(bocejo)


Aqui por casa, tornou-se habitual ir para a cama às 22 horas. E só não vou para a cama (ainda mais) com as galinhas porque acabamos sempre a jantar tarde e a más horas.

Filmes? Séries? Livros?

Eu quero é o vale dos lençóis...

Comentários

  1. E vale a pena? Abdicares de tanto de ti e do teu tempo por um filho?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, mas quando uma pessoa percebe isso já os bebés estão fora da garantia e as lojas não os aceitam de volta. No fundo é um péssimo negócio. É como os casamentos. Tenho um amigo que diz "toda a gente sabe que casar é um erro e mesmo assim vai fazê-lo". É isto, erros atrás de erros e não aprendemos ao fim de milhares de anos de humanidade. :)

      Eliminar
    2. É verdade... melhor devolver o miúdo agora...

      Eliminar
    3. Realmente...por um filho. Essa coisa insignificante, não é? Sorte a sua que a sua mãe não pensou assim. Sim, porque nem todos temos de ser pais, mas todos somos filhos. Cada um sabe do que quer para a sua vida e quais as prioridades. Mas saiba que mesmo com filhos é possível ir acompanhando séries, ler... Algumas pessoas têm mais facilidade que outras em aguentar o sono, em organizar-se...tambem depende da nossa logística diária e horários de trabalho, bem como horários de trabalho do pai, aspetos que não iguais em todos os lares. E depois há ainda a questão de se falar de um bebé, há fases em que exigem mais de nós, mas gradualmente vao sendo mais independentes e é possivel retomar velhos hábitos. Ou não, porque se alguém preferir dormir em vez de lazer, qual o mal? Também há fases de trabalho assim. Valerá a pena abdicar pelo emprego de tanto de nós?

      Eliminar
    4. Eu juro que tive de ler e reler para acreditar em semelhante comentário.

      Eliminar
    5. "...por um filho." O tom depreciativo, o nível de desprezo e desdém contido nestas três palavras dá-me muito, muito, muito nojo.

      Eliminar
    6. Realmente S* Maria, não veres séries ou leres livros por causa de um filho, tsss tsss! (que direi eu que não tenho tido tempo para ler ou ver por causa do trabalho!)

      Eliminar
    7. Vale muito a pena tudo o que se "perde" por um filho. Por um lado é uma questão de tempo até termos tempo novamente para o que mais gostamos (eu tirei uma licenciatura e um mestrado já depois de ser mãe e tive melhores notas que a grande maioria na mesma ) depois dá-nos uma motivação enorme para tudo. Não duvido que se não tivesse o meu filho não me teria esforçado tanto para obter bons resultados.

      E assim que se tornam um pouco mais independentes e começam a dormir melhor voltamos a ter tempo para fazer inúmeras coisas. E temos o prazer da companhia deles, do amor incondicional, dos sorrisos, dos abraços e de ver e ajudar na formação de um ser humano brilhante.
      É tão bom que fui ao segundo apesar de ter gravidezes de alto risco.

      Mas se a anónima acha que não vale a pena e que não se vê nesse papel não tenha filhos. Problema resolvido.

      Eliminar
    8. Nao fui eu q comentei mas realmente nao percebo pq foram tao agressivos na resposta. Pode perfeitamente ser uma pergunta sincera. Se procurarem na net vêm grupos de mulheres e estudos sobre quem se arrependeu de ser mae. Sao raros é certo, mas acontece. Nem toda a gente é altruista p fazer todos os sacrificios q um filho exige. E nao é a mesma coisa do q trabalho: eu sou obrigada a trabalhar p ter dinheiro p comer, ter casa, etc. Mas nao sou obrigada a ter um filho.

      Ter nojo de quem nao quer ter filhos por entre outras coisas nao prescindir do seu tempo pessoal? Chamar-lhe amarga? Quem diz isso é q me choca pela falta de respeito e tolerancia p com ideias diferentes. Que tristeza de comentarios.

      Filipa

      Eliminar
    9. Filipa, ninguém tem nojo de quem não quer filhos. Entendo, de verdade, e respeito imenso. Mas acho uma faltinha de respeito fazer um comentário desses a quem (eu!!) tem um filho de 11 meses e meio. ;)

      Eliminar
    10. Fui eu que fiz o comentário de ter nojo e repare, não tenho nojo algum de quem não quer ter filhos. Acho uma decisão tão válida como ter. Até porque eu própria não tenho bem sei quando me vou decidir a isso. O que me deu nojo foi mesmo o tom depreciativo das palavras, como se quem decide ter filhos estivesse a cometer um grave erro.

