Avançar para o conteúdo principal

A Páscoa que tem de ser

Quatro semanas de quarentena. Estou a lidar muito bem com isto, digo-vos já.

Nunca fui a mais paciente das mães e continuo a não ser. Também nunca fui a mais paciente das esposas e também não melhorei.

Mas tenho conseguido gerir os dias com relativa calma. Chego ao final de cada dia e penso "ufa, mais uma etapa concluída com sucesso". Já faltou mais - embora não se vislumbre luz ao fundo do túnel. 

O facto de ter o cão para passear ajuda bastante, que apanhar ar nas fuças revigora qualquer um. As amêndoas e os chocolates também são bom auxílio.

Custam-me as datas especiais. Perdi o aniversário do cunhado. Para a semana será o aniversário do meu irmão. Amanhã, a Páscoa, que é sinónimo de família e de momentos bem passados. 

Mas amanhã teremos almoço em família, com ajuda das novas tecnologias. A minha irmã - que é a pessoa mais preocupada que eu conheço - tratou de nos arranjar um almoço de Páscoa surpresa, que será entregue cá em casa. Ligaremos o portátil, estaremos em família e será bem passado. Pelo menos enquanto a criança não começar a berrar e a dizer que quer desligar a chamada (o que tem acontecido todos os dias...).

💗💗💗 Boa Páscoa. Fiquem em casa. 💗💗💗

Comentários

  1. É preciso adaptar a Páscoa aos tempos que vivemos.

    Boa Páscoa.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Também tento sempre levar a coisa pela perspectiva mais optimista, mas tenho picos em que começo a sufocar... depois passa.
    Durante esta quarentena já aprendi várias coisas novas, estou a tirar uma pequena formação formato e-learning, já pensei e voltei a pensar sobre tudo e mais alguma coisa, já chorei e às vezes do nada...
    Perdi aniversários de familiares e até ao fim da quarentena vou perder outros que isto o pessoal resolveu nascer tudo na mesma época. :)
    Enfim, sinto-me mais sensível e esta Páscoa será diferente.
    Também está combinada a videochamada em família, essa é certinha mas tenho tanta vontade de pegar no carro e conduzir... ir ver os meus, apanhar ar livremente.
    Logo eu, uma “gaja” que adora a sua liberdade.
    É uma prova de resiliência.
    É bonito ver que estamos mais solidários mas... estou triste!

    Ainda assim sempre a sorrir porque sei que tudo isto vai passar.
    É nestas alturas que damos ainda mais valor ao que muitas vezes vemos como garantido.

    Beijinho S* e boa Páscoa para vocês.
    Fiquem em casa. :)

    ResponderEliminar
  3. Uma Santa Páscoa para ti e para os teus.

    ResponderEliminar
  4. Valham-nos as tecnologias para estas alturas.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.