terça-feira, 3 de maio de 2016

E se fosse consigo? #2

Esta semana o programa da Sic bordou o bullying. Muito focado nas escolas, é certo, apesar de o bullying poder acontecer no local de trabalho, no grupo de "amigos", em todo e qualquer sítio, basicamente.

Se me perguntarem, hoje em dia já não me lembro exactamente do ano em que senti que sofri bullying. Se não me lembro, é bom sinal, é sinal de que não ficou grande trauma. Lembro-me de um ou dois episódios que me deixaram mais magoada, mas o resto acabei por esquecer.

Vou contar-vos. Partilhar faz bem.

Sendo eu gémea, sempre me "distingui" das demais. Eu e a minha irmã, sempre juntas, bem dispostas. No ensino primário e, depois, até ao 9º ano, acabamos por ter sempre os mesmos colegas. Sempre fomos populares, com um grupo de amigos considerável. Sempre correu tudo bem, de forma tranquila.

Depois, com a mudança para o 10º ano e para uma escola de ensino secundário, as coisas mudaram de forma radical. Perdemos a maioria dos amigos para outra escola. Naquela altura, estava em voga ir para Ciências, nós fomos para Humanidades. Acabamos numa turma onde não conhecíamos ninguém. Conhecíamos algumas pessoas de vista, mas não eram nossas amigas.

Para piorar, tivemos o azar de ir para uma turma que tinha um grupo considerável de... chamemos assim... meninos de bem. Rapazes e raparigas que constituíam, em si, um grupo muito unido - eles sim, colegas desde sempre. Conhecidos por terem algum poder económico (não todos, mas a maioria). Parecendo que não, isto tem relevância para a história.

Bom, à partida, uma pessoa já se sentia diferente, desintegrada. Acabamos assim por travar amizade com duas outras raparigas que, pelos vistos, eram consideradas "parolas". Por serem da aldeia. Apenas por isto. Vai daí, como nos dávamos com elas (que eram uma simpatia), também nos excluíram. Não é que nos fizessem mal... mas não nos deixavam integrar na turma.

Com o passar do tempo, a situação foi piorando. Começaram a surgir alguns comentários maldosos, sempre dos mesmos idiotas - que gozavam as outras pessoas pelo que vestiam e calçavam, alto e bom som, para todo o corredor da escola ouvir. Nunca respondi, mas ouvia e não gostava. Todos os dias pegavam em alguma coisa, por mais insignificante que fosse, para nos picar.

Depois tínhamos a Miss Popularidade da turma, que também parecia não nos achar muita graça, não sei bem por que motivo, visto que devo ter falado com ela meia dúzia de vezes. Engraçado, as voltas que a vida dá, hoje em dia conheço-a e parece-me estar muito mais afável, simpática e "terra-a-terra". Por esse motivo, já não lhe guardo rancor.

A questão é que sofremos isso durante um ano. Foi o que aguentamos. No final do ano lectivo, pedimos transferência de turma. A professora de português, que era directora de turma, aproveitou para fazer um discurso em plena sala de aula, para toda a gente ouvir. Acusou alguns elementos de terem posto de lado "duas meninas simpáticas, educadas e trabalhadoras" (as palavras foram mais ou menos estas). Defendeu-nos. Colocou-se do nosso lado, porque reconheceu que tínhamos razão. Ainda hoje, sempre que passo por ela, me lembro desse momento. Ela tentou, de alguma forma, fazer ver aos outros alunos que o que faziam estava errado. Não sei se eles perceberam ou se entrou a cem e saiu a duzentos... mas, para mim, foi importante.

Mudamos de turma. Os problemas terminaram. Voltamos a estar enquadradas, bem dispostas, e a gostar de toda a gente - e a ter toda a gente a gostar de nós (acho eu).

Nunca fui humilhada verdadeiramente, nunca me gozaram por aspectos físicos, nunca me trataram mal fisicamente. No entanto, foi o suficiente para ter arruinado um ano da minha vida e para me ter mudado enquanto pessoa. Tornei-me mais forte, mais fechada, a ouvir menos as críticas alheias.

Nem quero imaginar quanto sofrem aqueles que realmente lidam diariamente com bullying, seja na escola ou no trabalho. É um fardo demasiado pesado para se aguentar sozinho. Felizmente, eu sempre tive a minha irmã. :)



segunda-feira, 2 de maio de 2016

Insta last days

Sim, eu adoro peças largueironas. Sim, adoro cor. Sim, adoro este padrão!

Blusas de Primavera.

Blackie num momento raro de confraternização.

Dois amores que saem à rua.

Almoço rápido com uma amiga. As melhores sopas são as da Casinha Boutique, decididamente.

Azul do mar.

Mantendo as tradições. As Maias na minha porta.

De hoje. Dias de sol.




domingo, 1 de maio de 2016

Vaidades de Verão








Quero todas. Todas. 

A Skechers soube adaptar-se como poucas marcas. Ainda me lembro do calçado chatinho que tinha (mas sempre de qualidade). A minha mãe tem umas sapatilhas deles há mais de uma década. Eu tive um calçado casual, com uns mochos, que durou meia dúzia de anos, sempre impecável.

Agora saíram da zona de conforto e têm estes modelos escandalosamente divertidos. Já sei que não são para toda a gente... mas, como eles dizem no Facebook, se tens uma personalidade divertida, por que motivo o teu calçado não pode reflectir isso mesmo?

Poissss

O Facebook está muito bonito e cheio de dedicatórias... Mas eu celebro o dia da mãe a 08 de Dezembro... como era no antigamente.

"No dia 8 de dezembro celebra-se o dia da Imaculada Conceição. Este dia invoca a vida e a virtude de Virgem Maria, mãe de Jesus, concebida sem marca do pecado original. É uma data de grande significado para a Igreja Católica".

sábado, 30 de abril de 2016

Gracinhas

Eu digo-vos uma coisa... a mente que imaginou semelhante negócio, por um lado é maluca, por outro lado é genial.

Fui dar um passeio com o mais-que-tudo, mana, cunhado e sobrinho (mais os cães) agora à noite. Quando nos sentamos na esplanada, recebo um telefonema. Um número esquisito. O meu cunhado começou a dizer para não atender, porque era vírus.

Eu atendi, na minha santa inocência.

Começa a falar uma voz de mulher, um tom normal, mas assertivo. "Boa noite. Olhe, eu sou sua vizinha, não me vou identificar, como é natural. Tenho de lhe dizer que o seu cão não pára de ladrar. Você tem noção de há quantas noites eu não consigo dormir?"

Meu Deus. Ia tendo um ataque cardíaco.

Depois a voz começa a dizer "estou, estou? Não ouço nada..." e eu acabei por desligar. 

Entretanto li na internet que o número era de um vírus.

Chego a casa, abro o email... e txaraaaaaaaaaaannn... um amigo tinha a gravação do meu telefonema!

PORTANTO... estejam atentos. Agora anda por aí uma aplicação que permite aos nossos amigos fazer-nos partidas destas. Pelos vistos, têm várias chamadas preparadas, com temas que encaixam em vários perfis de pessoas.

Eu, que tenho cão, caí que nem uma patinha!

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Oh, o romance!

Programas românticos que ele (coitado) nos arranja: quinta-feira à noite num hospital público. São 22:10 e não vejo maneira deste programinha a dois ter fim.

terça-feira, 26 de abril de 2016

E se fosse consigo?


Ando a seguir o "E se fosse consigo?" da SIC, apresentado pela Conceição Lino (que, diga-se de passagem, tem muito mais jeito para isto do que para apresentar programas de entretenimento). O primeiro programa era dedicado ao racismo. Acho que ninguém pode negar a existência de racismo, é demasiado óbvio.

Ontem abordaram o preconceito em relação aos gordos. O meu rapaz dizia não entender bem o que é isto do "preconceito contra os gordos". Bom, para mim é óbvio. 

É provavelmente a coisa que mais usam para me insultar no blogue. Gorda, obesa (?), desleixada. Antes chateava-me. Agora elimino e esqueço. Fartei-me de gente de merda que se sente porreira a insultar os outros. 

Quando se fala em preconceito em relação aos gordos, é a isto que se referem. Gente que usa a palavra "gordo" para insultar. Para humilhar. Para deitar abaixo. Como tentam fazer comigo. 

Gente que acha que os gordos são gordos porque comem e ponto final. Não pensam nas doenças. Não pensam nos distúrbios hormonais. Não pensam nos motivos que podem levar alguém a afundar-se na comida. Acham que é apenas vontade de comer. Acham que é simples deixar de ser gordo, é "só fechar a boca e mexer o corpo". Em alguns casos será verdade, noutros casos não podia ser mais mentira.

Patético que usem isso para insultar alguém. Voltamos ao tempo da escola primária, onde os altos viravam "escadotes" e os que tinham dentes grandes eram os "coelhos dentuças".

Tudo isto para dizer que choraminguei a ouvir a minha Ana Nogueira.  Se aqueles que a insultaram sequer imaginassem a história de vida dela, enfiavam a cabeça num saco com a vergonha. A Ana é uma mulher de garra. Vejam-na aqui.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Insta fim-de-semana prolongado



Bella, dois anos connosco a 22 de Abril.

"Esplanadar" no Sábado de manhã

Apesar de ter sido um fim-de-semana com imenso trabalho para estes lados, houve espaço e tempo para um jantar calórico a dois.

A minha menina finalmente saiu do armário.

Uma tarde bem passada neste feriado.



A Guerra dos Tronos

Parece que todo o mundo anda louco com esta série. Ontem, até o amigo Facebook tinha uma publicação "pré-feita" para os fãs da série. 

Nunca vi a série. Não sei do que trata. Pode ser uma coisa altamente, mas o facto de ser irrealista para mim é um verdadeiro turn-off.

Eu sou mais fã do How to Get Away with Murder. Da Scandal. Da Empire. Quantico. Do Versailles, que está a dar na RTP1 e é absolutamente genial. Também era fã d'Os Seguidores, mas deixou de dar. E do Power, que nunca mais deu. Podem ter histórias improváveis, mas ao menos não têm dragões e gigantes.

Por isso, Guerra dos Tronos pode ser fantástico... Mas thank you, but no, thank you.

domingo, 24 de abril de 2016

Capas personalizadas com 15% de desconto


Depois de receber as minhas capas personalizadas e de adorar a ideia, temos uma oferta para os estimados leitores, que vão poder usufruir de 15% de desconto nas encomendas.

O preço das capas personalizadas é de 17,40€ já com portes incluídos. Para os seguidores, com a apresentação do código, fica a 14,45€ já com portes incluídos.

Basta indicar o código do blog "As minhas pequenas coisas" durante a encomenda: AMPC1604.

Para personalizarem a vossa capa, devem:

1. Acesso ao site: http://dream4print.com/pt/
2. Carregue em crie a sua capa 
3. Escolha o modelo do lado direito (modelo do telemóvel)
4. Desça até ao editor de capas
5. Escolha as imagens ou frases a colocar
6. Adicione ao carrinho

Simples e fácil. 




Tempo de produção? Normalmente as capas são enviadas 2-3 dias após o pedido. Este é o tempo estimado para as capas personalizadas e também para as capas pré-feitas.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

As ameaças da NOS

NOS... tu fazes de mim uma santa!

Há mais de três anos "emigrei" para a aldeia. Tinha sido cliente NOS durante um ano, numa relação simpática e agradável para os dois lados. Quando me mudei para a aldeia, tentei levar a NOS comigo... e foi aí que percebi que a NOS não é muito amiga das aldeias do Alto Minho. 

Eu tinha serviço de internet wireless + televisão + telefone. Na aldeia, a NOS apenas me garantia: internet por pen + televisão por satélite. Não tinha telefone fixo. Uma coisa muito estranha. Fui a uma loja da empresa, disse que não podia continuar fidelizada porque EU QUERIA CONTINUAR mas eles NÃO ME OFERECIAM o pacote/serviço que eu tinha contratado. "Ai, mas tem de cumprir a fidelização, porque nós asseguramos a televisão e basta isso para ter de cumprir a fidelização", foi a resposta.

Ora diga de novo, por favor? Quer então que eu continue a cumprir um contrato quando vocês não me disponibilizam telefone fixo, não tenho internet wireless, e mesmo a televisão não é nas mesmas condições?

Toca a escrever uma carta para a empresa, indignada, e a explicar o meu ponto de vista. Durante o primeiro ano (entretanto mudei para a MEO) massacravam-me semanalmente com telefonemas. Depois diziam que eu tinha de pagar 250 euros de facturas + juros. Facturavam todos os meses, apesar de eu ter desligado o serviço e ter pedido para recolherem o equipamento (não me deixavam devolver o equipamento nas lojas... mas também nunca o vieram recolher... há uns meses deitei-o para o lixo, temos pena, já tinham passado dois anos e meio).

Entretanto começaram a mandar emails e a ameaçar com advogados. Telefonavam. Eu expliquei a mesma história 1001 vezes. Diziam que compreendiam, mas que "era assim". Escrevi uma carta para eles, afinal "perdoavam-me" os 250 euros, mas querem na mesma 50 euros de pagamento.

Incrivelmente, hoje, mais de três anos depois, recebi uma mensagem escrita e um email novamente ameaçador, a cobrar os 50 euros.

Estou farta desta merda. Nunca devi um cêntimo a ninguém. Não continuei com a empresa porque não me ofereciam as condições que eu tinha contratado... mas não me deixavam sair da empresa, alegando que o facto de garantirem a televisão "apagava" o facto de não garantirem a internet (em condições) e o telefone fixo.

Tento ter o máximo respeito pelas empresas, não sou o tipo de pessoa que acha que pode quebrar contratos porque me apetece ou porque tive uma proposta melhor. No entanto, já perdi a paciência para os Contenciosos e os "A NOS informa que a sua dívida ascende a 59,01 euros. Evite a via judicial e liberte-se da mesma em seis prestações".

Deviam era pagar-me por vos aturar.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Dream4Print e as capas personalizadas

Há uns dias fui contactada pela Dream4Print, empresa especializada na personalização de produtos. Apresentaram-se e ofereceram-se para me enviar gratuitamente capas personalizadas, ao meu gosto. Claro que escolhi logo personalizar dois exemplares com as imagens dos meus animais. Não gosto de ter o telemóvel enfiado dentro de bolsas, mas gosto de o ter protegido, pelo que capas de silicone me parecem sempre boa ideia. ;)

Chegaram e são a coisa mais gira!



Depois de receber as minhas capas personalizadas e de adorar a ideia, temos uma oferta para os estimados leitores, que vão poder usufruir de 15% de desconto nas encomendas. Como?

Basta indicar o código do blog "As minhas pequenas coisas" durante a encomenda: AMPC1604.

O preço das capas personalizadas é de 17,40€ já com portes incluídos. Para os seguidores, com a apresentação do código, fica a 14,45€ já com portes incluídos.

Para personalizarem a vossa capa, devem fazer a seguinte forma:

1. Acesso ao site: http://dream4print.com/pt/
2. Carregue em crie a sua capa 
3. Escolha o modelo do lado direito (modelo do telemóvel)
4. Desça até ao editor de capas
5. Escolha as imagens ou frases a colocar
6. Adicione ao carrinho

Simples e fácil. 




Tempo de produção? Normalmente as capas são enviadas 2-3 dias após o pedido. Este é o tempo estimado para as capas personalizadas e também para as capas pré-feitas.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Insta Last Days

Vantagens da ida a Itália.

Quem diria que o tempo estava manhoso em Portugal? Lá estava fantástico, 25 graus todos os dias.

Comodidades. Nem me lembrava de estar deitada na cama a ver televisão, sem pensar em trabalho ou obrigações.

Os gelados italianos. Esta primeira experiência revelou-se uma real porcaria, mas a segunda experiência confirmou a maravilha que são os gelados italianos.

Massa de brócolos, coisa boa!

Finalmente pude espreitar a Victoria's Secret, mesmo que tenha sido uma loja pequena de aeroporto, mesmo que tenha sido a correr antes de embarcar. Fiquei rendida às lingeries e aos cremes. Fica para a próxima. :)

Ao menos trouxe uma recordação de Itália, a minha carteira nova. Infelizmente, não me perguntem qual o motivo, Parma não tem lojas de recordações. Estranho. Nem um mini-globo de neve de jeito consegui arranjar.

Sexta-feira o mano fez anos...

E família juntou-se.

Preguiça alheia.


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Factos

If you don't like me and still watch everything I do... BITCH, you're a fan:

Coisas que a mana partilha comigo. ;)

domingo, 17 de abril de 2016

Volta, sol!


A minha nova menina veio lá de terras italianas e promete ser uma companhia perfeita para esta Primavera / Verão. Num tom rosa seco, que dá com tudo, prática e simples.

De uma marca que desconhecia, mas que por lá parece ter boa reputação, dentro do género mais barato, claro. Carpisa.

Penélope e Mónica Cruz desenharam uma colecção para eles e é bem engraçada, com bolas e riscas. ;)

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Ciao!

A melhor parte de partir é, sem sombra de dúvidas, poder voltar.

Feliz da vida com a regresso a casa e aos meus.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Parma #2

Parma é uma cidade plana, logo as bicicletas são o meio de transporte predilecto. Muito pouco trânsito de carros, mas um verdadeiro congestionamento de bicicletas. Estão por todo o lado!

O meu coração fica derretido com esta cidade (ou será lei do país?). Os cães podem andar por todo o lado. Vi cães na Sephora, no banco, em restaurantes...

Hoje tirei duas horas para visitar os principais pontos turísticos. A catedral é magnífica. Tenho pena de não me poder demorar mais nos lugares, valem muito a pena.

Duomo.

Uau! A catedral é completamente pintada, uma elegância extrema.

Muito comércio, muita vida.



segunda-feira, 11 de abril de 2016

Parma








Parma é, de facto, uma daquelas cidades que nos rouba o coração. Muito bonita, muito tradicional. Extremamente limpa e organizada, sem trânsito, sem gente a correr por todos os anos - mas cheia de vida, com imenso comércio, imensas bicicletas e frutarias encantadoras em todo o lado.

Fiquei apaixonada. Um dia esplendoroso, cheio de sol, numa cidade lindíssima.

De coração cheio

Ia com medo do frio, passei um calor do caraças.


La Scuderia, restaurante em Varese, norte de Itália. 




O primeiro dia de viagem foi absurdamente cansativo. 

Cerca de cinco horas enfiada em aviões, mais seis horas dentro de um carro, de um lado para o outro. Mas depois temos o tetracampeão do mundo de pizza acrobática e preparar um rodízio de pizza para nós e todo o cansaço se esquece. As melhoras pizzas de sempre. Diferentes, inovadoras, deliciosas.


O merecido descanso, Pouco, mas bom.

Hoje muito mais me espera. :)