Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2010

O lado bom

Agora levamos com vampiros em tudo o que é lado. No cinema, com a saga de Stephenie Meyer; na TVI levamos com eles na série "Destino Imortal" e nos Morangos com Açúcar (que pelos vistos também mete pra lá um vampiro); e agora na SIC, com "Lua Vermelha". Como eu sou uma pessoa positiva e gosto de ver o lado bom de tudo... Convenhamos... Ao menos na SIC dá para lavar as vistas. O Rui Porto Nunes podia cravar-me os dentinhos todos que eu não dizia que não. E se fosse no pescoço, até era capaz de apreciar. Nota: A isto é que eu chamo um post estúpido. Mas achei importante reforçar que eu sou uma pessoa positiva. :P

O que menos falta faz...?

O correspondente da SIC no Haiti acabou de dizer: "Têm também chegado equipas de apoio e salvamento a animais... que certamente é o que menos falta faz aqui no Haiti, mas têm também chegado." O que menos falta faz? Fica-lhe mal dizer tal coisa senhor jornalista, mesmo que muita gente pense como o senhor. Não sou maníaca nem digo que um animal valha tanto como uma pessoa (apesar de em alguns casos, achar que sim)... mas há coisas que não se devem dizer... Como alguém inteligentemente comentou, são precisas pessoas para tudo. Para tratar dos doentes, para reconstruir casas, para dar carinho às crianças orfãs... e para ajudar os animais, ora essa.

Engolir sapos

Antes era muito intempestiva. Se algo me incomodava, era ver-me a barafustar de imediato. Não respirava duas vezes, não pensava... resmungava logo. Era demasiado ansiosa e incomodava-me esperar para poder dizer aquilo que me ia na mente (e no coração). Parecia que sufocava se não dissesse logo tudo. Não pensava em mais nada. Exaltava-me facilmente. Com o passar do tempo (e especialmente nos últimos meses) tenho-me tornado muito mais ponderada. Já sei esperar pelo momento certo para dizer aquilo que preciso de dizer. Há uma pessoa a quem tenho de dizer uma ou duas coisinhas... Mas estou no meu canto, quieta, à espera que essa pessoa se aproxime. Não quero discutir. Quero pensar bem no assunto... Para ter a certeza de que a decisão que vou tomar é a mais correcta. Que sei que é.
Às quais eu quero responder no dia em que o blogue atingiu as 100 mil visitas. Um dia isto acaba... mas por agora estou aqui para as curvas. Obrigada. :) Desafio lançado pelo Gemini . Espero que ajude a dar-me a conhecer. Ou então só vai mostrar, mais uma vez, que sou uma remelosa do caraças. Questão 1: Tens medo de quê? De ficar sozinha. De perder um dos meu pilares familiares. Questão 2: Tens algum guilty pleasure? Só se for a luxúria. E mais não digo (oh pra mim a rir-me baixinho) . Questão 3: Farias alguma loucura por Amor/Amizade? Faria tudo por amor. Por amor aos meus, à família, aos verdadeiros amigos. E por Amor - daquele que nos rouba parte do coração - faria tudo e mais alguma coisa. Questão 4: Qual o teu maior sonho? (responder paz/amor/amizade é "trapacear") Trabalhar na área da minha formação e c onseguir construir uma carreira interessante. Arranjar um parceiro "até que a morte nos separe" e ter dois pirralhos. Uma quinta e muitos ani

Cineasta

Era a profissão ideal para mim. Faço imensos filmes. Vejo coisas onde elas não existem. Vejo sentimento onde ele não existe. Os meus olhinhos vêem amor em todo o lado. Sonho acordada. Passo o dia a imaginar situações, diálogos e emoções. Faço a festa, atiro os foguetes a apanho as canas. Tudo sozinha.
"boa pinta dama XD thanks 4 add me sweetgirl;) mandas um look d "Outro Nível 360 º" dama, I like it!... " Li isto no Hi5. Deve ser por isso que deixei de frequentar tal rede social. Infelizmente, para minha tristeza, não sou eu a dama que tem um look de outro nível. Não é com dialectos desses que vais seduzir nenhuma mulher. Pelo menos nenhuma que valha a pena.

Coisas que eu não posso ouvir...

"Once I wanted to be the greatest No wind or waterfall could stall me And then came the rush of the flood Stars of night turned deep to dust" Cat Power - The Greatest Pois corro o risco de sentir o meu coração apertar-se. I miss you, you know? Claro que sabes. Era preciso que te importasses. Bah. Vou limpar a casa, fazer a faxina, para ver se deixo de escrever baboseiras.

Criaturas do Norte

Sabem aquela novela da TVI que se passa no norte, mais precisamente no Gerês e nos Arcos de Valdevez? "Deixa que te leve", salvo erro, mas posso estar a confundir com uma das outras duas novelas. Pois bem, essa novela faz dos nortenhos gente meia retardada mental. Gente da TVI, gente que escreve estes maravilhosos diálogos... Os minhotos não falam à parolo. Pelo menos não a maioria. Não somos assim tão religiosos nem passamos todo o santo dia a dizer "minha nossa senhora da Peneda, ouve as minhas preces". No Minho não se é mais religioso do que no resto do país. Não passamos o dia de terço na mão, a rezar aos santos e a fazer o sinal da cruz. As minhotas não são umas pacóvias que passam a vida a cozinhar para os maridos. E ah, não dizemos "o comer". Dizemos o almoço e o jantar, como o resto do país. As mulheres do Minho não usam todas carrapito no cabelo nem andam de saias até ao chão. Os homens do Minho não são broncos e andam de camisa de flanela.

Assumo as minhas fraquezas

Assumo. Aderi ao padrão tigresse . Tentei evitar, tentei dizer que não... mas lá fui eu na onda. Uma bandolete e um lenço tigresse já cá cantam. Não queria entrar na moda dos padrões de tigre ou de zebra porque acho que, quando em demasia, ficam pirosos que dói. Mas aos poucos e poucos vou-me transformar num tigre de duas pernas. Internem-me antes que isso aconteça. Para quando uma camisola tigresse ? Um casaco tigresse ? Umas meias tigresse ? Shame on me. Pronto, mudei a foto para verem também o belo do lenço. Perguntinha extra: Porque se chama padrão tigresse a isto se o tigre tem riscas e não pintas? Não deveria ser padrão chitesse , vindo da chita?

Resgate de cão mobilizou televisão, 50 bombeiros e helicóptero

"O resgate de um pastor alemão que caiu a um canal fluvial, em Los Angeles, foi transmitido em directo em várias televisões nos Estados Unidos. A operação, que foi bem sucedida, mobilizou 50 bombeiros e um helicóptero. Veja o vídeo. As imagens mostram que o resgate não foi fácil. Joe St. Georges, o elemento do Corpo de Bombeiros de Los Angeles que resgatou o cão, na passada sexta-feira, foi mordido na mão e sofreu uma fractura no polegar. A operação de salvamento do pastor alemão foi transmitida em directo pelas estações de televisão por cabo nos Estados Unidos. O facto de terem sido mobilizados 50 homens originou críticas. Em resposta, o capitão Steve Ruda sublinhou que "toda forma de vida é importante" e que os elementos envolvidos não foram desviados de outras operações." JN E é isto... Coisa mais linda. Tiveste sorte de darem por ti, bicho. Acho que em Portugal bem que te afogavas que nem para ti olhavam. E aos nojentinhos que fizeram as críticas... Pes

Tobias

Gostava de poder fazer um texto que mostrasse o gato maravilhoso que eras... Mas não o sei fazer. O gato mais agradecido, mais carinhoso e dono dos olhos mais meigos que já conheci. Quem vai ocupar o lugar direito da minha almofada, agora? Porque não quero questões... Problemas urinários. Tenham em atenção se os vossos animais urinam como deve ser. O facto de ter três gatos não permitiu que vissemos que algo não estava bem com ele. Levarem um dos meus meninos é levarem uma parte de mim. Sem comentários.

Cera

Gosto do toque da cera. Gosto de colá-la à ponta dos meus dedos e entreter-me a arrancá-la. Sempre que acendo uma vela lá ando eu a escarafunchar na cera. Sempre que aqueço cera, daquela em pastilhas, divirto-me um bocado com isto. Eu sei que é estúpido... mas adoro. Cada louco com a sua mania.

Bolacha Maria

Ontem ensinaram-me uma boa. "Estou farta de ser a Bolacha Maria. Sou aquela que se come quando já não há mais nada para comer em casa." Achei um piadão. Apesar de eu gostar de bolachas Maria... Qual será o melhor biscoito, aquele que é escolhido em primeiro lugar? A avaliar pelo nome (só pelo nome, que de sabor nem é grande coisa) , deve ser o Biscoito champanhe. É um desses que quero ser.

O Segredo

Não suporto aqueles livros de auto-ajuda. Aqueles que supostamente ajudam as pessoas a ser mais felizes, a serem bem sucedidas na carreira profissional e (pasmem-se) a encontrar o amor das suas vidas. Ou eu sou muito céptica - que sou - ou esses livros são todos uma grande treta. Uma tentativa de enganar os outros e ganhar algum dinheiro. Rhonda Byrne escreveu aquela maravilha dos tempos modernos - "O Segredo". Devia estar na mesma prateleira que todos aqueles livros cheios de tretas sobre a força interior que ajuda tudo e todos a ultrapassar os problemas. Infelizmente, não é assim tão simples. "O Segredo é neste momento – e de longe – o livro de não ficção mais vendido em todo o mundo. Só nos Estados Unidos vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares e ocupa o primeiro lugar dos principais tops de vendas, onde o respectivo audiobook também figura em destaque. A autora, Rhonda Byrne, descobriu que a maioria das pessoas que têm ou tiveram sucesso conheciam um Grande Se
É... Não sou boa a racionalizar.
Porque os outros se mascaram mas tu não Porque os outros usam a virtude Para comprar o que não tem perdão. Porque os outros têm medo mas tu não. Porque os outros são os túmulos caiados Onde germina calada a podridão. Porque os outros se calam mas tu não. Porque os outros se compram e se vendem E os seus gestos dão sempre dividendo. Porque os outros são hábeis mas tu não. Porque os outros vão à sombra dos abrigos E tu vais de mãos dadas com os perigos. Porque os outros calculam mas tu não. Sophia de Mello Breyner Andresen Não sei o que se passa comigo. "Porque os outros calculam mas tu não". Não quero calcular... Quero desfrutar, aproveitar, viver. Quero apenas sentir. Quero que sintas como eu sinto. Quero, acima de tudo, que dês valor ao que sinto.
" O amor não é como o chouriço da preta: encher, atar e pôr ao fumeiro. Implica relações entre duas pessoas e as pessoas são complicadas pra caralh* (não vês o tempo que eu demoro para me fazer entender?). Aquela treta do amor à primeira vista, ainda que eu acredite, porque o amor é espontâneo, na maior parte das vezes é só nos filmes. O amor é como uma couve (olha só que romântico eu estou eheheh) que tem de ser plantada e adubada. O resto é pura paixão (eu chamo-lhe mais tesão), que desaparece do mesmo modo que desaparece uma erecção, depois de satisfeito o desejo. Tem calma, não stresses, dá umas quecas para aliviar, porque o amor há-de vir. Entretanto dorme agarrada à almofada, chora e pensa "nele" como um montão de penas de pato chinês (que é do que as almofadas do IKEA são cheias), e quando o amor acontecer, não penses em me convidar para padrinho, porque a vida está má até para os pobres, quanto mais pra mim, que estou na miséria." Tenho uns leitores qu
Falo muito de ter uma relação, mas não ando por aí desesperada à procura do Amor. É normal que eu fale muito sobre isso, porque felizmente nos outros campos sou realizada. Tenho uma família maravilhosa e os amigos essenciais. Estou no mestrado que escolhi e - deixem-me gabar - a té tirei 16 a Ciência Política (não me perguntem pelo exame de estatística) . Tenho uma boa vida, apesar dos naturais dissabores. Falta-me isso. O Amor. Sou estupidamente romântica e tenho tendência para ver boas intenções onde elas não existem. Sou demasiado crente, parece-me. Vejo sentimentos onde deveria ver "olha querida, é só para dar umas voltas e depois eu ignoro-te, está bem?". Não ando desesperada. Para dizer a verdade, o meu coração ainda não se recompôs da última pancada. Ainda tenho de lhe fazer curativos dia sim, dia não. Acho apenas que é um desperdício. É um desperdício de boas intenções eu estar sozinha.
Sou extremamente fiel. Especialmente aos meus sentimentos. Mesmo que eu queira, os sacaninhas não me deixam ir contra a sua vontade.

Aviso à embarcação

Hoje não vou falar do meu lado bom, das minhas virtudes. Vou-te antes falar do meu lado lunar . Aquele que nunca viste, mas que eu faço questão que conheças. Lacunas todos temos e sei exactamente quais são as minhas. Torno-me ciumenta mal apareça o mínimo sinal de que algo não está bem. Faço birras só para ver quanto posso abusar. Não, não sou psicopata. "Apenas" desconfiada. Quando me chateio torno-me um bocado agressiva e sou mal educada palavra sim, palavra não. Digo palavrões. Aliás, palavrões eu digo muitas vezes, não é preciso estar chateada. Ando a melhorar. Já consigo deixar de gritar após o ataque de raiva inicial. Exijo tudo aquilo a que tenho direito (e até aquilo a que não tenho direito). Não acho piadinha a amizades demasiado íntimas. Nenhuma mesmo. Já sei que cada um tem o seu espaço, que as amizades não devem interferir com as relações, blá blá blá. Eu sei. A teoria eu sei, o pior é a prática. Insegura? Sim, sou. Adenda 1: Agora para terminar com uma idei

Abraços

As mãos que afagam as costas, o queixo que pousa no ombro. O aperto de corpo contra corpo. O aconchego, o calor. Abraços de gratidão. Um "obrigado" dito sem necessidade de abrir a boca. Abraços de emoção. O contentamento, a partilha de alegria. Abraços de tristeza. Os ombros caídos, as lágrimas que se soltam. Estes abraços precisam-se apertados. O apoio contido, o "estou aqui". Abraços de amor. Os arrepios pela coluna. As palavras sussurradas ao ouvido, os toques subtis. Abraços. Provavelmente a forma de mostrar afecto que mais me comove. Não tenho jeito para os dar. Não tenho jeito para chegar e amarrar-me a toda a gente. Acho que é defeito meu, custa-me mostrar afecto a quem mais amo. Quando recebo um, sem estar à espera, fico com aquele jeito meio incomodado e dou umas palmadinhas secas nas costas, no jeito "pronto, já chega...". Mas hoje queria um. Apetece-me um daqueles onde nos sentimos protegidos. Aqueles braços que me acarinham, que me fa

Luciana: Moura dos Santos "tem falta de cultura musical"

'Luciana Abreu, que ficou conhecida pela sua participação na segunda edição do programa "Ídolos", declarou ao jornal 24Horas que o jurado Manuel Moura dos Santos é "grosseiro" e "tem falta de cultura musical". "O melhor é não lhe dar ouvidos." Quem o diz é Luciana Abreu, ex-concorrente do "Ídolos", que critica, na edição de hoje do jornal 24Horas, o jurado do programa de caça-talentos da SIC. Para Luciana Abreu, Manuel Moura dos Santos "às vezes é muito injusto e revela falta de cultura musical, como diz o Luís Jardim, que tem toda a razão" DN Deixa-me rir. Gente que tem a mania de meter a foice em seara alheia causa-me espécie. Especialmente se for a Floribella. Falta de vergonha na cara. Não me interessa se o Manuel tem sido grosseiro (eu acho-o um espectáculo). A menina devia ter vergonha. Que eu saiba, ele fez parte do jurado que votou nela para entrar no Ídolos. Cuspir no prato onde se comeu. Nota: Agora até sob
Posso dizer que estou a gostar muito de falar contigo? Sem segundas intenções, sem filmes, sem paixonetas tontas. Descoberta diária (ou quase...) , calma, suave. Estou a adorar...

Vícios (dos bons)

As mulheres têm sempre uma panca. Umas gostam de sapatos, algumas deliram com cintos, outras adoram tudo o que seja adereço, lenços, cachecóis, boinas e afins. Eu sou mais bolsas. Malas, para os do sul. Existem as bolsas de pêlo, apropriadas para o Inverno, as de pano para a Primavera e aquelas muito levezinhas para usar no Verão. Tenho uma colecção considerável. No caso das bolsas, sou apologista do quanto mais melhor. Não me interessa que sejam boas, até porque me canso delas facilmente. Prefiro ter várias, ainda que compradas na Parfois e na Misako. Algumas mulheres optam por comprar uma boa bolsa e andam sempre com a mesma (q uerida Elite , acompanhei o teu martírio na busca pela bolsa ideal). Eu prefiro ter várias. Mudo de bolsa quase todos os dias, de acordo com a roupa que escolho. Não, não faço pendant entre a roupa e a bolsa... Mas gosto de adequar a bolsa à indumentária, por assim dizer. No Inverno admito que me dá para a preguiça. Prefiro uma bolsa grande, onde caiba

Brasileiros denunciam: ONU no Haiti está a ajudar os ricos

" Segundo investigadores brasileiros no Haiti, a capital Port-au-Prince está caótica e os haitianos foram abandonados pela missão da ONU naquele país, a Minustah, que terá dado prioridade ao resgate de "ricos hóspedes estrangeiros" que estavam nos "hotéis de luxo" da cidade. O blogue dos investigadores da Unicamp no Haiti (Universidade Estadual de Campinas, Brasil) denunciou na terça-feira o abandono da população daquele país depois do sismo de grande intensidade que assolou a capital, Port-au-Prince, no passado dia 12, segunda-feira. De acordo com o relato de Otávio Calegari Jorge, um dos autores do blogue, "o povo haitiano está se perguntando mais do que nunca: onde está a Minustah [Missão da ONU no Haiti] quando precisamos dela?" Otávio é categórico: "Posso responder a essa pergunta: a Minustah está removendo os escombros dos hotéis de luxo onde se hospedavam ricos hóspedes estrangeiros." DN Tsc tsc tsc... Assim se deita a credibilidade

Estes dois caraças...

Comecei por ter pena deles por verem a filha ser roubada. Voltei a ter pena deles por achar que tinham morto a filha sem querer. Agora já me irritam. Estes dois raios não têm mais nada que fazer ao dinheiro que receberam? Como por exemplo... Procurar a filha? Deixem o homem em paz. Já o fizeram perder o emprego. Já lhe arrestaram todos os bens. Que mais querem? "O casal McCann vai interpor uma acção criminal contra Gonçalo Amaral por alegada violação do segredo de justiça na reprodução de factos da investigação no livro "Maddie - A Verdade da Mentira" antes do despacho de arquivamento. Isabel Duarte, advogada do casal McCann, disse hoje que a acção de Kate e Gerry McCann será colocada "na próxima semana", após extracção de certidão do julgamento de proibição do livro do ex-inspector da Polícia Judiciária (PJ), a decorrer no Palácio da Justiça, em Lisboa." JN
Já dizia o outro... Que uma mentira suficientemente repetida torna-se verdade. Quando tiver umas horinhas vagas, vou repetir a mim mesma que não te acho piada.

Bastante mais de 100 mil mortos

O mundo é mesmo injusto. Parece que quando mais pobre e problemático um país é, mais tragédias vive. Não quero com isto dizer que as tragédias devessem acontecer nos países ricos... Mas tanto azar para um só povo é de lastimar. Não conheço bem a história do Haiti, mas sei que é habitado por uma maioria de ascendência africana. Mas não é um país rico nem desenvolvido. É um país que teve vários problemas... Agora sofre mais um. Acho um injustiça tremenda que as regiões mais pobres pareçam ser aquelas que mais vezes têm de enfrentar tragédias destas. Nenhum país merece... Mas há países que não têm mesmo sorte. " O primeiro-ministro do Haiti, Jean-Max Bellerive, disse à cadeia de televisão norte-americana CNN temer que o forte sismo que atingiu terça-feira o seu país possa ter provocado "bastante mais de 100 mil mortos". Segundo a Federação Internacional da Cruz Vermelha, o sismo afectou três milhões de pessoas. " JN
Mas que raio...? Assumo-me limitada no que toca aos números. É de mim, ou isto não faz sentido nenhum? É de mim.

Monstro das bolachas (ou dos chocolates, ou dos gelados...)

