quinta-feira, 16 de junho de 2016

Ao jornal "i"

Hoje o Nuno Markl publicou esta fotografia de um trabalho do jornal "i". Qualquer pessoa minimamente atenta reparou que este jornal, há umas semanas, publicou uma série de artigos a "defender" as touradas ou, pelo menos, a tentar mostrar o lado "bonito" das mesmas. Tentaram dourar a pílula, vá. Agora saem-se com esta.

Comentou o Markl: "Ainda me lembro do tempo em que era um prazer comprar o i, ler o i. Hoje em dia, entre os dossiers sobre tourada que só ouvem o lado dos aficionados, as análises insultuosas a pessoas que têm animais de estimação e o alarme monstruoso criado por páginas como estas duas de hoje, permitam-me que não use o outrora inteligente, moderno e decente jornal nem para forrar uma caixa de areia de gato.
A propósito, para quando o dossier "gatos: como acabar com essa praga"?"


Acrescento eu:

Falta saber... quantos cães foram atacados por pessoas; quantos cães foram abandonados por pessoas; quantos cães vivem acorrentados por pessoas; quantos cães são negligenciados por pessoas; quantos cães são assassinados por pessoas; quantos cães são presos a carros e arrastados pelas estradas, por pessoas; quantos cães são diariamente pontapeados por pessoas.

Falta também saber quantos touros são espetados para aplausos de pessoas; quantos coelhos e ratos são torturados para que se testem maquilhagens e champôs de pessoas; quantos chinchilas, quantas raposas, quantos coelhos são esfolados para que se façam roupas de pessoas; quantos crocodilos são mortos para que se façam sapatos e carteiras de pessoas...

Ah, os animais são uns marotos. Diz que mordem pessoas. Se forem violentos (não acredito que os animais nasçam violentos), que sejam devidamente assinalados, tratados ou, se tiver mesmo mesmo de ser, adormecidos. Mas deixemos de os tratar como coisas. Coisas somos nós, que passamos a vida a maltratá-los.

88 comentários:

  1. Muito mais do que esta notícia assusta-me o facto de existirem pessoas a pensar como tu, pessoas que consideram que não é legítimo matar um gorila quando ele está prestes a matar uma criança, que de forma acidental lá foi parar.
    Reflete um pouco sobre isso e sobre a possibilidade de essa criança ser da tua família. Nesse caso também ias ter pena do gorila?
    Farta destes fundamentalismos de achar que os animais devem ser equiparados às pessoas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso aplaudir de pé?

      Já agora falta saber quantos supostos amantes dos animais os enclausuram em apartamentos só para se amarem em amantes de animais.

      Eliminar
    2. A questão aqui é que a partir do momento em que colocamos um animal debaixo do nosso tecto, este passa a ser alimentado, tratado, acarinhado por nós. Criam-se afectos, laços entre humanos e animais, sentimentos de ternura e carinho para com aquele ser tão dependente de nós e daquilo que lhe proporcionamos. Como tal, é natural que perante certas situações, se pense duas vezes, três ou quatro nos animais com os quais convivemos, muitas vezes durante anos. Seja em casa, seja enquanto tratadores ou veterinários.

      Em relação ao assunto do gorila, para mim é simples: quem estava com a criança não teve a atenção suficiente que devia ter. Infelizmente, alguém pagou por isso: o gorila.

      Eliminar
    3. Anónimo das 14h22, desculpe, mas eu nunca disse que não era legítima matar o gorila. Onde foi buscar essa ideia? Tenho é PENA que o pobre gorila, que nada fez para o merecer (nem sequer se mostrou agressivo com a pobre criança) tenha sido abatido pela falta de atenção dos pais. Tenho pena da criança, claro. Tenho pena dos pais da criança, claro. Mas também tenho pena do gorila, que morreu, sem fazer absolutamente nada por isso. Onde é que está o espetacular desta minha forma de pensar?

      Anónimo das 21h48, nunca conheci alguém que tivesse animais "só para se armar em amante de animais". Devia rever esses seus conhecimentos.

      Anónimo das 21h56, eu amo profundamente os meus animais. Estranho seria se não os amasse, visto que os adoptei PORQUE QUIS. Meti-os na minha casa, apaparico-os, mimo-os, cuido deles. Eles gostam de mim, lambem-me, dão-me turras, ronroram, querem dormir enroscados em mim. Se não os amasse, é que seria esquisito. :)

      Quanto ao gorila, concordo consigo. Lamentavelmente, a falta de atenção (que é desculpável, não condeno os pais por terem sido menos atentos... mas é um facto que o foram) resultou na morte do gorila.

      Eliminar
    4. Nunca conheceste ninguém que tivesse animais só para se armar? Conheces quantas pessoas ? É que disso é o que não falta.

      Eliminar
    5. Infelizmente há muita gente que tem animais só por capricho ou para negócio. Animais esses que acabam mal tratados ou abandonados... animais esses que depois dos maus tratos sofridos por parte do "homem" podem ficar violentos e aí atacar. É triste este tipo de notícia. É necessário alertar as pessoas para a psicologia animal. É necessário perceber que o animal é o que nós fazemos dele e não é ele que deve ser culpado pelos seus actos mas sim o seu dono.

      Quanto ao Gorila, o grande problema aqui é a existência de jardins zoológicos e afins... esse é o problema.

      Eliminar
    6. O problema da criança cair num buraco aberto foi de quem fez o zoo e fez medidas de segurança mal feitas. O miúdo escapou em segundos, tentaram segurá-lo e não conseguiram. Tradução= uma criança qualquer poderia ter caído sem querer.
      Se fosse um filho vosso talvez não se importassem que ele morresse mas isso são vocês.

      Claro que se adoptamos animais passamos a gostar deles, o que eu não acho normal nem natural nem saudável é meter-se os animais à frente do bem-estar de crianças.
      Com cães potencialmente perigosos é a mesma coisa: se eles se podem passar porque a criança berra, grita, etc acho mais do que natural que se proíba que existam perto de crianças, que andem na rua sem açaime, etc. Aliás eu acho que para se ter certos animais se deveria obrigatoriamente ter cursos de preparação e uma licença pois eles podem ser usados para matar tal como uma arma. E o que não faltam por aí são anormais com cães desses.

      E certas raças já estão proibidas em vários países (Suecia, Suiça, etc) precisamente para evitar certas coisas. Não concordo que se mate os animais mas concordo com a castração em massa e a proibição de continuação da espécie. Aliás muitas dessas espécies não passam de misturas feitas em "laboratório".

      E, sim, eu conheço imensas pessoas que gostam e adoram armar-se em amantes de animais. Por norma são aquelas que só pensam no seu umbigo e não no bem-estar dos animais.

      Eliminar
    7. A questão é que não são só os cães de raças potencialmente perigosas que se podem passar/assustar quando uma criança berra/ grita/puxa a cauda/etc...Todos os podem fazer. Até o cão da S*.

      O que difere estas raças de que se fala é que em termos de tamanho ou poder da mandíbula têm a capacidade de matar uma pessoa. Um pitbull assustar-se e reagir não é a mesma coisa que um caniche assustar-se e reagir.

      (e sim, há de facto pessoas que têm animais só para dizer que têm um cão/um gato/um papagaio e acham que isso as valida como melhores pessoas).

      Eliminar
    8. Anónimo das 00:48 um cão (qualquer cão) não ataca a criança pk ela chora e faz birra. pelo contrario, um cão quando vê uma criança em sofrimento tende a consolá-la.
      Conheço crianças com rotweillers em casa . É obrigação dos pais educar as crianças em relação ao cão. Por exemplo: não o surpreender no escuro ou a entrada de casa, durante a noite etc... não bater nem puxar as orelhas ao cão (como muitos fazem) etc...
      A diferença entre um pitbull e um pincher é o tamanho e a força. Apenas.

      Eliminar
    9. Umacabeleireirafeminista mas a senhora tem noção do que é uma criança com 1 ano? Acha que a criança consegue perceber alguma coisa? Está a explorar a casa e o seu ambiente se o cão a ataca então é perigoso e nunca deveria estar perto dela!
      Eu juro que não percebo esta gente... portanto e o cão não ataca por a criança estar mal? Então olhe lamento informá-la mas aquele cão só não matou aquele bebé porque não calhou e a única coisa que a criança estava a fazer era a chorar!! E o cão era,s egundo os donos, "como um filho" e "um amor", "ele não ferrava ninguém nem era agressivo". Até ao dia em que tentou matar o filho deles e os meteu aos 3 (dono, dona e avô do miúdo) num hospital. Ela ficou tão ferida que passou quase 1 mês no hospital e levou 12 pontos da barriga e 5 na cara. Just sayin...um cão "mansinho"...

      Há pessoas que não fazem ideia nem do que é uma criança!!! Se a criança acorda a meio da noite, com medo, vai pela casa fora, e não há maneira de controlar isso. Se o cão a pode atacar então é porque não deveria estar na casa onde vive a criança.

      Façam um favor à humanidade e não tenham filhos.

      Eliminar
    10. E já agora, a única criança que eu conheci com um rotweiller em casa foi esta que não morreu por sorte.

      Eliminar
    11. Anónimo das 14h17, uma criança não pensa mas o cão também não. Portanto, compete aos pais e adultos em geral vigiar - quer a criança quer o cão.

      Façam um favor à humanidade e não tenham filhos?? Respeite os demais.

      Eliminar
    12. Não respeito extremistas S* e acho que as crianças são um bem demasiado precioso para serem colocados em mãos de psicopatas incapazes de compreenderem a diferença entre um bebé inocente e indefeso com um animal com capacidade mortifera de uma arma de fogo.
      Acho que todos os pais que metam as crianças em perigo os deveriam ver retirados, já chega de mortes pela imbecilidade e fanatismo parental.

      Eliminar
  2. Não sendo bem o tema deste post mas falando de animais será que a S poderia partilhar aqui no seu blog este problema da união zoofila? Para mais pessoas poderem ver e ajudar.https://facebook.com/story.php?story_fbid=10157109663185311&substory_index=0&id=157983395310

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se puder ir a página da união zoofila percebe tudo, obrigada desde já.

      Eliminar
  3. Concordo S*.
    Os animais são apenas o reflexo da "educação" das pessoas...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Em miúda gostava de touradas, confesso. Hoje não acho graça e até fico feliz qdo um leva uma coiçada deles. E ter animais para tratar mal, é assustador.

    ResponderEliminar
  5. Hummmm.... tudo tem dois lados da moeda....
    É.. realmente é preciso haver coerência... nisso você está certa!
    Por outra, cães são reflexos de seus donos.
    Cão que agride pessoas é porque os donos assim o fazem....
    Conheço pitbulls aqui no Brasil, dobermanns, rotweillers e outros "bravos" que são mansos como cordeiros. Assim são, pois seus donos assim o ensinaram.....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pequenos delitos, eu não acredito em cães maus. Nunca conheci um animal mau apenas "porque sim". Já o ser humano... ohoh.

      Eliminar
    2. Há cães maus, sim, que subitamente passam-se e mordem!! E há donos de cães assim que têm outros cães que são meigos. Então, essa generalização que não há cães maus não pega. Há cães maus como há gatos maus e humanos maus e outros bichos maus.

      Eliminar
    3. Anónimo, conhece algum? Eu devo ter tido, ao longo da vida, cerca de 50 ou 60 gatos. Nunca conheci um mau. Já tive também 5 cães, nunca conheci um mau.

      Conhece algum cão genuinamente mau... ou um cão que ficou desequilibrado devido ao tratamento que lhe é dado?

      É que se passar a vida acorrentado, com dois metros de corrente, sem passear, sem ver outros animais, sem estar com pessoas... bom, não se pode esperar que seja equilibrado e feliz.

      Eliminar
    4. Eu tinha 3 cães na casa do meu avô, todos tinham o mesmo tratamento, tinham imenso espaço para correr e brincar, nunca estavam acorrentados e conviviam com outros animais e pessoas. No entanto um deles chegou a morder pessoas que não conhecia só porque sim. Sim, devia ser mau. Porque há cães assim. E a comparação com as pessoas é ridícula porque os animais NÃO SÃO PESSOAS. Claro que há mais pessoas más porque as pessoas PENSAM. É isso que nos distingue. Atinem pf.

      Eliminar
    5. Nunca conheceste um animal mau? Sorte a tua. Eu tive uma gata que era má todos os dias. Não comigo, não com o meu filho, mas para todos os outros era, principalmente com os outros gatos. Chegou a matar os seus próprios filhos ainda recém-nascidos.
      E não sofreu nenhum trauma, ela nasceu em minha casa, e até foi privilegiada, porque numa "família" de siameses ela nasceu toda preta, e eu apaixonei-me por ela e desde logo passou a ser a única gata que andava dentro de casa, enquanto os outros estavam apenas no quintal.

      Eu sou vegetariana estrita, não como nada de origem animal, porque acredito que todas as formas de vida são válidas. Se eu não preciso de animais para viver, não os vou comer por prazer. Mas os animais que mordem pessoas, ou mesmo esses casos em que crianças caem dentro de jaulas, são casos diferentes. Se está em risco uma vida humana, é essa vida que se deve preservar. E convém não esquecer que um animal selvagem nunca deixa de o ser, e as suas reacções são imprevisíveis. O mesmo é válido para cães que já provaram ser perigosos, se na minha zona houvesse um cão com historial agressivo, eu não ia andar descansada na rua, muito menos com o meu filho.

      AnaC

      Eliminar
    6. Anônimo.... Não há cães maus!!!! Não há humanos maus...Os cães e os humanos TORNAM-SE mau no caminho da vida!!!
      Um agravante pois o HOMEM possui inteligência, possui discernimento e razão....
      Não há animal mau!!!!
      As cobras.... elas só picam se forem atiçadas ou se sentirem ameaçadas... ou com fome...
      Não há leão mau.... os de circo assim provam!!
      Os leões atacam quando ameaçados ou com fome...!!!!

      Eliminar
    7. Sou só eu que conheço um cão extremamente bem cuidado, amado, treinado e bem tratado que depois de se passar e tentar atacar o bebé de 1 ano, meteu 3 adultos no hospital ? Adultos esses que sempre o bem trataram?
      Depois vieram com as teorias dos ciúmes... opa poupem-me sim. Se podem ter comportamentos imprevisiveis por ciúmes não podem estar perto de bebés, nem em sociedade. Ponto.

      Eliminar
    8. Concordo ctg s*.
      Quanto aos cães maus. Bem, posso dizer que já vou no sexto cão, todos tiveram a mesma educação e tratamento e posso te dizer que tive um que era uma autêntica peste :-/. Era genuinamente mau.

      Eliminar
    9. Também conheço cães maus, se nasceram bons e a sociedade os corrompeu, não sei lol minha gente, conheço cães bem tratados, mesmo bem tratados, que subitamente ficam com os olhos espelhados e mordem seja quem for. Se nasceram assim,não sei. Mas que não encontro nenhuma razão no tratamento que têm para serem assim, não.
      Então concordo com o que alguém dizia acima: atinem, deixem-se de fanatismos!

      Eliminar
    10. Excepções há sempre. No entanto, não façam da excepção a regra: um cão, se for educado, estimado, cuidado, não é mau. É quase como um filho, se for estimado, educado e ensinado, vai sempre respeitar os pais. Se há excepções? Claro. Mas são excepções.

      Eliminar
    11. Como sabes que são excepções? Há aqui tantos exemplos.
      Os cães não são filhos, nem pessoas. Agem por mero instinto e nada mais. É como numa alcateia e eles facilmente viram do avesso. Mesmo um cão "bonzinho".

      Eliminar
    12. Mas primeiro não havia cães maus. Agora já há excepções. Ainda bem que admitem que sim, há animais que são maus. Nem por isso amo menos os meus cães, mas defendo os meus humanos acima de tudos, tenho de proteger os meus filhos! Cada um no seu lugar.

      Eliminar
  6. Ainda hoje escrevi sobre a nossa postura acerca dos animais :P infelizmente, parecem existir duas correntes: os aficcionados pelos animais e os totalmente contra os animais. Não encontramos um meio termo nesta história... Já agora, é pena que as notícias sejam cada vez menos imparciais... seja em que tema for.

    ResponderEliminar
  7. Tudo é aproveitado para criar polémicas.
    Há que haver meio termo, como em tudo na vida. Há que haver tolerância, fundamentalismo é muito mau.
    Também tenho animais e detesto touradas. No entanto, há que analisar caso a caso com cuidado. Detesto julgamentos à ligeira e carneirada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há muito a analisar quando se fala de touradas. Assim como não é muito a analisar quando se verifica que certo jornalismo apenas gosta de ver um dos lados. O jornal I tem feito isso por sistema. É pena.

      Eliminar
  8. S. assino por baixo, é inadmissível que nos dias de hoje, ainda existam "humanos" que se divertem à custa da tortura de animais, mas tenho esperança que essa barbaridade tenha os dias contados. Os animais não são coisas, não temos o direito de os torturar, maltratar, abandonar, etc., mas tenho uma certeza, pelos animais, cada vez somos mais.
    – “A grandeza de uma nação e seu progresso moral podem ser medidos pelo modo como seus animais são tratados”Mahatma Gandhi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, essa desumanidade tem os dias contados. As novas gerações já querem mais para o mundo... digo eu! Pelo menos eu não conheço aficionados à minha volta... contam-se pelos dedos das minhas mãos.

      Eliminar
    2. Ah S., eu conheço! Na terra de onde venho (e nas terras ao redor) só há aficionados!

      Eliminar
    3. Rita, aqui no norte é o oposto. Mas sei bem que para o Ribatejo e afins ainda existe muito a "cultura" da tourada.

      Eliminar
  9. Farto me de rir com alguns comentários aqui. Oh S,pois eu cá sou como tu,comparo os animais com as pessoas, para mim são todos iguais. Aliás há animais que merecem mais consideração que algumas pessoas.
    E já agora, os pais da criança que caiu para ao pé do gorila, onde estavam? não me digam que também tinham ido jantar como os da Madie.
    Este cão se mordeu a criança foi porque lhe ensinaram a morder.
    Porque a criança estava ao pé dele? não sei.
    São situações complicadas sim, mas eu continuo a defender mais os animais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nina, eu não quero comparar as pessoas a animais - apesar de o rabo do meu cão valer mais do que o coração de muita gentalha que anda por este mundo fora.

      No entanto, não podemos fazer dos animais bichos papões quando os únicos animais que FAZEM MAL aos outros por GOSTO são os seres humanos.

      Eliminar
    2. Sim tens razão, os animais não se comparam com algumas pessoas, são muito melhores, amigos para a vida.

      Eliminar
    3. nina revela muita ignorância mesmo. Os pais da criança estavam ali mesmo ao lado, alias a mae estava, a passear com os filhos. O menino que caiu correu em direcção à jaula do gorila e aquilo estava tão bem feito que outra senhora o viu a correr e ainda o tentou segurar mas não conseguiu. As medidas de segurança eram tantas qeu o miúdo caiu daquela altura toda sem ter qualquer problema em atravessar a "segurança" como se estivesse a percorrer um qualquer corredor.

      Sou contra as touradas. Mas não me venham com a porcaria do gorila que por mim morriam uns 100 se fosse preciso para salvar a vida do miúdo. Mas têm razão numa coisa, há vidas de animais que valem muito mais que a de algumas pessoas. É que os animais ainda sabem o que é salvaguardar a vida das suas crias.

      Eliminar
    4. ó anónimo, ignorante seria a mãe dessa criança, certo? e já agora o que é ser anónimo?

      Eliminar
    5. Se um cão mordeu a criança foi porque o ensinaram a morder? A sério? Não se pode ter assustado? Não se pode ter sentido ameaçado?

      Conheci um caso de uma menina que dormia com o seu grande amigo de 4 patas, um husky (ou seja, nem era de raça potencialmente perigosa), nunca tinha havido problemas, o cão era um amor. Numa noite, algo se passou e o cão desfigurou a cara da menina. Alguém o ensinou a fazer isso, é?

      Nina, tem filhos? Sabe a que ponto basta um segundo para algo acontecer? Quando tirou a carta, nunca lhe ensinaram que se vir uma bola na estrada deve abrandar pois pode surgir uma criança atrás dela? Acha que esta recomendação seria assim tão necessária se de facto os pais tivessem sempre mão nas crianças, elas nunca se mexessem, nunca fugissem atrás de algo que as cativa? Quer comparar pessoas com animais? Nesse caso, da mesma forma que não se usam trelas nas criancinhas porque os pais devem estar sempre de olho nelas e não as deixar fugir, para quê usar em animais? Basta ensiná-los a estar ao lado dos donos, a não fugir, a não morder...

      Eliminar
    6. Ignorante porquê nina? Porque acreditou que um zoo, aberto ao público, conseguiria ter as medidas de segurança de maneira a que uma criança nao conseguisse cair? Também acha que a criança deveria ter morrido, não? Santa paciência... é, eu também prefiro animais a certas pessoas, nomeadamente a pessoas como vocês.

      Se pensa que vou fazer uma conta para si, lamento mas não vai acontecer.
      Qual é a diferença entre ter uma conta a dizer "nina", "maria josefina" ou "eu" e ser anónimo?

      Eliminar
    7. É isso tudo, medo de pessoas assim...mto medo!

      Eliminar
    8. Um cão morde pq lhe ensinaram a morder?? hahahaha Deus sabe o q faz mtas vezes quando n dá filhos a certas gajas

      Eliminar
    9. Eu quero que faça uma conta? de onde tirou isso?
      Só acho que quando se chama ignorante a alguém, deve ter nome, mostrar a cara e por aí fora, até pode nem ser a sua, mas que adianta entrar numa conversa, se estou a falar para anónimos?

      Eliminar
    10. Aplauso ao comentário da Tété! Super clara e racional. Parabéns!! Espelha exactamente a minha opinião.

      Eliminar
    11. Portanto só lhe poderia chamar ignorante se mostrasse a cara mas a nina preocupa-se mais em saber com quem está a falar (pode-me chamar Maria ou nina 2 se quiser, deve ficar a saber muiot mais) mas preocupa-se mais com esses pormenores mesquinhos do que com o bem-estar de uma criança.

      Mas não quer ser chamada de ignorante? Eu diria que não é só ignorante como parece que gosta de sê-lo. Gosta também de desconversar do tema e da importância do mesmo porque não tem mais argumentos. Pois falar de anónimos é mais fácil do que explicar porque raio a culpa é da mãe se a segurança naquele zoo era tanta que a criança conseguiu escapar da mão de várias pessoas em meros segundos, em milissegundos.

      Mas ralmente nina eu prefiro o meu cão a certas pessoas. Já agora nina um dia que a sua vida fique em risco por um animal qualquer, esperemos que não se esqueça da sua causa e não peça ajuda nem os deixe matar o animal.

      Eliminar
    12. Anónimo das 14h13, é o último comentário que aceito com essa discussão bacoca do anonimato. Deixe a Nina em paz e concentre-se no assunto em causa. Respeite os outros e opiniões diferentes da sua.

      Tété, de quem é a culpa? Do cão? Ou de quem deixou o cão a dormir com uma criança? Pois.

      Eliminar
    13. Pelo menos não vens perguntar se a culpa é da criança.
      A culpa é de ambos, obviamente. Os pais que nunca deveriam ter o cão sem saberem cuidar dele e dos perigos potenciais e do cão por obviamente não ser capaz de se controlar e agir sempre por instinto. Sempre.

      Eliminar
    14. Obviamente da pessoa que deixou o cão dormir com a criança, que achou que eram os melhores amigos, que ele nunca faria nada contra a criança, que ele só lhe tinha amor, que a protegeria sempre, que lhe era dedicado, que ele era quase como uma pessoa e só lhe faltaria falar, que ele era melhor que muita gente que conhece, que eram amigos para a vida, que o tinham educado bem, que era quase como um filho, que nunca faria parte das excepções...

      Eliminar
    15. Tété, os animais são tudo isso e muito mais. Essa "ironia" não cai nada bem. Se não confias nos animais, estás no teu direito... mas "gozar" com quem confia nos animais que cria parece um despropósito. :) Eu confio plenamente no meu cão para saber que nunca fará mal a alguém... mas, por exemplo, não confio nele sozinho com o meu sobrinho, porque o Miguel pode chateá-lo e ele pode dar-lhe um encontrão e fazer o bebé cair. Vai da consciência de cada um.

      Eliminar
    16. Esses pais também confiavam S*, irónico é não perceberes que é exatamente a mesma coisa. Os pais confiavam a 100% só que um cão é um cão não é uma pessoa, portanto, tal como qualquer animal irracional age meramente por instinto. Vocês é que gostam de humanizar os cães e pensam que eles são os vossos filhinhos. Por isso é que eu digo: nada contra. Não metam é crianças em risco por não compreenderem a diferença entre uma criança e um cão, nem compreendem nada de comportamento animal.

      Eliminar
    17. Percebeste-me mal, S*, uma vez que não usei a ironia nem gozei com ninguém, ou achas que aqueles pais não pensavam exactamente tudo o que disse quando deixavam o cão dormir com a filha?

