Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2012

Das calinadas desta vida

Os dois a admirarmos o interior da Igreja da Peregrina, em Pontevedra. Duas velhotas espanholas, uma pedinte e uma religiosa, ali perto. S* resolve mandar a calinada: "Bom, não é nada de especial por dentro, apenas tem uma cópula gira*". Ele: "Cópula? Agora é um bocado chato, está aqui gente". * Cúpula, dahhh.

No supermercado

Hoje, no supermercado, ele "ralhava" comigo de cada vez que eu pegava em alguma coisa desnecessária, como bolachas ou chocolate. No dia-a-dia, eu tenho de "ralhar" com ele porque toda a santa noite ele diz que tem vontade de comer um chocolatinho, umas bolachas, uma madalena, uma fatia de bolo... qualquer coisa doce, basicamente. Vai daí, meu amor, eu só compro doces porque tu queres comer doces todos os dias. Não é culpa minha.

Sanctum

"Quando uma tempestade tropical força uma equipa de mergulhadores a entrar nas profundezas das grutas, esta equipa de mergulho vê-se confrontada com a fúria da água, com terrenos mortais e com o pânico, enquanto luta para encontrar a rota desconhecida em direcção ao mar. O instrutor de mergulho Frank Mcguire explorou estas cavernas do Sul do pacífico durante meses. Mas quando a única entrada é fechada pela força da tempestade, a equipa liderada por Frank – incluindo o seu filho de 17 anos, Josh e o financeiro Carl Hurley - é obrigada a alterar radicalmente os seus planos. Com recursos cada vez mais escassos, o grupo tem de navegar pelo labirinto subaquático, confrontando-se com a inevitável questão: vão sobreviver, ou ficarão encurralados para sempre?" Um daqueles filmes que mexe connosco. Não tanto pela história, obviamente previsível, mas pelas imagens, pelas situações comoventes, pelas dificuldades. Ainda por cima, sabemos que é um filme baseado numa história real. Ont

Coisas que me deixam deprimida

Perceber que poderia ir (e vir) a Madrid, nas nossas férias grandes, por 26 euros por pessoa. 52 euros pelos dois... mais taxas, certamente. Como o senhor meu namorado recusa andar de avião, andamos aqui todos preocupados (vá, eu estou preocupada, ele não quer saber) em encontrar um hotel com parque de estacionamento ou sítio para estacionar nas proximidades, e de preferência que não nos leve 25/30 euros por dia para termos lá o carro guardado. É triste ser tesa. É chato ter um namorado com fobia de aviões.

Pontevedra e Sanxenxo

Mal estacionamos, percebemos que os galegos gostam de mostrar a diferença entre ser espanhol e ser galego. Vale! As estátuas estão espalhadas por todo o município. É simplesmente encantador. Depois do almoço, paramos neste café. Original. Aqui paga-se 1.40 euros por café. Por café Delta. E ainda levas dois mini churros de oferta. Ideia deliciosa. A igreja da peregrina não é nada de extraordinário por dentro, mas encantadora por fora. Lindo. Todos os edifícios do centro histórico têm pelo menos três ou quatro séculos de história. Esplanadas giras-giras por todo o lado. Foi pena que à hora do nosso passeio estivessem todos a dormir a sesta... Adoro este tipo de janelas. Ohhhhhhhhhhh... Mais uma Senhora Igreja. Xardins de Vicenti, com palmeiras a fazerem sombra (dah, eu sei que aquilo não são palmeiras, mas acreditem em mim, tem palmeiras). Igreja de San Xenxo. De 1976 mas toda modernaça. Efeito "uau" por dentro. Uma das milhentas praias de Sanxenxo, meio escondida. E aqui está

Gosto

Gosto mesmo quando, depois de jantar, vamos até uma esplanada perto de casa e "perdemos" horas a debater isto e aquilo. Conversas longas são um dos segredos de uma boa relação.

Facto

Para mim, férias significam passear, conhecer lugares, igrejas, monumentos, praças, histórias. Não me entusiasmam as férias passadas inteiramente na praia, a lagartear ao sol.

Grand Place

Provavelmente o sítio mais espantoso que visitei até hoje. A Grand Place* de Bruxelas é assombrosa. A riqueza dos edifícios é... uau! Cheia de vida, de dia e de noite. De noite toda a gente se senta no chão da praça (não há cá preocupações com sujidades), para beber uns copos e desfrutar da beleza dos edifícios - a noite ainda lhes dá um brilho mais especial. Os cafés da praça são um encanto, todos cheios de canteiros de flores. Apaixonante. Cheia de saudades. Ah... afinal amanhã vamos "só" até Pontevedra. Sanxenxo, Pontevedra, aquela zona. Diz que também é bonito. * Imagens de dois companheiros de viagem.

Madrid

Sugestões de hotéis/residenciais a preços bons em Madrid? De preferência perto do metro ou de transportes públicos. Acho melhor reservar já o hotel, para as férias do fim de Setembro.

Honeymoon

Todas as relações deviam ser como a relação da Cookie com o meu Fred. Tem os seus altos e baixos, de vez em quando ele chateia-a, de vez em quando ela mostra-lhes quem manda... mas, no fundo, vivem uma eterna lua-de-mel.

S*, a companheira ideal

Já não basta eu ser uma pessoa simpática, amorosa, afável, dedicada, fiel, amiga, conversadora, boa ouvinte, que adora cozinhar, que adora arranjar-se, que o mima a toda a hora e super modesta... Como ainda faço um bolo que, segundo ele, "é igualzinho ao que a minha avó fazia, até sinto assim alguma nostalgia". Agora foi só um bolo de iogurte (o meu primeiro), um dia destes estou no Master Chef.

Planos para segunda-feira

Santiago de Compostela promete esperar por nós. Já lá não vou desde criança, só me recordo - e vagamente - da catedral. Sugestões para um dia em cheio, pessoal?

Em Inglês, S.F.F.

"Sátira política que parodia os trabalhos secretos entre agências do governo norte-americano e britânico. O Presidente Americano e o Primeiro-Ministro Britânico fantasiam uma guerra. Mas nem todos acreditam que a guerra seja uma coisa boa". Para quem gosta de filmes sobre política, aconselho vivamente este. Mostra-nos que a política não é uma coisa tão simples e linear como pode parecer. Tem de se agradar a gregos e a troianos. Muitas vezes têm de ser tomadas decisões que, à partida, já sabemos serem erradas. As ameaças e as chantagens são imensas. A competição é fortíssima. A picardia entre britânicos e norte-americanos é constante.
Francesinha caseira, para terminar em beleza um dia fabuloso. A meteorologia prometia chuviscos e trovoada, mas tivemos direito a duas horas de praia fabulosa, durante a tarde.

(inchada)

Por motivos profissionais, tenho de recusar... Mas hoje recebi o meu segundo convite para ir à televisão, por causa do blogue. Às vezes é chatinho ter uma profissão mais exposta.

Facto

Não tenho pachorra para gente que adora lamuriar-se. Toda a gente tem problemas. A forma como os enfrentamos é que mostra de que fibra somos feitos.

Prioridades

101 páginas depois, chega de "O vale das bonecas". O livro é mesmo bom, senhores... mas agora tenho dois dias inteirinhos de romance pela frente. Termino no fim-de-semana.

A pão-sem-sal da Kristen enganou-nos bem, hein?

Uma pessoa a pensar que ela era daquelas que não partia um prato, e ela é enfeita a testa do vampiro Robert Pattinson pelas costas, com o realizador do último filme que protagonizou, Branca de Neve e o Caçador. Ao menos já teve a decência de assumir e de pedir desculpa. Refira-se que o cúmplice da traição é casado e pai de filhos. Ups.

Tic, tac, tic, tac...

Já passa das 18 horas. Entrei oficialmente de férias, até 1 de Agosto. Bora lá aproveitar! E ai do tempo que mude.

O Vale das Bonecas

Hoje comecei a ler “O Vale das Bonecas” , de Jacqueline Susann, um clássico de 1966. Obrigada à MC pela sugestão. Parece-me que vai ser um daqueles que vou devorar em meia dúzia de dias. Está em português brasileiro, mas a escrita envolvente nem me deixa perceber isso.

Eu

Eu sou aquela que elimina todas as fotos que me fazem exclamar "xiça, estou mesmo feia!" ou "pareço um texugo". Sou uma pessoa selectiva. Em dez fotografias minhas, apenas guardo duas ou três. Vá, deixem-me entender as coisas desta forma, não guardo mais apenas porque sou selectiva, não é nenhuma tendência eu ficar horrorosa nas fotos.

Gosto de gentilezas

Aquilo que distingue um café, um restaurante ou até uma loja, é a maneira como trata os seus clientes. Vai daí, gosto de ir a sítios onde são gentis comigo. Gosto de ter direito a um pau de canela para meter no chá ou a um chocolatinho a acompanhar o café (mesmo que não o coma). Gosto de ter direito a um embrulho aprumado, quando digo numa loja que a compra "é para oferta". Gosto de ter direito a torradas com manteiga, quando digo "com manteiga". Gosto de ter um pacote de doce a acompanhar as torradas. Gosto que percebam a diferença entre "morno" e "quente". Gosto que me sorriam de volta, quando sorrio ao som de um "bom dia". Gosto que respeitem o meu espaço, o meu tempo, e detesto que as meninas das lojas me persigam para todo o lado. Gosto que saibam limpar a mesa, num café, em vez de atirarem as migalhas dos anteriores clientes para o chão, ali mesmo, na minha frente. São detalhes, coisas pequenas, mas que fazem

Cai-cai

Os soutiens cai-cai são pequenos torturadores de barrigas. Ao fim de uma hora com ele vestido, sinto a minha barriga, logo abaixo das margaridas, a queixar-se. Aquela porcaria crava mesmo na pele! Pelo sim pelo não, trouxe um soutien suplente na mala. Só para o caso de não aguentar mais o cai-cai.

Provas de amor

Ontem, depois de ouvir 1001 indirectas (e algumas bem directas), cheguei a casa decidida a provar todo o meu amor ao senhor meu namorado. Mal ele entrou em casa, chamei-o ao quarto, abri as portas do armário e exclamei. "olha amor, agora já tens mais espaço!". Sim, até ontem ele só tinha direito a 1/4 do roupeiro, com algumas camisolas de manga curta todas esmagadas contra um canto, para que a minha roupa pudesse estar à vontadinha. Agora está 50/50. Vá... 40/60... hum... 30/70. Pronto, já não está tão mau como antes.

Do Amor

"- Quero dizer, mãe, que para mim as coisas são simples: gosto ou não gosto, amo ou não amo. Se amo uma mulher, amo-a mesmo. Não tenho dúvidas, nem contradições, nem estados de espírito, nem outra vida para viver onde ela não caiba. Para mim, que pouco percebo do assunto, o amor é sobretudo a ausência de perguntas, de dúvidas, de incertezas. É paz, segurança, eternidade". Pedro, "Rio das Flores" - Miguel Sousa Tavares

Está confirmado!

Fiz umas alterações nas férias, para baterem certo com as folgas do senhor meu namorado. Vai daí, esta semana só trabalho três dias, entro de férias na quinta-feira e regresso ao trabalho a 1 de Agosto. Pois, eu sei que são apenas 4 dias de férias, mas vão ser 4 dias inteiramente passados a dois. Maravilha!

Facto

Grande parte do prazer que retiro da ida a um cabeleireiro cinge-se aos 5 minutos de massagem na cabeça, enquanto me lavam o cabelo. Estou a precisar de cortar as pontas.

Facto

Hoje já comi dois gelados. Um Calippo depois do almoço e um Cornetto à hora do lanche. Apetecia-me um terceiro. Será do calor?

Coisas difíceis de entender

Hoje, no piquenique, um casal de velhotes achou que era boa ideia montar a sua mesa... em cima do caixote do lixo. Sim, literalmente em cima do caixote do lixo. No que toca a mim, foi mais assim: comida variada e a Notícias Magazine. Esteve-se mesmo bem. Passei de camarão cozido a camarão frito.

Pic-nic

Pois é, hoje é dia de fazer o primeiro piquenique do ano, com toda a família. Salada de feijão frade com atum, panados frios, fatias de lombo assado, batatas fritas, muitas ameixas, bebidas geladas. Hoje é dia de comer sentada na relva, num ambiente descontraído e relaxante. Durante a tarde, vou variando: meia-hora na areia, a apanhar sol, meia-hora na relva, a fugir do calor. Para descansar do descanso, uma soneca preguiçosa, debaixo das árvores. Bom Domingo, pessoal.

Tavira

A Madeira e Tavira estão a arder. Se isso já me estava a incomodar solenemente, ainda mais incomodada fiquei ao deparar-me com um grupo, no Facebook, que está a fazer apelos atrás de apelos para que as pessoas se disponibilizem para ir recolher cães, gatos e gado, que foram naturalmente deixados para trás. O canil soltou os bichos, obviamente. Pelo amor de Deus, até me vêm as lágrimas aos olhos. Ide saber tudo aqui . Pessoal do sul, mexam-se.

Qual quê!

Como amanhã é dia de me estrear na praia, hoje é dia de me torturar e de tosquiar este meu corpitcho.  Há uns bons anos foi-me dito que, ao arrancar os pêlos com a cera, eles iam ficando mais finos, mais escassos, e que em pouco tempo ia notar que eram poucos. Qual quê. Já faço a tosquia há quase 10 anos e eles continuam aqui, firmes e hirtos, prontos a serem arrancados. E custa sempre tanto, valha-me Deus, nunca me vou habituar...

José Hermano Saraiva

Morreu o senhor que deu um brilho diferente à História, que fazia qualquer um apaixonar-se pelas histórias que de forma tão sábia contava. Historiador, ministro da educação na época do Estado Novo, professor, advogado. Uma das pessoas que admirava praticamente desde que me lembro de admirar alguém.

Incomoda-me

Infelizmente, não sou daquelas pessoas que consegue abstrair-se do que os outros pensam de si*. Não consigo deixar de me sentir algo incomodada quando sei/sinto que passei uma imagem errada a quem quer que seja - nem que seja a um mero conhecido. Então se for a alguém de que gosto... ui... fico a moer e a remoer no assunto. * na vida real

Bom dia!

Parece que hoje vai ser um dia mais fresquinho, apesar do sol. Ainda bem, pode ser que consiga sentir-me fresca por umas horas, em vez dos já habituais 5 minutos.

O nosso lar

A nossa casa não é só a nossa casa. É da minha irmã, que nos comprou um porta-guardanapos, um frasco para as colheres de pau e respectivas colheres, variadas caixas giras para bolachas e afins. É da minha mãe, que nos deu panos e mais panos, que nos comprou agora copos variados e acabou de fazer a cortina de cozinha mais gira do mundo. É da minha tia e do meu tio, que compraram a torradeira, o jarro eléctrico e que nos vão dando laranjas, limões e fruta variada. É da minha avó, que insiste em dar-nos toalhas de linho, daquelas antigas e elegantes, só para usar na Páscoa e em dias especiais. É também dos sogros, que sempre que cá vêm trazem coisas para nós, que ofereceram louça variada e coisas para decorar a casa. Vai daí, este lugar há muito que deixou de ser só uma casa. É um lar. Um lar que tem um bocadinho de todos aqueles que nos amam.

Verão inspirador

Gelados e mais gelados. Quem não gosta? Vontade de molhar os pés, de me arrepiar com a água fria... e molhar-me toda a seguir. O melhor pôr-do-sol do mundo. Batido de melancia, claro. Mergulhos. Ai o que eu comia destes gelados, em pequena... Não sou de fazer posts cheios de imagens, mas daqui a dois dias abre oficialmente a época de praia para a minha pessoa. Vai daí, quero é desfrutar do sol, do calor, das cores fortes, das bebidas frescas, dos piqueniques, dos calções mais ou menos curtos, do cheiro ao protector solar.

Coisas que me irritam no jornalismo cor-de-rosa*

* Ou no jornalismo alegadamente sério, quando deturpa as coisas. Título - Vítor Baía vai pagar 500 euros de pensão a ex-mulher, pelo filho. Abro a notícia - Vítor Baía vai pagar 500 euros de pensão + colégio e educação da criança + um ordenado de empregada doméstica. Parece-me que isso dá BEM mais do que 500 euros... Não sou defensora do Baía, atenção, mas também não sou defensora da vitimização da ex-mulher. Parece-me uma "pensão", digamos assim, justa. Mas nem é isso que está em causa, é mesmo o título tendencioso e ridículo da notícia.

Dos valores trocados

Estive a ver a reportagem da Sic sobre a casa da Mãe Kikas, uma casa de alterne no Ribatejo. Não vou julgar as mulheres que vendem o corpo para viver, cada uma sabe de si e Deus sabe de todos. O que me chocou foi ouvir uma das senhoras, toda orgulhosa, dizer que o filho tinha tido o seguinte diálogo: Coleguinha - A tua mãe é p*ta. Filho - Pois é, e daí? Olha a minha camisola, é da Lacoste, as calças são da Salsa, as botas são Timberland. E tu, o que é que vestes? Não haja dúvida. Este tipo de conversa é o orgulho de qualquer mãe. Que importa que a mãe venda o corpo? Ao menos usa roupa de marca... valha-nos Deus.

Coisas que eu nunca vou perceber

Os motivos pelos quais algumas mulheres andam sem soutien. No Verão. Com tops finos, que permitem ver tudo. Podem ter muito bom ar, meninas. Podem ir muito bem vestidas. Andar ali com as ditas cujas a dar a dar, a apontar para o mundo, só vos dá um ar chunga.

Sugestões da S* - Por um Fio

O Facebook é uma enchente de negócios, toda a gente sabe. Para que um negócio se destaque, tem mesmo de ser original e chamativo. Há uns bons meses que me apaixonei pela " Por um Fio ", que é uma empresa de acessórios, colares, pulseiras, brincos e afins. É tudo tão bonito, tão bem feito, tão cheio de cor... mesmo a minha cara. Hoje fiz a minha primeira encomenda e fiquei surpreendida com o profissionalismo e rapidez. Em 10 minutos, em apenas 10 minutos, trocamos três ou quatro emails, eu fiz a transferência... e devo receber amanhã. Eu bem sei que é lindo, mas este já é meu.

Não gosto deste tipo de preconceitos*

* Deveria escrever "não gosto de preconceitos", ponto. Mas toda a gente tem preconceitos, por isso mais vale este título. Não devemos colocar rótulos nas pessoas. A Margarida Rebelo Pinto tem uma escrita básica, pois tem, mas também tem frases de amor muito bonitas e com as quais qualquer apaixonado acaba por concordar. O Nicholas Sparks é um remeloso que só escreve sobre amor... pois que é. Ma s "O Diário da Nossa Paixão" é dos livros mais bonitos, em termos românticos, que eu já conheço. O Miguel Esteves Cardoso é fenomenal, mas certamente que às vezes também escreve porcaria. O Ricardo Araújo Pereira é muito inteligente e tem um humor mordaz, mas o anúncio da Meo, aquele com a velhota (ele) que tem varizes, é uma estupidez. Nem todos os bons são sempre bons. Nem todos os alegadamente maus são sempre maus. E hoje, um certo modelo/fashionista conhecido a nível nacional decidiu dizer, no Facebook, que o livro da "Cocó na Fralda" deve ser uma

Perfeito

Adormecer nos teus braços. É pena que no Verão não aceites lá muito bem os meus abraços na cama. Dizes que te faço calor. Temos pena, amigo. Ninguém disse que o amor não exigia sacrifício!

Leituras

Agora que descobri o prazer que é descarregar livros online e ir lendo no computador quando me apetecer, parece-me que vai ser o meu novo vício. O "Rio das Flores" é o primeiro que estou a ler nestes moldes. Não tem o charme dos livros de papel, claro que não... mas é prático! PS: Não, não há livros de autores portugueses disponíveis gratuitamente online. Este, do MST, encontrei legal, de forma gratuita. Mas é raro. Para descarregarem vão mesmo ter de pagar.

Não me falem em férias

Só tenho dois miseráveis dias de férias no final deste mês. Férias, para mim, só na última semana de Setembro, a entrar em Outubro. Até lá aproveitem muito, vão para a praia, façam viagens, desfrutem... eu cá vou trabalhar. Quero praia, quero mesmo praia.

Discutir o sexo dos anjos

Algumas pessoas são mais felizes solteiras. Outras pessoas são mais felizes casadas/apaixonadas/amigadas. Discutir se uns ou outros são mais felizes é como discutir o sexo dos anjos. Eu, por exemplo, era muito feliz enquanto solteira... mas depois de conhecer o senhor mais-que-tudo percebi que, a partir daquele momento , só seria completamente feliz com ele.

Coisas boas do Verão

É muito mais fácil fazer dieta. O meu lanche? Quatro ameixas e uma pequena fatia de melancia. Ah, e escusam de dizer que a ameixa não é light... é fruta cheia de água, senhores. Quão gorda pode ser!?

Grrrr

Eu até que estou com vontade de ler "Rio das Flores" , do Miguel Sousa Tavares, mas nas primeiras páginas ele descreve minuciosamente uma tourada e a alegada beleza da coisa... e eu perco metade da vontade.

Coisas que eu nunca vou perceber

Aquele pessoal que leva a revistinha para o quarto-de-banho. Ficam a ler, é? A pensar na vida? A redigir mentalmente a lista de compras do supermercado? Já eu sou adepta do sentar, fazer e andar. Suponho que tenha sítios bem mais agradáveis para ler ou para pensar na morte da bezerra.

Oh não...

Chega o calor, chega a época do mulherio andar com alças de soutien ditas invisíveis, debaixo dos tops. Senhoras, aquilo não é nada invisível. Vê-se bem e fica mal.

Conversas entre o casal

Ele, deitado no sofá - Que linda, que fofa, que princesa... Eu, à secretária, lanço a pergunta de retórica - Eu, amor? Ele - Não. A Evitinha. Raisparta. Se a Evita não fosse uma felina malhada, levava uma chapada por seduzir o meu rapaz.

Da lata

Cenário: Farmácia, 18 horas. Entro na farmácia, vejo os três balcões cheios, portanto meto-me na fila. Tenho duas senhoras à minha frente. Como é evidente, não nos colamos a quem está a ser atendido, até porque ninguém tem nada que saber se alguém está a comprar aspirinas, preservativos, viagra ou meias de descanso. Uma senhora velhota, toda supostamente finória, entra. Põe-se ao meu lado. Topo o que quer fazer mal se coloca ao meu lado, mas ignoro. Anda um metro, põe-se ao lado da senhora que está na minha frente. Mais dois passos e chega à senhora que está no primeiro lugar da fila. Não satisfeita, avança e cola-se a meio metro do balcão, encostada a um senhor que já estava a pagar. Basicamente, ignorou a fila e chegou-se à frente. Quando a farmacêutica diz "seguinte" , espeta-se no balcão. A mulher à minha frente levanta o braço e exclama "essa senhora estava atrás de mim". Sabem o que é a lata? Lata é a velhota armada em finória pôr-se a gritar connosco e

Dos animais e da revolta

Eu era fã da Irlanda do Norte. Apesar de nunca lá ter ido, era fã da ilha, da história marcante, dos castelos. Até que hoje fiquei a saber que na Irlanda do Norte têm uma lei que basicamente dita o abate dos cães de raças potencialmente perigosas. Assim, sem mais nem menos. Os cães podem nunca ter mostrado os dentes a absolutamente ninguém, mas se tiveram o azar de ter nascido na pele (e no pêlo) de uma raça dita perigosa, são abatidos. Assim. Apenas assim, sem mais nem menos. E tudo isto por causa do Lennox. O Lennox era (sim, era, foi assassinado... ou como eles preferem dizer, adormecido) no dia 11 de Julho. Era um cão cruzado de labrador com bulldog. Um cão perfeitamente integrado numa família que o amava. No entanto, por ter nascido naquele pêlo, foi retirado à família em Maio de 2010. Depois de dois anos a definhar no canil de Belfast, capital da Irlanda do Norte, foi eutanasiado. Nas últimas semanas as petições contra o abate do pobre bicho foram às centenas, mas de nada lhe v

Polissia

Foi o filme que vimos uma destas noites. Muito bom. Filme de 2011, passado em França. Tem um daqueles temas arrepiantes: pedofilia e abusos variados a crianças. O filme é baseado em histórias reais. Neste caso, uma fotojornalista vai acompanhar a rotina dos investigadores da Unidade de Protecção a Crianças. Pelo meio, vai ter de lidar com pedófilos, com miúdos ladrões, com pais que não sabem o que é respeitar os filhos. Tudo isto num ambiente de grande amizade entre a Unidade de Protecção. E quando os abusados sentem pena dos abusadores, ficando tristes por vê-los ir para a prisão? E quando os próprios investigadores se deixam envolver demasiado nos casos, querendo proteger a todo o custo aquelas crianças? E como é que uma mulher reage quando começa a suspeitar que o próprio marido abusa da filha? E aquelas pessoas tão doentes que usam e abusam das crianças, achando que é a coisa mais natural do mundo? Como é que os investigadores reagem ao perceber que têm um pedófilo na sua frent

21 meses

E caminhamos a passos largos para os nossos dois anos. Têm sido meses maravilhosos, não têm? Hoje e sempre.

Sexo & Facebook - um trabalho da Cocó na Fralda

Ou melhor, da jornalista Sónia Morais Santos. Leiam e voltem a ler. Está fabuloso. Tenham cuidado com os flirts alegadamente inofensivos... podem destruir. "Com mais de quatro milhão de utilizadores em Portugal e mais de oitocentos milhões em todo o mundo, o Facebook é uma rede social que permite encontros que provavelmente não se dariam na vida real. O atrativo erótico está no seu potencial máximo, a comunicação escrita é rápida, e o facto de se dizer sem olhar nos olhos do outro acende o imaginário e permite desinibições ousadas e eficazes. Há casamentos que não resistem a encontros na rede de Mark Zuckerberg, há quem deixe de estar sozinho, há facadinhas em matrimónios que não passam disso mesmo. Há relações para todos os gostos. E uma coisa é certa: há muito sexo na rede. " A reportagem para ler, aqui .

Babá

(comigo não resulta, mas conta a intenção) Olha a Babá a dar 10-0 a muita menina com metade da sua idade (eu incluída). Bárbara, implico contigo, acho-te bimba, histérica e má apresentadora... mas estás gira e boa a todas as horas!

Santoinho

Santoinho. Na meio da confusão que é estar num lugar com o limite de 2700 lugares sentados (não estavam tantos, mas quase), aquilo é mesmo muito organizado. Só apanhamos bicha para as sardinhas, a partir daí correu mesmo muito bem. Sardinhas, fêveras, frango de churrasco, vinho à disposição, caldo verde, broa. Concertinas toda a noite, folclore e músicas populares. As pessoas divertem-se mesmo muito com estas coisas, daí a pouco já se viam lá sei quantos "comboinhos" de pessoas. Vá, nós somos um bocadinho mais discretos, mas o senhor meu namorado ainda me puxou para dançarmos o bailarico durante 5 minutos.