segunda-feira, 27 de março de 2017

Fazer o ninho


Fazer o "ninho" para receber o nosso filho tem sido uma tarefa calma. Tenho sido uma grávida muito calma e nada ansiosa. Já o mais-que-tudo tem sido um pai mais complicado, sempre preocupado, sempre ansioso e já a stressar com questões como "E quantas vezes tem de mamar? E como é que eu sei que tem de dormir?". Já lhe expliquei 1001 vezes que as aulas de preparação para o parto também vão servir para esses esclarecimentos, mas de nada adianta. É stressado e ponto final.

Não sou das que acha - pelo menos, até ao dia de hoje - que o tempo tem passado a voar. Parece-me até que tem sido tudo muito lento. Muito tempo entre ecografias, muito tempo sem sentir o bebé (situação que mudou nas últimas duas semanas!), muito tempo sem me sentir grávida. 

Por agora andamos na pintura do quarto. Acabamos por decidir que o quarto terá três paredes brancas e uma parede cor-de-laranja, num tom mais forte. A ideia é usar as paredes brancas para pendurar coisas (temos um espelho, temos o quadro com o nome, mais uma espécie-de-estante-de-parede com três prateleiras brancas). Na 'dobra' da entrada do quarto vai ficar o quadro com o poema do "Amigo Aprendiz", que a minha irmã nos deu. Na parede que está a ficar cor-de-laranja, devemos apenas pôr a nossa prateleira branca com o formato da nuvem, que os meus sogros fizeram. Como o tapete é colorido e a parede vai ficar colorida, não devo pôr mesmo mais nada nas paredes nem quero muita decoração, pois a que temos é marcante. Logo veremos como vai ficar, no final desta semana, quando tudo estiver pintado e as prateleiras/espelhos/quadros afixados nas paredes. 

Nesta fase estou muito tranquila. Alguns dirão até... Demasiado tranquila. Desde que soubemos que estou grávida que temos andado a comprar tudo o que conseguimos, todos os meses. Se olhar para a lista daquilo que nos falta, os bens maiores "em falta" resumem-se a uma cadeira para o carro (para quando já tiver mais de seis meses... e apenas porque temos dois carros, já que vou herdar a do sobrinho), uma cadeira de papa mais bonita para ter em casa (mais uma vez, a ser usada só daqui a mais de meio ano). De resto, faltam apenas o candeeiro e cortinas para o quarto... E bens de higiene. Sim, também ainda podemos comprar mais roupinhas, mas já temos algumas. Falta é pensar também em mim - se não for pedir muito. Não tenho nada para vestir no hospital, já que não sou particularmente fã de camisas de dormir, muito menos de botões. Soutiens de amamentação tenho dois... se me servirem, na altura. 

A brincar, a brincar, faltam dois meses e meio... Se não tivermos surpresas pelo meio!

63 comentários:

  1. OLÁ,

    veja minha análise da pesquisa que afirma que o BRASILEIRO ESTÁ FAZENDO MENOS SEXO.
    Absurdo e provo que os pesquisadores estão errados.
    Esta tudo lá no FALANDO SÉRIO".

    UM ABRAÇÃO CARIOCA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu senhor, sou Brasileiro, filho de pai Portugues e lhe digo, va procurar o que fazer, se faz favor. Quem quer saber se Brasileiro, Portugues, Africano ou o que seja esta fazendo menos sexo?! Ha gente com muito tempo sobrando.

      Eliminar
    2. Quanto a S*, muita sorte na organizacao de tudo, acredito que o quarto da crianca ficara bonito e de bom gosto. Um abraco!

      Eliminar
    3. Não entendo certos comentários que recebo cá no blogue...

      Eliminar
    4. Mas se esta caixa de comentários está sujeita a aprovação, por que é que a S* deixou passar?

      Eliminar
    5. Anónimo das 10h42, porque o comentário não tem nada de mal. Acho que não tem absolutamente nada a ver com o meu blogue, mas não é ofensivo nem tem nada de mal.

      Eliminar
    6. Também não entendi o motivo pelo qual tal comentário foi aprovado...

      Eliminar
    7. POrque o Blog é da S* e ela faz o que lhe apetecer, ora!

      Eliminar
  2. OLÁ,

    veja minha análise da pesquisa que afirma que o BRASILEIRO ESTÁ FAZENDO MENOS SEXO.
    Absurdo e provo que os pesquisadores estão ABSOLUTAMENTE, ERRADOSe provo cientificamente minha discordância!
    Esta tudo lá no FALANDO SÉRIO".

