sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Odiozinho de estimação


Gente que acha por bem entrar em comércio/serviços à hora de fecho, esquecendo-se que os funcionários ou os responsáveis da casa também têm vida. Atenção que por "hora de fecho" refiro-me mesmo à hora de fecho ou um ou dois minutos antes. Especialmente se acabarem por não comprar nada - ou seja, não tinham uma ideia pré-definida para a compra/aquisição de serviços.

Os funcionários ou os donos da loja também têm vida para além da loja. Têm compromissos familiares. Filhos para irem buscar à escolinha. Têm jantares marcados. Têm transportes para apanhar. Têm obrigações pós-laborais. 

É algo que me faz muita confusão, porque parece que muitas pessoas não calçam os sapatos dos outros. São apenas 10 minutinhos para o cliente, mas para o funcionário da loja pode ser o suficiente para, por exemplo, perder o autocarro. São só umas pecinhas de roupa que o cliente experimenta, mas para o funcionário pode ser motivo para mais uns dez minutos extra de trabalho a arrumar tudo. Pode ser a diferença entre bater a porta e sair ou ter de voltar a abrir a caixa, ligar o multibanco (ou não!) e refazer as contas do dia. 

O meu limite máximo é entrar cinco minutos antes da hora de fecho e apenas se sei o que quero e sou rápida a escolher. Se precisar de vestir, experimentar ou ver mais coisas, prefiro voltar outra hora. Talvez porque já trabalhei em duas lojas e sei o que a casa gasta... 


79 comentários:

  1. Admito que as pessoas não façam por mal, e em algumas situações, o façam apenas porque precisam mesmo ou não têm horário alternativo.
    Mas de facto pecamos, muitas vezes, por não conseguirmos pôr-nos no lugar do outro!

    ResponderEliminar
  2. 100 % de acordo. Afinal todos temos vida para além do trabalho :)

    ResponderEliminar
  3. Aqui deparo-me com outro problema, na óptica do consumidor. São inúmeros os serviços onde se tentar entrar 15 minutos antes da hora de fecho, já não me deixam. E é frustrante porque sabes que determinado serviço fecha às 16h, chegas às 15h45 a achar que conseguiste chegar a tempo e afinal...
    O hipermercado onde faço compras fecha às 20h. Às 19h40 o segurança começa a dizer para as pessoas irem pagar. E se disseres que ainda vais buscar uma ou outra coisa (ainda tens 20 minutos até a loja fechar!), ele vai atrás de ti a fazer pressão, para ter a certeza que naqueles 20 minutos pegas nas coisas, pagas e sais, para às 20h trancar a porta. E eu compreendo que seja para que os funcionários saiam a horas, mas se é para saírem àquela hora em ponto, então digam que o horário aberto ao público é até às 19h45 ou mesmo 19h30. Assim ninguém entra depois disso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Totalmente! Acontece-me o mesmo na companhia das sandes.. fecha às 22h00 mas às 21h30 já não querem vender um monte de cosias porque a máquina já foi limpa

      Eliminar
    2. Também já ne recusaram um tosta de queijo às 18 horas quando o espaço fechava uma hora depois. Obviamente errado. :)

      Eliminar
  4. E se esse cliente tem um horário laboral que o impede de visitar a sua loja e consegui nesse dia sair mais cedo e aproveitou esse seu tempo para, mesmo em cima da hora de fecho, conhecer a sua loja, coisa que ambicionava há muito tempo?
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, lamento mas continuo a achar igual. Eu tenho horário de saída às 19. Às 19 horas fecha a grande maioria do comércio. Quando quero MESMO, tento entrar mais cedo para entrar mais cedo. Tento ajustar a hora de almoço para poder ir à loja - sendo que a maioria das lojas fecha ao almoço, pelo que adianto ou atraso o meu horário. Vou ao sábado. Prejudicar os outros é que não me parece opção.

      Também eu trabalhei num shopping do Porto, saía às 23 horas e apanhava autocarro para casa. Perdi a conta ao número de vezes em que eu, jovem de 20 anos, tinha de andar a pé à noite, por ruas pouco famosas, por causa dos que insistiam em passear na loja.

