"'Cause it's all about the money"

A imagem pode conter: meme, texto que diz "VOCÊ PERCEBE QUE VIROU ADULTO QUANDO 90% DOS SEUS PROBLEMAS SÃO RESOLVIDOS COM DINHEIRO E QUE MUITAS VEZES DINHEIRO É O PROBLEMA"

É impressionante como a questão "finanças" gera sempre tanta opinião, partilha de informações e (algumas) críticas aqui no blogue.

Há pessoas que são mais reservadas no que a este capítulo diz respeito, mas eu sou um livro aberto - como em tudo na minha vida, aliás. Não tenho qualquer problema em queixar-me, porque sou humana, cometo erros, prometo portar-me bem e acabo a comprar qualquer coisa desnecessária. 

Mas digo-vos... Estou a levar isto tão a sério, que o homem convidou-me para jantarmos juntos (sem a pulga pequena!) e eu pensei logo "Ora deixa cá ver quanto é que isto me vai custar...". São influências vossas! 

Mas, como boa pecadora que sou, aceitei o convite. Na verdade, tinha de fazê-lo. Sabe-se lá quando é que ele volta a sugerir deixar o pirralho em casa (muahahah).

Comentários

  1. Lol, gostei desse muahahah. :D

    S* aproveita o jantarinho com o marido.
    Não será o jantar que irá “estragar” o foco na poupança.
    Tudo com conta, peso e medida ou nem 8 nem 80.
    Acho que podemos e devemos ter algumas poupanças pois nunca se sabe o dia de amanhã.
    Convém estar ciente que problemas podem surgir num piscar de olhos.
    Mas é também por isso que devemos aproveitar os momentos, a dois neste caso.
    Sabemos lá se amanhã estamos cá para comemorar.
    Acho que fazem muito bem.
    Poupar mas também usufruir.

    ResponderEliminar
  2. Tu isso é normal. E se assumes que queres partilhar e queixar (o que, de resto, todos nós fazemos - queixar), pelo menos que não se venha depois dizer "metam-se na vossa vida" quando alguém opina, como já ocorreu no passado.
    Estou aqui a lembrar de uma anónima, há uns posts atrás, muito rude e desagradável para quem comentou o assunto...completamente despropositado. Tem sido um tema demasiado recorrente, e como tal, é sobre isso que se fala, correndo-se também o risco de se ler opiniões diversas.

    ResponderEliminar
  3. Sem, stresse, S*. Tens de ter sempre uma parte do orçamento mensal para lazer, que pode comtemplar refeições fora. É mesmo uma questão de gestão e planeamento financeiro.
    Boa sorte nas poupanças!
    Força!

    ResponderEliminar
  4. S, para mim isso nao é levar isto a sério. Seria a sério se dissesses que nao e procurasses uma alternativa. Podiam fazer um jantar romantico em casa e aproveitar para namorar sem o filho por perto por um 1/3 do valor (ou menos) do que vao gastar no restaurante. Claro que isto vai do foco de cada um e nao estou a dizer que tens que abdicar de tudo o que gostas para poupar mais uns €€€. Mas levar isto meeeesmo a sério seria ter uma atitude que normalmente nao tens, que é meter o dinheiro deste jantar ao bolso.
    De qualquer maneira, divirtam-se e aproveitem para namorar!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Namorar em casa com 1 cão e 3 gatas sempre a chagar não é algo muito apelativo, admito. Mas sim, costumamos fazê-lo, por exemplo ao fim-de-semana... jantamos a dois depois do pequeno ir dormir e ficamos só na ronha.

      Eliminar
    2. Isso não é levar a sério, é extremismo.

      Eliminar
  5. Nem 8 nem 80. Apesar de me considerar uma pessoa poupada, nunca recusaria um convite desses (ainda por cima se é algo raro) para conseguir poupar esse dinheiro.

    ResponderEliminar
  6. Infelizmente viramos adultas e temos de fazer contas à vida mesmo sabendo que há programas a dois que sabem tão bem!

    ResponderEliminar
  7. Eu não acho que estejas a poupar. Não é pelo facto de irem jantar apenas a dois uma vez ( até é bastante saudável) mas porque pelo que dizes vives a gastar. Seja numa peça barata, num pormenor de qualidade mas caro, numa peça que simplesmente não resististe e por aí fora.
    O "problema" não é uma dessas coisas isoladamente, é tudo junto. Problema obviamente para quem quer poupar, quem quer gastar à vontade sem qualquer reflexão não deve satisfações a ninguém.

    Para mim tentar poupar é algo muito diferente. Por exemplo, quando é que passaste um único mês sem um lanche, jantar, pecinha, pechincha, peça de roupa, etc? Talvez tenha uma imagem errada tua mas acho que nunca vi um único mês passar no blog sem mostrares algo onde gastaste dinheiro não essencial ( essencial aka despesas básicas e incontornáveis).
    Não me deves resposta nenhuma. Será apenas uma reflexão para ti, se assim o pretenderes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, talvez não tenha acompanhado, mas foi só agora em JANEIRO que eu disse que iria fazer um esforço para a poupança. Antes disso, nunca tinha referido esse meta... Podia queixar-me, mas não assumia esse compromisso. Este mês tem corrido bastante bem, na verdade. Já aqui confessei um deslize, para comprar uma écharpe de enorme qualidade (que passou de quase 60 euros para 17 euros). Se era dispensável? Totalmente. Mas achei que era mesmo um excelente investimento. Fora isso, tenho realmente conseguido cortar nesses pequenos mimos. Esta semana, acho que gastei 3 euros em 'extras ' - cafés, torrada. Gastei uma boa maquia na costureira, este mês, porque mandei apertar várias calças e blusas, mas considero que isso foi um gasto racional - gastei, para não comprar roupa nova.

      Fora isso, como indicado, eu admito perfeitamente que não sou a pessoa mais poupada do mundo. Mas estou a lutar para melhorar. :)

      Eliminar
    2. Eu gasto dinheiro em extras todos os meses e também poupo todos os meses. Não percebo a contradição.

      Eliminar
    3. Lá está temos visões diferentes. Para mim o que relatas não entra na categoria de alguém que está a tentar poupar.

      Só mesmo a questão da costureira entraria nessa categoria e ainda assim depende do número de peças a alterar...

      Mais uma vez, não me deves nada mas o que relatas para mim é equivalente a hábitos de consumo minimamente regrados, a ter cuidado com não gastar excessivamente e não de alguém que está a poupar e ainda assim com alguns excessos.

      Para mim poupar seria dizer não à peça ( mesmo de qualidade) porque não se precisa. Até porque quando não se compra algo e se vira costas a uma pechincha a poupança é de 100%, o que é bastante imbatível... Também seria dizer não a outras pequenas coisas e no final do mês provavelmente já se teria poupado o suficiente para pagar o jantar para 2 pessoas.

      Eu peço desculpa se estiver a parecer muito agressiva. O diálogo escrito não é fácil.
      Eu louvo-te a vontade de mudar. Sei bem o quanto custa porque eu tive que fazer o percurso inverso: aprender a gastar.

      Por aqui foi uma das batalhas no meu relacionamento porque eu era incapaz de gastar e o meu marido também não resistia a nada. Irritava-me solenemente e eu a ele. Aprendemos um com o outro e hoje somos mais equilibrados ( na minha visão)

      Eliminar
    4. Vá lá, nem 8 nem 80. :) Eu também estou bastante focada em poupar este ano (tenho um objectivo concreto e tudo). Mas hoje apetecia-me pipocas de cinema. Sem ir ao cinema. Apetecia-me fazer uma maratona de filmes em casa, mas com pipocas de cinema. E lá fui eu comprá-las! Se podia passar sem elas e poupar esses 4€? Claro que sim. Mas viver também é um bocadinho isto. Ficar feliz com as pequenas coisas e fazê-las!

      Eliminar
    5. Sem dúvida. Eu fico feliz com pequenas despesas como essas. Ao fim-de-semana, adoro poder tomar o pequeno almoço fora a três. Por acaso, já não o faço há umas boas semanas. Mas é pouco dinheiro que é muito bem gasto.

      Eliminar
    6. Despesas supérfluas constantes é sinónimo de poupar? Gastar o triplo ( ou mais) do que se gastaria em casa constantemente é poupar?
      Claro que até a questão de frequência é relativo. Eu se for comer fast food uma vez por mês já acho um exagero, há quem vá todos os fins de semana e considere que só consome porcarias raramente...

      Outra coisa que eu não percebo é a ideia que é preciso gastar sempre dinheiro e que se não se gastar é sinal que não se aproveita a vida. A sério?

      Eliminar
    7. "Outra coisa que eu não percebo é a ideia que é preciso gastar sempre dinheiro e que se não se gastar é sinal que não se aproveita a vida"

      depende do que se quer fazer, mas na realidade a maior parte das coisas de lazer implica gastar dinheiro, mas claro que depende da situação de cada um. uma pessoa que more no centro da cidade, pode ir de bicicleta e passear para o parque da cidade num domingo à tarde e não gastar nada. mas se eu que moro numa aldeia quiser fazer isso tenho de ir de carro e gastar gasolina. eu posso ficar feliz por ir simplesmente passar o sabado à praia (por agora praia ainda é de graça) mas gasto gasolina para la ir. e posso ficar feliz levando uma fruta e uma sandes para lanchar, mas se calhar faz-me mais feliz ir comer um gelado (que nao dá para trazer de casa, por isso se quero comer na praia tenho de comprar la). Eu acho que por outro lado depende daquilo que para nós é chato fazer, por ex, eu detesto cozinhar por isso faz-me muito feliz poder ao domingo ir com o marido almoçar fora a um restaurante e nao ter de preocupar-me com isso. Por outro lado, nao me chateia nada pôr água a aquecer para fazer um cha e fazer uma torrada, por isso nunca vou lanchar fora de proposito , so se tiver fora de casa noutro sitio a passear.

      "Despesas supérfluas constantes é sinónimo de poupar"
      repare que quase tudo é superfluo. para alem de despesas com habitação, água, luz, comida, transportes e saude, quase tudo o resto podiamos passar sem.
      eu em Janeiro fiz verniz gel, comprei roupa em saldos (que nao precisava necessariamente porque tenho imensa roupa), fui 2 vezes ao cinema, comi em restaurantes todos os fins de semana, comprei bilhetes para o teatro para espetaculos em Fevereiro e Março, e comprei prendas para 2 pessoas da familia que fazem anos (40€ cada prenda). E poupei na mesma 20% do meu rendimento (é o meu target mensal). Podia perfeitamente ter evitado estas despesas todas, e continuava a viver à mesma, e poupava mais , mas se calhar não estaria tao feliz. Por outro lado este domingo fiquei em casa, o marido fez o almoço, passei a tarde no jardim a apanhar sol a ler um livro e a fazer festas ao gato, e quando anoiteceu vim para dentro ver filmes na TV e agora estou a ver blogs no computador, e supostamente não gastei dinheiro nenhum extra. Mas na verdade estive no meu jardim porque gastei dinheiro a comprar uma moradia grande com terreno, porque gastei dinheiro a colocar relva e a rega-la, porque gastei dinheiro numa espreguiçadeira para estar la, porque gasto dinheiro todos os meses na mensalidade da Meo para poder ter filmes disponiveis, vejo blogs porque gasto dinheiro para ter net em casa, para ter um computador tive de gastar dinheiro a compra-lo, enfim....Indirectamente para aproveitar-mos a vida temos sempre de gastar dinheiro.

      Eliminar
    8. Se formos por aí, para viver temos que comprar comida e gastar dinheiro...

      Eu refiro-me a sair de casa.

      Além do mais, não considera que esteja a fazer um esforço para poupar por aquilo que diz mas , como foi dito acima, está a fazer o mínimo possível para ter uma vida financeira minimamente estável e não viver endividada. O que é bem diferente de poupar ou ser frugal.

      Eliminar
    9. Anónima das 22:21, uma pessoa pode gastar centenas de euros mensais em extras e ainda assim poupar. Eu gasto em extras, mas também poupo entre 25% e 30% do meu salário. Existe é poupar mais e poupar menos, mas não deixa de ser poupar só porque há extras.

      Eliminar
    10. Se ganhar 50.000€ e gastar 25.000 mensais isso é poupar? Ou é gastar à vontadinha e em e coisas extremamente desnecessárias?

      Isto de poupar % de salários não diz nada sobre hábitos. Só sabendo o que a pessoa ganha.
      De qualquer forma, poupar 15-20% do salário é o mínimo recomendado ( novamente acho uma estupidez estes valores porque depende do salário). Mas é o mínimo para garantir que a pessoa tem o mínimo de segurança financeira e não vive endividada. O que está longe de ser alguém irresponsável com dinheiro mas também está muito longe de ser alguém poupado.
      Mas se vamos por percentagens, para mim quem com salários médios mete 50/60% do salário é que está a poupar. Já quem consegue poupar 70/80% está noutro patamar...
      E eu não estou a dizer que não deve (m) viver a gastar o que bem vos apetecer. É-me indiferente na realidade.

      A mim isto só irrita quando vem dos queixinhas.
      Serve precisamente para ver como a teoria que " é impossível poupar mais" é mentira. Enquanto houver gastos desnecessários habituais como os muitas vezes descritos dá para ver onde se poderiam poupar algumas centenas mensais. Eu conheço quem tenha empregada, vá jantar todos os fins de semana fora, compre o que quer e apetece e ande sempre a chorar porque gasta em média +500€/mês do que ganha e não sabe onde cortar. Não há muita paciência para quem se faz de mártir desta forma quando há pessoas com reformas abaixo dos ditos 500€ que conseguem viver e ainda poupar.

      Eliminar
    11. Anónimo3 de fevereiro de 2020 às 10:18

      "Não há muita paciência para quem se faz de mártir desta forma quando há pessoas com reformas abaixo dos ditos 500€ que conseguem viver e ainda poupar."
      mas a questão é precisamente esta. Se há muitas pessoas que fazem a vida de chapa ganha chapa gasta, entao o anonimo acima que poupa 20% do seu salario ja faz uma boa poupança. Tudo na vida é uma questao de comparação e relativizar comparando com o que a maioria da sociedade faz

      "Se ganhar 50.000€ e gastar 25.000 mensais isso é poupar? Ou é gastar à vontadinha e em e coisas extremamente desnecessárias?"
      vamos agora pensar nisto de uma forma mais profunda. o dinheiro serve para vivermos para sermos felizes. o facto de pouparmos ter como proposito um dia mais tarde quando precisarmos desse dinheiro o termos disponivel. por ex, as pessoas que poupam para a velhice se um dia tiverem de pagar um lar. se eu ganhasse 50.000€/ mes e gastasse 1.000€ e poupasse 49.000€ isso fazia sentido? ao fim de 30 anos ia ter juntado um balurdio que depois servia para quê? faz sentido depois na velhice ir rebentar balurdios de dinheiro e depois nunca gastar nada, mesmo nada e depois o dinheiro vai para onde, para os herdeiros?
      Eu tenho um familiar, emigrante, que sempre poupou tudo o que ganhava, vivia num quarto miseravel na Suiça, so gastava no comer, nao comprava roupa, nao ia jantar fora, nao fazia qualquer actividade de lazer. hoje em dia recebe a reforma, que é bastante boa e gasta apenas 200€ por mes: anda de bicleta (portanto nao tem gastos com carros), so paga agua, luz e gas (nao tem net, nem tv cabo e levanta-se quando o sol nasce, deita-se cedo e assim aproveita a luz solar para gastar o minimo de electricidade possivel), está na aldeia portanto tem galinhas, patos, horta, vegetais, so compra fora o minimo de comida possivel, continua a usar a roupa velha que trouxe da Suiça. Considerando tudo o que poupou enquanto trabalhou la e o que vai ainda poupando da reforma que recebe tem cerca de 500.000€ no banco. É um infeliz a quem os filhos nao ligam nenhuma, nao faz qualquer activdade de lazer, está sempre por casa a tratar da horta e dos animais e so sai se tiver de ir à cidade ao medico ou algo do genero. Para que lhe vai servir o dinheiro no futuro? Sim, deve ter algo para a velhice, se tiver doente, mas caramba, 200.000€ nao eram mais que suficientes? Não podia usufruir mais da vida?

      A verdade é que: poupar serve para quê? Tem de ter um objectivo (ex: comprar casa, carro, pagar faculdade aos filhos, suportar os gastos de saude na velhice, fundo de emergencia para desemprego, etc). Portanto há que ver qual o nosso objectivo e calcular quanto precisamos de poupar para ele e dentro do possivel devemos poupar. Agora poupar só por poupar se nao tiver logica nao compreendo.

      Por ex, poupar 70%/80% do meu salario ja o fiz quando comecei a trabalhar pois morava em casa dos pais e podia, e assim poupei para comprar uma casa, enquanto outras colegas na mesma situação gastaram todo o dinheiro em viagens e roupa. Agora que sou mais velha, com vida orientada, casa e carros novos, so me faz sentido poupar para a velhice e aí 80% seria um disparate completo, porque felizmente não é necessario tanto "só" para esse objectivo, 40% já está adequado.

      "Serve precisamente para ver como a teoria que " é impossível poupar mais" é mentira"
      mas isto é obvio. se há pessoas em Portugal a ganhar 500€ e sobrevivem entao teoricamente qualquer um de nós pode gastar so o minimo dos minimos e poupar tudo o que seja acima desses 500€, mas isso implica um corte brutal nas condições de vida que nem todos estão dispostos a ter nem vêm vantagens nisso.

      Ja agora por curiosidade qual é o seu nivel de poupança?
      Eu ganho 1500€ limpos, e tenho como objectivo este ano reduzir para os 40% de poupança e 60% de gastos. Antes gastava menos e poupava mais, mas agora que ja cumpri os meus objectivos de poupança quero alterar o racio.

      Eliminar
    12. Exactamente, anónimo das 10h:18.
      Quem ganha bem e consegue poupar 20 ou 30% do salário, não faz mais do que é recomendado para uma boa saúde financeira.
      Não é por se ganhar mais que se consegue poupar. É mais a mentalidade associada ao consumo e estilos de vida. Sempre excessivo e acima das possibilidades de quem não consegue poupar.
      Vou dar o meu exemplo, ganho limpos uns €1480 e poupo todos os meses €1000. Ou seja, vivo o mês todo com €480. Com estes €480 consigo pagar tudo o que tenho a pagar e incluindo lazer, saídas e roupa/calçado (e olhem que gosto de coisas boas), ginásio, etc. E não passo um único fim de semana trancada em casa. :P Ah, e não recebo ajudas de ninguém, nem nas limpezas/arrumações, nem em produtos alimentares. Só uma vez por outra me dão um pouco de alguma fruta/legume da época.
      Depois uso o subsídio de férias mesmo para as férias. :) Mas o subsídio de Natal e o IRS vão todo para a poupança. Tenho um propósito bem definido e estou a trabalhar para isso e cada mês fico mais próximo de o atingir.
      Só dei o meu exemplo para verem que, apesar de ganhar mais, consigo viver com menos do que um salário mínimo por mês. Mas cada um faz o que quer com o seu dinheiro, se quiserem esturrá-lo todo em porcarias, estejam à vontade mas depois não se queixem que não conseguem poupar. Conheço pessoas que ganham bem mais do que eu e mesmo assim estão atoladas em créditos e é 'pataca ganha pataca gasta' sem pensarem no dia de amanhã e que podem eventualmente ficarem sem a sua principal fonte de rendimento (por desemprego ou doença, por exemplo).

