Avançar para o conteúdo principal

Jantar de Natal e a Acreditar

Natal é paz, é amor, é amizade, é partilha... e também é solidariedade. Por isso, a ana, do Coisas Exdrúxulas, sugeriu que além de nos "ajuntarmos" para jantar, também fôssemos solidários. Proposta imediatamente aceite.

Durante o jantar, vai então ser feita uma recolha de bens para as crianças da Acreditar. A Acreditar é uma Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro, causa mais do que nobre. Sugerimos então a oferta... Uma coisa simbólica e facultativa, à vontade (e à carteira) do freguês. E de que é que eles precisam? Bom, entre muito mais, precisam de:

* Pensos rápidos coloridos, em substituição dos vulgares pensos castanhos.
* Pequenos brindes NOVOS (baralhos de cartas, pulseiras, anéis, colares, bolas, canetas, porta-chaves, animais de plástico, carros, CD’s de música, lápis de cor etc.)
* Fraldas de bebe e de incontinência
* Jogos Playstations 2 e 3, originais

Como é suposto ser um jantar de blogosfera, e porque o gesto é simbólico, acho que levar os tais pensos coloridos e pequenos brindes é mesmo o ideal. Mas deixo à escolha de cada participante. Espero que gostem da ideia...

Não se esqueçam, 3 de Dezembro, no Porto, jantar para bloggers, amigos de bloggers, namorados/as, maridos/esposas, colegas, para quem quiserem. O que importa é reunir. :)

Comentários

  1. A Fada vai tentar ir, mas não promete nada. E leva uma coisa fofa da sua loja...

    ResponderEliminar
  2. Tal como disse ao Gonçalo, eu estarei presente no jantar e tal como no ano passado teria todo o gosto em levar bens de 1a necessidade, como por exemplo, comida!Os bens que essa associação está a pedir parecem-me, nos dias dificeis de hoje, muito supérfluos.De certo, existem outras associações com pedidos mais pertinentes.
    Mas esta é apenas a minha opinião. E não a criticar a nossa iniciativa, mas sim a ousadia da associação que em tempos de crise pede pensos COLORIDOS.Em caso de necessidade, que interessa se têm cor ou nao???

    ResponderEliminar
  3. Scarlet, fico contente que participes. :)

    Honestamente, bem sei que não são bens de primeira necessidade... mas se é o que eles pretendem, pronto, olha, eu cá não me importo... :)

    ResponderEliminar
  4. Scarlet, estamos a falar de uma associação que apoia crianças internadas no IPO. Trata-se de uma ajuda às crianças que no seu estado de doença também têm direito de brincar, de serem aquilo que realmente são: crianças!

    E talvez, se pensarmos bem, os pensinhos coloridos são uma forma de as ajudar. Porque com eles os enfermeiros poderão garantir um tratamento que muitas vezes é muito doloroso mas havendo aquela parte de brincadeira e aliviando-lhes o sofrimento, a gritaria.

    A ajuda a crianças nestas situações não é uma ajuda com bem essenciais mas sim uma ajuda para que se sintam melhor no meio de tanto sofrimento. E quem já visitou alas oncológicas sabe como todos se esforçam para proporcionar às crianças um bem-estar nem que seja com a coisa que para nós, saudáveis, nos parece mais supérflua.

    Mas a participação no jantar não significa participar na ideia solidária. Quem não achar meritório, quem não quiser por outros motivos e, sobretudo, quem não puder fazê-lo é bem-vindo na mesma.

    Acho bem que contribuas com comida, haverá nos próximos dias uma acção do banco alimentar onde todos, os que felizmente ainda podemos, deveremos ajudar.

    ResponderEliminar
  5. É isso... só contribui quem quiser. :) Quem quiser, que dê para o Banco Alimentar, que é já este fim-de-semana que vem. :)

    ResponderEliminar
  6. MAs que brilhante ideia...
    Ser solidário não custa, basta força de vontade.

    Eu por estes dias tb me vou juntar a uma iniciativa da qual em breve falarei

    bjs*

    ResponderEliminar
  7. Bem, se eu pudesse também estaria presente
    aliás a minha filha é voluntária da Acreditar´, e eu penso muita vezes em arranjar um voluntariado, ms espero que os netos crescem depois logo se vê.
    kis .=)

    ResponderEliminar
  8. Bom, uma das minhas melhores amigas pertence à Acreditar do Porto e todos os anos colaboro com a instituição pelo que aplaudo a ideia.

    Como todos devem saber em termos de brinquedos devem optar por jogos e/ou livros dado que, por exemplo, peluches e afins são totalmente desaconselháveis.

    Obviamente irei levar um "brinde".

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Todos os pretextos sabem bem para fazer algo por alguém.

    Bom jantar no dia 3 Dezembro. Bebam uma sangria por mim! :P

    ResponderEliminar
  10. Que ideia espectacular! Se puder, irei concerteza. :D

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.