Avançar para o conteúdo principal

O meu Cão

A imagem pode conter: pessoas sentadas, cão e ar livre

Evitei falar disso durante estas semanas, porque era um assunto que me deixava apreensiva. Finalmente chegaram as boas notícias.

O meu cão tem um tumor.

Rectifico: tinha um tumor.

Com seis anos e meio, feliz da vida e imensamente mimado, apareceu-lhe de forma repentina uma pequena bola cor-de-rosa no sítio onde deveria ter um mamilo. Pensei que se podia ter arranhado, mas dois dias depois lá estávamos na veterinária. O diagnóstico foi praticamente imediato: histiocitoma.

Primeiro tentamos um pomada à base de cortisona, porque poderia ser uma inflamação. Duas semanas volvidas, tudo na mesma, pelo que se partiu logo para a remoção do tecido. Lá foi operado, retirou-se o suspeito tumor e enviou-se para análise. Uma semana de espera, até que agora recebo a bendita chamada da veterinária. Histiocitoma benigno, com indícios de remoção total. 

É só um cão? Não. É o meu amor de perdição. 

Faz amanhã duas semanas que tive de adormecer a minha gata preta, a Blackie. Enquanto passava por esta ansiedade de ter o cão eventualmente doente, vi a minha gata arisca a definhar numa questão de dias. Infelizmente, a leucemia felina vive cá em casa, pelo que já sabíamos o que se passava. Não aguentei, preferi adormecê-la. Estava tão fraca que, nos últimos dias de vida, procurou em mim o amor que rejeitou nos oito anos em que viveu connosco.

Não andamos numa boa fase, mas vai tudo melhorar. Haja fé.

Comentários

  1. Essa varanda está um desastre!

    Ainda bem que o patudo ficou bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é uma varanda. É uma área de churrasqueira, cadeiras extra e afins. Mas isso é irrelevante para o texto. O meu cão está bem.

      Eliminar
    2. Ainda estou de boca aberta com a falta de sensibilidade do comentário! A anónima nunca deve ter tido animais de certeza, senão saberia o que custa sabê-los doentes ou, pior, ter que deixá-los partir. Ou se calhar é só burrice...Leu o texto mas não deve ter percebido, ou não faria um comentário tão despropositado.

      Eliminar
    3. A mim já nada me surpreende. Adoro treinadores de bancada

      Eliminar
    4. Menos...
      A anónima sou eu e vocês escusam de criar drama onde não existe.
      Uma frase que foi escrita a sorrir dá logo direito a atirar pedras.

      E já agora, para a anónima de cima, por acaso sempre tive animais de estimação.
      Desde o meu nascimento até aos tempos de hoje, portanto, não fale do que desconhece.

      Burrice é o que você tem na língua, seguramente.

      Eliminar
    5. Burrice na língua e falta de chá.
      E por fim, aproveite e feche a boca já que está com ela aberta.
      Aproveite e lave as mãos...
      Ou melhor, tome um banho e limpe a Alma ou o espírito desbocado que existe em sim.

      Eliminar
    6. Já sei que andamos todos ansiosos, mas vamos lá a ter mais calma. Que corra tudo bem convosco.

      Eliminar
    7. S* também não foste mais simpática. Mandas logo um “treinadores de bancada” sem fundamento.
      Se reparares a pessoa falou do teu cão, não ignorou pura e simplesmente.

      Eliminar
    8. por acaso fui algo que eu sempre detestei em casas de aldeia, via isso a acontecer na casa da avó, da mae, e jurei sempre que na minha nao ia acontecer mas é dificil. porque é mais uma mesa, mais umas cadeiras, mais algo que pode dar jeito num dia de festa com mais pessoas e casa, e se temos espaço nao se vai pôr fora, e vai-se acumulando e acumulando. eu moro numa casa nova há 1 ano e já tenho as paredes da garagem cheias de tralha de lado e no sotao já tem umas quantas coisas. da-me uns nervos.....a vontade que tenho é colocar tudo no lixo, gosto de ter as coisas organizadinhas e com espaço livre e pouca confusao. mas depois quando penso em deitar fora começa o marido a dizer que ah e tal isto da jeito, aquilo da jeito e pronto.

      Isto tudo para dizer que pensei nisto quando vi a foto, mas num post que se fala de uma assunto serio e doloroso nao iria fazer esse comentário como a primeira anonima fez. ate posso tentar acreditar que foi uma brincadeira, mas nao foi de todo adequada. acho que deviam pensar assim: se fosse com uma pessoa real à vossa frente, iam fazer esse comentario? se a resposta for nao entao nao o façam na net.

      Eliminar
    9. De novo para mencionar que sou a primeira anónima.
      E tal como já disse e foi dito, o tema do post não foi ignorado.
      Se querem continuar a implicar com pequenas coisas, façam-no.
      Não me vou sequer chatear com os vossos comentários.
      Credo, que exagero!

      Eu guardo a tralha na garagem, mas a minha primeira frase nem foi para ofender ninguém até porque foi dito com intenção de brincadeira e descontraída porque eu sou assim, não gosto de drama.

      Aliás, se o pior já passou, se o patudo da S* está melhor... então porquê continuar a dramatizar?

      Eliminar
    10. Deixem lá a varanda. O meu cão está bom, mesmo já tendo comido um dos agrafos. :D

      Eliminar
  2. Ainda bem que tudo se resolveu pelo melhor
    Beijinho

    Já algum tempo que reparo que o teu blog atrai muita gente estranha, credo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A própria autora do blog gosta de picar se preciso for.

      Eliminar
    2. A própria S* respondeu de forma torta tal como já aconteceu várias vezes.

      Sejam felizes.

      Eliminar
  3. Pena que existam pessoas que em vez de comentarem notícias difíceis sobre animais de companhia, que são amados e mimados, se dignem a fazer comentários sobre "a varanda". Estamos em época de pandemia! Sejam generosos nos afectos com os outros.
    Nunca comentei, mas hoje, tive de o fazer!
    Ana Bela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A anónima do primeiro comentário é a mesma que já fez comentários aqui no blog da Sónia sobre humanidade, sobre as pessoas serem mais amigas dos outros, sobre cada um meditar sobre nós e o planeta, etc etc.
      É a mesma que deixou dicas e links à S* sobre o parque Warner, entre outros...

      Há quem venha ao blog fazer comentários realmente descabidos sobre a vida da S* (como a outra a implicar com a roupa do miúdo...) mas eu não sou uma dessas pessoas.
      Mas não tenho paciência para “Marias” que com pouco se ofendem.
      Aliás acrescento que a minha varanda também tem épocas em que está um desastre e sou a primeira pessoa a brincar com o assunto.

      Fim de conversa.
      Para o patudo tudo de bom e muito mimo.

      Eliminar
  4. Os nossos animais, nunca serão só animais. Serão sempre mais que isso. Que ele fique bem ❤️

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Work in progress

Aprender a lidar com a solidão não é um processo mesmo nada fácil. Ando a diversificar as minhas formas de entretenimento, mas, convenhamos... A COVID não é muito minha amiga. A chuva rouba-me as caminhadas. Valham-me as amigas que me telefonam para ir apanhar pinhas ao monte e as colegas sempre presentes.  Comecei a dançar às segundas-feiras à noite - com a vantagem de achar a professora uma simpatia. A amiga Netflix tem-me feito muita companhia. Estou a ver a primeira temporada de Outlander e sei que tenho série para umas semanas. Os livros também prometem ser grandes amigos, mas sinto-me sempre com tanto sono e com tanto cansaço que tenho evitado a palavra escrita. Estou bem, mas estou a adaptar-me. Com dias melhores e dias menos bons. Obrigada a todos os que, de uma forma ou de outra, demonstraram caminho.