindos olhos azuis) a olhar. Descaradamente. Ignoro, volto à leitura. Fico incomodada com a falta de discrição. Passam-se assim mais dez minutos, com o dito de olhos colados.

Sentindo-me incomodada, pego no meu rabo …
A nova campanha publicitária da Sumol está qualquer coisa de fantástico. Nas paragens do metro fico a admirar os cartazes. Tão reais. As pessoas parece que se tornam cinzentonas com a idade.

Não sou do género "lapa" na rua, mas recuso-me a achar que só entre os lençóis (e às escuras, já agora) é que a intimidade é permitida. Mesmo que se trate de um beijo.

Está descansada Sumol. Não lhe falo mesmo!

Dos caixotes que todos carregamos

Hoje falaram-me de um texto. Um texto que leram algures, não se lembram bem onde. Um texto que faz uma analogia perfeita entre a nossa vida e os caixotes.

Todos temos caixotes. Temos caixotes carregados de recordações. Carregados de emoções antigas, que já passaram e não mais voltam. Todos temos caixotes que transbordam de sentimentos do passado, memórias do que já vivemos e saudades do que já não temos.

Temos também sacos. Sacos onde guardamos as músicas que nos lembram de algo. Onde guardamos os livros que nos fazem choramingar por alguém que já não volta. Sacos onde carregamos os filmes que nos fazem chorar e as fotografias que nos fazem lamentar.

Vamos na rua. Debaixo de um dos braços temos uma dessas caixas, carregadinha de emoções passadas. No outro temos um saco, com todas as coisas que nos lembram de alguém.

À nossa frente alguém cai.

O problema é que temos os braços ocupados com as coisas do passado. E talvez não tenhamos tempo de pousar as Memórias e deitar as mãos ao Presente.
Sorry seems to be the hardest word.


Nunca tive jeito para pedir desculpa. Parece que há muita gente a sofrer do mesmo mal.
Eu tenho uns leitores muito dados ao drama (saem a mim). Se eu falo de amor, sou lamechas. Se digo mal dos homens, sou radical. Acalmem a pássara que eu continuo romântica e remelosa. O amor pode ser lixado, mas eu sou ainda mais lixada. Nao desisto nem que a vaca tussa (isto nao fez sentido, mas serve).

Lucky me!

Ao falar com as minhas amigas apercebo-me da sorte que tenho em estar solteira. Tenho mesmo muita sorte por não ter alguém que me engane. Por não lidar com alguém que me minta. Por não gostar de alguém que um dia me beije e no dia seguinte fale bruto para mim (bem, este caso eu já conheço...). Ainda bem que não estou com alguém que me diz que gosta de mim e afinal tem namorada.

Não vou criticar os homens, que não se deve generalizar.

Mas porra... podiam respeitar mais. Não custa assim tanto.

Lucky me. Mesmo!

Saiu-lhes caro

"Uma noite romântica na praia custou a um australiano 380 euros. O homem, de 34 anos, foi apanhado a ter sexo com a esposa e obrigado a pagar a avultada quantia, avança a Globo. A justiça australiana teve mão pesada com Dwayne Warren, intimando-o ainda a passar 11 dias na prisão caso não pagasse a coima. Tudo porque a 4 de Outubro de 2009, uma mulher que passeava numa praia na região australiana de Gold Coast viu o casal a ter relações sexuais, durante 45 minutos. Chocada, fotografou os apaixonados e entregou as fotografias à polícia. Meio ano depois, a 15 de Abril, Warren ouviu a sentença em tribunal: o carpinteiro foi acusado de perturbação da ordem pública e de resistência à prisão, pois reagiu mal à detenção policial."Roubado à Aninhas.

Tarada do caraças. Fica 45 minutos a ver os outros a divertir-se, o que já por si é mau. Agora "chocada" tirou fotos e denunciou-os à polícia?

Sabes como se chama a isso…
Now I've been hangin around you for days
but when I'm lean in
You just turn your head away
Ohh I know you didn't mean that
She said 'I love the way you think
but I hate the way you act'

'Cause I always have to steal my kisses from you
Always have to steal my kisses from you
Always have to steal my kisses from you
I always have to steal my kisses from you


Início de semana.

Haja alegria. :)

Sunday morning

Acordar as onze horas. Sono, muito sono, por ter ficado na treta até às quatro da matina.
Café forte para ver se acordo.

Cabelo atado, que não estou para vaidades. Calças de ganga velhas. Tshirt, que o tempo está quente apesar do céu nublado. Chinelas de dedo enfiadas. Óculos de sol. Trela na cadela e vamos lá dar um passeio.

Destino? Rio.

Cena 1? Cadela a correr feita louca pela relva. A cavar feita louca. Certamente que pensou ir encontrar petróleo. Para minha tristeza, o máximo que encontrou foi um pedaço de madeira. Não é desta que fico rica.

Cena 2? Areia. Cadela desata a correr para a água e dá as suas primeiras braçadas. S* derrete-se com a aprendizagem.

Sento-me na areia molhada. Cadela vem para o meu lado, rebola-se na areia e fica parecida com um croquete. Resmungo com ela.

Pousa a cabeça no meu colo e dá-me um daqueles olhares de carneiro mal morto. Faço-lhe duas festinhas na cabeça molhada. Limpo-lhe o narizito preto coberto de areia e deixo o resmunganço de lado. É tão fácil con…

Da inutilidade

Diz que madame Luciana Abreu (Floribella para os amigos) engravidou. Diz que Djaló despachou dois cães para o canil municipal. Toda a gente sabe que num canil os animais não duram muito tempo, ainda por cima com o aproximar do bom tempo e das férias, altura em que os tugas chutam com os cães para o canil. Se estes dois não têm dinheiro para pagar um hotel para os cães, ou se não têm disponibilidade para lhes arranjar uma nova casa, eu vou ali e já venho.

""Fúria" e "Branca" são os nomes dos cães que Yannick Djaló deixou no canil da Moita e que, disse ao "24 horas", pertenciam à "ex". Segundo notícias de arquivo, foi ele quem ofereceu os cães à Ana Sofia Miguel, ao longo de cinco anos, mas agora disse que não queria pagar a alguém para limpar os canis, então... ala pro canil!"

Eu aderi. No Facebook escreve-se muita idiotice e criam-se grupos a torto e a direito. Mas ao menos que este gruposirva para os fazer ter alguma vergonha na cara.

Da…
Está oficialmente aberta a época de corrida à dieta.

A minha irmã decidiu que vai entrar em dieta na segunda-feira (segunda é dia de começar dietas, toda a gente sabe). Querida que só ela, disse logo que "não sou a única que está a precisar". Cabra. Pois diz que por solidariedade feminina eu também vou ver se começo a fazer qualquer coisinha por mim abaixo. Aqui a texuga pode perder uns dez quilos à vontadinha.

Vamos é lá ver quanto tempo dura. Querem fazer apostas? Uma semana? Duas semanas? Um mês?

Ou... dura só até me dar a fome?

Do medo

Quando fico sozinha em casa tranco a porta do meu quarto.
Espreito debaixo da cama antes de me deitar.
Pouso uma faca de tamanho médio na prateleira junto à minha cama.
Just in case.

Duvido que atacasse algum ladrão com a faca. Provavelmente, erguia os bracinhos no ar e ficava petrificada a olhar para ele.
Pedes-me um momento,
Agarras as palavras,
Escondes-te no tempo
Porque o tempo tem asas.
Levas a cidade
Solta no cabelo,
Perdes-te comigo
Porque o mundo é um momento...


Pedro Abrunhosa - Momento

Apaixonei-me

E ele apaixonou-se de volta. É meu.
E podem acreditar em mim quando vos digo que me fica tal e qual como na fotografia. Mas é que fica mesmo, estou igualzinha... fora os 15 quilos a mais que a menina. Afinal, posso mentir à vontade que vocês não sabem. lol
Agora é só esperar pelo Sol.
Freya Lingerie

Perder a razão

Nuno Lobo Antunes, tem uma crónica fantástica sobre os lugares-comuns. Existe aquela mania de que por erguer o tom de voz a pessoa perde logo a razão. Leiam e entendam.


"Da maneira que falaste, perdeste a razão!', Não, idiotas, não a perdi, (se a tinha), porque se a razão me assiste, bem posso ser malcriado, arrogante, snob, insuportável, desprezível ou colérico, que mantenho como minha a coerência do argumento, independentemente dos decibéis com que a expresso."

Nuno Lobo Antunes Eu acho que o homem tem razão. Especialmente porque quando me zango também costumo aumentar o nível de decíbeis. Mas mantenho um discurso coerente, ora essa! Ninguém precisa ser uma grandessíssimo malcriadão... mas a verdade é que a razão continua lá.

Reflexões

Sinto falta de me dar de peito aberto, sem receios. Já há uns anos que não o faço. Gostar e ser retribuída. Dar-me sem medo de sofrer, sem receio de ser desiludida. Dar-me porque sei que é o melhor que posso fazer por mim. Amar e ser amada.

Tive a sorte de ter tido um primeiro namorado que me tratou sempre maravilhosamente bem. Não era o tipo de pessoa que queria para mim, mas foi uma pessoa que me amou do princípio ao fim. Lamento não ter tido oportunidade de lhe agradecer o facto.

Desde então, a minha vida emocional tem sido repleta de erros e mágoas. Pessoas em que depositei confiança e que, em troca, não foram capazes de ser correctos comigo. Ou porque não gostavam de mim. Ou porque gostavam, mas não o suficiente. Ou porque puseram outras coisas na frente. Ou porque acharam que uma pessoa era pouco.

Há dias em que acordo e me apetece deitar tudo para trás das costas. Apetece-me começar do zero, conhecer uma pessoa nova, criar algo com bases sólidas. Depois tenho daqueles dias em que …
Se existem aquelas fases em que não te apetece nada...

Existem depois aquelas fases em que te apetece tudo.



Nesses momentos há que medir cuidadosamente os dois pratos de uma mesma balança.

Lembram-se da história da falta de chá...?

Pura classe esta observação. Fica mesmo bem, mesmo bonito, dizer isto para a comunicação social.

Segredos para manter a linha?

Saladas? Água? Massagens? Ginásio? Caminhadas?

Nah... That's a piece of cake! É para as iniciantes.

Umas quecas bem dadas é que é!

Razões para se ser fiel

Fiquem desde já a saber que eu não inventei isto. Aprendi na aula de Marketing Político de ontem. Estas definições existem mesmo. Eu posso é estar a deturpar o sentido da coisa... mas isso já é outra história.


Ora vamos lá ver... Quais os motivos que levam uma pessoa a fidelizar-se a certo produto?

Por hábito - Há gente que é fiel a determinado produto por hábito, por conformismo. Habituou-se aquilo. Estes tipo de fiéis são perigosos porque, mais cedo ou mais tarde, vai-lhes apetecer mudar para outra coisa.

Já se sabe que quando um produto começa a ficar usado e velho algumas pessoas têm tendência a trocá-lo por um mais novo e de novas tecnologias. Modernices.

Por crença do risco - Que é como quem diz, a pessoa é fiel porque tem medo de encontrar um produto novo. Não sabe se o que vai encontrar é melhor ou pior então deixa-se estar, acomodado. Tem medo de não escolher bem, então fica no mesmo lugar. Legítimo!

Por convicção - Ora este tipo de fiéis são bichos raros, raríssimos... São fiéis …

Diz que hoje foi dia do beijo...

A sério?

Nem dei por ela.


Que eu sou uma pessoa emocional mas, às vezes, uso o tico e o teco para pensar.

A grande taróloga Maya...

Acaba de dizer que hoje os Escorpiões devem seguir os seus impulsos. Disse ainda que eu, como escorpião, não devo bloquear as minhas emoções.

É impressão minha...

Ou a senhora está-me a dizer para eu fazer aquela asneira (que eu sei que é asneira) que me apetece fazer mesmo mesmo muito?

É que se ela diz, eu vou já! Escusa de dizer duas vezes.

Dás-me um autógrafo?

Rubrica para lá de interessante onde vou debitar ideias sobre os meus blogues favoritos.

Toda a gente sabe que a blogosfera é do mulherio. Para cada blogue de homem, há vinte blogues de mulheres. Pelo menos segundo as minhas contas completamente credíveis.

O mulherio é mais amiguinho, lêem-se umas às outras. Já o machame é mais distante, não socializa.

São poucos os homens a escrever. Mas são - há que admitir - os meus favoritos. Geralmente têm muita graça. Sentido crítico apurado e um humor corrosivo.

Hoje dediquei-me a ler mais vagarosamente este blogue aqui. O rapaz é tão parvo, mas tão parvo (no bom sentido), que tem uma graça imensa. É inútil resistir.

Sei que te estás a borrifar para isso, mas sou tua fã.

Dança no varão para acalmar stress dos exames

"A Universidade de Cambridge, em Inglaterra, incluiu aulas de dança do varão entre as ofertas destinadas a acalmar o stress dos estudantes durante a época de exames. (...)

Juan de Francisco, o dirigente associativo responsável pelas aulas de dança, admitiu que as sessões de dança do varão podem ser controversas mas pretendem ser uma forma de "divertimento inofensivo". "As aulas destinam-se a melhorar a forma física e o bem-estar, não visam qualquer conotação sexual", acrescentou."

JN

(Olha a piadinha)

Olha que não é com as danças do varão que acalmam o stress. Mas com outras actividades relacionadas, talvez.
Ando a falar como uma certa pessoa. Ou será errada?
E quando digo alguma coisa que a certa pessoa diz habitualmente, fico com o coração reconfortado. Lembro-me da forma de falar. Parece que a ouço falar. Incrível como algumas coisas se entranham tão facilmente em nós.

Um sorriso moderado, por saber que isso não é sinal de felicidade. Mas continua a ser um sorriso, porque apesar de não dar em nada eu gosto da sensação.



Sinto Muito

Foi o livro do fim-de-semana.Intimista é a palavra que melhor o define. Permite-nos entrar na cabeça e no coração de um médico especialista em neuro-oncologista pediátrica. Tudo o que envolva crianças é mais frágil... crianças doentes é uma realidade aterradora.Arrepiou-me. Arrepiaram-me as palavras, as emoções, as confidências. A crueza de quem lida há demasiados anos com crianças doentes e a emotividade de quem, antes de ser médico, é ser humano.

Lições de Português (by S*)

Todas as pessoas têm expressões muito suas. Esta aqui é muito minha. E da minha irmã também.

Toma, embrulha (e mete um laço que é para oferta).

Utiliza-se quando dizemos uma tirada daquelas mesmo boas. Uma resposta rápida, audaz, sem direito a resposta. O laço da oferta só deve ser utilizada quando a coisa foi mesmo brilhante.

Está de chuva.

A coisa está fraca, não abunda para estes lados. Quando me perguntam por machame eu respondo sempre "isso agora... está de chuva!". Mas depois da tempestade diz que vem a bonança.

Partilhem-se comigo.
A minha irmã é muito altruísta. Apanhou uma conjuntivite e - vejam só! - decidiu partilhá-la comigo.
Sabem aqueles dias em que se sentem horrorosos?
Aqueles dias em que parece que nada vos fica bem?
Aqueles dias em que se olham ao espelho e soltam um "credo"?
Somem a isso uns olhos vermelhos. E um olho direito que não pára de chorar. Somem o facto de estar ranhosa. Somem também uma má disposição física e mental. Ah, e já agora, somem o facto de estar a trabalhar com um dia maravilhoso lá fora.
É a porcaria do dia. Ninguém merece.

É do calor I

Um bom perfume de homem é coisa para me provocar calores. *
O homem pode ser um Deus grego ou o Emplastro II. Se cheirar bem, oh pra mim a arrebitar as antenas.

* Não vou entrar em detalhes, escusam de implorar.

Armas de engate

Arma número 1:

Bebés. Crianças no geral. Quanto mais pequenos, melhor. O mulherio acha imensa graça a ver homens com uma criancinha. Não importa se é filho, sobrinho, irmão... ficam logo encantadas. Apela aos seus instintos maternais e, inconscientemente, faz com que pensem que aquele fulano daria um bom pai.

Arma número 2:

Cachorros. Esta arma dá para ambos, seja macho ou fêmea. Aparece-te imensa gente à volta, pululam como cogumelos. "Ai que coisinha mais fofa, posso tocar-lhe?". Pode, pode. Toque à vontadinha...


Madame La Rose. Um charme de cadela. Ao cuidado da sua encantadora tia (leia-se, eu) durante toda a tarde.

Nos homens

Não sendo eu uma Doctor Love, tenho direito à minha opinião.

Gosto de cavalheirismo. Sim, gosto que me abram a porta. Gosto que me puxem a cadeira para me ajudar a sentar. Gosto que me ajudem a vestir o casaco. Mas gosto daquele cavalheirismo natural, de educação. Não suporto aqueles gestos forçados só para "parecer bem e conquistar a miúda".

Gosto de educação. Já vos disse que tenho um grave problema com falta de chá. Mas também não acho piada a gente demasiado formal. Se quiserem dizer uma "caralhada" de vez em quando, estejam à vontade. Também as digo e não gosto de flores de estufa.

Mas o que eu adoro mesmo é bom humor.

OK, assumo que aqueles homens meios sisudos têm a sua graça. As feições rígidas têm o seu "quê" de entusiasmante. O rosto fechado pode tornar-se cativante. Ficarem calados pode ser visto com sendo sinal de mistério... MAS...

Para convívio diário, prefere-se a boa disposição. Prefere-se alguém que abra o jogo todo. Sem subterfúgios. Prefere…

(Piadinha)

Estão a notar as semelhanças?


O jeitoso do cão é meu. Chama-se Chico. E se quiserem apresentar-lhe alguma cadela, ele agradece. A única cadela disponível é uma pastora alemã e ele não lhe chega nem de escadote.
"O silêncio deixa-me ileso, e que importância tem?
Se assim tu vês em mim alguém melhor que alguém.
Sei que minto pois o que sinto não é diferente de ti.
Não cedo. Este segredo é frágil e é meu.

Eu não sei tanto sobre tanta coisa
que as vezes tenho medo
de dizer aquelas coisas que fazem chorar.
Quem te disse coisas tristes não era igual a mim.
Sim, eu sei que choro, mas eu posso querer diferente para ti.

Eu não sei tanto sobre tanta coisa
que as vezes tenho medo
de dizer aquelas coisas que fazem chorar.
E não me perguntes nada.
Eu não sei dizer."
Silence 4, "Eu não sei dizer". Sugestão da madame Corset.


Vou só ali visitar a família. Dar um abraço forte à tia, que bem precisa. Dar um beijo à avó e ouvi-la dizer - como diz sempre - que tenho uns dentes lindos. Afagar os cães. Deitar um bocadinho na relva, colocar os headphones nos ouvidos e ficar a sonhar acordada. Vivo num mundo cor-de-rosa... e gosto.


O mundo vai de mal a pior

Eu já tinha visto o vídeo postado por aí. Mas nunca o tinha visto realmente.

Vejam pah. Vejam. Acho que por pouco não voltei à infância e fiz xixi nas cuecas. Por muito pouco.

"Não há coisa mais bimba que olhar para uma gaja e vê-la de All Stars. Não há coisa mais feia, tira o brio à gaja toda. Rapazes? São betos... meninos doutores, todos bons... até ficam bem, ficam grandes gatos".A isto é que eu chamo um grande argumento...


Hey girl, you rock!! Nunca tinha visto figura como tu. Na terrinha não há disto.

Cada lugar teu

"Fica em mim que hoje o tempo dói
como se arrancassem tudo o que já foi
e até o que virá e até o que eu sonhei
diz-me que vais guardar e abraçar
tudo o que eu te dei

Mesmo que a vida mude os nossos sentidos
e o mundo nos leve pra longe de nós
e que um dia o tempo pareça perdido
e tudo se desfaça num gesto só

Eu vou guardar cada lugar teu
ancorado em cada lugar meu
e hoje apenas isso me faz acreditar
que eu vou chegar contigo
onde só chega quem não tem medo de naufragar..."


Golpe muito baixo da RFM passar esta música enquanto vinha a conduzir. Sol, calor, óculos de sol enfiados. A garganta seca que tenta cantar baixinho a letra que já conheço de cor. Não é bonitinho? É pois. :)

As simple as that

As minhas colegas de mestrado são as melhores do mundo.

Fora da faculdade podemos até ter vidas completamente diferentes, mas quando colocamos um pé dentro do curso, surge ali uma cumplicidade.

É por elas - e pelas nossas conversas - que gosto tanto deste mestrado. OK, é pelo conhecimento também... mas mais por elas.

Combinamos reuniões de trabalho. Acabamos a falar dos nossos desgostos amorosos. Coisas de gaja.

Nos intervalos vamos até ao café. E é sagradinho: voltamos a falar dos dramas amorosos. OK, se calhar só eu e a C. é que falamos. Mas não importa. Rimos, conversamos, partilhamos. E o T. (o único macho que permitimos que ouça estas conversas) ri-se da nossa parvoíce.

O T., com a racionalidade típica dos homens, solta um "lamento informar-te, mas ele não está interessado em ti". Há sempre alguém que levanta a voz para dizer "não é bem assim..." para que eu não perca a esperança.

Depois tenho a M. Há coisas que só digo à M. Por isso, a meio de conversas, é inevitá…

E o prémio da "melhor desculpa para perdoar uma traição" vai para...

(ouçam o ressoar dos tambores)

"Aquilo não se gasta. Chega para todas".

Valha-nos nossa senhora... quem diz tal coisa?

Acerca disso, dei hoje um conceito interessantíssimo em Marketing Político: fidelidade partilhada.

Resumidamente, este conceito explica que comer um chocolate não nos faz deixar de ser fiel a outro chocolate.

É verdade. A fidelidade, em marketing, pode ser partilhada. Se comermos repetidamente várias marcas de chocolate, não estamos a ser infiéis. Estamos a partilhar a fidelidade.

No caso, falávamos dos Nestlé Gold. Que mais poderia ser?

Um cidadão exemplar

Fantástico, fantástico. A história é interessante, o ritmo do filme é sempre intenso e surpreende-nos quando menos esperamos.

Cruel, frio, calculista. De uma violência exacerbada.

Com Gerard Butler (ah coisa mais linda...) e Jamie Foxx (que também não está nada mal).

"Law abiding citizen" é provavelmente dos melhores filmes que me recordo de ver. Certamente no meu top dez. Alguns críticos dizem que o filme é irrealista e pouco credível. Eu digo-lhe para deixarem de ser chatos. O filme é bom!

"Clyde Shelton é um cidadão exemplar que vê a sua mulher e filha serem brutalmente assassinadas. 10 anos depois, O homem que se safou da acusação de homicídio é encontrado morto e Clyde Shelton admite friamente que é o culpado. Em seguida faz um aviso a Nick: ou compõe o sistema de justiça que falhou com a sua família, ou as pessoas importantes do processo morrerão…"

Sapo

Sabes que a tua vida amorosa vai de mal a pior...

Quando, pelo simples facto de jantares com uma amiga, te confundem com uma lésbica.

Sim, a senhora dona do restaurante achou que fazíamos um parzinho romântico. Não sei de onde raio tirou essa ideia.

"Podem trazer cá os amigos, os pais, os sogros..." enquanto pisca o olho à amiga e lhe dá uma pequena cotovelada de cumplicidade.

É certo que os homens que eu conheço me magoam todos. É certo que se revelam fracos de carácter... Mas (ainda) não mudei de equipa!


Imaginem se soubesse que também fomos ao cinema e partilhamos o pacote das pipocas. E que demos um passeio junto à praia, para irmos beber um café e conversar sobre a vida. E que falamos imensos sobre assuntos del corazón... Era casamento na certa.
Se uma imagem vale mais que mil palavras...
Humpf.



Imagem DeviantArt.

Ai que tu não comes nada, menina...

Será que é só na minha família que os mais velhos passam a refeição inteirinha a tentar enfiar comida pela goela dos outros abaixo?
Almoço de família:
Entradas. Os primeiros dez minutos são perdidos com comentários acerca do que estão a comer. Ai que os camarões da Mauritânia (andam no Oceano Atlântico, pois tá claro) são diferentes dos camarões de Moçambique.
Os bolos de bacalhau estão bom. Estão salgados? Ah, não estão nada salgados.
A minha avó, que tem um medo terrível que a irmã dela tenha vergonha de comer. Ela come connosco há mais de 20 anos...
"Oh Nelinho, tens de comer rapaz... és tão alto". Isto depois do meu irmão ter comido tudo o que lhe apetecia e ter dito, pura e simplesmente, que não lhe apetecia mais.
A minha tia, que faz comida a contar com um regimento. E que corta o bife ao meu tio, não vá ele não conseguir executar tão complicada tarefa.
Eu estou que pareço uma texuga mas estão sempre a querer que enfarde. Arre!
Tudo isto com a minha irmã a bufar-me ao ouv…
Ataque às amêndoas, aos chocolates, ao cabrito, às batatas assadas, às amêndoas, às sobremesas, aos chocolates... Comam, comam. Quanto mais vocês comerem, menos como eu.
Pelos vistos eu vou trabalhar, que me vou lixar. Fiz uma rima... repararam?


Feliz Páscoa!
É bom quando nos sonhos alcanço aquilo que desejo.

Gosto quando me vejo lado a lado com ele. Adoro quando lhe sinto o toque, quando percebo o seu cheiro, quando os olhares são reais. Quando as mãos dele pegam nas minhas mãos. Quando me posso aproximar e encostar a cabeça no ombro dele.

Gosto quando posso tocar-lhe, ainda que não passem de sonhos...

Remelosice do caraças e sem qualquer fundamento. Diz que está sol... coisa boa. :)

ET phone home

Pessoas que desaparecem de um dia para o outro enervam-me sobremaneira.

Parece que de um dia para o outro os laços se desatam. Parece que deixam de gostar de nós. Parece que deixam de desejar a nossa companhia, a nossa amizade, o nosso amor. Deixam de querer a nossa atenção.

Motivos? Vários. Algumas amigas deixam-nos porque arranjaram um namorado e pronto, têm um brinquedo novo para as entreter. Alguns amigos deixam de nos dar atenção pelo mesmo motivo - como se namorarem fosse impeditivo de se darem connosco.
E aqueles homens que desaparecem sem deixar rasto? Num dia estão contigo, tratam-te bem, fazem-te sentir querida... e no dia seguinte puff, como se nada se tivesse passado. Como se se pudesse simplesmente apagar da memória aquela pessoa. Como se tivessem sido um acidente de percurso na vida dele.

Algumas vezes os desaparecidos voltam. Voltam como se nada fosse, como se desaparecerem durante uns tempos fosse perfeitamente natural. Não apresentam uma justificação nem pedem desculpa. …

Vamos lá esclarecer uma coisa:

(que eu tenho uns leitores que se preocupam comigo. Obrigada.)
Não passo a vida a sofrer de males de amor.
Sou daquele género de pessoa que gosta de gostar de alguém.
Há quem nasça para ser mãe/pai. Há quem nasça para ter uma carreira de sucesso. Há quem nasça para ajudar os outros. Do alto da minha tenra idade, acho que nasci para amar. É a minha prioridade, como sempre foi.
A minha família é o mais importante do meu mundo. Só depois dela - e sempre depois dela - poderá vir outra pessoa. Alguém que no futuro também fará parte da minha família e aí sim terá igual importância para mim. :)
Mas não estou constantemente a sofrer por amor.
Se já sofri um bocadinho à custa de ser uma pessoa demasiado emocional? Sim, já. Já tive a minha parte de más experiências. Já me traíram, já me magoaram, já me mentiram, já me iludiram, já me disseram que gostavam de mim e depois voltaram com a palavra atrás.
Mas não, eu não desisto da coisa. Não consigo erguer barreiras à volta do meu coração. Não consigo d…

Espalhafato

Hoje em dia as pessoas apreciam demasiado o espalhafato.

Parece que tudo tem de ser feito em grande. Tudo tem de ser brilhante, chamativo, espalhafatoso. Já ninguém aprecia as coisas simples. Talvez porque apreciar o simples seja bem mais complexo do que apreciar o complexo.

Não digo que se deva ser básico e monótono - a simplicidade nada tem de monótona e entediante. Saber usufruir dos pequenos prazeres da vida é um dom. Uma sorte.

Um passeio junto ao mar. Ficar a tarde toda numa esplanada. Ler um livro sentada no jardim. Sumo de laranja acabado de fazer. Mimar os meus gatos. E um piquenique? Adoro piqueniques. Panados, rissóis, batatas fritas, melão e sumos. Simples. Delicioso.

Nem tudo o que reluz é ouro. E nem tudo o que é baço é de fraca qualidade.

Feito para mim:

Dizê-lo sem medos. Sem receio de parecer ridícula. Sem receio de ouvir um "mas eu não sinto o mesmo". Sem receio de sofrer: sofre-se sempre, de uma forma ou de outra.

Ridículo é deixar passar a oportunidade de dizer a alguém que é importante para nós. E que nos apetece investir nele/a porque achamos que pode dar certo.

Para já mentalizo-me. Um dia pode ser que tenha coragem o dizer.


Roubado com permissão à Buttafly. Ladrão que rouba a ladrão... :P