Pensar menos, sentir mais.

Nenhuma descrição de foto disponível.

Na sexta-feira perdi uma das minhas gatas.

Fiquei tão em choque que ainda me parece tudo muito irreal. 

Acordei e, ao entrar no quarto-de-banho do nosso quarto, dei com a gata (a mais nova, a mais meiga, a minha Princesa) escondida atrás do bidé. Chamei o homem, ele foi tocar-lhe, ela lá andou para debaixo da nossa cama. Toca a levantar a cama, peguei na gata, apalpei-a e nada de queixas. Tive de ir trabalhar. 

Por acaso, só trabalhei de manhã... Depois do almoço decidimos levá-la ao veterinário, pois continuava escondida nos cantos. Entrei com ela no veterinário às 15h30, hora de abertura. Estava com o focinho muito "branco", nitidamente anémica. Ficou internada para análises... Leucemia. Obviamente não apanhou recentemente... há mais de três anos que não põe uma pata fora do apartamento... Trouxe o vírus de fora. Ainda não eram 20h00 quando a veterinária me ligou a anunciar a sua partida. Assim. Sem aviso. Sem indícios. Sem nada.

A Princesa era a minha gata perfeita. Doce, meiga, afectuosa na medida certa. A minha mais jovem, iria completar 5 anos na nossa vida a 11 de Novembro.

...

Mas acredito que Deus escreve direito por linhas tortas. Faz-nos mais sensíveis quando podemos fazer a diferença.

Ontem lá ia eu, mais o filho e os sogros, a caminho da festa... Ao longo de uns 500 metros, um mafarrico de um cão pequeno, ainda meio bebé, a correr pelas ruas, a atravessar estradas.

Aquilo causou-me náuseas, não aguentei ver aquele animal indefeso, numa das noites mais caóticas no que concerne ao trânsito cá na cidade.

Lá o apanhei (com a ajuda de uns cidadãos que iam a passar), fiz uma trela com o meu lenço... E meti-o dentro da minha casa. Ontem o meu Pirata ainda lhe achou graça, mas hoje já não estava a achar piada ao cão "pinante" que apanhei na rua.

Vou agora entregá-lo à minha associação de eleição. Já sei que não tem chip e acredito que o dono ainda vai aparecer ou que será rapidamente adoptado - é lindo de morrer, jovem, muito meigo, um cão espectacular.

Já estou de coração apertado por ter de o deixar e ainda nem há 24 horas o tenho... Mas prometi a mim mesma e à minha Princesa que, por mais chatices que arranje, nunca vou virar as costas a um animal que precisa de ajuda. Era o que faltava. Prefiro ter chatices a ter uma pedra no lugar do coração.

Comentários

  1. Tenho atualmente 7 gatos, já vi partir um deles precisamente como maldito FELV :( Por isso só posso mesmo lamentar mesmo muito a perda. E desculpe estar a falar nisto, mas uma vez que é transmissível e tem mais gatinhos, o veterinário recomendou testar os seus outros felinos? É que na volta são também portadores, e sendo, não havendo cura, há cuidados que se devem ter, e não sendo, pode sempre vaciná-los (embora não saindo à rua e não contactando com outros gatos, possa estar mais descansada). Ma aconselhava mesmo a estudar isso, para não correr o risco de ter outro desgosto assim semelhante. Abracinho apertado e boa sorte com o novo patudinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, obrigada pelo comentário.

      Sim, falamos disso. Tenho agora quatro gatas. Todas elas mais velhas. A veterinária acredita que não vale a pena fazer análises porque "infelizmente, passados anos, existem 90% de hipóteses de terem todas o vírus". Eu prefiro não saber. A doutora considerou que os donos que sabem passam a vida agoniados e a ver sinais em tudo. Elas são todas gatas de apartamento e não contactam com outros gatos. Naturalmente, a veterinária pediu para não adoptarmos qualquer gato enquanto estas forem vivas, para não perpetuar o vírus em nossa casa...

      Eliminar
    2. Aliás, tenho três gatas...

      Eliminar
  2. Lamento muito a perda da tua gata :(
    Acredito que esse acontecimento não foi por acaso, foi Deus a querer dar-te algum tipo de consolo.
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. Desculpa perguntar, mas a foto não é da gatinha morta, pois não?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Credo. A foto é do dia em que a encontrei e adoptei. Adoro o ar de puro descanso dela...

      Eliminar
  4. olá S. lamento mesmo muito a tua perda, nem consigo imaginar :( por um lado, pensa que pelo menos não terá sofrido muito, com uma doença prolongada. uma das minhas gatas sofre de insuficiência renal crónica e o meu maior medo é vê-la sofrer. aqui vamos andando dia a dia, com medicação, alimentação especial e muitos cuidados, mas detestaria sentir que a estou a fazer passar por um excesso de exames, medicações, internamentos, etc, para lhe prolongar uma vida sem qualidade. os gatos vivem no presente, e tenho a certeza que a tua gatinha viveu muitos presentes felizes. é isso que tento dar à minha todos os dias, e quando a vir debilitada terei de saber dizer adeus. um grande beijinho *

    ResponderEliminar
  5. Quando adoptamos um animal, ganhamos mais um elemento na família e é muito dificil quando os perdemos.

    Um beijinho muito grande.

    ResponderEliminar
  6. S* em primeiro lugar, lamento a perda da tua gatinha.

    Em segundo, não devias ser tão radical nas tuas opiniões. Como pessoa que não sente especial empatia por animais, apesar de ter tido vários, sinto muitas vezes em posts teus que, para ti, quem não adora animais como tu, é uma besta insensível (Ex: "Prefiro ter chatices a ter uma pedra no lugar do coração."). Não importa se faço voluntariado com pessoas, se perco algum do meu tempo livre a ajudar quem precisa, se pago o almoço a um sem-abrigo, se ajudo uma grávida a carregar compras do supermercado... se não gostar de animais e/ou não os ajudar, sou automaticamente má pessoa/insensível/odeio animais e quero que se lixem. Não é tão preto no branco, sabes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cynthia, sei, mas tu estás s misturar alhos e bugalhos.

      Claro que não tens de adorar animais. Podes até nem os querer na tua vida. Mas ajudar um animal indefeso não é uma questão de gosto, é uma questão de obrigação de toda a sociedade. Os cães não vivem na rua porque nascem lá. Eles vivem na rua por culpa nossa, da sociedade.

      Eu também posso não ter especial empatia por determinada causa, mas isso não significa que não deva ajudar em questões urgentes.

      Apenas isso. Gostos, são gostos. Mas obrigações são outra coisa.

      Se tu podes achar que não tens nada que ajudar um animal de rua? Podes. E eu posso achar cruel não o fazeres. O animal é como uma criança, indefeso e sem culpas.

      Eliminar
    2. Um animal é como uma criança?! Epá... Sem palavras.

      Eliminar
    3. Mal comparando: eu não sinto grande empatia por outros humanos, não consigo mesmo. No entanto, se vir uma pessoa em situação de risco, é minha obrigação, como de todos, intervir. Assim como é a obrigação de todos ajudar um animal que esteja abandonado/magoado/com fome, quer se goste de animais ou não.

      Eliminar
    4. Então deduzo que farias o mesmo com uma criança. Os sem abrigo também não vivem na rua porque lhes apetece, penso eu, e a maioria das pessoas passa por eles e ignora a sua existência.

      E eu não estou a misturar nada, porque não estou a dizer que fizeste mal ou que eu não levava o bicho a uma associação, não se trata de condenar o que fizeste, acho até louvável. Não quis com o comentário inicial julgar a tua atitude em relação a esse cão.

      O que quis frisar, e desculpa se interpreto mal a tua postura sobre este assunto, é que dás a entender que quem não sente empatia pelos animais, é uma pessoa fria e pouco capaz de ser solidária (não só com este post, mas outros relacionados com animais). Faço-me entender?

      Eliminar
    5. Desculpa dizer, até porque não te conheço e nem quero, sequer, ofender. Mas não vi mal nenhum na frase. Parece que a carapuça serviu, apenas.

      Eliminar
    6. Por acaso acho essa atitude muito arrogante. Ter um animal em casa acarreta muitas despesas para quem o faz com consciência. Não é por existirem pessoas irresponsáveis e parvas que os abandonam que isso significa que os outros tenham de assumir a salvação de todos os animais.
      Na zona da casa dos meus pais abandonam todos os anos perto de uma dezena de caes. Havia de ser bonito serem os locais a ter que adoptar e arcar com as consequências da estupidez alheia.

      Se for por essa teoria, não faltam crianças abandonadas e não te vejo a adoptar 5/6 crianças para lhes dar um lar e amor 🙄 também te posso considerar hipócrita e cruel por fazeres tudo por animais mas estares-te a borrifar para as crianças que vivem num orfanato sem amor e carinho...

      Só que como sou adulta sei que não podemos salvar o mundo e que cada um faz o que pode. Por exemplo nós adoptámos todos os nossos animais de estimação e tentamos arranjar famílias para os cães que aparecem abandonados mas estamos longe de salvar todos. Se quiseres dou-te a morada da zona e podes ir lá buscar os que foram abandonados só este ano...

      Eliminar
    7. S*, e quand encontra um sem abrigo, também o leva para casa? Ou o problema dele é menos urgente que o problema do cão?

      Eliminar
    8. Sim, ajudo obviamente seres humanos na medida em que me é possível. Ui, tanto que já fiz, até a nível profissional. Isso não é para aqui chamado. Não, não comparei animais e crianças, disse que eram igualmente indefesos.

      Acho mesmo muito triste fazerem comentários destes num post sobre a morte da minha gata. Lamento, mas não irei sequer alimentar tamanha insensibilidade.

      Cynthia, na minha óptica, sim, há uma certa insensibilidade quando não se consegue sentir afecto pelos animais. Não é errado, mas julgo que é insensível. Assim como é insensível não deitar a mão a quem precisa. São opiniões. Não me parece é que este seja o post para essa discussão. :)

      Eliminar
    9. Não, um cão ou um gato não são como uma criança, por norma são mais fofinhos e menos irritantes.

      Eliminar
    10. Não percebo porque se sentem picados com esta maneira de ver as coisas da S*, sobretudo num post destes. Mesmo ela terá com certeza amigas que não deitam a mão a qualquer animal que vêem sozinho a passear e com certeza a S* não achará que têm um coração de pedra, porque se assim fosse não seriam amigas...Além de que qual é o mal dela pensar assim? Eu não apanho animais na rua nem os levo para casa (encolho-me só de pensar na sujidade, pulgas e carraças) mas não é por isso que, para mim, não sou boa pessoa. Porque sou. Sei que sou. Só não penso como a S*. Muito provavelmente farei outras que acho socialmente obrigatórias que a S* não faz nem é sensível a tal. Cada um tem as suas lutas.
      S* lamento muito pela Princesa. É pensar que ao menos na sua curta vida teve um lar cheio de amor e cuidados.

      Eliminar
    11. É a atitude holier than thou que irrita. Pelo menos a mim. Até pela incoerência que depois apresenta.

      É julgar situações e pessoas como a Cynthia " como cruel e hipócrita" quando depois, se aplicarmos a mesma teoria à S* afinal já não é bem assim. Dois pesos e duas medidas.

      Eu nem teria comentado nada se não tivesse respondido como o fez à Cynthia. Não bate a bota com a perdigota.
      Lamento mesmo pela perda da gata, não duvido que goste imenso dos animais.

      Em relação ao anonimo que prefere animais às crianças, fique-se pelos animais e não tenha filhos por favor. A humanidade agradece.

      Eliminar
    12. A S* perdeu uma das suas gatinhas e vocês estão aqui a discutir carapuças enfiadas, caramba. E a mania do costume de achar que quem ama animais não ama pessoas? Eu faço voluntariado com pessoas e animais e ainda assim, ouço essas críticas constantemente. Mais, ao contrário do que muitos pensam, a maioria dos sem abrigo sim, vive na rua por opção.
      S*, abraço no teu coração

      Maria

      Eliminar
    13. Eu fico estupefacta com a insensibilidade de algumas pessoas, principalmente num post onde se dá conta da morte de um animal! Já resgatei "n" bichinhos, juntamente com a minha mãe e hei de continuar a fazê-lo. Quem me dera poder salvar todos! Encontrar os donos (quando se consegue) é uma felicidade. Andei a "correr" mais de 1 semana para uma zona longe de minha casa, para alimentar uma cadela e 7 filhotes, sendo que só deixei de o fazer quando eles ganharam forças, saíram do sítio onde se encontravam e nunca mais os vi. E também ajudo pessoas com necessidades (havendo uma altura, até, em que eu e a minha mãe íamos levar, todos os sábados, uma panela de sopa e outro tipo de comida a um senhor porque ele não conseguia ter dinheiro para comer e para pagar o quarto onde vivia). Uma coisa não invalida a outra. É fazer o bem e não importa a quem, como dizia a minha avó.

      Eliminar
    14. Anónimo22 de agosto de 2019 às 00:42,

      Não se preocupe que não os terei. Agradece a humanidade e, mais importante, agradeço eu, que não terei que os aturar.

      Eliminar
    15. Lamento a perda. Tenho a certeza que foi uma gatinha feliz.

      "quem não adora animais como tu, é uma besta insensível" Besta insensível são palavras suas Cynthia, (EU) digo desta forma: quem não sente empatia por animais é um ser insensível.

      Eliminar
    16. Oh senhora, é a sua opinião... Não sabia que gostar de animais era requisito para se ser sensível. Olha que isto...

      Eliminar
    17. Eu sinto empatia por animais mas não os levo para a minha casa. E isso faz de mim o quê?

      Eliminar
    18. Deixar animais sem lar é horrível, já crianças são seres inúteis que não servem para nada, dão despesa e exigem humanidade de quem cuida deles...

      A diferença é que com um animal não têm que se esforçar para ter um relacionamento. Não há necessidade de cedências, diálogos e afins.
      Hitler adorava animais, por exemplo. Tratava-os muito bem e assassinou milhões de pessoas, adultos e crianças. E nem sequer foi o único ditador da nossa história que tinha essa característica.
      Eu diria que gostar de animais não faz ninguém boa pessoa e muito menos significa capacidade de empatia.

      Eliminar
    19. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

      Eliminar
    20. Anónimo1 de setembro de 2019 às 01:11, e a minha avó é muito boa pessoa para humanos mas já atirou gatos recém nascidos ao canal, já os afogou num alguidar, etc. Para mim, os humanos não têm mais valor que os não-humanos, portanto condeno igualmente quem é uma besta para animais quanto quem é uma besta para humanos.

      Eliminar
  7. um beijinho s* e que continues a ser esse coração de ouro!

    ResponderEliminar
  8. Tenho muita pena pela tua perda.
    Só tenho uma cadela, que para mim é um membro da família e não consigo sequer pensar no dia em que ficarei sem ela :( só quem tem animais é que sabe o amor que sentimos por eles.
    Nada acontece por acaso é verdade...continua a fazer o bem aos outros animais que se vão cruzando contigo.
    Quando fazemos o bem recebemos o bem também :)
    Um xi coração apertadinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acredito que é possível ir mudando o mundo aos bocadinhos.

      Eliminar
    2. Lamento, do fundo do coração. Sei bem o que isso é, infelizmente, sei o quanto custa. Mas sabemos sempre que, à partida, eles irão primeiro que nós. Tenho imensa pena que não tenha sido de velhice, na sua caminha quentinha e na sua paz , mas sim escondida e provavelmente com muito mau estar, coitadinha.

      S*, disseste que trouxe o vírus de fora. Queres dizer que quando a adoptaste já teria? O veterinário nao fez o teste? É que eles fazem sempre! Tenho 3 gatos, todos encontrados abandonados/lixo e em cada caso o teste foi feito.

      Eliminar
    3. Anónimo, não, não fez o teste. Provavelmente erro meu.

      Eliminar
  9. fico muito triste pela tua gatinha. tenho uma gatinha e mal começo a pensar que um dia ela já não vai estar cá fico tão triste... :( mas é mais uma estrelinha a olhar por ti :)
    e obrigada, obrigada, obrigada pelo teu carinho e dedicação aos animais! <3

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares