sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Dia do Cão


Diz que hoje é Dia do Cão. Eu nem sou pessoa que adere a estes movimentos, mas não podia perder (mais) uma oportunidade para confessar a paixão assolapada que tenho pelo meu Pirata.

A 27 de Julho de 2013 fui dar uma passeio à Feira Medieval de Caminha. Já tinha duas gatas, mas sabia que o meu rapaz  era mais adepto de cães. Eu sou a verdadeira crazy cat lady. Sempre tive cães, mas os gatos sempre foram a minha perdição... até que me perdi de amores por um pirata de pêlo branco e manchas negras.

É um amor incomparável. Uma adoração extrema. São aqueles olhos de vítima infeliz, aquele abanar de cauda constante, aquele bafo quente que insiste em mandar para cima de nós. Mesmo que estejam 30 graus lá fora, gosta de se fazer de cobertor e deitar-se por cima de nós. Dorme na nossa cão e não permite que seja de outro jeito - e nós cedemos sempre.

É um cão esperto. Esperto tão esperto que acaba sempre por levar a melhor. Reconhece perfeitamente o "vamos fazer xixi?" e levanta as orelhas e os olhos quando lhe pergunto "onde está o papá?". Também sabe que consegue sempre que eu lhe dê um restinho da minha refeição e fica com as côdeas de todas as minhas torradas.

Sai à dona, adora massa, mas também aprecia arroz, tal como o dono. É feliz a passear, a roubar coisas e a comer. É ainda mais feliz quando o dono-papá chega a casa e lhe diz "miminho, miminho" - desata a correr para a sofá, vira-se de barriga para cima e exige mimos.

É um cão que sabe o que quer. Dá-nos com a pata (a nós, aos tios, aos tios-avós, à avó...) para exigir que lhe cocemos o pescoço ou a mancha preta que tem na base da causa. 

É um exigente. Exige todo o amor a que tem direito.

É o meu cão, é o melhor do mundo - e do meu mundo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Quando é que a vida se tornou tão difícil?


Tive uma infância verdadeiramente feliz. Fui abençoada com uma família espectacular. Vivemos todos juntos até eu ter quase 12 anos de idade. Vivíamos todos juntos, na casa de família, entre eu, os meus irmãos, os meus pais, os meus tios, a minha avó. Tínhamos (e temos) uma casa grande, um quintal enorme, uma horta, cães e gatos. Foi uma infância verdadeiramente perfeita, sem preocupações. 

Depois mudamos para a cidade. Passei a viver apenas com os pais e os meus irmãos. Sofri horrores com a mudança, mas logo me habituei. Voltei a ter gatos - primeiro um gato, depois dois, depois três. Depois os pais separaram-se. Logo depois fui estudar para o Porto.

Adorei viver na cidade invicta, mas não se pode dizer que a universidade tenha sido a época mais feliz da minha vida. Por coisas cá minhas, não trabalhei muito a integração na minha turma de licenciatura. Estudei, fiz tudo direitinho, terminei o curso e entrei no mestrado. No mestrado conheci os melhores colegas de sempre, o meu núcleo forte de amigos portuenses, que tento visitar com a frequência que a vida me permite. Apesar de os ver quatro ou cinco vezes no ano, a amizade permanece intacta e as saudades são sempre muitas.

Terminado o primeiro ano de mestrado, voltei a casa. Comecei logo a trabalhar na minha área, tive essa sorte. Conheci o amor da minha vida. Percebi que tudo o que parecia entusiasmante e excitante era pouco - tão pouco - comparado com o meu companheiro de todas as horas. 

Passado pouco mais de um ano de namoro, começamos a viver juntos. Iniciamos esta viagem a dois, que tem sido uma felicidade, mas pautada por tantas dificuldades. Por vezes dizemos, em tom de brincadeira (mas sem ter graça alguma), que tudo nos corre mal. É verdade. Não conseguimos ter estabilidade. Não conseguimos tranquilidade. Não podemos fazer muita coisa que nos apetece fazer. Não conseguimos concretizar alguns sonhos.

Por mais que eu faça, por mais que eu me esforce, por mais que eu lute, parece que não saio do sítio. Parecendo que tenho muito - e tenho -, falta-me ainda tanto. 

Precisava mesmo, mas mesmo, de espairecer. De poder viver sem me preocupar. De sonhar e concretizar o sonhado. Precisava de sentir que vivo e que aproveito realmente a vida, em vez de passar a vida a esperar por algo que parece que nunca vai chegar. 

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Instaweek

Da Feira de Artesanato cá da cidade. Mais um para a colecção.


Viana vestida para a Romaria d'Agonia.

E eu também... 

Pirata muito espantado com as três top models da mãe.

Lenços novos, das tendas da romaria.

A minha Maria continua vaidosa.

Cindy!

Os tios foram passear à Madeira... e trouxeram (também) Corações de Viana como recordações.


E viva a romaria!



Nia, da Romaria d'Agonia

Este Domingo, a princesa Nia apareceu na minha vida. Nia, de Senhora da Agonia. A agonia que certamente sentiu por estar no meio da rua, entre os carros, sem haver uma alma que a resgatasse.

Nia, da agonia que é aturar um cão ciumento.

Nia, da agonia que vai ser deixá-la depois de me apaixonar. Acho que já encontrei dono para ela... quando se é assim bela, não faltam candidatos.

ACTUALIZAÇÃO - Levamos a bichana ao veterinário para desparasitação interna e externa... afinal é um Nio. Um rapaz irresistível. :) Já desistimos de a dar para adopção a desconhecidos. É um amor tão doce que tinha de ficar na família. Fica com os meus tios.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Até Domingo!


Oficialmente em modo romaria! Trajes, ouro, folclore, desfiles, cortejos, procissão ao mar e ao rio, artesanato, lenços tradicionais, farturas, churros, bebidas frescas, gelados. 

Estou demasiado ocupada a viver a Romaria d'Agonia. Até Domingo!

domingo, 14 de agosto de 2016

IKEA, I love you...




Mal possa, já sei o que quero fazer à sala cá de casa. Trocar os móveis escuros por mobiliário mais claro, para ter mais "luz". Quero trocar a mesa rectangular para seis pessoas por uma mesa redonda/oval extensível. 

Querer, quero muita coisa. Falta poder. 

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Desabafando


Não gosto cá de dramatismos. Sou uma pessoa sentimental, mas positiva. No entanto, na verdade, há três dias que não consigo relaxar. Não consigo escrever - escrevo muito, mas não o que me vai no coração. O Funchal é uma desgraça inimaginável. Não consigo nem pensar como está aquela gente, aquelas empresas, aqueles animais. 

No entanto, aquilo que está mais perto de mim é, para o meu coração, uma coisa absolutamente arrepiante. Viana do Castelo está rodeada de incêndios. Ontem eram 20, hoje são mais de 30. Estão por todo o lado, só as freguesias mais à beira mar estão a escapar. É um desconsolo saber que o nosso verde, a nossa ruralidade, está a ser queimada. Estamos em Agosto. Deveríamos estar em festa. Já chorei, já deprimi. Não há hora em que não fique arrepiada com as imagens de fogo e cinzas que vejo por todo o lado.

Eu sei que todos os anos é assim... Mas, aqui, aqui tão perto de mim, não me lembro de assim ser. Uma desgraça sem fim.

domingo, 7 de agosto de 2016

Insta last days

Cores de Verão.

Usando as tradições, com a blusa e a mala com as cores das terras de Geraz.

Cornetto de limão, uma desilusão...

As três preciosas top models da casa da mãe. Por ordem: Cindy (Crawford), Naomi (Campbell) e Heidi (Klum).

Sandálias douradas e muito confortáveis.

Ontem, Sábado, foi noite de regressar ao Porto, para jantar de despedida de um colega que vai emigrar. 

Cozinha na Baixa, na zona de Ceuta. Um espaço muito bonito, sem dúvida. Dizem ter "o melhor arroz de tomate do Porto" e, na verdade, acredito que sim. Perfeito. O menu é mesmo muito curto. Apenas arroz de tomate como acompanhamento. Depois moelas, pataniscas, bolinhos de bacalhau, alheira, ovos verdes, panadinhos. É um restaurante de petiscos. Comi as moelas, as pataniscas e os panadinhos - tudo óptimo. Não sou muito fã do conceito "comunitário", partilhar a refeição entre todos... mas o facto de estarem constantemente (mas é mesmo sempre!) a deitar mais arroz nos pratos faz com que todos comam muito bem. Gostei. :)


Hoje foi dia de "piquenique" caseiro.  Salada russa, melão, gelados. Esteve-se bem.

sábado, 6 de agosto de 2016

Das romarias


Não há festa como esta. Está-nos no sangue. Está nas varandas da cidade. Está nas roupas que vestimos. Está nos brincos, nos colares, nas contas de Viana e nos corações.

Está a chegar a romaria das romarias. Faltam poucos dias. A cidade já está vestida a rigor para a receber. É a Romaria em Honra de Nossa Senhora da Agonia. A mais bonita, a mais imponente, a maior e melhor do país.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Não é defeito, é herança!


De vez em quando acho que ter quatro gatas e um cão é exagero... Mas depois a irmã liga-me e diz-me que o nosso irmão "encontrou três gatinhos bebés no monte e levou-os para casa da mãe".

Bom... Não é defeito. É feitio. Herdei este gosto que é comum a toda a família.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Facto


Queridas leitoras partilharam comigo a sabedoria que têm sobre sites bons para ver séries online.

Suspeito que não vou dormir hoje. ;)

Há uma linha que separa...


Os restaurantes e cafés que percebem que no Verão faz calor e disponibilizam caçarolas e bacias de plástico apenas e somente para os cães poderem beber... e os que arranjam desculpas do género "não podemos, por uma questão de higiene". Meus amigos, ninguém pede para apresentarem copos aos cães, apenas uma caçarola ou até uma velha embalagem de litro de gelado. Há cafés que têm essas caçarolas e até perguntam aos clientes se os respectivos cães precisam de beber - na esplanada, como é óbvio.

É que essa mesma linha - que pode parecer uma patetice - é, na verdade, a diferença entre ir a um espaço ou optar por não o frequentar. Recuso sentar-me a beber uma bebida fresca e perceber que o meu cão está cheio de sede. Óbvio que arranjei uma garrafinha/caçarola para levar quando dou um passeio maior, mas na eventualidade de não a ter comigo, gosto que o Pirata possa beber.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

(podia chorar, mas dá para rir um bocado)

Esta noite invadiram o meu carro para roubar qualquer coisa que estivesse lá dentro. Graças a Deus o carro ficou no sítio e os documentos também resistiram. Apenas um encaixe de plástico da porta partiu. Pensamento seguinte?

Fodei-vos. Ainda bem que não o mandei lavar na sexta-feira, como estava previsto. Só tinha lixo, pó, pêlo e o maravilhoso 'eau de chien' do meu cão. Espero que tenham apreciado a visita.

domingo, 31 de julho de 2016

Insta last days

Se eu podia usar menos vezes calções? Podia. Mas adoro, fazer o quê? ;)

Baby sobrinho cada dia mais terrorista. Agora já corre, está toda a gente tramada...

Viana é amor.

Quem gosta, vem. Quem ama, fica. Diz o nosso slogan e diz muito bem.

Alguém cresceu mais do que era previsto...

Rotinas de Sábado de manhã - pingo directo, nata (com nozes, com maçã e canela...) e jornal.

A cesta de praia favorita.

No Domingo passado até levamos a rede a "picnicar". 

Almoço em dia de muito calor.

27 de Julho,  celebração dos 3 anos em que temos este Pirata na nossa vida. 

Jantares em família, arroz de pato com pinhões e uvas passas, um dos meus favoritos.

Sexta-feira à noite com direito a caipirinha.

Esta aqui foi tirada este Sábado. Pirata num abraço absolutamente desinteressado à sua tia-humana, enquanto acabávamos de almoçar.

sábado, 30 de julho de 2016

Facto


Um bom ambiente de trabalho é mais do que meio caminho andado para enfrentar as adversidades. Se gostares daqueles que te rodeiam, sentes-te mais forte.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Ahhhh...


Eu sou uma pessoa que gosta de ser bem tratada nos restaurantes. Dispenso bem gente que nos atende como se toda a gente lhes devesse e ninguém lhes pagasse e que nem um sorriso é capaz de oferecer.

Mas caramba, ontem à noite foi surreal. OK que o restaurante tinha apenas meia dúzia de mesas ocupadas, OK que nós éramos quase uma dezena e isso também lhes interessa... mas pergunta cerca de 20 vezes se estava tudo bem, vir à mesa de dois em dois minutos, é algo que completamente desproporcionado. Quando começava a caminhar para nós, já tinha de baixar a cara para não me rir.


PS: Devem ser regras da casa, o patrão é igual. Compreendo.. mas incomodava.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Não é tudo mau...


Sair à noite de vestidinho no corpo e chinelos nos pés, para um jantar de família, parece-me impecável. Venham mais noites de Verão como esta! Menos na altura de dormir, que nessas horas tornam-se uma tortura...

Até amanhã. ;)

quarta-feira, 27 de julho de 2016

O Verão deixa-nos mais quentes, diriam as teorias...

Ah, que maravilha... tomas banho e passados 5 minutinhos já sentes gotas de suor pelas costas abaixo... Uma pessoa sente-se logo quente e sexy.  E nojenta. E porcalhona.

Que sensualidade! 

#sóquenão

terça-feira, 26 de julho de 2016

Da força de vontade


Eu. Nos últimos anos. O que vale é que estou como a formiguinha, vejo sempre a luz à minha frente.

domingo, 24 de julho de 2016

Facto


A felicidade portuguesa parece fazer-se muito à volta de uma mesa. Quando se combina um jantar com amigos ou familiares fica sempre no ar aquela promessa de boa comida, bons convívios e sorrisos rasgados. 

Por aqui, hoje a felicidade fez-se em formato de piquenique. Um sol maravilhoso, um bebé irrequieto, uma família sempre unida, acompanhados por uma refeição rápida e simples, gelados e esplanada. 

(Também) Por isto sou feliz.