Avançar para o conteúdo principal

Humpf

As polémicas facebookianas e blogosféricas dão cabo de mim. 

Se eu já o fiz? Sim, já. Arrependo-me de ter criticado sem ter pensado melhor antes e creio que a idade me tornou mais ponderada.

Ou gozamos com o Gustavo Santos só porque ele agora está na onda do "Amo-me e não há amor maior do que o meu" ou entramos a pé juntos no responsável da Padaria Portuguesa. Um dia gozamos com a Pepa da mala, outro dia atiramos flechas à Pipoca - mesmo que obviamente ela não tenha percebido que estava a fazer um comentário superficial sobre uma menina doente. Também somos fortes na maneira maliciosa como distorcemos qualquer opinião que não encaixe exactamente na nossa - e esta é a parte que mais me cansa, ter de explicar uma ideia minha 1001 vezes, porque alguém insiste em deturpar aquilo que eu digo.

Somos tão fortes na indignação. Somos tão indignados nos teclados. É pena que não reparemos que temos telhados de vidro antes de atirarmos pedras ao ar.

Comentários

  1. Eu não diria melhor. É muito fácil criticar, principalmente nas redes sociais.

    ResponderEliminar
  2. Por essas e por outras é que raramente emito uma opinião no meu blogue. Guardo-as para mim e para as pessoas com quem me relaciono diretamente, com quem consigo ter conversas civilizadas!

    ResponderEliminar
  3. Verdade, devemos elogiar mais e criticar menos!

    ResponderEliminar
  4. Mas como eu concordo consigo!
    Ainda hoje estava a ir para casa na hora do almoço e ia a pensar com os meus botões, que nós parece que só vemos o que queremos ver. Que só aceitamos aquilo que está de acordo com as nossas ideias e opiniões. Fazemos logo o julgamento por ser diferente daquilo que pensamos. Até estava a pensar escrever sobre isso!

    https://jusajublog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Para muitos, interessa é falar mal. Como eu costumo dizer, eram óptimos para trabalhar na oposição, no parlamento :D

    ResponderEliminar
  6. Moralismos cibernéticos...É como dizes, todos temos telhados de vidro e às vezes é mais fácil criticar outras pessoas, situações ou realidades do que identificarmos os nossos problemas e próprias questões (apesar de todos termos direito a ter a nossa própria opinião).

    ResponderEliminar
  7. Como concordo...principalmente porque as pessoas não se metem no lugar do outro. É a tal coisa "não cuspas para o ar que te pode cair em cima". Acho que com a idade vamos apercebendo-nos disso...alguns pelo menos.
    Beijinhos*

    https://anitaon.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Eu fico verdadeiramente chocada porque, hoje em dia, tudo serve para fazer escandaleira e polémica. Nos últimos dias envolvi-me numas três discussões de ideias facebookianas e o pessoal é tão agressivo... quer implicar só por implicar. :( Triste.

    ResponderEliminar
  9. Concordo completamente... As pessoas só gostam é de comentar e muitas vezes sem pensar....

    ResponderEliminar
  10. Verdade S*! As redes sociais são um antro de ódio em potência... Há tempos tive um senhor - que não conheço de lado nenhum e com idade para ser meu pai (e ter juízo, portanto...) - a desejar-me coisas terríveis porque fiz um comentário, numa notícia no facebook sobre futebol, a concordar com o teor da dita...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu ontem ainda me ri com um perfeito idiota - a respeito de uma discussão irrelevante qualquer - a dizer-me "vai usar um dildo". ahahah

      Eliminar
  11. Estou contigo. Já aprendi a ignorar (não há estômago, tempo ou paciência para os juízes de Facebook em particular e da Internet em geral). Nem sequer dou muita importância, acho tolo só. :)

    ResponderEliminar
  12. Nem mais! O tempo de vida que se perde com estas coisas...

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.