Avançar para o conteúdo principal

Assim não dá!


De manhã, o homem diz-me que quer mudar de vida, adoptar um estilo de alimentação mais saudável. À noite, pergunta-me se não trouxe nada doce do supermercado.

Não, não trouxe. Conheço perfeitamente o que a casa gasta e mais vale nem comprar!

A sorte dele é que, no dia seguinte, recebemos um Toblerone gigante de frutos e nozes - que é assim o chocolate mais delicioso de todos. 

Comentários

  1. É...estou a ver que não é só na minha casa :)

    ResponderEliminar
  2. Ai, estilo de vida saudável. como és difícil!
    Eu também sou assim, decido mudar a alimentação e depois não consigo resistir!
    Este teu texto lembra-me a minha filha que às vezes também costuma perguntar quando chego a casa do supermercado: Mãe, compraste alguma coisa boa para comer?

    ResponderEliminar
  3. Comer comida saudável não é assim tão dificil, há receitas deliciosas nas quais te podes inspirar. E não é preciso deixar de comer coisas doces. Eu faço bolos caseiros com muito menos açúcar do que as porcarias que se compram e asseguro que as pessoas até gostam bastante! Eu já não consigo comprar guloseimas fora, tirando o chocolate (vício), mas tento comprar sempre negro e com o mínimo possível de açúcar. Toda a minha comida é confeccionada em casa. Faço em maior quantidade para poder congelar as sobras e comer em dias que não tenha muito tempo para cozinhar. Não precisamos de ser extremistas, mas a verdade é que eu tenho uma alimentação saudável e não acho que tenha de ser comida aborrecida! Aliás, adoro e até me sinto mal disposta se como fritos, muita carne ou alimentos com gordura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quer partilhar receitas? :D

      Eliminar
    2. O livro da Gabriela Oliveira "Receitas vegetarianas para quem quer ser saudável" tem receitas de doces e bolos tão saborosas :)

      Eliminar
    3. Eu acho que o problema é na palavra saudável. Sem açúcar? Saudável. Sem leite? Saudável. Com adoçante? Saudável. Com chocolate negro 99%-azedo-que-dói? Saudável. Com açúcar? demo. Com chocolate de leite? Demo. Com farinha? Demo.

      Porquê? Por que não pode ser comer um kinder barrita depois de almoço saudável? Porque não pode uma fatia de bolo ser saudável? É comido todos os dias? A pessoa ingere 3kg de açucar se comer UMA fatia num dia de semana?

      O que não é saudável é esse pensamento de comer limpo é que é. Saudável é ter boa relação com a comida e comer o que se quer e se gosta com peso e medida. Come-se sopa, verduras, legumes, mas também se come pão com manteiga. Comem-se boas proteínas, boas gorduras e hidratos, não sobra espaço para pizza? Porque? Uma fatia deixa logo a pessoa não saudável? É aquela história de que podemos comer hidratos até às 17h59, mas a partir das 18h transformam-se em açúcar? E a fruta e legumes também não se podem comer depois das 18h que já não são saudáveis? São HC na mesma.

      Haja aceitação de que o conceito de saudável não é só aquilo que vemos. E sim, comer uma barrita kinder à segunda-feira depois de almoço é saudável. Privar daquilo que queremos, diminuir o açúcar aos bolos e depois comer 4 fatias de seguida, sentir culpa por comer chocolate de leite ou jantar um hambúrguer? Não saudável. Mas nem todos gostamos do amarelo.

      Eliminar
    4. Lol, mas coma o quiser. Esteja à vontade. Ora essa! Cada uma...

      Eliminar
    5. Você come o que quiser, coma Kinder à vontade e diga que é saudável e está tudo bem, para si!
      Não é só questão estética mas principalmente cuidar da saúde. Exterior e interior.

      Ninguém aqui disse que adoçante é saudável.
      Depende do tipo de adoçante.
      adoçante stevia ou mesmo açúcar mascavado é preferível ao açúcar branco ou ao adoçante com aspartame.

      Chocolate 99% é azedo-que dói porque o sabor do cacau puro na verdade não é doce.
      O que o faz ser doce é, lá está, o açúcar.
      Portanto pense!!!