      Eliminar
    11. Filipa, me pergunto se tu realmente nao entendeu o comentario ou esta apenas fingindo que nao?! Ninguem disse ter nojo de quem nao quer ter filho, mas sim do desdem com o qual tal pessoa se refere a um filho ou a ter um filho e aos esforcos feitos em prol do bem-estar do mesmo, pequenos sacrificios necessarios como nao ter mais tempo para si mesma. E sim, fazer um comentario desse denota uma certa amargura. Mas a mesma pode comentar o que quiser, mas que tera resposta tera, assim como ela pode tambem podemos.

      Eliminar
    12. Na net so se le palavras, nao ha expressao corporal ou tom de voz, por isso acho mesmo incrivel quem leu aquele comentario com uma frase tao simples e dali deduziu um "tom depreciativo" e "desdem".

      Eu no meu caso nao tenho filhos, nao tenho vontade nenhuma de os ter mas por razoes pessoais pondero seriamente em te-los , por isso muitas vezes me debato c estas questoes: sera q vou conseguir? Ou vou estar altamente frustrada c o q vou abdicar?

      Quando comecei a ler o comentario pareceu-m de facto uma pergunta genuina, é so a minha opiniao. Ja percebi q têm tds uma ideia diferente, mas podiam tb parar p pensar q podem estar enganados.

      S* eu nunca iria fazer essa pergunta pq a S* tem um blog publico onde se identifica por isso nunca iria dar uma resposta sincera (caso fosse negativa) por receio da familia ler ou um dia mais tarde o proprio filho. Se fosse um blog anonimo ate poderia ter perguntado.

      Sabem q nao é facil, estar deste lado, ter estas ideias/duvidas e nao ter ninguem c quem falar. Pena q seja um anonimo em vez de alguem com user/blog pois eu iria certamente continuar a conversa. Pelo menos sei q nao sou a unica com estas questoes...

      Filipa

      Eliminar
    13. Felipa, nao ver problema num comentario desse e ainda deturpar o que disseram acima demonstra que o problema esta em ti, nao em quem respondeu a anonima.

      Eliminar
    14. Ainda assim, e respondendo à pergunta não vá ela ser a sério :), para mim vale a pena, sim. Há dias em que não sinto isso, em que estou cansada, ela está implicativa, e eu sinto que me apetece voltar atrás e não me meter nesta aventura de ter sido mãe porque tenho saudades da vida mais livre e fácil que tinha antes de ser mãe. Ou simplesmente saudades de um fim-de-semana sem nada para fazer sem ser ler um livro. Mas depois há os outros dias todos que compensam estes e por isso no fim vale a pena. :)

      É como a escola. Às vezes sinto saudades do tempo de escola, das férias de 3 meses, de não haver grandes responsabilidades, dos horários, mas teria valido a pena ficar na escola para sempre em vez de ingressar na vida adulta? Não, porque a vida de adulta traz também coisas muito boas. :) Às vezes temos saudades das coisas boas de “antes” mas no geral “o depois” compensa.

      Claro que haverá pessoas para quem “o depois” não compensa nada e haverá pessoas que nunca sentem saudades do “antes”. :)

      Eliminar
    15. Fui eu que fiz o comentário e era, de facto, uma pergunta sincera. Não consigo realmente compreender o que move a maioria das pessoas a embarcar, conscientemente, em algo que lhes vai tirar tanto. E não, amigas, não sou amargurada, sou jovem e poderia ter uma ninhada de filhos caso o desejasse.

      Eliminar
    16. eu sigo o blog da Teté e ela ainda agora fez um post fantastico, aberto e tolerante falando de uma conversa que teve com o marido sobre este assunto:

      http://andolaporfora.blogspot.com.es/2018/05/se-voltasses-atras-sabendo-o-que-e-ser.html

      É pena que nem todos sejam assim e começam logo a atacar e levar para a maldade. Na minha vida já tive pessoas com quem consegui uma conversa perfeitamente franca e honesta sobre este assunto e outras que se passam logo da cabeça e me insultam.... enfim....é uma irracionalidade completamente incompreensivel quando se fala do tema filhos, não consigo perceber porquê.

      @ Anonimo das 10:37, eu também não percebo e cada vez mais, à medida que passam os anos e vejo as pessoas ao meu lado a terem filhos, percebo menos. No trabalho chegam todos os dias a queixar-se que dormiram pouco, que o bebé está doente e tiveram de ficar em casa, que se vomitou quando sairam e tiveram de trocar a roupa toda outra vez, que nos fins de semana têm de ir para o parque brincar com eles e nao podem ficar a ver series, que durante a semana é uma correria para ir buscar à creche, e é um filme para fazer jantar e lavar e passar tanta roupa, etc, etc, etc, e eu um dia la perguntei "entao mas se voces se queixam TODOS os dias, nunca ouvi ninguem a dizer nada de bom, para que é que tiveram filhos?", ninguem me insultou, simplesmente explicaram que o amor que têm pelos filhos é superior a isso e compensa tudo. Uma mãe até me disse "podes escrever num lado de uma folha dezenas de pontos negativos sobre ter filhos, e noutro lado escreves so amor, e garanto-te que o lado do amor pesa mais". Pronto, sao opinioes, felizmente trabalho com pessoais tolerantes que conseguem ter uma conversa civilizada sobre o assunto.

      E já agora, um pormenor "engraçado": nunca tive ninguem a dizer-me "ai um dia vais ter filhos e vai ser lindo e vais ter tanto amor e mimimi", mas ja tive varias pessoas a dizer-me "ai foste jantar fora? qd tiveres filhos isso acaba-se" "ai foste fazer uma viagem de mochila às costas? ai qd tiveres filhos so podes ir p resorts c td incluido", "ai ficas no sabado de manha a dormir? qd tiveres filhos levantas logo às 7h se nao for antes", etc , etc. Dizem isto com uma raiva latente, como uma ameaça e aí sim com um desdem, por quem tem ainda este tipo de vida. Por isso não percebo qd ficam surpresas de eu nao querer ser mae, ora, com base em tudo o que vou ouvindo parece um filme de terror e cada vez da menos vontade

      Eliminar
    17. S*

      Não terá ido um comentário meu para o SPAM? :) Tinha escrito um antes daquele em que começo por "Ainda assim..." :)
      Basicamente dizia que lendo a pergunta, acho que facilmente se lê um tom implicante porque é isso que tem surgido noutros blogues. Já vi agora, num comentário mais abaixo, que era uma pergunta sincera.

      É engraçado que nisto da maternidade, se se diz só coisas boas acusam as mães de mentir e tornar a maternidade cor-de-rosa mas se se refere as coisas menos boas logo haverá quem pergunte o porquê de tanto sacrifício. :)

      Para quem não tem filhos é importante perceber que as fases menos boas são isso mesmo, apenas fases. :) A S*, ao ter um filho, não abdicou de ver séries, ler livros e filmes para o resto da vida. :) Se bem percebi anda mais cansada agora porque o Rafael acorda às 6h da manhã. Obviamente que ele não vai acordar a esta hora para o resto da vida (se acordar, então é mesmo razão para o devolver à loja! :D ), por isso nesta fase é normal andar mais cansada. Mas ele já andou a dormir bem melhor e nessa altura daria para ver mais séries. São fases. :)

      Ainda assim, sim, é um compromisso para a vida. Mas também depende do tipo de pais que querem ser. Há pais que fazem viagens de mochila com os filhos, há pais com bom apoio familiar e que deixam desde cedo os bebés a passar dias e noites com os avós, por exemplo. A Maçã de Eva por exemplo já foi de férias algumas vezes sem a bebé logo no 1° ano de vida. O próprio bebé determina muita coisa.Eu tenho uma bebé oposta a muitas coisas que me disseram que ia ser...
      No fundo, eu acho (visão obviamente muito pessoal :) ) que vale a pena ter filhos pelo amor, pela possibilidade de ver um ser humano a desenvolver-se à nossa frente, para aprendermos e ensinarmos coisas, mas isso não me impediu de ainda há dias dizer a um casal que se casa este ano e que têm menos de 25 anos que de facto é boa ideia esperarem mais uns anos antes de serem pais para poderem aproveitar uma vida a dois mais livre em termos de horários. No fundo, cada fase tem as suas coisas boas (como a escola e a vida adulta, no exemplo mais acima). :)
      Isto, claro, quem quer ter filhos. Se alguém não quer, não acho que valha a pena ter.

      Eliminar
    18. Tété, não encontrei nada no spam... :)

      Eu ando cansada porque o meu rapaz anda a acordar diversas vezes durante a noite e acorda às 6 da matina. Por mais cedo que eu me deite, ando a dormir 5 ou 6 horas por dia, nos bons dias, o que é manifestamente insuficiente para mim. Mas isso não significa que não deva ou não queira filhos, por Deus. Agora posso queixar-me do cansaço. :P

      Eliminar
    19. Ora bolas, quando comento no telemóvel é um bocado roleta russa, às vezes submete outras vezes não. :/

      Eu não acho que tenhas de te justificar. ;) Uma das fases mais cansativas que tive depois da Mini-Tété nascer, andava ela a dormir 12h seguidas à noite. :D Isto para dizer que é possível andarmos cansadas sem ser porque o bebé acorda de noite ou acorda cedo, são outras coisas da vida. :) Ainda esta semana dormi uma noite de apenas 1 hora (!!) e a pobre Mini-Tété dormia sossegadita. Foi o Jack que me pediu ajuda num trabalho. :D Epah, ter filhos até foi boa ideia, se calhar casar é que não..Ahah. :D

      Claro que nos podemos queixar do cansaço. Da mesma forma que podemos falar do quanto gostamos daqueles beijos que deixam rios de babas ou de como batemos palmas a primeira vez que dão passos sozinhos. A maternidade faz parte da vida e se a vida não é sempre cor-de-rosa nem negra, se há coisas boas e coisas menos boas, se há cansaço, se há felicidade, se há frustração, se há amor, e se falamos sobre tudo isto, porque não haveríamos de o fazer no que respeita à maternidade, que é apenas e só uma parte da vida? :D

      Eliminar
    20. Teté e S* , so para clarificar o meu comentario acima: eu estava a referir-me a colegas de trabalho que efectivamente so falam da parte negativa, é q ate termos aquela conversa acho q nem eles reparavam q chegavam ao trabalho e so se queixavam dos filhos. Acabaram por dizer meio a brincar, meio a serio q iam tentar se queixar menos pq assim so me estavam a influenciar p nao ser mae. No extremo oposto ha blogs em q so falam da parte cor de rosa. No vosso caso, em ambos os blogs ha posts "cor de rosa" e ha posts "de queixas" mas estao equilibrados.

      Filipa

      Eliminar
    21. Tete, exatamente. Nao quer dizer que a mae e tambem o pai nunca mais terao tempo para ver uma serie ou ler um livro, os filhos logo crescem e tornam-se mais independentes, ou mesmo antes de crescerem mais tal fase pode passar e o bebe pode voltar a dormir mais deixando assim os pais com mais tempo livre. Para mim os pros de ser mae sao muito maiores que os contras, mas ha quem nao queira e pense diferente e isto e com eles. Cada um e de um jeito. Chata e esta gente que vem logo se vitimizar e dizer que estao atacando alguem por a mesma nao querer ter filho, o que nao e em absoluto verdade, nao nesta discussao aqui pelo menos.

      Eliminar
    22. Filipa

      Sim, eu percebi. :) A minha generalização (de que se se fala bem, queixam-se de que se está a romantizar a maternidade, se se fala menos bem, tudo parece um calvário) não lhe era dirigida. :) Era apenas uma generalização. :)
      Espero que as suas colegas já façam menos queixas (não para a convencer a ser mãe mas também porque ninguém merece ouvir queixas dos filhos dos outros todos os dias :D).

      Eliminar
  2. Eu até gostava de dormir mais um pouco. Mas deito-me sempre exageradamente tarde.
    Ontem por exemplo, que vinha de um fim-de-semana em que dormi muito pouco e foi muito cansativo aterrei por volta das nove. Acordei por volta da meia-noite e foi olho aberto até às três.
    Por isso para mim deitar cedo ainda é pior.

    ResponderEliminar
  3. É tudo uma questão de organização. Se nunca viste séries ou leste livros não é agora com falar de tempo que vais começar a ler ou a ver alguma coisa.
    Eu sempre li, mesmo com os dois bebezinhos. Quando se gosta há tempo para tudo. Mas lá está, é preciso gosto e organização. Uma pessoa que às dez da noite está a acabar de fazer a sopa, realmente é difícil ter tempo ou vontade para ler.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sei de onde tirou essas ideias ou de onde as inventou. Eu sempre li bastante. Vá, para a média, acho que leio 'bastante', pelo menos uns 3 ou 4 livros por ano. E, neste momento, sigo 7 séries... não consigo é actualizar todas.

      Se quer criticar-me, ao menos critique com fundamento.

      E não fale de desorganização a alguém que tem distúrbio obsessivo compulsivo na 'vertente' organização, que é o meu caso. Isso é disparate de quem critica por criticar.

      Eliminar
    2. Três ou quatro livros por ano é ler bastante? Três ou quatro livros por mês é ler bastante... por ano é ler pouco ou nada!

      Eliminar
    3. Acho que o anónimo não falou em tom de crítica, ou talvez fosse, mas eu não interpretei assim. Por exemplo, sempre me apercebi que acompanhavas várias séries, mas não que tinhas o hábito de leitura. Não estou a criticar, juro, mas se calhar como falas mais de series retive mais essa informação. Mas olha, não me leves a mal, mas não acho ler 3 ou 4 livros por ano seja bastante :P Tudo depende dos nossos padroes, claro. Eu leio um por mês quando tenho pouco tempo, em fases boas leio dois ou três. Depende de muita coisa, claro, do tamanho do livro, do tipo de escrita... Se calhar prescindo mais das séries quando ando com menos tempo, sinto que a leitura me enriquece mais. Mas cada um com as suas preferências e gostos pessoais!
      Podes sempre ter um livro na mesinha de cabeceira, sem compromisso, é mais prático do que a logística das séries, que obrigam ou a ligar portátil, ou a estar no sofá...e nem que leias 5 páginas ao deitar, são 10 minutinhos! Não tens que o fazer, claro, só dou a sugestão porque é algo que me ajuda a manter a sanidade, a ler nem que sejam duas páginas nos piores dias, porque sinto que não estou a prescindir de tudo e que tenho um pequeno refúgio =)

      Eliminar
    4. Anónimo das 21h33, leia novamente o que escrevi - já que é tão adepto da leitura, convém ler certinho. "Vá, para a média, acho que leio 'bastante', pelo menos uns 3 ou 4 livros por ano". Tenho a certeza absoluta (e já li várias vezes sobre isso) que a grande maioria dos portugueses não lê mais que 2 livros por ano. Portanto, sei que leio acima da média. Evidentemente que não tenho tempo para ler um livro por semana, como fazia em adolescente. É-me manifestamente impossível, com trabalho, bebé, animais, tarefas domésticas. Portanto, se conseguir ler um livro a cada três meses, EU fico contente. Se você quiser ler um livro por dia, é lá consigo. Como eu gosto de livros, mas também gosto de séries, filmes e de fazer 'nenhum', não passo a vida a ler. ;)

      Eliminar
    5. J, respeito totalmente. No entanto, eu não funciono assim. Quando pego num livro, leio-o em dias. Não leio 10 minutos aqui e 10 minutos acolá. A maioria dos livros que eu leio, acabo por ler em dois ou três dias, mesmo que tenham 500 páginas. E como isso implica ter várias horas disponíveis, não é frequente acontecer. :P

      Quanto ao resto, ora, cada um tem os hábitos que mais gosta... eu adoro leitura, mas também gosto de séries, de ver a novela Paixão, de estar simplesmente na ronha, de ver a Passadeira Vermelha... não gosto apenas de ler, pelo que os livros não são a minha única ocupação. São fases.

      Eliminar
  4. Em relação à organização, talvez o anónimo se referisse mais à gestão do tempo do que à organização das coisas em si, de ter as coisas no local... Se tens TOC/POC até é mais difícil gerir o tempo, porque geralmente acaba-se por perder mais tempo com as tarefas, por se querer tudo impecável. Um beijinho e melhores dias virão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não demoro muito tempo na tarefas, sou apenas metódica, organizada e mantenho tudo na mesma ordem - e faço tudo na mesma ordem. ;)

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares