Avançar para o conteúdo principal

À espera de melhores dias

Nem tenho escrito nada porque até eu, que sou uma pessoa naturalmente alegre e que gosta de ver o lado bom de tudo, ando a ter uns dias de merda.

Com muito trabalho, ainda mais preocupações e dores de cabeça constantes.

A 20 de Novembro morreu o meu gato Faísca. Ontem à noite morreu a minha Bella. 

Tento-me manter à tona, acreditar que os dias bons estão prestes a chegar... Mas foda-se. Estou cansada. 

Comentários

  1. Lamento S*.
    Este 2020 é para esquecer.
    Acho que anda tudo exausto e irritado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente 12 badaladas não irão mudar grande coisa :( convém não criar expectativas por aí além de que isto mude drasticamente apenas com a passagem do ano.

      Eliminar
    2. Não foi nada disso que foi dito.
      2020 foi um ano diferente, difícil e desafiador para muitos.
      Ninguém disse que as 12 badaladas mudam alguma coisa.
      Ninguém falou sequer em expectativas.
      Ano novo vida nova OU ano novo vida velha, dependendo da perspectiva.

      Eliminar
  2. Trabalhas muito? Essa é para rir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me diga que trabalha comigo? Pois. Certamente que não. É que se trabalhasse, saberia que eu trabalho pra caraças. :)

      Eliminar
    2. O anonimo das Anónimo2 de dezembro de 2020 às 19:44, voce ou e muito infeliz ou muito amargada/o. Pessoas felizes nao destilam odio na internet.

      S* lamento muito a perda dos teus animais. e desejo te muita forca nestes momentos mais complicados. um abraco

      Eliminar
  3. Não faz a dor passar mas deixo um beijinho e um abraço apertado.

    ResponderEliminar
  4. É muita coisa, é verdade... tens direito a estar cansada!
    E acredita. Porque dias melhores virão :)

    ResponderEliminar
  5. Oh S.... nem tenho palavras! Força! abraço apertadinho :(

    ResponderEliminar
  6. Um grande beijinho, querida S*. Muita força. <3

    ResponderEliminar
  7. Um beijinho grande e um abraço bem apertado neste momento mais complicado.

    ResponderEliminar
  8. Um abraço bem apertado, com o desejo sincero de melhores dias.

    ResponderEliminar
  9. olá S! só quem tem animais percebe a dor que é. o meu gato caiu da janela há uns tempos, felizmente ficou tudo bem mas passei 1 noite sem saber como ele estava e honestamente foi a pior da minha vida. um grande beijinho <3
    às vezes estamos mesmo numa "maré de azar", em que tudo corre mal, só nos acontecem coisas más, e é uma frustração e sentimento de injustiça horrivel. sei que isto é super cliche, mas vai passar, mesmo. melhores dias virão e depois a felicidade e as vitórias vão ter um sabor ainda mais especial. força!

    ResponderEliminar
  10. Hello :)
    wellllllllllll, 2020 não está a ser de todo um bom ano para ti querida Sónia.
    Um beijinho cheio de carinho para serenar o teu coração.

    ResponderEliminar
  11. Lamento muito, tinha um especial apreço pela Bella, era uma gata linda. Quando o cansaço se instala é muito difícil de enfrentar os dias, mas concentre-se nas coisas boas e viva-as intensamente. É a única forma que encontro de superar. Força.

    ResponderEliminar
  12. Posso te dizer que desde 2017, ano em que perdi 4 familiares de forma trágica, que me sinto assim. 2020 não foi o pior ano da minha vida, isso é o mais triste. Foi o segundo pior. Esta quadra traz a saudade e a tristeza, não é nada fácil. Cada um com as suas lutas, sei que não tem sido fácil para ti. Forte abraço.
    Carina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim também foi o segundo pior ano da minha vida.

      Eliminar
  13. Um grande beijinho :(
    E força! Vai melhorar!

    ResponderEliminar
  14. Um grande beijinho e um abraço apertadinho. Muita força *-*

    ResponderEliminar
  15. Como reages à morte dos teus animais? Este ano morreu um animal que eu tinha e eu sinto-me completamente em depressão, tenho ataques de choro, sinto-me culpada e tenho sonhos horríveis. Já foi há 9 meses e não consigo ultrapassar. Não é uma crítica, mas vendo o teu Facebook não diria que a tua gata teria morrido, daí a minha curiosidade em saber como lidas com isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai desculpar, mas sinceramente acho que a sua reacção está um pouquinho desajustada... Claro que as emoções não se controlam, mas temos de tentar lidar com as tristezas da melhor forma. Longe de mim querer dizer como deve reagir, mas ataques de choro e sensação de culpa não me parecem muito razoáveis.

      Não sinto qualquer culpa. Fiz tudo o que podia fazer pelos meus animais, emocional e financeiramente. Tenho essa consciência e, por isso, nunca me sentiria culpada. É uma doença... Não há culpados.

      A Bella não era uma gata afectuosa, mas faleceu em casa, o que é uma situação muito triste. O Faísca era um gato encantador, estava comigo há pouco tempo, mas era maluca por ele. Mas infelizmente esteve doente mais de um mês de tive tempo de me habituar à sua partida... Quando for o meu Pirata ou a Evita, que já está comigo há quase nove anos, certamente será mais complicado. Depende da morte, suponho.

      Não diria que me morreu a gata pelo Facebook? Também não diria que estava separada, quando já o estava há uns meses. Só mostramos o que queremos, decididamente... ;)

      Eliminar
    2. S* da mesma forma que te deixei um beijinho lá em cima, agora também te digo que este comentário foi muito desajustado.
      Tenho a certeza que quando estiveres num dia melhor, vais dar conta que não foi bonito de se dizer isto num comentário em que alguém desabafa as suas emoções.

      Eliminar
    3. Lamento a perda da anónima, assim como a da S*.
      Sei que quem gosta de animais pode realmente sofrer e sentir dor de verdade.
      Contudo, a atitude da anónima parece-me um pouquinho exagerada.
      Não leva a mal mas há que ter noção que os animais de companhia não são eternos e tem um X tempo de vida.
      Assim como convém distinguir a realidade do virtual, pois nem tudo o que vivenciamos precisa de ser divulgado nas redes sociais.
      Parece que é obrigatório divulgar todos os dramas e dilemas no facebook!
      Dentro da tristeza tente pensar que se fez o seu melhor e deu e recebeu amor, já valeu a pena.
      Missão cumprida.
      Tal como quando perdemos uma vida humana, por muito que custe, há que saber deixar ir.
      Não se sinta culpada.

      Eliminar
    4. S., como referes, as emoções não se controlam. Dirias que as emoções da anónima seriam desajustadas se lhe tivesse morrido um humano próximo? Não sei o que a leva a sentir culpa, mas sei que tenho um gato de 16 anos que é o amor da minha vida (e sim, tenho pais, família, namorado, uma vida emocional feliz, para quem acha isso estranho), e acredito que a dor que sentirei quando ele morrer não será comparável a nada que tenha experienciado na minha vida.

      Eliminar
    5. Meus caros, com todo o respeito, já aqui disse, creio, por diversas situações, que os meus animais são mais importantes para mim que alguns familiares. O meu cão é uma paixão imensa... Mas tento ser razoável e, por mais que me doa e me faça sofrer, sei que um animal não irá durar muitos anos... É uma escolha consciente que faço ao adoptar um animal. Sei que me fará sofrer, mas também sei que terei sempre lugar para outro animal na minha vida. Não substitui, mas ameniza...

      Respeito todas as emoções, mas temos de tentar perceber quando não estamos bem. Se é esse o caso, procuramos ajuda. Estou disponível para ouvir todos os desabafos, desde que não me digam que "o Facebook não mostra que a tua gata morreu"...

      Eliminar
    6. Sou a anónima das 04:58h, sei que já expressei a minha opinião mas voltei aqui e continuo a achar que devem MESMO ter noção que os animais de estimação não duram a vida inteira.
      Nem nós duramos...
      Convém também pensar nisso antes de decidir ter animais.

      Não façam filmes à toa, gente.
      Ninguém menosprezou o sofrimento da anónima como é óbvio.
      Ninguém tem o direito de julgar e todos lidamos com a dor de maneira distinta, mas sejamos razoáveis.
      A parte de achar que é muito saudável divulgar tudo no Facebook é tudo menos “normal”.

      Eliminar
    7. Sou a anónima inicial e preciso de esclarecer algumas questões que foram erradamente interpretadas.

      A sensação de culpa que sinto é porque não vi os sinais de que ele estaria doente e quando o levei ao veterinário já era demasiado tarde. Hoje, analisando algumas coisas e tendo mais informação, percebo que ele realmente deu sinais e eu não os soube interpretar. Trabalho em casa e ele era a minha companhia, íamos de férias juntos, seguia-me para todo o lado e eu adorava-o (adoro-o?). Entramos em confinamento e eu não pude sair de casa para me distrair, tive de me confrontar todos os dias com a sua ausência e com a mudança forçada de rotinas.

      Quanto à questão do Facebook, passo a explicar. Nos dias posteriores à sua morte, não conseguia abrir redes sociais, não conseguia ver a vida dos outros a seguir e eu num sufoco enorme. Em momento algum publiquei o que quer que fosse em relação ao meu sofrimento, eu simplesmente não conseguia ver quanto mais comentar coisas. Sofri muito e ainda sofro, mas entendo que cada um reage de forma diferente. A minha pergunta teve zero de maldade e não quis dizer que devemos expor a nossa vida nas redes sociais, detesto e simplesmente não faço nada disso. Deveria ter explicado melhor este ponto.

      Se as minhas emoções são desajustadas... Ninguém sabe o sofrimento que os outros carregam, as suas vivências e experiências. Estou numa fase má da minha vida e tenho de arranjar força todos os dias. O sofrimento psicológico continua a ser muito desvalorizado. Se há coisas piores que isto? Tenho perfeita noção. Isso alivia a minha dor? Nem um pouco.

      Eliminar
    8. Anónimo5 de dezembro de 2020 às 14:48,

      Sou a anónima das 10:31 e não consigo que tenha feito filmes à toa.
      Todos sabemos que os animais não vivem para sempre (embora, quando adotei o meu gato, tinha eu 14 anos, a morte não fosse algo em que pensasse muito). Também sabemos que, à partida, os avós, os tios, os pais, etc., também vão partir antes de nós e não é por isso que deixa de ser, para muitas pessoas, uma dor excruciante. E sim, estou a colocar a morte do meu gato no mesmo patamar de dor ou até superior.

      Eliminar
    9. Anónima inicial, entendi. Lamento mesmo pela sua situação. O facto de estar em casa realmente não deve ser fácil para este processo de luto.

      Também já perdemos um animal por problemas relacionados com o sistema urinário, não consigo especificar o quê, e hoje em dia tenho noção que ele deu sinais que não soubemos interpretar. Ficava sentado na caixa da areia imensas vezes e não ligamos, achamos que era somente um pouco porco... E quando seu sinal, foi tarde. Morreu ao ser operado.

      Tudo de bom para si. Na medida do possível, tente arejar, fazer coisas diferentes, mudar algumas rotinas. Força.

      Eliminar
    10. Havendo uma perda há 9 meses e continuando a persistir a sintomatologia não acho errado que se diga que está a ser uma reação desajustada.

      Não por estar a fazer algo errado mas porque talvez pela sua situação, por aquilo que já está a passar na vida talvez essa perda tenha despoletado ou demonstrado que precisa de ajuda especializada para lidar com tudo.

      Efectivamente o sofrimento psicológico existe e não deve ser desvalorizado. Também é possível fazermos um luto desajustado e problemático que não nos permite seguir em frente e onde ficamos nesse ciclo depressivo.

      Eu pensaria em contactar um psicólogo para tentar ajudar a encontrar uma forma de lidar com aquilo que está a passar agora.

      Eliminar
    11. Anónimo 19:22h.

      Entendo.
      Quando disse: “não façam filmes à toa” foi mais no sentido de parar com o “ataque” uns aos outros em comentários.
      Ninguém ignorou ou brincou com o sofrimento da anónima que desabafou a sua perda, tal como já disse também anteriormente.
      Eu sei o que é perder animais e pessoas na família.
      Já passou algum tempo e ainda hoje moram em mim e estão comigo todos os dias, mas através da dor também aprendi que há coisas que não controlámos.
      É mesmo assim, uma passagem...
      Façam o luto, no vosso tempo e sem pressa sem ignorar a dor.

      Eliminar
  16. Um grande beijinho e um abraço apertadinho :)

    ResponderEliminar
  17. A Bella era a pretinha?? Morreu de quê?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, era preta e branca. Os meus gatos têm todos leucemia felina... desde Agosto do ano passado que me morreram 4... a primeira, com crise de anemia... a preta, a Blackie, morreu no início do ano, porque deixou de comer e entrou em falência. O Faísca igual, começou a ter dificuldades em comer, infecção na boca, entrou em falência renal... A Blackie foi basicamente o mesmo... Deixam de comer e colapsam... :(

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.