      Eu confio nos animais, eu acho que eles dão muito amor aos donos, eu acho que são grandes amigos dos donos, eu acho que podem ser educados até certo ponto....mas não deixo de os ver como animais que são. E se eu não confio em certas pessoas quando se irritam (não abro a porta ao meu vizinho quando ele se exalta pois acho que ele perde um bocado a noção e tenho medo que me faça mal), vou confiar que um animal vai manter o seu sangue frio caso se assuste, caso o chateiem?

      E mesmo tu se por um lado "confias plenamente no teu cão para saber que nunca fará mal a ninguém", também "não confias nele sozinho com o teu sobrinho porque este o pode chatear e ele pode dar-lhe um encontrão e fazer o bebé cair". Então não confias plenamente, certo? Porquê? Porque sabes que é um animal e que não será capaz de ter o cuidado de gerir a força no encontrão a um ser humano pequeno, o que é normal porque é um animal.

      Pensa em tudo o que tu dizes sobre o Pirata (no fundo tudo o que escrevi e que pensaste que eu estava a ironizar ou a gozar), serias capaz de o deixar dormir com o teu sobrinho? Confias plenamente nele a esse ponto?

      Não compreendo este raciocínio de "os animais não são maus, só mordem se os ensinarem, são melhores amigos para a vida, são incapazes de fazer mal a alguém, confio plenamente...maaaaaaaaaas afinal não o vou deixar sozinho com uma criança". Qual é o problema em assumir que gostamos imenso dos nossos animais, que os educamos o melhor possível, que até hoje nunca houve problemas, que notamos que por natureza são animais calmos e pacíficos mas que mesmo assim conseguimos reconhecer que são animais e como tal sabemos que não podemos confiar completamente? Gostamos menos deles por isso?

      Eliminar
    18. Tete, até o ser humano mais bondoso é capaz de atitudes menos certas. Sei perfeitamente que os animais podem ter acções menos certas.

      Quanto ao meu Pirata, apenas um reparo... eu confio nele por saber que não tem maldade.Não faz mal a ninguém. No entanto, sei que não tem sensibilidade para perceber que pode magoar o bebé se correr por cima dele. Sei que não entende que pode dar com a pata ao bebé e fazê-lo cair. Daí que não confio nele totalmente com um bebé. Claro que não confio. Mas sei que não iria morder a criança 'só porque sim'. É um bicho muito meigo. MAS sei que se o Miguel lhe puxar o rabo, por exemplo, ele é capaz de lhe dar uma trinca. E poderia magoar a criança. Como é que eu sei? Porque é o que faz com as gatas. Zero maldade... mas não gosta que o chateiem, está no seu direito. Já a cadela labrador da minha irmã é muito mais confiável, nesse sentido. O bebé passa por cima dela, ela nem reage. Tem outra sensibilidade. :)

      Mas um cão é um cão. Pode magoar sem querer. A chata da minha gata Evita também me arranha, de vez em quando. Nunca de propósito. São animais.

      Eliminar
  10. Faço as tuas palavras as minhas!
    Assino por baixo!

    beijinhosss

    ResponderEliminar
  11. Isso não é verdade, Estudante. Há muita gente no meio termo. No entanto, os aficionados pelos animais, como lhes chama, acham muitas vezes que todos os outros, os tais que estão no meio termo, são pessoas que não gostam de animais. Eu considero-me moderada nisso. Gosto imenso de animais, tenho dois gatos que adoro profundamente, respeito toda a bicharada e defendo os seus direitos, mas não os equiparo a pessoas e chocam-me algumas coisas que vou lendo de vez em quando (nomeadamente, aqui neste blog). Acho que a riqueza da nossa relação com os animais está precisamente nas diferenças entre nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, eu não me considero radical. Se fosse radical, fazia mais pelos animais, dedicava-me ao voluntariado e deixava de comer carne. No entanto, para quem diz gostar de animais, uma tourada nunca pode ser justificada ou aceite. Ninguém que goste de animais pode achar natural ou aceitável torturar um animal por puro gosto. Se gostam de sangue, suponho que também achem graça a lutas de cães. Ou qual é a diferença, para os aficionados?

      Eliminar
    2. Nisso estamos completamente de acordo, S*!

      Eliminar
    3. Portanto para ti ser-se radical é deixar de comer carne?


      AnaC

      Eliminar
    4. Pior, ser-se radical é fazer voluntariado.

      Eliminar
  12. O que assusta é haver anónimos (como o das 14:22) (e identificados também) que por uma razão qualquer se consideram uma espécie superior a qualquer OUTRO animal... isso sim, é assustador. O Homem, como ser "superior" domina. Decide. Mata. Maltrata. Legitimamente aos olhos de alguns. Por isso ...estamos como estamos. Por isso o Planeta está como está... É triste, só triste...E continua a linhagem de pensamento destes seres superiores ...e siga o baile, ou antes, o circo, já agora com animais (99% das vezes maltratados e abusados) para o divertimento dos "superiores", que claro jamais poderão ser equiparados aos "animais", de facto, não!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Circos com animais é outra coisa abominável.

      Eliminar
    2. Tudo o que seja com animais apenas para "divertir" humanos é, na verdade, abominável. Contra mim falo, que no passado visitei o J. Zoológico várias vezes (o que é certo é que, cada vez mais, têm melhores condições para os animais, mas ainda assim...), assim como assisti a espetáculos aquáticos com golfinhos, orcas, leões marinhos e outros - nestes, os animais, tal como no circo, passam fome para serem incentivados a fazer os seus truques. Para além disso, vivem confinados a espaços diminutos e tão distantes do seu habitat e da sua liberdade.

      Eliminar
  13. É por essas e por outras que não leio jornais.

    ResponderEliminar
  14. Haja bom senso para ambos os lados, animal e humano. Não deixa de ser "curioso" que muitos dos que se intitulam por pet lovers sejam os mesmos que achincalham, ameaçam de morte, rogam pragas e outras coisas afins a pessoas, tudo em nome do amor... aos animais. É horrível como se condenam pais que se desconhece em prol de um gorila, como se devassa a vida de uma veterinária com base no que uma pessoa resolveu contar numa rede social, sem mais factos ou sem ouvir o outro lado. Enfim, julgo que respeitar e tratar bem os animais é imperativo, mas por mais que queiram, eles não são pessoas e não andamos todos de quatro.
    Quanto às touradas, e apesar de não ser fã, já vi que há touros a serem tratados com muito mais dignidade do que "cãezinhos de colo".
    O problema é que para muita gente, a dignidade no trato dos animais significa tratá-los, não como entes queridos, muito menos como animais que são, mas como pessoas, ou pior como bonecos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "É horrível como se condenam pais que se desconhece em prol de um gorila"

      Brincam com a vida humana mas acham-se muito humanos.
      Alguns seriam capazes de matar pessoas, alguns incitam a isso mesmo. Alguns até achariam preferivel deixar-se que a criança tivesse tido uma morte dolorosa e sobre tortura e ainda afirmam que o gorila não lhe estava a fazer mal. Como se o facto de não lhe estar a fazer mal propositadamente invalidasse as lesões graves e a mais que provavel morte iminente da criança.

      E culpam-se os pais (nota-se mesmo que não têm filhos ) porque o filho fugiu da mãe por uns meros segundos, tendo desatado a correr do nada. Culpar o zoo? Não. É tão mais fácil ter palas e fingir que se é muito amoroso.

      Uma coisa é criticar situações que promovem o sofrimento animal para entretenimento. Nisso eu sou completamente contra.
      Mas referir-se medidas protetoras da vida de uma criança? Incluindo de cães que têm morto crianças? Poupem-me! A menos que se obrigue as pessoas que queiram raças de cães potencialmente perigosos a fazer testes psicológicos, a pagarem treino especializado e a dar multas elevadíssimas (ou preferencialmente cadeia) para quem não cumprir e não os açaimar na rua, então acho muito bem que os proibam.
      Os donos de cães de raça perigosa que já tive a infelicidade de me cruzar acham sempre que o animal não faz mal nenhum ou acham que faz mal e gostam disso porque querem sentir-se ameaçadores.
      Ora meterem-me um pitbull à frente sem trela e sem açaime é o mesmo que meterem uma arma apontada à cabeça - ele pode matar-nos. Se não quiser não mata mas se quiser mata. E ter isso nas mãos de gente imbecil e incapaz de domar animais? Não obrigada.

      Nunca me hei-de esquecer do dia em que em V.N.Gaia um palerma decidiu que era giro aterrorizar toda a gente no parque do morro e eu tive de meter um miúdo pequenissímo em cima duma parte alta da muralha porque o avô que estava com ele não conseguia. E nenhum de nós estava a ver a coisa a correr bem, enquanto o palerma, drogado ou simplesmente imbecil ameaçava tudo e todos, com um cão daqueles sem trela.
      É, eu cá dispenso bem que esses cães sejam permitidos sem regras extremamente rígidas para todos os que os quiserem ter. Caezinhos bons? É ver a quantidade de pessoas e crianças mortas por eles, a nível internacional e nacional e ver todas as pessoas como elas ficaram depois de serem atacadas. São cães potencialmente perigosos, quem os quer ter tem de cumprir todos os requisitos obrigatórios se os quiser ter, mas como por cá nunca nada é realmente fiscalizado eu sou 100% a favor que os banem de vez de Portugal, tal como a maioria dos países civilizados o está a fazer.

      Eliminar
    2. 100% de acordo! É exatamente isto!

      Eliminar
    3. Anónimo 01:03:
      Se não conhece a legislação do seu próprio país em relação a esse assunto mais valia submeter-se ao ''silencio''. É que dá uma certa vergonha da sua ignorância (propositada, uma vez que existe uma coisa que se chama google e onde está a informação toda):
      Quem tem cães de raça potencialmente perigosa (???) é obrigado a sair com eles de casa de açaime e trela, tem de pagar para eles serem treinados, os cães não se podem reproduzir, sendo as únicas raças obrigadas a ser castradas, entre outras coisas que a lei obriga.
      Vá-se instruir, sim? Fazia melhor figura. Enfim...

