Avançar para o conteúdo principal

Mommy Needs Vodka


Mommy neeks Vodka é a minha página de eleição do momento.

Nunca tive uma visão romântica da maternidade. Nem antes de engravidar. Nem enquanto estava grávida. Muito menos depois de a criança ter saído cá para fora.

Três anos e meio depois, continuo a ser uma mãe relaxada, uma mãe despreocupada, que enche de mimos e de beijos, mas que é disciplinadora e pouco paciente para birras e faltas de educação.

Não sou uma mãe unicórnio, não vejo tudo colorido e com purpurinas. O meu filho é filho único, é mimado e sinto que as recentes alterações da nossa vida têm colaborado para que ele fique um pouco mais ansioso e nervoso. Os pais estão menos tempo com ele e obviamente acabam por dar um bocado mais desconto quando têm oportunidade de passar tempo com ele. 

Da minha parte, tenho evitado à força toda comprar-lhe coisas e ser mais permissiva. Nem sempre consigo. Ele faz aqueles olhos de carneiro mal morto, diz "só cinco minutos, por favor, eu prometo" e, às vezes, lá me vence.

Na escola é "dos que apanha". Fora da escola, com o primo, "é dos que bate". É um bom menino, mas tem o seu feitiozinho. Para azar dele, a mãe ainda tem pior feitio e cede pouco a mimalhices. 

Comentários

  1. O que e uma visao romantica da'maternidade?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achar que é tudo maravilhoso...

      Eliminar
    2. Então mas só faz sentido existir essa visão romântica da maternidade até se ser mãe ou não?

      Eliminar
    3. Depende do que se fala. Acho que todos pais levam um choque (mais pequeno ou maior) de realidade quando um bebé nasce porque por muito que se fale da privação de sono, do choro durante horas, etc, só se sabe o que é quando verdadeiramente se passa por isso. E aí percebem que nem tudo é maravilhoso.
      Mas ainda assim há pais que conseguem olhar para os filhos e ver como eles são verdadeiramente, com qualidades e defeitos, e outros para quem tudo o que os filhos fazem é magnífico e desculpável mesmo que estejam a atirar comida para o chão, a bater na avó ou a gritar nomes à mãe.
      Claro que o mundo não é a preto e branco nem na maternidade. Eu não me revejo na descrição da S* enquanto mãe, sou muito mais babada, acho magnífico as coisas que faz mas também não sou das que “tudo é maravilhoso, até os puns que dá” porque também consigo ver que aquilo que faz é normal para a idade e há outras crianças a fazer o mesmo. E haverá mães mais realistas que eu. E mais babadas também. E algumas para quem tudo é uma seca e trabalho e outras para quem tudo é uma maravilha. :)

      Tété

      Eliminar
  2. Não conhecia a página, vou dar uma olhadela.

    ResponderEliminar
  3. Hello :) Não conheço a página mas adorei ler sobre o teu pequeno reguila.
    Tão bom quando se é assim, descomplicada.
    As crianças são isso mesmo... Crianças.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Adoro a página, sigo religiosamente. Também nunca tive uma visão romântica da maternidade!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Womanizer - O Feedback

Pois bem, minhas amigas... O Womanizer lá chegou através da Amazon de Espanha ao fim de uns dez dias.  E tenho a dizer-vos que custou 189 euros e vale cada cêntimo. Obviamente que não vou estar aqui a entrar em detalhes, mas é um estimulador muito bonito, com um toque agradável, que vem acompanhado por um gel lubrificante que diz "Orgasm is a human right" , o que me parece um excelente princípio. Admito que, por incrível que seja, ainda demorei uns bons minutos a perceber exactamente o encaixe. Parece óbvio, mas não é, porque vibra mal toca na pele e, com o estímulo, não é assim tão simples quando poderia parecer. Ou sou eu que sou aselha. Mas também garanto, minhas amigas, que a partir do momento em que há encaixe, é uma questão de segundos. Não é exagero, são segundos. E uma coisa que se prolonga até à infinitude... Ou até já não aguentarem mais e desligarem, como acontece comigo. Sim, sou uma descarada. Sim, vale todos os euros. Sim, é garantia total. Repetidamente. Infini

:)

Um mês e dez dias depois, tive oficialmente "alta" médica. Ainda não estou aí para as curvas, mas já obtive autorização para voltar a conduzir. Também posso fazer fisioterapia sem preocupações... Já tinha feito uma sessão - na passada semana - e é impressionante o bem que apenas 45 minutos de fisioterapia me fez! Este fim-de-semana volto para o meu apartamento e para as minhas rotinas. Estou feliz por voltar ao meu mundo, mas reconheço que quase mês e meio no ninho da mãe, nesta fase do campeonato, me fez muito bem. Precisava de curar-me física e emocionalmente. Não estou boa, mas estou quase boa.  O melhor ainda está por vir. A todos os níveis.