Divagações


Deus sabe que, muitas vezes, sinto que não fui talhada para esta incrível tarefa que é ser Mãe. 

Sinto-me sempre cansada, muitas vezes estou sem paciência, irritada ou apenas muito chata.

No entanto, também julgo que, apesar desta minha falta de perfil, sou dedicada, esforço-me para que coma sempre boa comida, sopa e fruta sempre caseiras, as paparocas dele nunca falham... 

Sei lá, acho que esperava que fosse como algumas mães, que vêem unicórnios e purpurinas em tudo... eu sou mais de ver nuvens negras.

Mas este sorriso paga tudo. Quando ele se abraça às minhas pernas, eu sei que devo estar a fazer um bom trabalho. Ontem de tarde sentei-me no sofá com ele, deixei-o ver 10 minutos de televisão (é outra das minhas pancas, não o deixo ver televisão... dez minutos de manhã, outros dez à tarde) e ele sentou-se ao meu lado e deixou cair a cabeça para cima do meu ombro. Foi a primeira vez que se encostou a mim e foi tão bom.

A imagem pode conter: 3 pessoas, incluindo Hugo Meireles, pessoas a sorrir, árvore de Natal e interiores

Comentários

  1. Olá,

    Eu também acredito que não sou muito talhada para ser mãe... mas penso que as compensações são muito melhores que as chatices!!

    Beijinhos
    Margarida
    https://minhacasadopatio.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Identifico-me muito com este teu texto.
    Fui surpreendida pela minha própria pessoa quando percebi que queria ser mãe. Em 6 anos 3 filhos. Não foi plano mas foi benção e o melhor presente que a vida me deu.
    Mas tenho dias completamente loucos em que questiono a minha vocação para este empreendimento mas depois os abraços e os beijos deles tiram-me qualquer dúvida. Os nossos filhos são o melhor que existe e fazem de nós pessoas muito melhores todos os dias. Mas lá que são um desafio, são.
    Muita força e muito amor. :)

    ResponderEliminar
  3. S*, não estás sozinha. Sinto o mesmo. Na maior parte dos casos, as crianças são muito chatas, e então se forem mais do que uma, como é o meu caso, são chatas a multiplicar. Todavia, tudo melhora, há dias maus e dias bons, ser mãe é isso tudo. Nem toda a gente vê unicórnios...eu não vejo de certeza :)

    ResponderEliminar
  4. Faz parte! Tenta relaxar e aproveitar. Não penses muito nisso. Eu às vezes acho que se a vida voltasse atrás não tinha tido filhos mas depois eles dão-me uma beijoca... Mas é difícil, é cansativo para não dizer exaustante! Beijocas

    ResponderEliminar
  5. Que texto bonito S* não sou mãe, mas imagino que não são tudo purpurinas

    ResponderEliminar
  6. Eu acho que é por fases. Se bem percebi pelo facebook, andam numa fase de dormirem pior por isso é normal que neste momento veja mais nuvens negras, estranho seria que com privação de sono visses unicórnios e florzinhas. Da mesma forma que eles (bebés e crianças) passam por várias fases de sono, de comer, de calma, de birras, etc, também nós mães passamos por isso (até porque eles até podem estar numa fase de anjinhos em tudo e haver stress e pressões externas, como algum trabalho mais exigente, que nos tiram a energia, a paciência, a calma...). Acredito piamente que daqui a uns tempos (semanas ou meses) estarás a passar por uma fase em que sentes que tudo flui mais facilmente, que afinal não é assim tão complicado, que afinal o papel de mãe não implica assim tanto esforço. E depois virá novamente uma fase em que sentes que precisas de todas as energias para aguentar 24 horas apenas. É normal. :) Eu também nunca senti que o papel de mãe me caísse que nem uma luva, que tenha mesmo nascido para isto de ser mãe-a-tempo-inteiro, mas asseguro-te que há fases em que tudo parece muito fácil e outras em que penso seriamente o que é que fui fazer à minha vidinha. :)

    ResponderEliminar
  7. Dúvidas, quem as não tem? É normal, descontrai :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Eu sou mãe de gémeos com 5 anos. Até aos 3 anos deram noites terríveis. A privação de sono deu cabo de mim. Nunca vi a maternidade como algo "cor-de-rosa", sempre foi difícil. Aliás, continua a ser difícil, pois agora testam todos os limites possíveis e atuam em equipa. São uns diabretes. Mas é muito recompensador. O abraço que me dão quando os deito não tem preço. Eu não sou a típica mãe babada pelas suas crias, mas amo-os profundamente e espero ajudá-los a crescer e a serem adultos decentes.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares