Avançar para o conteúdo principal

Esta tranquilidade...

Que é saber que dentro de cinco dias vais casar com o amor da tua vida.

Tenho 30 anos. Estamos juntos há quase 9 anos. Praticamente um terço da minha vida ao lado da mesma pessoa. A pessoa a quem conto tudo, a quem tudo confidencio. O meu melhor amigo, o meu companheiro, a minha pessoa favorita. 

Passamos a vida pegados. Estamos constantemente às turras. Somos tão diferentes que até dá nervos... Mas estamos de acordo nas coisas mais fundamentais de todas. 

É o amor da minha vida e, apesar de nada nervosa, começo a ficar ansiosa por tornar-me sua mulher. No papel, vá. Na vida, já sou há muito. 

Comentários

  1. Que corra tudo bem! Também tenho um casamento nesse dia.

    Um aparte, se não soubesse a tua idade, e tendo em conta apenas o que escreves, não diria que tens só 30 anos. Não sei explicar mas parece que passas uma imagem de alguém mais velho. Atenção que não estou a falar fisicamente.

    ResponderEliminar
  2. Desculpa a minha sinceridade S, mas estão há tanto tempo juntos, gostam-se tanto mas o teu futuro marido não é capaz de passar tempo apenas contigo, nem no dia-a-dia, nem sequer na lua-de-mel. Essa necessidade doentia (isso já excede o ser bom pai) de andar com o miúdo para todo o lado e não querer passar uns dias com a mulher não é nada saudável. Férias em família terão certamente muitas oportunidades mas vá, pelo menos num momento tão especial para o casal como o casamento.
    Um dia o filho vai à vida dele e vocês não sabem estar um com o outro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo consigo, é um exagero. Fora isso, amamo-nos muito.

      Eliminar
    2. Porque não tentarem fazer programas a dois depois do casamento? Por exemplo, de quinze em quinze dias deixarem o vosso filho com alguém de confiança e irem dar um passeio os dois? Nem é preciso gastar dinheiro, um passeio à beira mar sabe sempre tão bem e dá para namorar um pouco. Irem jantar fora, ver um concerto, um filme no cinema... são coisas em que não precisam de ir para longe mas, pelo menos, passam umas duas ou três horas só os dois a namorar.

      Eliminar
    3. Também acho que passa um pouco do razoável. Já pensaram procurar ajuda? Não é uma ofensa ao seu namorado mas por vezes precisamos de ajuda e não temos noção disso.

      Eliminar
    4. Desculpe anónimo das 21:18 mas não concordo nada consigo. Sou mulher e mãe e a partir do dia que o nosso filho nasceu faz parte da familia a 3, ou seja vai para todo o lado e a nossa vida é resolvida em função dos 3. O que a mim não me faria sentido nenhum era "lua-de-mel a 2" uma vez que o casal já vive maritalmente há 9 anos e além disso para o noivo já é o 2º casamento sendo que o primeiro foi na igreja ou seja casamento convencional, e agora já existe um filho que é só a pessoa mais importante. Tenham lá noção da diferença das coisas e da vida, o que não faz sentido é ter filhos e depois enfia-los em casa dos avós para fazermos a nossa vida como se eles não existissem. Os filhos quando crescem vão à sua vida e muito bem como nós fomos e os nossos pais também, mas se não tiverem raizes familiares não voltam, e além disso a S* que tanto preza a familia, está sempre enfiada em casa da mãe e tios e agora o filhos que deve ser a pessoa mais importante da vida dela e o 1º em termos familiares era despachado. O pai do Rafa é um grande pai e um grande homem isso sim...

      Eliminar
    5. Anónimo24 de setembro de 2019 às 10:01,
      Em que planeta é que ter uns dias para o casal é fazer a vida como se os filhos não existissem? Porque é que só os filhos devem ser a prioridade, e não também os pais, sozinhos e em casal? Não acho nada saudável, para ninguém, estar continuamente com as mesmas pessoas. Também deve achar que os membros do casal não podem tirar tempo para si, individualmente.

      Eliminar
    6. Concordo com comentário das 10.01h. Tambem eu sou mãe e agora planeamos sempre a vida a três, porque somos uma familia de três e para nós é assim que faz sentido. Isso de estar constantemente a deixar os filhos com terceiros é que me faz muita confusão.

      Eliminar
    7. Anónimo das 10:01, a própria S* admitiu que acha exagerado. Não lhe parece que ela conhece melhor a própria situação do que a anónima?

      Eliminar
    8. Malta, nem 8 nem 80. Parece q so ha 2 tipos de pais, os q tao sempre c os filhos e os tais q os deixam na creche das 7h ás 19h e no fim de semana os poem nos avos/babysitters...
      Hello?!? Ha pessoas normais que estao quase sempre com os filhos mas gostam de vez em quando estar a dois. Se sei la, uma vez de dois em dois meses forem jantar fora sozinhos ou fizerem umas ferias de 3/4 dias uma vez por ano sozinhos é muito? Equilibrio precisa-se sim.

      Eliminar
    9. Mas não está em questão deixar os filhos com terceiros "constantemente"! Estamos a falar de uma lua de mel (algo que acontece 1 vez na vida!!), e tendo em conta outra partilha recente da S* a "despedida de solteira" dela em que foi o pai e filho atrás (também algo que acontece 1 vez na vida)! Situações deste género, pontuais.. qual o problema de fazer programas individuais ou a dois? Não concordo com a postura com casais que vão fazer programas sozinhos todas as semanas, mas não deixamos de existir como seres individuais e casal só por causa de filhos! Tudo na vida é uma questão de equilibrio e é tão importante assumirmos e vivermosTODOS os nossos papeis: sou mãe, sou filha, sou namorada, sou amiga, sou irmã..
      Isto é a minha opinião, claro que S* saberá o que é melhor para si e para a sua família, mas ela própria já admitiu o "exagero" por parte do pai. Acredito que a incomode, mas tenho a certeza que irá gerir e adaptar-se da melhor forma para que todos estejam felizes.
      Mar

      Eliminar
    10. Eu não li em lado nenhum que estão a sugerir deixar o filho com outras pessoas constantemente. Eu li pessoas a sugerir um tempo, de vez em quando, para saírem só os dois enquanto casal.

      É certo que quando temos filhos as nossas prioridades devem mudar em função deles e do seu bem estar. Os filhos devem vir em primeiro lugar, sobretudo quando são pequenos como os da S*.

      Mas antes de haver um filho já havia um casal e, na minha opinião, é preciso manter essa intimidade a dois nem que seja com um simples almoço fora do ambiente do dia a dia.

      Vou dar o exemplo que eu e o meu marido fazemos. Aproveitamos as horas em que a nossa filha está na creche para estarmos os dois juntos sem ela. Porque não temos ninguém para ficar com ela e, verdade seja dita, também não queremos. Então, uma ou duas vezes por semana almoçamos os dois num sítio novo e diferente onde ninguém nos conhece - vivemos em Lisboa, por isso não é difícil - e durante esse tempo a dois estamos focados um no outro. O almoço costuma até ser rápido para depois, quando o tempo ajuda, andarmos um pouco a pé a conversar sobre tudo e nada. Também tentamos que à noite, depois da nossa filha adormecer, ter as tarefas domésticas despachadas para estarmos juntos no sofá ou na varanda a conversar e matar as saudades. Evitamos ligar a TV e mesmo a dormir menos horas sabe muito bem aquela pausa só nossa. Não é possível todas as noites, mas tentamos que aconteça frequentemente.

      Eliminar
    11. ALERTA! Aqui não se pode falar na "despedida de solteira", uma vez que só foi falada no facebook!

      Eliminar
    12. Anónimo das 12:50, no caso do noivo já vai na segunda lua-de-mel por isso não acontece uma vez na vida, e isso de lua de mel era quando os noivos ainda não viviam juntos e era uma forma de se conhecerem intimamente longe de olhares, agora são mais umas simples férias ...

      Eliminar
    13. Anónimo das 14:49, isso também é exactamente o que eu faço e que para mim tem sentido...aproveitar os tempos que a criança não está porque está na escola, em alguma actividade, aniversário de colegas, etc ou a dormir para estarmos os dois, e não "despachar a criança para terceiros" para sairmos os dois.

      Eliminar
    14. Incrível como em 2019 passar tempo com os avós e criar relações com eles é “despachar as crianças para terceiros”. Ainda bem que em 1984 ainda era algo bem visto. Tenha imensas recordações boas das férias com os meus avós e adoro a relação que tenho com eles fruto desse tempo. Infelizmente para a minha filha, a mãe dela acha mesmo que é importante que passe tempo com os avós e bisavós e que crie memórias com eles e por isso às vezes é despachada. Ah, e pior, também acha que faz bem aos avós e bisavós o convívio com a neta/bisneta. Ainda o ano passado apanhei a avó do meu marido, que como era normal no seu tempo começou a trabalhar cedo e mal teve brinquedos, a brincar encantada aos legos com a minha filha.

