Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2011

Pergunto-me...

O que levará mulher jovens a andar vestidas com blusas de alças e, ai, ai, com pêlos debaixo dos braços tão compridos que quase dá para fazer trancinhas? É uma coisa que me ultrapassa. Horroroso. Ninguém tem nada a ver com o número de vezes em que se tosquiam mas, quando o fazem, não andem de blusas de alças. Fica tão feio...

Do sono

Passo muito tempo deitada na cama. Posso ficar na cama, na boa, 9 horas ou 10. Infelizmente, não tenho um bom sono. Estou sempre a acordar. Sempre a sonhar. Os gatos perturbam-me. As outras pessoas da casa perturbam-me. A mãe diz que eu passo muito tempo na cama... ok, efectivamente passo. Mas durmo pouco. Vai-se a ver e ando mesmo cansada.

Dos hábitos

Gosto dos midnight snacks com o mais-que-tudo. Vejo a novela e ali naquele intervalo entre a novela e o "5 para a meia-noite", lá vamos nós para a cozinha. Não há nada que pague o prazer que tenho nestes nossos momentos. Vai daí, tenho de ter o discurso do post anterior. Sofro de gula. ahahah

Não sou magra nem nunca o vou ser

Não, não sou magra. Nem nunca vou sê-lo. Tenho 1 metro e 65. Sou de ser roliça. Vá, prefiro dizer que sou curvilínea - porque sou mesmo. Tenho ombros redondos, pernocas redondas, tudo redondo, é um facto. Não me considero nenhuma lontrinha, mas sei que seria bem mais bonita e jeitosa com menos 8 quilos em cima. Mas sabem que mais? Eu gosto de ser assim. Não temos todas de ambicionar ser magras. Claro que, no Verão, fico sempre com alguma vergonha quando me enfio no biquíni. Claro que é chato não poder usar tops curtos ou roupa justa. Claro que preferia vestir um S e não um M (ou, nas lojas da moda, L). Claro que gostava que a roupa me caísse bem... em vez de me preocupar em não comprar calças de cintura baixa e evitar camisolas que me marquem o peito. Mas gosto de mim assim. E ele também gosta. Portanto, não me vou tentar fazer de magra, não vou fingir que sou toda jeitosa. Acho que sou como devo de ser, com gordurinhas aqui e ali, mas sem perder as formas femininas. Se pudesse perd
Sabes, podia passar eternidades deitada contigo, só a olhar para ti. A desenhar-te o rosto com os dedos, a decorar a cor dos teus olhos, a fascinar-me com a nossa cumplicidade. Sem nunca, nem por um segundo, me cansar.

Ai que susto!

Agora quase me dava uma coisinha má. Entrei na conta do blogue e não aparecia o blogue... abri o email e disseram-me que detectaram "actividade anormal" no blogue, pelo que fora eliminado. Felizmente, foi só pôr o meu número de telemóvel, eles enviaram um código e confirmei que o blogue é meu e que está bem de saúde. Algo se passa com o blogger... não anda nada bem, taditxo.

Depois de ti

Antes de Ti e Depois de Ti. Dois períodos muito distintos de uma mesma história: a minha. Antes de ti, gostava de mim e da minha vida. Depois de ti, gosto bem mais de mim e acho a minha vida perfeita. Gosto ainda mais de mim por saber fazer "isto" resultar e por me sentir amada por ti. Antes de ti, tinha ambições mas não lutava muito por elas. Depois de ti, estabeleço planos, desenho sonhos, crio vontades. Mas não crio esses sonhos sozinhos... crio-os contigo. E essa tua presença constante é o que de melhor existe nesta nova fase, Depois de ti.

Adorável... bem... isso é discutível... mas eu acho adorável

O nome faz sentido. Frankenlouie, que deve ter algo a ver com o Frankenstein. Um gatinho de 12 anos que nasceu com dois focinhos e três olhos. Ele há coisas que não lembram ao Diabo... é bom de ver que eram dois gatitos mas que, por qualquer motivo, não se separaram e que o pobrezito nasceu assim. Bichos assim não duram mais do que alguns dias, mas este aqui já vai nos 12 anos e estábom de saúde. Claro que já entrou para o Guiness. :D Pelos vistos, nasceu com a condição muito rara apelidada de Janus. Pelo que li, os três olhos e as duas bocas funcionam bem. Não consigo achar outra coisa que não adorável.Nem me mete impressão. No vídeo parece até bastante normal... dentro do anormal. É um gato... e todos os gatos são bonitos. Mas não resisto a perguntar: com que boca é que ele come? :D Vídeo sobre a vida do bicho, aqui .

Faz-me impressão...

Ver gente a enfiar pedações gigantes de comida na boca. Ontem fui a um café e uma senhora (ainda por cima, uma mulher), basicamente partiu um bolo em três pedaços e enfiou cada pedaço (enorme, por sinal) na boca de cada vez. Uma coisa horrível de se ver. Comer de boca fechada e um pedaço pequeno de cada vez não é complicado. E evita visões desapropriadas.

Guess who?!

Nesta casa, é impossível ter privacidade. Temos sempre, pelo menos, um par de olhos arregalados, de gato, a olhar para nós. E quando resolvem saltar para a cama, nas alturas menos oportunas? Ah, raio dos bichos. Presentes em todos - mesmo todos - os momentos da nossa vida.

Do carinho

No outro dia, quando discutimos, deitámo-nos chateados, que é uma coisa que nenhum casal deve fazer. No fundo, no fundo, já o tinha perdoado, mas ainda não estava preparada para lho dizer. Então passei a noite e fingir que dormia, enquanto ele me fazia festas no cabelo e me dava a mão. Ficava a dormitar e acordava de novo (sim, tenho o sono leve) com ele a enroscar-se em mim. Daí a pouco era um beijo no cabelo. Um entrelaçar de dedos. Uma mão na minha cintura. E eu continuava na minha, a fingir que dormia, mas a sorrir ao de leve.

Indiscutível

Numa relação, quem veste as calças é a mulher. Pode fazê-lo de uma forma subtil ou optar antes por uma abordagem tímida e discreta mas, no final, quem tem as rédeas da relação é a mulher. Não me parece que isso seja mau ou que mereça alguma crítica. Quem gere a casa é geralmente a mulher e, por isso, não me espanta que acabe por dominar a relação. Na minha região, as casas continuam a ser matriarcados, com a mulher a gerir o dinheiro e tudo o resto. O homem... o homem pensa que manda... mas no fundo, não manda nada. ;) Tento ter uma relação equilibrada, com os dois a darem opinião e a fazerem valer as suas vontades mas, lá bem no fundo, gosto muito das coisas ao meu jeito. O que vale é que o namorado sabe levar-me. E há alturas em que eu gosto de fazer as coisas do jeito dele. Mas só às vezes.

Loving you...

"No one else can make me feel The colors that you bring Stay with me while we grow old And we will live each day in the springtime Cause lovin' you has made my life so beautiful And every day my life is filled with lovin' you..." Minnie Riperton - Loving you

Coisas de mulher

Uma mulher não compra lingerie para agradar ao homem. Pelo menos, não para agradar apenas ao homem. Uma mulher compra lingerie para si. Para se sentir bonita, sexy , apelativa... Claro que ver um brilho especial nos olhos de quem nos ama é um prazer inigualável mas uma lingerie bonita faz-nos sentir mais bonitas, provocadoras. Se calhar eles nem ligam grande coisa, mas nós ligamos. Sentimo-nos melhor com uma peça bonita do que com uma peça básica. Um preto ou um vermelho é sempre mais quente que um bege/cor de pele. Não há nada melhor do que olharmos ao espelho e acharmos que estamos bonitas. Passo eternidades à frente do espelho, quando compro uma peça nova. Uma lingerie nova faz milagres ao ego de uma mulher. Sentimo-nos logo mais sensuais, mais interessantes, mais tudo. E isso é meio caminho andado para que a noite corra melhor... ;)

Das soluções (a dois)

Se há coisa de bom na nossa relação, é o facto de ser muito tranquilizante. Sabem aquela sensação de que tudo tem solução? É isso. Acho que, juntos, encontramos solução para tudo. Eu sei que ele nem deve reparar mas, quando está mais em baixo, costumo sempre dizer-lhe "tudo se resolve, nós encontramos uma solução" . E encontramos mesmo. Não é ele, não sou eu, somos nós. E juntos resolvemos tudo. Se entrei numa relação, foi para me entregar por completo. Foi para lhe dar a mão quando ele precisar de ser agarrado e para sentir os braços dele quando eu estiver a precisar de ajuda. Conversamos e arranjamos soluções. E se, um dia, não houver solução, estaremos prontos a enfrentar o problema juntos. Dando o nosso melhor, lado a lado. E desta vez, depois da discussão, custou-me tanto despedir-me dele... Por apenas 3 dias, é certo. Mas quando se ama, uma hora parece uma eternidade. Imaginem três dias...

Sugestões da S*

Sendo eu louca por vernizes, já experimentei 1001 marcas. Já gostei da Andreia, já preferi a Risqué, já comprei Rosa Jade e até já ousei marcas mais caras. Já comprei Prestige, uma marca bem bonita, mas com poucas cores. Já experimentei Maybelline e não gostei. Agora rendi-me à Kiko. Preços super acessíveis (2,50 cada um desses frascos). Cores lindas, lindas. Dentro da mesma cor, é capaz de ter 5 ou 6 tonalidades. Sou absolutamente fã. Só compram vernizos Kiko na loja... Kiko! A que eu conheço é no shopping Via Catarina, na Rua Santa Catarina, no Porto. Na sexta-feira comprei o vermelho alaranjado e o verde. O rosa é o meu habitual nos últimos, vá, dois meses... :P Os outros, a ver vamos. Prometem!

Das leituras

Agora que já entreguei a maldita da tese, é altura de ir à biblioteca requisitar um livro. Assim, nas horas vagas, tenho possibilidade de ler. Ler é, sem dúvida, um dos meus passatempos favoritos. Transporta-nos para outros mundos, para outras realidades, para outras emoções. Há já uns anos que perdi o hábito de comprar livros. Não são propriamente baratos, é um facto. Se for um autor que saiba que goste, até prefiro comprar. Mas para ir conhecendo diversos autores, opto antes por requisitar. Assim não perco nada. Sendo assim, vou à biblioteca, vejo toda a oferta que têm e trago um comigo. Assim, todos os meses, posso trazer um ou dois. E que bem que me sabe. :)

Sugestões da S*

Pois é, hoje decidi inaugurar uma nova rubrica aqui no blogue. Ao Domingo, vou apresentar sugestões de lugares, comidas, livros, o que quer que seja. Coisas das quais eu gosto e que recomendo vivamente. A começar, temos uma confeitaria deliciosa, no Porto . Fica junto ao centro comercial Cidade do Porto e está cheio de bolos e pães mesmo ao estilo francês. Não é assim tão caro, não pensem. É um lugar bonito, elegante, mas a preços normais (vá... mais 50 cêntimos ou 1 euro do que o habitual). Também há outra na rua Mouzinho da Silveira. La Boulangerie de Paris Têm Facebook e tudo. As imagens são todas de lá. :) A única nota menos positiva é para o facto de, como não servem às mesas, deixarem acumular tabuleiros e lixo nas mesas. Não é bonito, em altura de "ponta".
Ontem tivemos a primeira grande discussão. Uma daquelas discussões que nos faz dizer "acabou!". Como a almofada é a melhor conselheira de todas, hoje já está tudo (ou quase tudo) bem. :)

Senhora Doutora

Depois de caminhar durante mais de meia-hora (só visto...), carregada que nem uma burra, a parar de dois em dois minutos para descansar (só visto, mesmo)... Tese de mestrado ENTREGUE. :) Agora é esperar que me escolham o júri para a defesa da tese. Ah, hoje fui chamada de Senhora Doutora. Não uma, não duas, mas várias vezes. Engraçadíssimo.

Dos casamentos (ou das relações)

Numa relação (ou, no caso, num casamento), depois de alguns anos é natural que se caia um bocadinho na rotina. Acho que também é natural que se comecem a ver encantos noutras pessoas... e acho que a força de uma relação se mede pela vontade que temos de combater essas tendências traiçoeiras. Li, da Juanna (que infelizmente não tem blogue activo), uma analogia que acho absolutamente brilhante: "Os casamentos são como comer croissants de chocolate todos os dias, acabam por deixar de saber a novidade e comem-se só porque sim. Então quando chega uma napolitana de chocolate (que basicamente é também massa folhada com chocolate) e achamos que talvez aquilo é que é bom. Mas, pela minha experiência, a napolitana azeda depressa e o croissant é bom porque sou eu quem tem o privilégio de lhe deitar o chocolate para cima, ou seja, sou eu que moldo e desfruto dele". É que é mesmo isso. Obrigada por me proporcionar um sorriso mesmo daqueles sinceros.

AhAhAh

Para passar UMA noite no Porto fiz um saco com: * Dois pares de calças; * Duas camisolas de manga comprida mas fininhas; * Uma blusa mais de sair à noite; * Uma blusa de alças, caso me dê os calores; * Um vestido. De falta de roupa não morro, isso é certo. E com este tempo esquisito, mais vale jogar pelo seguro. Se eu não fosse tão picuinhas com a roupa, não seria mulher. ;)

Senhor Satélite

Está prevista a queda de um satélite amanhã. Sendo assim: Querido Satélite, Se não for muito incómodo, se não alterar em muito a tua rota desgovernada, podes cair ali na Assembleia da República? Mas de manhã, está bem? É que de tarde põem-se todos na alheta, que aquela malta folga sempre às sextas de tarde. Agradecida. Baseado na notícia: Satélite desactivado cai amanhã à tarde em local ainda incerto .
Decidiu armar-se em moderna e está a usar dois anéis na mesma mão. Em dedos diferentes, vá. Ainda está para saber se gosta ou se acha que é demasiado. :)

Conversas de namorados

Hoje vou comprar um corpete. Carérrimo. Preto e supostamente sexy. Pelo menos espero ficar sexy com ele vestido. Já avisei o namorado: "Ao que ele me vai custar, é bom que fiques a olhar como um burro a olhar para um palácio". Ele responde logo: Não te preocupes. Com o corpete, até me vou vir por antecipação". E foi isto. Não me parece que isso seja propriamente uma coisa boa, mas fez-me rir. Até por sms o sacana me faz sorrir.

Das coisas que me assustam

Ontem, a imprensa internacional foi muito marcada por duas penas de morte. Um branco que matou um preto e um preto que matou um branco. Crimes alegadamente racistas... apesar de eu achar que lá porque há mistura de raças, não é certo que se trata de racismo. Mas não é isso que me assusta (apesar de também me assustar a ideia de as pessoas se matarem por causa da raça). Um dos condenados à morte, antes de morrer, reiterou inocência. "Já deitado na maca onde foi executado, o norte-americano ergueu a cabeça e olhou directamente nos olhos a família do polícia morto em 1989, por cuja morte foi condenado e executado, depois de passar 20 anos no corredor da morte. 'Quero falar com a família MacPhail. Não fui responsável pelo que aconteceu naquela noite. Não tinha uma arma. Não fui eu que tirei a vida ao vosso pai, filho e irmão', disse Troy Davis, dirigindo-se à viúva, filhos do casal e mãe do polícia, todos presentes na execução". E continua... " Minutos depois

Do palavreado

Algumas pessoas têm tendência a inventar palavras... ou melhor... a alterar palavras. A vizinhança da minha família é muito original. Vejamos: Colesterol passa a ... castrol. Alfaces passa a... alfácias. Iogurtes passa a... iurtes (?!). Bifanas passam a... bifainas. Caranguejo para a... cangarejo. [L-i-n-d-o] Sandes passa a ... assandes! E vocês? Qual o palavreado esquisito que conhecem?

Dos imbecis

Hoje o Jornal de Notícias colocou no seu site um vídeo de um gatinho que foi resgatado na Suécia. O resgate demorou dois dias e só foi possível graças à boa vontade de meia dúzia de pessoas. O gatito ficou preso num tubo e tiveram de o tirar de lá. Pessoalmente achei a história bonita. Pobre do bicho. Depois pus-me a ler os comentários... e li isto: "Bom em realidade não vejo o porque de tanta perca de tempo e meios por causa de um simples gato, já que não se trata de uma raça em vias de extinção". Oh sim, como é um gato, deixa pra lá... o gato que mie até morrer. Este ainda é melhor: "tanto trabalho por uma porcaria de gato....eu resolvia o problema com uma vela de dinamite presa ao cano...ia gato tubos e casa com os anginhos". Anginhos, uma nova espécie... Ele há cada uma... um imbecil vai ser sempre um imbecil. Sou defensora da ideia de que quem não gosta de animais, não pode ser boa pessoa. Podem ser indiferentes, podem não dar valor aos bichos. Mas

Wake up!

De manhã, levanto-me sempre primeiro. De luzes apagadas, saio do quarto e vou tomar o banho matinal. Visto o robe do banho e volto ao quarto. Sento-me na cama, à beira dele, a fazer-lhe festinhas. Ele abre um olho, depois abre o outro, faz a fita do costume e diz que tem sono. Reclama por eu o acordar com um sonoro e estridente "morziiinho". Abro as persianas, volto a sentar-me à beira dele, ele ignora a luz e continua a dormitar. Amo acordá-lo. Mesmo que ele reclame do estridente "morzinho!".

Coisas de mulher

Sou absolutamente viciada em unhas pintadas de tom forte. Vermelho, rosa, castanho, roxo. Há meses - meses - que não utilizo verniz de tom claro nas unhas. Faz-me impressão. Além de que, curei o vício de roer as unhas exactamente por usar vernizes de tons fortes. Se usar um verniz claro, tenho tendência a "ajeitar" com os dentes. Mãozinhas minhas (e pés, já agora) estão sempre pintados. Variam entre o rosa choque e o vermelho sangue.

Gente imaginativa é outra coisa

As tshirts do Cão Azul. Sempre em cima da actualidade!

Das vontades

Ontem fui à casa da mana, tratar dos bichos dela: uma cadela frenética e um gato que não pára de miar. Anyway, fiquei com uma vontade desgraçada de viver com o mais-que-tudo. Deve saber mesmo bem ter as nossas coisas, a nossa casa, o nosso espaço. As nossas rotinas, as nossas contas, os problemas, resolver os problemas juntos. Juntar dinheiro para os nossos projectos. Ir ao supermercado comprar comida para a semana. Cozinhar a dois... ou melhor, eu cozinho, ele lava a louça. Ir comprando coisas para a casa, ir criando o nosso mundo. E eu sei que nos vamos dar lindamente juntos. Sim, estamos juntos há 1 ano, mas a nossa vontade é ir viver juntos. Ele é adulto, eu sou mais-ou-menos-adulta. Temos tido uma relação muito madura, muito sólida, muito forte, sem quebras e sem dúvidas. Está na hora de dar esse passo.

Secret Story

Não, não vejo a Casa dos Segredos. Vi um pedaço da apresentação, com um namorado muito contrariado, e ri-me a bom rir com os mini-mini vestidos, as mamas de fora, os homens inchados como perus no Natal, os comentários desapropriados, a falta de educação e de brio. Mas não acompanhei a primeira edição e não vou acompanhar a segunda. Gostei, honestamente, do primeiro Big Brother. A partir daí aquilo tornou-se um antro de gente chunga e mal educada. Quanto uma chungosa qualquer vai para a televisão dizer que traiu todos os namorados e ainda se gaba de ser considerada uma "namorada exemplar", nada mais tenho a dizer. Mas lá que é engraçado, lá isso é. Por outro lado, adoro ver a novela. A "Laços de sangue", que está quase a acabar. Oh.
De vez em quando, sabe-me mesmo bem almoçar sozinha. Eu e os jornais, numa hora de almoço que passa sempre a correr. Acho que hoje vai ser o dia. :)

E a noite está a ser passada assim...

Com um gato carente (coisa estranha nele...) deitado em cima do meu pescoço. Eu, toda torta, a tentar ver televisão. Ele abraçadinho a mim, a dormir. Maravilha.

Sobre a tese

Uns dizem uma coisa, outros dizem outra. O director diz uma coisa, o reitor da U.Porto diz outra. A orientadora aconselhou-me, menos oficialmente, a entregar sem o Acordo Ortográfico. E não quero mais saber do assunto. Deixem-me dormir descansada... não tenho culpa de regras novas criadas em cima do joelho.

Ai que me vai dar um fanico!

A 10 dias da entrega final da tese, com tudo impresso, direitinho e pronto a entregar... txarararannnnnnnnnnnnnnn! Resolveram dizer-me que as teses têm de estar segundo o novo acordo ortográfico. A orientadora nunca abriu a boca sobre o assunto, leu e releu a tese e nunca se queixou. Se, a poucos dias, tenho de alterar tudo segundo um acordo que mal conheço... estou lixada! A ver se a orientadora diz que não é bem-bem obrigatório. É que se é, tenho um fanico.

Das fotografias íntimas

A Bê escreveu um fantástico texto sobre o "problema" das fotografias íntimas enviadas por telemóvel. A propósito das fotografias da Scarlett Johansson, que andam nas bocas do mundo. Eu já enviei fotografias provocantes ao namorado, quando ele estava longe de mim. Não tenho problemas em fazê-lo nem em assumi-lo. Acho que pode ser uma forma de espicaçar a mente, são jogos entre o casal, coisas que não me parecem nada erradas. Não estou a ver qual possa ser o mal disso, a partir do momento em que tenho uma relação certa, segura e apaixonada, repleta de confiança. No entanto, nem aqui nem na China, enviaria fotografias provocantes com o meu rosto nelas. Se o objectivo é mostrar o corpo, mostra-se o corpo. Sem rosto. Uma relação não é eterna e ninguém nos garante que quem gosta de nós hoje... não nos queira lixar amanhã. Além disso, os telemóveis podem ser roubados, podem desaparecer, podem precisar de ser arranjados. Mostrem apenas o corpo, escondam a cara. Afinal, não é isso

Quem tem?

Quem tem os cinco exemplares de teses de mestrado mais lindos do mundo? Eu! Já tenho as teses, os currículos, os cd's, tudo e tudo e tudo. Só falta ir ao Porto, pedir à orientadora para assinar um formulário e pimba, entregar. E saiu baratinho! Imprimi tudo no meu tio, só tive de ir à Staples encadernar e comprar os cd's. Por 20 euros, fiz a festa. ;)

Qual a mulher?

Qual a mulher que não se derretia ao ver o homem que ama com uma gatinha bebé ao colo? E a segurá-la com tanto cuidadinho? Sim, eu derreti-me. E é inevitável pensar "oh que jeitinho ele tem para segurar bebés...". ;) Esta não é minha. É dos tias. A Rubi.

Endrominado

Tadito do namorado. Foi endrominado. Resolveu ir comprar-me um lápis para os olhos e obviamente que a senhora da loja o fez comprar o mais caro. Homens e a maquilhagem... não percebem nada de nada. Bem, ao menos o dito lápis é bom. :D

11 meses

Têm sido os melhores onze meses de sempre. Mais um mesersário (termo inventado por mim e que significa "aniversário mas de mês a mês"). Nem sem é fácil. Quem disser que é fácil, mente com todos os dentes que tem na boca (se é que tem algum... ahahah). Já discutimos, já nos pegámos, já elevámos o tom de voz, já fiz birras e ele já ficou amuado. Mas depois olho para ele e sinto aquela tranquilidade tão especial, aquela calma típica de quem ama e sabe ser amado. E sei, porque essas coisas não se explicam, apenas se sentem, que é o amor da minha vida. Aquilo de que eu preciso. Porque temos uma relação tão cúmplice, somos tão amigos, partilhamos tanta coisa, que a vida sem ele perderia muito do sentido. E gostamos de construir os nossos planos, lutar pelas nossas coisas, traçar o nosso caminho. Ele é a pessoa que olha para mim sempre com um brilho nos olhos. É o que sorri sempre que eu sorrio. É o que me elogia a toda a hora e me faz gostar ainda mais de mim própria. É a pess

Deixar de amar

Acham possível deixar de amar alguém? Assim, simplesmente, deixar de amar? Sem motivos? No outro dia conversava sobre isso com o namorado. A ideia parece-me assustadora. Então eu hoje estou tão bem, amo-o tanto, estou tão completa... será possível deixar simplesmente de gostar? Não acredito. Pelo menos não comigo. Mas há gente que diz que acontece. Parece-vos?

Do pai

Não, não tenho grande relação com o meu pai. Ele foi um sacaninha com a mãe e revelou-se ainda mais sacana connosco - os filhos. Depois de 4 anos de faculdade a depender financeiramente dele (e com uma ajuda tirada a ferros), foi com alívio que deixei de precisar do dinheiro dele. Claro que ele, se fosse bom pai, não morria por dar 50 euros de ajuda para as despesas. Afinal, eu e o irmão ainda vivemos em casa da mãe, comemos, gastamos água, luz, gás, vestimo-nos, e todas essas coisas que custam dinheiro. Eu, felizmente, já ganho para mim e ajudo a mãe no que posso. O irmão resolveu estudar de novo. Isto revolta-me. São (quase) sempre as mães que se lixam, depois de um divórcio. A não ser que o homem seja decente, é a mãe quem se lixa. É a mãe quem paga comida, contas, estudos, roupa, outras despesas extra. Foi a mãe quem nos levou ao médico. Foi a mãe quem se levantou de noite quando nos sentimos mal. Foi ela que deixou de comprar coisas para si para comprar coisas para nós. Foi ela q

Oh céus!

O meu querido pai resolveu meter conversa comigo pelo Facebook. Demora duas horas a escrever... vá... duas horas é exagero... demora 5 minutos e escrever uma ou duas linhas. E eu que ature. Já não basta termos uma relação má e ainda tenho de aturar isto.

Continuando nas traições...

Quando uma terceira pessoa está a tentar "fazer-se ao bife" , a insinuar-se ao nosso parceiro, penso eu de que... É o nosso parceiro quem tem de pôr os pontos nos "is". É ele, ou ela, o nosso parceiro/a, quem tem de esclarecer a situação. É ele quem tem de dizer "não quero, não preciso, estou satisfeito com o que tenho". Não nós. Pelo menos eu acho que não devemos ser nós a meter-nos nisso. Não é que tenha nada de mal (que não tem) mas parece-me desnecessário. E pode até desencadear em cenas feias. Se uma outra mulher andasse a rondar o mais-que-tudo, ficaria muito desapontada se ele não fosse homem (melhor dizendo, não tivesse tomates!) para lhe dizer "desampara a loja, não estou interessado". Se a história fosse ao contrário, não precisaria do mais-que-tudo para esclarecer a situação. Seria mulherzinha o suficiente para afastar qualquer homem que se tentasse meter no nosso caminho. O mesmo esperaria dele.

Das peixeiradas

Não consigo lidar com peixeiradas. Não sei fazer peixeiradas. A propósito de um post que li algures... Seria incapaz de ir resmungar com a "ajudante de traição", caso levasse com um par de enfeites na testa. Admito que uma mulher que ajuda à traição também merece críticas, também é imoral... mas o meu compromisso é com o homem, não com ela. É ele quem me deve amor, respeito e fidelidade. Não ela. Ela, provavelmente, nem me conheceria. Por isso, seria incapaz de lhe ir cobrar fosse o que fosse. Penso até que preferiria engolir esse sapo do que ir resmungar com a "ajudante". Já fui traída. Já aqui o disse. Tive a minha oportunidade de mandar umas postas de pescada à senhora em causa. Não o fiz. Ignorei-a. Talvez ela até ignorasse a minha existência. Chateá-la para quê? Não era ela que me devia respeito. Nestas coisas, acho que devemos preservar a nossa dignidade. Não nos devemos rebaixar. Devemos mostrar-nos superiores (até porque, pelos vistos, somos mesmo supe
E este Verão que chegou atrasado? Simpático, ah? É pena não poder ir para a praia. É certinho direito que no fim-de-semana vai chuviscar. Chuvisca sempre. Mal eu tenho disponibilidade, pimbas, mau tempo.

Gosto!

Botins com cordões. Tenho uns sapatos do género, de lá, e não saíram nada mal jeitosos... Mochila leopardo. Foférrima. Com um tecido peludo, perfeita para o tempo mais frio. Deus sabe que eu não sou pedinchona... mas quero muita coisa, lá isso quero. Parece que nunca estou satisfeita, é uma doença de que padeço. Tudo da Blanco.

Nem sempre é fácil amar

O amor não é fácil. Pode existir, pode ser forte, mas nem por isso se torna fácil. É fácil amar, querer, desejar, mas não é fácil ter sempre paciência para a outra pessoa. Não estamos sempre de bom humor, nem todos os dias nos apetece rir. Há dias em que, cansados do trabalho, apenas nos apetecem sopas e descanso. Mas não pode ser. O amor não deve ser dado somente nos dias bons. Não podemos esquecer o parceiro quando não estamos para aí virados. O mais-que-tudo já teve de aturar algumas fases menos boas. Já tive problemas no trabalho, problemas familiares, problemas de dinheiro. Nem sempre estou fácil. E há dias em que sou má, chata, resmungona, intragável. Há dias em que nem eu própria me aguento. E ele tem de me aguentar. E há dias em que não me apetece aturá-lo, dias em que acho que ele brinca demasiado, dias em que me apetece mandá-lo calar. Temos de nos aturar mutuamente e só o amor nos ajuda a superar os maus humores. Nem sempre se tem paciência, nem sempre há paciência para o
Tomar o pequeno-almoço juntos, a dois, é um daqueles momentos que valem ouro. Conversas matinais, carinhos, brincadeiras e olhares que dizem tudo.

"Pronta a entregar"

Segundo a orientadora, a tese está "pronta a entregar". Agora é procurar o melhor sítio para imprimir e encadernar... Pelos vistos, fico-me pelas 5 cópias. Admito que fico orgulhosa com a entrega. Até ao final do mês, livro-me disto. Depois é "só" defender.

Estrela de Spartacus morre aos 39 anos

"O actor Andy Whitfield, protagonista da aclamada série de televisão "Spartacus: Sangue e Arena", morreu, este domingo, em Sydney, na Austrália. O galês tinha 39 anos e lutava há vários meses contra o cancro. Whitfield desempenhou o papel do indomável herói Spartacus na série de TV, do canal "Starz", lançada no ano passado, que passa nos canais de cabo em Portugal. O actor, reconhecido pelas participações nos filmes "The Clinic", em 2010, e "Gabriel", em 2007, teve que abandonar o papel na série devido à doença de linfoma não-Hodgkin, que consiste num tumor nos gânglios linfáticos. 'Numa linda e ensolarada manhã em Sidney, cercado pela família e nos braços da sua amada esposa, o nosso belo e jovem guerreiro Andy Whitfield perdeu a sua batalha, de 18 meses, contra o cancro de linfoma', afirmou a mulher, Vashti Whitfield, em comunicado". JN Não sou de me chocar com estas coisas, mas é impossível não ficar assustada. Tão n

Diploma

Quem é que teve direito a um diploma lindão, feito pela Ni, para "certificar" a participação no jantar blogueiro? Eu. Eu e os outros, vá. :D

Primark

Hoje fui conhecer a Primark. Desculpem-me os fãs da loja mas, para mim, aquilo não é uma loja, é uma feira. Admito que, se calhar, fui num mau dia. Mas a maneira como as coisas estavam expostas, a mistura, tudo, tudo, soou-me muito mal. Não posso falar da qualidade da roupa/acessórios, mas a loja tinha mau aspecto. Os acessórios até me pareciam engraçados, especialmente tendo em conta o preço, mas não consegui esquecer a confusão. Vi lá uns pijamas tal e qual como na imagem. Para adultos. Feitio de vaca, de zebra, de tigre... com patinhas e tudo. Meu deus do céu. Não. Não me conquistou. Fui à do Parque Nascente, o que não deve ter ajudado nada...

And now for something completely different...

O jantar foi fantástico. Fantástico. Da minha parte, tenho a agradecer a todos os que estiveram presentes. Foi uma noite muito divertida, muito bem passada, julgo que toda a gente estava alegre e integrada. Isso, para mim, é o melhor de tudo. Petra, Ni, Puzz, Caixa Poeirenta, Geri, Confuskos, Pestinha, Mónica, Suspiro... experiência a repetir. :) Amanhã teremos algumas fotografias... com os nossos belos rostos ocultos, of course.

Planos

Este fim-de-semana parece que vai ser bem bom. Vejamos... Vamos ter passeio com a mãe e a mana, para a mana arranjar material para a sua futura loja. Passeio pela Exponor, para conhecer o material. Vamos ter compras. Para mim. Todas para mim. Para me pôr bonita e jeitosa (jeitosa é que é mais difícil... mas 'tá bem). Vamos ter jantar de bloggers. E vamos ainda comer francesinha no Caves da Cerveja. Vamos ter amor. Muito namoro. Vamos ter ida ao Burger King, no Domingo, que o mais-que-tudo anda com desejos. Não pode ser Mcdonalds, tem de ser Burger King. Parece-me promissor. Divirtam-se!

Tantos? Num só dia?

Não me cabe nem um feijão. Imaginem onde!

Do Facebook

A minha relação começou no Facebook. As redes sociais podem ser um meio muito engraçado para conhecer pessoas. Ele viu o meu perfil, fez-me um pedido de amizade com mensagem... eu, descuidada, aceitei o pedido mas não reparei na mensagem. Passados uns meses ele volta a mandar uma mensagem. Desta vez li. Uma coisa meia engraçada/meia metediça. Conversa puxa conversa, eu fui dando uns "chega pra lá"... e ele, depois de uns dias, chegou pra lá mesmo. Achou que eu estava a implicar demasiado e a mostrar-me demasiado inacessível. Mas eu notei a falta... senti falta de ligar o computador, quando chegava a casa, para ler uma qualquer mensagem dele. Então mandei-lhe uma qualquer mensagem a dizer "ok... se não queres falar mais, não fales. Mas eu até estava a gostar". Dei o braço a torcer, é verdade. Vai daí, passámos para o Messenger. Passámos a combinar conversas à noite, no MSN, e ficávamos a falar uns horinhas. Ele passou até a dar-me justificações do género "vou a

Sabrinas

Existem sabrinas tão giras, tão elegantes. É um calçado mesmo prático e que se pode usar em qualquer altura do ano. No entanto, eu só tenho um par. Cinzentas, práticas e confortáveis. Uso-as pouco. Porquê? Sabrinas fazem-me sentir gorda. É trauma meu, bem sei. Mas sinto-me mais gorda de calçado raso. Obviamente que o problema está em mim, não no calçado.

Dos acasos

Sabem, o nosso primeiro encontro era para não ter acontecido. Podia não ter acontecido. E eu não sou de dar segundas oportunidades a quem, no momento, ainda não me diz(ia) grande coisa. Tínhamos combinado ir jantar, às 20 horas de um Sábado, algures no mês de Setembro do ano passado. Eu já estava toda ansiosa, já tinha arranjado as unhas e tudo mais. Eram cerca das 16 horas quando ele me envia uma sms a dizer que não ia dar para jantar. Por um qualquer problema. Claro que, não o conhecendo, achei logo que era desculpa. Se ele faltasse, não lhe daria outra oportunidade. No entanto, daí a 10 minutos, enviou outra sms a dizer que afinal arranjara uma solução para o problema. E a partir daí... a partir daí já sabem a história. Tornou-se o amor da minha vida.

Eu admito (é nojento)

Mas adoro inspeccionar o mais-que-tudo e procurar nele pontos pretos e coisas nojentas afins. Nunca fui de o fazer, sempre achei nojento. Nele, não me importo minimamente. E até peço para o fazer. Ele é que não acha graça à ideia... Quando digo "amor, deita aí para fazermos a inspecção" ele reclama sempre e insinua que a "inspecção" que eu lhe quero fazer é sempre das más. Seja. Tadito, ele deve ter vergonha do que eu publico no blogue.

Do Amor

É olhar para ele e achá-lo o homem mais lindo do mundo. Quando se ama, acha-se sempre, não é? Mas o meu é mesmo lindo. :) Ver nele sempre tudo o que quis para mim, defeitos incluídos no pacote. É ter um orgulho imenso nele, que tenho. Um prazer enorme em estar ao lado dele. Sorrir perante as nossas óbvias diferenças e valorizar as nossas semelhanças.

Do jantar - detalhes finais

Pois é, minha gente. É já daqui a dois dias. Por agora, conto com 13 confirmações. Agradecia que se tivessem algum imprevisto me avisassem com tempo. Vou hoje reservar mesa no restaurante. :) Já sabem... Sábado, 20 horas, Caves da Cerveja (no Cais de Gaia). Vai ser giro! Agradeço à NI, que tem sido uma querida.

Da tese

É pegar no namorado para supervisionar, traduzir umas linhas da tese e está feito. Feito e arrumado. Espero eu. Depois, é ir à faculdade e ver como se procede a entrega da tese. Ouvi dizer que é preciso imprimir cerca 10 exemplares da dita cuja. Está-me cá a parecer que vou gastar uma pequena fortuna a imprimir a tese, que tem algumas páginas a cores, a encadernar e a pôr tudo bonitinho.

Weeeeeeeeeeeeee

A orientadora de tese respondeu-me. Deu-me os parabéns pelo trabalho. Fez-me correcções em tudo o que é lado. Fico muito contente porque as correcções são muito básicas e fáceis de corrigir. Absolutamente nada de grave. Tese, aqui vou eu... de novo!

Dos gostos femininos - Toca a confessar!

No post anterior, tive leitoras com comentários muito engraçados. Fizeram-me rir a bom rir. A Malena não é esquisita, diz que gosta de homens de camisa preta ou branca. A mari diz que não queremos ser mamãs dos homens... facto! A Lyn, fala em "machos". Machos é forte, forte é intenso, intenso é bom. A Nas ondas da escrita fez-me rir com o seu pedido: que usem meia preta. Parece-me bem, é discreto. Já a Baunilha diz que aprecia um "puro macho latino, simplesmente! ar durão, mas bom... como o milho, de preferência! tb sou apologista". Bom como o milho... certo! Meninas, afinal, de que é que vocês gostam? O que é que vos seduz num homem? Assim mesmo mesmo a sério? Do género "é aqui e agora" e "me joga na parede e me chama de lagartixa"? Confessem, vá.

Qualidades de um bom namorado

É um homem... com ar de homem. Deus me perdoe se alguém ficar a sentir-se insultado, mas nunca consegui achar atraentes os homens com ar de... meninos. E com um ar muito certinho, nah, nah, nunca gostei de homens com ar certinho. Um pouco de ousadia só faz é bem. Calças justinhas num homem também é coisa para me fazer uma certa impressão. Isso e aquele jeito muito mansinho e suavezinho (só o "inho" já dá nervos). Sempre gostei de homens com presença. Com atitude. Com algo diferente. Com voz de homem. Homens que, quando falam, se fazem ouvir [e não têm de falar alto...]. De camisa preta, pode ser? Homens com ar de homem.

Jantar de bloggers - O LOCAL

Pois bem, minha gente... Chega a hora de definirmos um lugar para jantarmos. Agradecia que os que confirmaram presença fizessem sugestões aqui ou por email, de lugares que julguem ser indicados. Peço apenas que não escolham lugares caros, aí a rondar os 10/15 euros por pessoa, para que ninguém fique impedido de ir. Não conheço a carteira de todos, por isso prefiro jogar pelo seguro. :) Da minha parte, admito que não sou muito dada a jantar fora no Porto e que, quando o faço, vou a cafés mais de estudantes. Portanto, a minha sugestão vai para o Caves da Cerveja , no Cais de Gaia, que é um lugar relaxado mas onde se come bem. Além de que no Cais de Gaia tem muito sítio para se tomar um café depois da jantarada. No entanto, quero escolher o lugar através do contributo de todos. Podem sugerir! Outra coisa importante... a Hora. Que tal 20 horas? Não é muito tarde nem muito cedo... e assim temos tempo de esperar por todos.

H&M - Quero!

49,95. Nunca comprei lá calçado mas... 29,95, o blazer. Com um cinto fino... Blazer, 39,95. 39,95. Um vestido preto, um básico essencial. 29,95. Vestidos são a minha perdição, no tempo mais frio. 34,95. Ai ai ai... Saia, 19,95. Parece-me um bom investimento. No Outono/Inverno, adoro usar saias. Existe assim e em tom de bege. 49,95. Muito feminino. 149 euros. Tem de ter um tecido mesmo bom para valer o dinheiro... mas o design é giríssimo. 49,95. Elegante. Adoro o pormenor do cinto. 59,95. Se o tecido for bom, forte, parece-me encantador. Blusa com laço. 9,95. Lindona. Tipo poncho. 19,95. Lindo. Visto que no próximo fim-de-semana acontece o jantar de bloggers... vou ao Porto. E quero muito ir ver umas peças da H&M. Coisas que me agradaram... pelo menos no site. :)

Amor é...

Sairmos do café, chover, e ele dar-me o casaco para eu tapar o cabelo... é que perdi muito tempo a esticar a juba. Anyway, amor não é só isso. Amor é estar a chover, eu de casaco, com a cabeça protegida pelo casaco dele. Ele de tshirt, à chuva. E eu, na minha futilidade feminina, pedir-lhe para pararmos "um bocadinho" para ver melhor duas montras de roupa. E ali fiquei eu, a ver roupa, abrigada, enquanto ele se molhava. Ele riu-se com a situação. Eu fiquei com remorsos e andei mais ligeirinha para o carro.

Irrita-me

Saber que tenho de entregar a versão final da tese de mestrado até ao final do mês, com 10 cópias impressas... e a senhora orientadora não se dignar a corrigir. Já lhe enviei uma nova versão final (com as correcções que ela pediu) há mais de três semanas e nem uma palavra dela. E eu sei que ela não leu a tese toda. Aliás, percebi facilmente que a parte mais importante (a minha investigação, que corresponde a mais de 50 páginas) ela não leu. Isto porque, não corrigiu nem uma vírgula. E isso enerva-me. Hoje mandei-lhe novo email e ela disse que para a semana me dá uma resposta. O que fará com que eu fique com cerca de duas semanas para corrigir eventuais correcções. E eu sei que vão existir correcções... porque até agora ela não leu cerca de metade da tese. Haja competência. Fiz a minha parte. Ela que cumpra a dela.
Fim-de-semana passado a dormir. Vai ser isso. Nem mais, nem menos. Só isso. Muitas sopas e descanso. Bisous bisous ***

Das boas pessoas

Tenho passado o dia acompanhada por um casal vizinho. Com quem nunca tinha falado. Mas passaram o dia a zelar por mim, a dar-me comprimidos para a dor de cabeça, a dar-me jantar, até a comprar-me um sumo. A senhora até me ajuda com o computador e tapou-me com o casaco enquanto dormitava. Pessoas genuinamente boas. Agora que sei que os meus vizinhos são pessoas boas, vou fazer questão de sorrir mais abertamente sempre que os vejo.

Qualidades de um bom namorado

Vai buscar-nos e levar-nos a qualquer lado, sem reclamar. Melhor... oferece-se para o fazer. Como um motorista particular. Nestas coisas, não sou nada feminista. Adoro que ele me vá levar ao trabalho, se eu tiver pressa, e que me vá buscar, se estiver a chover. E o mais-que-tudo, lá nisso, é muito prestável.

Odiozinho de estimação

Gente que fala muito muito muito baixinho. Quase como se tivesse vergonha de falar. Como se tivesse medo. Fui à farmácia e só consegui perceber o preço da coisa porque é uma coisa que compro regularmente. Se fosse a contar com a farmacêutica para me elucidar, bem que estava lixada. Não se ouvia. E eu não sou propriamente mouca. Não sou adepta de barraqueiros que falam alto... mas também dispenso mosquinhas mortas pouco audíveis. É coisa para me causar uns certos nervos. Apetece abaná-los para ver se ganham voz.

Dos defeitos

Não sei pedir desculpas. Isto porque, na maioria das vezes, continuo a achar que tenho razão. Nos outros casos, em que sei que fiz porcaria, opto antes pelo olhar de cachorrinho abandonado. Não sou mesmo nada boa a pedir desculpa. É preciso sentir-me mesmo culpada para o conseguir fazer. Geralmente não o faço. Reconheço que é defeito. Reconheço que é uma coisa que tenho de mudar em mim. Mas a verdade é que a base do defeito é o facto de eu achar, honestamente, que tenho quase sempre razão. Isso faz com que não sinta necessidade de pedir desculpa. Com a idade, isso vai lá.

Lisboa

Amanhã vou a Lisboa city, em trabalho. Apesar de adivinhar que a viagem de autocarro (obrigatória) de 5 horas me vai custar, acho que vai ser uma experiência gira. Diferente! Até estou entusiasmada. Jornalismo é isso mesmo, ir ao local da notícia. Se para ter notícias sobre a minha cidade tenho de andar de autocarro durante horas, bora lá! :)

Da parvoíce

Claro que, depois de dias constipada, tenho o nariz em ferida e até o lábio superior está todo magoado. Ando a evitar mexer na coisa. É que eu sou daquelas pessoas que prefere ter uma ferida a ter, por exemplo, uma borbulha. Isso é que não aguento, mete-me nojo. Prefiro uma casca. Depois, quando fico com uma cicatriz, digo sempre que é uma parvoíce ter mexido na dita cuja. Mas quando uma nova aparece (graças a deus, coisa rara nesta cara que Deus me deu), faço igual. Coisas de mulher. Agora, tenho o nariz em ferida. Interessante, ah?