segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Trump... again!


Não me interpretem mal, que eu não simpatizo minimamente com o Trump e acho uma tristeza os Estados Unidos da América terem um presidente bronco, machista e cheio de preconceitos (se bem que a Hillary também não era grande figura, com defeitos diferentes). 

Dito isto, já não posso com tanta manifestação, com tanto discurso, com tanta manifestação de ódio para com o Trump. Pior, para com a família - seja a mulher, sejam os filhos. Acho um claro abuso o que têm feito aos filhos dele, crianças incluídas.

Se a democracia permite a toda a gente andar a dizer o que pensa e discordar do resultado das eleições, também permite que (mal ou bem) os americanos tenham escolhido o Trump. E escolheram. Votaram. 

Por vezes dá a sensação que a eleição dele foi obra do Espírito Santo (ou do espírito diabólico...). Não foi. Foram feitas eleições. Ele ganhou. Já começa a cansar-me toda esta campanha anti-Trump por todo o lado. Ele está apenas a cumprir aquilo que prometeu. Inacreditavelmente, ele está apenas a fazer aquilo que prometeu. Está a cumprir as promessas que fizeram dele presidente. Os americanos votaram nele. Não fui eu que votei. Não foram vocês a votar. Foram os americanos. Se eu acho que fizeram mal? Bom, acho. Mas também acho que a Hillary Clinton tinha muitos rabos de palha.

Resumidamente, era entre o mal e o pior. Provavelmente venceu o pior... mas o pior está apenas a fazer o que prometeu.

Todo o dia temos de ler/ver as manifestações anti-Trump, passando uma espécie de ideia de que ele não foi o legítimo vencedor. Temos discursos nos Óscares, discursos aqui, discursos ali... Até já circula uma petição para banir o Trump de uma visita à Grã-Bretanha (?).

Não entendo propriamente o choque e a estupefacção com que o mundo está a acolher as medidas que ele tem tomado: eram as que ele tinha prometido tomar. Se são uma merda? Sim, são. Se são uma falta de respeito? Sim, são. Mas são as dele e as que fizeram com que os americanos votassem nele. Que esperam que aconteça agora? Que o demitam? Não pode ser... As democracias não são apenas válidas quando concordamos com o resultado das mesmas. 

Estava eu a escrever este texto quando, na Sic Notícias, a jornalista pergunta, em directo, ao presidente da comunidade islâmica em Portugal, se "não teme que outros países peguem no exemplo - no mau exemplo - dos Estados Unidos?", e o meu coração apertou-se um bocadinho mais pelo jornalismo... O senhor da comunidade islâmica foi um Senhor, não entrou em polémicas, tentou acalmar ânimos, tentando respeitar as decisões de um país soberano... e a jornalista mata a entrevista com aquela pergunta absolutamente parcial. 




Isto também é válido para Portugal. É sempre fácil invadir as redes sociais com indignação e protestos, achincalhando políticos e criticando decisões... Mas, na hora da decisão, gostava que 50% ou 60% dos portugueses não ficasse de rabo alapado a ver o 'Dia D' a passar.  


PS: Comentários onde insinuem que estou a defender o Trump serão gentilmente apagados, que hoje não me apetece lidar com comentadores que torcem e retorcem os meus textos.

54 comentários:

  1. Só faria um reparo. A maioria não votou no Trump... O sistema deles é uma confusão. A Hillary teve mais de 2 milhões de votos que o Trump... No entanto os votos não têm todos o "mesmo peso"... Já tentei perceber os meandros daquilo e dá-me sempre um nó no cérebro ahahaha mas de resto concordo contigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, infelizmente tem toda a razão. Não consigo bem compreender tal sistema, era a mesma coisa que os votos das pessoas de Lisboa valerem mais do que os das pessoas de Viana... mas é um facto. :/ Corrigido.

      Eliminar
    2. É basicamente tipo, lembram-se quando se dividia Portugal em províncias? Exp há 5 províncias. Uma delas tem um milhão de eleitores, cada uma das restantes 4, tem 100.000 eleitores.O Trump ganha por unanimidade nestas 4 e leva com um milhão de votos contra, na restante. Ou seja, é vencedor com 400.000 votos, num universo de 1.400.000 eleitores, em que todos votaram! É uma "espécie" de democracia, aliás, nenhuma é perfeita mas de facto, o Trump só ganhou por este método vigorar, parece-me.

      Eliminar
    3. Vinha comentar o mesmo que o Anónimo. E é por isso que há tanta gente descontente com a situação. Além das preguiçosas que não levantaram o rabinho e não foram votar, temos aqueles 2 milhões que não se sentem "ouvidos". (NA verdade, não são só os 2 milhões, mas sim todos os votantes na Hilary - embora também não fosse grande coisa).

      Eliminar
    4. Bem, de certa forma um voto em Lisboa vale de forma diferente do que em Viana - como Viana elege menos deputados que Lisboa, quem vota num partido mais pequeno em Viana tem mais hipóteses de ver o seu voto "desperdiçado" que quem vota num partido mais pequeno em Lisboa. Não há sistemas perfeitos, infelizmente, mas o nosso também podia ser melhorado.

      Eliminar
  2. É verdade, se calhar se mais pessoas tivessem votado e votado bem, não era nada disto. Mas as escolhas também não eram as melhores.

    ResponderEliminar
  3. Independentemente se gosto dele ou não (que não gosto), ele está lá porque ganhou as eleições. E está a cumprir o que prometeu! Se prometem e não cumprem é um sarilho, se prometem e cumprem é um sarilho. Humano a ser humano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso não significa que as promessas dele não sejam uma merda... mas a malta votou nele consciente de que ele ia construir o muro e de que ia afastar os imigrantes dos EUA.

      Eliminar
    2. A maioria não votou nele.

      Eliminar
    3. Anónimo, no sistema deles, foi o mais votado, mesmo com menos votos. Mas foi o vencedor.

      Eliminar
    4. Ele não foi bem o mais votado. Ele teve sim a maioria dos votos mais importantes (sistema muito estranho para o país que queria auto-intitular-se o país da liberdade).
      No entanto, se conheço algumas pessoas que sempre foram contra o dito sistema, facto é que a maioria dos americanos não eram. Aliás nem a Hillary era contra o sistema deles (que desculpem mas sempre me pareceu muito corrupto), aliás ela fazia parte do sistema e quando ela "venceu" contra o Bernie da forma como fez também não se importou com os caminhos que tomou para o fazer... ora se tivesse sido Bernie vs Trump (e teria sido, sem a influência que houve para que ela vencesse) provavelmente os EUA teriam um dos melhores presidentes possíveis daquela embrulhada que ali estava.

      O grande problema,a meu ver, não é o facto dele ser presidente e de fazer o que quer no país dele. O problema é o facto de ele comandar um país demasiado poderoso que tem influencia directa e indirecta na nossa vida também. À escala mundial na realidade.

      Ps: Os laboratórios que pesquisavam alternativas para as alterações climáticas já estão parados. Até ordem em contrário. E nenhum dos investigadores sabe se ou quando vão poder voltar a investigar.
      Outra coisa que também ainda não ouvi em noticias portuguesas é que nenhuma das instituições cientificas que estejam relacionadas com o meio ambiente estarão autorizadas a falar com a imprensa. Vai tudo passar primeiro pelo Estado (a mim "cheira-me" a lápis azul), ou seja, se eles quiserem dizer que há riscos elevados para a população numa determinada zona ou por uma determinada obra, etc não podem falar com a imprensa, será ilegal. Só será transmitida essa informação à população se o Trump (e colaboradores) o permitir. Não acho normal.
      Por cá também ainda não se falou do facto dele já ter anulado quaisquer ajudas a instituições de solidariedade social que promovam serviços de saúde que incluam o direito à escolha sobre o aborto.
      E estas foram apenas duas medidas que ainda não vi serem faladas cá e que me estou a lembrar de repente.

      Eliminar
    5. Anónimo das 22:17, o ataque dele ao aborto já tinha ouvido falar...mas essa questão do meio ambiente desconhecia por completo, embora me considerando relativamente bem informada. Que triste!!

      Eliminar
    6. Eu tenho visto algumas noticias directamente na fonte. Acho normal que por cá não se fale de tudo mas este atentado (a meu ver) quase literal à liberdade de expressão mete-me uma confusão danada. No entanto, a noticia que li também pode estar distorcida a algum ponto.

      Em relação à paragem da investigação tenho um colega lá que neste momento não sabe se o dinheiro investido na sua formação vai ao ar ou não (está a desenvolver um projecto no âmbito da conservação do meio-ambiente que está englobado na tese) e diz que também ainda não percebeu bem os meandros mas parece que está mesmo a existir uma tentativa de controlo sobre aquilo que os investigadores possam descobrir vs. aquilo que será possível ser transmitido ao público.

      Se pesquisares pelas noticias recentes relacionadas com a Environmental Protection Agency (EPA) deves encontrar mais informação sobre isso.

      Eliminar
    7. Eu acho esta onda anti-Trump positiva, sinceramente. Os EUA não vivem isolados do mundo! Partilhamos todos o mesmo planeta. Ver o Trump dizer que as alterações climáticas não existem e são invenção dos chineses é só mais um apelo à nossa participação, à necessidade de nos levantarmos e sermos ainda maiores, de nos unirmos.
      Eu só estranhava se ninguém se indignasse!!
      Temos de estar atentos e agir como humanos habitantes do planeta Terra, por nós, mas, sobretudo, pelos nossos filhos.

      Eliminar
    8. Para ser sincera, no meio disto tudo, fiquei pasma com as declarações da China. Estamos a falar daquela China que faz o que faz ao meio-ambiente e vêm explicar ao Trump o problema de não termos em consideração as alterações climáticas!

      Eliminar
    9. Concordo completamente consigo, Marta! O que se passa lá não fica apenas lá, tem múltiplas implicações para todos.

      Eliminar
    10. Anonimo das 22.17, por acaso cá falou-se dessas duas medidas "criminosas" sim. Eu vi algures, se foi em canal generalista com de algum de "noticias da tv cabo", já não sei, mas vi noticias sobre isso.
      Por acaso, não me surpreenderam, ele está a ser aquilo que sempre mostrou, e infelizmente, é bom que se fale nisto, porque estas medidas também nos afetam. As das alterações climáticas afetam o mundo todo...

      AnaC

      Eliminar
  4. Tenho de discordar em certa medida. Custa-me muito ouvir alguém dizer que já chega de manifestações, isso é baixar os braços, algo que criticas no fim do texto como sendo algo que acontece em Portugal. Quero lá saber se foi eleito democraticamente, também sei que o meu não querer saber não altera em nada os factos. Também o Hitler foi, de certa forma, olha que esta. Apesar da sua campanha não falar abertamente do holocausto, a maior atrocidade foi a cumplicidade do povo alemão. Acho muito bem que haja um número interminável de manifestações, protestos, tudo e mais alguma coisa. As pessoas estão a mostrar resistência e oposição, porque, de facto, a maioria dos votos populares não foi para o Trump. Por mim, desde que não recorram à violência, que manifestem sem fim, que questionem, que protestem, que gritem, que se apoiem, que não desistam, todos os dias. Que o Trump caia e leve a corja deplorável que o rodeia. Obviamente, a família dele nada tem a ver com isto, mas quantos milhares de filhos de imigrantes também não? Acredito, piamente, que esses sofrem mais do que o filho do Trump. Este assunto enerva-me tanto, que nem sei se faço sentido quando me exprimo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cecília, eu nunca disse para não se manifestarem... eu é que já estou cheia de tanta campanha anti Trump nas nossas televisões. Engraçado que os apoiantes não mostram - e há, há bastantes!!

      O Hitler foi eleito, sim, mas não tinha prometido matar ninguém, tanto quanto eu saiba... Embora, sim, os alemães (e não só!!!) tenham sido cúmplices, através do silêncio... e do medo. Não se pode dizer que votaram nele de forma consciente e é nesse ponto que tentei tocar. :)

      O sistema eleitoral dos EUA é diferente do nosso e, goste-se ou não, ele ganhou. Se as pessoas que agora se manifestam tivessem todas cumprido o seu dever (não legal, mas moral) de ir votar, agora não teriam por que se manifestar. É isso que critico: na altura em que podiam fazer algo, não fizeram... e agora queixam-se.

      Eliminar
    2. bravo Cecilia! é mesmo isso.

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Não tenho acompanhado muito a questão do Trump porque não me apetece ficar mal disposta e, se se metem com a mulher e os filhos deles não serão melhores que ele. No entanto, algumas medidas deles são pior que desrespeitosas, são muito comuns a outras que foram tidas no passado e acabaram muito mal. Quando ele torna uma pessoa suspeita apenas pela nacionalidade acho que isso é basicamente um crime. E acho excelente que as pessoas (principalmente as que têm visibilidade se manifestem (claro que o devem fazer de uma forma racional e inteligente).
    Quanto ao jornalista... nem o chamaria de jornalista, essa atitude muito indigna da profissão.

    ResponderEliminar
  7. Por mim o Trump não era o Presidente, pois não me identifico minimamente com os seus ideais. No entanto, as pessoas acusam-no de ser uma criatura maléfica mas depois existem muitas que são capazes de tecer comentários atrozes aos seu filho, que é apenas uma criança. Tanta crítica ao Trump para depois terem atitudes igualmente reprováveis. Não entendo... Daniela Torres

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em relação ao filho concordo.
      Acho o Trump detestável mas as pessoas que gozam com uma criança não lhe ficam atrás.
      Ele é apenas um miúdo. E acho que as pessoas levam estes ódios e protecções longe demais. Ele é um miúdo e atacam-no por nada mas a filha do Obama que foi apanha a fumar ganza (algo ilegal no país deles) e teve um tratamento misericordioso porque era apenas uma adolescente. Irritam-me estes 2 pesos e 2 medidas.
      Não acho que ela tenha cometido um crime horrível ou coisa que o valha mas ela foi completamente protegida enquanto o filho do Trump não fez mesmo nada de nada e atacam-no sem dó nem piedade.

      Eliminar
    2. Anónimo, eu era fã do Obama, mas reconheço o proteccionismo que a Europa tinha para com ele. Essa situação da filha mais velha foi um bom exemplo. :)

      Eliminar
    3. Quer algo mais evidente: é contra a imigração ilegal mas acho que só se preocupa se essa 'imigração' tiver pele escura. É que a excelentíssima primeira dama, fala ainda com sotaque carregado de leste, típica imigrante, mas como não é latina nem africana, tá tudo.

      Eliminar
    4. barcelence o seu comentário não faz muito sentido. Ele ser contra a imigração ilegal não significa que seja contra quem vai legalmente para o país, tem visto de trabalho e faz tudo legal.
      Desculpe mas eu também sou contra a imigração ilegal em Portugal (e em qualquer outro país do mundo). Já vivi em alguns países e nunca estive ilegal em nenhum.

      Se ainda criticasse o facto da mulher ser imigrante legal e ele neste momento estar a querer banir imigrantes legais, pessoas com vistos de residência, com os green cards e pessoas com dupla nacionalidade aí concordaria consigo.

      Eliminar
  8. Concordo ctg. Se ele venceu é pq o escolheram. E entre ele e a Clinton... como se diz: venha o diabo e escolha.

    ResponderEliminar
  9. Eu não suporto o Trump, não o posso ouvir... Mas também me faz comichão pessoas que não votam e depois reclamam. Votassem! Fizessem a parte delas!

    ResponderEliminar
  10. O sistema deles de votação é diferente do nosso e eu sei que sabes disso, eu não sabia e quando ele ganhou, pois tudo apontava para ser a Hillary, fiz perguntas, pesquisei e compreendi, é confuso? é sim! mas é assim, e como dizes em cima se cá fosse assim, se em Lx votassem e x só, os de Viena que até seriam mais, de nada valiam. Se quiseres lê este artigo : http://www.tvi24.iol.pt/internacional/eua/como-funcionam-as-eleicoes-nos-estados-unidos
    Eu também o detesto e só espero que não nos venha trazer problemas a nós.

    ResponderEliminar
  11. Também não consigo gostar desse senhor...

    ResponderEliminar
  12. discordo em absoluto. nunca, nunca, nunca parar de acreditar que vale a pena lutar por aquilo que achamos certo. calar é compactuar, e a historia nao foi feita pelos que calam. acredito que ele nao vai ficar ali 4 anos, e isso vai dever-se a quem também acredita e se recusa a baixar os braços. go america! the world is with you!

    ResponderEliminar
  13. "As democracias não são apenas válidas quando concordamos com o resultado das mesmas. "
    Como esta frase está tudo dito.

    ResponderEliminar
  14. Para mim dos males o menor. Quem conhece wikeleaks que nunca soltou uma mentira sabe a verdade sobre a Clinton. Wikileaks esse que inclusive era o heroi dos liberais depois do que revelou sobre Bush anos atras e ja agora virou o pior inimigo dos mesmos, lol. A lista de sete paises banidos por apenas tres meses enquanto sao implementadas melhores formas de checagens de quem entra foi feita pelo governo Obama, Trump esta apenas trabalhando com esta lista e acho inclusive que falta muitos outros paises que assim como os sete possuem extremo historico terrorista. A obrigacao de um presidente e colocar a seguranca de seu povo em primeiro lugar, pelo menos dois dos ultimos ataques terroristas em Europa foram feitos por muculmanos que entraram como refugiados. Em 2011 Obama parou de receber refugiados por seis meses, mas va la, a midia ou os liberais nao disseram um A, porque o mesmo era/e cachorrinho da agenda esquerdista mundial e do politicamente correcto, entao ta tudo bem, o mesmo com o que ele fez aos Cubanos que tentam fugir do comunismo, ora senhores, nem um pio. Quem sabe da situacao em Alemanha, Suecia e Franca sabe bem como as coisas estao muito piores apos a entrada dos refugiados, em alguns lugares de Franca eles inclusive vivem debaixo da demoniaca sharia law, sem se preocupar com as leis do pais. Isto nao e uma religiao mas uma teocracia e o intento deles sempre foi e continua sendo o de dominar. Aqui ele tem feito otimas coisas ate agora, uma das mentes mais brilhantes do mundo dos negocios se torna um governante que faz o que promete, mas coloque la um politico de carreira para ver a grande merda, como o querido Obama que saiu deixando os maiores indices de pobreza e criminalidade dos ultimos tempos como tambem dobrou o debito, foram precisos 43 presidentes ao longo de imensas decadas para fazerem um debito de 9.5/10 trilhoes, Obama sozinho em apenas 8 anos dobrou este debito para 20 trilhoes, e tambem deixando o pais tao dividido racialmente como na decada de 60, sempre jogando o race card com a demagoga e hipocrita Michelle. O saber ser simpatico dele nao me compra, nao sentirei a menor falta, para imensa gente aqui ja vai tarde. A Clinton trapaceou e tomou o lugar do Bernie, o que nao foi de todo ruim pois o velhinho tinha planos que quebrariam os cofres dos Estados Unidos em no maximo dois anos, um governo gigante. As coisas por aqui nao andam nada bonitas. Trump era a melhor escolha e o povo americano estava cansado e nao queria mais do mesmo, como tambem os imigrantes que aqui vivem legalmente. O sistema eleitoral daqui funciona muito bem, os founding fathers eram genios, nao fosse assim todo o pais seria mandado e desmandado por 3 unicos estados, California, New York e Florida, nao haveria mudanca de partido, sempre os democratas que hoje em dia sao esquerdistas a ganhar. Com Portugal tendo um pessimo governo esquerdista eu e que nao acho ruim os republicanos terem ganhado aqui apos longos oito anos e nesse momento nao pretendo voltar. Esta loucura dos leftists so faz mal a eles mesmo, continuem assim e garantirao a Trump mais 4 anos. Sou mulher e nunca me ofendi por nada que ouvi deste senhor, muito menos por conversa particular parva sobre sexo com figura de linguagem de 12 anos atras. Continuarei feliz com meu voto ate ter reais motivos para nao estar. E uma pessoa que demonstra realmente amar este pais e seu povo e que quer colocar esse mesmo povo em primeiro lugar como e a obrigacao de um presidente, o que definitivamente nao estava acontecendo antes, imigrantes ilegais e afins estavam vindo antes dos Americanos, enquanto os veteranos morrem nas ruas. O pernicioso politicamente correto perdeu e espero continuar perdendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "uma das mentes mais brilhantes do mundo dos negocios se torna um governante que faz o que promete"
      Só com esta frase mostra que não sabe nada sobre o Trump. Tem noção que ele não construiu nada sozinho e que herdou a sua riqueza? Sabia que ele foi à falência pessoal várias vezes e foi o paizinho que lhe meteu a mão? Sabia que ele já perdeu a maior parte da fortuna que o pai lhe deixou?? Homem brilhante é para rir.

      O medo de alguns americanos por um bom presidente realmente é para rir. De facto as leis dos fundadores eram boas...na época. Agora não passa de um modelo obsoleto e ultrapassado onde apenas se está a dar primazia a uns americanos sobre os outros.
      Ainda assim achar que um país onde só se pode escolher basicamente democratas ou republicanos é algo bom...enfim só mesmo quem vem de um país de 3º mundo para achar os EUA bons.

      Como é que se justifica um país com o poder e o tamanho dos EUA, ser o único pais dito desenvolvido sem um sistema de saúde justo para os seus habitantes? O único que tem os equipamentos mais desenvolvidos e mais pessoas sem acesso ao mais básico direito humano: saúde.

      E por acaso também não gosto nada do governo português actual mas olhe que entre o Trump e o Costa a minha escolha seria o Costa. É que ele não passa de um narcista, arrogante e burro. Mas é com as teorias fáceis que os americanos gostam. Afinal com um dos piores sistemas de ensino do mundo no que concerne a educação básica, um país onde é permitido ensinar às crianças teologia, creacionismo e fazer lavagens cerebrais de modo a que acreditem que os dinossauros nunca existiram ou que viveram ao mesmo tempo que as pessoas...pois, não dará para mais.

      Ps: O Bernie não iria destruir a america em termos economicos mas para compreender isso teria de compreender algo sobre economia e sobre os mercados...algo que não compreende. Nem o Trump, já agora.

      Eliminar
    2. Parei de ler na parte em que fala de "mente brilhante" :)

      Eliminar
    3. Muito obrigado, anónimo das 04:26. Até que enfim, um comentário lúcido.

      Eliminar
  15. As pessoas precisam entender que imigrar, seja de que forma for, ser aceito em outro país é um privilégio não um direito. Lei e ordem! Gosto deste blog e sempre passo para ler mas a qualidade tem mesmo caído, se me permites dizer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é "ser aceito". É ser aceite que se diz.

      Uma coisa é a lei, outra é um presidente que desrespeita as leis do próprio país e faz leis racistas só porque lhe apetece.
      Engraçado como ele não baniu a entrada de individuos do Paquistão ou Arábia Saudita (nas listas deles são desses países a maioria dos radicais sinalizados na America). Mas se formos ver os negócios que ele tem com esses países se calhar já percebemos o porquê de não os ter banido também.

      Ele só está interessado na sua própria Agenda e em colocar no poder todas as pessoas mais mentecaptas e mais próximas que tem de si. Além de que mente com quantos dentes tem em várias circunstâncias, tudo para ficar bem visto.
      É um potencial Hitler, sim, basta que não haja oposição decente. E é burro que dói.

      Eliminar
    2. pelo visto a inteligente é você...

      Eliminar
  16. Não gosto do Trump muito menos das políticas que ele quer instituir, mas se ele está onde esta é porque votaram nele para presidente, agora não se queixem.

    ResponderEliminar
  17. Concordo em absoluto com o que dizes. Foi o que eles escolheram, agora que lidem com a situação. Vale de muito andar aí dia si,, dia sim, a fazer manifestações e publicações e o diabo a quatro a dizer mal dele. Está escolhido, está a fazer o trabalho para o qual o elegeram. Deal with it. Já mete nojo tanta conversa.

    ResponderEliminar
  18. Eu não gosto do Trump, mas concordo contigo. Se bem que a forma de votação e eleição deles é diferente, e ele ganhou com menos votos que a Hillary tinha... Por isso é um bocado confuso. Mas a verdade é que existem milhões de pessoas como ele no Mundo. Estavam era até agora enfiadas nos seus covis. E agora vão começar a aparecer.
    Um beijinho grande*
    Novo blogue! Crazy Cat Lady

    ResponderEliminar
  19. É um assunto muito controverso. Acho que o que está mesmo mal naquele país são as leis que permitiram colocar um "homem" destes no poder. De qualquer forma, compreendo a tua visão, já não se aguenta tanta conversa nas televisões.

    ResponderEliminar
  20. É mesmo de ficar farta e cansada com tantas manifestações. O problema, que eu vejo, é que quem faz essas manifestações não são as pessoas que votaram nele, porque essas estão a "levar" efetivamente com o que ele prometeu e portanto devem estar satisfeitas da vida. O problema são as outras, as pessoas que não votaram nele, não queriam que ele ganhasse, que fizeram manifestações e campanhas para que ele não fosse eleito, mas de nada adiantou porque os outros, ao que parece, eram a maioria e portanto ele ganhou. Mas as manifestações continuam porque a verdade é que há muita gente que nunca aceitou a possibilidade de ele ganhar e que agora também nunca vão aceitar a realidade dele ter ganho. Acho que tão cedo não vai acabar esta saga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não eram a maioria, a Hilary ganhou por votos.

      Eliminar
  21. Mas olha que, se bem me lembro, Hitler também foi aleito com o argumento da supremacia da raça ariana...
    Vais-me "apagar"? eheheh

    ResponderEliminar
  22. A grande questão é que a democracia não é só o momento das eleições - era terrível se um voto fosse um cheque em branco a cada quatro anos para alguém fazer o que quisesse.
    Por isso há os limites da lei, os limites do poder executivo (aqui exercidos pelos outros poderes, pelos parlamentos, pelos tribunais, pelas constituições) e as garantias civis, como os direitos de expressão e de manifestação. Se alguém foi eleito mas ninguém concordar com uma medida, muitas vezes recua, aconteceu muitas vezes ao longo da história, na maioria das nações democráticas. Tal como acontece ter feito uma promessa e ter sido eleito mas a lei fundamental do país não o permitir.
    Tudo isto é democracia, não apenas as eleições.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais.

      O Trump hoje já ignorou mandatos emitidos por juizes, colocando-se acima da lei (algo que é ilegal). Se ninguém agir então não será uma democacia mas um regime totalitário.

      Eliminar
  23. Não gosto do senhor, não gosto das ideias dele... mas, tal como tu, já cansa. Elegeram-no, agora aguentem.

    ResponderEliminar
  24. ando a adiar qualquer comentário por isso mesmo, mas inevitavelmente irei fazê-lo e para nao fugir à regra nao será para o elogiar. mas eu nao votei nele.

    ResponderEliminar
  25. Também já não aguento! E quando digo isso de facto caeem-me em cima a achar que apoio o Trump!! Não há paciência :)
    Bj S

    ResponderEliminar