Avançar para o conteúdo principal

Ainda há quem diga que os animais não têm sentimentos...

A imagem pode conter: cão e interiores

O meu cão está claramente amuado por ter de andar de funil. Pelo menos ao longo deste fim-de-semana, nos períodos de tempo em que o conseguimos vigiar menos (refeições, durante a noite...), vai ter de andar de acessório. Parece uma antena parabólica.

O desgraçado foi operado, ao fim de uns dias tirou o penso e logo arrancou os pontos, abrindo a cicatriz. Teve de voltar à veterinária e foi agrafado. Não satisfeito com a primeira asneira, comeu o penso aos pedaços e comeu um agrafo.

Agora cá está. Amuado, de funil, para deixar cicatrizar como deve ser.

Comentários

  1. São seres vivos, é claro que os animais têm sentimentos.
    Que recupere rápido.
    Bjs para todos.

    ResponderEliminar
  2. nao percebi. eu ao longo da vida com caes e gatos levaram sempre funil. porque é que a veterinaria nao o colocou logo de inicio? foi preciso ele fazer asneira duas (!!) vezes para o fazerem.
    estou a ajudar um gato vadio que vem ca à casa nova comer e quando ele ficou magoado de um ataque com outro gato levei ao veterinario e nao se pode colocar funil pois sendo vadio ia prejudica-lo com outros gatos e deixa-lo mais indefeso, e pronto, ele ta sempre a arranhar nas feridas. mas sendo um cao de casa devia ser sempre com funil. nao percebo a tua veterinaria.

    tive um cao que passou por 2 operações e andou cerca de 8 meses com funil. foi horrivel, ele odiava aquilo mas teve de ser para o salvarmos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que não percebi as conclusões que retirou de algo que eu não disse... o meu cão trouxe logo o funil para casa. Não precisou de qualquer funil na primeira semana... vai daí, quando foi tirar o penso, passados dias da operação, não me ocorreu colocar. Nem cinco minutos depois de chegar a casa, tinha comido os pontos. Teve de ser agrafado. Voltou a estar mais uma semana com penso, sem mexer... e no ÚLTIMO dia, em que ia tirar o penso e os agrafos, comeu o penso e um agrafo.

      Os animais são animais. Não pensam. Não ia ter o bicho em stress com o funil quando ele nem mexia no penso... mas, das duas vezes, foi 'rato' e enganou-me, Agora, olhe, sofre.

      Eliminar
    2. Aí S* desculpa mas acho que estás muito amarga. Não havia necessidade de responderes desta forma à pessoa. Fez uma observação com preocupação e partilhou uma situação por ela vivida.
      É uma altura stressante, mas pondera se não será melhor te afastares do blog por um tempo até estares menos chateada com tudo e todos...

      Eliminar
    3. Não sei como onde vi amargura no meu comentário. O leitor tirou uma conclusão errada e eu esclareci. A haver falha, foi minha. A pobre veterinária não tem culpa. Na verdade, não me parece culpa de ninguém... Azares...

      Nesta fase até me apetece bastante escrever. E pretendo fazer isso mesmo. :)

      Eliminar
    4. Então tenta fazê-lo com um melhor espírito! Aparentemente não é só com o marido que te estás a pegar. E não percebes isso...

      Eliminar
    5. S* já te disse o mesmo em outro post.
      E não sou o anónimo de cima mas concordo com o que foi dito.

      Eliminar
  3. Ó se têm!!

    O meu acabou com uns 5 funis, de diversos tamanhos e arranjou uma posição para conseguir chegar na mesma à pata.
    Tivemos de inventar uma proteção extra com um garrafão de água cortado e aquecido para as pontas não cortarem. Foi aprovado pela veterinária e tudo 😅

    Esta brincadeira custou-nos no total quase 1000€, meses de recuperação e um cão amuado connosco que já nem ao básico queria obedecer para nos castigar .

    Mas valeu a pena. Disseram que a pata nunca iria ficar totalmente boa e que ele, com 1 ano, provavelmente ficaria manco mas era certo que não saltaria mais com essa para.
    Como ele é teimoso que nem uma mula nada disso se verificou. Não só funciona na perfeição como quase salta o nosso muro de 2 metros 🙈🙈

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.