      As pessoas só falaram em trocas saudáveis tendo em conta que o marido da S* queria ter um estilo de vida mais saudável, como muitos de nós comentadores.
      É este o tema do blog.
      Ser saudável não significa que não possamos comer uma fatia de pizza ou um kinder.
      Mas, por norma, não comemos só uma fatia de pizza.
      Depois de uma boa refeição, se almoçamos/jantamos bem, não vejo necessidade e benefício de comer um chocolate kinder inteiro.
      Puro hábito... e os hábitos educam-se.

      Prefiro comer então uma peça de fruta ou um ou dois quadrados de chocolate mais puro (cacau a sério é saudável).

      Um kinder depois do almoço... enfim, cada qual dê ao seu corpo o que bem entender.

      Eliminar
    6. Eu não disse que queria comer mais saudável. O homem é que disse. E, atenção, que referi ' mais saudável' e não saudável. Para mim, o primeiro passo é cortar nos doces, sumos (só ao fim-de-semana) e nos excessos. Eu quero cortar nos excessos, não pretendo cortar doces por completo... apenas moderar. Eu consegui perder 10 quilos no ano passado apenas por me regrar. :)

      Eliminar
    7. S* eu entendo.

      Mas eu disse, o marido da S*, ou seja, o homem é que disse sim Eheh ... não me referi a ti.

      Eliminar
    8. ALIMENTAÇÃO COM SENTIDO30 de janeiro de 2020 às 12:30

      Anónimo do 27 de janeiro de 2020 às 17:57:

      Não podia dizer melhor! Mas nem vale a pena falar com esta gente ! Nunca vao entender! Já recomendei à S seguir a Carolina Reis por exemplo, que defende isso mesmo. Mas as pessoas não querem acreditar. Preferem sofrer compulsões alimentares . Comer 100% saudável uns dias e depois terem os dias do lixo etc
      Ridículo. Mas não vale a pena. Não se querem educar.

      Eliminar
    9. Não é preciso comer 100% saudável mas muito menos comer porcarias pouco nutritivas e por puro hábito.
      E atenção, porque nem toda a gente faz esse dia do lixo ao qual se refere.
      Haja equilíbrio, como em tudo na vida!

      Eliminar
    10. Entenda que aqui a questão nem é comer 100% saudável, mas sim pensar, por exemplo, na questão nutritiva.
      Ridículo é o seu comentário se apreciado com a devida atenção!
      Para o anónimo 12.30H.
      E nem todas as pessoas sofrem de compulsão alimentar por fazerem trocas inteligentes.
      Você foi buscar temas que ninguém sequer abordou. (Dia do lixo e compulsão).

      Eliminar
    11. Ainda para o Anónimo das 12.30h, só porque a Carolina Reis (que você recomendou a S*) defende A não pense que outros nutricionistas ou profissionais da área que defendem B ou C estão errados.
      Poderia recomendar vários...
      Mas hoje em dia inúmeras são as opiniões e por vezes nem entre os profissionais há consenso.

      Há quem defenda o dia lixo e há quem seja contra, há quem recomende medicação e diga que não faz mal nenhum, há quem elabore planos de dieta para X semanas ou meses e há quem defenda a reeducação alimentar para a vida, por exemplo.
      São coisas distintas.

      Já vi nutricionistas que proíbem certos alimentos mas depois, por incrível que pareça, alinham em planos com gorduras em excesso, queijos, molhos, e até chocolates, veja lá.
      E as pessoas até conseguem emagrecer, pasme-se!

      A questão principal é que há também grande divergência entre apostar em melhores alimentos ou fazer escolhas desequilibradas sem benefícios.
      E não, ninguém precisa de ser 100% light ou “sem açúcar”.
      Tal como compulsão não é para todos, felizmente.
      Não é necessário deixar de ter vida social ou abolir certos prazeres gastronómicos.
      Aliás, o nosso corpo precisa de boas gorduras.
      (Omegas, nozes mas sem abuso, azeite mas sem excessos...).
      Depois cada qual seleciona as melhores (ou piores) e as alturas mais indicadas para.

      Para terminar, tenha também em mente que mesmo para quem não quer emagrecer, pode e deve cuidar do organismo.
      Há cada vez mais doenças e problemas relacionadas, não só mas também, a más escolhas, falta de bons nutrientes ou alimentação desregrada.

      Não esqueça ainda que uma pessoa magra que come o que quer e não engorda...
      Não é porque não tem tendência a engordar que é mais saudável que uma outra pessoa que até está gordinha ou tem quilos a mais.
      Pois é, cá está!

      Hoje em dia gira tudo à volta do corpo esbelto mas convém não esquecer a saúde interior. Digo eu que não sou 100% saudável mas sinto-me bem melhor desde que alterei alguns hábitos há alguns anos.
      Ganhei saúde exterior e interior pois as minhas análises sanguíneas agradecem e eu também.

      Antes de seguir tudo o que o nutricionista ou a amiga do lado diz, ouça sim, mas aproveite e faça as suas pesquisas.
      Net, livros e consciência.
      Está tudo ao nosso alcance.

      Já agora vai um kinder?
      Aproveite e leia sobre a composição do mesmo ou da Nutella que vem tudo do mesmo saco!
      Sim, concluí com ironia tendo em conta a sua resposta agressiva e pouco informativa.
      Gosto muito de chocolate kinder só decidi comer um em vez de dois ou três é muito menos depois de estar saciada depois de uma refeição balanceada.
      Ouça o seu corpo e se aguardar breves minutos depressa chegará à conclusão que gula e fome não é a mesma coisa.
      Entende a diferença?
      Talvez não...

      Eliminar
  4. Entendo perfeitamente o teu marido. :)
    Mas com muito esforço já fiz a experiência.
    Deixei de trazer porcarias calóricas para casa, sobretudo, chocolates.
    O chocolate vicia.
    Nos primeiros dias em que deixo de comer chocolates (porque estou habituada) é como se me faltasse algo, lá está o vício, quase incontrolável.

    Passado uns dias sem comer chocolate, embora apeteça, controlas melhor.

    Ou seja, quanto mais comes mais queres comer.
    Deixa de comer, custe o que custar, e verás que afinal é mais gula do que outra coisa qualquer.

    Para fazer o desmame, compro chocolate negro.

    Resulta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo perfeitamente e concordo. O que custa é mesmo mudar o chip!!

      Eliminar
    2. Custa um pouco, é verdade. Mas é possível. :)

      Eliminar
  5. Bolo de alfarroba ou muffins que parece bolo de chocolate... mas não é!

    Panqueca de um ovo e banana!

    Chocolate negro!

    Docinhos feitos de tâmaras ou alperce!

    Gomas de gelatina sem açúcar!

    Iogurte natural com mel ou compota sem açúcar!

    Mousse de abacate e limão de vez em quando.

    Gelado de banana congelada.

    Etc... há várias trocas mais saudáveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto do bolo de alfarroba! Cá por casa, não são muito fãs.

      Eliminar
    2. Também gosto e é super fácil de fazer.

      Eliminar
  6. Bolo de cenoura ou banana precisa de pouco açúcar.
    Biscoitos de aveia, mas mel e côco.
    Wraps de queijo creme, salmão fumado (podem juntar alface, milho, tomate, cenoura ralada).
    Hamburgers de grão de bico (são deliciosos!).
    Courgette espiralizada com espinafres e cogumelos.
    Batata doce em vez de batata normal... Gosto de fazer às rodelas mo forno com rodelas de courgette e cenoura, temperada com sal, paprika, alho e tomilho.
    Salmao no forno com puré de couve flor.
    Há tantas coisas boas...

    ResponderEliminar
  7. Pizza com base de couve flor, purés de legumes, tofu grelhado e cogumelos salteados, hambúrgueres feitos de boa carne em casa ou feitos de leguminosas e caseiros (feijão, lentilhas etc).
    Falafel feito em casa, salada farta de grão de bico e bacalhau, sei lá, há tantas opções.

    ResponderEliminar
  8. Não comprarem doces para casa já não é um princípio. Como alguém disse em cima, para mim o truque é não ser radical e cortar de forma definitiva com os doces.

    ResponderEliminar
  9. Para mim o que resulta é: Eu nao tenho doces em casa ponto final. Se nao tenho nao como. Ja sei que ao fim de semana vou jantar fora ao restaurante e la vai uma sobremesa, e depois há festas de aniversario, casamentos, Natal, Passagem de Ano, Pascoa, tantos eventos ao longo do ano que envolvem doces. E eu sou daquelas pessoas que se vejo tenho logo a tentação de comer. Entao o que para mim resulta é ir ao supermercado sempre de barriga cheia (nunca, mas nunca ir com fome porque isso afecta o nosso raciocionio) e compro unica e exclusivamente o que está na lista (carne, vegetais, etc).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não ir ao supermercado também de estômago vazio.

      Eliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.