quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Do Trump - remando contra a maré


Obviamente que acho o Donald Trump vai ser péssimo. Adorava o Obama, a sua calma, educação, inteligência - embora não tenha feito grande coisa, porque o sistema não o permite, é um facto.

No entanto, não deixa de ser algo "engraçado" o Trump a dar uma chapadona gigantesca à Europa (principalmente à Europa) e a todos os meios de comunicação social que se entretinham a gozar com ele e a humilhá-lo (com capas onde o punham como palhaço e afins). O jornalismo deve ser imparcial e a parcialidade dos últimos meses chocava-me. Gozavam com ele, deitavam-no abaixo... e foi por isso mesmo que ele ganhou. Porque não era do sistema. Porque, apesar de ser rico como o caraças, não era apoiado pelas elites. Bem sei que o jornalismo americano é diferente do nosso, se posiciona... mas isso, no meu entender, não é o mais correcto. Jornalismo, na sua base, tem de ser isento.

A Hillary Clinton era apoiado por elites, por actores, por figuras públicas... por todos e mais alguns. Por isso mesmo não conquistou o povo. Já o Trump fez como o nosso Salazar, "orgulhosamente só", e assim conquistou a nação mais importante do mundo.

Eu também acho abominável. Também fico chocada.

Mas sabem o que me choca ainda mais? A falta de respeito pela decisão dos americanos. Todos os que se riam e diziam "é impossível". Por terem achado que eram impossível e por terem tomado a vitória Clinton por garantida, é que foi possível. Mesmo com todos os 'bota abaixo' e todos os "é um porco, um racista, um xenófobo que não respeita as mulheres" (sim, sim, sim, sim, ele é). Aquilo foi uma imagem que ele construiu, porque a certa altura deu para perceber que quanto pior ele fosse, mais honesto as pessoas o achavam. 

Isto é a democracia a funcionar... Agora temos todos de gramar com ele. Mesmo que o futuro se perspective negro.





Foi isto que o fez ganhar.



42 comentários:

  1. Para mim apoiar uma pessoa machista, xenófoba e homofóbica e fazê-la presidente de um dos países mais influentes do mundo é um retrocedimento brutal. É a perda de esperança na humanidade. Porque ele representa uma grande quantidade de americanos que pensam como ele. Não, não é exagero. Basta-me encontrar uma pessoa apenas que pense como ele para perder a esperança na humanidade!
    Esta democracia de que falas vai ter consequências nefastas por todo o mundo, não é só nos EUA.
    Portanto acho mesmo que as pessoas não têm noção de quem é esta pessoa e do implica colocar-lhe na mão todo este poder!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita, talvez não tenhas lido bem... obviamente que eu sou contra esta eleição e acho tudo isto algo surreal. Mas acho que fomos "nós", com tanta crítica, que o tornamos ainda mais popular.

      Eliminar
  2. O meu medo no Trump, reside no facto dele não ter filtros, não ter quem o controle, uma vez que não obedece a quaisquer lobbys.Pode ser um perigo para o mundo, não só para os EUA. A Hillary era o menor de dois males, até porque acho que ela não é transparente,nem totalmente sincera.
    Vamos ver como as coisas correm...

    ResponderEliminar
  3. Acho que as capas dos jornais europeus nada tiveram a ver com a vitória do Trump.
    A vitória dele prende-se exatamente com o mesmo que fez Jörg Haider ganhar na Áustria e Marie le Pen a ganhar força em França, e a vitória do Brexit.
    Tem a ver com a falta de visão de futuro das pessoas, tem a ver com uma insatisfação generalizada com a classe política, tem a ver com o facto de as pessoas acharem que os seus problemas são causados pelos outros e que políticas radicais e segregacionistas vão resolver tudo.
    Não sou fã da Hillary Clinton mas temo, muito, pelo mundo com este senhor à frente de um país como os EUA. Espero que o sistema que não permitiu que Obama fizesse mais, impeça também este senhor de ser aquilo que ele pretende ser!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gorduchita, sinceramente, estou convencida de que ele não vai conseguir fazer nem 1/10 do que pretendia. O sistema não o permite. O Obama também queria acabar com as armas e nunca o conseguiu fazer.

      Eliminar
  4. Não houve nenhuma chapada de luva para a comunicação ou qualquer outra pessoa que ridicularizou o Trump enquanto pessoa e enquanto candidato a president. Houve sim uma confirmação daquilo que muitos já sabiam: americans will always be americans. Não estou em choque por ele ter ganho uma vez que os que o elegeram correspondem exactamente à imagem que tinha do povo Americano: burro, iletrado, xenófobo, racista, mediocre e miserável. Podia até meter a viola no saco e respeitar a escolha deles, podia até rir-me a bandeiras despregadas por achar que o povo acaba sempre por ter o que merece (e escolhe), mas acontece que a escolha dessa gente não os afecta só a eles. A mim não me choca, mas desassossega-me e muito. Enfim, a América voltou a ser a América e o Obama, infelizmente, só pode ter sido um erro de casting uma vez que não corresponde, de todo, ao perfil de quem se senta na Casa Branca.
    E não S, isto não é a democracia a funcionar. É sim uma votocracia onde o enorme poder da caneta é dado a quem não tem capacidade para o ter.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anita, isso já é prepotência da tua parte, ao achares que nós somos melhores que os americanos. Nós também elegemos o Passos Coelho. Também votamos no Sócrates. Nós também fizemos merd* e sofremos essas consequências... por essa lógica, somos também burros e iletrados (e alguns devem ser, claro).

      Eliminar
    2. Será prepotência, então, mas considero que, independentemente de algumas (péssimas) escolhas que tenhamos feito, no geral os europeus são melhores do que a generalidade dos americanos. Não é nada pessoal, mas sim cultural. Não é novidade para ninguém a quantidade de barbaridades, disparates, e tantos outros "ates" que provêm dos EUA. Basta ver os verdadeiros "fenómenos" que de lá saem. Podia até dizer que a grande parte da massa cinzenta que eles têm lá a operar, espantem-se, são imigrantes, que eles têm dinheiro para pagar, é certo. Não deve haver país desenvolvido (whatever that means) menos social do que os EUA, entre tantas outras coisas que penso sobre eles, mas respondendo à tua pergunta, sim, também nós temos um povo muito pouco instruído, em especial politicamente. Só isso explica as más escolha que sucessivamente temos feito assim como o facto de haver gente votante que nem sabe bem para o quê que vota, ou não estaria surpreendido do Costa ser PM. Ainda assim, e detestando o nosso ex- presidente, ele está longe de ser um Trump e mais longe ainda de representar uma grande potência ou ter qualquer impacto na politica mundial pelo que compararmos o impacto das nossas eleições a estas é, no mínimo, estapafurdio.

      Eliminar
    3. Sim, para mim, a falta de Estado Social é algo absolutamente impensável no mundo moderno.

      Eliminar
    4. Pois olha que estado social é o que não existe nos EUA e algo me diz que agora ainda está mais longe de haver

      Eliminar
    5. Anita concordo contigo em tudo, principalmente na questão da votocracia, mas o problema não são os americanos, são as pessoas. Basta olharmos para o lado para encontrarmos racistas, xenófobos e pessoas com verdadeiro terror de tudo e todos que são diferentes da sua forma de pensar. basta olhar para o lado, para vizinhos, colegas, familiares...

      Eliminar
    6. Acho que acabei de perder a esperança na tua razoabilidade quando não consegues perceber o valor do Passos Coelho nestes últimos anos.
      Preferias o Sócrates ou o Costa? O país está a cair novamente na m*** por causa dele. Eu sou 100% a favor do estado social, não a favor de corruptos e de favorecer os amigalhaços. Nós não temos um partido socialista com ideais socialistas.
      E não é que ache o PC como o melhor de todos os politicos mas, tendo em conta as restantes opções ele seria o melhor. Além disso, o povo português votou naquela coligação maioritariamente. Não num arranjinho feito à pressa para que o nosso megalomaniaco e com sede de poder conseguisse chegar ao trono. Agora vê-se a porcaria que ele nos está a fazer.
      Daqui a uns anos quando o próximo vier arranjar os erros dele o povo português, na sua ignorância, volta a culpar quem vem tratar dos problemas, em vez de culpar os verdadeiros culpados.

      Eliminar
    7. Anónimo das 11h12, se você acha que o Passos Coelho foi bom, não há muito a discutir. Para mim, PM bom vai ser o que vai cortar nos deputados (bem sei, eles não deixam...), nas mordomias, nos ordenados chorudos, nos carros de luxo, nos subsídios de apoio para tudo e mais alguma coisa... e SÓ DEPOIS na população.

      Eliminar
    8. Eu não acho que ele foi bom per se, acho que foi o melhor que se arranjou e era actualmente o melhor que se tinha.
      Não o acho bom, acho-o menos mau.

      Ele procurou fazer várias reformas, algumas delas bateram directamente no TC porque não dava jeito aprovar leis que lhes tirassem as mordomias a eles próprios. Ele procurou fazer várias coisas que deram muito bom resultado em países europeus que têm um sistema muito melhor que o nosso. O que aconteceu? As pessoas a reclamarem por não terem as mesmas regalias e o TC a não aproveitar nada porque, lá está, as perdiam.

      Melhor claro que é agora o governo actual, que tira a todos para só dar a um determinado grupo e que em vez de procurar fazer reformas faz populismo. O nosso Costa será o equivalente ao trump: dá ao povo ignorante o que eles quer e quem vier depois dele terá de desfazer as asneiras dele.

      Eliminar
  5. Ainda hoje disse o mesmo. Acho mesmo que a campanha anti-Trump fez mais por ele do que a própria campanha dele. E agora olha, é assim.
    E quero mesmo acreditar que não vai ser tão mau assim. Sou uma otimista por natureza, o que fazer? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só me surpreende a falta de consciência que as pessoas têm sobre as táticas milenares da política e da guerra. Por vezes a "campanha Anti" parte de dentro do próprio partido, estrategicamente, para conseguir mais simpatias. Não me surpreenderia, pelas ideias inusitadas que existiram, que algumas dessas tão aclamadas campanhas anti não fossem da oposição, mas da cabeça do próprio Trump. Ainda mais sendo ele um fã incondicional do show biss... Combina.

      Eliminar
  6. Não concordar com esta escolha e não gostar do Trump (ou achar que ele será o pior presidente de que há memória) não é não respeitar a escolha dos americanos. isso eu respeito, já que vivemos em democracia e ainda bem que assim é. O que me assusta é que esta escolha reflecte o rosto de uma maioria num povo que tem muito poder a nível mundial e as posições do Trump são alarmantes a um nível global. Não concordo que tenha sido a imprensa a fazê-lo ganhar - eu sempre achei que a Hilary não era a pessoa certa para lhe fazer frente, num mundo ainda tão machista. Enfim, resta-nos esperar que ele seja só um fantoche e que tenha pessoas sólidas e sensatas à volta dele.

    ResponderEliminar
  7. Não posso deixar e ter medo do que ele possa vir a provocar, quando uma pessoa sem escrúpulos nenhuns tenha acesso a códigos nucleares. E quem esfrega as mãos de contente quem é? Putin, pois claro...que Deus nos ajude.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro. O Putin elogiava-o. Estão bem um para o outro.

      Eliminar
    2. Enquanto a Clinton estava mortinha por entrar em guerra com a Rússia. A tensão entre o Putin e ela eram claros, as directas e indirectas também.
      Ela queria guerra. Seria melhor que o Trump?
      Eu acho que independentemente de quem fosse eleito o Presidente dos USA estava condenado a ser uma m*****. Portanto, é aceitar a escolha deles... é que, ao contrário do que se pensa: existiam mais candidatos e na realidade a Clinton ganhou. Só não venceu porque o sistema americano é tão giro que dá mais valor a determinados votos e não aos do povo directamente.

      Eliminar
  8. Tens toda a razão! Agora vão gramar com ele, tenho tanto medo das loucuras que estão por vir...

    ResponderEliminar
  9. Eu desconfiava que isto fosse acontecer...mas tinha esperança que fosse só uma parvoice minha...

    ResponderEliminar
  10. Esta "análise" feita por alguém que aqui já escreveu que Paulo Portas era um bom político, não é de admirar. De admirar é alguém, supostamente, informado da área e esclarecido dizer "Aguentem, jornalistas e figuras de destaque." Há vários tipos de jornalismo (exclusivamente informativo, exclusivamente opinativo e o misto; há o sensacionalista e o de referência), como certamente deves saber e há meios de comunicação que são abertamente apoiantes deste ou daquele lado da barricada. Compete ao cidadão escolher o que lê e o que considera informação ou mero lixo. Cabe ao cidadão PENSAR!!!! ...Atribuir as culpas deste resultado aos meios de comunicação parece-me uma daquelas situações em que os paizinhos, mesmo sabendo que têm filhos burros como portas, lhes passam a mão na cabeça e lhes dizem que não faz mal sempre que eles fazem borrada da grossa.

    Comer batatas só porque alguém diz que arroz é muito melhor é uma coisa, dizer que um lunático chegou a uma das posições mais importantes do mundo só para ser do contra é dizer que os americanos são ainda mais estúpidos do que a Europa e o mundo acha que eles são.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 12h20, eu simpatizava com o Paulo Portas, mas não creio que tenha dito que achava dele bom político. O tempo só veio mostrar-me que eu não tinha razão. É a vida. As pessoas desiludem-nos. Não estou a ver o que uma coisa tem a ver com a outra...

      Quanto ao facto de dizer que existem vários tipos de jornalismo - é um facto. Mas é só ler o nosso velhinho Código Deontológico dos Jornalistas para ver que, em Portugal, desde 1993 que o jornalismo não pode ser misto, opinativo nem sensacionalista. As coisas não são assim. Não podem ser assim só porque nos apetece.

      Eliminar
    2. Ainda bem que não és jornalista porque de opinativa e sensacionalista tens muito.

      Eliminar
    3. Anónimo, não diga patetices nem confunda o trabalho com um blogue pessoal e que nem toca na minha vida profissional. ;)

      Eliminar
  11. Como o Obama já não aparece mais nenhum, infelizmente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que aparece!
      Tiveste o Clinton, que tocava sax, tiveram o Regan, que foi ator, Tiveram o Kennedy que era uma vedeta... Os americanos estão cheios de presidentes populistas, engraçados noutras áreas, humorísticos... E agora na versão negro também (se bem que no passado decerto que já tiveram mas pronto). Haverão outros Obamas... com o mesmo sorriso 31 à la Kennedy, com jeito de artista, etc. Só espero é por uma mulher presidente. Mais depressa surge um candidato latino (tem de se dar a vez às minorias, estas não são só os negros), ou até um índio (será?) mas jamais uma mulher. Pelos vistos, eheheh!

      Eliminar
  12. Considerando que o Putin está feliz e contente, temos mesmo muitas razões para estar preocupados!

    ResponderEliminar
  13. Para ser franco, tenho mais medo das mudanças climáticas, do que das mudanças na Casa Branca.
    Isto acaba por ir dar ao mesmo. Mais pormenor, menos pormenor, os políticos são todos iguais. Se não for o Trump, há mais uns quantos milhões à espera para lixarem o mundo.
    Sinceramente, não me tira o sono. xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tendo em conta que o Sr Trump é tão ignorante que não acredita nas mudanças climáticas, é mais um motivo para ficarmos preocupados.

      AnaC

      Eliminar
    2. AnaC eu tenho para comigo que ele sabe muito bem que elas existem mas não lhe dá jeito admitir que sim por causa dos próprios negócios dele e como ele tem um eleitorado bastante ignorante e acéfalo o melhor mesmo é fingir que não acredita e arranjar mais esses votos.
      Ou seja, eu acredito que ele até sabe mas não quer saber.

      Não sei é qual das duas hipóteses será pior: a tua ou a minha.

      Eliminar
  14. A esperança em 2020 e alegria era a Michelle Obama candidatar-se!!

    ResponderEliminar
  15. Ola S* isto tudo e muito bonito mas parece-me que nao tem nocao de como era a comunicacao social nos EUA acerca das eleicoes. O trump nao foi mais difamado/ridicularizado que a clinton, para Portugal e restante Europa so passou isso.
    Aqui nos EUA muitos ainda estao agarrados ao donald trump dos reality shows e votaram nele por ser figura publica.
    E quanto a questao de famosos, actores e afins apoiarem a Hilary clinton e preciso ver que muitos actores, famosos e jornais apoiaram trump.
    (Desculpe a falta de acentos)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito, mas, como referiu, em Portugal não era a ideia que era passada. Passavam o tempo a 'malhar' no Trump. :)

      Eliminar
    2. Exacto na Europa uma coisa, mas aqui a hilary foi tao ou mais atacada que o trump. Fora tudo o homem é um idiota que fomenta ao odio. Enfim

      Eliminar
  16. Não é a democracia a funcionar é uma república não democrática a funcionar ;)

    De resto, concordo a 100% contigo. Aliás creio que foi o próprio partido da HC, os que de forma corrupta minaram a candidatura do Sanders, aqueles que são os mais culpados por este resultado.

    ResponderEliminar
  17. Não sei se é bem assim, a leitura das coisas. Na America nunca se sabe. Não me surpreende que ele tenha ganho. Acho até que o adivinhei ainda ele nem era candidato... (foi uma coisa que me deu, uma visão Kkkkk).

    Só ouvi um pouco nas notícias e disseram que Hillary ganhou os votos do povo. POVO... Mas não do SENADO. (Poder). Não sei, pouco entendo... Sei que muitos preocupados com visões xenófobas, não votariam em Trump e outros, exatamente por essas visões radicais de exclusão e inclusão, votaram nele. Quanto aos que têm dinheiro e poder... O Trump tem amigos com guita. Mesmo não precisando de fundos para a campanha, o poder, os interesses, estão lá... ou não?

    BOM, a mim pouco me interessa. Quem ficar com o poleiro é bom que faça um bom mandato.

    ResponderEliminar
  18. Podes crer, uma vitória estudada e bem construída pelos ditos escândalos revelados...

    ResponderEliminar