    UM ABRAÇÃO CARIOCA.

    ResponderEliminar
  3. São momentos tão bons, tão doces, tão serenos. Quando acabei a decoração do quarto do meu mais novo, devia estar de uns 7 meses e não saia de lá de dentro, a imaginar, a sonhar acordada, a antever... <3

    ResponderEliminar
  4. Há na Primark umas blusas assim de "pós-parto" muito giras! Vai lá dar um olhinho, mulher! Está quaseeee!!

    Um beijinho dourado

    ResponderEliminar
  5. Vá à Primark e lá consegue comprar tudo para si, desde pijamas, cuecas grandes, chinelos e roupão. Também odeio camisas de dormir, mas acredite que é bem mais práctico porque vai ter que despir muitas vezes ao dia. Tudo a correr bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já ouvi dizer... a ver se posso ir ao Porto este fim-de-semana. ;)

      Eliminar
    2. A do norteshopping há 2 semanas atrás tinha até camisas próprias de amamentação bastante em conta, assim como o roupão.
      Ontem tive no parque nascente e não vi nada lá. Mesmo roupa para menino e conjuntos encontrei no norte imensos e ontem no parque nascente não tinha quase nada. É que nem babygrows com menos de 62cm (e só tinha 2 tipos diferentes).

      Não sei se foi tudo vendido ou se a do norteshopping está sempre melhor equipada.

      Eliminar
    3. Não precisa de ir ao Porto para ir à Primark. Braga também tem a loja e sempre fica um bocadinho mais perto de Viana :)

      Eliminar
    4. Anónimo das 16h05, bem sei, bem sei, mas eu não vou ao Porto especificamente para ir à Primark. Tenho um roteiro de lojas para ver. :F

      Anónimo das 13h27, é o que eu quero: camisas e roupões!!

      Eliminar
    5. Pois não sabia que Braga tinha Primark. Se realmente é mais perto então faz mais sentido ir lá, claro.

      Eliminar
    6. Anónimo das 21:48, a Primark de Braga abriu anos antes da do Porto
      Lembra-se daquela entrevista linda em que uma Sra chorou de felicidade quando a Primark abriu no Nshopping ou lá perto?

      Eliminar
    7. Mas essa senhora chorou de felicidade porque era de Matosinhos (norte shopping) e já não ia precisar de gastar dinheiro em senhas para o parque nascente (rio tinto)

      Eliminar
  6. Já não falta assim tão pouco tempo. :)

    ResponderEliminar
  7. Já está quase =) Agora tens é que ver das tuas coisas porque as que estão em falta para o teu príncipe não vão ser necessárias durante alguns meses =)

    ResponderEliminar
  8. Tranquilidade é importantíssima nessa fase! :)

    ResponderEliminar
  9. Olá S*!
    Eu também detesto camisas de dormir e nunca usei nem na maternidade nem em casa. Comprei na H&M uns tops de amamentação muito fixes, tinham suporte para o peito e abriam-se na zona das mamas para permitir a amamentação. Bem como umas t-shirts em V que também dão sempre jeito :)
    Boa sorte***

    ResponderEliminar
  10. Aiii que emoção ! Já falta poucoooo :))
    Mantém-te calma e tranquila e tudo correrá pelo melhor .
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Tão bom, tive saudades agora :) o que queres dizer com cadeira para o carro para quando tiver mais de 6 meses? Os bebés devem andar no ovo o maior tempo possível, até próximo dos 13 kg, por isso ainda tens muito tempo de ovo pela frente. O meu saiu do ovo aos 10 meses porque sempre foi grandão, era verão e ele já não aguentava estar apertado e quente no ovo, mas foi cedo, caso andem bem devem ficar até ao limite do peso ou até a cabeça começar a ultrapassar o limite superior do ovo. Quanto às cadeiras da papa, recomendo a Polly Magic da Chicco porque dá desde recém-nascido na posição de espreguiçadeira alta. O meu filho adorava estar lá, mais do que na espreguiçadeira de chão, porque ficava ao nosso nível e entretinha-se a brincar com o arco de brinquedos que vem com a cadeira. Agora com ano e meio usamo-la como uma cadeira de papa normal, por isso acho que é um bom investimento.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho uma espreguiçadeira de 'chão', não preciso de cadeira que dê para espreguiçadeira. :D Mas quero uma coisa mediana, sim, porque se usa muito tempo!

      Quanto ao carro, é uma questão que ainda temos de ver... mas o meu rapaz faz questão de instalar já uma cadeira no carro. Manias!

      Eliminar
    2. Embora o ovo (grupo 0+) seja de facto o melhor para um recém-nascido, há cadeiras do grupo 0+/1 que podem ser usadas desde o nascimento até aos 3/4 anos. Assim o teu rapaz já poderia ter uma cadeira no carro dele e que poderia ser usada desde logo. Não sendo este o objectivo, mas sim ter apenas uma cadeira no carro, podem comprar logo uma grupo 1, para quando o Miguel deixar o ovo. :) Se me permites o conselho: não sendo algo que precisem já, já, eu esperaria pelas feiras do bebé de Janeiro/Fevereiro, onde consegues descontos muito, muito bons. :)

      Eliminar
    3. Não é Miguel, é Rafael. :D Desculpa, confundi. :)

      Eliminar
    4. Instalar uma cadeira no carro antes pode ser contraproducente. Vocês fazem como quiserem, óbvio.
      Mas uma cadeira no carro apanha sol/calor do mesmo e os plásticos degradam-se mais rapidamente e mais facilmente quando tal acontece, ou seja, quando o teu bebé for mesmo andar nela apesar de ser quase nova na teoria, na prática já está mais gasta. Claro que não é por 1 mês ou 2 mas isto a longo prazo torna as cadeiras menos seguras e mais susceptíveis a partirem/desintegrarem-se em caso de acidente (há vários estudos e videos com dummies a mostrar o que pode acontecer nessa situação).

      É por receio disto que eu não vou usar nenhuma cadeira do meu filho mais velho com o meu mais novo. Mas no caso deles a diferença é de 8 anos. Se tivesse alguém próximo que garantisse que a cadeira nunca sofreu acidentes, nunca bateu em nada, etc também aproveitava. Simplesmente, no vosso caso eu não colocava a cadeira no carro até o bebé a ir usar mesmo só para evitar mais desgaste.

      Eliminar
    5. Indo ao encontro do que a Tété disse, também podes aproveitar os sites como a bebitus que na época das feiras do bebé têm boas cadeiras a preços fantásticos. Eu comprei pela bebitus com 70% de desconto na época dos saldos/feiras do bebé.

      Eliminar
    6. Sou a anônima original :) S*,eu também tinha uma espreguiçadeira de chão, na sala,e a Polly na cozinha. Continuo a achar um bom investimento porque é mais um sítio em que podes pôr o bebé para fazer as tuas coisas,como almoçar e cozinhar,por exemplo,que parecem missões impossíveis nos primeiros tempos :) se procuras mais barato,sei que a zippy tem um modelo semelhante. Quanto ao ovo, Tete,é mesmo o mais seguro,embora as cadeiras do grupo 0/1 tenham a opção "desde o nascimento". Eu também esperaria pela altura em que for mesmo necessária para comprar :) marcas que tenho e recomendo: concord e joie. Outras boas referências: be safe,britax/romer,algumas bebeconfort. Muito importante: fazerem rear facing o maior tempo possível. Bons preparativos :)

      Eliminar
    7. Anónima original :)

      Eu também acho o ovo mais seguro. Não colocaria a minha filha quando nasceu numa cadeira das que falei da mesma forma que não a vou pôr de frente antes dos 3/4 anos. Mas isto sou eu, conheço quem compre essas cadeiras daí ter falado nelas à S* para que saiba as hipóteses que tem. :)

      Eliminar
    8. Ora bem, ainda hoje estive a debater essa questão com o meu marido e acho que ele começa a entender que vamos realmente usar e abusar do ovo nos primeiros meses e que a cadeira não é assim tão urgente. Como referi, não é algo que eu faça questão (comprar já a cadeira), mas sim ideia do pai - que obviamente eu devo respeitar. :) Ele quer ir falar com alguma loja da especialidade e esclarecer-se... porque efectivamente existem cadeirinhas a partir dos 0 meses... o que me parece algo estranho, pois vários comentadores disseram que é obrigatório ter o bebé para traz durante X meses (o que também penso ser real!!). Mas então porque existem cadeiras a partir dos 0 meses? Como a Tété escreveu, parece-me que as cadeiras concebidas para 0 meses em diante são também seguras. Acredito que sim. Obviamente que acredito que o ovo é mais seguro, até porque prefiro mil vezes a ideia de ter o bebé protegido virado para trás... mas, como referi, a cadeira, para o meu rapaz, seria mais uma questão de 'urgência', de ter o carro sempre pronto, para alguma eventualidade. Não seria um primeiro e único recurso. :) Ainda estamos a analisar essa questão!

      Eliminar
    9. Eu acho bem que ele vá a uma loja, mas não confiem em tudo o que ouvirem. Em Portugal não entrei numa única loja onde não as vendedoras não me tentassem demover da ideia de comprar uma base isofix porque "é caro e não vale a pena". Fiquei de queixo caído.
      Nos primeiros tempos, o ovo estará basicamente sempre onde está o bebé. :) Por isso, mesmo que ele tenha de ir buscar o filho a casa da tua mãe em veres de ir tu, estando o ovo em casa dela com o bebé, ele traz os dois juntos. ;)
      Quanto às cadeiras a partir dos 0 meses (recapitulemos: cadeiras grupo 0 são as alcofas, cadeiras grupo 0+ são os ovos (até 13kg, mais ou menos), cadeiras 1 são já cadeiras mesmo até aos 3/4 anos), que geralmente, são as 0+/1, elas permitem ir de costas. :) Geralmente, permitem ir de costas até aos 9 ou 13kg (o mesmo que um ovo) e depois tens de as virar de frente até aos 3/4 anos. :)
      Ou seja, não há cadeira nenhuma que compres que permita que coloques um recém-nascido virado para a frente, entendes? :)
      Eu, pessoalmente, não gosto muito destas cadeiras que abrangem vários grupos sobretudo para bebés tão pequeninos, não as acho tão seguras, mas é sem dúvida uma opinião pessoal, atenção.

      Eliminar
    10. Anónima original outra vez :) existem cadeiras que dão desde o nascimento porque vão viradas para trás até X quilos. Por exemplo,eu tenho duas cadeiras,uma em cada carro,uma concord e uma joie. Ambas são desde o nascimento,embora eu tenha usado ovo com o meu filho até aos 11 meses (e só mudei porque era verão e ele,alto e pesado,já não ficava lá confortável com cerca de 10 kg,embora idealmente devam ficar mais tempo no ovo) e depois mudei para uma cadeira que fizesse rear facing porque não tenciono virá-lo para a frente tão cedo. Aliás,a concord, que é topo de gama em termos de segurança, só faz rear facing até aos 23 kg que são o seu limite de peso e a joie, que é uma cadeira mais acessível mas ainda muito bem cotada, da até aos 18 kg (3 a 4 anos dependendo da criança) em rear facing e depois até aos 36 virada para a frente. Há um grupo no facebook muito bom e informativo sobre este assunto chama-se "movimento viagem segura - rear facing auto",aconselho. E cuidado com as vendedoras das lojas,não costumam estar muito informadas sobre o assunto,querem é vender cadeiras.

      Eliminar
    11. Anónima original, nem isso, acredite. Eu a querer ver cadeiras auto com isofix (que não são propriamente das mais baratas) e trios com uma série de especificidades (que obviamente aumentavam o preço), e em todas as lojas me diziam que isofix não valia a pena e era caro demais, e que para trios havia uns baratinhos e jeitosos. Para além de que, já cá em França, ter de ser eu a dizer à empregada quais eram os carrinhos, ovos e alcofas compatíveis entre si, porque ela assegurava que não eram compatíveis e pronto.

      Eliminar
    12. Apesar de existirem cadeiras rear facing desde os 0+, em termos de testes os resultados em caso de acidente não são tão bons. Isto é, a protecção dada aos bebés não é a ideal como no ovo. Ainda assim são comparativamente muito superiores a qualquer cadeira que os leve virados para a frente.
      (A ADAC tem vários exemplos onde mostra bem isto).

      Virar um bebé tão pequeno para a frente, apesar de poder ainda ser legal - não tenho a certeza - facto é que em caso de acidente, como a cabeça é muito mais pesada do que o corpo e eles têm pouquissima força nos músculos o risco de morte, de partir o pescoço, de lesões graves no cérebro, do síndrome do bebé sacudido etc é imenso.

      Eu para já comprei o ovo da Concord Air precisamente porque é um ovo leve, tem bons resultados ao nível dos testes de segurança e dá até mais tarde porque o ovo também "estica".

      Ps: Só um pequeno à parte: existem muitas cadeiras de bebé à venda que passam nos testes "à justa" e não têm grandes resultados no que concerne os acidentes, principalmente os laterais.
      Cada um escolhe o que pode e quer comprar obviamente mas com os descontos conseguem-se boas cadeiras a um preço relativamente acessível. Pessoalmente prefiro investir um pouco mais na segurança e deixar coisas como roupas de marca e afins ao canto na lista das prioridades.

      Em relação às lojas só vais tirar boas informações se for uma loja onde se vendam boas e más cadeiras e onde quem venda perceba alguma coisa do assunto (a maioria não sabe nada dos testes da ADAC, por exemplo ou outros semelhantes) pois se fores a uma onde só vendam cadeiras viradas para a frente ou pouco seguras vão-te mentir com quantos dentes têm. Garanto-te. Já vi acontecer e conheço várias pessoas a quem foi dito o mesmo.
      Quem te pode ajudar nisso são, por exemplo, as enfermeiras dos cursos de preparação para o parto, sites de segurança, guidelines europeias de segurança, etc. Nunca quem tem interesse em ganhar dinheiro, independentemente de deixarem o teu filho em segurança ou não.

      Eliminar
    13. Pois é Tété, o nível de conhecimento é muito fraco mesmo. Outro dia os meus sogros foram comprar uma cadeirinha (indicada por mim) para ter no carro deles. A cadeira faz RF até aos 18 kg. Pois a vendedora convenceu-os que era uma estupidez levá-lo virado para trás aos 18 meses, que só era obrigatório até aos 15 e que era "deprimente" para os miúdos irem virados para trás (ele anda sempre virado para trás e é tudo menos uma criança deprimida LOL que argumento estúpido) e que o pediatra dela (outros que é uma excepção perceberem disto) tinha dito que não havia vantagem nenhuma em levá-los virados para trás, que isso só se fazia nos países nórdicos por causa do gelo (!!! esta é puramente inventada). Para não criar situações desagradáveis e conflitos deixei passar, embora tenha deixado claro que não concordava com nada daquilo, porque o meu filho só vai andar ali muuuuuito esporadicamente e dentro da cidade e é verdade que mesmo virada para a frente a cadeira é boa, mas fiquei a fumegar por dentro com tanta ignorância.

      Eliminar
    14. Essa do pediatra não seria uma mentira para os convencer a levar o que ela queria? Não me admirava nada... Se calhar eu tenho sorte mas o pediatra do meu percebe do assunto.
      O meu filho tem 8 anos e a última que fui comprar foi uma da cybex. Ora a vendedora também queria empurrar uma daquelas que só tem a base porque "ele já não precisa". Oi?!
      Então aquelas cadeiras que são só a base estão a ser proibidas em vários países, nos testes é ver os dummies a bater com toda a força com a cabeça no vidro e ela vai-me dizer que eu não preciso de gastar tanto numa cadeira?! Ainda por cima estava a prejudicar a própria loja pois a que eu comprei custava mais de 200€ e a que ela me queria empurrar não chegava a 30€.
      Quando eu lhe perguntei se ela sabia que as bases estão a ser proibidas e são desaconselhadas por causa dos acidentes laterais ficou a olhar para mim com cara de poucos amigos. É uma estupidez a falta de conhecimento delas, é quase como ir a uma farmácia e ter que explicar ao farmacêutico o que são os principios activos da medicação. Eu não compro cadeiras para evitar multas, compro e uso a cadeira religiosamente porque em caso de acidente quero o meu filho o mais protegido possível. E para muitas parece que o conceito não lhes entra na cabecinha.

      Eliminar
    15. Por causa do gelo! Ainda me estou a rir! Ou seja, nos países onde não há neve e gelo não ocorrem acidentes que colocam a vida das crianças em perigo. Olha que esta.
      É incrível como é que a má informação se espalha desta forma. E depois as pessoas querem fazer o melhor e são assim enganadas.
      A minha filha também sofre de depressão por andar para trás no carro...E há-de sofrer até aos 4 anos. As pessoas não entendem que a um bebé/criança que nunca andou voltado para a frente não faz confusão ir de costas porque não reconhece outra realidade.

      Eliminar
    16. Anónimo das 12:29, não era mentira porque a cadeira era a mesma! Ela entendia - e convenceu os meus sogros disso - que a cadeira não deveria ir virada para trás com um bebé de 18 meses porque "só é obrigatório até aos 15" e as outras tretas. Ou seja, trouxeram a cadeira pretendida, mas virada para a frente, graças às teorias da senhora. A mim de nada adiantou argumentar que era mais seguro, também não quiseram ouvir, embora eu (que sou "só" mãe) saiba muito mais sobre o assunto do que a vendedora ou o pretenso pediatra porque procurei e estudei a informação e ninguém tem mais interesse em levar o meu filho seguro do que eu. Tété, é mesmo para rir. Seria cómico se não fosse trágico :/ o meu filho até andou virado para a frente nesse fim-de-semana e agora continua virado para trás alegremente, desde que vá com os seus brinquedos e música vai feliz. Sofre de depressão aguda, portanto.Enfim...

      Eliminar
  12. Ainda bem que estás tranquila, eu espero ser igual! Boa sorte para o que falta :)

    ResponderEliminar
  13. Olhando para trás percebo e lembro-me desse sentimento de até parecer que tudo está a passar de forma calma e um pouco lenta. Na altura também pensava isso. E pensava que estava a aproveitar tudo muito bem :) mas agora com o meu bebé já com 1 ano...olho para trás e parece que tudo passou a correr, incluindo a gravidez :o parece que já nem me lembro bem como foi e as vezes sinto que não aproveitei a gravidez. O que é errado porque sei que vivi tudo intensamente e aproveitei tudo. Mas o depois é que é. O depois é que faz tudo parecer distante e ter passado a correr. Eu estou a adorar a fase de agora, mas de vez em quando bate uma nostalgia desse momento de fazer o ninho :) é tão puro amor :)

    ResponderEliminar
  14. S* cuidado com a escolha das cadeiras, não sei se sabes mas é obrigatório os bebés até aos 15 meses andarem em cadeiras no sentido inverso ao da marcha. Excepto os ovos que andam assim, há muitas cadeiras que não dão por isso cuidado com a escolha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, bem sei, bem sei. Nós temos o ovo. :)

      Eliminar
    2. Penso que a anónima se referia à cadeira que pretendes comprar a seguir ao ovo, por dizeres que queres uma cadeira para depois dos 6 meses. :) De qualquer forma só uma pequena correcção: ainda não é obrigatório viajar de costas até aos 15 meses, é apenas por enquanto uma forte recomendação. Por isso é que ainda se vendem cadeiras em que um bebé pode ir virado para a frente com 1 ano, por exemplo. Em princípio deixarão de se vender estas cadeiras a partir de 2018 e nessa altura qualquer cadeira que se compre tem obrigatoriamente de ter a opção de ir de costas pelo menos até aos 15 meses. Na verdade, melhor seria a criança ir até aos 18 meses e idealmente até aos 3/4 anos, mas aí dependerá da vontade dos pais. :) De qualquer forma, sim, aos 6 meses virar um bebé para a frente é uma ideia um pouco louca, mesmo que seja permitido por lei. :)

      Eliminar
    3. Teté desculpe mas em Portugal houve uma alteração à Lei em 2013 em que é obrigatório andar no sentido inverso da marcha até aos 15 meses....

      Eliminar
    4. A minha filha mais nova, quase a fazer 3 anos, ainda viaja virada para trás. Ajuda termos uma cadeira que fica com bastante espaço entre as pernas e o encosto do banco, usamos esta cadeira mais confortável no carro onde fazemos viagens maiores. Mas mesmo no outro carro vai sempre virada trás.
      Confesso que ver um bébé de 6 meses a viajar virado para a frente me faz alguma confusão.

      Eliminar
    5. Talvez não me tenha explicado bem. Sim, houve essa alteração mas ainda se está no período de implementação. A lei não começa logo a funcionar preto no branco porque isso obrigaria todos os pais que acabaram de comprar uma cadeira que permite ao filho de 1 ano ir de frente para a estrada a ir comprar uma nova, o que não seria possível para a maioria das carteiras. É por fases. Entretanto as cadeiras deixarão de ser vendidas, passando a existir apenas as cadeiras que permitem ir de costas. E depois sim, torna-se mesmo proibido viajar de frente até aos 15 meses. Claro que a S* deverá informar-se sobre isto já que pretende comprar uma cadeira com mais de um ano de antecedência. :)

      Eliminar
    6. S*, desculpa a invasão do tópico com isto, mas agora com a pequenita a dormir já consigo orientar as ideias e dar uma resposta mais precisa: Antes as cadeiras auto para crianças regiam-se apenas pela norma ECER44/04. Em 2013, chegou uma nova norma, a i-Size (ou ECER129), e esta traz algumas alterações como por exemplo: passa-se a escolher a cadeira em função da altura e não do peso, introdução de novos testes de choque lateral, uso do isofix e a obrigatoriedade de viajar de costas até aos 15 meses. Ou seja, todas as cadeiras construídas segundo esta nova norma obrigam a que o bebé viaje de costas até esta idade. Contudo, as duas normas continuam a existir em Portugal. É assim possível comprar uma cadeira com a norma antiga (ou seja, em que um bebé de 12 meses vá virado para a frente) ou uma cadeira com a nova norma. No fundo, a norma i-Size é por enquanto uma alternativa de compra. Em 2013, quando esta nova norma surgiu muitos pais ficaram preocupados porque pensaram que teriam de trocar as cadeiras para não apanharem multas, mas a própria APSI veio clarificar que não é necessário. A ideia será, em princípio, que a partir de 2018 deixem de ser vendidas as cadeiras da norma antiga, para que depois a norma i-Size possa ser a única aceite, e aí sim deixaremos de poder usar as cadeiras com a norma antiga (da mesma forma que agora já não podemos usar cadeiras com a norma anterior à ECER4404). :)
      Quanto à segurança, viajar de costas reduz 5 vezes a probabilidade de ferimentos ou mesmo morte em caso de acidente. Não há volta a dar, é mais seguro viajar de costas. Agora, cada pai é que decide que cadeira quer comprar.

      Eliminar
    7. Tété, muito obrigada pela preciosa ajuda! Ainda hoje vimos uma reportagem no youtube sobre o sistema Isofix e a importância das cadeirinhas e do viajar de costas. Como indiquei, nós o ovo já temos, a cadeirinha que o pai quer seria apenas um 'segundo recurso' para as emergências - e um primeiro curso para depois dos 12 meses. Mas estamos ainda a ponderar. ;)

      Eliminar
    8. Ponderem, sim. :) Pessoalmente, acho que é daquelas coisas em que vale a pena investir um pouco de tempo a ver o que é melhor (dentro do orçamento possível). Eu sou fã do sistema isofix, foi aliás o ponto do qual partimos: ovo e cadeira com isofix, e a partir daí vimos as opções. Mas nem todos os carros permitem o uso do isofix, e por exemplo as cadeiras da nova norma i-size são geralmente mais caras, ou seja, não dão para todos os bolsos.

      Eliminar
  15. O tempo passa a correr, desejo-te uma hora pequenina :)

    ResponderEliminar
  16. É normal as grávidas e os pais não serem todos iguais mas tenho a certeza que quando o bebé nascer, todas as dúvidas que ainda possam existir, vão dissipar-se.

    ResponderEliminar
  17. O teu marido depois aprende :) que remédio né lol mas é normal que ele esteja assim é novidade e tem medo.
    Tudo passa com o tempo.

    ResponderEliminar
  18. As duvidas são todas normais mas depois de nascer existe um instinto natural para as coisas :)

    ResponderEliminar
  19. Engraçado que ao ler o teu post fiquei com dúvidas de onde me enquadro. Achava-me relaxada mas agr N sei. Estou de 6 meses e ainda N comprei nada. Estou a gozar as minhas férias e só Qd voltar penso começar a comprar. No entanto já investiguei bastante e vou comprar o carrinho da concord neo até pq o ovo é Mt Mt leve, com isofix (mais tarde Tb vou querer a cadeira da mm marca..virado para trás o máximo de tempo possível). Vou herdar um berço next to me que dizem dar Mt jeito. E depois vou comprar algumas roupinhas (Tb sou apologista do pouco que depois se vê o q necessito), fraldas (q por opção serão reutilizáveis) e N vejo Mt mais.
    Decoração n M interessa minimamente pois acho q o bebe n precisa, e precisa de um ambiente calmo e sereno.
    Vai nascer em Julho e afinal tenho que dar à perna para ser sequer relaxada.

    P.s.: sei q dizem bem dos algodões da primark e tal mas a minha consciência n M deixa comprar algo cujo valor n da para pagar quase a água para lavar essa peça. Não quero o meu filho vestido à custa da exploração dos outros (possivelmente crianças). Enquanto puder olho sempre para a origem da produção das coisas.

    De resto, depois do testamento, não sebpreocupw pq o Rafael será Mt feliz com certeza. O amor dos pais ultrapassa qq dúvida ou receio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estou mais ou menos do mesmo tempo e o meu filho vai nascer + ou - no mesmo tempo.
      Acredite que pelo menos para mim é mesmo relaxada... por outro lado, na outra gravidez fui recambiada para a cama por volta das 20 semanas e às 30 semanas já estava no hospital. Portanto eu prefiro mesmo ir preparando e não passar pelo stress de ter um bebé praticamente a nascer sem eu ter nada em casa.

      E queria só alertar para os carrinhos. É que há vários sítios onde os ovos e afins demoram mais de 3 meses a chegar... Por aqui aproveitamos a promoção da bebitus que tiveram o concord air um domingo com 70% de desconto.
      Mas isso cada um sabe de si :) eu prefiro ir comprando e aproveitando as promoções.

      Eliminar
    2. Unknown, respeito totalmente, mas eu fico ali no meio termo. Muitas as mamãs do grupo que frequento já têm o quarto pronto e as roupas preparadas. Eu não tenho nada disso. Mas, nesta fase, por exemplo, não me falta nada de essencial. Tenho tudo. Faltam agora algumas coisas - falta sempre algo - mas nada que me preocupe.

      Quanto ao não ver 'muito mais' para comprar é que é algo que me parece 'estranho', até para mim, que sou relaxada. E as chuchas, os biberões, as fraldas de pano, as mantas? O kit de higiene, corta unhas, termómetro, as pomadas? Estas coisas parecem-me algo essenciais, porque qualquer bebé precisa delas. Digo eu. :) Mas cada uma sabe de si. Certamente o seu bebé também será muitoooo feliz.


      Anónimo das 17h29, tenho tido uma gravidez santa, mas também quero chegar ali às 32 semanas com tudo absolutamente pronto. Nunca se sabe. ;)

      Eliminar
  20. (Anônima relaxada)

    Como referi fiz as minhas pesquisas e carrinhos esgotados N vi...talvez N seja esquisita! O concord já vi em vários locais.

    Quanto a necessidades...lamento N achar biberão necessário. Não sei se vai precisar caso consigo amamentar...e se precisar com certeza N esgotam todos no mesmo dia. Até porque sei por experiências próximos que é todo um mundo de tetinas que podemos ter que experimentar.
    Claro que há artigos de higiene mas acha mesmo que precisam de 3meses para meia dúzia de coisas? Do que vejo à minha volta são mais as pessoas que se arrependem das centenas de euros empatadas do que de terem que ir comprar uma coisa ou outra.

    Depois acabo a ver a darem/venderem biberões/roupas/etc novas para desempatar.


    Perspectivas diferentes claro mas só não posso concordar que seja relaxada pois não é nada disso que transmite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Unknown, desculpe, mas eu acho que sou relaxada porque não sou uma pessoa preocupada... mas sou extremamente organizada e metódica. :) Não ando preocupada com nada, mas gosto de ir organizando tudo, entende? Se acha que eu não sou relaxada, o que diria de mães do meu grupo que já têm o quarto e as roupas prontas há um mês. ahah

      E claro que pode comprar um biberão depois, claro que sim... mas eu prefiro ter os biberões antes, porque imagine que me acontece alguma coisa? Ou que é uma espécie de emergência e eu não posso ir? Nessas coisas, prefiro ser eu a escolher. :)

      De qualquer forma, é irrelevante, cada uma age como se sente melhor... boa sorte!!

      Eliminar
    2. Dei com isto numa pesquisa do google agora e nunca mais tinha visto a resposta. Nem sei se a Unknown ainda cá virá mas fica a resposta.

      Os carrinhos e o concord Air de certeza que o encontra em muitas lojas. Que consiga o ovo que custa mais de 200€ por 70€ como eu consegui com a promoção é que eu duvido.
      Se eu tivesse à espera até agora de certeza que não o apanhava mais com uma promoção semelhante. Idem para outros trios e afins que tenho visto: já vi trios, com ovos considerados muito seguros a ficar com 50% ou mais de desconto e ou se aproveita ou então dá-se o valor por completo. Cada um sabe de si, eu prefiro poupar centenas de euros do que deixar andar.

      Idem para os outros produtos todos.
      Com certeza consegue um biberão qualquer em qualquer época. Consegue um dr Brown de um momento para o outro ou um tommee tippee anti-cólicas? Que são os únicos 2 no mercado com um verdadeiro sistema anti-cólicas e os outros mesmo que digam anti-cólicas não fazem nada para o ser?! Eu por aqui já vi da tommee à venda da pré-natal de facto mas a custarem 3x mais do que paguei por eles. Os do dr. Brown nunca vi à venda em Portugal em lado nenhum.

      Até fraldas para os primeiros tempos já comprei: em 50% e 70% de desconto. Porque sei que vou precisar.

      Quem vai pesquisando e vai aproveitando as promoções poupa centenas de euros. Quem deixa tudo para o última dá o preço que é pedido no momento. No entanto cada um faz como bem entender.
      Daí a sermos preocupadas/ansiosas vai uma grande distância - eu gosto de comprar com cabeça e poupar o máximo possível.

      E comprar com antecedência e de forma planeado não tem nada a ver com comprar demasiadas coisas.

      Eliminar
  21. Ainda bem que estás calma, porque as coisas fazem-se na mesma :) gostei da decoração do quarto do bebé, pareceu-me bonita e equilibrada.. Boa sorte com o tempo que falta, querida S*!

    ResponderEliminar