Apetece-me qualquer coisa de doce. Neste momento apetece-me mesmo algo de bom. Um chocolate, Toblerone de preferência. Ou então um Twix (um é pouco, eram logo dois ou três!) . Se calhar preferia um Magnum de amêndoas ou um Magnum branco. Um bolo de chocolate, daqueles fofinhos com creme no meio. E que tal um balde de pipocas de cinema, daquelas docinhas? Porra, sofro de ataques de gulodice e não tenho nada de jeito em casa. Nada mesmo. Estou a roer bolachas de água e sal, só para enganar a vontade. Podia alegar que é da TPM, mas não estou nessa altura do mês. Posso sempre alegar que é do desgosto amoroso, mas esse já dura há muito tempo. Nada de novo, portanto. Digam-me que não sou a única pessoa a sofrer de ataques destes...
I still believe that good things can happen. Gosto da minha colega, que não se importa nada de estudar estatística comigo apesar de eu só atrapalhar. Ela sabe quase tudo, eu não sei quase nada. Acredito na minha família, que arranja sempre uma maneira de me mostrar quão sortuda sou por ter crescido com as pessoas que cresci. Gosto de andar a passear com a minha irmã. Depois de 21 anos juntas, temos sempre tema de conversa. Essa intimidade é das melhores coisas do mundo. Acredito no Amor. Acredito nas pessoas especiais. Acredito nas pessoas que nos fazem sentir especiais. Acredito nas coisas boas, nas surpresas, naquelas pequenas coisas que nos deixam a sorrir, mesmo que pareçam insignificantes.
"Quem nos deu asas para andar de rastos? Quem nos deu olhos para ver os astros - Sem nos dar braços para os alcançar?!.." Florbela Espanca

Quando elas não conseguem

Das reportagens mais interessantes que li nos últimos tempos. É grande, mas vale muito a pena. Sexo: Quando elas não conseguem "Nem todas as mulheres têm desejo, excitação, penetração e orgasmo. Mas há quem leve anos a pedir ajuda. As causas podem ir dos traumas psicológicos mais complicados ao simples uso da pílula. Ainda ele só se estava a aproximar e eu já sentia dor. As minhas pernas fechavam-se como uma tesoura. "O cenário dramático" repetiu-se durante mais de doze anos sempre que Rita tentava ter relações sexuais. Agora, com 34 anos conseguiu, pela primeira vez, ir até ao fim na penetração vaginal. O prazer, esse "há-de chegar" com o tempo: "Nunca um corpo estranho tinha entrado no meu, ainda me estou a habituar." Pôr um tampão ou fazer um exame ginecológico pode ser uma 'tortura' para mulheres que sofrem do mesmo problema de Rita: o vaginismo. Embora não seja a mais comum, a contracção involuntária dos músculos da vagina pertence a

Caiu neve sim!

Foi pouca, muito pouca. Quase nenhuma. Mas serviu de consolo. Nove da matina, a caminho do trabalho, a ouvir o John Mayer. Nevou no Porto , sim! Flocos minúsculos, mas conseguiram pincelar suavemente o meu casaco de branco. Parecia uma criança. Apeteceu-me chorar. De contente.

Os homens

" Os homens não se exprimem como nós, e as mulheres têm de ser mais seguras e não tão dependentes do que eles dizem. Um homem que nunca me disse ‘Amo-te' mas vai comigo para o Aki e põe-me calhas nos fios e ajuda-me a montar o computador, está a dizer ‘amo-te' à maneira dele. Mais vale um bricoleur dedicado do que pares de patins alternados com ramos de flores. " Margarida Rebelo Pinto em entrevista à Activa. Das coisas mais verdadeiras que li nos últimos tempos. Nota: Nunca li nenhum livro da senhora. Simpatizo com ela, mas não posso dizer que sou sua fã. Este excerto faz parte de uma entrevista.

Capacidade de perdoar

Perdoo demasiado. Sempre achei que era uma pessoa de personalidade forte - e continuo a achá-lo - mas tenho-me apercebido, com o passar dos anos, que talvez perdoe demasiado. Acho que isso se deve ao facto de gostar também demasiado. Quando gosto, tento-te centrar nas coisas boas das pessoas. Tento lembrar-me das suas qualidades e, de algum modo, esquecer os defeitos. Não acho que isso faça de mim uma pessoa estúpida. Acho que isso faz de mim, provavelmente, uma pessoa com grande capacidade de perdoar. Isso não é bom. Não é nada bom. Já se sabe que quem tem coragem de nos magoar uma vez, sem se importar com a dor que nos é infligida, provavelmente voltará a fazê-lo. Se notar que não "nos importamos" e que perdoamos sempre, vai usar e abusar. Tenho medo disso.
Não gosto que me surpreendam para logo de seguida me desiludirem.

Vira o disco e toca o mesmo

Sei que me queixo muitas vezes do Amor (ou falta dele) mas sou daquelas pessoas muito positivas. Tenho dias maus, claro. Há dias em que me custa esboçar um sorriso, por mínimo que seja. Há dias em que me sinto a maior infeliz entre as infelizes. Há dias em que prometo a mim mesma fechar o coração ao Amor... Mas passa-me. Passa-me no exacto momento em que volto a sentir alguma coisa de especial. Pode até não dar em nada, mas o prazer daquela sensação ninguém mo tira. Sou daquelas pessoas que gosta logo. Ou gosto logo ou nunca vou gostar. As pessoas que me marcaram, até hoje, foram pessoas que me cativaram desde o primeiro instante. Acredito que o Amor pode surgir mesmo ao virar da esquina. Acredito que nos possa arrebatar por completo de um momento para o outro. Acredito nas pessoas especiais - aquelas que nos fazem logo sentir um friozinho na barriga. Inexplicável. Ainda bem. O Amor não é para ser explicado. É para ser sentido.
Está frio. Ao final da tarde caminhava pela cidade. Tocava isto. "Kiss me, oh kiss me, If that can make it right. Try me, find me, Just throw them on me… Those failed expectations… Floods and afflictions you’re through. Cause I just might, take them home with me..."

Seropositivos passam a poder entrar nos Estados Unidos

" Os Estados Unidos levantaram hoje a proibição de entrada no país de estrangeiros infectados com o vírus da sida, há 22 anos em vigor, de acordo com o departamento de Estado norte-americano. A medida foi anunciada em Outubro passado pelo Presidente Barack Obama, mas só hoje entrou em vigor e foi divulgada no sítio electrónico do Departamento de Estado norte-americano. A figura de infectado com VIH já não figura na lista de doenças obrigatórias a declarar ao Governo norte-americano, quando de um pedido de visto de entrada nos Estados Unidos, e também não será objecto de testes médicos antes de viajar para aquele país, de acordo com o regulamento aprovado a 2 de Novembro passado. Até hoje, os seropositivos necessitavam de uma autorização especial do departamento governamental de saúde para entrar em território norte-americano. Proibição em uma dezena de países O Presidente Barack Obama afirmou anteriormente que se os Estados Unidos pretendem ser "líder glob
Se alguém me souber dizer porque raio acordei com os olhos a parecerem duas batatas, agradecia. Estão inchados e doem. Tenho de estudar. Raios.

1 ano de Pequenas Coisas

Parece que o blogue faz hoje um ano. "As minhas pequenas coisas" serviu para partilhar, com quem quis ler, as pequenas e as grandes coisas que constituem a minha vida. Umas interessantes, outras nem por isso. Serviu para desabafar, para resmungar, para exprimir o que me vai na alma. Para dizer mil e quinhentas vezes que gosto de alguém que não gosta de mim. C'est la vie. Deixou de ser um blogue e passou a ser um ponto de encontro. Serviu para conhecer pessoas. Fiz amigos. Conheci pessoas que me marcaram. Obrigada a quem me lê. A quem comenta, a quem não comenta, a quem elogia, a quem critica, a quem não diz coisa nenhuma mas que eu sei que lê. Tanto que mudou num ano... Foi, sem a mínima dúvida, o ano mais intenso que já tive. Obrigada. :)

Desejos de ano novo

Ontem à noite, comi 12 as passas e pedi alguns desejos para o novo ano. Não foram 12, porque não tive tempo de pensar em todos enquanto soavam as 12 badaladas. Fica a lista completa, depois de alguns minutos a pensar no assunto: - Ver a minha família feliz; - Saúde para todos; - Que o mundo se torne um lugar melhor; - Fazer o meu mestrado com jeitinho; - Equilibrar as finanças; - Ser uma pessoa melhor. Dedicar-me ao voluntariado. Já ando a dizer que o vou fazer há muito tempo; - Ser mais sociável. Sair do casulo; - Conseguir um emprego na minha área; - Ajudar a mãe; - Fazer uma viagem daquelas de sonho. Londres está no topo das preferências; - Fortalecer os laços com os meus amigos; Falta um. O óbvio. O primeiro em que pensei mal soou a meia-noite. Aquele que me fez ficar longos minutos a olhar para o fogo de artifício, no meu cantinho, num momento só meu. Ele.