Odiozinho (profundo) de estimação


Juro que odeio com todas as forças os humanos imbecis que deixam os cães andar na rua, soltos, ao longo do dia. Não falo de animais que correm livremente num jardim ao lado de casa e dos donos, mas sim dos cães que são deixados ao 'abandono' no meio da rua.

Para meu azar, na minha zona é o pão nosso de cada dia. Cães e mais cães a passearem sozinhos, sem dono à vista. Em plena cidade, numa zona de muitos carros.

Todos os meses sou confrontada com um novo cão 'passeadeiro' e fico de coração apertado. Ligo a internet, vou às páginas das associações cá da cidade e ao Encontra-me. Nada, claro.

Agora mesmo era um cão nitidamente bebé, meio ano, se tanto. Óbvio que não se deixava apanhar. Castanho, lindo de morrer, patinhas brancas, ponta da cauda branca.

Correu, atravessou a estrada, obrigou carros a parar. Lá ficou ele, entregue à sua sorte. Não é difícil adivinhar o triste destino de muitos destes animais. 


Comentários

  1. Antes eram recolhidos p os canis, eram adoptados ou entao abatidos. Agora ficam aí a provocar acidentes ou pior a atacar pessoas. Nao ers isso q voces queriam c a nova lei? Os caezinhos soltos? Ora aí têm....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comentário bacoco. A única culpa é de quem abandona.

      Eliminar
    2. Tambem acho, culpa ou nao o resultado e este, pois infelizmente o mundo cor-de-rosa so existe na mente de gente vivendo fora da realidade, na pratica nao vao em numero suficiente para novos lares, de forma que nao ao abate, ora ai esta!

      Eliminar
    3. Desculpa S*, mas em que é que dizer "a culpa é de quem abandona" resolve ou ajuda? É que o problema existe e dado que não vais conseguir controlar o abandono tão cedo e o estado não tem recursos para implementar programas de esterilização eficientes, o que é que sugeres para solucionar o problema? Não, dizer que as pessoas não devem abandonar não serve.

      Eliminar
    4. Tem de ser um trabalho muito projectado e pensado a médio prazo. Não há soluções milagrosas imediatas.

      Na Alemanha, por exemplo , existem variadas medidas de protecção animal. Um dos canais de televisão até fez uma reportagem sobre o assunto há poucos meses. Estive agora a pesquisar... "Os futuros donos são questionados acerca da família, casa, horas de trabalho, entre outros. Por exemplo, se os animais ficarem sozinhos em casa por mais de 8 horas por dias não é permitida a adoção."

      Tinha de ser mais difícil adoptar ou comprar um animal. As pessoas tinham de sentir o peso da responsabilidade. Tinha de haver efectivas penalizações para quem abandona ou maltrata animais. Mas a sério, de doer na carteira!!

      Tinha de haver obrigatoriedade A SÉRIO do chip, para se controlar efectivamente os animais que apareciam na rua.

      Tinha de haver uma real campanha de recolha e esterilização dos animais de rua. Tinha de haver apoio e incentivo às associações de animais.

      Havia tanto e tanto para fazer.

      Eliminar
    5. Isso tudo muito lindo mas no futuro. E agora ? A curto prazo ? Vamos continuar a deixar os animais vaguear nas ruas ? A reproduzirem-se descontroladamente ? Sejamos realistas, acabar com o abate sim mas quando já estivessem reunidas condições para tal.

      Eliminar
    6. Concordo com tudo isso! O problema é que o estado optou pela solução fácil e de baixo custo... Assim não recolhe, não alimenta, não faz nada e gasta menos. Essas mudanças de mentalidade levam anos a acontecer e levam ainda mais tempo quando nada se faz a não ser esperar que aconteçam.

      Eliminar
    7. Anónimo das 22h47, a curto prazo podem resgatar todos os animais de rua, castrá-los e cuidar deles enquanto arranjam novo dono (ou eternamente, se o novo dono não aparecer). Um Estado Social também deve proteger animais. Se considera investir nos animais algo errado, aí já nem vou discutir... Porque não vale a pena.

      Eliminar
    8. Para além disso, falta apoio às famílias que efetivamente adotam um animal. As contas de veterinário são exorbitantes. Esta semana infelizmente morreu a minha cadela. Teve uma obstrução intestinal, precisou de cirurgia e acabou por não resitir. Saí do veterinário sem cão e com uma conta de 900EUR. O que faria uma família que não tivesse condições para pagar semelhante valor? deixava morrer o animal? O abandono nunca será uma opção, mas há efetivamente necessidade de medidas urgentes a todos os níveis. Não só incentivar a adoção mas pensar no depois.

      Eliminar
    9. Quem não tem condições, simples, não adopta.
      Em caso de aperto, há associações.
      Pedir ajuda não é vergonha nenhuma.

      Eliminar
    10. Dizer que a culpa é de quem abandona é um facto.
      O dono tem de ser responsabilizado.

      Eliminar
    11. As instituições por cá empurram animais à toa. Tive essa experiência qd tentei adoptar e fomos pedir informações e no final da visita tínhamos os papéis preenchidos só faltava a nossa assinatura.
      Apesae das pessoas presentes não saberem dizer se os animais iam ser de grande porte e de nós termos dito que não nos iríamos comprometer com nada enquanto não estivesse lá o veterinário. Ter um cão de porte grande estava completamente fora de questão e isso foi explicado!!

      Portanto provavelmente em muitos casos o problema já começa no desespero das instituições que supostamente têm muito interesse no bem estar dos animais só que, na prática, por vezes não têm interesse nenhum.

      E perguntas a nós? Às condições, onde vivíamos, que tipo de experiência tínhamos, etc? Não fizeram UMA sequer...

      Eliminar
  2. Quanto mais vivo, mais gosto dos animais que de algumas pessoas.

    ResponderEliminar
  3. Portanto andarem sem trela à solta sujeitos a atacar (uma criança como o teu filho, por exemplo) é na boa desde que os donos andem perto .. 🤔

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é que disse isso? Não misture alhos com bugalhos. Não vou é comparar um animal que está bem educado e que não sai da beira do dono de um animal que passa o dia a vaguear. Se eu solto o meu cão? Nunca. Só na praia, quando a praia está vazia. Se conheço animais que podem ser soltos que não saem da beira do dono? Claro.

      Eliminar
    2. Eu conheço uns quantos que acham que os seus cães são uns santos. Apesar de já terem atacado várias pessoas, uma das quais acabou no hospital (e foram legalmente obrigados ao abate).

      Eliminar
  4. Aqui na minha zona também é assim.
    Apesar de viver numa aldeia, supostamente sossegada, não é deserta, os automóveis circulam, há sítios que não são seguros para eles passearem... Enfim.
    Ultimamente, andam por aqui muitos, uns sem dono, outros com dono... E andam há assim há dias, desnorteados...
    Os donos não se dão ao trabalho de os procurar; pensam, lá do alto da sua suprema sabedoria, que "eles voltam".
    Entretanto, andam no meio da estrada, aos zigue-zague, e pronto...
    É contar com a sorte. É assim que esta gente pensa e vive de consciência tranquila.
    Mandá-los castrar para não andarem por aí às cadelas, não... Tá quieto. Mandar esterilizar as cadelas para não ficarem à mercê de uma futura gravidez não desejada, também não...
    É deixá-los reproduzir, deixar a natureza fluir...
    Os filhotes?... Se não tiverem a quem os dar, enfim... Ficam com um dois e o resto da ninhada...
    Fico-me por aqui.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares