Dos Animais

Diz que hoje se assinala o Dia Mundial do Animal. É, portanto, o dia ideal para eu revelar que tenho como uma das minhas missões de vida que o meu bebé goste tanto ou mais dos animais que eu e o pai.

Pretendo incutir-lhe um amor imenso pela natureza e por tudo aquilo que esta representa - pureza e beleza. Os animais não têm maldade. Não têm segundas intenções. Não pedem a mão e roubam o braço. Os animais são o que são e não fazem fretes a ninguém.

Os animais mimam-nos porque nos amam. Claro que também nos mimam quando querem comida, quando querem brincar, quando querem que uma pessoa abra a porta da varanda... Mas, apesar de tudo, só o fazem porque gostam de nós e porque vêem em nós seres que cuidam deles.

Espero, mesmo, que o meu filho saiba acarinhar os animais. Que os saiba respeitar. Que não seja "ai não gosto de pêlo". Que não se incomode com a baba do cão ou com as turras molhadas do focinho das gatas. 

Espero, mesmo, que o meu filho ame de paixão os nossos animais e que se sinta sempre feliz ao lado deles. 

Não há stress que as turras das minhas gatas não diminuam. Não há tristeza que o focinho meigo do meu cão não apague. Não há preocupação que a presença dos meus animais não faça desaparecer. 

Tenho alguma "pena" de quem não entende este amor pelos bichos, porque não vive esta bênção.

Eles são mágicos, de tanto amor que nos dão e nos permitem dar.

Comentários

  1. Verdade! Os animais amam-nos exactamente como somos. Amam sem pedir nada em troca. Bejinho. PadaandLuda / Facebook / Bloglovin

    ResponderEliminar
  2. E estão sempre felizes quando nos vêm e desejosos de um miminho.

    ResponderEliminar
  3. Verdade <3 sei lá eu o que fazia sem a minha pequena mel, a mais doce e tremelicas botijinha de água quente :D

    ResponderEliminar
  4. Mas que texto tão verdadeiro! Já várias vezes disse ao meu namorado que umas das minhas grandes alegrias era que um filho meu fosse criado com animais de estimação tal como eu. Na minha casa sempre houve cães e gatos. Sempre fui feliz com eles e continuo a ser. Eles são família. Não importa o pêlo, a baba, as coisas estragadas em casa. E mesmo que não sejam os meus, na rua sou capaz de me encantar por um cão ou por um gato. Sou incapaz de passar por um deles e não esboçar um sorriso ou então falar mesmo para eles!!! E acho que nunca ouvi a expressão mas não podia estar mais de acordo com ela, isso é uma benção!
    https://jusajublog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. são os melhores do mundo!! <3

    ResponderEliminar
  6. Olá!

    Eu também adoro animais! Sou uma verdadeira benção e os melhores amigos que podemos ter!
    O teu filho vai gostar de certeza desses seres maravilhosos!

    Beijinhos
    Margarida

    https://minhacasadopatio.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. S, isto não é um ataque pessoal e já foi até falado aqui no blog, eu própria sempre disse a mim mesma que adorava e defendia os animais mas a realidade é que tu adoras animais de ESTIMAÇÃO. Nunca na vida te podes chamar defensora dos animais quando eles estão no teu prato. Eu estou a realçar isto porque eu já estive no teu lugar até ao dia que acordei e percebi a hipocrisia das minhas palavras e maneira de pensar. Eu sei que tu não consideras comer animais como algo errado mas é, quando não há necessidade nenhuma do ser humano comer animais. Pensa no quanto amas o teu cão e gatas e de como eles se sentiriam se vivessem a vida toda enjaulados, aterrorizados, em condições precárias, muitas vezes cobertos das próprias fezes, para depois acabarem mortos ao fim de poucos meses/anos. Essa é a realidade de todos os porcos, vacas, coelhos, galinhas, perus que são vendidos ao público e que vão parar ao teu prato. Reflete sobre isto e depois diz me se amas animais ou se simplesmente amas cães e gatos. Reflete sobre isto e depois diz me afinal que mensagem queres passar ao teu filho. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De cada vez que falo de animais recebo comentários deste tipo. Respeito, mas eu nunca disse que não tinha capacidade ou mentalidade para não comer animais. Admiro profundamente quem o faz, mas estaria a ser hipócrita se dissesse que me faz confusão comer animais. Acredito que comer outros animais é um pouco a lei da vida.

      Eu respeito a vida. Respeito todos os animais. O que não significa que não os coma. Não vale a pena tentar "evangelizar", essa decisão tem de ser muito pessoal.

      Cumprimentos

      Eliminar
    2. A pessoa que fez o comentário inicial pediu uma reflexão e diferenciou animais de animais de estimação. Não me parece que estivesse a envangelizar ninguém, foi apenas uma chamada de atenção e um pedido de compaixão por todos os animais. Como somos educados a tratar uns e outros de diferentes formas, vivemos num paradigma do qual é difícil sair. Há povos que comem cães e gatos o que, segundo o teu argumento, pode-se enquadrar na chamada "lei da vida" e no "respeito" por eles. Lamento, mas prender, tortutar, matar e cozinhar animais não é respeitá-los. Sem dúvida que é uma decisão pessoal, mas assim como te preocupas com os animais de estimação e os defendes de muitas formas diferentes (e quando escreves sobre isso, de certeza que não gostavas que te dissessem que estás a tentar envangelizar os outros), há outras pessoas, como eu e a pessoa que fez o comentário inicial, que defendem todos os animais.

      Eliminar
    3. Eu acho que alguém só pode afirmar com propriedade que não acha errado comer animais (ou, pelo menos, comer animais nas condições em que o fazemos) depois de se informar devidamente. Ler estudos sobre cognição animal, ver documentários como o Earthlings, Dominion, conhecer os argumentos dos filósofos éticos como Peter Singer e Tom Regan. Se depois disto tudo continuarem a defender que comer animais não é errado, considero uma posição informada. Até lá, é só enfiar a cabeça na areia.

      Eliminar
    4. Mesmo se comer animais for a lei da vida (debatível, mas OK), comer animais que sofrem a vida toda para nos servir de alimento é só cruel e desumano. É dizemos que a nossa vida tem tão mais importância que a deles que podem ser tratados como meras mercadorias para nosso usufruto.

      Eliminar
    5. Lei da vida é um urso que caça peixe para se alimentar. Lei da vida é um leão que caça uma gazela quando tem fome. Ir a um supermercado e comprar um bife embalado não é a lei da vida. Lei da vida seria se fosses caçar uma vaca selvagem e a matasses com as tuas próprias mãos. Alguma vez conseguirias fazer isso? Então não digas que isto é a lei da vida.
      Concordo contigo, é uma decisão muito pessoal e cada um de nós leva o seu tempo até chegar “la” mas nos entretantos não andes para aí a dizer que adoras animais, quando isso não é verdade. Espero mesmo que o teu filho goste mais de animais do que tu e que consiga ver que uns não são mais do que outros.

      Eliminar
    6. Eu comi cão há anos numa festa em Timor. É a lei da vida. Entendo perfeitamente a S.

      Eliminar
    7. Concordo a 100% com o comentário! Apregoas-te defensora dos animais, escreves e escreves sobre isso mas estás SEMPRE a falar em animais domésticos. Aliás, sempre a falar de cães e gatos! E podes à vontade dizer que queres que o teu filhos goste e respeite os animais. Mas por favor, não te faças de defensora dos animais. Não és.

      Eliminar
    8. Concordo com o comentário anónimo inicial de que deve haver uma diferenciação entre animais no geral e animais domésticos. A S* de facto sente empatia pelos animais domésticos, tal como eu, e não sente nenhuma objecção de consciência em comer um bom bife no prato com salada e batata frita, também como eu, aliás, só de falar nisso parece que já está a dar-me fome. O que discordo é que digam que seja desumano usar os animais como alimento ou que o ser humano não tenha necessidade nenhuma de comer animais para sobreviver. Com toda a franqueza, o que é que as pessoas entendem por desumano? Será que as pessoas já se esqueceram que antes de sermos humanos somos acima de tudo animais mamíferos, com todas as necessidades animais adjacentes à nossa espécie? Ser humano define apenas a nossa classe animal, não nos torna deuses ou extraterrestres. E os animais comem-se uns aos outros. Lei do Darwin. Ponto. Como é que se poderia dizer que é desumano comer animais se 90% dos humanos o fazem? Acho que ficamos esclarecidos nesta questão. Depois temos a velha questão de saber se temos realmente necessidade de comer animais. Para muita gente, inclusive, o mundo seria perfeito se todos os animais pudessem viver sossegados na natureza sem precisarem de temer o homem. O problema é que grande parte desses animais só existem no mundo para servir precisamente esse fim. É sabido que muitas raças de animais já foram extintas, e se as galinhas, os coelhos, os porcos e as vacas, por exemplo, deixassem de servir como alimento, essas classes de animais seriam também todas extintas porque não tem nenhuma utilidade para a raça humana e está a ocupar espaço e a consumir recursos que vão fazer-lhe falta. Ou esquecem-se que somos cada mais pessoas no mundo? Hoje somos 7,442 bilhões de pessoas no planeta, e daqui 100 anos se calhar seremos o dobro disso. Se comermos vegetais em vez de carne animal, teremos necessidade de eliminar algumas florestas e cultivarmos mais área de campo para produzir o alimento que necessitamos. Menos floresta é igual oxigénio produzido para um numero de pessoas cada vez maior, logo, iria haver uma redução na quantidade e qualidade do oxigénio. E havendo menos espaço de floresta para os outros animais (que vai ser destinado ao homem) de que forma os ditos iam conseguir alimentar-se? iam invadir os espaços cultivados pelo homem? obviamente que seriam caçados e mortos, tal como já foram os lobos, logo, seriam caçados até ficarem extintos. Ou alguém julga que para além de deixarmos de comer carne também seriamos responsáveis por alimentá-los? E dar-lhes cama, mesa e roupa lavada, talvez, quem sabe? Não, não creio que isso possa ser praticável.

      Se temos necessidade de comer carne? talvez não, mas se deixarmos de o fazer mais de metade das raças animais ficariam extintas em menos de 100 anos, e o nosso planeta em vez de verdejante ia ficar mais parecido com a lua...

      Eliminar
    9. Eu costumo vir dizer isto mesmo, mas nenhum destes anónimos sou eu, o que significa que somos muitos e acredito que cada vez seremos mais! Estou tão feliz :)

      Mas continuo sem perceber porque toda gente pode defender as suas ideias e são respeitados, e os vegetarianos se fazem o mesmo são logo catalogados de intolerantes e acusados de evangelizar. Não temos o mesmo direito que os outros têm? Ou será incomodamos porque lá no fundo sabem que temos razão?

      AnaC

      Eliminar
    10. Gente boa, há uma diferença entre dar opinião ou tentar mudar opinião alheia. Como referido, respeito e admiro quem não come animais. Eu não estou com essa vontade ou espírito. Gostaria de estar, mas não estou. Obrigada por todos os comentários, mas aconselharem-me a reflectir sobre o assunto já me soa à tal evangelização Cumprimentos e bom fim-de-semana!

      Eliminar
    11. Eu já acompanho este blog há muitos anos, por isso acho que posso dizer que sei qual é a tua posição em relação a alguns assuntos relacionados com os animais, alimentação incluída. Por isso mesmo, repito que é injusto dizeres que é evangelização. Conversar sobre um determinado tema não é evangelizar. Se fosse, podia dizer que fazes o mesmo quando te pronuncias contra as touradas (chegaste a chamar energúmenos ao aficionados, por exemplo - atenção que concordo com tudo - mas é muito mais radical insultar, do que aconselhar a refletir). A diferença é que vês o mundo dentro do paradigma em que estás inserida. Queres evangelizar alguém ou queres que as touradas acabem? A mesma coisa para nós. Achas que me interessa se comes carne, peixe ou sopa todos os dias? Eu quero é que os animais não sofram. Só isso. Beijinhos

      Eliminar
    12. Se achas que pedirem para refletires sobre algo é evangelizar, o que achas da frase que escreveste em que dizes que tens pena de quem não entende o teu amor pelos animais ? Imagina que era um vegetariano a afirmar que tem pena de quem come animais? A confusão que não gerava!
      Não somos assim tão diferentes. Simplesmente tu defendes cães e gatos, e nós defendemos os animais todos.

      Anac

      Eliminar
    13. Francisco, uns reparos:

      "Os animais comem-se uns aos outros". Alguns animais comem outros animais. 70% dos animais são herbívoros ou frugívoros. O mais acertado para sabermos qual seria a dieta mais natural aos seres humanos é através da comparação com outros primatas, nomeadamente chimpanzés e bonobos. Estes não são vegetarianos estritos, mas são-no maioritariamente, sendo que a pouca proteína animal que obtêm vem de insectos. Nós não precisamos de comer tanta carne quanto comemos e, talvez, não precisemos de todo.

      "Se comermos vegetais em vez de carne animal, teremos necessidade de eliminar algumas florestas e cultivarmos mais área de campo para produzir o alimento que necessitamos". Está enganado, de novo. A maioria dos vegetais produzidos hoje em dia são para consumo dos animais que servem para alimentar os humanos. Veja quantos kg vegetais são necessários para alimentar uma vaca que será depois abatida para alimentar humanos e concluirá (como outros já concluíram) que se trata de uma conversão muito má. Os vegetais que servem de alimento à vaca seriam melhor empregues em alimentar humanos, e alimentariam muitos mais humanos que a carne proveniente da mesma vaca. Informe-se também do papel da produção de gado bovino sobre o efeito de estufa. Aconselho-o, neste sentido, um relatório da ONU chamado Livestock's Long Shadow.

      Por último, o argumento da extinção dessas espécies é uma cópia daquele da extinção do touro bravo à falta de touradas – o Francisco preferia não existir ou existir para ser explorado toda a vida? Note que existe uma diferença entre espécie e indivíduo – será que, para que uma espécie persista no tempo, os indivíduos pertencentes a essa espécie devem sofrer e ser tratados como mercadoria? De qualquer forma, em um e no outro caso, poderão sempre existir santuários animais que permitirão a não extinção dessas espécies.

      Espero ter contribuído para esclarecer algumas das suas dúvidas.

      Eliminar
    14. Anabela, eu não vejo mal em comer animais. A maioria dos animais come outros animais. Vejo é mal nas condições em que mantém alguns animais em vida. Isso sim, pode ser muito criticável e indigno.

      Eliminar
    15. Ana C, eu respeito todos os animais. O que não quer dizer que não os coma. Para mim, as duas coisas não estão associadas. Quanto ao resto, sinceramente, acho que estão a discutir um assunto sobre o qual não escrevi. Lamento, mas já foram dezenas os posts em que entrei nesta discussão e não vejo necessidade de estar sempre a escrever o mesmo.

      Acho mesmo mesmo mesmo louvável a força de vontade é de carácter de quem não come animais. Eu não consigo ser assim - embora admire profundamente quem o faz.

      Cumprimentos.

      Eliminar
    16. Muito politicamente correcta, mas não respondeste à pergunta. Se dizer a alguém para reflectir sobre alguma coisa é evangelizar, o que dizer de quem afirma ter pena de quem não é igual a si?

      AnaC

      Eliminar
    17. Ana, é tudo menos evangelizar. É somente uma opinião.

      Eu também não gosto de touradas, mas não vou tentar convencer quem gosta a não gostar. Não acho que seja tarefa minha e acho que, quem gosta, não vai deixar de gostar só por me ouvir. A mesma situação aqui... Eu não vou deixar de comer carne porque me vêm dizer para não comer. Terá de ser uma decisão pessoal, fruto de uma reflexão interior.

      Eliminar
    18. Pode ser considerado pior que evangelizar, porque com isso afirmas que tu é que estas correcta e quem não é igual a ti é digno de pena...

      E repara que a anónima inicial não te disse para deixar de comer carne, disse que não podes considerar-te defensora de animais porque só defendes os cães e gatos. Mas porcos vacas etc não são coisas.

      Bom fim de semana

      AnaC

      Eliminar
    19. Para a próxima em vez de escreveres “animais“ escreve “cães e gatos”.

      Eliminar
    20. Mas S., foi essa reflexão interior que te pedi para fazeres no primeiro comentário. Pedir para refletires significa que quero que tired as tuas próprias conclusões sozinha. Agora, por favor para de dizer que respeitas todos os animais se depois pagas a alguém para os torturar, violar, explorar e por fim matar esses animais. Infelizmente é impossível ter um bife no prato sem ter isso tudo associado, por muito que achas que não.

      Eliminar
  8. Não fui habituada a crescer e a conviver com animais mas quando tiver um filho vou querer que conviva com eles desde pequenino :) Beijinhos*

    ResponderEliminar
  9. Uma missão de vida muito nobre, amiga S*, devo dizê-lo. Contudo, será sensato não depositar demasiadas expectativas no sucesso dessa demanda para o caso de algo não correr bem. Sabes que os filhos tem sempre tendência para se demarcar dos pais em tudo aquilo que fazem, para que a sua geração não seja confundida com a deles e possa distinguir-se. Todos nós desejamos que os nossos filhos recebam bons valores e procurem ser boas pessoas na vida mas se eles tiverem a natureza de serem mauzinhos, não há nada a fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso estar a interpretar mal este comentário mas não concordo muito. Nesta situação específica acho que será quase certo que o Rafael vá gostar de animais uma vez que vai crescer rodeado deles (casa dos pais, tios, avós e tios-avós). Acho mesmo que será difícil ele vir a ser um nojentinho com pêlos ou a não gostar de animais (a não ser que aconteça algo que o faça ter medo ou desagrado).
      Também não acho que os filhos se tentem demarcar dos pais em tudo o que fazem. A própria S* é exemplo disso: os pais e avós adoram animais e ela não foi para o lado oposto. Eu também não me lembro de querer demarcar-me dos meus pais nem os meus amigos dos pais deles, para que a minha geração não fosse confundida com a deles. Aliás, sempre achei que lhes ia seguir os passos. :)

      Eliminar
    2. Eu nunca me demarquei dos meus pais. Aprendi imenso com os valores da minha família. No limite, acho que melhorei alguns aspectos... Mas tudo o que têm de bom, aprendi com eles.

      Eliminar
  10. Eu não ligo muito a animais, nem me despertam esses sentimentos. E, certamente, não faço uma prioridade de tentar que o meu filho os adore assim. Porém, faço questão que ele entenda que é errado tratá-los mal, que ele perceba que os animais merecem que os tratem com carinho e dignidade, que saiba que não é correcto abandoná-los. Ele não é apaixonadíssimo por animais, apesar de gostar mais deles do que eu, mas sabe tudo isso. Compreende a necessidade de tratar bem um animal e de respeitá-lo. E isso já me deixa orgulhosa :) são bons valores os que estás a tentar passar ao Rafael.

    ResponderEliminar
  11. Olá S*
    Não podíamos estar mais de acordo com o teu post.
    Nós ADORAMOS animais. Já não podemos viver sem os nossos 3 cães, gato e porquinha da índia ( e mais 5 gatos vadios que apareceram lá em casa e que alimentamos diariamente).
    A vida sem animais não faz sentido. É o amor incondicional!!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Mágico é mesmo a palavra. Quantas vezes tenho um dia menos bom e só de os abraçar tudo muda?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares