segunda-feira, 16 de julho de 2012

Dos animais e da revolta


Eu era fã da Irlanda do Norte. Apesar de nunca lá ter ido, era fã da ilha, da história marcante, dos castelos. Até que hoje fiquei a saber que na Irlanda do Norte têm uma lei que basicamente dita o abate dos cães de raças potencialmente perigosas. Assim, sem mais nem menos. Os cães podem nunca ter mostrado os dentes a absolutamente ninguém, mas se tiveram o azar de ter nascido na pele (e no pêlo) de uma raça dita perigosa, são abatidos. Assim. Apenas assim, sem mais nem menos.

E tudo isto por causa do Lennox. O Lennox era (sim, era, foi assassinado... ou como eles preferem dizer, adormecido) no dia 11 de Julho. Era um cão cruzado de labrador com bulldog. Um cão perfeitamente integrado numa família que o amava. No entanto, por ter nascido naquele pêlo, foi retirado à família em Maio de 2010. Depois de dois anos a definhar no canil de Belfast, capital da Irlanda do Norte, foi eutanasiado. Nas últimas semanas as petições contra o abate do pobre bicho foram às centenas, mas de nada lhe valeu.

O César Milan, que conhecemos do programa "Encantador de cães" divulgou a causa. Manifestações aconteceram aos magotes em Belfast. Acenderam-se velas. Pediu-se clemência. A família apresentou pedidos atrás de pedidos. Havia a possibilidade de o cão, de 7 anos, sair da Irlanda, para que não fosse abatido... pura e simplesmente não quiseram saber. Segundo a lei de lá, até é proibido ter cães que sejam parecidos com os tais cães de raça potencialmente perigosa... era o caso do Lennox, que se parecia com um pitbull. Segundo a mesma lei, o animal só pode ser salvo da execução caso seja comprovado que o "cão não trará risco para a população". Porém, desde a aprovação da lei em 1997, apenas um animal conseguiu ser "perdoado" e salvo da morte.

Agora, os defensores dos direitos dos animais estão a avançar com uma espécie de boicote económico contra a Irlanda do Norte, para que deixe de ser retrógrada e de tratar assim os animais. Eu apoio.


Mais para ler, aqui.

49 comentários:

  1. Não consigo perceber este tipo de crueldade =(

    ResponderEliminar
  2. Eu estou chocada! Em Portugal ainda temos touradas mas, POR ENQUANTO, ainda podemos ter cães (e gatos) de todas as raças!

    E o Mr. All-Causes (aka Bono Vox) não se manifestou? Ou ele é "mais pessoas"?

    ResponderEliminar
  3. Podes achar rídiculo...não sabia...mas apetece-me chorar por tamanha crueldade!

    ResponderEliminar
  4. E ainda dizem que nós somos o animal superior.

    ResponderEliminar
  5. Deus que desterrou essa gente para uma ilha, algum defeito lhe encontrou. xD

    ResponderEliminar
  6. Filhos da PIIIIIIII é a unic coisa que consigo dizer.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. Completamente ridículo. Aliás, parece uma lei saída dos tempos medievais, de resto à imagem da implantada pelo governo ucraniano que levou a cabo um assassínio em massa de cães vadios para "limpar as ruas" para o Euro. E o pior é que não eram eutanasiados com injecções nem líquidos, mas sim mortos com armas de fogo, enforcados ou anestesiados e atirados para um camião crematório que circulava pelas ruas. Parece um filme, mas foi realidade. Infelizmente.

    ResponderEliminar
  9. Quando leio essas coisas lembro-me sempre da minha rosinha :)

    ResponderEliminar
  10. Sim, isso acontece por lá e é horrivel. Se bem que eu acho que todo o qualquer cão deve andar na rua com as medidas minimas de segurança para quem também circula na rua seja de raça perigosa ou não.

    P.S. A Irlanda do Norte não é independente, pertence ao Reino Unido.

    ResponderEliminar
  11. Este tipo de coisas deixa-me doente, a sério...
    Eu tenho a opinião vincada de que um povo que não respeita os seus animais, nunca poderá respeitar-se a si próprio.

    **

    ResponderEliminar
  12. E eu também!
    A culpa é de alguns donos que fazem desses cães, cães maus!
    Um cão nunca é mau por natureza. Os donos sim.
    Para mim devia era de haver uma lei que obrigasse toda a gente que quissesse ter um animal a dar provas de bondade e boa formação.
    Nem toda a gente é digna de ter um animal.
    Desculpem-me se vou contra a opinião de alguém, mas esta é a minha!

    ResponderEliminar
  13. que lei tao absurda! em vez de probirem quem treina os animais para serem violentos e andarem nos combates culpazibilizam os pobres animais, nao faz sentido nenhum! alem disso os pitbulls podem ser excelentes caes de familia :)

    ResponderEliminar
  14. tadinho do animal, há pessoas mesmo cruéis -.-

    ResponderEliminar
  15. Eu já sabia dessa historia...Partiu-me o coração =/

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  16. Luna e Cor do Sol, eu sei que a Irlanda do Norte pertence ao Reino Unido. Expressei-me mal, com "independente" referia-me à divisão entre República da Irlanda e Irlanda do Norte. :) mas mantenho assim, que suponho que isso não seja relevante para o caso. Agradeço também a "correcção", embora estivesse a par da mesma. :)

    ResponderEliminar
  17. Que horror...e que lei mais ridicula!

    ResponderEliminar
  18. S*, não é indiferente, porque não sendo independente, não sei até que ponto a lei é só da Irlanda do Norte ou comum a todo o reino unido (nao sei mesmo, é questão de investigares).

    ResponderEliminar
  19. Desconhecia por completo essa lei, parece-me mesmo ridícula :(

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  20. ... que tristeza, não fazia ideia...!

    ResponderEliminar
  21. Luna, estive a ler e graças a Deus, parece que é exclusiva da Irlanda do norte...

    ResponderEliminar
  22. A culpa nunca é dos donos e sim dos animais!
    Há carradas de anos que se defende essa teoria mas pelos vistos de nada tem servido. Teimam em culpar or bichos que não têm culpa nenhuma de nascer numa raça considerada perigosa.
    Ainda tou para saber o que é considerado perigoso, sim porque se algumas raças humanas começarem a ser consideradas perigosas, também matarão os filhos à nascença?
    Metem-me nojo...

    ResponderEliminar
  23. Que crueldade, meu Deus. Como é que alguém é capaz de criar esta lei e ainda acreditar que esta seja a mais acertada. Os animais só se tornam perigosos se assim os donos os deixarem e não interessa a raça deles para matarem caso sejam treinados para isso. Em vez de matar os animais, deviam antes punir todos os humanos que os maltratam e criar direitos aos animais em vez de leis estúpidas que os condenam à morte sem nunca terem feito nada de mal

    ResponderEliminar
  24. Runaway, gostaria que tivesse mais cuidado com o seu comentário, sou flha de uma irlandesa e, como tal, gostaria que não nos metesse todos no mesmo saco. Isso não acontece em toda a Irlanda, no youtube um casal irlandês mostra nos seus vídeos os seus cães, que são vítimas de negligência (não são passeados, limpos, penteados, fazem as suas necessidades em casa, etc) além de já ter visto os ditos animais a morderem e rosnarem a crianças, e mesmo depois de várias denúncias, nada lhes aconteceu.

    ResponderEliminar
  25. Fogo... já o meu tio tem um pitt bull e é obrigado a mantê-lo SEMPRE com açaime porque são considerados perigosos. O bicho está gordo e o açaime às vezes prejudica-lhe a respiração mas enfim... sem açaime o meu tio pode ser multado. E o animal é um mimoso de primeira.

    ResponderEliminar
  26. Credo não entendo essas mentalidades..
    Pinta

    ResponderEliminar
  27. Eu também acho que não é indiferente, porque a Irlanda do Norte e a Republica são duas coisas completamente diferentes e o que se vive na Irlanda do Norte ainda não tem nada na história que seja de admirar. Ainda bem que estás a par, devo confessar que achei confusa a primeira parte e não sendo esse o assunto mais importante acho que não há mal nenhhum na correcção desse facto. Seria o mesmo que chamar Portugal à Espanha e confundir toda a história :).

    P.S. É como pensar, por exemplo, que o Bono Vox é de lá quando é da Républica.Este teria algo a dizer em qualquer País e não tendo que o fazer só por estar a acontecer no País ao lado.

    ResponderEliminar
  28. Cor do Sol, peço desculpa, eu sou uma pessoa que acha intrigante e estimulante o início do nacionalismo irlandês, que foi precisamente na Irlanda do Norte. Do irlandês e de todos os outros. E o facto de hoje em dia, se não estou novamente a errar, a Irlanda do Norte ser um país com diversas comunidades, eh pah, eu acho "giro".

    Mas bom, lá desses assuntos tu percebes mais do que eu. :)

    ResponderEliminar
  29. Crueldade Humana e infelizmente a lei foi impune e nem associações e petições de todo o mundo conseguiram salvar este lindo Amigo, já conhecia a historia e acompanhei algumas desenvolvimentos e fiquei triste pela vida deste amigo não ter sido salva.
    Paises e mentalidades que nao entendo.

    Bjstos

    ResponderEliminar
  30. Olá!
    Sou leitora assídua do blog, mas nunca comentei. Hoje, não consegui resistir. Eu própria já falei sobre este assunto.
    Gostava apenas de te mostrar (talvez já tenhas visto) que um dia antes da morte do Lennox, morreu aos cuidados da União Zoolófila uma cadela pit-bull, que foi encontrada a vaguear por Lisboa, completamente desidratada, subnutrida e "desfigurada" (https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151904819670311&set=a.186906195310.245312.157983395310&type=3&theater). As fotos podem ser chocantes. Achei importante relembrar que em Portugal não retiramos Lennoxs às famílias para os matar, mas ainda permitimos que coisas destas aconteçam no nosso país sem qualquer tipo de fiscalização/lei.
    Eu não acredito em raças perigosas, para mim o maior perigo do mundo é o próprio ser humano. Os animais são apenas o reflexo daquilo que a vida/Homem faz deles. Se a vida/Homem os tratar mal, é normal que eles se tornem agressivos. Uma criança se não receber amor e for maltrata em casa, também tem grandes probabilidades de se tornar um perigo público em adulta. É só a minha opinião.

    =)

    ResponderEliminar
  31. Quando oiço alguém a falar nas ditas raças perigosas, a minha opinião é só uma... Não são os cães que são perigosos, mas sim os donos deles, se o cão das ditas raças perigosas for bem tratado, não for incentivado a morder nem a atacar ninguém ele torna-se um cão dócil e sociável, e o mesmo se aplica às raças que não são apelidadas de perigosas, se eu treinar um cão para lutar, atacar, morder, é óbvio que é isso que ele vai fazer... A culpa é dos donos...

    ResponderEliminar
  32. Luna, lamenta-se mas escusas de ser irónica. Assumi perfeitamente, há uns bons comentários atrás, que não percebo assim tanto da história da Irlanda do Norte, pelo que o IRA ou coisas vergonhosas do género são desconhecidas para mim. Coloquei o giríssimo entre aspas, penso que se percebeu que significava algo do género "interessante".

    ResponderEliminar
  33. S*,

    basta uma pequena ida à wikipedia para tentar perceber melhor do que se está a falar, antes de dizer que se acha tudo muito giro, ou barbaridades como "foi na irlanda do norte que nasceu o movimento de independência", quando a Irlanda do Norte corresponde exactamente à província da Irlanda que não quis independência e preferiu continuar anexada ao reino unido por ter maioria (por pouco) protestante.

    Vi que entretanto mudaste o texto, mas a persistência na ignorância anterior, despachando as duas correcções com um "não é relevante" e com achar tudo "muito giro" irritou-me.

    Não há mal em não saber (eu própria sei pouco da história da Irlanda), mas persistir no erro quando a Cor do Sol sem ironia te deu uma explicação, mencionando que a história da Irlanda do Norte tem pouco de admirável, sim.

    Se realmente tiveres curiosidade de aprender mais sobre a história da independência da Irlanda (a República), recomendo-te o filme Michael Collins.

    ResponderEliminar
  34. Luna, deixa-me dizer-te que te irritas com pouco. :)

    Aconselho-te a leres novamente o que escrevi porque, não sendo eu sábia, também não estou croca. Eu NÃO DISSE que foi na irlanda do norte que nasceu o movimento de independência. Eu disse "eu sou uma pessoa que acha intrigante e estimulante o início do nacionalismo irlandês, que foi precisamente na Irlanda do Norte". Tal como me disseste, fui à wikipedia, e lá diz:

    "A área agora conhecida como Irlanda do Norte teve uma história complexa. Foi a pedra fundamental do nacionalismo irlandês na era das ocupações da rainha Isabel I e de Jaime I em outras partes da Irlanda". Vai daí, barbaridades, lamento, eu não disse. Ou então vai dizer à wikipedia que também escreveu barbaridades (apesar de não ser uma fonte fidedigna, acho que ninguém ia inventar estas coisas).

    E não despachei as correcções, de forma alguma. Disse e repeti que eram de louvar e que as aceitava plenamente. Mas são IRRELEVANTES - repito - para a história do Lennox, o cão, que foi o motivo deste post.

    ResponderEliminar
  35. Quanto ao resto, Luna, lamento mas não posso concordar com o facto de dizeres que disse "barbaridades" e que gostei de persistir no erro. Não era esse o objectivo do texto, ser na Irlanda ou na China é irrelevante, a questão aqui são os direitos animais. E ninguém é obrigado a saber de tudo, não tenho essa pretensão, tanto a ti como à Cor do Sol agradeci as correcções. Se ler os meus comentários te irrita, é porque te apetece.

    ResponderEliminar
  36. S*,

    "Expressei-me mal, com "independente" referia-me à divisão entre República da Irlanda e Irlanda do Norte. :) mas mantenho assim, que suponho que isso não seja relevante para o caso."

    Embora mais tarde tenhas mudado, eu considero este "mantenho assim porque é irrelevante" persistir num erro. E como expliquei e a Cor do Sol, não é irrelevante, visto a Irlanda do Norte fazer parte de um outro estado soberano.

    ResponderEliminar
  37. Luna, e a Irlanda do Norte não é independente da República da Irlanda? Independente no sentido de "são coisas diferentes"? É. Já sei, como sempre soube, e lamento se não soube escrevê-lo, que a Irlanda do Norte não é soberana, pertencendo ao Reino Unido.

    Bom, para mim é irrelevante porque, pelos vistos (e digo pelos vistos porque eu não sei se assim é), a Irlanda do Norte, mesmo sendo do Reino Unido, tem leis SUAS. Que eu saiba, o resto do Reino Unido - graças a Deus - não tem esta lei horrorosa no que diz respeito aos animais. Aliás, até ontem nem sabia que tal coisa existia.

    E já disse, mas repito, quando refiro "mantenho assim porque é irrelevante" a ideia não é insistir no erro... a ideia são os ANIMAIS. E aqui não me interessa, por mais que isso te faça impressão (legitimamente, porque conheces a história e eu não), se a Irlanda do Norte é do Reino Unido, se é independente e soberana, se é comunista, social-democrata ou socialista... para mim o que importa é a existência de uma lei absurda, indigna e desumana.

    ResponderEliminar
  38. S*

    sim, de facto a irlanda do norte é distinta da república da irlanda, mas o concento "independente" não se aplica a ela, uma vez que, ao contrário da república da Irlanda, que se tornou ela sim independente, a Irlanda do Norte preferiu continuar dependente, isto é, anexada ao reino unido. Ou seja, a Irlanda do Norte não se tornou independente da República da Irlanda, a República da Irlanda tornou-se independente do Reino Unido, ao qual a Irlanda do Norte preferiu continuar anexada.

    A irlanda do norte tem autonomia (assim tipo a Madeira) e leis próprias, de facto, pelo que esta lei lhe pode ser exclusiva. No entanto, não sei se estás a par, mas o reino unido tinha até este ano leis muitíssimo rigorosas no que respeita à entrada de animais no território, submetendo os bichos a longas quarentenas, e não permitindo mesmo a entrada de alguns bichos.

    De resto, informação errada é sempre coisa que me faz comichão e nunca a acho irrelevante. Porque para mim faz diferença dizer que algo se passa na Irlanda do Norte ou na China.

    ResponderEliminar
  39. Luna, pronto, pronto, vou ter de respeitar as tuas comichões. :) Infelizmente sim, sei que o Reino Unido submete os animais a quarentenas absolutamente injustificadas - no meu entender. Análises obrigatórias, antes de embarcar, deveriam resolver de forma simples o "problema". Há dificuldades que nunca vou entender, numa Europa que se diz unida.

    ResponderEliminar
  40. Não sabia disto! Que choque. É muito triste. :(

    ResponderEliminar
  41. Fiquei bastante emocionada ao ler este post, não conhecia essa lei, são mesmo uns retrógados, não têm coração, pobres animais que não têm culpa de nada! Eu nem consigo imaginar tirarem-me os meus cães, e pensar que iam eutanasiá-los... ficava para morrer!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  42. Bem, não sabia que ia aqui este debate de opiniões mas devo confessar que concordo com tudo o que a Luna diz. De resto, se só querias que se comentasse o assunto do cão referias apenas esse assunto e o sitio onde acontecia. Não leves tudo como um ataque e podes levar as correcções com mais leveza, afinal és uma jornalista. Muitas vezes tenho a ideia que é isso que acontece, para além de muitas vezes generalizares e no a seguir escreveres que não gostas de generalizações.

    ResponderEliminar
  43. Cor do Sol, peço desculpa mas não acho que tenha sido minimamente desagradável ou quem quer que seja. As discussões são saudáveis e por variadas vezes, nos comentários, agradeci as correcções que me foram feitas.

    Não sei de onde tiraste essa ideia, mas respeito.

    ResponderEliminar
  44. S*,
    acho que nunca ninguém te viu ser desagradável com quem quer que fosse ever, mas no entanto, acho que o que a Cor do Sol quer dizer, é que demonstraste imensa resistência às nossas correcções, insistindo no erro, quando teria sido bem mais gracioso dizer "sim, enganei-me, vou corrigir". Não é vergonha para ninguém cometer erros, já insistir neles por orgulho e nao querer admitir um engano, que o foi, dá ideia que não se leva as correcçoes a bem. E tal como a Cor do Sol, eu também senti isso.

    ResponderEliminar
  45. Luna, acredita que não era de todo essa intenção e peço desculpa se transmiti essa ideia às duas. :)

    Eu entendo que para quem realmente percebe da história da Irlanda possa dar essa ideia, mas para mim o post era sobre o cão... daí ter desvalorizado (admito que o fiz e peço desculpa) essas questões, digamos... históricas. :)

    Mas pronto, está corrigido, espero que não levem a mal, e até saio mais esperta e enriquecida com este post - ao menos sei a diferença certa entre Irlanda do Norte e República da Irlanda. :D

    ResponderEliminar
  46. Mas lá está, apesar da história ser sobre o cao, não é indiferente onde se passou.

    É diferente ser na China (onde direitos dos animais nao existem praticamente) ou num país da comunidade europeia, onde a opinião pública tem peso e poder para mudar leis. Não é indiferente onde se passa, e contexto político, pq o nosso poder para o mudar é diferente em cada contexto.

    ResponderEliminar
  47. Luna, nisso tens toda a razão. Esperemos que a pressão das pessoas, da comunicação social e tudo mais, sirva para que Belfast pense sequer em acabar com esta lei ridícula. :)

    ResponderEliminar