domingo, 12 de abril de 2015

Rei e Mini-Rei


Os reis da minha vida. O meu Pirata e o meu sobrinho. O Pirata adora-o, cheira-o e lambe-o... até o maluco do Pi consegue perceber que ali está um ser frágil e não salta nem faz asneiras. Lindos!

27 comentários:

  1. Fofinhos : ) Os canitos são um máximo ao pé dos bebés : ) Que ternura! Beijinhos e bom Domingo!

    http://mundodamafy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. o cão que costuma comer cocó lambe um bebé recém nascido?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser uma canseira só fazer comentários maldosos... :)

      Eliminar
    2. Atenção S*, porque isso não está longe de ser verdade...! Por muito limpo que esteja o Pirata, a sua boca é portadora de microorganismos que podem ser patogénicos para um recém-nascido.

      Eliminar
    3. Maldade???
      Constatei o que você já aqui escreveu, que o cão come cocó e agora vem dizer que ele lambe um bebé que ainda por cima nasceu com problemas respiratórios. A maldade está onde?
      Aprenda a ler críticas e cresça um bocadinho (e não estou a dizer para ficar gorda sim? não pense já que é maldade), cresça em maturidade e em inteligência.

      Eliminar
    4. Madalena, isto é um post sobre um bebé. Sobre amor. Vá deixar sermões noutro lado.

      Eliminar
    5. S*, perdoa mas desta vez não tens razão (ainda que a forma como a crítica surgiu não tenha sido a melhor)

      Eliminar
    6. Sim todos estes comentários estão certos, além do mais a S* já tinha apagado comentários noutros posts em que lhe chamaram a atenção para o facto do bebé ser tão pequeno e andar em restaurantes e colos que não do pai e da mãe como é recomendado pelos profissionais de saúde....

      Eliminar
    7. Anónimo das 9:51, a não ser que tenha sido você a fazer os comentários, não estou a ver como saberia da existência dos mesmos. Estou a ver que quer ser você a mãe da criança e decidir como se cria o Miguel. :)

      Eliminar
    8. S*

      Desculpa mas aqui terei de dar a minha opinião:

      Não fui eu que escrevi esses comentários (sinceramente não me aquece nem me arrefece que o Miguel ande ao colo ou vá a centros comerciais, etc, etc) mas eu também os vi publicados e também reparei que tinham sido apagados posteriormente. Não tenho nada a ver com isso, não sei porque os apagaste, nem sei se houve mais que não tenhas publicado, mas de facto não é preciso ter sido o anónimo a escrever os comentários para saber da existência deles. <=)

      Quanto ao Pirata, também admito que quando li o post pensei o mesmo. Um cão que até costuma comer fezes a lamber um bebé? Mas o Miguel não é meu e por isso não fiz nenhum comentário.
      Percebe-se a intenção do post, percebe-se que gostas que até os teus animais gostem do Miguel, percebe-se que para ti este post é um mimo e não passa disso, mas não podes impedir as pessoas de terem reacções de estranheza quando o cenário não lhes parece normal. Seria o mesmo que colocares aqui que a tua mãe gosta tanto, tanto, tanto, tanto do neto que até lhe fez aquela receita secreta de arroz doce e ele comeu uma colher. Para ti seria fofo, para os outros seria esquisito um bebé de meses estar a comer arroz doce. =P OA forma como depois expressam aqui as opiniões é que podem ser mais ou menos simpáticas, mas não é por estranharmos as lambidelas do Pirata que somos automaticamente seres maldosos. :)

      Eliminar
    9. Quanta infantilidade! Quer ser você a mãe da criança. Dear Lord!

      Eliminar
    10. Primeiro, a boca dos cães mesmo eles comendo fezes não é patogenes por todo lado senão coitados de todos os donos que nem se podiam aproximar do focinho que havia logo transferência de esporos. Segundo, está mais que provado e podem procurar no google que bebés criados desde pequenos em contacto com animais são bebes que crescem com mais defesas imunitárias, deixando assim de ter tantas alergias que é uma das doenças do sex XXI. Eu sou prova disso que nasci com problemas respiratórios, asma, passei noites e noites no hospital com ar, e senão fosse a minha mãe contraria o que os médicos e pessoas diziam,e dar me todo e qualquer tipo de animal, hoje se calhar não podia estar à beira dela quando chegasse do trabalho. Terceiro, cada um educa as crianças como querem, e a não ser que estivessem a ser violentos para o bebé que é exatamente o contrário que se passa aqui, não sei qual é o problema.

      Mas aí está isto é só a opinião de uma passageira que tem mais que fazer que fazer comentários maldosos.
      Beijinhos

      Eliminar
    11. Tété, são seres maldosos por fazerem comentários maldosos e anónimos. :) O teu comentário pode ser discordante, mas é assumido. Os outros são os comentários bacocos do costume... se como bolo de maçã, é porque estou gorda. Se como salada, é porque mesmo que tente nunca deixarei de ser gorda. Se o Miguel lida com os cães, ai jesus que vai ficar doente. Se não lida com os cães, é porque agora só queremos saber do bebé e ignoramos os animais. Não há pachorra para os idiotas anónimos do costume.

      De resto, com perfil e blogue registado, sintam-se livres para comentar e criticar.

      Eliminar
    12. Bom, e eu nem acho que haja algo a criticar. O blog é teu e eu vou lendo. Aquilo que penso guardo para mim já que não pedes opinião. :) Algumas coisas gosto, outras não, outras passam-me ao lado (como o que comes ou deixas de comer, se estás mais gorda ou menos gorda =P), outras causam-me estranheza, etc...e pronto. :) Sabes que às vezes não concordo contigo e o digo aqui, mas discuto apenas opiniões. Agora a tua vida, o que fazes com ela e com os teus, nem tenho nada a ver com isso. =P

      Eliminar
    13. Sou o anónimo das 9:51, e podia ser a Maria, o José ou o Miguel que a S* vinha a saber o mesmo de quem eu sou.... não fui eu que fiz os comentários apagados mas tal como a Tete também os li..... e se fosse eu a mãe do Miguel de certeza que não existia tia/madrinha nenhuma que viesse para o blog ou qualquer sitio público expor a vida do meu filho....e cada um cria o seu filho como quer, e daqui cada um tira as conclusões que quiser....

      Eliminar
    14. Anónimo das 10:21, são opiniões. O que eu exponho do Miguel (que são as roupas, nunca o bebé!), é exposto com permissão dos pais.

      Eliminar
  3. Eles entendem perfeitamente :D
    Que lindos*

    ResponderEliminar
  4. Os cães são muito protectores com bebés :)

    ResponderEliminar
  5. Não quero ser ofensiva porque ADORO animais, mas também me parece que não é grande ideia o cão "lamber" o miúdo, pelo menos sendo ele tão pequenino.
    Eu não deixava, mas isso sou eu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bomboca, o cão dá-lhe uma lambidela e uma pessoa afasta-o. Deixamos que o cão dê afecto à sua maneira, mas obviamente que não está ali a lamber o bebé quanto lhe apetece! Pelo amor de deus, era apenas um texto sobre o afecto que até os bichos têm pela criança!

      Eliminar
  6. tãooooooooo fofoooooooooooooooooo

    ResponderEliminar
  7. Apesar de eu achar nojentinho a minha cadela a lamber-me e lavar as mãos depois dela o fazer, ou cuspir-me toda quando a cabrona me apanha distraída e lambe-me a boca, também acho normal que, numa família onde existam vários cães (pelo que percebi os pais têm, a tia materna tem e a avó materna também) habituem a criança aos cães/gatos e os cães/gatos à criança.
    A não ser que queiram que os animais comecem a sentir ciúmes. E também acho uma estupidez a "esterilização" que fazem agora das crianças. Não se podem sujar, é desinfectante atrás para todo lado, mexem num animal, desinfectante, brincam no parque, desinfectante, sobem as escadas...
    Depois admiram-se que os filhos façam tantas alergias e apanhem tantas viroses.

    E sim sou mãe, com um filhote que se suja, brinca, beija caracóis e outras maluqueiras do género e eu limito-me a usar água e sabão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. R, resumidamente, é isso. Não me parece que haja grande mal em deixar o Pirata e a Rosinha lamberem uma vez ou duas o bebé... é afecto para eles. O Miguel passa a vida em casas que estão cheias de animais, a verdade é que o menino precisa de se habituar - não necessariamente tão cedo, claro. Mas não vejo mal nisso, sinceramente.

      Eliminar