terça-feira, 25 de julho de 2017

Ahhh!


"Tens de dormir enquanto o bebé dorme", dizem-me as pessoas.

Obrigadinha pela dica. 

Nos entretantos vou contratar uma empregada doméstica para não termos de levar o cão à rua, aspirar, limpar o pó, lavar o chão, pôr roupa a lavar, estender roupa, recolher roupa, passar a ferro, ir ao supermercado, cozinhar, lavar a louça, mudar a areia das gatas. Aproveito e peço à empregada para me dar banho, para me secar o cabelo. Já agora, poderia ela ir à farmácia por nós, passar no centro de saúde a marcar consultas e fazer umas caminhadas (para não dar em louca dentro de casa). 

Sim, podíamos dormir na hora que nos sobra... Mas convém conseguir ver alguns noticiários, pôr umas séries em dia e consultar as redes sociais. E estar com a família. 

Se estivesse a trabalhar, não sei como seria. Uma pessoa deita-se sempre depois da meia-noite e nunca tem tempo para nada. 

52 comentários:

  1. Eu quando me diziam isso "tens que dormir quando o bebe dorme" respondia sempre "sim e arrumo a casa quando o bebe arrumar e lavo a louça quando o bebe lavar..." as pessoas não fazem por mal...

    E quando me perguntavam "então quando vais trabalhar?" Eu pensava sempre - trabalho mais em casa e ainda me perguntam quando vou trabalhar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um pouco isso... ele está mais espevitado de dia, mais acordado... é mais complicado dormir de dia, porque agora o meu filhote está acordado das 7 às 14 horas quase de forma ininterrupta. À tarde faz mais sestas, mas nós também temos outras coisas para fazer.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Não sei se leu correctamente... "Nos entretantos vou contratar uma empregada doméstica para não termos de levar o cão à rua...". Termos, plural, os dois. :) Claro que o bebé depende sempre mais da mãe, mas trabalhamos os dois.

      Eliminar
    2. O bebé depende sempre mais da mãe? Isso pode ser verdade quando/enquanto a mãe amamenta, fora isso não vejo por que não dependeria de ambos os pais de igual forma.

      Eliminar
    3. Pois é evidente que me refiro a esta fase da amamentação. O bebé precisa de mim de 3 em 3 horas. Do pai precisa emocionalmente, não fisicamente. Não sei porque se tenta ver algo de errado em tudo o que escrevo...

      Eliminar
    4. Os anónimos habituais cujos maridos até o rabo lhe devem lavar, só pode. Na fase de amamentação expliquem-me lá que contribuição pode ser a do pai, nesse momento? Só assim para eu perceber!
      Sandra

      Eliminar
    5. Que contribuição? Dar banho, mudar a fralda, adormecer... ou o bebé não faz mais nada a não ser mamar?

      Eliminar
  3. Durante a manhã eu andava com o Matias atrás (acordado) ou aproveitava a sesta dele para dar uma arrumadela, pôr roupa a lavar e recolher a anterior e fazer o que fosse necessário. Ia à farmácia com ele e ao Centro de Saúde. Quando o Pedro chegava a casa saía para fazer coisas sozinha (tipo cabeleireiro, passeio, etc etc). Fazíamos ambos o jantar, arrumávamos a cozinha e estendíamos a roupa. Depois do jantar o Pedro (ou eu, mas mais frequentemente o Pedro) ia ao supermercado, ou então comprávamos as coisas online (mas aqui o Continente fecha às 23h, é mais fácil). Uma vez por semana tínhamos (e temos) uma empregada a quem pagamos 6h por hora para arrumar a casa e passar a ferro, e sinceramente é dinheiro mais do que bem empregue. Se me visse apertada a nível financeiro preferiria mil vezes abdicar de outras coisas do que da empregada, mas isto são opções muito pessoais (e eu odeio passar roupa a ferro). Antes da empregada não se passava a ferro e arrumávamos os dois, que remédio :P

    E abdiquei de notícias (são deprimentes), de grandes séries (só depois do jantar) e de redes sociais (não aprendes nada). Estava com o meu filho, fazia os mínimos e descansava muuuuuuuito. Acredita que é muito importante para manteres a tua sanidade mental :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só costumo ver mais televisão de noite, quando ele faz a sua sestinha entre as 20/21 horas e a meia noite, geralmente. :) Eu acho que contribui para a minha sanidade ver as redes sociais e as minhas séries, de verdade! Não consigo ver as séries "com história", mas ao menos vejo os "Sem rasto" e os "Casos arquivados". :D

      Eliminar
    2. 6 a hora? Tao pouco, e para um servico tao chato, mas a necessidade fala mais alto.

      Eliminar
    3. Eu também pago 6€ à hora (o valor tem sempre a ver com o local de onde a pessoa é - duvido muito que em Lisboa também seja 6€). Tal como a Joana, é coisa que também não tenciono abdicar (antes não comprar qualquer coisa para mim) :-)

      Quanto aos afazeres, vai-se fazendo e é melhor não nos pormos a fazer tudo senão quando voltarmos ao emprego ficamos mal habituadas e a ter 2 empregos :p

      Eliminar
    4. Acha pouco? Não são precisa de qualificações nenhumas e mesmo se só trabalhar 5 hora por dia são 30€, e em 20 dias por mês são 600€...

      Eliminar
    5. Anónimo26 de julho de 2017 às 05:02, então o que diria de um colega meu que tem empregada todos os dias das 9h às 18h (que cozinha, limpa, faz as tarefas domésticas todas, vai ao supermercado e ainda lhe toma conta das filhas de 6 e 4 anos em casa quando elas estão doentes) e paga-lhe 500€ + Segurança Social? Ah pois é...

      Eliminar
    6. Acho que se esquecem que o salário mínimo nacional são cerca de 4 euros à hora, creio. :) 6 euros à hora não me parece nada descabido, tendo em conta que há muito trabalhador especializado que recebe 557 euros por mês, 8 horas por dia, 40 por semana...

      Eliminar
    7. Ah e os 500 + SS que referi acima são em Lisboa!

      Eliminar
    8. Diria que isso e quase servico escravo, lol. Entendo que quem faz faz por pura necessidade, porque e realmente muito, muito pouco para tanto trabalho, nao acredito que ninguem esteja realmente satisfeito em trabalhar tanto para ganhar 500 euros. Sonia, nao falei que seja descabido, mas sim que acho pouco, levando em conta o tipo de trabalho, para mim nao ha servico mais chato que o domestico, logo, acho pouco. Mas cada um ver como quer.

      Eliminar
    9. Evidentemente que também acho 500 euros miserável, mas é o país que temos. :)

      Eliminar
    10. Anónimo, olhe que há quem goste de serviço doméstico. Tal como há quem ache serviço administrativo uma seca descomunal...e eu não desgosto.
      Trabalho numa universidade pública a fazer serviço administrativo e ganho menos de 6 euros hora...a recibos verdes!

      Eliminar
    11. Eu não considero o trabalho em si chato, até porque estamos a falar de um apartamento (t3 para aí) onde vive um casal com 2 filhas pequenas, que estão todos fora de casa no período em que a empregada lá está (das 9h às 18h). Como ela vai todos os dias e tem 9h por dia para lá estar, acredito que o serviço não seja muito puxado e que ela o possa ir fazendo com calma (não se desgastando), especialmente se gerir bem as coisas. Será mais difícil quando as miúdas ficam com ela. mas, ainda assim, acho que para um horário desses (que não lhe permite acumular com outro trabalho, nem ir tratando de coisas suas durante o dia, se respeitar o trabalho), ganhar menos que o salário mínimo é pouquíssimo. Pelo menos que lhe pagassem uns 650€!

      Eliminar
    12. 6€ à hora é um achado se for em Lisboa. Por aqui só conheço 8€ à hora e sinceramente não me choca, lá por não ser um trabalho especializado, como em todos os trabalhos vigora a lei da oferta/procura, e as boas empregadas domésticas são poucas para a procura que existe.

      Eliminar
    13. Eu sou médica e ganho 8 euros limpos à hora... E trabalho 40 horas por semana... E faço urgências à noite e ao fim-de-semana... Por isso não, pagar 6h à minha empregada da limpeza não me choca rigorosamente nada.

      Eliminar
    14. Pois por aqui uma ex-técnica de diagnóstico e terapêutica que trabalhava num hospital e como ganhava 5.60€ brutos (recibos verdes, toca a pagar segurança social e IRS sobre isto) resolveu achar que a escravatura já devia ter acabado e deixou-se disto...

      E conheço muitos outros casos, então em hospitais...

      Portanto subscrevo cada letra que a Joana escreveu.

      Eliminar
  4. Daqui a pouco tempo já vais saber...é ter tempo para nada e ainda menos para dormir...até os babys irem afinando os horários...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava-me a referir ao "quando fores trabalhar outra vez"...que é tudo o que é agora mais o trabalho e toda a rotina que implica ir trabalhar e deixar o bebé onde vai ficar...

      Eliminar
    2. Anónimo, claro que sim, mas a verdade é que ao deixarmos o bebé com alguém também ficamos com mais margem de manobra para as outras coisas. E quando eu for trabalhar ele já terá 5 meses e já não mamará tanto... digo eu!

      Eliminar
    3. Ai S* não temos grande margem e não ser que se possa aproveitar a hora de almoço. Pelo que li acho que o teu filhote vai ficar com a tua mãe, ou seja, podes levá-lo a dormir, de pijama e sem comer que não há problema, mas se fosse para o infantário tinhas que te levantar uma hora antes do normal para te arranjares e depois arranjares o Rafael (lavar, vestir, mudar fralda, etc) e dares o pequeno almoço (seja ele qual for)...e depois o deixares no infantário com a comida do dia que ele vai comer. E à noite é chegar, banho, dar de comer e pelo meio a nossa comida e comida/sopa dele e as coisas de casa e etc etc etc...tempo para nada...é como alguém disse num comentário há tempo para tudo quando existe uma empregada em casa que limpa, passa a ferro e deixa comida pronta...

      Eliminar
    4. Anónimo, a minha mãe trabalha e ainda trabalhará uns bons anos. :P o Rafael deverá ficar entre mim, a minha tia, os meus sogros. Tenho direito a trabalhar menos horas enquanto amamentar e pretendo tentar ajustar o meu horário. :)

      Tempo para nada, confirmo...

      Eliminar
    5. S* tens direito a trabalhar menos uma hora de manhã e menos uma hora à tarde até o Rafael fazer 1 ano quer estejas a amamentar ou não. Depois de 1 ano continuas a ter mas tens que apresentar um atestado médico mensal em como amamentas (tens leite).

      Eliminar
    6. Anónimo, eu sei. E tenho uma entidade patronal que entende perfeitamente essas coisas, pelo que se as coisas não mudarem até lá, não terei problemas. :)

      Eliminar
  5. Há sempre qualquer coisa para fazer... sempre...

    ResponderEliminar
  6. Como compreendo! E por aqui já são 2 e já trabalho e marido sai super cedo e chega mt tarde... welcome to this beautiful but hard world!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lamento! Por aqui tenho a sorte de ter o pai comigo até Setembro!

      Eliminar
  7. eu cá adoro passar roupa a ferro e dobra-la toda. caso precises apita

    ResponderEliminar
  8. Ahahahah, eu sou o tipo de pessoa que dá essa dica. :D Mas há que ter em consideração alguns factores:
    1. Efectivamente tens de aproveitar para dormir quando ele está a dormir porque quando ele está acordado é capaz de não dar. :P
    2. Depende muuuuito da quantidade de horas que o bebé dorme. :) Vi ali em cima que o Rafael fica acordado das 7h às 14h. A Mini-Tété tem um ano e meio e dificilmente fica acordada assim 7h. Acontece mas muito muito raramente (até porque fica impossível de tanto sono que tem). Ou seja, com a idade do teu, dormia muito mais, pelo que eram mais horas disponíveis para tarefas caseiras e para dormir. :)
    3. Depende também dos pais e do "zelo" pelo estado da casa. Embora eu goste de ver as coisas limpas e arrumadas, assumi muito que às vezes era mais importante que eu dormisse do que lavar a louça. Ainda hoje dormi a sesta com ela embora tivesse uma série de coisas para fazer e não me tenha dado jeito nenhum, mas estava de rastos e se depois é para estar rabugenta e sem paciência para a minha filha, mais vale dormir. A casa fica para amanhã. Sigo um pouco a expressão do meu pai "Em tempo de guerra não se limpam armas". Adaptando: com um recém-nascido não se limpa tanto a casa porque dormir pode ser mais importante. É apenas uma fase e se a casa (e a vida) ficarem desorganizadas durante um tempo não morre ninguém. Mas sei bem que para muita gente, dormir sem ter a casa num estado mais arrumado e limpo não dá.
    4. Sendo sincera, aqui na rua vive outro casal com uma filha da idade da Mini-Tété. E com um cão que vejo constantemente ser passeado (é um pastor alemão ainda jovem). Farto-me de pensar que não deve ser nada fácil meter os passeios do cão na logística do dia-a-dia. Eu não conseguiria.
    5. Aproveita que tens o pai até Setembro contigo. Eu tive companhia no 1° mês. A partir daí, o Jack voltou ao trabalho, acordando às 5h da manhã e regressando muitas vezes às 20h da noite. Sobra quase tudo para mim, incluindo compras. Não são obrigados a estar os dois acordados, muito pelo contrário. :)
    6. Mas sim, uma empregada nesta fase daria muito jeito. :D Por publicações de bloggers que vejo a dizer coisas como "dá para ter tempo para nós, para ler, para ver séries, para pintar as unhas, etc, enquanto eles dormem" dá para perceber facilmente que o mais certo é haver ali ajuda desse tipo. E ainda bem. Eu também queria. :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tété, ai eu também queria empregada, dava imenso jeito, mas não pode ser. :D

      Quanto ao ponto 5, pelo menos duas vezes por semana eu deito-me um pouco de tarde (umas três horas) e o pai fica a cuidar do Rafael, com um biberão no frigorífico para as eventualidades. Mas eu tenho mau dormir, 3 horas deitada devem equivaler a metade desse tempo de sono... :/

      Eu não sou maníaca das limpezas - antes fosse! - mas não consigo conviver com desorganização e se sei que as coisas têm de ser feitas, têm mesmo de ser feitas. Prioridades são as caixas de areia das gatas, por uma questão de higiene, louça lavada, roupa lavada, chão sem pêlos. Todas as manhãs, quando ele nos acorda pelas 6/7 horas, cuidamos do bebé e depois, enquanto o pai faz "cadeirinha", eu passo a minha mopa/esfregona em toda a casa. Com 4 gatas e 1 cão, é uma prioridade minha. Faz-me horrores de impressão ver "tufos" de pêlo no chão. ahah Daí que, não sendo uma pessoa fixada nas limpezas, por ter animais, tenho naturalmente mais trabalho. De resto, sou super relaxada... o pó limpa-se quando há visitas (ahahah).

      Sim, o meu rapaz passa imensas horas acordado e isso é mais complicado de gerir. Só dorme como um anjo durante os passeios (hoje fomos passear, dormiu das 14 às 19 horas). Se estiver em casa, passa 5 ou 6 horas acordado, na boa, de seguida. :D

      Eliminar
    2. Sim, ter animais obriga a outra logística. Eu gostava de ter mas efectivamente sinto que neste momento seria simplesmente acrescentar mais trabalho àquele que tenho.
      Ah, realmente bebés que ficam acordados bastante tempo mas não deixo de ficar surpreendida cada vez que oiço falar de um (por a minha realidade ser diferente).:) O que faz o Rafael tantas horas acordado? Fica a olhar em volta? Para os animais? Para vocês? Quer colo ou prefere ficar sossegado? :)

      Eliminar
    3. Tété, no caso de hoje, está desde as 10 da matina a chorar. Mais vale rir, para não chorarmos nós também! Geralmente fica só de olhos abertos e quer colo, ou quer atenção, mas também aguenta ficar sozinho no berço. Hoje está rabugento e quer apenas mimos!! :D

      Eliminar
    4. eu tive que comprar um aspirador robot e nem tenho filhos. fazia turnos de 12 horas com folgas em que trabalhava "apenas" 6 horas. o aspirador ajudou a manter alguma sanidade mental. não é dos xpto mil funções mas eu ligo ao levantar e ao chegar a casa e ele vai a vidinha dele e eu vou pro duche ou tomar um café sossegada... dos poucos investimentos que realmente me orgulho até agora

      Eliminar
    5. S*, curioso. :) Mini-Tété também gostava muito de estar a observar mas lá está, dormia mais. :D Mesmo agora é dorminhoca. Chega a fazer sestas de 3h, depois de dormir 11h à noite.
      Se com mimos se cala, então dá-se mimos. :) E ri-se, claro. Ou chora-se que às vezes também ajuda para libertar o stress. :)

      Eliminar
  9. Eu tinha a sorte de estar em casa dos meus pais, por isso, era uma grande ajuda. Não sei como é a realidade de ter um bebé já numa casa minha, com tudo a depender de mim e do mais-que-tudo. Mas acredito que não seja fácil!

    ResponderEliminar
  10. O quê, ainda não conseguiste o fenómeno da multiplicação???? É como diz o 1° comentário, trabalhas mais em casa...

    ResponderEliminar
  11. Nos primeiros tempos é sempre assim, depois vão - se cria do horários e rotinas e torna-se mais fácil. Mas sim, a vida muda para sempre e como em tudo há momentos bons e maus. Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. S*, cada criança é uma criança e as pessoas podem-te dizer tudo e um par de botas e ainda assim ser diferente da tua realidade. Mas a verdade é que eu, quando fiquei sozinha com o Tiago em casa, deixava-o no tapete de atividades na sala (mais tempo acordado do que a dormir) e ia fazendo as coisas pela casa. Ligava a televisão nos bonecos para ele ir ouvindo, cantava pela casa, quando tinha de ir para a cozinha ou para o escritório (que ficam mais longe da sala), levava-o comigo e punha-o no tapete ou na espreguiçadeira e fazia as coisas com ele acordado. Ele também nunca foi muito bebé de colo, por isso conseguia ir fazendo as coisas assim. Claro que também não tinha animais, o que já retira uma série de tarefas à tua lista. Por volta dos 3 meses e meio ele começou a exigir mais atenção, que eu estivesse ali ao lado dele, mesmo sem lhe pegar.
    São tudo fases, tudo se ajusta e tudo se faz :) Boa sorte****

    ResponderEliminar
  13. Nuca consegui fazer isso. Quando elas dormiam, aproveitava para fazer outras coisas, tal e qual como tu. Da minha primeira filha devo dizer que odiei estar em casa. Tive depressão pós parto e só melhorei quando fui trabalhar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, eu lidei muito mal com a saído do trabalho, admito. A minha sorte é ter o pai comigo os primeiros 3 meses, caso contrário também poderia cair na depressão pós parto...

      Eliminar
  14. Sim... claro que sim. É o que eu recomendo às novas mamãs. Mas raramente o fiz. Nem que fosse para relaxar. Dormir era muito raro.
    Tinha uma rotina diária (arrumar, almoçar, ver tv/net, ir buscar o mais velho, brincar com ele, jantar e dormir).
    Com o regresso ao trabalho o "arrumar" passou para depois do jantar, e acabo por me deitar perto da meia-noite para ter tempo para tudo.
    É a vida de mãe.

    ResponderEliminar
  15. Pois, é muito bom descansar mas as coisas não se tratam sozinhas...
    Tive com o meu filho até aos 11 meses em casa, devo ter dormido a sesta 2-3 vezes...

    ResponderEliminar