Avançar para o conteúdo principal

Verão, chamado à recepção!

Terça-feira, 6 de Julho, e toda eu anseia pelo Verão. Deve ser por estarmos há já 17 meses a viver em modo "pandemia" e por não termos podido usufruir de muito daquilo que nos faz feliz ao longo destes meses todos... Estou ansiosa pelo Verão. E eu nem gosto de ir à praia nem posso apanhar sol este Verão... Mas quero poder fazer as minhas caminhadas nocturnas, jantar numa esplanada, deixar-me estar relaxada a beber uma Somersby e a conversar com alguém. Quero sentir que realmente vivo, em vez de ver os dias a passar uns atrás dos outros, sempre com as mesmas rotinas - e eu adoro rotinas. Estou decididamente a precisar de um abanão, de algo que entusiasme e me roube sorrisos. Venha daí o calor que do resto eu trato.

Comentários

  1. Calma, já aí vem o bom tempo ainda esta semana.
    De qualquer modo este Verão provavelmente será atípico e ameno, mas tem o seu lado bom pelo covid e pelos incêndios.
    Já toda a gente está exausta desta situação que não sabemos ainda como vai terminar mesmo com a vacina, mas ninguém te impediu de fazer caminhadas nocturnas, caminhar na praia, no rio, na natureza.
    Podes sempre ir beber café ou comer um gelado com uma amiga.
    Tenho todos os cuidados e consigo fazer tudo isso sem entrar em mais paranóias.
    É aprender a viver com a pandemia e como se pode, por agora.

    ResponderEliminar
  2. Neste momento a pandemia não nos retira rotinas.. ensinou-nos já a viver com ela. As rotinas que antes tínhamos não impede que gradualmente sejam feitas... desde que não haja festas, aniversários e ajuntamentos. Já retomei as caminhas, Já vou a esplanadas com amigas e tomar café ou lanchar sem entrar em loucuras. As minhas principais preocupações até são familiares, porque cada um trabalha e contacta com pessoas que desconhece. Mas já consigo visitar familiares, mas sem nunca ultrapassar o número recomendado e já tenho os familiares vacinados.
    Já temos informação que há um ano não tínhamos.. Nunca dispensei luvas no supermercado.. e esse é o meu real medo. Já consegui marcar férias, já consigo sair, como o fazia. Estive privada de shoppings durante um ano, mas já consigo ir. Por isso, nada te impede de ir aos poucos retomar a tua vida. Com tantas variantes, não vai ser em breve que a pandemia vai estar entre nós.. E se nos protegemos a nós, estamos a proteger outros. Por isso, venha o Verão..que Cabo Verde Espera por mim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cat, também ando a tentar retomar, mas o mau tempo não tem ajudado e a minha operação muito menos. No 10 de Junho já almocei com os colegas de mestrado. Também já voltei a ir a restaurantes e cafés. Agora com o bom tempo, claro, tudo entusiasma mais... Mas sempre com juízo. Não vai ser por mim que tudo piora...

      Eliminar
    2. Então afinal a tua questão é qual?
      Da operação estás a melhorar e mesmo que não houvesse pandemia podias passar por uma operação na mesma e teres de estar um pouco mais limitada por algum tempo.
      E do o mau tempo que eu saiba está bom tempo e vem aí altas temperaturas.
      O que dizes no texto neste momento não se justifica.
      Dá para fazeres a tua vida normal, apenas tens de acrescentar cuidados. Já se tornou tão normal usar máscara, álcool-gel e manter distâncias de segurança, não custa nada.
      Tenho feito tudo o que preciso, sinceramente.

