segunda-feira, 12 de maio de 2014

Facto


Acho que metade das pessoas que fazem piadas com a figura da Conchita Wurst nem sequer se deram ao trabalho de a ouvir cantar.

Não vou dizer que a Conchita não tem um aspecto... peculiar... mas estava lá era para cantar, certo?

34 comentários:

  1. Acho que foi muito corajoso e canta que se farta! Adorei ver :)

    ResponderEliminar
  2. Sim, estava para cantar. Mas também estava lá para chocar, para abrir mentalidades, para alertar para a igualdade na diferença, para o preconceito que existe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então cumpriu o propósito.

      Eliminar
    2. Sem sombra de dúvidas. A Rússia e mais alguns países tentaram impedir a transmissão da actuação dela.

      Eliminar
    3. Era mesmo o que eu ia comentar, S*, ela não estava lá só para cantar e não foi por isso que ganhou (até porque a melhor música era de longe a da Holanda, que ficou em segundo). A Conchita ganhou por um motivo político, ainda por cima manifestado pelo povo da Europa, que quis dizer que o velho mundo ainda é o rei do combate ao preconceito, da igualdade, da liberdade e da fraternidade. E isso é que é bonito. É muito redutor dizer que ela só ia lá para cantar.

      Eliminar
  3. Eu adorei a musica, a letra, a voz e a coragem.

    ResponderEliminar
  4. era a minha aposta desde que a ouvi pela primeira vez. Grande voz.

    ResponderEliminar
  5. Tem uma voz e um corpo espetacular!!!E até de barba é gira!!(giro)!

    ResponderEliminar
  6. Canta muito é certo. Mas continuo a achar estranho. E o pior, é que me parece que é um estranho propositado, exibicionista que em nada dignifica os travestis. Mas isso é só a minha opinião ;-)

    ResponderEliminar
  7. Como eu disse no meu blog, pelo menos canta! E até é um rapaz giro! (eu fui googlar, claro, curiosidade felina!)

    ResponderEliminar
  8. Os meus comentários não são depreciativos. Só acho que ficava mais bonita sem barba!
    Em relação a voz, sim....
    Tem uma voz linda!

    ResponderEliminar
  9. Eu nunca me dou ao trabalho de ver o festival da Eurovisão, mas vi a Conchita a cantar nas notícias, e sim, canta bem. Mas não acho que tenha ganho por cantar bem.
    xx

    ResponderEliminar
  10. Infelizmente o preconceito ainda é imenso minha querida

    ResponderEliminar
  11. acho que isso foi uma prova de como a sociedade ainda é demasiado preconceituosa...

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  12. amei a atuação dela! foi espantosa!

    ResponderEliminar
  13. E se cantou bem... :) Se ouvirmos sem olhar, é muito bom

    ResponderEliminar
  14. Certissimo, eu por exemplo ainda não ouvi mas também, como disse lá no meu berloque ele pode travestir-se sempre que queira que é para o lado que eu durmo melhor.

    ResponderEliminar
  15. Eu não vi o festival, só soube quem tinha ganho depois, por isso não posso opinar quanto a isso... De facto, o/a vencedor/a é um tanto peculiar mas parece-me que tentou passar uma mensagem contra o preconceito e só por isso já mereceu ganhar...

    ResponderEliminar
  16. Ela tem uma voz interessante, mas penso que usou a aparência como marketing oportunista, o que deu certo. Agora venhamos e convenhamos quando outras pessoas alcançam a mídia, principalmente mulheres, por meio da própria aparência (corpo), geralmente são criticadas. Faz parte do show.

    ResponderEliminar
  17. Certo. E para a cantoria, não está nada mal

    ResponderEliminar
  18. Não entendo é porque lhe chamam "Mulher Barbuda"...não deveria ser "Homem de Vestido"??? Mas vá...ele/ela até canta bem....Antes ele que um Castelo Branco a cantar o "patapata" :)
    Beijinhos querida S*

    ResponderEliminar
  19. Eu não a ouvi cantar, por isso, nem vou comentar :)

    ResponderEliminar
  20. Isso não é um facto, é uma opinião...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, anónimo!!! E a S*, enquanto jornalista, deveria saber distinguir FACTO de OPINIÃO.

      Eliminar
  21. Certo, mas ela tem é um bom agente, na minha opiniao :)

    Sónia
    Taras e Manias

    ResponderEliminar
  22. Confesso que ainda não a ouvi cantar, mas que a aparência foi uma bela jogada de marketing, lá isso foi. Toda a gente fala nela.

    ResponderEliminar
  23. Errata: O Thomas estava lá para cantar e canta bem. Mas em versão travesti, num festival da eurovisão e isso não faz qualquer sentido!

    viagemdoceviagem.blogspot.com

    ResponderEliminar
  24. e tem uma voz que não ouvia há muito tempo. que pulmões. adorei a frase de que não queria ser mulher porque é um rapaz preguiçoso em casa e uma rainha no trabalho. admiro-o muito.

    ResponderEliminar
  25. Discordo. A vitória da Conchita foi um political-statement independentemente da excelente voz que tenha. A eurovisão (é eurovisão, não é?) nada tem a ver com cantorias hoje em dia.

    Há comentários de gozo sem maldade alguma, mas incomoda-me que o visual de alguém incomode quem quer que seja. A Conchita não é um travesti. É alguém exuberante, sim. Mas não é um rótulo (travesti, homossexual, nunca se afirmou como nada disso). Mas a sua imagem é, sim, usada como front banner para a legião de LGBT e afins. E não há nada de mal nisso.

    Mira

    ResponderEliminar
  26. peculiar é a palavra certa, ahah Mas que canta, canta :)

    ResponderEliminar
  27. A voz é excelente, senão não teria ganho. Mas é impossível não achar estranho.

    ResponderEliminar
  28. A minha surpresa aqui prende-se apenas com a polémica gerada e as repercussões políticas. A sério que temos uma Europa tão mesquinha, ignorante e ridicula?

    ResponderEliminar