      Eliminar
    4. Anónimo das 10:59, sabe que só por existirem leis não significa que elas sejam cumpridas, certo? Infelizmente em todos os aspectos!
      Porque mesmo com leis, continua a haver gente a circular em excesso de velocidade, a conduzir alcoolizada, a traficar droga, a maltratar animais... Ou seja, não é só por estar escrito no papel que podemos ficar todos sossegadinhos que já não acontece nada.
      Atenção, eu adoro animais e também acredito que os donos tenham o principal papel na educação destes cães! Claro que estes terão mais potencial para se tornarem perigosos do que outros (por exemplo, ninguém me convencem que se consegue treinar um labrador para lutas, atacar só porque sim, etc).

      Eliminar
    5. A lei diz muita coisa mas ninguém a cumpre.

      Eliminar
    6. Anonimo das 10.59h aprenda a ler, também fazia melhor figura:
      " ver a quantidade de pessoas e crianças mortas por eles, a nível internacional e nacional e ver todas as pessoas como elas ficaram depois de serem atacadas. São cães potencialmente perigosos, quem os quer ter tem de cumprir todos os requisitos obrigatórios se os quiser ter, mas como por cá nunca nada é realmente fiscalizado eu sou 100% a favor que os banem de vez de Portugal, tal como a maioria dos países civilizados o está a fazer."

      anon 01.03h

      Eliminar
    7. anónimo 1:03 é isso mesmo...

      Eliminar
    8. Anónimo das 13:12h já teve algum cão dessa raça?
      É que então deve ser só ao meu cão e a mim que fiscalizam...

      Eliminar
    9. As pessoas deviam informar-se antes de falar. Nenhum cão deve andar se trela na rua e os cães de raças potencialmente perigosas têm de andar de açaime sempre. Agora dentro de casa, cada um sabe de si e cada um é responsável pelos animais que COMPRA... sim, porque esses cães são comprados, não existem para adopção. Se os compram, que se informem sobre os prós e os contras, sobre as regras de socialização, que os treinem e eduquem.

      Anónimo18 de junho de 2016 às 01:03, está bom de ver que acha que os animais são diabos só porque nascem de determinada raça. Devia informar-se e não generalizar. Infelizmente toda a gente sabe que um pitbull ou um rottweiler, por exemplo, têm muitas vezes o azar de ser comprados por imbecis com a mania que são maus... e educam os bichos de forma errada... ou nem os educam! Mas os animais, de si, não nascem maldosos. Não faz parte dos genes das raças serem "ferozes assassinos".

      Veja:

      https://www.youtube.com/watch?v=IMLVokloYD8

      Eliminar
    10. As leis existem mas ninguém as cumpre. As raças são potencialmente perigosas e consideradas como tal pelo potencial de ameaça que representam e pela quantidade de pessoas que matam.
      Eu não preciso de ver propaganda ou queres que te mostre videos de crianças e pessoas amputadas ou mortas por esses cães?

      E eu sei o que vejo ao meu redor, com quem tive de lidar ao longo da minha vida com esse tipo de cães. O exemplo em V.N.Gaia é real... ninguém me "contou". A lei proibe de andar? Proibe, e quem é que ali estava para o obrigar a cumprir a lei? Ninguém. Se não fosse um homem ameaçá-lo o palerma provavelmente teria aleijado alguém ou morto alguém antes que chegasse a policia. Vale de muito as leis e a fiscalização... eu conheço quem tenha tido um pitbull que nem vacinado estava e quando o cão deixou de dar jeito foi abandoná-lo a uma serra (tendo o cão voltado uns dias depois a casa). Acham estas pessoas normais?

      Quando eu era nova, todos os anos por esta altura apareciam uns 20 cães abandonados. Alguns de raça potencialmente perigosa, uma prima minha foi atacada a tentar ajudar uma senhora idosa e acabou no hospital internada durante semanas com prognóstico reservado.
      Fiscalização? leis? Vocês vivem em Portugal?! Em relação a crianças eu prefiro prevenir ou então tornem as multas bilionárias para os palermas aprenderem de vez.

      Eliminar
    11. "porque esses cães são comprados, não existem para adopção"
      Estás a esquecer-te de pessoas que ficam com cães que amigos ou conhecidos têm para dar.

      Eliminar
  15. Devemos pensar nisto tudo. Ninguém é obrigado a ter animais. Ninguém que tem um animal em casa foi obrigado a te.lo. Antes de ter cão ou gato ou piriquito devemos pensar em tudo o que acarreta essa aquisição. Estamos todos carecas de saber isto mas continuamos a querer animais em casa. Para muita gente estas minhas palavras fazem sentido mas para outras tantas a falta de compaixão cega.as. Dessas pessoas devemos querer distância porque são perigosas.

    ResponderEliminar
  16. É... Temos uma sociedade muito hipócrita -.-
    Enfim

    ResponderEliminar
  17. Se calhar devias ler este artigo, do mesmo jornal que vipilendias, e deixavas de comer carne, não? http://ionline.sapo.pt/397736

    ResponderEliminar
  18. Os animais são seres sencientes, valem tanto quanto nós.

    ResponderEliminar