O que dizem os meus olhos

A imagem pode conter: 4 pessoas, texto

Faz lembrar o célebre almoço em que o meu marido, pessoa altamente original, pediu, COMO SEMPRE, uma francesinha num restaurante de shopping. Eu já sabia que, naquele restaurante, era uma merda. Esbugalhei os olhos e sussurrei "não".

E ele... "Quê?".

"Não".

"Não o quê?"

Claro. Ia mesmo dizer À FRENTE DO EMPREGADO, "não comas que é uma porcaria nojenta".

Ignorei e deixei-o enterrar-se.

Passou a refeição inteira a reclamar e a dizer que ia devolver a refeição. Para a próxima, ponha-se esperto. Se ao fim de tantos anos não me sabe ler os olhos, que vá falar com o Daniel Oliveira e aprenda umas dicas.

Comentários

  1. Ahahah compreendo tão bem!

    ResponderEliminar
  2. Se ele pede sempre francesinha, porque é que foram àquele restaurante?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Naquele restaurante ele costumava comer sempre panados, que, de facto, são excelentes. Lembrou-se de variar e pimba.

      Eliminar
    2. "Pediu, COMO SEMPRE, francesinha..."
      "Costumava comer sempre panados.."

      Eliminar
    3. Leve a taça. Eu também como sempre torradas, mas há umas pastelaria onde como sempre os croissants mistos. é a vida.

      Eliminar
    4. Mas sabes o significado de 'sempre'?

      Eliminar
    5. E o anónimo sabe o significado de hipérbole?

      Eliminar
    6. Isto não é uma hipérbole, é só uma história mal contada.
      Uma hipérbole seria, por exemplo: "Ele encheu-se de panados!"

      Eliminar
    7. Mas isso é relevante?

      "Disseste que comia sempre francesinha, mas afinal não é sempre francesinha, porque no restaurante Camelo do shopping come sempre panados". O drama, o horror, a tragédia.

      Eliminar
    8. Onde está o Ernâni Carvalho, que é para analisarmos bem este caso?

      Eliminar
    9. Anónimo das 13h18, está a falar do comentador da sic? Do Hernâni Carvalho?

      Não há caso nenhum. A Sónia é jornalista e, talvez por hábito, escreve de forma a chamar a atenção. Para mim, continua a não fazer sentido da forma que está escrito mas tudo bem.

      Eliminar
  3. Ahaha de vez em quando já acontecem coisas do genero

    ResponderEliminar
  4. Panados e francesinhas. ..como sempre...

    ResponderEliminar
  5. Eu diria mesmo à frente do empregado, claro. Se é uma porcaria e ninguém lhes disser vão continuar a servir aquilo. Diria imediatamente, "não queres nada Francesinha que aqui não presta para nada" ou, mais polidamente (caso estivesse num dia bom): "a Francesinha neste restaurante não é a melhor opção"...

    ResponderEliminar
  6. Detesto Francesinha, coisa mais sem graça. E nos sou nada esquisita com a comida, mas é prto que não me convence.

    ResponderEliminar
  7. Odeio quando me deixam nessa situação. A minha mãe tem o hábito de me fazer perguntas fixe perante as funcionárias de lojas e afins.

    Se digo que algo não lhe fica bem, é feio, má qualidade, etc ficava chateada porque estava a ser msl educada.

    Se não respondia era mal educada.

    Se dizia que era bom quando achava uma porcaria levava nas orelhas porque queria a minha opinião sincera. Irra!!

    Tantas vezes mas chateei na adolescência com ela por causa disso...

    Actualmente já lhe dou pré-avisos. Se me fizer uma pergunta sabe que a resposta vai ser sincera. Se não quiser ouvir a minha opinião sincera sobre algo que pode ser "adoro" ou "acho isso horrível", não pergunte.

    ResponderEliminar
  8. Tens que ser mais explícita: desenhar!!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares