segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Coisas boas

Estamos quase-quase a celebrar quatros anos de namoro.

Sábado vamos entregar o Pirata num serviço de dog-sitting (sim, isto existe!) e vamos passear, namorar... e fazer umas compras para o meu aniversário, que é em Novembro. Não sei se ele vai apreciar esta parte do programa, mas vai ter de aguentar.


41 comentários:

  1. Se calhar, nessa parte ele preferia ficar no lugar do Pirata. eheheheh

    ResponderEliminar
  2. Já somos duas a pensar no aniversário :D

    ResponderEliminar
  3. Não és tu wue ganhas o salário mínimo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que tem uma coisa a ver com a outra? Os que recebem menos não podem passear e comprar coisas?

      Eliminar
    2. Não é isso, S*. Acho que o anonimo está com vontade de te oferecer um presente pelo teu aniversário, por seres pobre. Dá-lhe o NIB...

      Eliminar
    3. Tu andas smp a comprar coisas e a almoçar/jantar fora. Daí a questão do anónimo das 22:47 que não vejo mal algum
      Ass . Joana

      Eliminar
    4. Anónimo das 10:39, é bem capaz de ser isso. Muito agradecida!

      Anónimo das 11:02, arre porra, que querem saber como eu gasto o dinheiro... que lata.

      Eliminar
    5. Aí porra! Agora quem ganha o ordenado mínimo não tem direito a vida!

      Eliminar
    6. Não sou nenhum dos anteriores anónimos mas há uma coisa que também me faz alguma confusão. Não é gastares no que te apetece - trabalhas e é todo teu - mas acho estranho que alguém que se queixa da falta de dinheiro, de não ter para o que quer, etc se poder dar a tantos luxos (e para mim são luxos). É uma questão de prioridades mas parece-me (e desculpa se tiver errada) mas parece que optas sempre pelo que te apetece no momento apesar de existirem coisas que gostarias de ter a longo prazo e que exigiriam esforço de poupar, de ceder luxos, de alguma privação e que desistes dessas coisas somente porque não as podes ter no imediato.

      Mais uma vez, nada contra, mas é "estranho" para quem lê porque há coisas que até podem parecer pouco - como um jantar, um lanche fora, etc mas provavelmente se fizeres contas são uns 100€/mês para isso... 100€*12 meses são 1200€... e por aí fora. É a estranheza de quem lê e percebe bem como poderias ter o que queres a longo prazo, quem lê "queixas" de não poderes ter etc mas consegue-se perceber perfeitamente que tens por onde poupar. Não queres. É um direito teu, claro, mas acho que também é direito de quem lê sentir estranheza.

      P.ex na questão do pet-sitting eu optaria por deixar com alguém de confiança,etc até porque acho que a ansiedade do próprio cão é diferente ao ser deixado com estranhos ou com quem conhece... são formas diferentes e encarar a vida.

      Eliminar
    7. Anónimo, eu sou consumista, gosto de me mimar. Mas vivo apenas com o que tenho. Portanto, não acho absolutamente nada errado ir comprando coisas ou jantando fora quando posso. Ninguém mo dá, ninguém mo empresta, apenas vivo com o meu dinheiro. E se posso fazer essas coisas, pense que é porque corto noutras. Tem de ser assim, não lhe parece?

      O pet-sitting são 10 euros por dia. 10 euros! E não, não tenho de deixar com um familiar. O meu cão é muito chato, muito exigente, não vou massacrar a minha mãe no fim-de-semana. E os sogros vivem a 50 km. É uma experiência, fico mais tranquila, e o Pirata vai adorar porque terá outros cães.

      Eliminar
    8. É claro que o dinheiro é teu, que não pedes emprestado, não roubas, não exiges, e por isso podes gastá-lo como bem te apetece. E também acredito que para poderes jantar foras as vezes que quiseres, abdiques de outros pequenos luxos. É o que eu faço e penso que toda a gente faz. Mas penso que o que a anónima queria dizer é que, por exemplo, tens o sonho de casar mas já te queixaste que não tens dinheiro e que vai ser difícil tê-lo. Mas se abdicasses destes pequenos luxos constantes e pusesses esse dinheiro num mealheiro, ias começar a poupá-lo. Acho que é daqui a estranheza: tens planos a longo prazo, precisas de dinheiro mas rendes-te sempre aos pequenos luxos em vez de poupar. Fazes-me lembrar uma amiga que precisava mesmo de poupar X euros por mês para atingir uma determinada quantia e chegava sempre ao final do mês sem nada poupado. Para a ajudar, sentei-me com ela para ver em que gastava o dinheiro e todos os fins-de-semana ela comprava uma t-shirt ou uma camisola. Ela considerava aquilo o seu pequeno luxo (e porque não? O dinheiro era dela!), mas entre os pequenos luxos e o poupar para um grande sonho, ela estava obviamente a escolher o pequeno luxo sem se aperceber.

      O dinheiro é teu, tu fazes daquilo o que bem entenderes e nem acho que alguém tenha o direito de vir aqui exigir-te contas daquilo que fazes e em que gastas. Mas causando esta estranheza, é normal que se comente (e digo apenas comentar, sem ter mesmo sequer o intuito de que mudes alguma coisa). Da mesma forma que se seguisses um blog em que a autora se queixasse que bem tenta fazer dieta mas não emagrece, estranhasses quando ela todos os dias fotografasse uma pizza ou uma lasanha para o jantar. =P Provavelmente comentarias, não por maldade, pois claro que a autora pode comer o que bem entender, mas por estranheza e conselhos. :)

      Eliminar
    9. Tété, honestamente, eu não faria esse comentário da dieta vs lasanha. Mas isso sou eu, que me considero uma pessoa com "tacto". :D

      Quanto ao resto... não fui pedida em casamento. Tenho esse sonho, é certo. Mas não vou poupar para uma coisa que ainda nem está decidida! Depois, se eventualmente o mais-que-tudo o fizer, falaremos. ;)

      Eliminar
    10. Looool, acho que depende muito da forma como se comenta e do grau de intimidade. Também tinha uma colega que dizia que engordava só de respirar porque pouco comia, e nunca fui capaz de lhe dizer que os dois croissants que ela comia todos os dias eram capazes de não estar a ajudar, porque não tinha confiança para lhe dizer isso. =P Mas por outro lado, já aconselhei uma amiga a trazer o lanche de casa em vez de o comprar no bar, pois isso ajudaria a poupar numa altura em que ela estava mais apertada de dinheiro. Enfim, acho que depende das pessoas e das situações. :)

      Bem, quanto ao casamento, temos ideias diferentes. :) Cá por casa não começámos a poupar quando houve o pedido de casamento, muito pelo contrário. O pedido só aconteceu quando o Jack achou que já tínhamos poupanças suficientes para avançar com a ideia. Tal como tu, sempre fomos falando do assunto e havendo esse desejo em comum, fomos poupando uma vez que sabíamos que um dia mais tarde o realizaríamos. Mas lá está: cada pessoa com as suas contas, o seu dinheiro e os seus projectos. :)

      Eliminar
    11. Tété, eu quero muito casar. Mas não posso querer obrigar o namorado a casar, por exemplo. Se começarmos a poupar, o pobre coitado está indirectamente obrigado a pedir-me em casamento. Deus me livre de ele sentir que tem de fazer o pedido. Faz se quiser, quando quiser. Daí que, para mim, não faça sentido poupar antes. Mas obviamente que dava jeito poupar com mais tempo, claro.

      E sim, tens razão sobre a parte da comida e dos gastos. Obviamente que depende da intimidade que se tem com a pessoa. Mas, aqui nos blogues, não existe essa intimidade... por isso não me parece que alguém me deva dizer "não gastes dinheiro para poupares para o momento X" ou "não comas tanta bolonhesa que depois dizes que estás gorda". Eu sei as escolhas que faço e vivo com as minhas opções. Aqui nos blogues acho meio, vá, inadequado, esse tipo de comentários.

      Eliminar
    12. Quanto ao casamento, compreendo-te perfeitamente. Também nunca quis um pedido forçado. Mas nós íamos falando sobre isso, ou seja, eu sabia que ele também queria. Aliás, ele queria mais do que eu, que a certa altura achei que se calhar podíamos aproveitar o dinheiro poupado para outras coisas. Na minha cabeça, eu poupava para o casamento, ou para a chegada de um filho, ou para um novo carro...ou seja, eu poupava para um dos mil projectos que temos a dois.Ele poupava para uma situação mais específica. :)

      Quanto aos comentários, quer na vida real quer nos blogues, também tudo depende da forma como as coisas são ditas. =S Acho que nem na vida real gostaria que alguém chegasse ao pé de mim e dissesse "Não comas isso que depois dizes que estás gorda!". É rude. Da mesma forma que também não diria "vais ao café em vez de trazeres o lanche de casa e depois queixas-te que não tens dinheiro!". Depende como as coisas são ditas e nos blogues o facto de serem palavras escritas cada um lê com a entoação que quer, o que muitas vezes faz parecer rude um pequeno conselho.

      Eliminar
    13. Numa coisa tens toda a razão, ninguém tem nada a ver com o que fazes com o teu dinheiro. É teu, fazes o que te apetece com ele.

      Mas vens com a conversa de que não há essa intimidade nos blogs, quando escreves cá expões a tua vida por vezes demasiado.
      Não falaremos do casamento, não depende só de ti, mas já li as tuas queixas sobre não viajares/passeares mais.

      Tudo isto para dizer, és a blogger mais casmurra, cabeça dura, incapaz de dar o braço a trocer e de perceber o que te querem dizer.

      Eliminar
    14. E porque não o pedes tu em casamento? Estamos no século XXI! Não me parece que seja necessário a mulher estar à espera que venha o "pedido" por parte do homem. Não te percebo, mesmo. Sou bem mais velha que tu e nem eu nem nenhuma das minhas amigas ficou à espera de "ser pedida" em casamento. Tínhamos uma relação séria e naturalmente conversámos sobre o assunto, a espectativas de vida e de futuro de cada um e decidimos casar de comum acordo. Isso já não se usa em lado nenhum do mundo modernos e civilizado.

      Eliminar
    15. Anónimo das 15:06

      Não estou aqui a defender a S* (que bem sabe que a maior parte das vezes não concordo com ela e que já cheguei a deixar de comentar aqui uns tempos à custa das respostas que me deu), mas não acho que o "pedido de casamento" seja algo fora do mundo moderno. Eu pedi o meu marido em namoro quando tínhamos 12 anos. A vida separou-nos e eu voltei a pedi-lo em namoro aos 20 anos . E nessa altura disse-lhe: o próximo pedido será o de casamento mas esse terás de ser tu a fazê-lo. Conversámos sempre muito de casamento, íamos planeando algumas coisas, mas ele sabia que eu gostava que ele me pedisse em casamento, de joelho no chão, como manda a tradição. Se teria casado com ele sem o pedido? Claro (já vivia com ele e tudo). Mas era um gesto que eu achava romântico e ele fê-lo. Claro que me recusei a que ele fosse pedir a minha mão ao meu pai. =P Ou seja, há coisas que uma pessoa quer que aconteçam de uma determinada maneira por achar românticas, por serem como nos nossos sonhos, nada tem a ver com ser moderno ou não. Os meus pais decidiram casar durante uma conversa por telefone. Eu, filha deles, quis um pedido à maneira. O meu irmão é bem capaz de nem casar. É da maneira de ser de cada um. :)

      Eliminar
    16. Anónimo das 15:06, peço desculpa pela franqueza, mas acho que o seu comentário é típico daquelas pessoas que se querem armar em tão modernas e evoluídas que acabam por cair no ridículo. O seu comentário não faz o mínimo sentido e é uma falta de respeito por quem apenas tem vontades diferentes das suas.

      Quero lá saber se é o homem ou a mulher a pedir em casamento. É bonito das duas maneiras. Mas sei como eu gostaria que fosse COMIGO. E ninguém tem nada a ver com isso.

      Eliminar
    17. Tété, é muito isso. Cada um sabe de si e Deus sabe de todos. Era o que me faltava ter de ler que " Isso já não se usa em lado nenhum do mundo modernos e civilizado" só porque gostava de ser pedida em casamento à moda antiga, com direito a anel e pedido feito de joelhos.

      Eliminar
    18. Pois, se calhar estou enganada e isso continua a ser um sonho para muitas mulheres. Realmente, não sei porque me admiro, pensando bem, é realmente um sonho como outro qualquer. De qualquer maneira se a S* sentiu que o meu comentário era ridículo devo dizer que é exactamente o que eu senti quando li o "não fui pedida" em casamento por isso não posso casar. É realmente uma questão de opinião, gosto e forma de estar. Nada mais. Mas não voltarei a dar aqui a minha opinião uma vez que, de facto, ninguém me pediu que o fizesse.

      Eliminar
  4. Divirtam-se! Com pouco ou muito dinheiro o importante é não deixarmos de fazer o que gostamos e com quem gostamos. Só assim podemos ser felizes :) Ah...e parabéns! Já passei dos 4 e vai fazer um ano que estou noiva! Sabe bem não sabe? :)

    ResponderEliminar
  5. És tão consumista! Para ti, uma miúda licenciada e jovem, o programa ideal é ir comprar coisas. Nestes anos todos nunca ouvi falar de ires ao teatro, a uma exposição, a um espectáculo ou a um concerto! É realmente deprimente só pensares em comprar. Isso preenche um vazio temporário mas esfuma-se muito rápido. A cultura alimenta a alma e dura muito mais, acredita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 12:17, você não sabe nada de mim nem do que eu faço. Um blogue é um escape, não o espelho da minha vida. ;)

      Eliminar
    2. Olha que optima resposta! Nem mais! Fazes muito bem em aproveitar espero que faças muitas comprinhas e mostres aqui a nós :)

      Portuguese Girl with American Dreams
      http://fromportugaltonyc.blogspot.pt/

      Eliminar
    3. Cada um deve fazer o que o faz feliz. Nem mais, nem menos. E se a cultura alimenta a alma,não julgar o próximo também faz maravilhas...

      Eliminar
    4. Não se pode falar nada que é julgar. Pseudos politicamente correctos cansam. zzzz

      Eliminar
    5. Mestre. Adoro compras. Adoro outras coisas, mas algumas não dá jeito fotografar.

      Eliminar
    6. Mel, as pessoas querem lá saber das exposições ou dos filmes que eu vejo. Às vezes escrevo sobre os livros que leio e, guess what, os leitores não querem saber. :P

      Eliminar
  6. Acho que fazem muito bem. Aproveitem!! :)

    ResponderEliminar
  7. Eu sei, isto não é nada comigo, a vida é vossa, mas... No dia de aniversário do vosso namoro vão às compras para ti? Ainda por cima, é programa que ele não gosta... Não devia ser um dia para os dois celebrarem a relação com algo que vos desse prazer aos dois, sem nenhum ter de fazer fretes pelo outro? A não ser que o argumento seja que isso também é uma demonstração de amor eheheh :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Honestamente, isso não é crítica que possa fazer. Leia de novo: vamos passear, namorar, fazer compras. Vamos também almoçar, jantar fora, estar juntos, vamos ao cinema. Fazer compras para mim é uma parte do dia. Não saio da minha cidade assim tantas vezes, há que aproveitar. :P

      Eliminar
  8. Quatro anos? O tempo passa a correr e mais ainda quando se é feliz ;)

    ResponderEliminar
  9. Gasta mesmo, boba! Qual mulher ñ gosta??

    ResponderEliminar