      Tété

      Eliminar
    15. Tete, acho que sao coisas diferentes. Uma coisa é os miudos irem para os avos porque querem, porque lhes faz bem, porque os avos têm tempo p lhes dar atencao e criam essas memorias q referes. Por ex conheço um casal de aveiro cujos avos paternos sao de Lagos e todos os anos os miudos vao o mes de Agosto completo p la. Obvio q os miudos adoram estar na casa na praia, e os pais tb vao la ter 1 ou 2 semanas consoante as ferias q conseguem marcar.Outra coisa sao os pais que enfiam os miudos em casa dos avis todas as 6af á noite p irem passear sozinhos, e os avos ate nem têm mt tempo p eles e os miudos la ficam a um canto a ver tv.

      Eliminar
    16. Anonimo das 15:35, nao importa se o noivo vai na segunda lua de mel ou na vigesima, com a S sera a primeira vez que se casa e se o universo quiser a ultima, entao obviamente algo MUITO especial e que so acontece uma vez. Tenha santa paciencia!

      Eliminar
    17. Anónimo das 18h57, haverá sempre situações em que é bom estar com os avós e outras em que não é grande ideia. Há avós disponíveis e que mesmo assim deixam os miúdos à frente da televisão e haverá avós com menos tempo mas que procuram fazer programas interessantes. Não me choca sequer que haja quem deixe os filhos em casa dos avós uma vez por semana se isso agradar a todos (eu não o faria mas não funcionamos todos da mesma maneira e isso não faz de ninguém melhor que ninguém). Neste caso em específico estamos a falar de o neto ficar com os avós durante uma lua-de-mel ou uma despedida de solteira. Nem sequer é algo recorrente (que até pode ser, a S* até pode deixar o filho todos os fds em casa dos avós e nós não sabemos).
      O conceito de família também varia de pessoa para pessoa e isso tem impacto neste tipo de decisões. Para mim, há a família que criámos (eu, o meu marido e a nossa filha) mas eu não acho que sejamos só nós os 3 e pronto. Há avós, bisavós, tios, primos que são importantes, que gostam dela e com quem é bom criar relações. Eu sou o tipo de mãe que pede à sogra para ficar com a neta se me der jeito mas também não são poucas as vezes em que lhe pergunto se quer ficar umas horinhas com a neta para matar saudades e terem um bocadinho as duas (e às vezes nem me dá assim tanto jeito andar a ir levar e buscar). Criar memórias e relações, faz bem a todos e para mim é importante. Não sei quanto tempo a minha filha terá avós e bisavós e quero que ela aproveite enquanto os tem.

      Tété

      Eliminar
    18. Acho que faltou equidade.
      O noivo foi sozinho à despedida de solteiro dele, a S* e o filho ficaram em casa.
      À despedida dela, já foram os 3!

      Eliminar
    19. Anónimo das 8h28, não é verdade. Eu já tinha tido uma despedida de solteira e hoje terei outro jantar - só de mulheres. Não se deve assumir que se sabe tudo, porque há coisas que não escrevo aqui.

      Eliminar
    20. Sou a primeira anónima e venho então responder às críticas: não, não vou.
      Tentei ser o máximo possível educada para que a S não me levasse a mal. Já a sigo praticamente desde o início do blogue e não lhe desejo mal nenhum, muito pelo contrário. Foi a própria S, que me deu razão como podem ler, portanto estou-me a borrifar para críticas ao meu comentário.

      Mas já agora dou uma achega: tanto quanto a S já expôs, como casal nunca foram de férias, portanto aproveitar a lua-de-mel seria SIM uma oportunidade de passarem algum tempo a sós, e SIM, tempo sozinhos é importante numa relação. Viver em função dos filhos não é saudável assim como não ligar nenhuma aos putos também.

      Não se esqueçam do porquê de estarem ao lado dos vossos respectivos. Porque se o único motivo é os filhos, então fiquem a pensar no assunto.

      S, desejo-te toda a felicidade deste mundo e que tenhas um dia maravilhoso como mereces.

      Eliminar
    21. S*, eu não assumo nada, limitei-me a ler o que tu escreveste. Mas se estás bem com isso, óptimo! Cada casal com as suas dinâmicas.

      Eliminar
    22. Teté criar memórias e relações também se aplica aos pais, e cada vez mais se vê crianças sem memórias de tempo passado com os pais porque passam o dia inteiro na escola/infantário, quando chegam a casa são horas de fazer trabalhos de casa, tomar banho, comer e dormir. Se os pais e filhos não aproveitam o pouco tempo livre em comum para estarem juntos, passear, jantar fora, ir ao parque, férias, ou simplesmente ficar em casa sem fazer nada não sei que memórias essa crianças terão de familia.

      Eliminar
    23. Anónimo das 14h31. Concordo consigo mas está simplesmente a descrever cenários alheios à situação e nada disso invalida aquilo que disse. Estar (a sós) com os avós não obriga a que se deixe de estar com os pais. Ninguém está a falar de mandar todos os fins-de-semana, todas as férias ou todos os fins de tarde os filhos para casa dos avós criar memórias com estes. Nem 8 nem 80. A S* e o companheiro não tiram férias juntos há anos, pelo que é descrito no blogue não parecem ser o tipo de casal que janta sozinhos todas as semanas ou que faz programas apenas em casal. Vão ter uma lua-de-mel de menos de uma semana. Não serão com certeza 3-4 dias num ano inteiro que iam fazer o Rafael não criar memórias com os pais. Ou jantar em casa dos avós uma vez por mês por exemplo para os pais terem um momento só deles. Pessoalmente, acho estas situações benéficas para todos: pais, avós e netos e não consigo ver nenhum prejuízo. Mas não estou a tentar convencer ninguém, estou apenas a explicar o meu ponto de vista e o facto de deixar filhos com avós não ser, para mim, "despachar" as crianças.

      Eliminar
    24. Tete, sou a anonima das 18:57

      Para esclarecer: eu acho que faz bem as crianças passarem tempo com os avós, acho que a S* devia ter noite de nupcias, lua de mel e despedida de solteira sem o filho. Daquilo que a S* escrevo fico com a ideia de que várias vezes a S* até queria ter algum tempo a dois e ele é que não quer.
      No meu comentário so tentei explicar que o “despachar as crianças para terceiros”. Ainda bem que em 1984 ainda era algo bem visto." que referes no teu primeiro comentario não tem a ver com as situações que descreves da tua familia (que concordo plenamente) mas com situações extremas em que os pais colocam sempre os filhos nos avós quer queiram quer nao. Alias como referes "se isso agradar a todos", pois, e quando nao agrada? E aqueles casos de crianças que passam o ano todo na creche porque mesmo quando os pais estao de ferias preferem ir sozinhos à praia e vao busca-los à creche às 19:30 de calcoes e chinelos? É a tal coisa: se eu tiver 15 dias de ferias e decidir tirar 1 ou 2 sozinha com o marido para relaxar e os outros com o filho parece-me razoavel, mas se eu ficar os 15 dias so com o marido e o filho continua a ir à creche ja nao me parece razoavel.
      Aqui há tempos num blog que se debatia a questão de levar babysitter de ferias, alguem referiu um caso em que estava a mae na piscina ao inicio da tarde a ler um livro, a criança foi dormir a sesta acompanhada pela ama, e a criança começou a chorar a dizer que queria a mae, e a ama tentou chamar a mae a qula se recusou a ir dizendo qualquer coisa do genero "voce é que tem de a adormecer que é para isso que lhe pago"...

      Eliminar
    25. Anónimo das 18h57 e 18h22:

      Não sou nada contra comentários em anónimo mas devíamos começar a assinar que isto torna-se complicado e eu achei que estava sempre a responder à mesma pessoa. :D
      Eu percebo o seu ponto de vista (e lembro-me dessa discussão no Facebook do blogue em causa porque participei nela :)). O meu comentário inicial (1984...) era pelo facto de ao se ter sugerido à S* de passar a lua-de-mel sozinha com o marido ou tirar 2 ou 3h de 15 em 15 dias para estar apenas com o marido sem o filho logo tenha havido quem tenha vindo dizer que família são os 3, que não faz sentido planos sem o filho ou despachá-lo para casa dos avós. Ora isto não é realmente comparável com esses casos que refere, em que os avós servem mais para criar os netos do que para passar apenas bons momentos com eles (e há avós que não querem e têm esse direito também). Os meus pais não faziam isto (deixar com os avós o tempo todo), eram pais incrivelmente presentes mas, para mim, tiveram a lucidez (e a necessidade às vezes, verdade seja dita, sobretudo nas férias) de deixar os filhos passarem tempo com os avós. Aliás, ainda há umas semanas disse à minha mãe que achei importante o facto de eles nos levarem sempre a casa deles quando iam, mesmo na nossa adolescência em que queríamos era ir ter com amigos e não com os avós. Porque isso ajudou a continuar a construir uma relação mesmo na idade da parvoíce. :) O meu pai diz sempre que sabe que foi um bom pai mas que também sabe que o foi porque tinha os seus momentos sem nós. :)
      No fundo, acho que eu e o anónimo temos o mesmo ponto de vista (tempo para o casal faz bem mas abusar dos avós e serem estes praticamente a criar os netos é outra coisa e indesejável. Estarei certa? :) E já agora qual é a sua opinião sobre a Babysitter nas férias? :)).

      Tété

      Eliminar
    26. Tete,

      Ok, ja percebi a confusão nas respostas aos comentários. Eu geralmente não assino e não tenho perfil na net porque gosto de poder comentar livremente sobre qualquer assunto, sem que as pessoas comecem a construir um perfil mental sobre mim e que me conheçam ao relacionarem os varios assuntos. Faz-me mesmo confusão partilhar-se a vida toda na net, todos os pormenores, e se a Pipoca e outras que tais eu até entendo (porque tiram rendimento disso), o chamado cidadao comum eu não entendo mesmo essa exposição, pois eu prezo muito a minha privacidade. Mas pronto, eu tambem não entendo quem vai fazer 15 dias de praia seguidos (para mim seria secante), mas há muitos que o fazem, cada um com a sua opiniao :-)))

      "No fundo, acho que eu e o anónimo temos o mesmo ponto de vista. Estarei certa?"
      Sim, por isso estranhei o teu primeiro comentário mais agressivo e tentei clarificar. Em muitos assuntos temos opiniões parecidas...claro que não tens ideia (porque eu comento em anonimo....) mas acontece várias vezes isto de as pessoas deixarem de comentar um post e nós continuarmos as duas a trocar comentários longos ;-)

      "E já agora qual é a sua opinião sobre a Babysitter nas férias? :))"
      Eu diria, tal como na situação dos avós, pode fazer algum sentido se for razoavel. É semelhante aos Kids Club que existem nos resorts onde os pais podem deixar os filhos e estarem mais relaxados na praia. Dou um exemplo que vi nestas ferias num hotel: um casal com um bebe com menos de 1 ano certamente, ao jantar ficava a mae com ele ao colo, depois queria biberao, depois chorava um pouco, o pai tirava a comida do buffet e comia a correr e depois trocavam. Não seria mais relaxante terem uma babysitter que pudesse estar a tomar conta do bebe ao lado deles enquanto eles jantavam descansados? Ou ate numa noite poder ficar com o bebe e eles poderem sair e passear? Mais uma vez, nao me choca que numas ferias de 10 dias saiam uma noite sozinhos, ou que tivessem uma babysitter para ajudar nas refeições, desde que o tempo de lazer o passem maioritariamente com os filhos e que obviamente numa situação extrema em que a criança chora pela mae (como no outro exemplo que falamos) que tenham a noção de ir ter com os filhos.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Dado o frio que se sente, é bom que se tape sim. Com um casaquinho.

      Eliminar
    2. A irmã da S denunciou-se toda, com o seu “dado” tão habitual.

      Eliminar
    3. Está enganada. Não sou a irmã da S* nem faço ideia como ela escreve. Isso é o mesmo que achar que todos os anônimos aqui são a mesma pessoa....

      Eliminar
  4. Quero saber tudinho desse grande dia :) tão bom quando temos essa certeza

    ResponderEliminar
  5. Estou estupefata a ler os comentários, desde necessidade doentia, tapadinha, etc... Cada família tem a sua dinâmica, uns preferem passar uns dias em casal, outros preferem em família (como é meu caso), cada um saberá melhor os que os faz feliz!!! Não podemos apenas respeitar? Será que por ser melhor para uns, terá que ser obrigatoriamente também melhor para outros?
    Se estão bem, se estão felizes, é o que interessa! Se é a 2, 3, 4, 5 ou 20, cada um sabe de si.
    Eu quando por algum motivo fico sozinha com o meu marido, também nos sabe bem, mas gostamos muito de fazer tudo em família, férias, passeios, almoçaradas... É o que nos faz sentido. Se calhar a outros não faz, mas lá está, cada um sabe de si!
    Respeitar os outros e mesmo quando queremos dar a nossa opinião, não esquecer a boa educação!
    S* que sejas muito feliz, a 2 ou a 3 !

    ResponderEliminar
  6. Não consigo entender porque não é possível comentar sem ofender.
    Sim s* devias tentar ter alguns momentos a sós só com o marido, nomeadamente a lua de mel (espero que a noite de núpcias ao menos seja a 2!). Mas aproveitarem para apontarem dedo a quem só deixa os filhos com outros, que já não é preciso estar a sós porque o homem já foi casado e já não é novidade..... Menos gente! Até porque ao fazerem este tipo de comentários mesquinhos só diz mais de vocês do que da própria S*.
    S* aos poucos vai tentando ter algum tempo só para ti e para o marido. É importante alimentar o vosso amor para que o Rafael conheça sempre os seus pais como eternos apaixonados.
    E sábado vai com tudo!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Noite de núpcias??' Ah Ah Ah deve ser mesmo para rir só pode...realmente há mesmo pessoas sem noção da vida!!!!

      Eliminar
    2. E qual o problema? Obvio q ja dormem juntos ha mt tempo mas é a noite do casamento, um prolongamento da festa, deve ser especial e a 2.

      Eliminar
    3. Desculpe, mas não é por alguém já ter um filho que não pode ter uma noite de núpcias, uma noite especial.. Até porque acreditando que a esmagadora maioria das pessoas que se casam hoje em dia já não são virgens e até já passaram férias juntos, então não faria sentido para ninguém ter noite de núpcias ou lua de mel. Mesmo fora destes momentos só faz bem aos casais ter uma noite especial e diferente de vez em quando. Acho que o anónimo é que não tem noção da vida.

      Eliminar
    4. Assim a chamam, anonimo das 16:46, noite de nupcias, nao vejo qual o espanto. Nao importa se ja vivem juntos ou tem filhos, a noite ou madrugada, do casamento, e noite de nupcias. Ha mesmo gente sem nocao, tu es um exemplo perfeito. ahahaha

      Eliminar
    5. Há mesmo gente sem noção da vida e pensa que esta é um conto de fadas cor-de-rosa e vivem num castelo onde vai chegar o principe encantado....

      Eliminar
    6. E porque não pensar que a vida é um conto de fadas, viver num castelo e sonhar com o príncipe encantado se isso deixar as pessoas felizes? :) Qual é o problema de querer um casamento bonito, uma noite de núpcias e uma lua-de-mel mesmo depois de anos a viver juntos se isso deixar os dois felizes? Ou não querer nada disto se isso não trouxer qualquer felicidade, claro. :P

      Eliminar
    7. Não entendo o porquê de alguém desejar/ter uma "noite de núpcias" especial, mesmo já vivendo juntos e com filhos, há de ser só porque vive num conto de fadas.
      Se o dia do casamento é um dia especial, independentemente de já viverem juntos, porque não haveria de ser a primeira de noite de casados?
      Toda a gente que conheço que casou, já vivia junto com os seus respectivos antes, e não foi por isso que não tiveram uma noite de núpcias num hotel. Pessoalmente acho muito bem, e efectivamente não entendo o porquê disto ser de pessoas iludidas com contos de fadas.

      AnaC

      Eliminar
  7. Ai S* que pachorra para aturar esta gente louca. Tudo o que possas dizer ou fazer é alvo de crítica. Até criticam o facto de ires ter noite de núpcias?!?! Essa para mim foi a pior... Desejo te um dia muito feliz, óptima noite de núpcias e excelente lua de mel, com ou sem filho. Quem sabe são vocês. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pachorra é para aturar comentadoras da treta, a própria S* aqui à uns posts atrás sobre esse mesmo assunto já deu a resposta sobre o que achava....vão procurar e depois falem...

      Eliminar
  8. Exactamente, quem sabe são eles, no sábado vai haver um batizado e um casamento civil e uma festa para festejar as duas cerimónias, e o que foi de muito mau tom foi mandarem o noivo fazer terapia porque para ele não faz sentido "por a criança de lado" e o Rafa estará presente em todos os momentos como tem estado e faz sentido ao longo destes dois anos.

    ResponderEliminar
  9. Resposta da S* à noite de núpcias:

    S*2 de julho de 2019 às 16:56
    Noite de núpcias... essa tem graça... para nós, seria, NOITE DE SONO BOM EM DOIS ANOS. ahahahahah

    ResponderEliminar
  10. Já chega. A paciência tem limites. Comentários encerrados. Se não sabem respeitar a forma de viver de cada um, não estão aqui a fazer nada.

    ResponderEliminar

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.

I wish

Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar.

Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C )
Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo.
Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala.






Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz.


A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :)
Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.