      Eliminar
    2. Entrar mais cedo para sair mais cedo ***

      Eliminar
  5. Lá está. Faço exatamente como tu porque sei muito bem como é. É difícil as pessoas colocarem-se no lugar do outro.
    Já trabalhei numa loja no colombo e precisava de apanhar o autocarro para Odivelas às 00H10. Se não fechasse a loja às 00h00 simplesmente perdia o autocarro e tinha de ir de táxi o que significava que naquele dia teria trabalhado "de graça".
    Era muito complicado ver pessoas a entrar e ficar até depois das 00h00 e praticamente ter que implorar que escolhessem ou voltassem outro dia porque tinha que apanhar o autocarro. Era uma sensação muito estranha da qual não tenho saudades nenhuma. Para dizer a verdade... os piores trabalhos que tive (e já tive muitos) foram de atendimento ao público.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será um misto de irritação, culpa e vergonha. Nem sei bem explicar, mas também já o senti.

      Um colega de trabalho fechou o balcão para tratar das contas, estava na hora dele sair. Estava a chegar uma senhora que ele encaminhou para o balcão ao lado, que até estava vazio. A mulher fez o que tinha a fazer e pediu o livro de reclamações à colega que a atendeu e a identificação do colega que tinha fechado o balcão. Fez uma reclamação porque o colega fechou o balcão quando a viu e não adiantou explicar o horário dos funcionários, o procedimento de fecho de contas, nem o facto de a colega a ter atendido logo. Para aquela senhora, ao ver um cliente aproximar-se, nós não podemos fechar o balcão, mesmo que o do lado esteja aberto e sem ninguém! Há pessoas absurdas.

      Mas depois também há quem seja compreensivo e que agradeça a mais pequena coisa, como se lhes tivéssemos feito a coisa mais extraordinária de sempre. São essas pessoas que me fazem continuar todos os dias.

      Eliminar
  6. Este post é só estúpido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois. E o seu comentário não.

      Eliminar
    2. É por isso que eu adoro os comentários "Anónimos". São tão riquinhos e fofinhos que quase temos vontade de fazer-lhes festinhas na cabecinha quando eles estão com a língua de fora... :)))

      Eliminar
  7. Temos fama de ser um povo altruísta mas é nestas horas e sobretudo nestes pequenos detalhes que revelamos a preocupação, respeito e consideração, que temos uns pelos outros.

    Sim, eu sei, este comentário foi realmente mau. :)

    ResponderEliminar
  8. Deve ser por essas e por outras que aqui por terras de Asterix te rosnam quando entras na loja e falta meia hora para fechar...

    ResponderEliminar
  9. Trabalhei durante muitos anos em lojas e sei o que isso é. O pior era qd era hora de fechar e ainda tinhas 20 e muitas senhas para atender. Muito frustrante e desesperante. Mas é assim que as coisas são ainda mais quando estás num sitio que vende serviços.

    ResponderEliminar
  10. Eu tento sempre evitar, até porque já trabalhei numa loja e sei bem o que custa nunca conseguir sair a horas.

    ResponderEliminar
  11. Nao sei aonde que temos fama de ser um povo altruista. Dessa nao sabia. lol

    ResponderEliminar
  12. quando trabalhei no supermercado o meu colega imprimiu um meme que dizia "você é daqueles que gosta de entrar na loja na hora do fecho? eu também gosto de lavar o chão com gasolina e chegar um isqueiro" 😂 violento mas funcionava sempre

    ResponderEliminar
  13. Por acaso também é uma coisa que me incomoda, também já trabalhei em lojas e sei o que é.
    Enfim...

    ResponderEliminar
  14. Já me aconteceu muitas vezes enquanto prestador de serviços e por gente que até está em casa quase todo o dia paredes meias com o local onde trabalho.É assim o português a decidir-se nao apenas sobre o que quer mas quando o fazer como com as compras do natal. Em ambas as situações além do prejuízo que pode causar ao funcionário em termos de horários arrisca-se também a já não encontrar o que quer.

    ResponderEliminar
  15. Na loja onde eu trabalhei, fechavamos as portas às 23h. Supostamente. Não podíamos limpar nada sem a porta estar fechada. Ir arrumando as roupas e provadores fazíamos desde as 20h, mas chegávamos às 23h com a loja virado do avesso na mesma. O que significava que, depois das 23h (quando os clientes não decidiam sair de lá às 23h15, 23h30...), fazíamos fecho de caixa (que demora imenso tempo!), arrumar roupas de novo e limpar o chão, etc. Nunca saí da loja às 23h. Em dias "santos", saíamos às 23h30, com muita sorte. Cheguei a ficar na loja até às 3h da manhã a arrumar as roupas que as pessoas deitavam ao chão... Claro que, depois das 23h ninguém nos pagava nem mais um minuto extra. Sempre que fazia fecho, saía pelo menos meia/uma hora mais tarde. Trabalhava esse tempo de graça! Tudo porque as pessoas não podem ver uma loja arrumada que têm que ir desarrumar. Se sabem que a loja fecha Às 23h, vão à loja às 22h55. E os patrões não tinham dois dedos de testa para nos colocar em horário até às 23h30, dando ao menos meia hora paga para fechar.

    Quem pensa que trabalhar em lojas não cansa nada, que é só estar lá bonitinho a dizer "bom dia, precisa de ajuda?" merecia ir trabalhar para uma loja dois ou três dias para ver o que custa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trabalhei numa loja de shopping onde a porta obviamente nunca fechava antes das 23 horas. Às 23 horas em ponto tocava o sinal e tínhamos de baixar o portão até meio - mas nunca mandar o cliente sair. O último cliente costumava sair cinco minutos depois e só podíamos começar a contar dinheiro + recontar dinheiro quando saísse... bem como ir levar o lixo à zona da cava. Nunca saíamos antes das 23h25/23h30... e o horário era até às 23 horas. Pois.

      Eliminar
    2. Talvez esse seja o ponto a mudar. Se a loja fecha às 23h, é pedir a essa hora aos clientes que se dirijam à caixa para pagar ou que saiam. Não poder dizer nada aos clientes não é de facto um boa solução. Eu admito que já cheguei a entrar em lojas que pensava fecharem só daí a uma ou duas horas e afinal 15 minutos depois estão a fechar tudo (sobretudo aqui em França por fecharem mais cedo que em Portugal e uma pessoa baralha-se...). Se eu não estiver atenta, o melhor seria o empregado dizer-me que a loja vai fechar para eu não andar por lá passear-me já depois da hora prevista. :) Porque lá está, eu posso entrar às 18h58 numa loja que fecha às 19h sem reparar neste facto e embora seja chato ouvir "Desculpe, mas vamos fechar" 2 minutos depois de ter entrado, não posso fazer mais nada senão sair e aprender que aquela loja fecha mais cedo do que penso.:P Aqui em França acontece-me isto (mas eles abusam como disse em acima e 20-30 minutos antes já andam a expulsar os clientes). :)

      Eliminar
  16. Nunca trabalhei em lojas, mas nas empresas onde trabalhei acontecia muitas vezes há hora de almoço haver clientes para atender e o que é que acontecia, à pois, ficava a atender os clientes e quando dava por ela já nem podia almoçar porque já estava na hora de voltar ao trabalho. Agora, como é uma empresa de transportes por vezes tenho motoristas a chegar à hora de almoço e mais uma vez ou almoço em minutos ou não almoço... custa-me voltar as costas às pessoas ou pedir para voltarem mais tarde, sei que é o que devia fazer porque se for a algum lado chega a hora de fecho e fecham a porta mas eu não consigo ser assim e depois sou eu que ficou a perder. Não sei como é nos outros sítios mas nas 3 empresas onde trabalhei, trabalhar nas horas de almoço, antes ou depois do horário de trabalho ninguém nos paga mais por isso, não é só os empregados das lojas, os empregados de escritório também sofrem do mesmo, se bem que eu tinha colegas que iam embora e não queriam saber se havia clientes ou não...

    ResponderEliminar
  17. Trabalhei muito tempo com o meu pai na loja dele, cujo horário de fecho é às 19:00. Juro, apareciam pessoas dois minutos antes SÓ para ficarem na conversa com o meu pai e eu, claro, enervava-me. Cheguei a ficar na loja uma hora e meia a mais do que o normal por causa dessa brincadeirinha.

    ResponderEliminar
  18. Ah como eu gosto de pessoas nas lojas (!!!).
    Trabalhei num hiper e no dia 24 de dezembro fechava às 18h mas depois ficavamos a desmontar a campanha de natal e cheguei a sair às 20h e a ver pessoas a estacionarem o carro para ir lá dentro. Óbvio q batiam com o nariz na porta e ainda exclamavam "oh já está fechado!".
    O mesmo na passagem do ano.
    Ou termos fechado às 23h e andar uma única cliente nas calmas a fazer as compras 15m depois e nós já a metermos paletes no meio dos corredores com material e nem isso a fazer abrir os olhos, ter o segurança q ir avisar.

    Gosto muito de pessoas com falta de noção! (Not!)

    ResponderEliminar
  19. Mas a Loja não está aberta até à hora de fecho? Não percebo qual o problema. Então teriam que por a loja a fechar mais cedo para vos agradar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que não há para perceber? Se a loja fecha às 19, o cliente deve sair a essa hora. Não dez ou vinte minutos depois. :) se entrar às 18:55 mas sair às 19, nada a criticar!

      Eliminar
  20. Em parte concordo contigo. Eu tenho sempre vergonha de entrar em lojas perto da hora do fecho e se lá andar dentro e chega a hora de fechar, trato logo de me despachar. Sei que há pessoas que não fazem assim. No entanto, no exemplo de lojas de shopping, o patrão é que deve ter noção que o horário laboral do empregado não pode bater certo com a hora de fecho da loja. Obviamente, há uma série de procedimentos que têm de ser feitos sem clientes na loja, portanto o horário laboral do empregado deve contemplar isso. A mesma lógica, no meu entender, se aplica ao caso do comércio tradicional. Acho irrealista um dono/empregado achar que vai conseguir sair às 19h se a hora de fecho da loja é às 19h... Sinceramente, não acho que deva ficar zangado porque vai ter de abrir a caixa de novo, porque é sinal que a fechou antes da hora de fecho da loja ;) Repito que acho pouco simpático entrar em qualquer loja perto da hora de fecho, mas daí a ficar irritado com o cliente se este for minimamente despachado... Se for só para passear, realmente é porque é só parvo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se uma pessoa fecha a caixa às 18:58, não está a fechar antes da hora. A essa hora ninguém devia entrar... mas entram. Muito. E prolongam-se. Na primeira loja onde trabalhei chegava a estar meia hora com clientes fora de horas.

      Eliminar
    2. Desculpa, mas se a hora de fecho é às 19 e a pessoa fecha a caixa às 18.58 não está a fechar antes da hora?

      Eliminar
    3. Está a perder-se num preciosismo. A não ser que o cliente seja o Speedy Gonzalez ou saiba exactamente o artigo que quer, se entrar às 18:58 nunca vai sair às 19 horas em ponto.

      Eliminar
    4. Fui eu que fiz o primeiro comentário. A não ser que o funcionário seja o Speedy Gonzalez, para ter a caixa fechada às 18:58, começou a fechá-la bem antes da hora de fecho (e sim, 18:58 é antes da hora, mas não vou insistir nesse ponto). Acho que isso pode ser feito antes da loja ser fechada, mas se assim for, não compreendo a irritação por ter de voltar a abri-la para fazer a conta a um cliente que entrou entretanto (desde que seja um cliente despachado).
      Alguém comentava mais abaixo que é igualmente irritante tentar ir a uma loja à hora de abertura e dar com o nariz na porta. Engraçado como nesse caso achaste que "toda a gente tem imprevistos". Acho que se queres rigor na hora de fecho, também devias querer na hora de abertura. Dois pesos e duas medidas?

      Eliminar
  21. Confesso que já fui dessas pessoas "parvinhas". Depois de ter o emprego mais horroroso de sempre num restaurante, entendi o significado do que dizes xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pimenta no rabo dos outros é refresco. :D

      Eliminar
  22. Em todo o lado se vê isso. Aqui há uns anos atrás, era um "hábito" ver pessoas a entrarem no Continente, 15 a 20 minutos antes da hora do fecho e fazerem as ditas "compras do mês".

    Mas o pessoal não pensa que quem trabalha em comércio tem vida própria e vida para além do estabelecimento em si?

    Mais: aquelas pessoas que, mesmo com a porta fechada, nos bate à porta com ar carrancudo como quem diz "porque é que não posso entrar?". Dá vontade de dar um par de estalos...

    Enfim...

    Beijinhos,
    Ricardo
    www.opinguimsemasas.pt

    ResponderEliminar
  23. Conheço bem mas bem a sensação! Não consigo entender mas tudo bem... Onde eu trabalho fechamos as lojas à meia noita... e insistem em entrar às 23.59 vezes sem conta... :/

    ResponderEliminar
  24. As pessoas são tão idiotas, que me ultrapassa, a sério. É muita falta de noção ou de empatia para com os outros mesmo. Tão-se borrifando...

    ResponderEliminar
  25. Concordo plenamente contigo e nunca o faço mas também tenho que referir a situação inversa: um estabelecimento que, por exemplo, abriria supostamente às 9h... E, afinal, abre lá para as 9:30h e com sorte! Ou aqueles que decidem prolongar a hora de almoço...
    Já desisti de muitas lojas por causa disto: chegava, batia com o nariz na porta, esperava uns 15/20 minutos... E ia embora de mãos a abanar e, por vezes, já sem tempo de ir a outro sítio alternativo! A sério, respeitem os clientes. Se não conseguem abrir antes de determinada hora, simplesmente não a anunciem como horário de abertura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os horários devem ser cumpridos, claro. Mas no comércio tradicional tento entender, porque costumam ser lojas com patrão e um funcionário, no máximo, e os imprevistos acontecem a toda a gente.

      Eliminar
    2. S*, desculpa mas essa dos "imprevistos acontecem a toda a gente" serve para os dois lados. Quem quer discernimento por parte dos clientes à hora do fecho, tem que ser igualmente rigoroso na hora da abertura.

      Eliminar
  26. Os horários dos colaboradores é que estão mal feitos. E a empresa é que ganha com isso. Eu trabalhei numa recepção que fechava às 19h00 e o meu horário de saída era às 19h30. Para dar tempo de fechar a caixa, a loja e arrumar as coisas. A culpa desta má organização não é do cliente. Se a loja fecha às 19h00, é às 19h00 não é às 18h58 porque os colaboradores têm vida. Os clientes também têm vida.
    Aconteceu-me ter de ir a uma farmácia de urgência e fechava às 21h00. Às 20h55 já não me atenderam. Acham bem?
    Aqui o erro é das empresas que ao colocarem assim os horários ganham horas extras feitas a mais pelos colaboradores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Se a loja fecha às 19h00, é às 19h00 não é às 18h58 porque os colaboradores têm vida."

      Então faça o que tem a fazer nesses 2 minutos, porque eles também não têm a obrigação de ficar lá mais tempo por sua causa.

      Eliminar
    2. Claro que as empresas deveriam colocar essa "margem horária" no horário oficial. Mas isso é nas empresas maiores. No comércio de rua costumam ser negócios familiares. Não existem essas coisas. :) Se o negócio fecha às 19, não é para fechar às 18:58. Porém... quem entra às 18:58 dificilmente está na rua às 19:00, não lhe parece? ;)

      Eliminar
    3. Essa margem de horário por acaso está previsto no código laboral, quando diz que o trabalhador pode ficar uns 15 minutos após o fim do período normal de trabalho, para terminar tarefas (por exemplo, fechar a loja). Podes meter isso num contrato, mas se a lei prevê, também não há obrigatoriedade de colocar.

      Eliminar
    4. Eu saio às 21h, mas o balcão onde trabalho só funciona até às 20h. Já me deparei com pessoas especadas à frente do balcão às 20.45h, já correram atras

      Eliminar
    5. *já correram atrás de mim depois de eu fechar para saber se não era possível fazer-lhes um jeitinho.

      As pessoas esticam-se que é um absurdo e nem têm consciência disso.

      Eliminar
  27. Sabes que existem casos em que as pessoas só percebem depois de passarem pela situação, infelizmente..
    Eu entendo-te, ajudei durante anos a minha avó que tinha uma loja aberta ao publico, nunca consegui sair a horas! Nunca... em mais de 10 anos!

    ResponderEliminar
  28. Pois é... é tudo muito bonito... mas........ e quando entramos numa loja, com uns 30 min antes da hora do fecho, chegamos lá e encontramos os funcionários numa amena cavaqueira entre eles, ou com algum cliente especifico... esperamos uma data de tempo e quando as alminhas se lembram de olhar para as horas, nos atendem mal e porcamente e ainda nos fizeram perder tempo que também precisávamos para outros afazeres... Isso não conta?!
    Pois... como em tudo na vida, ninguém está 100% correto...ninguém é totalmente isento de culpa. Mas claro, a maioria das pessoas opta por "fazer escolhas" e defende-las sem pensar noutras vertentes.

    ResponderEliminar
  29. Nunca trabalhei em Centros Comerciais, mas o meu filho e nora sim, e em várias lojas diferentes. Em todas elas, o horário foi/é entrar/sair meia hora mais cedo do que a da abertura/fecho de loja. Precisamente pelo que dizes. Nem nunca tinha ouvido falar de lojas de CC em que não fosse assim. E o meu marido trabalha numa loja de rua que fecha às 19:30 e ele nunca sai antes das 20:00.
    Porque se o horário da loja é "das tantas às tantas", o cliente tem todo o direito de entrar "das tantas às tantas". Obvio que depois de estar lá dentro, deve haver um pingo de bom senso, mas dizer que não pode entrar às 18:58, não concordo. O horário do funcionário é que está mal construído. Aliás, deixei de frequentar (e recuso-me a entrar lá dentro) em duas lojas aqui da zona, uma porque o senhor se recusou a fazer uma chave um quarto de hora antes da loja fechar porque "uma chave leva 20 minutos a fazer" e noutra, uma tabacaria, porque sempre que eu chegava uns 10 minutos antes do fecho para comprar uma simples revista ou uma raspadinha (compras rápidas, portanto), a moça estava invariavelmente a contar moedas, ruidosamente e sem disfarçar e fazia má cara. Ainda hoje, quando vou àquele sitio (é uma loja no Pingo Doce, por vezes ando por ali perto da hora de fecho), faz-me confusão ouvir o tilintar das moedas à 21:50, que acho de profundo mau gosto. Ao menos conte-as em silêncio caramba. Agora, estar dentro do supermercado e ouvir a rapariga da papelaria a fazer a caixa às 21:50... Deduzo que não concordes, mas isto é que eu considero falta de noção. As pessoas têm que ter a consciência de que o patrão delas não é quem lhes paga o ordenado, é o cliente. E o cliente pode escolher não voltar lá. Eu escolhi, nessas duas lojas. Naturalmente, não defendo abusos por parte do cliente. Mas há tanta gente que quer vender-me uma revista ou fazer-me uma chave, por que é que eu hei-de estar a dar dinheiro a ganhar a quem, notoriamente não o quer fazer?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A moça das moedas é uma parva e o patrão dela devia aprender que há máquinas de contar moedas. Quanto ao das chaves... sabe lá se os 5 minutos não fazem diferença na vida do senhor? Não estou a dizer que o homem fosse sair à hora certa, o mais provável era ainda ter coisas a fazer depois do fecho, mas esses 5 minutos a mais no final podiam fazer-lhe mesmo diferença.

      A sua última frase faz-me lembrar aquelas pessoas que dizem que temos de nos sujeitar a tudo no trabalho, porque não falta por aí quem queira o nosso lugar. É um bocadinho assustadora, na verdade...

      Eliminar
  30. Eu percebo porque odeio reuniões que acabam 10minutinhos depois, mas na verdade assumo que já fiz isso. Comprar uma prenda exactamente na hora do fecho da loja...

    ResponderEliminar
  31. Percebo-te perfeitamente! Por vezes parece mesmo que só lá vão para "meter nojo"!!!!!

    ResponderEliminar
  32. Tem pessoas que são meio sem noção para horário k.
    Mas acontece.
    Prazer em conhecer o blog.
    janicce.

    ResponderEliminar
  33. Eu também já trabalhei em superfícies comerciais e portanto dou valor a quem nesses sítios trabalha e faço a minha parte para não ser como essas pessoas! É que muita gente só vai desarrumar o que já estava pronto.

    ResponderEliminar
  34. S* desculpa comentar neste post o assunto da introdução da sopa ao Rafael é só para alertar que não podes fazer sopas diferentes todos os dias e cuidado com alguns legumes que ainda não podes introduzir. Tens que manter a mesma sopa durante uma semana e só depois é que podes introduzir um legume novo e dar mais uma semana e assim sucessivamente pois só assim é que podes verificar alguma alergia do Rafael. Ah e também só podes dar sopa ao almoço e não como referes às duas refeições, isso é só mais tarde, e as restantes refeições são de leite ( e depois introduzir uma papa por semana e iogurte, etc.... Podes e deves também dar é fruta(banana, maça ou pêra, uma de cada vez) como sobremesa a seguir à sopa, e lógico está que a seguir à sopa se comeu uma refeição "boa" não é para dar leite...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá anónimo. Peço desculpa, mas tem algumas informações erradas e outras que não sei de onde tirou a ideia. :)

      Óbvio que não posso fazer sopas diferentes todos os dias. De onde tirou essa ideia? Fiz sopa para três dias. Para três. Desculpe, mas todos os livros que li falam em 3 dias entre cada novo alimento... e o médico do meu filho, bem como o panfleto do centro de saúde, referem os mesmos três dias. A questão de esperar uma semana parece-me um certo exagero e não é o que os profissionais de saúde aconselham a fazer.

      Eu nunca referi sopa nas duas refeições, de onde tirou essa ideia? O Rafael está a comer sopa desde ontem, APENAS ao almoço. Ontem teve duas tentativas de sopa, a primeira às 11h30 e a segunda às 13h30, apenas porque da primeira vez de distraiu muito - da segunda vez comeu tudo. Mas a sopa, por agora, é apenas ao almoço. No entanto, segundo as indicações médicas que tenho, daqui a umas três semanas já pode comer ao almoço e ao jantar - sendo que apenas deve comer ao jantar aquilo que comeu ao almoço, pois os novos alimentos nunca devem ser introduzidos à tarde ou noite, para os pais poderem estar mais atentos.

      O Rafael começou ontem. Ontem. Evidentemente que a sopa ainda não é uma refeição inteira, pois ainda está a aprender. Hoje dei sopa, comeu bastante bem, mas não muito. Daí a meia hora dei de mamar.

      Na quinta-feira, três dias depois de começar com cenoura, irei introduzir a abóbora. No fim-de-semana a primeira fruta. Sempre de três em três dias.

      Obrigada, mas neste caso estou muito bem apoiada pelo médico que nos segue. :)

      Eliminar
    2. A ideia que tirei foi o que escreveste e fui confirmar agora no post dobdia 2 de outubro as 19:46 em resposta a um comentário. Só comentei porque achei que a informação nao estava correcta embora cada pai/mãe seja livre de fazer como quer. E os pediatras dizem para introduzir um alimento novo por semana. É bastante diferente quando lidamos com um pediatra ou com um medico de clinica geral, embora haja pesssimos pediatras e bons médicos de clinica geral no acompanhamento de crianças mas com limitaçoes.

      Eliminar
    3. Para ler se tiveres interesse, da Sociedade Portuguesa de Pediatria

      http://www.spp.pt/UserFiles/file/Protocolos/Alimentacao_Nutricao_Lactente.pdf

      Eliminar
    4. Ainda ontem à tarde, por coincidência, acabei a tomar café com uma amiga e a pediatra da filha da minha amiga. A pediatra falou também nos 3 dias entre cada alimento - bem como os livros que já li. Mais uma vez, não pode generalizar e achar que aquilo que o seu pediatra lhe disse (suponho que tenha filhos, por falar com tanta convicção do assunto) é a lei. Não é. Acredite que nunca ouvi falar de uma semana entre alimentos e eu sou daquelas mães que passam a vida a ler e a informar-se. :)

      O meu filho comerá sopa ao almoço e jantar, claro... mas não é agora.

      Eliminar
    5. Eu não disse que era lei nem que era obrigatório ser assim, apenas fiz um reparo a um comentário teu num post do facebook (que coloco em baixo) que pode ser também erro de escrita em que existiu referencia a sopa duas vezes ao dia, além disso eu sou das mães que acham que estando devidamente informadas cada mãe/pai deve fazer o que quer e ninguém tem nada com isso.

      As Minhas Pequenas Coisas: No nosso caso é mesmo decisão MINHA. Não tenho um trabalho das 9 às 17. Não tenho horários muito definidos e tanto posso ter de trabalhar menos hora e sair duas horas antes, como posso ter um trabalho inesperado e sair três horas depois. Daí que essa planificação não seja simples. :) Eu quero continuar a amamentar, mas vou começar com as sopas na próxima semana. A minha ideia, se correr bem, é: leite de manhã, sopa ao fim da manhã, leite à hora do almoço (quando conseguir vir a casa). Depois sopa/fruta a meio da tarde, leite ao jantar e à noite. Vamos indo e vamos vendo... mas eu não quero essa pressão de ter de me preocupar com a paparoca dele quando me aparecer um trabalho inesperado. ;)
      GostoMostrar mais reações · Responder · 1 · 4/10 às 9:55

      Eliminar
    6. Agora a ler estes comentários lembro-me do meu caso mais próximo.. Por acaso tenho uma sobrinha com ano e meio e recordo-me da minha cunhada só introduzir um alimento a cada semana. Mas podem ter mudado as recomendações ou ser daqueles assuntos em que há divergências. De qualquer das formas aguardar 3 dias ou 6 (quase uma semana), apesar de ser o dobro, continua a ser um espaço de tempo curto e não me parece uma diferença dramática.

      Eliminar
    7. Sim, no intervalo dos 6 dias/1 semana é mesmo para não haver confusão no caso de aparecer alguma alergia/reacção se o alimento que a provocou ainda foi o anterior ou se já foi o novo, e de 3 em 3 dias não existe essa precisão.

      Eliminar
  35. Tiram-me do sério. Ainda nos dias de hoje é das coisas que por aqui mais levanta discussões. Na semana passada, tive mesmo que deixar de ser "boazinha" e dar uma lição a toda a gente. Inclusivé ao meu boss. Por causa de pessoas que vêm cá carregar cenas à empresa à hora de fecho já cheguei a sair daqui duas horas depois. Sem nada de agradecimentos ou horas extras. Na semana passado disse-lhe que para mim chegava. Eu não tenho obrigação nenhuma e as pessoas pensam que temos sempre de estar de "pernas abertas" para virem à hora que lhes apetece. Há uma altura que não dá mais. Por aqui andavam a abusar há muito. Agora tento sair a horas. Não gnhava mais anada com isso, também não vou perder.

    ResponderEliminar
  36. Eu, que já passei por 'lá', concordo 100% com aquilo que escreveste.
    Não sei se é falta de noção, se de respeito... não sei!

    Confesso que no meu primeiro trabalho part-time, quando fui para a faculdade, tinha eu ainda 17 anos, fui para uma loja de gelados (e outros) trabalhar à noite, depois das aulas.
    Era um shopping, fechava à meia-noite e um dia, um casal, achou por bem ficar depois da meia-noite na sala (a loja tinha uma sala particular) a desfrutar não lembro de quê.
    Nós que queríamos arrumar a sala para puder sair (tinha aulas às 8horas da manhã no dia seguinte) tentamos mostrar que era hora de saírem dali.
    Limpamos à volta, passamos esfregona, fechamos a grade quase até ao fim... E nada.
    Conclusão: (NÃO FOI BONITO, EU SEI, ÉRAMOS JOVENS) a minha colega de turno fartou-se e apagou a luz da sala. E PUFT... saíram! E nós atrás deles depois de finalmente puder limpar a mesa deles.
    Não foi bonito, eu sei. :X
    É como tu dizes: "São apenas 10 minutinhos para o cliente, mas para o funcionário da loja pode ser o suficiente para, por exemplo, perder o autocarro".

    *Tinha saudades. Tenho andado fugida, mas voltei por agora ao blog.*

    Beijinho d'

    A Marta
    https://amartaeumblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  37. Tão verdade! Se todas as pessoas vestissem a pele de funcionário de loja iriam entender a frustração do cliente que entra aos 2 minutos da loja fechar!

    ResponderEliminar
  38. É preciso mais gente assim com bom senso no mundo :)

    ResponderEliminar
  39. Se toda a gente respeitasse era muito bom, mas ha sempre os fulaninhos/as que gostam de o fazer a ultima da hora.

    ResponderEliminar
  40. S* já uma vez fiz aqui este comentário: segue apenas as indicações do pediatra do Rafael. Não dês ouvidos a opiniões. Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que percebi não tem pediatra, apenas MF.
      Mas se confia deve seguir.

      Eliminar
  41. Voltei... agora em definitivo...
    É preciso dizer que eu adoro te ler????
    Beijos do PDR.

    ResponderEliminar
  42. É isso e o tipico "oooh só estão abertos até as 19h???" na véspera de Natal. Grrrr

    ResponderEliminar
  43. Acho que só mesmo quem é limitado não compreende que a hora do fecho não é hora de entrar num estabelecimento. É o exemplo perfeito da falta de chá de muita gente.

    ResponderEliminar
  44. O erro está em confundir horário de entrada e saída com horário de atendimento.
    Uma cabeleireira que abra o salão às 8.00 não pode chegar às 8.00, tem de chegar antes, de modo a que, efetivamente, às 8.00, possa começar a trabalhar. Da mesma maneira, se acabar o seu serviço às 18.00, não sai imediatamente.
    Quem diz cabeleireira, diz funcionários de um café, funcionários de lojas, enfermeiros, terapeutas, etc.
    Quando se faz um contrato de trabalho, há que prever estas margens, quer do lado do patrão, quer do funcionário - caso contrário, será eternamente uma vida de stress. E ninguém merece.

    ResponderEliminar
  45. as pessoas estão demasiado centradas nos seus umbigos!

    ResponderEliminar
  46. Se estiverem na loja três dias seguidinhos sem entrar um único cliente, aposto que ao quarto dia choram de alegria se aparecer um cliente às 19:01...

    ResponderEliminar