      Eliminar
    13. Há quem poupe e se " reforme" cedo aka nos 30s ou 40s. Têm total liberdade financeira para se dedicarem ao que gostam, meterem-se em projetos do agrado e nunca estarem dependentes de outro tipo de rendimento. Tudo o que entrar com esses projetos é extra e não têm que levar com condições de trabalho que não gostem, por exemplo.

      Eu já tive uns 4 meses sem nenhum rendimento e com grandes despesas com a saúde e não tinha nenhum tipo de pressão financeira. Há cerca de 4 anos o meu marido teve um acidente que o colocou de baixa e em fisioterapia durante 1 ano. Não imagino viver de outra forma e chegar a uma situação dessas e ficar sem forma de dar resposta às necessidades.

      Obviamente convém ter objetivos. A situação do senhor que refere não faz sentido para mim, da mesma forma que viver com a corda no pescoço mas a gastar em quinquilharias constantemente também não faz ( para mim), principalmente quando não se tem várias coisas garantidas que se diz pretenderem e muito menos quando há queixas.

      Eu não sei a opinião de todos os anonimos que comentaram. Para mim não é uma questão de certo ou errado no quesito poupança. Mas há poupar e há os mínimos para uma saúde financeira.
      Não acho que quem não poupe esteja errado. Simplesmente não acho que estejam a poupar e a ideia de que só porque se mete 1 ou 2€ de lado se está a poupar é muito errada, na minha opinião. Temos uma sociedade financeiramente iletrada e sofremos muito as consequências disso mesmo. Claro que é melhor poupar 1€/mês do que dever o mesmo mas pode considerar-se isso como poupar? Em 10 anos serão 120€... Não é propriamente um fundo de emergência sequer.

      Além disso, novamente colocam a questão como privação. Se eu não preciso de objeto A porque é que vou gastar dinheiro nele? Vou contribuir para o desgaste dos recursos naturais, contribuir para a poluição e em cima disso gastar só porque posso? Porque a sociedade me diz que é uma necessidade ou porque a publicidade me tenta convencer que não serei feliz sem aquilo? Mas sou. Sou muito mais feliz com menos tralha do que com mais... O processo de minimalizar dá-me imenso prazer e clareza mental. Não quero prateleiras, gavetas ou armários cheios de tralha. Odeio.

      Se sou feliz com X e tenho um aumento porque é que o estilo de vida deve acompanhar esse aumento?
      Só porque posso? Para impressionar alguém? Quem?

      O dinheiro "parado" não me faz confusão.
      Fez-me mais confusão ter que batalhar toda a vida e o receio de não ter dinheiro para quando fosse necessário ( e de o mesmo não existir muitas vezes, nem sequer para o básico) porque as pessoas das minhas origens tinham e têm " prioridades" esquisitas.

      Eliminar
    14. Atualmente com rendimento familiar médio de 2500€ ( não é certo) e com 2 crianças, as despesas fixas rondam os 800€ ( alimentação incl). O resto é para poupanças e investimento ( estão subdivididas em várias coisas desde férias, a imi, seguros, poupança para a universidade/formação, saúde, carro, ppr, etc). Há meses em que temos mais gastos, como quando temos que comprar roupa para os miúdos, por exemplo. Mas essa é a média.
      Não temos nenhum crédito para carro mas "fingimos" que temos e poupamos porque se precisarmos de comprar um ou fazer um arranjo considerável temos o dinheiro para ele.

      Antigamente gastavamos imenso com livros. Atualmente só compramos os preferidos e todos os outros vêm da biblioteca.

      Não sinto que nos privemos de nada. Ninguém imagina que todos temos capsule wardrobes, por exemplo. Ninguém repara.

      Tenho 2 malas, não preciso de mais. Tenho 2 pares de calçado para o inverno. Não preciso de mais.
      Os meus filhos têm 3 pares cada: um para educação física e outros 2 ( umas sapatilhas e umas botas).
      Se sentisse falta de alguma coisa comprava. Não é falta de possibilidade ou privação, simplesmente não precisamos.

      Eliminar
    15. Anonimo das 16:59, adorei o seu comentario. Quando se fala em poupar, nao estamos so a falar de poupar dinheiro. Estamos a falar de poupar recursos, de poupar o nosso planeta deste consumo desenfreado que nao faz sentido nenhum. Comprar todos os meses roupa, sapatos, malas, acessorios, tralha, etc para mim nao faz sentido. Primeiro, pelo dinheiro, depois pelos o espaço que ocupam em casa e na nossa vida mas principalmente porque nao precisamos de mais.

      Eliminar
    16. "Ninguém repara. Tenho 2 pares de calçado para o inverno. Os meus filhos têm 3 pares cada: um para educação física e outros 2 ( umas sapatilhas e umas botas)."

      desculpe, ate pode achar isso mas não é verdade que ninguem repara. eu reparo no calçado das minhas colegas e ia com certeza reparar se uma delas so usasse 2 pares de calçado o inverno todo. tal como duvido que os colegas de escola nao reparem que o seu filho so tem 1 par de sapatilhas. atenção nao digo que nao está no seu direito e que ninguem tem nada com isso, so digo que com certeza as pessoas reparam e comentam. tal como eu sei que comentam o facto de eu ser directora e ter um carro de uma gama barata com matricula de 2002 e os outros directores andam todos de audi ou bmw. mas por ex, para mim nao sentia necessidade ate agora de trocar de carro.

      "Se sou feliz com X e tenho um aumento porque é que o estilo de vida deve acompanhar esse aumento? Só porque posso? Para impressionar alguém? Quem? "
      Eu acredito que o dinheiro nao compra felicidade mas ajuda. Por ex, eu podia perfeitamente passar o resto da minha vida a fazer depilação a cera, ou com gilete conforme a situação. Mas se com um aumento posso pegar nesse dinheiro e fazer depilação a laser definitiva irei sentir-me melhor. Eu actualmente faço 2 viagens por ano para fora do país, e adoro e sinto-me bem, mas se tivesse agora um aumento brutal e pudesse andar a fazer city breaks pela Europa 1x por mes, ora com certeza ia ainda estar mais feliz. Não é gastar por gastar, é gastar naquilo que nos faz sentido, naquele extra que se gosta. Por ex, algures noutro post fala-se de torradas em pastelaria e eu nunca iria gastar dinheiro a comprar torradas fora quando as posso fazer em casa, mas enfim, o que faz sentido a uns nao faz a outros, e é tudo relativo.
      Por ex, voltando a pegar no exemplo do calçado acima, para algumas pessoas que me conhecem eu sou super forreta com o calçado, porque nunca compro por impulso, nunca repito as combinações. Ou seja, eu tenho de cano alto umas botas pretas de salto e umas pretas rasas, e depois umas castanhas. E depois em botas de cano normal (pelo tornozelo): pretas, castanhas, azuis, cinzentas, tudo com salto medio; pretas e castanhas de salto bem alto; e por ultimo rasas tenho mais umas pretas e castanhas. Ou seja, no total da 11 pares de botas. Depois tenho a mesma logica de combinações (por cores e saltos) para sandalias, sapatos e sapatilhas. Para as minhas colegas que sao capazes de ter 4 pares de botas pretas so porque sim isto é de uma sovinice extrema. Para a anonima que diz ter so 2 pares de calçado de inverno isto deve ser um desperdicio brutal :-)

      Eliminar
    17. "Além disso, novamente colocam a questão como privação. Se eu não preciso de objeto A porque é que vou gastar dinheiro nele? " "Vou dar o meu exemplo, ganho limpos uns €1480 e poupo todos os meses €1000. Ou seja, vivo o mês todo com €480. Com estes €480 consigo pagar tudo o que tenho a pagar e incluindo lazer, saídas e roupa/calçado (e olhem que gosto de coisas boas), ginásio, etc. E não passo um único fim de semana trancada em casa. "
      Sao casos sempre diferentes. Há aqui uma anonima que diz que gasta so 480€/mês mas que faz varios gastos de lazer. Mas uma pessoa que tenha por ex 2 filhos, que pague creche, que tenha renda de casa, que more longe do trabalho e por isso tenha de comprar passe, etc, dificilmente consegue viver com 480€ e ainda ter gastos de lazer. Para viver com esses 480€ tera de se privar de tudo o que é superfluo. Atenção, eu acredito perfeitamente que alguem viva com 480€ e tenha gastos de lazer e esteja bem, so que acho que nao é uma realidade que se aplique a todas as familias. E portanto os outros ou se privam para so gastar isso, ou se querem ter mais alguma coisa têm de gastar mais. Eu no ano em que gastei menos andava à volta dos 600€/mês, pagava renda de casa mas nao tinha filhos, assumo que com filhos pequenos é sempre mais dificil.

      "Se sentisse falta de alguma coisa comprava. Não é falta de possibilidade ou privação, simplesmente não precisamos"
      Cada um vai ter sempre ideias diferentes do que é "precisar". Estive este fim de semana a visitar uns colegas que têm 3 filhos e a casa simplesmente nao tinha nenhuma mobilia de jeito. tinhas algumas coisas dos anos 80 que os antigos donos deixaram e depois meia duzia de moveis que eles compraram no ikea, por ex na sala nem sequer têm sofa, têm um colchão de espuma no chao com uma manta para os filhos estarem a ver TV. E eles pelos vistos nao sentem necessidade de mais nada. Já eu gastei 2000€ num sofa feito à medida, mas pronto a mim faz-me feliz carregar num botao e ter um cadeirao automatico que se inclina à medida exacta que eu quero para ver um filme, ou ter uma chaise longue suficientemente grande para estar enroscada com o marido em frente à lareira :-)
      Uma coisa que eu nao ligo nada é a electronica, tenho um iphone da empresa que é trocado de 3 em 3 anos e para mim podia ser sempre o mesmo, mas os colegas ao fim de 2 anos já estao a chorar que querem a versao nova, eu so penso , mas isto é para fazer chamadas o que é que interessa? se fosse eu a pagar ainda tinha o velhinho Nokia 3310

      Eliminar
    18. Bom, fico verdadeiramente feliz e ligeiramente impressionada com alguns relatos que me chegam. Viver com 480 euros não me entra na cabeça, porque me seria perfeitamente impossível. É preciso ter mesmo muita sorte (ou heranças) para não pagar crédito habitação ou renda de casa. É que 480 euros é praticamente o que eu gasto em supermercado por mês (pouco menos do que isso).

      Fora crédito do carro. Fora uns 150/200 euros de contas. Fora creche. Fora 150 euros de combustível para os dois carros.

      Mas é bom ver que há quem possa viver muito melhor... Não podemos é tentar generalizar, porque são exemplos muito sortudos. :D

      Eliminar
    19. "É preciso ter mesmo muita sorte (ou heranças) para não pagar crédito habitação ou renda de casa...Fora crédito do carro"
      S*, não é bem assim, repara que a pessoa diz que gasta 480€ mas que poupa 1000€. Ou seja, ao longo da vida com essa poupança já pode ter arranjado dinheiro para pagar uma casa e um carro. Eu gasto 700€/mês, ganho 1800€ liquidos, e tenho uma casa comprada a pronto e o carro também pago a pronto, que obviamente nao sai dos 700€, sai dos 1100€ que poupei ao longo da vida. Por isso não tenho essa despesa. Por outro lado acho que estás a fazer contas ao total e a pessoa mencionou no singular, ou seja, eu digo que gasto 700€ do meu salario e o meu marido gasta outro tanto do salario dele. No teu caso quando dizes 480€ por supermercado presumo que seja o total da tua familia. E repara que nem todos têm filhos, e há pessoas que são bem mais poupadas no supermercado, eu gasto 100€/mes para mim e para o meu marido, e como em casa todos os jantares durante a semana e refeições de fim de semana. Nós gastamos 20€/mes em agua, 50€ em electricidade (nao temos nada a gás) e 50€ em (tv+net). é que depois há despesas que nao temos porque sao beneficios do trabalho e às vezes nao se menciona quando se fala em salario liquido, por ex, nós não temos gastos com telemoveis pois é pago pela empresa, os gastos de saude tambem sao reduzidos pois a empresa oferece seguro de saude, não gasta em almoço porque tenho cantina oferecida (daí a despesa de supermercado ser menor do que quem faz marmita), recebo 15 salarios em vez dos tradicionais 14 porque alem de sub natal e de ferias recebo sempre um bonus extra no final do ano consoante a avaliação do chefe (que corresponde a mais um salario),...

      Eliminar
    20. Nao acho que seja sorte, acho que ha pessoas que sabem gerir dinheiro e outras que nao. Para mim gastar 480€ supermercado é um verdadeiro exagero. Mesmo para tres pessoas e nao sei quantos animais.

      Eliminar
    21. Anónimo das 9h34, não é nenhum exagero. Tente comprar umas 8 refeições por semana (carne ou peixe), mais tudo o resto, e vê que não gasta menos que 70 ou 80 euros no supermercado. Depois temos aquelas coisas caras (cerca de 70 euros mensais), como a comida para os animais, detergentes... Bom, mas cada um sabe de si. Eu, como janto sempre em casa e faço sempre marmita para almoço, gasto bastante em supermercado. Mas não gasto a comer fora, por isso...

      Eliminar
    22. Anónimo das 9h24, percebo perfeitamente, mas, lá está, é uma situação 'privilegiada' excepcional essa que apresenta. 100 euros mensais em supermercado... Bom... Só 12 euros é a caixa do café do homem (com 40 cápsulas, dá para umas três semanas)... só uns 15 euros para detergente... e se fizermos contas a uns 4 euros por carne/peixe para refeição... esses valores seriam irreais cá em casa. :D

      Eliminar
    23. Alguém acima referiu que gasta 100€/mês em compras de supermercado para duas pessoas.
      Bem, eu gostaria de saber o que comem ou compram para casa.
      Juro que não há ponta de crítica ou maldade no meu comentário, mas moro sozinha e não tenho filhos e gasto bem mais de compras de supermercado por mês.
      Isto inclui não só comida mas tudo o que é preciso para uma casa.
      É certo que tento alimentar-me bem com produtos frescos e muita verdura e fruta mas também tento poupar em muitas coisas. Ex: guardanapos, sacos do lixo, atum, e mais alguns artigos trago tudo geralmente marca branca... mesmo assim acho tudo caríssimo.

      Eliminar
    24. A maioria das pessoas têm armários cheios e utilizam 1/3 se tanto. Há gente que tem roupa e calçado por estrear há anos no guarda roupa e quem meta roupa fora ( ou dê) sem nunca a ter utilizado.
      Há lá coisa mais parva e dinheiro mais mal gasto?


      E honestamente se comentarem o problema é deles 🤷 pessoas que andem a comentar/criticar o vestuário dos outros são bastante parolinhos e imaturos na minha opinião.
      De qualquer forma, duvido muito porque não conheço ninguém que tenha por hábito conentar vestuário alheio.

      Eliminar
    25. S, sou o anonimo das 09:34. Eu e o meu namorado gastamos os dois cerca de 30/40€ por semana em supermercado e isso inclui tudo, desde comida a detergentes e acredita que nao gastamos 15€ em detergentes por semana. Somos os dois vegetarianos (por isso nao temos esse gasto em carne/peixe) mas tambem so usamos produtos vegan (que nao sao testados em animais) o que sao bem mais caros que os detergentes 'normais'. Fazemos todos os jantares em casa, e jantamos sempre sopa mais outro prato e o meu namorado leva sempre marmita para o trabalho (eu almoço na cantina do trabalho). Claro que cada caso é um caso e tu la saberas da tua vida mas para mim parece-me mesmo muito dinheiro. Alias, nos ja chegamos a gastar mais de 500€ por mes em supermercado (sem contar com takeaways) e foi ai que eu percebi que tinha que mudar alguma coisa. E olha, consegui reduzir a conta para menos de metade e acredita que nao andamos a passar a fome, cortamos foi em sumos, bolachas, snacks, comidas pre-feitas, queijo (comiamos mesmo muito queijo) e essas coisas. Tu dizes que gastas a volta de 4€ em carne/peixe por refeicao.. Ja experimentaste, por exemplo, fazer uma refeiçao sem carne ou peixe por semana? Ao fim do ano eram uma diferença de 208€.. mas isto é um exemplo, acredito mesmo que se fores a ver bem e mudares pequenas coisas, essa conta de supermercado podia reduzir uns bons €€€

      Eliminar
    26. O seu comentário vem a propósito de?
      Quem criticou o vestuário alheio?
      Onde?
      👌😶🙄

      Eliminar
    27. Anónimo4 de fevereiro de 2020 às 11:12

      percebo o que quer dizer mas garanto-lhe que uso todo ocalçado que mencionei. a roupa a mesma coisa. nao tenho nada que nao use. claro que algumas peças sao usadas menos frequentemente, obvio que o fato de ir para a neve respectivas botas e luvas uso so quando vou à serra da estrela, umas 3 vezes por ano. a roupa que deixo de usar é porque nao serve, ficou desgastada ou é mesmo uma peça que passou claramente de moda (por ex, obvio que ja dei todas as calças à boca de sino que tinha). A minha tecnica é: coloco por exemplo as blusas de meia estação por ordem no armario, vou usando sempre as que estão à direita e vou colocando as que uso encostadas à esquerda. Garanto assim que dou a volta a todas as peças durante aquela estação. Mas ok, posso dizer que peças de meia estação uso em media a mesma peça 2 ou 3 vezes em cada ano. Já as de inverno como uso mais tempo, cada peça será usada umas 5 ou 6 vezes. Não considero por isso que seja dinheiro mal gasto pois eu uso mesmo a roupa toda que compro. Agora os casos que menciona sao obviamente de dinheiro mal gasto, o que lhe quero explicar é que aquilo que aponta não é o que necessariamente todos fazem.

      "duvido muito porque não conheço ninguém que tenha por hábito conentar vestuário alheio"
      :-)
      não sao como sao os casamentos e as festas no seu meio ambiente, mas por ex na minha empresa na festa de Natal, nos aperitivos é ver toda a gente a reparar nos vestidos umas das outras, a fazer comentarios sobre o cabelo e a maquilhagem. mas claro que o que estou a referir é fazer comentarios com outras pessoas, não é ir dizer na cara "olha o teu vestido é feio e é o mesmo do ano passado"

      Eliminar
    28. Anónimo das 11.29h a mim parece-me pouco 30/40€ para duas pessoas.
      E nem todas as pessoas são vegans, nem todos querem ser.

      Eliminar
    29. E não é só a despesa de carne/peixe, legumes/fruta.
      Quem faz marmitas ou várias refeições em casa é normal que não gaste 30€/semana ou 100€/mês.
      Cápsulas de café, detergentes, papel higiénico, produtos de higiene oral, gel de banho, gel íntimo, iogurtes, ovos, leite de vaca ou vegetal, tofu, manteiga, azeite, vinagre e sei lá mais o quê.
      É dinheiro mal gasto?
      Pois, a mim parece-me que não são caprichos, mas não sei mesmo como fazem para gastarem tão pouco.
      Ou comem como formigas, só pode.
      O quê?
      Latas de atum?
      É que só assim consigo entender esses valores.