      Eliminar
    3. Penso que a S* quer dizer que como nos últimos meses deixou de fazer muitas das coisas que gostava devido à pandemia (como muitos de nós, que desde que tudo isto começou não podem dizer que tenham continuado a viver a vida como antes e a fazer tudo como antes), está ainda mais ansiosa pela chegada deste Verão porque vai poder fazer coisas que gosta. No Inverno por norma já não é costume algumas das coisas que ela refere : caminhadas nocturnas, estar na esplanada até tarde na conversa, etc…Há outros programas que se fazem mas com a pandemia, muitos não foram feitos e facilmente se caiu numa rotina mais caseira e com precauções. Agora com a chegada do bom tempo e a possibilidade destes programas ao ar livre, a sensação de os poder fazer é ainda melhor depois de meses de maior rotina e clausura. Pelo menos é um pouco o que sinto também em relação a certas coisas. Não sei se me expliquei bem. :P

      Tété

      Eliminar
    4. O real medo são as luvas no supermercado? Quando está demonstrado que a contaminação por superfícies é raríssima? É muito mais perigoso encontrar-se com familiares ou estar numa esplanada sem máscara a comer ao pé de amigos, que ir a um supermercado fazer compras. Tenho amigos que tiveram "todos os cuidados", mas depois foram almoçar com um colega assintomático e apanharam (agora ao fim de quase 1 ano e meio de pandemia).

      Eliminar
    5. Tété, é isso mesmo. O último ano foi de muita reserva e muita cautela. O início deste ano de confinamento. Entretanto chegou o bom tempo, mas fui operada. Agora sim, estou bem e tenho bom tempo para aproveitar. Hoje vou caminhar, claro. É dos maiores prazeres que tenho após um dia de trabalho. Auscultadores, música animada, cão, caminhada até à beira mar.

      Eliminar
    6. No início da pandemia ninguém fazia a vida normal até porque estava tudo fechado e estávamos confinados e ainda longe sequer das vacinas.
      Mas agora não é o caso.
      A S* deu a entender que nem caminhadas podemos fazer ou falou como se ainda estivéssemos proibidos de tudo, como se estivesse temporal de inverno!
      Com cuidados e responsabilidade é claro que podemos.
      Além disso ela tem pessoas à volta dela, mas como sempre queixa-se de barriga cheia.
      Para quem vive sempre à procura de novos estímulos dessa forma é claro que nunca estás satisfeita…
      Parece que andas sempre à procura de um brinquedo novo, mas a seguir já queres outro… ou nem tu sabes o que procuras!

      Aprecia a somersby no jardim da casa da tua mãe ou no terraço ou na relva de um parque.
      Vai com uma amiga à esplanada um bocadinho.
      Passeia o cão, faz um piquenique com o filho, brinca com os sobrinhos, conversa com a irmã.
      Vai caminhar à beira-mar, tira fotos bonitas, liga a alguém que gostes, vai um bocadinho ao shopping se te apetecer, etc. podia estar aqui o dia inteiro…
      Se tens tempo ficas aborrecida.
      Se não tens tempo ficas aborrecida.
      Se calhar mesmo se não estivéssemos em pandemia nem fazias nada de extraordinário ou diferente do que fazes agora…
      Relaxa mulher… bolas!

      Eliminar
    7. Ainda só hoje é início de Julho. Ainda nem chegou Agosto!!!

      Eliminar
    8. Anónimo das 19:53, não dei a entender nada disso... 🤔 Eu é que estive muito limitada o mês de Junho. Agora, há duas semanas que me sinto quase boa, daí ter regressado a casa.

      Agora sim, posso começar a aproveitar melhor a vida: recuperei da operação, recuperei de um desgosto que me provocaram... Estou fina. Só isso!

      Eliminar
    9. Acho mesmo que estamos a fazer uma leitura diferente daquilo que a S* escreveu. Se com o tempo mau não dava para certos programas e se, ao aparecer o bom tempo, a S* foi operada e à conta disso teve de ficar enclausurada em casa, não é normal que agora anseie com mais força por estes dias de calor em que pode fazer estes programas? Não digo que não seja uma eterna insatisfeita (há efectivamente quem o seja; não conheço a S* para dizer que sim ou que não) mas acho que ansiarmos por certas coisas boas não significa que não damos valor ao que temos. Eu posso jantar no meu jardim todos os dias (e gostar) e ainda assim ansiar pelo momento em que estarei a fazê-lo numa esplanada. Posso falar com os meus pais todos os dias e ainda ansiar pelo momento em que estarei presencialmente com eles. Posso ir à piscina todos os dias e ansiar por sentir a água fria do mar nos pés. :)
      Talvez seja o anónimo a ver tudo de um ponto de vista negativo, ora veja: a S* não deu a entender que nem caminhadas podemos fazer, como o anónimo disse. Ela disse que quer poder fazer as suas caminhadas nocturnas, das quais facilmente se compreende que teve de abdicar no tempo mais fresco/frio, e depois por causa da recuperação da sua cirurgia. :) Se ela pode ir passear o cão à noite no Inverno e na Primavera? Pode claro. :) Mas eu também só faço caminhadas nocturnas no Verão (sem cão), que é quando me dá prazer. :)
      Mas podemos concordar em discordar e ter pontos de vista diferentes, sem problemas. :D

      Tété

      Eliminar
    10. Tété, antes de mais a S* tem boca para responder e aliás fê-lo.
      Depois, eu não sou uma pessoa negativa ou pessimista mas sim o oposto. Lutei muito para chegar até aqui e não há quem me demova de que o pensamento positivo atrai ainda mais coisas boas, é meio caminho andado.
      Percebi tudo o que refere, não concordo é que o pensamento de uma mente que não “descansa” seja favorável.
      A S* não tem que concordar comigo ou com outros seguidores.
      Aliás, tudo o que referi foi para o bem da S*, mesmo que não pareça.

      Eliminar
    11. Isto é um blogue com uma caixa de comentários aberta. Nada impede alguém de comentar outros comentários mesmo que a autora tenha boca. Da mesma forma que nada a obriga a responder-me. Não sei quem é, não a conheço, acredito que tenha passado por muito na vida e até concordo consigo que quanto ao pensamento positivo. Mas, e não querendo prolongar uma discussão, acredite que todo o seu discurso é, para mim, muito pouco positivo e até um pouco agressivo. Se chegar ao pé de alguém e gritar “Eu sou positiva! Tu também tens de ser!” a mensagem não chegará ao outro e a acção não estará de acordo com o que, acredito eu, defende e com a sua maneira de ser. Não concordará comigo com certeza mas também o que lhe digo é para seu bem. Espero que tenha um excelente Verão e que a vida e os pensamentos positivos lhe tragam um futuro com poucas lutas.

      Tété

      Eliminar
    12. Tété, tendo o blog comentários abertos, como é óbvio poderá responder tal como eu ou outras pessoas que vêm aqui comentar.
      Pelo que vejo de si é bastante activa no blog da Sónia e pelo que muitas vezes comenta também já percebi que é uma pessoa do “bem” e que até evita discussões.
      E faz bem porque em muitos casos discutir não leva a lado nenhum.
      Mas, também não acho que a S* precise de defensores, como já várias vezes fez, como sabe.
      Pelo que leio de si muito raramente discorda ou é mais provável que concorde com o que é escrito ou usa smiles ou diz que está a brincar…
      Tudo bem… mas nem sempre ajudamos concordando só porque queremos ser simpáticos ou evitar confrontos.
      Se acha que fui agressiva é a sua forma de ver as coisas.
      Não tenho qualquer interesse em vir aqui ser agressiva só porque sim. Juro que não estou mesmo para aí virada.
      Bem pelo contrário…
      Mas se tiver que dar um beliscão a alguém (sem maldade), também gostaria que o fizessem comigo se isso pudesse ser um abre-olhos ou um empurrão… para melhorar, para mudar perspectivas. Apenas e só.

      Eu não passei por muito na vida comparando com muitas pessoas.
      Felizmente tenho a vida facilitada em muitos aspectos idênticos aos da vida da S*, mas tal como ela, passei por muitas coisas semelhantes à fase que ela tem vivido nos últimos tempos.
      Portanto, até acho que consigo entender muito bem e consigo colocar-me no papel dela porque também já lá estive… e doeu, confesso.
      Mas por ter tido a sabedoria de dar a volta pela positiva (depois de muito bater com a cabeça), talvez por isso eu venha aqui (gratuitamente) numa de fazer o que fizeram comigo e ainda hoje eu agradeço.
      As pessoas que mais me ajudaram, na altura, foram aquelas que me fizeram ver as coisas tal como elas são, para o bem e para o mal.
      Na altura também achei que estavam a ser um pouco injustas comigo… mas hoje sei que não… porque querer o bem, às vezes é mesmo isto: dizer as coisas na cara mesmo que possa ser desagradável.

      Em nem conheço a S*, também não conheço a Tété, (vai um café?? Ahahah :D).
      mas, bom Verão também para vocês. :)

      Eliminar
    13. ahahah

      Por mim, vai um café. Faz bem a todas e parece-me que toda a gente está a necessitar.

      Eu agradeço a atenção, mas sei perfeitamente a sorte que tenho em muitos aspectos... No entanto, também sei o que tenho passado e não tenho de estar sempre forte e animada. Apenas isso. Bom fim-de-semana!

      Eliminar
    14. Aceito o café sem problemas. :) Mas não sou defensora acérrima da S* e a própria sabe disso. Ao longo dos últimos anos foram mais as vezes que aqui comentei contra a opinião dela do que a defender a mesma. Aliás já fui até chamada de chata (não pela S*). :) Não sou muito de usar smiles no dia-a-dia mas descobri que quando não os usamos as pessoas têm a tendência a ler o que escrevemos num tom mais duro que o real quando não nos conhecem (posso estar a cometer esse erro consigo). Também não sou muito de dizer que estava a brincar quando estou a falar a sério. Mas acredito que não seja fácil deslindar a personalidade de cada um por poucas frases escritas em comentários de blogues e mesmo eu posso estar a analisar mal a sua escrita (embora não ponha em causa as suas intenções). Um bom Verão às duas. E a mim também que bem estou a precisar, acreditem. :D

      Tété

      Eliminar
  3. Desliga o Amanhã um pouco e sossega!

    - Foste operada mas não tiveste covid e ainda tens muito tempo para aproveitar o verão. Agosto nem sequer chegou.
    - Tens a sorte de ter podido ir para casa da tua mãe mesmo antes da operação, parecendo que não é uma boa ajuda.
    - Tens sempre com quem conversar.
    - Estás divorciada mas mesmo assim vês o teu filho todos os dias e o teu ex-marido também facilita essa questão, ao contrário de muitos.
    - Precisas de mandar vir encomendas e tens sempre alguém que as recebe por ti (loja da mana), nem perdes tempo com isso, nem gasolina, nem filas.
    - Queres um vibrador de 200€ e dás-te esse luxo.
    - Queres umas bugigangas e compras quase sem pensar, às vezes.
    - Tens trabalho.
    - Vives num país com sol.
    - Tens uma casa só para ti.
    - Quando precisas tens sempre apoio familiar perto de ti.
    - Nunca te viste obrigada a emigrar ou ir para uma cidade longe dos teus.
    - Tens tempo para ti, agora muito mais…
    Etc, etc, etc.

    Senhorita, isto é a vida a acontecer!

    O abanão que tu precisas é olhar mais para a realidade.
    Eu fico feliz quando faço “n” actividades, tal como fico feliz quando tenho tempo para nada fazer.
    Mesmo quando estou sem fazer nada… nunca acho que seja tempo perdido.
    É a vida a dar oportunidade de curtir as duas situações, as duas polaridades.
    Que bom, não é? Pois é!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que não tem acompanhado o meu blogue... Eu sou muito grata pela vida que tenho, exactamente porque tenho isso tudo que referiu. Uma família espectacular, um apartamento que adoro, os meus animais, um trabalho que me entusiasma, amigas para falar ou tomar um café... Ainda hoje fui cheirar duas ou três lojas com uma amiga. E almocei com um amigo. E que bem me soube.

      Mas isso é AGORA... O ano passado foi o que foi para toda a gente. Este ano iniciou com outro confinamento. Depois estive dois meses abatida por causa de uma situação emocional... Depois fui operada e estive mês e meio a recuperar até ter forças para voltar a casa. Só isso. A minha vida é maravilhosa, mas também tem um lado menos bom que vou expondo, mas que não exponho em demasia porque não me sinto confortável para tal.

      No entanto, deixe-me dizer que o meu ex marido não facilita... Ele tem exactamente os mesmos direitos que eu. Somos ambos adultos sensatos e apenas fazemos o que é melhor para o nosso filho. Não se trata de facilitar, trata-se de maturidade e sensatez.

      Quanto à minha mãe, não sei de onde tirou a ideia que fui para lá antes da operação. Fui operada a 19 de Maio, fui para casa da mãe dia 22, quando saí do hospital... 🤔 Mas podia ter ido antes, que adoro lá estar... Só que tenho animais a meu cuidado.

      Estou sempre a dizer que sou feliz. E sou. Mas também tenho direito a fases menos boas. :)

      Eliminar
    2. Seria impossível mencionar os vários itens se não acompanhasse o blog. Não te parece?!

      Não tirei conclusões, tu é que referiste que ias para casa da tua mãe se houvesse um segundo confinamento, portanto, são palavras tuas ou a forma como passas a mensagem aos leitores.

      Em relação ao ex-marido, é claro que as decisões devem ser tomadas pelos dois.
      Quando referi que ele até facilita, é no sentido de me parecer alguém que também não quer conflitos.
      Só o facto de estares todos os dias com o teu filho, para quem está divorciado, como sabes nem sempre acontece, é uma vantagem neste caso.
      Mas isso são assuntos vossos, são as tuas opções e é a tua vida logo não vou tecer mais comentários acerca.

      Escrevi no sentido de olhares talvez mais para as coisas boas sem necessidade de achares que tudo tem que ser vivido a correr, para ontem e em constantes actividades.
      Também já falaste inúmeras vezes do tal desgosto… portanto, acabas por dar “poder” a essa situação e a essa fase menos boa como lhe chamas.
      Se calhar neste momento o melhor para ti é estares sozinha e devias aproveitar esse tempo com outra disposição.
      Talvez não estejas preparada para relações tão apressadas. Diria mais serenidade e amadurecimento!
      Irrita-me ver mulheres que ficam a “chorar” por homens que na verdade nem merecem uma lágrima.

      Não tens que concordar comigo mas eu não tenho mais paciência para gente queixona.
      Isso sim é uma perda de tempo.

      Queixe-se quem tiver motivos e eu serei sempre uma boa ouvinte.
      Quanto ao resto haja pachorra!

      As melhoras e que esses sorrisos venham de dentro, antes de mais nada.

      Eliminar
    3. Anónimo das 09h03m, não, não estive na minha mãe antes da operação. Porque este confinamento, para mim, foi apenas parcial: trabalhava no local de trabalho semana sim, semana não, conforme tive o menino comigo ou não. Por isso, obviamente não fiquei verdadeiramente isolada. Mas não importa, poderia perfeitamente ter ficado lá, gostei deste mês e meio de mimo na mãe, confesso!

      Quanto ao facto de ver o filho todos os dias, está no nosso acordo de regulação parental, pelo que é um direito que ambos temos. Sim, é sinal de maturidade e sensatez e sinal de que nos damos bem. Eu adoro o meu ex-marido, tenho e espero ter sempre uma ternura imensa por ele. E faço o melhor pelo meu filho, por isso só tenho de engolir alguns sapos e seguir em frente.

      Não tem paciência para gente queixona e está no seu direito... Mas o meu post não foi de "gente queixona". Se há pessoa positiva, sou eu... E perdoe-me a franqueza, acho os seus comentários um bocado de mau tom visto que deveria ter o direito de me queixar ou de revelar um momento mais negativo sem ter alguém a dizer "oh, sabes lá tu o que é sofrer". Está-se sempre a falar da importância da saúde mental... Acha que esse seu comentário faz realmente sentido? Imagine que eu estava com uma depressão... Imagine! Acha que me faria algum bem (a mim ou a qualquer leitor que leia o que escreveu) ter alguém a dizer que sou uma "queixona" e que "haja pachorra" para aturar quem se mostra mais fragilizada sem grandes motivos?

      Não conhece a minha vida por inteiro, é certo... Mas garanto-lhe que tenho tido um último ano muito muito difícil. Em inúmeros sentidos. Se me quisesse queixar, tinha uma lista imensa de "queixumes" para desvendar... Mas não faz sentido.

      Tudo de bom para si. Não se preocupe, que estou bem e que, mesmo quando escrevo um post mais negativo, sei perfeitamente a vida boa que tenho... Mas, mesmo sabendo isso, os últimos 18 meses foram uma valente merda.

      Eliminar
    4. Nesse caso retiro-me.
      Não devemos tentar ajudar quem não quer ajuda, tens razão.
      Depressão não tens, mas se reparares NOVAMENTE pela milésima vez repetes o último ano e as partes más, again!

      Tens o direito de te queixar sim.
      Esquece o que disse porque não me estou a fazer entender. chegarás lá no teu tempo!
      Tudo de bom.

      Eliminar
    5. Às vezes o melhor que podemos fazer por alguém é fazer com que as pessoas abra os olhos para muitas coisas.
      Para isso às vezes o dizer as coisas no meu tom (pouco simpático na tua óptica) é o melhor que se pode fazer por alguém.
      A intenção não é massacrar a pessoa ou ser incapaz de tecer elogios, mas dizer algumas “verdades” de frente, sem grandes palmadinhas nas costas em muitos casos faz milagres.

      Eliminar
  4. Enquanto estiveres na energia do MAS… “mas isso é agora”…

    Enquanto estiveres ansiosa com o amanhã, com o medo de ficares sozinha (que mesmo que não admitas é notório pela escrita e pelo foco em determinada temática).
    Enquanto focares em queixas, obstáculos ou fases menos boas e desgostos…
    Acredita, só vais estar a atrair mais do mesmo.
    Possivelmente mais relações sem sucesso, sensação de estagnação ou que te falta algo ou que estás a perder tempo, mais motivos para queixas e mais gente desonesta.
    Sei o que falo porque eu também não sou a super mulher que está aqui a falar como se fosse a heroína do planeta.
    Não!
    Mas a prova de alguma exaustão tornei-me mesmo mais forte e decidi viver de outra forma, mais alegre e muito bem comigo mesma, mesmo quando há fases menos boas.
    Além disso já estudei muito a parte dos padrões de comportamento, mente acelerada e padrões repetitivos (em relacionamentos e nas várias áreas da vida).
    Sei perfeitamente do que falo.
    Devemos falar nas coisas menos boas sim e olhar para elas de frente, mas depois chega um altura em que se continuares a dar ênfase a mais do mesmo só crias barreiras e mais insatisfação interior.

    Cura-te interiormente e depois o resto virá até ti quando estiveres pronta para receber o que tanto queres.
    Até lá, aproveita todos essas coisas boas que já estão presentes na tua vida. E são tantas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma mente acelerada, é certo, mas, de resto, este post era sobre tudo, menos sobre relações... Se gostava de encontrar alguém bom? Claro. Se tenho pressa? Não. Tudo a seu tempo.

      Estou muito bem comigo, a minha vida é que anda um caos e preciso de a organizar primeiro.

      Tudo de bom!

      Eliminar
    2. Minha querida, mas era mesmo aí que queria chegar… porque sei ler nas entrelinhas. ;)
      Se a tua vida anda o caos, então faz isso, organiza tudo o que puderes, deixa tudo equilibrado na tua vida, deita fora o que já não te serve (seja em modo físico ou não), arruma as gavetas todas.
      Quando tudo estiver alinhado e no devido lugar… tudo acontece a partir daí. Para melhor. :)

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.