Avançar para o conteúdo principal

Odiozinho de estimação


Refeições com serviço volante.

Não consigo entender o conceito de almoço/jantar volante, com a malta a comer de pé, prato na mão e copo preso por "presilhas" de plástico. 

A quem é que aquilo dá jeito? Não consegues usar os dois talheres ao mesmo tempo. Para pegares no copo, tens de fazer ginástica com os talheres. Usar o guardanapo é o verdadeiro desafio!

Também não é bom para a socialização... A malta a comer de pé, de casaco vestido, mulheres com as malas ao ombro ou a tiracolo... sacas e mochilas no chão... Quem é que se consegue sentir confortável?

Ainda por cima, acho bastante incómodo estar a comer e a "conversar" com pessoas com quem não se tem confiança - geralmente, as refeições volantes são em trabalho, em seminários, palestras, congressos, encontros de negócios.

Já sei que a ideia é ser rápido e eficaz, mas não consigo achar minimamente prático.

Nah. Não me convencem. É demasiado "relaxed" para o meu gosto. 

Comentários

  1. Também não gosto nada. é uma ginástica que se faz para se cordenar prato, copo, talheres e guardanapo.....

    ResponderEliminar
  2. Acho que o problema é na maior parte das vezes não saberem escolher que comida servir. Se é volante, a comida deve ser prática para se poder comer à mão, sem talheres ou no máximo com uma colher.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não era o caso. Estava tudo adequado, era tudo pequeno e sem exigir "corte" de faca. No entanto, para quem não está habituado, torna-se muito chato... noodles com apenas um talher? Arroz??

      Eliminar
    2. Quê? Noodles com apenas um talher? Nem te quero imaginar na Ásia a comer noodles apenas com pauzinhos. Em Italia come-se massa só de garfo, na asia só com pauzinhos e às vezes uma colher, mas tu não consegues comer com 1 talher?

      Eliminar
    3. Olhe a minha sorte... Não gosto de noodles nem pretendo comer de pauzinhos. E costumo usar os dois talheres e comer sentada à mesa, pelo que não domino a técnica de comer massa esparguete com uma colher. Se se sente confortável, excelente...

      Eliminar
    4. Sou a anónima inicial e não considero, de todo, que esparguete/noodles, seja uma comida adequada para almoço volante. Sandes, rissóis, folhados...Há tanto por onde escolher, para quê complicar?

      Eliminar
    5. Tb não aprecio mas o problema principal é mesmo a comida selecionada que deve ser comida passível de ser comida sem faca (tipicamente comida de tabuleiro). E a sala deve ter um espaço para que as pessoas possam pousar os seus pertences sem estarem a fazer equilibrismo :-) Quanto a conviver com os restantes... Chama-se networking e, apesar de custar um bocadinho, é a chave para o sucesso ;-)

      Eliminar
    6. Havia de tudo nos dois almoços volantes dos últimos dias... A comida era quase toda adequada. Eu é que não consigo mesmo achar graça ao conceito...

      Eliminar
  3. Acho também que é pouco prático, talvez tenha que se limitar de facto aquilo que se serve de modo a que seja mais fácil e rápido comer de pé e só com um talher, caso contrário, perde-se muito tempo em ginástica e deixa de fazer sentido o objectivo de ser um jantar/almoço rápido.

    ResponderEliminar
  4. Acho piada para petiscar entradas... se a comida não for adequada é um BIG NO!

    ResponderEliminar
  5. E aquela malta a respirar para cima da comida???

    ResponderEliminar
  6. Também não acho grande piada. Alias, amo comer mas não gosto de comer ao pé de pessoas com quem Não tenha grande confiança ahaha pode parecer parvo mas...

    ResponderEliminar
  7. Já comi algumas vezes em pé, em restaurantes e realmente não é nada prático, mas quando se tem pressa, nao ha muita escolha :)
    Aproveita aí, mas pira-te assim que possas ahahahahahah

    ResponderEliminar
  8. Eu nem o café bebo ao balcão! Sentadinha é que estou bem... :)

    ResponderEliminar
  9. Uii, como te entendo! Nunca percebi o conceito! Nunca consigo comer nada de jeito, porque, como dizes, não se consegue usar os talheres em condições. Para beber qualquer coisa, outro drama. Além de que se a pessoa pousa o copo um bocadinho, pimba, depois já não sabe qual deles é no meio de 100 copos todos iguais e passamos a noite a ir buscar copos.
    Nós, gajas, com os sacos aos ombros, ou começa a doer os ombros, ou a mala começa a escorrer pelo braço abaixo.
    A conversinha de treta, porque não temos à vontade para falar com ninguém, porque além de não conhecermos ninguém, é como dizer, não nos sentimos confortáveis ali.
    Tem tudo para correr mal. E corre, ahah. Alguém que me compreenda!

    ResponderEliminar
  10. Nisso estou contigo. Ou são croquetes ou esquece. É isso e buffets. Eu gosto é de estar sentada a comer!! Ahahaha

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.