      Eliminar
    30. Eu sou a anónima dos 480€/mês e isso é o que eu gasto e o meu marido gasta outro tanto (ganha um salário idêntico ao meu). Somos apenas 2 pessoas e nunca recebemos heranças ou outras ajudas (como disse anteriormente). Temos casa própria paga a pronto. Comprámos um T1 novo no centro da cidade e relativamente perto do meu trabalho, que apesar de ter tido um valor mais caro do que se comprassemos na periferia, acaba por compensar depois nas despesas associadas (assim só precisamos de ter apenas um automóvel (também pago a pronto) para os 2 porque sabemos que ter um carro está associada a muiiiita despesa (valor do carro/ou crédito, seguro, imposto único de circulação, combustível, manutenções/revisões, portagens, estacionamentos e mesmo eventualmente multas e danos (riscos, toques) - só aí é um bom €€/mês). Comprámos um apartamento apenas com 1 quarto porque na altura não estava nos nossos planos ter filhos em breve e não nos fazia sentido estar a meter-nos em crédito (não tínhamos dinheiro a pronto para um T2) para ter mais um quarto que não seria usado nos próximos anos (agora vamos comprar um apartamento maior (outra vez a pronto) e arrendar este). Outra coisa que tivemos cuidado antes de comprar o apartamento foi a certificação energética do mesmo, que é classe A e com isso poupamos imenso dinheiro em climatização. Temos também esse cuidado na compra dos electrodomésticos, não nos importamos de comprar mais para ter o classe A de uma boa marca que nos vai durar mais tempo e poupar energia.
      Também levamos marmita para o trabalho e jantamos em casa. Aliás, fazemos basicamente todas as refeições (almoços, jantares, lanches e pequenos almoços) a partir das compras que fazemos no supermercado e talho, que para os dois não ultrapassam os 180€/mês. Como não temos o hábito de comprar comidas pré-cozinhadas (ex. lasanha) ou pré-prontas (alface já lavada ou legumes cortados), nem biscoitos, bolos, chocolates e outras guloseimas acho que é isso que faz com que as contas não sejam tão elevadas. Não sentimos essa necessidade porque no Natal, Páscoa, aniversários e outras comemorações comemos esse tipo de coisas e é mais que suficiente para nós (e nem sequer devem ser consumidas regularmente). Só para terem uma ideia ainda temos imensos chocolates do Natal e de certeza que vão durar até à Páscoa. Também temos uma alimentação mais natural, com muitos legumes, verduras e grãos (de preferência biológicos e sempre comprados a granel e o de acordo com as nossas necessidades) e há sempre uma ou outra refeição vegetariana, daí não ser necessário ter carne ou peixe a todas as refeições e baixar assim o valor da factura da alimentação. Também estou sempre atenta às promoções. Não temos empregada doméstica, nem netflix e afins (temos um plano super básico de internet e tv). Nos telemóveis temos um pacote de 12,5€/mês.
      Depois há imensas coisas que somos nós que fazemos em casa e que ficam melhores do que se pagasse a quem as fizesse (por ex., limpezas, bolos de aniversários (tenho uma receita que toda a família/amigos salivam por uma comemoração :)), unhas, hidratações ao cabelo, arranjar alguma roupa ou consertar algo avariado). Fazemos isso não por necessidade mas porque não nos faz sentido gastar dinheiro se conseguimos faze-lo, por vezes melhor do que se pagássemos.
      Depois há outras coisas onde não me importo de gastar, como por exemplo, ginásio, fazer depilação a laser (comecei pelas zonas que considerava mais críticas (e que hoje já estão resolvidas) e ia/vou fazendo aos poucos), branqueamentos dentários e comecei o ano passado em medicina estética (alguns tratamentos e botox). Mas isso tudo tem de caber nos 480€/mensais (faço por sobrar e assim junto até ter a quantia necessária para realizar o procedimento). É mesmo uma questão de organização e planeamento.

      Eliminar
    31. Eu tenho noção que quem sempre ganhou e ganha o salário mínimo tem outras despesas associadas como uma renda/empréstimo bancário e que tem de saber fazer muito bem as suas contas para conseguir ter as contas em ordem. Então quem tem um filho deve ser muito complicado nesta situação. Mas também vejo que algumas pessoas têm as prioridades trocadas e que não adaptam o seu estilo de vida ao seu rendimento. Se ganho o salário mínimo não posso ter o telemóvel topo de gama ou trocá-lo a cada 2 anos, ter netflix, fazer verniz gel ou gastar 100€ numa peça de roupa. Essa necessidade de ter, ter, ter e exibir é algo que não consigo compreender. Acho que muitas vezes falta o bom senso.

      Eliminar
    32. Não pretendo ser “chata” mas como já referi moro sozinha sem filhos, faço verniz gel em casa, hidratação de cabelo igual, limpezas também, não pago renda mas faço marmitas e muitas refeições em casa.
      Para comer bem e saudavelmente não consigo compreender como gastar tão pouco por semana ou mês.
      Para gastar 50€ no básico (básico!) não é preciso muito.

      Eliminar
    33. S*,

      Nem todas as pessoas têm animais, eu nao tenho. Referes as caixas do cafe mas isso para mim é um luxo que pode ser evitado. Tal como doces, bolachas, etc. Referes 15€ para detergente, bem, nós somos 2 e faço cerca de 3 maquinas de roupa por semana, ou seja da em media 12 por mes. Se uma embalagem de Skip da para 60 doses, entao daria para 5 meses. O mesmo se aplica ao detergente para a louça.
      Quanto à comida referes "4 euros por carne/peixe para refeição". Bem, nós somos 2, as pernas de frango custam 1,50€ no Continente em promoção, as febras de porco 3,5€ , o peito de frango e peru compro em promoção a 3,99€ ou 4,5€ no maximo. Eu nao como 1kg de carne de cada vez que faço uma refeiçao, geralmente faço doses de 150gr por pessoa, ou seja, 1kg de peito de frango dá para 3 refeições nossas. Por isso nao percebo como gastas 4€ so numa refeiçao. Obvio que peixe é muito mais caro, mas comemos mais raramente, uma vez por semana se tanto. Aproveito como na empresa tenho cantina, entao como la peixe ao almoço e assim à noite posso comer carne mais barata.

      Eliminar

    34. "Anónimo4 de fevereiro de 2020 às 10:12"
      Para alem do que ja comentei com a S*, nao temos animais. fruta é so o que temos do quintal, é uma opção, significa que agora so como laranjas, tangerinas e maças e quem compra no supermercado o que lhe apetece pode comer algo mais diversificado. vegetais compro basicamente so cenouras (que sao mais baratas), às vezes pimentos ou corgetes se estiverem em promoção. Uso tomate, ervilhas e cogumelos de lata que compro sempre em promoção. Não compro batatas pois tenho da sogra, mas na verdade usamos mais massa e arroz. Nunca deixo estragar nada, tenho as datas de validade sempre controladas. Compro tudo, mas quase tudo em promoção, estou sempre a tentar acumular os vouchers do continente com as promoções dos proprios produtos. Não consumimos nada superfluo, nao temos sumos, nem doces, nem cafes, nem bolcahas, nada. Fazemos em casa os jantares da semana e refeições ao fim de semana, mas vamos comer fora umas 4 vezes por mes. Os almoços da semana sao sempre na cantina da empresa que tambem nos dá lanche (pao e um iogurte). Comemos a carne mais basica e barata, nao ando a comprar pato por exemplo, nao compro iogurtes XPTO, o pao de manha é sempre com manteiga (nunca compro queijos ou charcutaria). Nunca tenho sobras, toda a comida é pesada antes de ser confecionada, por isso cozinho o que vou comer exactamente, logo nunca tenho desperdicio. Não compro guardanapos, uso rolo de cozinha que é mais barato e compro daqueles que sai às metades. Não compro muitos sacos do lixo, tento reutilizar sacos de plastico normais que me dao em compras (ex: na padaria) e para a reciclagem (porque é papel, plastico e garrafas que nao sao organicos portanto nao estragam) uso sacas de papel das compras. Bebo agua da torneira. Não compramos alcool para casa ( ou seja, nao tenho por ex aqueles gastos de cerveja no verao). Faço uma alimentação simples, basica à portuguesa, ou seja, nao ando a comprar aqueles produtos mais exoticos de comida chinesa ou arabe que obviamente fica uma refeição mais cara do que arroz com febras grelhadas.

      Não sei se ajuda mas dividindo por categorias: em alimentação só mesmo no supermercado gasto em media 84€. Depois em detergentes para a casa, e outras coisas diversas como acendalhas, rolo de cozinha, papel higienico, saco aspirador, etc sao 16€ em media por mes. Dái que dá os tais 100€. Por outro lado só para clarificar nao estou a contabilizar aqui champos, cremes ou outros artigos de higiene pessoal pois na minha contabilidade pessoal tenho isso considerado como despesas de beleza junto com cabeleireiro e perfumes, por ex.

      Olhe, isto depende mesmo de cada um, da gestao que quer fazer, daquilo que considera importante. Para mim eu prefiro comer pernas de frango a 1,50€ e ir fazer ferias fora do país duas vezes por ano e outras pessoas podem preferir comer pato e filet mignon e não fazer ferias. cada um tem os seus gostos, aquilo que considera importante e gasta onde quer. a verdade é que tudo é possivel, e efectivamente se for para comer so para sobreviver, entao consegue-se por preços mais baixos. porque há muita coisa no supermercado que não é verdadeiramente essencial. E atenção, nao estou a dizer se é mais ou menos saudavel, que isso é outra conversa. Mas se eu todas as manhas como pao (normal o mais barato da padaria) com manteiga e bebo uma chavena de leite simples, obvio que fica mais barato de quem compra fiambre de peito de peru fumado e bebe um iogurte liquido kefir da danone. Repare, um pacote de leite de 1L meio gordo em promoção custa-me 0,46€ e da para 5 chavenas de leite, ou seja menos de 10 centimos por pequeno almoço, e os iogurtes liquidos podem chegar a custar 2€ por pack, logo 0,50€ por embalagem, ou seja, por refeição. É 5x mais caro. Agora aplique esta logica a tudo o que compra em alimentação.

      Eliminar
    35. Anónimo4 de fevereiro de 2020 às 12:31

      lá está menciona varias coisas que para mim nao sao necessarias:

      Cápsulas de café: nem todos bebem cafe, eu nunca gastaria dinheiro nisto, é um vicio como qualquer outro
      Detergentes, papel higiénico: sempre tudo em promoção com 60% desconto. So compro Skip e Cologar e ja cheguei a ter stock para 1 ano.
      Gel de banho: eu nao sei quantos banhos tomam, mas eu tomo duche 1x por dia, uso Palmolive sempre comprado e promoção e nao acho que se gaste muito
      Gel íntimo: nao uso, sao opinioes, uso o gel de banho normal.
      Iogurtes: nao compro, uso sempre leite que é muito mais barato
      Leite de vaca: o continente tem em promoção de x em x tempo a 0,46€ ou 0,48€. É so estar à espera e comprar varios packs.
      Vinagre: nao uso, so temos azeite.
      Azeite: Todos os anos no Natal recebemos da empresa um cabaz com 1 garrafa para cada um. Isto da para bastante tempo e depois tenho de familia mais umas 2 ou 3 garrafas para o resto do ano.

      Eliminar
    36. "Ou comem como formigas, só pode."
      ja agora, tive pessoas que comentaram a quantidade de comida que como, eu como referi peso a comida e faço doses de 150gr a 200gr de carne dependendo dos casos. Perguntei na cantina da empresa e a cozinheira confirmou que calculam com doses de 150gr. Portanto nunca vi ninguem da empresa a queixar-se de passar fome, suponho que o que eu e o marido comemos é normal. Acredite que uma grande questão é o desperdicio, sim ja sei que há aproveite sobras e faça empadao e bla bla bla, mas nunca é a mesma coisa. Na minha casa nao vai nada para o lixo, ate posso cozinhar para 2 ou 3 vezes mas coloco logo as quantidades certinhas.

      Eliminar
    37. Anónimo das 12:23, eu não disse em momento algum que se deviam tornar vegan (eu própria não sou). Apenas dei o meu exemplo e disse que comprava detergentes vegan que por norma são mais caros e mesmo assim não gasto 70€ em detergentes como alguém em cima referiu. Como pode ver por outros exemplos, eu nao sou a única a gastar menos de 200€ em supermercado por mês..

      Eliminar
    38. Anónimo das 13h35, 70 euros é para comida dos bichos e detergentes. Claro que não é só detergentes - que deve rondar os 15 euros.

      Eliminar
    39. Anónimo das 13h03, ai a ter sempre almoço e lanche na empresa, certamente iria poupar bastante dinheiro. :D

      Quanto ao resto, perdoe-me, mas eu não conseguiria viver assim tão regrada. Repare que referiu que come sempre pão com manteiga, que nem queijo e charcutaria compra. A não ser que realmente TENHA de poupar esse dinheiro, acho muito exagero... __:/ Tenho um filho de 2 anos e meio, não quero nem posso ter esse tipo de restrições. O meu filho tem sempre imensos legumes na sopa, come fruta, queijo, fiambre, pão de torradas Bimbo (para mim, pode ser marca branca, mas efectivamente este é bem melhor de sabor e o pequeno merece o melhor).

      Louvo a sua dedicação, sinceramente!

      Eliminar
    40. Café para mim não é luxo.
      Uso vinagre até para limpezas, mais barato e sem químicos.
      Gel íntimo depende das pessoas, há quem se dê mal com o gel de banho.
      Sacos do lixo não tenho como não comprar.
      Na padaria onde eu vou não usam plástico mas sim papel.
      Compro iogurtes simples sem serem xpto.
      Não bebo leite de vaca porque me faz mal, portanto, leite vegetal que é mais caro.
      Não compro azeite ou água de má qualidade, recuso-me.
      Se isto são luxos então não sei...

      Lavagens de roupa e afins. Depende das pessoas e em que ramo trabalham.
      Há quem precise de lavar camisas de escritório ou da empresa ou uniformes ou mesmo batas com regularidade.

      Eliminar
    41. Pois, dar fiambre e pão de forma a uma criança está muito longe de ser uma boa opção de alimentação. Nem para adultos é, quanto mais para uma criança! É bem mais saudável um pão tradicional (comprado em padarias tradicionais) com uma compota caseira ou mesmo uma boa manteiga. Não consumo fiambres, mortadelas, salsichas e mesmo atum enlatado é mesmo muito raro comer, só se for em quiches ou algo do género. E enlatados (cogumelos, ervilhas, grão, etc) no geral fujo a sete pés.
      Tal como é bem melhor fazer um bolinho caseiro do que comprar um no supermercado ou pastelaria. Se as pessoas soubessem a quantidade de químicos que os produtos industrializados levam pensavam duas vezes antes de os meterem à boca.
      Assim começo a perceber a diferença nos orçamentos mensais na alimentação. A opção de descascar mais e desembalar menos, além de ser mais saudável, é muito mais económico e sustentável. Pensem nisso da próxima vez que forem às compras.

      Eliminar
    42. "Anónimo4 de fevereiro de 2020 às 13:00"

      já apontou tudo o que gasta e organizou por areas/mes? ou seja, ter um historico de pelo menos 6 meses com tudo apontado para saber exactamente onde gasta quer em comida, beleza, transportes, etc? há muitas pessoas que ficam supreendidas com o que gastam em ninharias (ex: revistas, lanches fora de casa, doces) que nem tinham noção de tudo somado o quanto custa. por outro lado menciona que mora sozinha, e obvio que gasta mais sozinha do que quem divide com outra pessoa. eu gasto 100€ com o marido em comida, mas se morasse sozinha nao ia gastar 50€, porque há coisas que nao sao proporcionais, há economias de escala. olhe, se quer mesmo conseguir poupar mais é fazer essa analise e ver mesmo onde está a gastar o dinheiro e depois pode sei la partilhar com alguem para ter sugestoes. Eu tenho aprendido muito em foruns na net e na partilha de experiencia com outras pessoas. Não estou a dizer para publicar aqui os seus taloes de supermercado, mas tente arranjar forma de alguem poder olhar para isso de forma anonima e que lhe dê indicações. Isto obvio se quer conseguir poupar mesmo mais. E repare numa coisa: eu ja expliquei varias vezes que nao levo almoço nem lanche; obvio se no seu caso tem de fazer marmita para o almoço do dia seguinte que vai gastar mais. E tambem menciona que quer comer bem e saudavel, e eu tenho noção que opto muitas vezes pelas coisas mais baratas e nao ligo tanto ao que é saudavel. Por ex, eu sei que devia comer mais vezes peixe em casa mas nao gosto muito e é bem mais caro. Tenho uma colega que diz que faz sempre alternado uma refeição de peixe e outra de carne, obvio que ela vai gastar mais do que eu que alterno porco com frango :-)

      Eliminar
    43. Eu até gasto em charcutaria mas honestamente não vejo como isso é uma necessidade para uma criança.
      O fiambre por exemplo é um dos piores alimentos possíveis...

      Eliminar
    44. "Repare que referiu que come sempre pão com manteiga, que nem queijo e charcutaria compra. A não ser que realmente TENHA de poupar esse dinheiro, acho muito exagero... "
      Mas o que é restrição para uns é normal para outros. Eu gosto de comer pao com manteiga, como queijo e charcutaria quando vou jantar fora a restaurantes nas entradas, e depois nas festas (casamentos, Natal, Pascoa,...) para mim é mais que suficiente comer nessas alturas, nao tenho nenhuma vontade de manha de comer algo tao pesado como isso. Por isso para mim nao é de todo um sacrificio. Do mesmo modo que ao lanche na empresa como um pao e um iogurte, portanto nao sinto necessidade de comer mais iogurtes em casa. Por outro lado eu adoro ir jantar fora, gosto de experimentar coisas novas e de nao ter de cozinhar nem de limpar a cozinha, e tenho um colega de trabalho que acha uma seca ir comer fora de casa, de ter de sair e de estar numa mesa sentado à espera que lhe tragam comida e estar numa sala com outros desconhecidos para ele é desconfortavel, ele prefere estar em casa com a familia a comer. Cada um com as suas ideias. Ou seja, o que para umas pessoas é uma restrição e um controlo imenso, para outras é perfeitamente normal e não têm necessidade de ser de outra forma.

      "Tenho um filho de 2 anos e meio, não quero nem posso ter esse tipo de restrições. "
      Obvio. Mas isso é outra conversa. O que estamos aqui a falar é de adultos, um casal. Quando se tem crianças tem de se ter uma diversidade de alimentação completamente diferente, e depois eles nao gostam, fazem birra, querem outra coisa, enfim. E não se pode pedir a uma criança que tenha o tipo de controlo que eu tenho. Por ex, quando eu vou cozinhar descongelo a carne no dia anterior (que ja tem a dose certa) e se vou cozer massa pergunto ao marido no momento se está com muita fome ou pouca (pois já sei que a massa por pessoa deve variar entre os 60gr e os 100gr dependendo do nivel de fome que se tem e se há outros acompanhamentos tipo vegetais ou se é so massa com carne), decido e peso a quantidade certa. e aquilo que eu cozo é aquilo que ele come depois. Claro que uma criança é capaz de dizer que tem muita fome e depois nao comer quase nada e vice versa, obvio que há muito mais desperdicio de comida e com eles nao funciona.

      Eliminar
    45. Esta troca de ideias e opiniões é sempre benéfica, mas cada cabeça sua sentença.
      Fiambre não será o melhor para uma criança, mas entre dar um pão com queijo ou fiambre ou bolachas carregadas de açúcar.
      O que acha que é melhor?
      Na sua infância não comeu sandes?
      Há coisas piores.

      Em relação aos enlatados que alguém falou, temos atum enlatado muito bom em Portugal e se não abusarmos dos enlatados, por causa do sódio, o atum em lata não é maléfico.
      Em relação à ervilhas, cogumelos, tomate e feijão esses também prefiro sem ser em lata e o sabor dos alimentos é melhor.

      Eliminar
    46. Para o anónimo 15:14h, a respeito do atum em lata

      https://diariodeumadietista.com/tudo-o-que-deve-saber-sobre-conservas-de-peixe/

      Eliminar
    47. "Anónimo4 de fevereiro de 2020 às 14:11"

      a ver se nos entendemos: cada um gasta o que quer onde quer. o que para uns é luxo para outros sao bens essenciais. o que eu quero explicar é que quando voces dizem "ah é impossivel gastar menos de X porque tenho de comprar o bem A, B , C e D que sao imprescindiveis" eu digo "para mim so compro o bem A e B e por isso gasto menos porque o bem C e D para mim (e reforço: para mim) é dispensavel".
      Por isso nao se trata de ser impossivel, trata-se das escolhas de cada um e da situação onde está. obvio que se eu tenho um emprego que me oferecem lanche é dinheiro que gasto a menos no supermercado do que alguem que tem de o comprar. obvio que se eu estou a 20min de carro do trabalho gasto menos em transportes do que alguem que faz 1h de transito, mas gasto mais de alguem que tem a sorte de ter trabalho perto e ir a pé.
      Há coisas que depende da nossa situação e que não podemos comparar aos outros, e há coisas que é mesmo a nossa opção de vida. Por ex, quando diz que se recusa a comprar agua de ma qualidade, bem nao sei onde mora, eu nem sequer compro agua, bebo da torneira que na minha terra para mim é boa, mas sei obviamente de pessoas que compram marcas boas no supermercado, sao opções. E a sua é tao valida como a minha. Mas eu nao estou a insistir para que mude a sua vida, nos seus comentarios é que escreveu que não compreende como eu e alguns outros anonimos gastamos tao pouco e so me dei ao trabalho de explicar e partilhar experiencias. No blog da S* fala-se tanto de poupança que eu já apanhei aqui algumas dicas importantes tal como espero que tudo o que vou escrevendo olhe sirva para alguem tirar ideias :-)

      Eliminar
    48. "Para as minhas colegas que sao capazes de ter 4 pares de botas pretas so porque sim isto é de uma sovinice extrema. Para a anonima que diz ter so 2 pares de calçado de inverno isto deve ser um desperdicio brutal :-)"

      Percebo perfeitamente o que diz e sem dúvida que essa quantidade é excessiva para mim mas gostei do seu raciocínio para aquisição dos sapatos. Para mim também não fazia sentido ter várias peças da mesma cor para cumprir a mesma função.

      Eu tinha umas botas que doei este ano. Como novas. Cano e salto alto castanhas. Tinham quase 10 anos e continuavam como novas,tão pouco foi o uso que lhe dei.
      Cheguei à conclusão, ainda antes de destralhar que, apesar de ter mais opções, estas eram as peças que utilizava. Aliás quando comecei a seguir o capsule wardrobe durante algum tempo guardei as peças que não usava e fui rodando, como "ditam" as regras. No final percebi que há umas 30 peças à volta das quais sempre rodou o meu guarda roupa e que eram efectivamente aquelas que me faziam sentir bem. Foi com essas que fiquei e houve algumas peças que não dei porque tinha pena de me desfazer delas mas entretanto tenho-me libertado das mesmas porque realmente não me fazem falta.

      Eu uso calçado básico, neutro e clássico. Não é algo que chame à atenção e por acaso também nunca reparo em nada que os outros calcem. Teria que ser algo muito dramático para eu reparar. Mas talvez isto ainda seja a Maria-rapaz que há em mim...

      Acho que o meu estilo é simplesmente clássico e básico. Uma verdadeira "seca" mas facto é que eu adoro não ter que me preocupar com a roupa. Tudo no meu guarda roupa combina, a ausência faz-me sentir mais leve e por estranho que pareça, mais preenchida. Estou numa fase de vida pessoal e profissional onde tenho que tomar tantas decisões e fazer tanta coisa que a " decision fatigue" estava realmente a pôr-me doente. A libertação disso não tem preço, a liberdade no espaço físico, a diminuição brutal na quantidade de roupa dentro de nossa casa, de para cuidar e afins dá-me uma enorme paz.

      Quanto aos jantares e possíveis comentários de vestuário, realmente podem comentar mas nunca vi ninguém a reparar se a pessoa utilizou o mesmo vestido ou não, por exemplo. Acho que se comenta mais as atitudes e situações, principalmente aquilo que vai acontecendo ao longo do ano. Mas talvez tenha a ver com o tipo de pessoa ao meu redor ou talvez o facto de eu nunca me ter envolvido nesse tipo de comentários. Talvez seja inocência minha achar que ninguém comenta e simplesmente não o fazerem comigo sobre outras pessoas porque não é realmente algo a que eu dê abertura ( falar sobre vestuário ou aspecto físico alheio).

      PS: em relação aos meus filhos se algum dia sentirem necessidade por eles ou desconforto porque os outros comentam a falta de calçado não será algo que me custe minimamente ceder e comprar mais.
      Mas, conhecendo os miúdos e os amigos como conheço, tendo muito ou pouco acabam por utilizar sempre as sapatilhas preferidas. Aliás estes dias a mãe do melhor amigo queixava-se que teve de meter umas sapatilhas rotas (preferidas) ao lixo sem ele dar conta porque se recusava a utilizar outro calçado e não era por falta de opção.
      Além disso, com o desenvolvimento actual deles acabo por comprar entre 9-12 pares/ano, já que estão a dar saltos de crescimento e nem rompem o que compro ( eu não compro tamanho acima no calçado para os meus filhos e o mais novo não herda calçado ou roupa interior usada, por opção nossa).

      Eliminar
    49. Gosto imenso desta partilha de informação também. Já aprendi muito por aqui e há pessoas que já partilharam aqui muitas coisas que gostaria de imitar e outras sobre as quais gostaria de saber mais.

      Por aqui a média semanal é 60€/mês. 3 pessoas. Isto inclui tudo o que se come nesta casa, as marmitas e também despesas com detergentes e produtos de higiene pessoal.

      Antigamente gastava muito mais, mas mesmo muito mais. Cheguei a gastar quase 500€/mês e ficava estupefacta quando via ou lia relatos de pessoas que gastavam pouquíssimo.

      Há coisas que passei a fazer diferente, nomeadamente seguir a teoria de desembalar menos e descarcar mais. ,
      A base da nossa alimentação é fruta, legumes, hortícolas, nozes, carne/peixe e assim. Muito poucas embalagens e muitas vezes compramos, preparamos e congelmos.
      Compramos pão ( ou faz-se quando há tempo) mas não compramos embalado regularmente. Neste momento até tenho o bimbo porque estava numa boa promoção e, de vez em quando ninguém morre. Constantemente não consideramos uma opção saudável.
      Bolachas e afins não entram regularmente nesta casa também. Fazemos muitas vezes bolos, bolachas, panquecas e muffins ( com ou sem açúcar) e congela-se para a semana.

      Um dos nossos pequenos almoços mais frequentes são overnight oats. Super barato. Juntamos todo o tipo de fruta, leite de vaca ou vegetal e variamos bastante (1 pacote de aveia flocos grossos dá pequenas almoços para praticamente 1 mês).

      Em relação aos detergentes tentamos marcas brancas mas ainda não descobrimos nenhum que agrade. Habitualmente compro no PD, Xau SkipX-tra etc quando encontro os das 94 ou 100 e tal doses por 60/70% de desconto. Nunca compro ao preço total e faço o mesmo com as pastilhas da máquina da louça ( para essa só gosto de fairy).

      Em relação às águas e a outras coisas, muitas vezes há produtos onde só muda a embalagem entre as marcas e as marcas brancas. Em tudo o que consigo, troco pela versão mais barata. No mínimo experimento.

      Por último, o que mais ajudou mesmo foi o planeamento mensal das refeições todas. Diminuiu desperdício alimentar e ajuda a aproveitar promoções também.

      Eliminar
    50. Na água não muda só a embalagem, acredite.
      Comece a reparar no rótulo e no PH das mesmas.
      Em termos de PH mais elevado, a água Monchique é a melhor, mais cara também.
      Depois da Monchique temos a Evian (francesa) que também tem um bom PH.

      Aliás, devemos variar a água. Pode ler mais sobre isso, se for do seu interesse.
      Ou seja variar nas marcas.
      Ex: uma semana ou duas Monchique , depois Luso, depois Monchique de novo, depois marca branca se gostar mesmo da água, depois Luso e de novo Monchique.
      É apenas um exemplo.

      Eliminar
    51. PS: enganei-me. Com PH mais elevado, primeiro a Monchique, depois a Carvalhelhos e a seguir a Evian.

      Existe água com PH ácido, neutro ou alcalino.

      O nosso ph não se quer ácido... bem, é questão de pesquisar mais sobre o tema, quem quiser.
      Isto para dizer que não há mal nenhum em beber água de marca branca ou até da torneira, mas que existem melhores opções que fazem diferença, existem!

      A água da torneira em diversas zonas do país é potável, está legalizada com todas as licenças e apta para beber, daí a que seja a melhor opção....
      Basta pensar numa água que vem de um rio poluído (para onde vão as nossas fezes!)... para ela seguir potável, clarinha e “bonitinha” nas torneiras, imaginem os tratamentos e químicos.
      Água carregada de cloro e afins.
      O ideal é mesmo variar a água tal como variamos na alimentação.

      Eliminar
    52. Bem, quanta confusão relativamente ao pH. É certo que a água tem diferentes pHs mas acho que o que quiseram dizer foi que por exemplo a água da marca Aro (Makro) é da água Caldas de Penacova e por isso, nesse caso só difere o rótulo entre uma e outra. Ou seja, as marcas brancas normalmente vendem a água de marca mas mais barato. Se lerem o rótulo conseguem perceber de onde vem.
      Já relativamente ao consumo de água de diferentes pHs isso é puro mito. Basta pensarem que o pH varia ao longo do trato digestivo e por isso consumirem uma água a pH 5 ou 10 vai dar exactamente ao mesmo. E o pH fisiológico será sempre o mesmo independentemente da água que se beba. Mal de nós se variasse assim...
      O que altera e influencia é a composição química em termos de minerais, e aí sim, é aconselhado ir variando mas nada de muito crítico.

      Eliminar
    53. Definitivamente desisto!
      Bebam a água que quiserem.
      O que você refere está ERRADO mas este será o meu último comentário relativamente à questão da água. Informe-se antes de escrever “mitos”.

      Eliminar
    54. Pergunte a um doente oncológico acerca do ph. É sempre o mesmo?
      Está na hora de estudar anatomia.
      Mais, se a água é mais barata não muda só o rótulo, sei de fonte segura!
      Em suma, ponto final.

      Eliminar
    55. Por acaso está mesmo enganada. A anónima só disse verdades. A si falta-lhe estudar química e bioquímica.
      Aposto que a fonte segura é um charlatão qualquer que se aproveita da fragilidade e vulnerabilidade de pessoas que têm cancro.

      Tão bons que nem de interessam por estarem activamente a contribuir para a morte de pessoas ignorantes e crentes...

      Eliminar
    56. Vocês sabem que se o nosso corpo mudasse o estado de ph assim nós morríamos, certo?

      Bastava um limão para a malta se finar e bater as notas.

      É o que dá pessoas sem qualquer base em biologia acharem que sabem tudo porque ouviram "de fonte segura". 😂

      Não podia estar mais enganada. Nem sobre o pH nem sobre a água de marca.

      Eliminar
    57. Olhe agora esta... Biologia e química é capaz de ter sido uma área bastante explorada por mim, todavia, retiro-me.. Não bato em pontas de faca.
      Charlatães? Lol não atire barbaridades para o ar quando nada sobre o outro. Bebam a água que quiserem e sejam felizes. Um brinde ao PH ácido/alcalino.

      Eliminar
    58. Deve ter sido uma área muito explorada por si deve... Assim como a medicina, bioquímica, anatomia, fisiologia humana e tudo o resto. Uma pena que aparentemente não saiu dessa exploração a perceber o básico nem do sistema digestivo 😂😂

      Volto a reforçar: se o que diz fosse verdade nós morríamos com muitos dos alimentos consumidos diariamente. Então um limão ou lima matava-nos em segundos.

      Eliminar
    59. Está visto que a senhora gosta de distorcer os temas. Não morre com água da torneira, não se preocupe.
      É como lhe disse, quando a troca de ideias chega a certo ponto deixa de fazer sentido. E sim, felizmente tive oportunidade de estudar essas áreas, entre outras.
      Boa tarde

      Eliminar
    60. Eu sempre ouvi dizer q nao era a questao do ph mas sim dos minerais, que deviamos ir variando a agua. Por isso eu bebo geralmente da torneira e de vez em quando compro agua monchique no supermercado

      Eliminar
    61. Bem, está um pouco nervosa é melhor beber mais um copinho de água. :P

      Sou a anónima que disse que isso era mito e continuo a dizê-lo. Com todas as letras!

      Mas eu, ao contrário de si, estou aberta a novos conhecimentos: então mostre-me lá os estudos científicos que mostram aquilo que afirma. Estou curiosa para ler esses artigos científicos. Mas olhe que artigos na revista Maria ou em blogs não contam... quero mesmo pelo menos uma publicação científica!

      Mas pela sua (falta de) argumentação e as asneiras que escreve (nem sequer sabe escrever pH correctamente) posso tirar conclusões sobre os seus conhecimentos.

      Pode acreditar no que quiser mas não posso deixar que ideias erradas sejam difundidas assim. Infelizmente ainda existe muita ileteracia científica o que leva a que pessoas que infelizmente não tenham tido acesso a esse conhecimento acreditem nessas 'tangas'. Por isso, sempre que me for possível, esclarecerei todos esses mitos, que infelizmente são alguns.

      Ah, e já agora, devia era estar preocupada com os plastificantes que são libertados para a água. O plástico que se usa nessas embalagens é do mais fraquito e a migração desses compostos (normalmente os ftalatos e bisfenol A (o conhecido BPA ) é real com reconhecidos efeitos a nível endócrino (são disruptores endócrinos). Com isso é que devia estar preocupada.
      https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-981-32-9535-3_4
      https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6406073/#!po=8.33333
      (há imensos artigos científicos documentando esse problema)

      Mas malta, não é preciso entrar em pânico. O conselho que dou é preferir comprar comida/bebidas em embalagens de vidro ou cartão (não plastificado, obviamente). Evitem também aquecer comida/bebida em recipientes de plástico (isto é principalmente para a malta das marmitas!:)) porque o aquecimento facilita essa migração. Evitem usar formas de silicone ou cozinhar em/com plástico. É claro que não conseguimos fugir ao plástico mas se minimizarmos a sua utilização estamos também a minimizar os seus efeitos na nossa saúde. Podem também aplicar a todo o resto dos plásticos que usamos (em embalagens de cremes e maquilhagens, brinquedos, etc) mas sem histerismos. Até porque o nosso organismo (que tem de tão complexo como de maravilhoso) é uma máquina verdadeiramente impressionante capaz de se adaptar a novas situações.

      E já agora, para quem tem interesse em se informar verdadeiramente mais sobre determinado tema ou quando tiverem alguma dúvida podem pesquisar no Google académico (https://scholar.google.pt), onde podem encontrar informação de base científica sobre determinado assunto. Convém é que a pesquisa seja feita em inglês: por exemplo podem colocar plasticizers endocrinology no https://scholar.google.pt e vejam a quantidade de estudos que existem.
      É claro que há revistas científicas melhores mas para uma primeira abordagem podem ver o que vos surgem.

      Eliminar
    62. Sim, mas isso foi o que o anónimo disse, que não era a questão do pH mas sim dos minerais e que mesmo isso não era assim tão relevante. Até porque de uma forma quase inconsciente uma pessoa vai alternando os tipos de água que vai bebendo. e as concentrações não são assim tão díspares.

      Eliminar
    63. Sim, estou esclarecida em relação aos BPA e tudo o que escreveu, obrigada.
      Há muito tempo que uso garrafas de água (para levar na mala/ no carro etc) e marmitas tendo em conta essa temática.

      Em relação ao que continua a dizer e a “picar” é tal como lhe disse, quando a troca de opiniões deixa de fazer sentido, retiro-me.
      Estou sempre disposta a aprender e ensinar o que sei ou trocar ideias, pontos de vista e opiniões, todavia, quando alguém vem com textos carregados de ironia e desconfiança, nem sequer vale a pena dar tempo de antena!

      Mais, sei perfeitamente como escrever PH (escrevi de novo assim. Posso?)
      Duas letras, enorme dificuldade!

      Quando um adulto, supostamente esclarecido, vem com saídas do género “ah nem sabe escrever”
      Enfim... está tudo dito.
      Não tenho o seu tempo, provavelmente, para implicar com o caps lock do vizinho.
      Foque-se no essencial!

      Seja feliz. Desejo-lhe muita Luz e humildade. Está a precisar!

      Eliminar
    64. Não só bioquímica como biologia, anatomia e fisiologia, farmacologia, patologia. Quer mais?
      É tão feio acusar o outro ou julgar quando nada sabemos sobre. Ao contrário de si, não me divirto com desconfianças e acusações online. Demasiado fácil!

      Eliminar
    65. Então mas e os estudos científicos que provam isso, onde estão?
      Não existem, não é? Contra factos não há argumentos!

      Acho que estou/estamos esclarecidos sobre a sua teoria. Acredite no que quiser só não permito é que espalhe mitos!

      Eliminar
    66. Bem, não desconverse com a questão da escrita do pH. Quem estudou tanto bioquímica, química, fisiologia e afins como diz deveria escrever correctamente, até porque se perde o mesmo tempo a escrever de uma forma ou de outra. Quem está realmente ligado às ciências é apologista do denominado rigor científico (que pelos vistos desconhece).
      Já quem não é da área não tem essa obrigação mas assim ficam a saber como se escreve correctamente e, devido a tanta polémica, nunca mais se esquecerão e vão estar atentas quando virem numa qualquer embalagem. Por acaso faço também divulgação científica para vários públicos e sei adequar a minha linguagem (que aqui foi bastante simples) para transmitir a informação que pretendo. E é uma das tarefas de que gosto muito e considero-a fundamental para uma maior informação científica da população em geral para impedir a difusão de mitos. Caso ainda não tenha reparado, não estou importada com o que acha ou deixa de achar (já vi que é um caso perdido), estou mais importada a informar correctamente as outras pessoas.

      Mas para finalizar e fazer o que me mandou (focar no essencial): onde estão esses estudos científicos que comprovam aquilo que diz? Continuamos à espera (porque, felizmente, percebi que é a única que acredita nisso). Vá, venham eles!

      Eliminar
    67. Pelo que me estou a aperceber há 3 pessoas a dizer-lhe que está errada ( eu incluída).

      Eu fui a pessoa que afirmou que morria a comer um limão se o pH da água tivesse qualquer influência e que afirmou - e repito - que não faz ideia do que está a falar.

      Já lhe pediram artigos científicos ou meta-analises a comprovar a sua teoria. Deu zero.
      Mantenho que não sabe nada e que a sua 'fonte segura" certamente não passa de um charlatão, isto se não inventou tudo.

      Eliminar
    68. A senhora não bate bem do parafuso, pois não?
      Vá fazer croché que daqui não leva mais nada.
      Não tenho que lhe provar nada. Ou tenho?
      Estamos num blog. Remember?
      Escrevi PH e continuo... talvez com a pressa da escrita. Nem todos temos o seu tempo.
      Aproveite, já que gosto tanto de escrever, escrever, escr... e abra você um blog para as suas piadolas excessivas.
      Sabe o que significa PONTO FINAL?
      Aborrecida que dói!

      Eliminar
    69. Não são 3 pessoas. Infelizmente é sempre a mesma. A pessoa do comentário às 5h da matina. Alguém que não sabe como ocupar o tempo.

      Continue a falar sozinha. Respostas para si? Mais? OFF!

      Eliminar
    70. Oh pá, adoro! Afirma coisas, pedem-lhe provas, continua a responder sem mostrar as tais provas.
      Que falta de argumentos, senhora!
      Acho piada porque quando se falam em estudos científicos estes charlatões ficam assim logo todos nervosinhos e ofendidinhos!
      É a prova provada de que é tudo treta. Está desfeito o mito!

      E não, não é sempre a mesma pessoa. Às 5h da manhã estava a dormir um soninho bem bom. :)

      Eliminar
    71. https://www.scimed.pt/geral/dieta-alcalina-mitos-e-factos/

      Se quiser pode começar por aqui. É escrito por um médico em português. Não sei se sabe inglês por isso não lhe dou outros links.

      De qualquer forma tem vários links para estudos verdadeiramente científicos. ( Eu duvido que tenha qualquer interesse em estudar a realidade que não lhe diga amém).

      Neste momento somos pelo menos 2 anonimos a responder-lhe já que o anterior comentário não foi meu.

      Eu sou a pessoa que lhe disse que morria se a sua teoria fosse certa.
      E para quem diz que os outros têm muito tempo livre, a anónima está aqui a responder e a ver quem respondeu a que horas. Não deixa de ser irónico...

      Eliminar
    72. Com tanta resposta que já deu já podia ter referido o(s) artigo(s) científico(s). Mas (cá entre nós) sabe que não eles existem porque se não já os teria aqui "escarrapachado" para acabar com esta conversa e calar-nos de vez! Bem, pelo menos fizemo-la pesquisar e pensar no assunto...

      Mas continue a acreditar no que quiser. Mas pelo menos as outras pessoas já ficaram esclarecidas e com a informação correcta. Já valeu a pena por isso! Obrigada

      Eliminar
  8. Comer torradas na rua é coisa que raramente faço. Como sim torradinha mas em casa na minha torradeira.
    Se é para ir ao café/padaria como algo que não posso ou não confeciono em casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu acho que é mais uma questao de oportunidade. se eu for passear e passar o dia a outra cidade, tenho de lanchar obrigatoriamente e se eu gosto de torradas ate posso la comer isso. agora se estiver em minha casa nao vou sair para a padaria para ir lanchar torradas quando as podia fazer em casa.

      Eliminar
    2. Quando como fora também costumo aproveitar para comer o que não costumo comer em casa. :)
      Como não sou muito de pastelarias (prefiro levar um lanchinho de casa a ter de ir a uma, só entro em pastelarias se marcarem algum encontro lá e normalmente bebo café, chá ou uma meia de leite/galão, só em último recurso é que como alguma coisa).
      Mas quando vou a restaurantes é certinho, desforro-me com comidinha diferente da que habitualmente como em casa!

      Eliminar
    3. Sim anónimo, em passeio até compreendo.
      Mas por exemplo, para mim, não faz sentido ir tomar o pequeno-almoço à padaria/pastelaria mais próxima para comer uma torrada e uma meia de leite ou café, como vejo muitas pessoas que não passam sem o pequeno-almoço fora TODOS os dias.

      Prefiro mil vezes comer a minha torradinha com café em casa ou tapioca ou crepioca ou cereais ou iogurte com fruta ou bolinho mais saudável e caseiro ou papas de aveia... há tantas opções.
      Não me faz sentido ir à pastelaria todos os dias.
      E mesmo em passeio é raro pedir torrada.
      Se é para tomar o pequeno-almoço fora ou lanchar, peço outras coisas.

      Eliminar
    4. São gostos. Eu nem sequer gosto de tomar o pequeno-almoço ou lanchar fora. Nunca gostei! Mesmo almoçar e jantar prefiro em casa. Só que gosto muuuuito de ir buscar comida fora e comer em casa. :P

      Eliminar
    5. Eu gosto de jantar/almoçar fora de vez em quando.
      Lanchar também se estiver fora de casa, em passeio ou se combinar com amigas, namorado, família ou mesmo sozinha, mas não peço torrada.
      São gostos, evidentemente.

      Eliminar
    6. Pois a mim nada me sabe melhor que uma torrada do Doce Giestas ou um croissant misto na Ameadella. Prefiro mil vezes estas opções a comer bolos. :D

      Se podia fazer ambos em casa? Hummmm... Os croissants da Ameadella são deliciosos e com um toque de canela. O pão de torradas ou tostas mistas da Doce Giestas é o melhor. Vale bem o dinheiro. Não é a mesma coisa que comer em casa.

      Eliminar
    7. Torrada é torrada.
      Basta comprar um bom pãozinho e fazemos óptimas torradas em casa.
      Ou manteiga boa.

      Croissant é outra coisa, assim sim venha croissant na pastelaria ou loja de eleição.

      Eliminar
    8. Pão Alentejano, Transmontano ou de Mafra e Manteiga Milhafre açoriana ou Marinhas.
      Garanto que não comes só uma.
      Na rua ou em casa, visto que não tem ciência nenhuma fazer uma boa torrada.

      Eliminar
    9. S* lol por causa desta conversa, ontem, fui comprar manteiga milhafre. :p

      Eliminar
    10. Anónimo das 10h42, confirmo... Milhafre dos Açores, Marinhas e Primor!!

      Eliminar
    11. Eu quero é a receita do bolo. :D

      Eliminar
    12. Qual bolo anónimo?

      Eliminar
    13. Enganei-me no sítio onde comentei. Era o bolo que alguém referiu acima que faz para os aniversários.

      Eliminar
    14. Anónimo 12.36h chamado à recepção. :D
      Receita do bolinho de aniversário caseiro e especial, precisa-se!
      Agora que li o comentário também fiquei curiosa.

      Eliminar
    15. É receita especial, não a partilho com ninguém... nem com familiares directos! Gosto de saber que só eu e mais 2 pessoas é que a temos.
      Mas vão experimentando até encontrarem uma especial. A minha é de chocolate e até pode haver pessoas que nem liguem muito a bolos desse tipo.
      Boa sorte! :P

      Eliminar
  9. Estou a passar pelo mesmo.
    Gosto muito de ir ao restaurante mas agora estou numa fase de poupança e, antes de ir, fico a pensar em quanto me vai custar.

    ResponderEliminar
  10. Também emagreci alguns quilos mas mandei apertar pouca roupa, apenas as peças mais novas e as que mais gostava.
    A despesa da costureira não sei se compensava.
    Usei muitas blusas ou túnicas mais largas com uns cintos catitas, uns acessórios e excelente.
    Algumas calças doei outras fiz delas calções.
    As blusas dá para apertar e ficam porreirinhas na mesma mas as calças nem sempre assentam da mesma forma depois de mandar apertar.
    Esperei até a próxima estação para ver como iria estar em termos de peso e apenas comprei uma ou duas peças em saldo.
    Foi por gostar de me ver com esses quilos a menos que mandei apertar pouca roupa pois sabia que mais tarde ou mais cedo queria apostar noutro género de peças.
    Foi o pontapé de saída para começar a apostar em roupa com alguma qualidade e coisas para durar.
    Casaco e vestido preto que nunca me comprometo, etc.
    Deixei de acumular assim.

    ResponderEliminar
  11. Seguro do carro
    Revisão e inspeção
    Possíveis avarias ou multas
    Combustível
    Portagens
    Compras de casa
    Lentes de contacto
    Dentista e branqueamentos
    Pintar cabelo
    Cremes
    Luz
    Água
    Gás
    Telemóvel
    Seguro de saúde
    Internet e tvcabo
    Digam-me como se consegue viver com ordenados baixos?
    Fora o que já se pagou há muitos anos com estudos universitários para agora andar a contar tostões para... pagar contas!
    Optámos por comer pão e água?
    Depois a seguir vem a conta do médico por desnutrição!
    Viramos desleixados e depois somos postos na rua e ficamos sem trabalho?
    Deixamos de andar de carro e de visitar a família?
    Trabalhando longe de casa não dá para ir de transportes.
    Deixámos de usar telemóvel e vivemos às escuras?
    Às vezes não é não querer poupar, mas sim não ter hipótese.
    A única coisa que consigo retirar da lista seria a tvcabo porque de resto, não vejo como...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois. Muito isso. Já nem conto com lentes, óculos, pílula, medicamento da asma... coisas que uso SEMPRE...

      Eliminar
    2. Sim, esqueci-me da pílula.
      E a minha não é das mais baratas.

      Eliminar
    3. ok, entao vamos abordar a conversa por outro lado.
      até 2014 o salario minimo em Portugal era 485€ (bruto, porque depois ainda descontavam seg social), em 2017 estava em 557€ (liqudio dava 496€) e no ano passado estava nos 600€ (liquidos 534€).
      É mentira que eram estes os valores do salario minimo?
      É mentira que cerca de 700 mil trabalhadores em Portugal ganham o salario minimo?
      Entao como fazem eles?
      Continuo sempre a bater na mesma tecla: se alguem que ganha 500€ liquidos consegue chegar ao final do mes com esses 500€, porque nao pode alguem que ganhe 1500€ optar por viver a mesma vida de restrições, gastar so 500€ e poupar os outros 1000€? Eu nao estou a dizer que faz sentido ou nao, estou so a dizer que é possivel. E quando dizem que nao é parece que estão a gozar com quem efectivamente ganha o salario minimo e tem de chegar com isso ao final do mes.

      Eliminar
    4. Desleixados porque não se gasta descontroladamente? Lol

      Eliminar
    5. Desleixados em termos físicos, de aparência.

      Eliminar
    6. Para quem referiu acerca das promoções de supermercado, pois muito bem. Todos gostamos delas mas cuidado porque promoções e descontinhos também enganam.
      Por exemplo, eu deixei de comprar papel higiénico folha simples e marca branca que está sempre em promoção pois fazendo as contas os rolos não duram nada. É todos os dias a trocar a porcaria do rolo lol.
      Fui ver os de folha dupla da renova (rolos maiores) e estão quase sempre ao mesmo preço dos de marca branca.
      Prefiro dar mais uns cêntimos do que comprar rolos pequenos que não valem um cu (está foi boa).

      Eliminar
    7. Repondendo á sua pergunta e tendo em conta que vivo numa das cidades mais caras do mundo:
      Seguro do carro - não tenho carro, uso transportes - 170€
      Revisão e inspeção - n/a
      Possíveis avarias ou multas - n/a
      Combustível - n/a
      Portagens - n/a
      Compras de casa - 100€ (a arredondar para cima)
      Lentes de contacto - n/a
      Dentista e branqueamentos - mas quantas vezes vai ao dentista? Eu vou duas vezes ao ano.. são 30€ de cada vez
      Pintar cabelo - pinta o cabelo todos os meses? Eu nunca pintei.
      Cremes - tem mesmo que comprar cremes todos os meses?
      Luz - 25€
      Água - 10€
      Gás - incluido na água
      Telemóvel - 15€
      Seguro de saúde - nao tenho, devia ter?
      Internet e tvcabo - Já tive tvcabo e cancelei por nunca usufruir do pacote. Agora só tenho internet e netflix - 15€
      Pilula - usei durante anos e anos, agora pus um implante que dura 3 anos - foi grátis através dos SNS da cá

      Isto é o que pago em contas (das que voce mencionou) e sei que para a média da cidade onde vivo é bastante barato... Do que mencionou, há parámetros que para mim não são essenciais e que não se aplicam, por isso não me surpreende que haja tanta diferença nas opinioes que aqui são dadas... É tudo muito relativo e cada caso é um caso. Mas continuo a defender que o problema não é as pessoas ganharem pouco (claro que há casos que sim) mas muita gente não sabe é gerir o dinheiro.

      Eliminar
    8. Não percebi este comentário. Então, por se dizer que se consegue viver com menos do que o ordenado mínimo/mês já se é desleixado e mal nutrido? LOL
      Eu até visto roupas de marcas, ando no ginásio e alimento-me muito melhor do que os meus colegas que andam à base de enlatados/embutidos/comidas pré-cozinhadas, ou seja, de industrializados no geral. Ando maquilhada com bons produtos, unhas sempre arranjadas e trato muito bem o meu cabelo. Faço isso tudo em casa mas tenho o cuidado de usar apenas bons produtos que apenas os compro com megas promoções. Ah, e visto um 34. Por isso não percebo a relação entre se gastar pouco e o desleixo. Por exemplo, até acho que a S* se podia arranjar melhor para os gastos que tem ou que se tivesse um pouco mais cuidado na alimentação (que ela própria confirma) conseguiria ter uma silhueta melhor.
      Mas, já agora, se me permite, posso dar-lhe algumas dicas onde pode diminuir os seus gastos:
      - Por acaso tem casa própria? Senão aconselhava-a a ir para uma mais próxima do local de trabalho e assim evitava toda a despesa associada a um carro. Faça bem as contas a que gasta por mês em deslocações e veja que, mesmo pagando mais por uma habitação mais próxima do trabalho, pouparia imenso. Assim ficaria com o carro apenas para deslocações pontuais, como, por exemplo, para ver a sua família. E nesse caso dizia-lha até para vender o carro e alugar um apenas quando precisasse: anda sempre de carro novo e poupa mesmo muito dinheiro! O pessoal não costuma fazer as contas mas um carro custa tanto como mais um elemento do agregado familiar...
      - Se o seguro de saúde é pago por si pode também cancelá-lo. Apesar do SNS estar a rebentar pelas costuras a qualidade nem chega aos calcanhares dos privados. Acredite que os casos mais complicados são TODOS encaminhados para o SNS.
      - Renegociar todos os contratos que tem (luz, electricidade, tv, internet, telemóvel, etc);


      Ah, e há consultas de planeamento familiar nos centros de saúde que fornecem gratuitamente a pílula...

      Eliminar
    9. A pílula que eu tomo há 14 anos não é comparticipada. Tentei implante, mas dei-me mal com ele. Meio ano e tirei.

      Quanto ao resto, são discussões excessivas sobre a vida de cada um. Cortar em unhas, penteados, Netflix e afins é uma coisa... Só não entendo como se gasta 20 euros por semana no supermercado. Eheheh.

      Eliminar
    10. Anónimo das 17:12, ahahah, tem razão. Essa foi muito boa!

      Eliminar
    11. Acha mesmo que porque não se gasta um balurdio se anda desleixado? Assim não admira que não consigam perceber como é que os outros poupam...

      A maioria da alimentação saudável em Portugal é barata. O mais caro são as porcarias.

      Eu digo o mesmo que a outra anónima. Gasto pouco em roupa, tenho pouca roupa mas a que tenho e compro é de excelente qualidade.
      Um casaco não dura 10 anos com aspecto de novo se não for bom, por exemplo. E um corte clássico deixa qualquer pessoa a parecer bem. Já para quem vive atrás das modas realmente deve gastar balurdios em qualidade muito dúbia.

      Eliminar
    12. Uma das anónimas que referiu que deixou de acumular e passou a ter algumas peças de qualidade para durar, imagine, fui eu!
      Ahah.
      A senhora se não entende o que se quis dizer com “desleixo” é porque não quer, desculpe.
      Ninguém sequer falou em roupa desta vez.
      Usei a palavra desleixo em termos físicos. Quem dá a cara numa empresa ou função, feliz ou infelizmente hoje em dia a imagem conta, como tal não posso por exemplo andar com raízes do cabelo por pintar há não sei quantos meses, unhas a descascar, maquilhagem medonha etc.
      Bem, está explicado para quem quiser entender. Quem não quiser, paciência. :)

      Eliminar
    13. Não acho que tivesse sido nada explícita nesse campo.

      Eu nunca pintei o cabelo na vida e não me parece que andar com imensa maquilhagem faça alguém ter boa apresentação também.
      Quanta maquilhagem compra, onde e em que circunstâncias? Porque pode dar 20€ e ser óptima ou dar 100€ por porcaria...

      Eliminar
    14. Andar bem maquilhada não significa que precise de imensa maquilhagem.
      Neste momento não compro maquilhagem, estou bem abastecida. Já sei o que uso mais ou menos, o que gosto ou não, o que compensa ou não.
      Bem, acho que para bom entendedor meia palavra basta. Já se percebeu a que ponto queria chegar com a palavra desleixo? Óptimo, perfeito.
      Boa noite para si.
      Boa tarde ou Bom dia dependendo da hora que vir este comentário (explícito). :)

      Eliminar
    15. Mas se não tem que comprar constantemente como é que tem assim um impacto tão grande no orçamento para não andar desleixada?

      Além disso, acabou de dar razão aquilo que suponho serem 3/4 anónimos sobre o facto de não serem gastos necessários para não ser desleixado.
      Claro que pode ser algo em que goste de gastar, o que não impede de ser possível ter um óptimo aspecto sem nada disso. Logo não colocar em risco o trabalho e todas as previsões que fez...?

      Eliminar
    16. Desculpe a indelicadeza, mas você ou é lenta de raciocínio ou tem o complicometro ligado.
      Maquilhagem é o menos no meio dos gastos.
      Foi um exemplo no meio de tantos outros, dentro do termo desleixe ou andar arranjada porque a sua função assim o exige.

      Eliminar
    17. Não desculpo porque está apenas a revelar falta de capacidade de argumentação e incapacidade de compreender o contexto que criou mas faz várias insinuações em relação aos outros.

      Mas vamos lá...Sim,sou extremamente lenta e a anónima é tão difícil que não conseguiu ainda dizer onde raio gasta o dinheiro para ser uma despesa tão grande no orçamento 🙄 ou é ou não é. Ponto.

      Ou então quis precisamente insinuar que quem não gasta balúrdios em estética é desleixada, perderá o emprego por isso e yada yada yada. E agora não sabe descalçar a bota e por isso faz ataques ad hominem em vez de responder de forma clara à questão.

      Mas fique com a taça...

      Eliminar
  12. Queria dizer: papel higiénico Renova compacto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nao percebi a sua ligacao entre promocoes e marcas brancas. Eu so uso skip para a roupa, fairy para a louça, cif para a casa, cologar rolos de cozinha e renova papel higienico. Compro sempre em quantidade qd há boas promoçoes, ás vezes 60%. E no total gasto menos de q quem usa marcas brancas mas so compra qd acabam por isso paga o preço q ha no momento. Ha varias coisas q uso marca branca do Continente mas produtos de higiene nao pelo motivo q referiu, nao compensa. Ou seja, aproveitar promocoes nao é comprar o mais barato, é mtas vezes aproveitar p comprar coisas de marca a preço mais baixo.

      Eliminar
  13. Anónimo das 17:29h às coisas não são assim tão lineares.
    Ter carro ou não ter depende muito do tipo de vida de cada um, onde estamos inseridos etc. o carro, no meu caso, não serve apenas para deslocações trabalho-casa.
    Ficar sem carro na minha vida neste momento está fora de questão.
    Se não usa lentes de contacto óptimo para si, é menos uma despesa.
    A não ser que deixa de usar óculos ou lentes só porque me apetece!
    Dentista várias vezes, uso aparelho dentário.
    É agora?
    Água pelo valor que referiu até me dá vontade de rir.
    Se mora numa cidade cara, eu nem lhe vou dizer quanto pago.
    A minha pílula não é comparticipada e não é qualquer uma que não me dá efeitos secundários.
    Cremes? Por acaso é alérgica? Tenho várias.... é preciso dizer mais?
    Pinto o cabelo quando me apetece, gosto de me sentir bem comigo mesma.
    Só porque você não pinta o seu, as pessoas não são todas iguais.
    Além disso dou a cara no meu local de trabalho e não convém andar com guedelhas de desleixo.
    Seguro de saúde, se deveria ter ou não isso não serei eu a responder. A sua questão nem me faz sentido.
    Nem tudo é preto no branco.
    Também não tenciono abdicar do seguro e estou muito satisfeita com o público mas sobretudo com o privado.
    Etc etc etc...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os cremes pode começar a ver as farmácias espanholas ou francesas. Sites como a dosfarma ou mifarma onde durante os descontos se conseguem os mesmos produtos a 1/3 do praticado em Portugal. Durante o ano habitualmente ficam a metade do preço. Pelo menos mais baratos são sempre.

      Eliminar
    2. Até parece que se compra lentes ou óculos todos os dias ou que não há campanhas.
      Na promoção dos 3 óculos pelo preço de 1 par. Paguei alguns extras à parte e no final tive 3 pelo preço de 1,5... Além disso as nossas empresas têm o vício de só ter em exposição armações de designer. Não há necessidade nenhuma. Há armações igualmente bonitas e de boa qualidade extremamente mais baratas.
      Por acaso os que comprei são todos de marca: Tommy, Pierre cardim e DG. Mas não tinha necessidade.
      Com 3 pares não vou precisar de óculos nos próximos 4/5 anos à vontade..

      E lentes quanto gasta por ano?! Compro as minhas para astigmatismo+ miopia , pago extra porque preciso das mais finas do mercado porque os meus olhos rejeitam as outras e pago 35€ por cada embalagem que trás lentes mensais para 6 meses...

      Eliminar
    3. Falo por mim: lentes para 3 meses ficam a 37 ou 38 euros. Mais líquido, que ronda uns 12 euros... portanto, 50 euros trimestrais. Os óculos que comprei, em Dezembro de 2018, custaram-me quase 500 euros. Não foi da armação - que rondou os 100 euros, foi mesmo das lentes, porque tenho elevada graduação, astigmatismo, estrabismo, miopia... o que houver, eu tenho!

      Eliminar
    4. A ideia dos óculos é boa se não houver mudança de graduação nesses 4-5 anos. Eu durante anos trocava as lentes dos óculos a cada 6 meses. Um pequeno balúrdio mas não era propriamente uma questão de escolha, era preciso. Mesmo agora não faria uma compra a assumir que durante 5 anos não vou mudar de lentes porque efectivamente nunca passei tanto tempo sem trocar.
      Eu acho interessantes estas discussões que mostram que é possível viver bem com menos mas também é verdade que há diferentes realidades (ex: quem usa óculos terá sempre essa despesa extra comparando com quem não usa, não há volta a dar).

      Eliminar
    5. Anónimo das 19:44, obrigada pela resposta mas nao precisa de ser enervar. Eu falei do meu caso e mencionei os valores da minha metade das contas. O meu namorado paga outra metade. O que nao referi foi que em conjunto pagamos 1300€ de renda (so renda mesmo sem contar com contribuiçoes para o concelho que sao mais 130€ por mes). Duvido que haja aqui muita gente a pagar isso so pela casa e la esta, isto é uma conta fixa a qual nao podemos 'fugir'.
      Como disse, nem tudo é assim tao linear, se voce precisa de aparelho dentario, pintar o cabelo e cremes especiais, eu, graças a deus, nao preciso e também nao é por isso que sou desleixada. O meu namorado por acaso usa lentes e compra mensais e cada 3 meses e fica a volta de 12€ de cada vez, ou seja 4€ por mes.
      Como ja referi, eu ja gastei muito mais dinheiro em coisas que para mim eram essenciais e agora nao sao. Cada caso é um caso e nos so estamos aqui a partilhar a experiencia de cada um.

      Eliminar
    6. Não estou enervaram-se, simplesmente não podemos meter tudo no mesmo saco porque as realidades são distintas.
      As minhas lentes não são para 6 meses, são para 3.
      Entre lentes mais solução de limpeza fica à volta de 45€/50€.

      Eliminar
    7. Sinceramente eu não preciso de ter 3 pares de óculos ao mesmo tempo, primeiro porque não há necessidade, depois porque as armações vão cansar passado uns anos e por fim porque uso lentes e não ando sempre com os óculos.

      Mudo de óculos geralmente de 3 em 3 anos.
      As lentes dos mesmos posso eventualmente mudar antes.

      Eliminar
    8. Já uso lentes há mais de 20 anos, já passei desde as mensais às diárias e acho que nem no início gastava tanto nas lentes. O que costumo fazer é comprá-las online que são muito mais baratas. Tal como o líquido das lentes que também é muito mais barato online. Podem pesquisar porque há imensas lojas online com preços muito bons e podem comprar à confiança. Se quiserem realmente poupar, fujam das ópticas físicas.

      Eliminar
    9. Eu comprei 3 pares porque era o que a promoção incluía. Ficava mais caro comprar separado. Daí também ter comprado armações de designer, porque eram as disponíveis.

      Relativamente à graduação a última vez que mudei foi precisamente há uns 4 anos e apenas alterou depois da gravidez. Em relação ao modelo não ligou a modas. Compro o que gosto e me fica bem, com 3 pares dúvido que me canse. Se precisar troco lentes e não armações.
      De qualquer forma basta procurar um pouco e comprar em sites fiáveis e reconhecidos. Tira-se o mediador e uma valente porção do gasto, principalmente nas lentes. A mim pedem-me 80€ por uma caixa exatamente igual à que eu compro e pela qual dou 35€.

      Novamente estamos apenas a partilhar realidades.
      Eu não compro cremes mensalmente, não vou à cabeleireira frequentemente, muito menos pintar. Não compro lentes caríssimas ou produto de limpeza apesar de ter olhos muito sensíveis e só suportar marcas que em Portugal são caríssimas ( bendita Espanha).

      Mas isto vai de tudo. Comprei um dos melhores coques do mercado para o meu filho que cá custa perto de 300€ comprei por 60€. E as cadeiras para o grupo seguinte comprei Sirona que vai em sentido contra a marcha até muito tarde e paguei 250€. Por aqui quem tenha filhos saberá que nem por 400€ as compram...
      Mas esta é uma área que é fundamental para mim.

      Também poupo noutras coisas. O meu marido faz quase tudo o que é preciso nos nossos carros. Entretanto mandamos vir peças da Alemanha a 1/3 dos praticados cá e, surpresa, quando vai a uma loja de materiais cá porque precisa de alguma coisa repentinamente passa a vida a ver as caixas dessa mesma empresa. Vendem as coisas com margem de lucro superior a 100% e nós pagamos 3vezes o valor pela mesma qualidade...

      Eliminar
    10. Já se sabe, é negócio e as empresas têm que ganhar o deles.
      É como as compras em lojas espanholas Primor ou Maquillalia.
      Eles vendem imenso online para Portugal e muitos produtos são muito mais baratos.

      Há um líquido da lentes muito bom que compro na Wells (quando não compro na óptica).
      Chama-se Bio True, embalagem verde e branca.

      Já agora, para quem compra as lentes online, quais são as lojas que recomendam de confiança?
      Sei que se vendem online mas nunca comprei desse modo.
      Conheço os Senhores da óptica onde vou há muitos anos, já estou à vontade com eles e faço questão de lá ir pois sempre fui muito bem tratada e já recebi uns bons descontos por ser cliente habitual, mas já agora darei uma vista de olhos no online, se souber de lojas seguras.

      Eliminar
    11. Anónimo, lentes de contacto de confiança e a um terço do preço aqui: https://www.lentesdecontacto365.pt/

      Só conheci este abençoado site há meia dúzia de meses. :)

      Eliminar
    12. Uma coisa é terem lucro, outra é roubar. Para mim vender por esses preços, aproveitando-se das pessoas com pouca cultura financeira e pouco acesso a outros serviços ( como os idosos com internet) é, roubo. Não apoio esse tipo de empresas até porque a política é dos salários mínimos e trabalhos precários para os seus trabalhadores.

      Faz-me sempre lembrar do outro da Sonae que queria a diminuição do salário mínimo 🤦🤦 claro, diminua-se a capacidade de subsistência dos portugueses porque isso é que é bom. Isto enquanto eu - empresa milionária - garanto a continuidade dos aumentos brutais de lucro ( ou não... Porque sem dinheiro também não se compra 🤷) mas são estes os nossos "gestores de topo".

      Eliminar
    13. S* muito obrigada pela recomendação. Hoje mesmo irei dar uma vista de olhos no site.

      Anónimo 10.35h não exagere. Todas as empresas têm que ganhar algum. Certo? Não é só no ramo da óptica.

      Eliminar
    14. Querida S* como tiveste a atenção de recomendar um site (seguro e português) para a aquisição de lentes de contacto online, venho aqui só para te dizer que já dei uma vista de olhos na página. Não me parece nada mal, tem realmente muita oferta de produtos, diversas marcas e várias modalidades de envio.
      Estou bem tentada a experimentar uma primeira compra no site deles.

      Estou só indecisa nas marcas. Tens alguma preferida?
      Eu tenho miopia e um pouco de astigmatismo.

      Estive a ver e também têm disponível a solução de limpeza que eu falei, a Bio True (que eu compro na Wells).

      Beijinho.

      Eliminar
    15. Olá, bom dia!

      Eu compro as Soflens 59, que são o mesmo produto que usei durante a última década - e que comprava ao triplo do preço no meu oculista. :) Já mandei vir duas vezes. Líquidos nunca comprei por lá, na verdade, por isso não posso aconselhar.

      Porque não vê se arranja essa marca na sua área, compra para ver se gosta, conhece assim melhor a sua 'medida' e depois pode encomendar online? Eu, por acaso, não precisei de testar nada, porque comprava exactamente essa marca. Recebo a encomenda em 24 horas.

      Eliminar
    16. Alguma é diferente da mesma peça custar 3 vezes mais.
      É como ver coisas em loja por 50/60€ e saber que mandaram vir do Ali por 4/5€...
      É roubar e é aproveitamento. É o capitalismo no seu pior.

      Para mim não é exagero.

      Eliminar
    17. Caro anónimo, concordaria consigo, até porque sou absolutamente contra imitações ou contrafacção. Mas não é o caso. Este site é de um fornecedor. É quem fornece os oculistas. Foi o oculista de uma colega de trabalho quem lhe aconselhou, por lá comprar. Nunca iria comprar imitações, muito menos para os olhos.

      Eliminar
    18. Tens toda a razão, brincar com imitações para os olhos, nem pensar.
      Pelo que vi parece-me de confiança, com morada e contactos tudo disponível.
      Vou anotar a marca que referes e talvez fazer o que aconselhas, para experimentar, sim.
      Não encontrei a marca das minhas no site, daí ter questionado sobre marcas.
      Já tenho a página nos favoritos.
      Mais uma vez, obrigada S*.

      Eliminar
    19. Eu sei S*, era a responder ao anterior comentário e com o teu pelo meio ficou descontextualizado.

      Para mim é óbvio que as empresas têm que ter algum lucro. Pagar 3x mais para mim é um exagero, é aproveitamento e, no fundo, roubo.
      Aliás vender coisas do Ali por 10x o lucro e muitas vezes coisas para crianças meterem na boca, não avisando que são produtos importados sem controlo de qualidade vai ainda além disso.

      Por isso é que não tenho pena nenhuma que essas lojas fiquem sem lucro. Se o capitalismo lhes dá jeito quando é para se aproveitarem dos outros, também serve para perderem o negócio quando não dão resposta às necessidades de uma forma adequada. É o capitalismo também só que desta vez não é a favor dos mesmos. Temos pena.

      Eliminar
    20. Seja na óptica, na decoração, no mobiliário, nos trapos ou qualquer outra área. Se for por aí então é melhor não comprar nada pois na sua perspectiva estarão sempre a vender gato por lebte.

      Eliminar
    21. Ja repararam q a Maça de Eva vai fechar as lojas fisicas e voltar ao online? Faz ideia de quanto custa ter uma loja? A renda, pagar luz, agua, salario de funcionario? A dif de preço entre o online e o de loja nao é so lucro é mesmo pq os custos sao mt maiores....nao sou empresaria, sou contabilista e custa-me ver as pessoas a falar assim pq mta gente nao faz a mais pequena ideias dos custos de funcionamento de ter um espaço fisico

      Eliminar
    22. Por acaso sei muito bem quanto custa ter uma empresa aberta. Também sei muito bem o quanto se aproveitam da ignorância alheia para ter lucros brutais.

      A mim não me custa nada que por exemplo essa pessoa emcerre as lojas físicas ou acha mesmo que o produto tem qualidade para tais preços? E se o tem porque é que quem trabalha nas fábricas ganha o salário mínimo e tem condições de vida miseráveis? Enquanto o preço a sair de fabrica for de aproximadamente 10€/sapato já com tudo incluído ( isto em Portugal) não tenho pena nenhuma que percam as margens, os lucros ou mesmo o negócio.
      Em Portugal é tão fácil ser empresário e empreendedor quando é à custa do trabalho escravo dos outros...

      Eliminar
    23. Mas nesses 10€ não estarão incluídos os materiais que ela usa, certo? Todas as clientes gabam as palmilhas por isso alguma diferença deve haver dos sapatos mais baratos que a mesma fábrica produz (digo eu que percebo 0 de empresas, gestão, contabilidade, a minha pergunta é mesmo curiosidade).

      Eliminar
  14. Anónimo 17:49h tal como respondi ao comentário anterior, abdicar de seguro de saúde e de carro está fora de questão.
    As vidas não são todas iguais.
    Em relação ao desleixo, interpretou mal o que foi dito.
    Nem percebi o teu reparo em relação à S*. Ela veste ao gosto dela tal você é eu. Ponto.
    Silhueta cada qual com a sua.

    Mudar de casa, para já, também não.
    A casa é minha sim.
    Há várias coisas em questão, não é só decidir e cortar com várias despesas e já está!
    Não são caprichos, garanto.
    Enfim, cada qual que gaste o que quiser. :)

    ResponderEliminar
  15. A minha pílula não é comparticipada.
    Sns? Pois sim!

    ResponderEliminar
  16. Confesso que me faz um pouco de confusão que pessoas que ganham bem vivam deliberadamente como se auferissem o salário mínimo nacional, impressionou-me até um comentário em que alguém dizia que só comprava cenouras e outros legumes baratos por causa do preço.

    Eu sou neste momento bolseira de doutoramento, a bolsa foi este ano atualizada para €1060. Pago €200 de casa que divido com o meu namorado e irmã dele, e poupo €250/mês. Quando vivia com os meus pais poupava €350 (não tinha as despesas de renda e contas de casa, pagava transporte e alimentação). Em ambas as situações, sei que podia poupar mais: em jantares de restaurante, em roupa (que praticamente só compro em saldos e outlet, mas compro com alguma frequência), em livros (tenho biblioteca perto de casa e poderia requisitar), etc. Mas convenhamos que a maioria das pessoas têm extras necessários que vão aparecendo: estou a tirar a carta e este mês gastei €125 em aulas extra porque estou atrapalhada na condução, no próximo mês vou à ginecologista fazer o papanicolau e eco ao útero e ovários que já não faço há dois anos (e não tenho seguro de saúde, portanto vai ficar caro), daqui a uns meses vou pagar €100 para participar numa escola de verão imprescindível para a minha tese. Ou seja, se ganhasse o salário mínimo teria de dar a volta à cabeça para fazer face a estas despesas, se é que as poderia fazer.

    Muitas pessoas que ganham o salário mínimo sobrevivem com pouca qualidade de vida, pelo menos se tiverem renda de casa ou empréstimo ao banco para pagar. Se falarem com alguém nessa situação verão que conseguem chegar até ao final do mês mas têm frequentemente que abdicar de coisas importantes, incluindo visitas ao dentista e mudar as lentes aos óculos. É diferente viver com €480 sabendo que, se for necessário, há mais, e viver com o salário mínimo com medo de não dar para comprar bens essenciais nos últimos dias do mês.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão.
      Não ganho muito, mas se há coisa em que gasto dinheiro é em alimentação e saúde (dentistas, lentes, consultas).
      Poupar na saúde é que não.
      E a saúde também vem da alimentação.

      Eliminar
    2. Fui eu q falei das cenouras.
      Mais uma vez temos diferentes definicoes do q é essencial, eu vou todos os anos á consulta de planeamento no centro de saude e faço esses exames. É de graça, a consulta nem sequer paga taxa moderadora. Nao percebo quem paga p ir ao ginecologista.

      Eu durmo descansada todas as noites pq sei q se amanha for despedida tenho um tecto, uma casa minha paga a pronto c a minha poupança mensal ao longo de muitos anos. Para mim seria impensavel gastar o salario todo e ter uma renda ou credito e depois ficar sem nada. Conheço quem com salarios de 2000€ comprou apartamento em condominio de luxo, pediu emprestimo, vivia bem, filhos em colegios e depois ficaram sem emprego, deixaram de conseguir pagar as prestaçoes e perderam tudo. Isso para mim é que me custa a compreender.

      Repare, eu nao vivo como alguem q ganha o salario minimo porque esses infelizmente têm de gastar tudo e nada lhes sobra. Eu decidi gastar mensalmente pouco mais q o salario minimo para poder acumular poupança e gastar em algo mais importante para mim: casa e carros pagos a pronto, e vou continuar a faze-lo ate atingir os proximos objectivos: ter sempre valor de lado para repor os 2 carros em novo+ valor para gastar na reforma dos 67 aos 100 anos supondo um salario minimo por mes ( nao estou a contar q a seg social ainda exista qd eu tiver 67 anos) e mais 20.000€ de lado para uma eventualidade ate la.

      Eliminar
    3. Ter uma poupança sim mas abdicar de certas coisas com obsessão na poupança não.
      Não estou a dizer que é o seu caso, mas enfim o dinheiro também serve para isso mesmo, para ser usado, enquanto temos energia e saúde.
      Também tenho tecto pago e nem por isso deixo de investir em certos itens necessários e úteis e consigo poupar de qualquer modo.

      O exemplo que mencionou de pessoas que pedem créditos para luxos maiores que a bolsa, aí já é querer ostentar. Há quem não saiba gerir o que tem.
      Quem não tem dinheiro (suficiente) não tem vícios, mas isso é o que mais há.
      Pessoas que pedem créditos para carros de luxo e, sobretudo, férias!
      Pedir um crédito para férias nem vou comentar.

      Eliminar
    4. Anónima das 00:00,

      Eu acho inteligente saber gerir o dinheiro e ter sempre uma boa poupança. Eu própria tento fazer isso. Temos objetivos diferentes (por exemplo tenho 28 anos e não está nos meus planos comprar casa porque estou numa carreira académica que me pode levar para outra cidade ou país, e também não tenho carro porque não sinto necessidade), mas concordo com o raciocínio.

      No entanto, tenho de lhe perguntar: deixa espaço para a espontaneidade com coisas que envolvam dinheiro? Por exemplo, decidir de um momento para o outro ir jantar fora ou ao cinema, comprar uma blusa gira que tenha visto? A mim tanto me custa compreender quem não tem cuidado nenhum com o dinheiro como quem vive uma vida austera quando podia aproveitar mais. É importante planear o futuro, mas por mais cliché que seja, nenhum de nós sabe quanto tempo cá está... quantas pessoas terão poupado todos os centavos para uma velhice que não chegaram a viver?

      Eliminar
    5. Nunca ouvi ninguém dizer que TINHA que participar numa escola para fazer teses? Pronto, são ideias...

      Em relação aos gastos, cada um vive como quer obviamente. Para mim também não faz sentido fazerem créditos para casa, carro, férias, obras e mais um par de botas.
      Também não me faz sentido comprarem coisas todos os meses ou darem centenas de euros por um telemóvel novo quando têm um em perfeitas condições para, 2 anos depois, repetirem o mesmo... Isto enquanto os pagam às prestações porque podem não se ter dinheiro mas ai de nós se não tivermos o último modelo xpto. Nem que a única coisa que se faça nele seja jogar, estar no Instagram ou Facebook, tirar umas fotos e uns telefonemas...

      Podia estar aqui o dia todo a enumerar coisas onde vejo as pessoas a torrar dinheiro diariamente e que a mim não faz sentido... E habitualmente são os mesmos que se queixam que é impossível poupar.

      A saúde vem com alimentação também. Certo. Mas não é preciso gastar centenas de euros ou pagar 3 x o valor de um alimento por ser 'bio'. Já leram a lista de químicos permitidos nos alimentos bio na UE? E se forem ver os alimentos bio nos USA ainda são piores porque a legislação é muito mais leniente.

      A fruta, legumes e afins é extremamente barata em Portugal. Claro que se formos para as bagas goji e alimentos tropicais podemos gastar imenso mas é preciso para ser saudável? Então coitadinhos dos nossos antepassados, teriam-se extinguindo já que as importações são coisas bem recentes...

      Claro que quem ganha o ordenado mínimo não consegue fazer muito melhor, aliás por norma são um excelente exemplo já que muitos conseguem colocar de lado uma parte do ordenado. Aliás muitas vezes poderiam ensinar umas coisas a quem ganha 1500-2000€ e acha que é impossível meter dinheiro se lado.

      Eliminar
    6. Anónima das 10:49,

      Tenho de participar numa escola de verão para aprender a trabalhar com um programa específico que me irá ser muito útil na análise dos dados. Poderia aprender sozinha? Sim, mas aprender com quem sabe parece-me mais acertado. Também podia não utilizar o programa para analisar os dados e fazê-lo de forma mais rudimentar, mas assim não teria a mesma qualidade. Portanto, sim, tenho. Tal como, se quero conseguir uma boa posição académica no futuro, tenho, durante o doutoramento, de participar em conferências e congressos nacionais e interacionais, arcando com os custos. Não me estou a queixar, é dinheiro que gasto de bom grado, o meu objetivo era passar a mensagem de que há despesas que nos acrescentam e que não se coadunam com viver uma vida super frugal.

      O comentário sobre alimentação a que está a responder não é meu, e quanto ao resto não tenho, nem nunca tive, qualquer crédito.

      Eliminar
    7. ... ao ponto de só comprar cenouras... ou pão SÓ com manteiga... SEMPRE! Acho exagerado mas ok.
      Sabemos lá se vamos sequer chegar à reforma.
      Já vi quem tivesse poupado, partiu (morte) e o dinheiro ficou... para outros!

      Eliminar
    8. Ninguém falou em alimentos bio.
      Falámos em legumes e frutas variadas, bio ou não.

      Eliminar
    9. Anonima das 10:36

      Vou ao cinema de vez em quando e vou jantar fora umas 3x por mes. Nao planeio isso c antecedencia, mas se calhar na 6af vou pensando o q fazer no fim de semana e organizo assim. Mas para mim as coisas sao sempre muito logicas, do genero 6af á noite penso: tenho de fazer x no quintal e arrumar umas cenas em casa, quero ir ao cinema e experimentar o restaurante Y novo, ok entao o melhor é tratar do quintal e da casa no sabado e no domingo vamos almoçar ao tal restaurante e de tarde ao cinema.
      Ou por ex, estava no shopping e vi q a loja X de roupa de marca estava em liquidaçao total com descontos de 50% em toda a roupa. Eu nao tinha nada especifico q precisasse no momento mas pensei: compro ja um vestido p a festa de Natal 2020 da empresa, um conjunto de top e saia para a passagem de ano, e trouxe mais uma camisola mais elaborada de inverno pq pensei q ás vezes temos visitas e eventos la no trabalho e gostava de ir com uma coisa mais chique. Ou seja , nada disto foi planeado com antecedencia, surgiu no momento mas depois tb fiz uma escolha tendo por base um raciocinio, nao comprei so por comprar.
      Agora coisas de instinto mesmo so porque apetece é mais raro, tipo ate saí c lanche de casa mas está sol e apetece mesmo comprar um gelado. Faço. Mas para gastos baratos (tipo coisas de meia duzia de euros).
      Nao sei se respondi á sua pergunta :-)

      Eliminar
    10. Antes morrer com dinheiro do q chegar a velho e nao ter condicoes p viver. O meu avo paterno passou os ultimos anos de vida numa casa ilegal a partilhar um quarto minusculo com outros 2 velhotes, sempre metido na cama, sem condicoes. E provavelmente morreu mais cedo por causa disso. Porque a reforma so dava p pagar aquilo e o meu pai e tia nao queriam pagar nada extra. Eu quero ter o minimo p nao depender da caridade alheia, se morrer aos 67 e o dinheiro ficar no banco, olhe supostamente fica p os herdeiros, a familia, aqueles q amamos, nao vejo mal nisso.

      É q as pessoas nao compreendem é q p mim nao sao restricoes, eu sinto-m bem assim. Por ex, hoje estou num SPA num hotel de 4estrelas, paguei 20€ pela entrada a tarde toda. Mas tenho de comer, e sei q aqui a cafetaria é mt cara, gastaria facilmente mais 5€ ou 10€ em comida. Ora o q fiz foi passar pelo continente antes de vir p ca e trouxe no meu saco e tou aqui num cantinho na espreguiçadeira a comer. Porque haveria de pagar 3€ ou 4€ por um croiassant c ovo se o comprei a 0,45€ ( estava em promocao no continente)? Estou a usufruir de um momento de lazer no spa que obvio é um mini luxo pois nao é essencial á vida mas com um gasto total controlado pq fiz certas opcoes. E ás vezes é so mesmo uma questao de esforço, por ex eu trago a minha touca de casa e vi pessoas a pagar um balurdio na entrada por uma touca do hotel pq n viram antes nas condicoes q era obrigatorio. Eu vejo muitas vezes q poupo pq procuro, tento estar informada e os outros n querem saber e pagam e pronto sem necessidade.

      Eliminar
    11. Lá está, vê-se mesmo que tem tempo. Tanto pormenor Senhora!
      Deve ser a mesma das cenouras, a mesma que não acredita que é preciso ir para uma escola de Verão para melhorar no doutoramento e a mesma que duvida dos estudos dos outros e opta por implicar com duas letras - PH.
      Ou HP (Haja Paciência) porque não?!

      Eliminar
    12. Se precisa porque não ganhou as skills é uma opção válida.

      Claro que é necessário investir mas eu conheço muitas pessoas cujas teses tiveram 18s, 19s e 20s e nunca tiveram que participar em escolas de verão, daí a estranheza. A minha englobou 3 artigos científicos publicados em revistas internacionais e uma apresentação em 2 congressos internacionais distintos. Foi a segunda na área em questão em Portugal e mundialmente era e é um tema pouco desenvolvido. Daí a estranheza...

      Se é para um programa específico já é mais compreensível mas de qualquer forma gasta no que quiser.

      Eliminar
    13. Gosto imenso do "então e se morre"? Dá vontade de questionar " e se vive?"...

      E se vive e não houver reforma da SS ( que é certo não existir se não forem feitas reformulações e ... Guess what... Não estão a ser feitas)?
      E se vive e não tiver um rendimento?
      E se vive e os familiares, directos ou indirectos, não conseguirem dar resposta ou ajuda?
      E se vivem e não têm dinheiro para ir ao médico, comprar medicamentos, para ter um tecto ou sequer comida?
      E se passarem fome?
      E se acabarem no olho da rua? Sabem quantos sem abrigos há?
      E se vivem e se tornam financeiramente dependentes de terceiros e se tornam vítima de violência ao idoso? E se são explorados ou maltratados pela vulnerabilidade financeira, como hoje em dia já se vê serem?

      Então, se viverem, chegarem aos 67 anos ( se forem crentes e acharem mesmo que a reforma não vai ser adiada) e não receberem uma reforma? O que fazem?
      Sabem que neste momento o Estado tem 0€ daquilo que vocês descontarmos guardado? Nós estamos a pagar as reformas actuais. Atualmente a natalidade desce a pique e os nossos jovens, além de terem menos filhos, uma grande parte emigra e não pretende regressar nunca. Os novos emigrantes também já não metem dinheiro em Portugal como gerações prévias. Investem no país que os acolheu.

      E se porventura até existir reforma mas só acessível aos 70/75/80 anos? E se ficam desempregados aos 55/60 e sem perspectiva de novos trabalhos? Como vão sobreviver até às reforma?
      É que na conjuntura atual, muitas vezes 35 anos já é considerado velho para muitos...

      Pois é... Então e se vivem?

      Eliminar
    14. E se, e se... se vivem, vivem!
      Poesia de trazer por casa.
      Ah! A vida.
      Ah! O dinheiro.
      Ah! Sovinice.
      Ah! Ahahah

      Eliminar
    15. Anonima das 20:15

      Eu sou a anonima das cenouras. Nao escrevi nada sobre o Ph ( nem percebo nada disso) nem sobre o doutoramento. É mais facil achar que é sempre a mesma pessoa do que admitir q sao de facto varios anonimos com a opiniao contraria certo?
      Ja agora, eu fiz o comentario das 15:31 e das 15:43.
      O das 22:14 é de outra pessoa que afinal tem a mesma linhs de pensamento que eu mas ainda é mais radical: eu conto reformar-me aos 67 anos ou la perto e ela fala em 80 anos... livra!

      Eliminar
    16. Anónima das 22:02, é um programa específico com o qual nunca trabalhei. Em todo o caso, não entendo a estranheza. Na minha área e no meu instituto é comum participar em workshops e escolas de verão e geralmente são essas pessoas que se mobilizam mais que saem melhor. Eu tive 20 na dissertação de mestrado sem grande esforço mas um doutoramento é outra coisa. Sou de Sociologia, já agora.

      Eliminar
    17. São mesmo nuitas pessoas a comentar, na minha opinião.

      Portanto perguntar se vive é poesia de trazer por casa mas meter sempre o "e se morre" pelo meio já não é filosofia de vida de barata?

      Pessoalmente tenho mais receio de viver anos com maus tratos e sem condições dignas do que morrer e deixar uma valente herança para os meus familiares próximos.
      Eles não se importarão de certeza e, caso eu não morra, tenho as condições de vida mínimas garantidas.

      São prioridades e gostei mesmo da questão colocada ao contrário.
      Claro que depois não lhe responderam às questões, atacaram a pessoa.

      Eliminar
  17. Anónima das 22:14,

    Acho que ainda não percebeu que se está a falar de equilíbrio, não é uma luta entre poupar cada centavo e gastar tudo o que se ganha. Eu poupo todos os meses, já tenho uma boa poupança para a minha idade, e no entanto li aqui extremos de sovinice que me parecem doentios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. So por curiosidade o que é que para si sao extremos de sovinice? E o que é que define isso? As pessoas sao obrigadas a consumir algo q nao lhes diz nada so porque p os outros é normal? Por ex algures discutiu-se o cafe, ha quem tenha isso como bem essencial, ha quem nao consuma e considere um luxo. Entao mas se por ex eu nao ligar nenhuma a cafe sou obrigada a consumi-lo e se nao o fizer sou sovina?
      No meu caso gosto de beber um cafezinho mas nao é algo q me de vontade tds os dias nem me faça sentido estar sempre a beber. Consumo apenas ocasionalmente numa saida, num jantar fora. Entao ia ter de o beber todos os dias depois do jantar por obrigacao so p nao parecer sovina? Nao percebi...

      Eliminar
    2. Diz q tem uma boa poupança. Tem casa propria e carro pagos? Tem dinheiro para a reforma? Tem dinheiro p aguentar 1 ano desempregada? Se a resposta a estas perguntas for nao entao lamento nao tem uma boa poupança.

      Eliminar
    3. Anónima das 14:23,

      Respondendo às suas questões:
      Não tenho casa, arrendo, e não está nos meus planos comprar. Não tenho carro. Tenho 28 anos e comecei a trabalhar aos 23, logo, não tenho (nem tenho de ter nesta altura), todo o dinheiro que precisarei na reforma. Tenho o suficiente para um ano desempregada, e o próximo objetivo é ter para dois anos.

      Portanto, sim, qualquer que seja a sua opinião, considero ter uma boa poupança para a minha idade e fase da vida.

      Eliminar
    4. Respondendo à questão, eu acho que um extremo de sovinice é viver demasiado preocupado com poupar em toda e qualquer situação. Claro que não beber café e não ir ao cinema porque não se gosta não é ser sovina. Mas, para mim, já o é só comprar cenouras porque são o legume mais barato.

      Eliminar
    5. Doentios para si, sovinice para si... Para muitos pode ser ser frugal e regrado.
      Para outros o seu nível de consumo pode ser o de um verdadeiro viciado em compras e idêntico ao de uma pessoa incapaz de controlar os impulsos.

      Isto é tão relativo... Se vive bem assim viva. Faz-lhe confusão a poupança dos outros? A mim não me faz confusão nenhuma que gastem tudo o que ganhem...

      Eliminar
    6. A anónima das 15:45 ainda não percebeu que não existe apenas ser sovina e ser esbanjador. Livra!

      Eliminar
    7. La está, tudo é relativo. Eu aos 28 anos tinha cerca de 80.000€, bem mais que 1ano de salario, portanto para mim aquilo que diz é pouco mesmo nessa idade. Por outro lado tenho um colega com 40 anos e dois filhos que nem 5000€ tem no banco, ganha bem mas gasta tudo, portanto comparada a ele a sua poupança é boa.

      Ja agora por curiosidade porque nao pensa comprar casa? Tem um emprego instavel em que tenha de mudar muito de cidade ou pretende emigrar? Ou é mesmo porque prefere arrendar permanentemente em vez de comprar?

      Eliminar
    8. Para o anonimo das 15:17

      Questao filosofica:

      Algures noutro post falou-se em calças da Salsa e eu por acaso estive la hoje a ver os restos dos saldos. Ia com intencao de comprar umas calças de 60€/70€ que sei q sao preços q se apanham em saldos mas dessas nao havia nenhum modelo que gostasse e por outro lado gostei de umas a preço normal q custavam 120€. Acabei por nao comprar nada. Sou sovina por nao ter dado 120€ por umas calças de ganga? Quando ate sei q numa Berska ou algo do genero ate compro por 25€?
      Sim ou nao?
      Qual a diferença entre esta decisao e a decisao de uma pessoa de comprar cenouras em vez de pimentos por serem mais caros?

      Outro exemplo: fui hoje com o marido á Mercedes ver um carro que novo comprado la com os extras que queriamos custaria acima de 50.000€, mas a nossa intençao é ir comprar á Alemanha semi-novo e poupar uns milhares de euros com isso. Somos sovinas por tomar esta decisao? Mais uma vez, qual a diferença entre isto e as cenouras?

      Eliminar
    9. Há pessoas muito complicadas!

      Eliminar
    10. Anónimo das 23h58

      Estas discussões valem muito a pena pelo que se aprende e é verdade que quem poupa imenso tem de ler vários comentários como « não é possível », « isso é extremismo », « sovina », etc, mas também acho que depois se cai no erro de achar que todos poderiam poupar da mesma maneira e ter o mesmo dinheiro com a mesma idade. Dizer que alguém aos 28 anos, que tem um ano de salários de lado, não tem uma boa poupança é, a meu ver, minorizar o esforço que essa pessoa fez. Nem toda a gente tem as mesmas despesas, o mesmo salário nem a mesma capacidade de poupança. E cada um tem a sua noção de poupanças como já se viu aqui.
      Eu acho muito bem que aos 28 anos já tivesse 80000 euros de salário mas com certeza não fez esta poupança começando do zero após acabar o curso num emprego a receber menos de 1000 euros, com renda e contas por pagar, certo? Nas suas condições isso foi possível, nas condições de outras pessoas isso teria sido possível mas as pessoas não fizeram esse esforço, noutras simplesmente não teria sido possível de todo pelo que qualquer poupança que tenham feito até aos 28 anos podem achar boa.
      Fui fazer as contas: aos 28 anos, se não tivesse gasto um cêntimo que fosse do meu ordenado até essa data, teria no banco 35000 euros. Que não tinha, porque tinha renda para pagar, contas e outras despesas. Como vê, poderia ter feito todos os esforços do mundo que não conseguiria ter a mesma poupança que a anónima aos 28 anos e por isso a poupança que consegui fazer até essa idade, embora substancialmente menor, era para mim uma boa poupança.

      Eliminar
    11. Anónima das 23:58,

      Eu acho que tenho uma boa poupança para a minha idade, para o que recebo e para os padrões do país em que vivo. Faz-me mais sentido do que comparar a minha poupança com a de outros.

      Não pretendo comprar casa porque não me vejo a viver sempre em Portugal, quero ter a experiência de viver noutra grande cidade europeia apesar de adorar Lisboa.

      Eliminar
    12. Anonimo das 16:49
      Gostei muito do seu comentario, correcto e equilibrado. Concordo com tudo o que disse. Eu respondi daquela forma áquela anonima porque pelos comentarios anteriores pareceu-me ser alguem do tipo “ , nas condições de outras pessoas isso teria sido possível mas as pessoas não fizeram esse esforço,”.
      Respondendo ás suas perguntas, comecei após o curso com 1000€ mas rapidamente fui subindo de salario, morava com os pais ( ou seja nao pagava renda nem agua ou luz, pagava as minhas despesas pessoais carro, telemovel, saude, produtos de higiene etc) mas precisamente pq optei por arranjar emprego onde desse p continuar a morar la, e nao comecei do zero pois tinha ja acumulado 30.000€ que juntei com mt esforço, investi, gerou juros ao contrario de outros na mesma situacao q o gastaram todo ao longo da juventude.

      Eliminar
    13. Anonimo dos 35.000€,

      Isso corresponde a perto do salario minimo (500€ limpos) a 5 anos de trabalho, por isso so começou a trabalhar aos 24 anos. Ou seja, chumbou e tem o salario minimo. Tb nao será essa a realidade da maioria dos licenciados neste país.

      Eliminar
    14. Anónima das 15:19, como sabe que a anónima dos 35.000 chumbou? As pessoas não começam todas a trabalhar quando terminam o curso, eu nunca chumbei e estive um ano sem trabalhar após terminar o mestrado. E o que não faltam são licenciados, mestres e, suponho, doutores, a ganhar o salário mínimo ou pouco mais.

      Eliminar
    15. Nao, anónimo, não chumbei. E se tivesse chumbado, qual seria o problema? Seria naquele ano a mais que teria conseguido os 45000€ que faltariam para os 80000? Também não ganhei o salário mínimo e também não sou apenas licenciada. Como compreenderá, não me justificarei mais do que isto dado que o objectivo não é esse.

      Eliminar
    16. Anónimo das 23h57

      Mesmo tendo tido hipótese de arranjar um emprego perto de casa (e estudar também, suponho eu) é de louvar o esforço que fez. Não lhe tiro o mérito.
      Da mesma forma que não lho tiro na poupança que fez ao longo da juventude. Eu poupei todas as prendas de anos, Natal, etc, mas estas eram raras ser em dinheiro e quando eram não ultrapassava os 500 escudos (2,5€), por isso pode imaginar que não cheguei à maioridade com uma grande fortuna independentemente do meu esforço. :) Mas concordo consigo que obviamente pessoas que recebiam mais ou tanto como a anónima não o pouparam ou investiram da mesma forma, pelo que não obtiveram o mesmo resultado.

      Eliminar
    17. Bem, se calhar há aqui uma diferença de idades e de gerações. quando fala em mestrado suponho entao que seja um licenciado de bolonha com 3 anos de licenciatura e 2 de mestrado. No meu tempo, pré-bolonha, era so licenciatura de 4 anos, por isso acabamos aos 22 e daí calculei 2 anos de diferença para os 24. Se for com mestrado ok, é 1 ano. De qualquer modo no meu tempo toda as pessoas que acabavam a licenciatura tinham emprego, alias até era normal procurar logo a partir de Março/Abril/Maio, depois em Junho/Julho estavamos mais descansados a fazer os exames, gozavamos ferias de verao em Agosto e começavamos a trabalhar em Setembro. A diferença entre os bem sucedidos e os mal sucedidos era que os melhores começavam com emprego mesmo e com salario de 1000€ e os piores tinham de ir fazer estagio profissional que na altura eram 2 salarios minimos, cerca de 800€. Não tive nenhum colega a ficar um ano parado, muito menos a ir ganhar o salario minimo. Nem que fosse para o balcao da CGD, o salario de entrada era mais elevado. Eu fiz Gestao, mas tinha amigos em Medecina (em que o salario de entrada é bem alto), pessoas que foram para o Ensino, enfim. Em nenhuma função publica um licenciado começa com o salario minimo. Se hoje em dia é assim tao diferente, olhe nao fazia ideia. No meu tempo um bom curso numa boa Universidade era garantia de emprego.

      Eliminar
    18. 9 de fevereiro de 2020 às 21:07,

      Sim, temos experiências diferentes.

      Eu não só fiz licenciatura pós-Bolonha, seguida de mestrado, como não tirei o que se possa considerar um bom curso. Até tinha uma boa média, mas quando fui para a universidade escolhi um curso que me pareceu interessante e não que tivesse "saída". Fiz licenciatura e mestrado em Antropologia, e quando acabei o mestrado estive um ano à procura de emprego sem sucesso, e os que me queriam eram com salário mínimo. Desisti de procurar e voltei-me para a academia e consegui bolsas de investigação, a ganhar €1000 mas precário (sem descontos nem subsídio de desemprego). Mas mesmo para os graduados de vários "cursos bons" está difícil, hoje, encontrar emprego bem remunerado.

      Eliminar
    19. Medecina? Medicina!

      Se não fazia ideia que hoje em dia é assim, calculo que não veja notícias, não ouça relatos diários.
      Mesmo quem está no activo sabe como estão as coisas hoje em dia ou não ouve falar de desempregados licenciados e até mestres ou mais? Estranho.

      Eliminar
  18. Eu acho que há aqui casos de grande poupança fruto também daquilo de viveram. A mãe que nunca descontou e por isso tem de poupar todos os euros para a reforma, a família que passou por dificuldades por os pais não saberem gerir dinheiro, o avô em condições desumanas por falta de poupanças...Quem não passou por tais situações tem uma maior dificuldade em se imaginar nelas e se acautelar para que elas não aconteçam. A mim nunca me passaria pela cabeça poupar os meus primeiros ordenados para comprar uma casa porque já não vivia em casa dos pais e só a renda era metade do ordenado e porque com essa idade eu achava que nunca iria contrair um crédito para comprar uma casa. Poupava todos os meses mas apenas por poupar e não à custa de grandes sacrifícios para um objectivo maior futuro.
    Também é preciso perceber que uma coisa é gastar apenas 480€ já tendo casa e carro pagos, poupando assim o resto do ordenado, e outra coisa é receber apenas 480€ e isto ter de dar para a renda e restantes despesas. Além de que o discurso é diferente: há quem refira apenas o quanto gasta do seu lado, em que o companheiro gastará outro tanto, e há quem refira o que a família gasta, como a S*.
    Dito isto, acho estas trocas sempre muito interessantes porque se tiram boas dicas. E tenho uma pergunta: é notório que há sempre despesas que uns têm e outros não. Por exemplo, na empresa onde trabalho não há festas de Natal, com vestidos de gala, poderia ir trabalhar de fato-de-treino que ninguém diria nada, com maquilhagem ou sem maquilhagem para eles é igual, e o número de sapatos não querem saber, pelo que nesta parte consigo poupar mais por exemplo dado que não tenho despesas destas. Mas tenho às vezes uma despesa que acho que não vi referida nos comentários: convidados para jantar. Não é todas as semanas, embora conheça várias famílias que assim o é, mas frequentemente tenho convidados em casa para jantar, e tanto pode ser apenas uma pessoa como podem ser 4 ou 7. E isto é uma despesa pois não só tenho de comprar mais comida como compro coisas que habitualmente não compro para nós: sumos, entradinhas, sobremesa, e lá se vai o orçamento mensal para o supermercado. Quem é organizado com as poupanças, como gere estas despesas? Ou não têm família e amigos a jantar em casa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que todas as pessoas vão tendo convidados, uns mais outros menos.
      A não ser que não convivam, desse modo, com familiares e amigos.
      Eu tenho, de vez em quando.

      Eliminar
    2. Penso que ninguém falou dos convidados a casa porque essa é uma despesa da qual pode ser “fugir”, ou seja, não é algo obrigatório como pagar certas contas e algumas despesas fixas.
      Há despesas não opcionais.
      Convidados é opcional.

      Eliminar
    3. Certo. Mas quem se esforça para poupar (no sentido de sair para lanchar, comprar os legumes mais baratos, fazer as unhas em casa) como gerem esta parte?

      Eliminar
    4. Eu sou do clube das que gastam 100€ por mes em supermercado para um casal. Mas aí so conto as despesas para as refeicoes normais. Depois ao longo do ano posso ter natal e pascoa ( se calhar ser em minha casa), meu aniversario e do marido e eventualmente uns 5 ou 6 jantares extra com convidados. Para mim é mais normal entre amigos combinarmos ir jantar fora e cinema, do que propriamente irmos jantar a casa uns dos outros. Em termos de custos eu considero as compras especificas para estes jantares na mesma rubrica de restaurantes e gastamos ao longo do ano cerca de 1000€. Mesmo assim continuo a aplicar esquemas de poupança, ver promoçoes, comprar c antecedencia ( por ex eu so faço sobremesas nestas situacoes e gasto geralmente leite condensado, entao eu nunca compro o leite condensado qd tenho o jantar, eu tenho sempre 1 lata de reserva e reponho qd apanho o desconto). Ou mesmo escolher em funcao do preço, por ex, entradas vou ao supermercado e penso que posso comprar uns queijos porreiros ou camarao, vejo se algum destes items tem desconto nessa altura e compro esse. Tal como nos restaurantes procuro quais os q têm menu, vejo a ementa antes numa app ( por ex o The Fork), vejo bem os preços das entradas sobremesas e cafe antes de pedir. Quantas vezes nao tou num restaurante de verao, vejo q tem so sobremesaa a 4€ e querem 1,5€ pelo cafe e opto por sair sem consumir isso e venho ca fora a uma pastelaria comer um pastel de nata e cafe por uma parte do preço.
      Resumindo: eu poupo imenso, pela analise das outras pessoas sou sovina pelos vistos, mas faço estes gastos de lazer, opcionais como dizem mas porque aplico sempre a mesma logica de poupança a tudo: tento usufruir do maximo ao menos custo possivel.
      Ja agora: eu nao concordo com o facto de me chamarem sovina pelo simples facto de q para mim sovina é quem nao gasta em nada, e eu na verdade ate tenho varios gastos de lazer q seriam perfeitamente dispensaveis.

      Eliminar
    5. Vou dar o meu exemplo: onde vivo é bastante comum pedir aos convidados para trazer uma bebida ou uma sobremesa ou uma entrada, cada pessoa traz sempre qualuqer coisa e normalmente quando calha na minha casa, eu só faço uma maior quantidade do prato principal. Não acho isso uma despesa por aí além e cabe sempre no meu orçamento de supermercado.

      Eliminar
    6. Obrigada pelas respostas. :)

      Eliminar
    7. Não tem nada a ver com dinheiro, mas eu não gosto de receber visitas em casa. A minha casa é o meu espaço, onde estou 100% à vontade, sem máscaras, onde estou de pijama e descabelada, e se vem cá alguém (mesmo os meus pais) sinto uma invasão de privacidade. Por isso evito ao máximo receber visitas. Mais alguém sente isto?

      Eliminar
    8. Mora sozinha ou com marido/namorado? Ou seja é um espaço mesmo so seu?

      Eu tenho marido e a unica pessoa q sinto á vontade p aparecer é a minha mae. Qualquer outra pessoa so com coisas combinadas e com hora marcada, onde tenho tempo de arrumar as coisas e arranjar-me. Tb nao ia gostar de alguem me aparecer de surpresa e eu estar de pijama no sofa descabelada. Mas nao sei se percebi bem o seu comentario, é so sobre visitas de surpresa ou é sobre qq tipo de visita?

      Eliminar
    9. Vivo com o meu namorado. Visitas surpresa não tenho, estou mesmo a falar de coisas combinadas, com os meus pais em específico (que são as únicas pessoas que cá vêm porque os pais do meu namorado vivem longe e não temos amizades próximas a ponto de virem a casa. Com colegas ou amigas que vejo uma ou duas vezes por ano vou beber um café). Quando tem de ser tolero, mas não me sinto à vontade e já perguntei aos meus pais se poderiam vir noutro dia com a desculpa de ter muito que fazer, quando na verdade só não me apetecia vestir-me ao domingo e preparar coisas para receber pessoas.

      Eliminar
    10. Nós começamos a fazer em casa com o nascimento das crianças. Não imagino a ter os meus filhos 2/3 horas a apanhar uma grande seca num restaurante ou a despachá-los sempre que fizessemos uma atividade com alguém. Além disso os amigos também têm filhos e aos poucos fomos adaptando as saídas.

      A despesa ou é partilhada ou cada um traz algo. É muito mais fácil juntar muitas vezes amigos quando não se gastam centenas por jantar. Habitualmente não gasto mais do que se fôssemos só nós.

      Nós estamos à vontade e os miúdos são muito mais fáceis de entreter.
      No verão fazemos algo no jardim e no inverno é indoors. Habitualmente rodamos as casas.

      Mas isto nem foi feito com a poupança em mente... Aliás acabei de me aperceber que temos amigos com perspectivas muito semelhantes de vida.

      Mas tenho que concordar com a questão de provavelmente existir uma relação com as nossas vivências a forma como encaramos as finanças. Eu vi muitos milhares serem desperdiçados e valentes somas gastas em meia dúzia de dias... Lembro-me especificamente duma vez em que 10.000€ foram gastos em 3 dias em "nada".
      Atualmente os meus pais não têm sequer 1000€ poupados e tudo aquilo que eu e o meu irmão temos, curso superior incluído, foi pago exclusivamente por nós.
      Não odeio os meus pais mas estão muito longe de serem um exemplo que eu queira seguir.

      Eliminar
    11. Isso depende da relação de cada um com os pais. Os meus quando vêem ficam cá a dormir por isso estou mais do que à-vontade com eles. Mas não gostaria que eles ou seja quem for fizessem visitas surpresas. Isso não suporto: gosto de poder dar um jeitinho à casa e arranjar-me do que estar de pijama e com a mesa do pequeno-almoço por levantar.
      Também vejo a minha casa como o meu porto seguro, o meu lar e é por isso que sou selectiva em quem deixo entrar. Colegas de trabalho não me vejo a fazê-lo. Mas amigos? Daquelas amizades com mais de 10 ou 20 anos? Claro que sim. Até podem dormir.

      Eliminar
    12. Por acaso também acho que depende da vivência de cada um. Infelizmente também vi os meus pais a nunca terem cuidado com o dinheiro e agora que estão à porta da velhice não têm tusto. É triste! Por isso é que desde o primeiro emprego (onde não se ganha nada de especial) que sempre poupei o máximo que consegui. Aos 28 não tinha €80000, mas aos 30 já tinha um t1 próprio (antigo e comprado a pronto no tempo da crise imobiliária (agora o preço das casas está assustador!😱😱)) que aos 33 anos estava completamente restaurado.

      Quanto à temática visitas, para a família (pais/sogros, irmãos/cunhados e sobrinhos) os almoços e jantares a maior parte das vezes cada um traz uma coisa, previamente estabelecida, para não estarmos a sobrecarregar os anfitriões. Por exemplo, se for na minha casa eu faço o prato principal e depois há quem traga as entradas, outro a sobremesa, e outro as bebidas. Também aproveito essa oportunidade para usar as coisas que nos oferecem, por exemplo, vinho, licores, chocolates, biscoitos, etc.
      Com os amigos costumam ser mais jantares ou finais de tarde e em modo tapas e acabam sempre por trazerem alguma coisa também, nem que seja uma garrafa de vinho. Não sei se também fazem o mesmo mas eu quando sou convidada para algum almoço ou jantar na casa de alguém também levo sempre alguma coisa por uma questão de educação.
      Se eventualmente for uma visita mais ao meio da tarde faço um bolinho caseiro ou biscoitinhos e ofereço com chá ou sumo.
      Ah, todas as minhas visitas avisam com alguma antecedência antes de aparecerem aqui em casa.
      O que costumo fazer sempre é aproveitar tudo o que sobra. Nada é desperdiçado (o que é oferecido e não é consumido volta pelo mesmo caminho)! Por isso é que acabo por não ver um grande rombo no orçamento. Também como sou mais de fazer as coisas do que comprá-las já feitas sai-me muito mais barato. OMia Couto diz que cozinhar é um acto de amor e eu concordo plenamente. Adoro preparar as coisas com todo o carinho para bem receber em minha casa.
      Ao combinarmos nas nossas casas, além de ficar bem mais barato do que num restaurante, torna-se muito mais informal e acolhedor. Eu prefiro, mas também concordo com a anónima que se sente invadida. Na minha casa só lá entra quem eu quero e não é qualquer um!😉 E há uma regra primordial: os sapatinhos ficam à porta (não se preocupem que os novatos são logo avisados no 1.o convite (para não haver possíveis constrangimentos para quem não está habituado a tal pratica) e na minha família todos fazem a mesma coisa nas suas casas).

      Eliminar
    13. "Anónimo9 de fevereiro de 2020 às 14:02"

      olhe, nem sei bem que lhe diga. nao me revejo de todo nesse discurso. por curiosidade, como vivia em casa dos seus pais? estava sempre arranjada? nao passava o domingo em pijama e descabelada? entao qual a diferença da forma como se apresentava quando morava com eles e agora? se suponho que viveu com eles pelo menos ate aos 18 anos, porque nao pode estar com eles da mesma forma que estava ate la?
      é que eu com a minha mae estou super à vontade, se ela aparecer ca durante a semana estou como estiver... claro que se a convidar para almoçar no domingo, visto-me e penteio-me. mas não tenho de todo o mesmo cuidado de com "convidados". por ex, com ela fico em chinelos, e se tiver convidados eu geralmente coloco saltos altos. e por ex, almoço sem problema na cozinha, sem formalidades.

      tambem nao percebi o "e preparar coisas para receber pessoas. ".
      eu nao sinto que tenha de fazer coisas a mais por ela ca estar, so que em vez de fazer comida para 2 faço comida para 3. no vosso caso mesmo estando em casa nao tem de almoçar com o seu namorado? entao o que serve para 2 tambem serve para 4 certo? cozinham? mandam vir take away? é so duplicar a dose.

      Eliminar
    14. Anónima das 21:13, os meus pais nunca almoçaram cá, nunca os convidei. Quando vêm à tarde (geralmente vêm para ver o gato, que veio morar comigo quando saí) tento ter qualquer coisa para lancharem. Mas hoje, por exemplo, eles vinham cá e eu não estava com vontade de receber pessoas e perguntei se podia ficar para outro dia. Não sou sociável e também nunca fui próxima dos meus pais, não sinto necessidade de conviver mas tenho medo de melindrar as pessoas.

      Eliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares