terça-feira, 26 de abril de 2016

E se fosse consigo?


Ando a seguir o "E se fosse consigo?" da SIC, apresentado pela Conceição Lino (que, diga-se de passagem, tem muito mais jeito para isto do que para apresentar programas de entretenimento). O primeiro programa era dedicado ao racismo. Acho que ninguém pode negar a existência de racismo, é demasiado óbvio.

Ontem abordaram o preconceito em relação aos gordos. O meu rapaz dizia não entender bem o que é isto do "preconceito contra os gordos". Bom, para mim é óbvio. 

É provavelmente a coisa que mais usam para me insultar no blogue. Gorda, obesa (?), desleixada. Antes chateava-me. Agora elimino e esqueço. Fartei-me de gente de merda que se sente porreira a insultar os outros. 

Quando se fala em preconceito em relação aos gordos, é a isto que se referem. Gente que usa a palavra "gordo" para insultar. Para humilhar. Para deitar abaixo. Como tentam fazer comigo. 

Gente que acha que os gordos são gordos porque comem e ponto final. Não pensam nas doenças. Não pensam nos distúrbios hormonais. Não pensam nos motivos que podem levar alguém a afundar-se na comida. Acham que é apenas vontade de comer. Acham que é simples deixar de ser gordo, é "só fechar a boca e mexer o corpo". Em alguns casos será verdade, noutros casos não podia ser mais mentira.

Patético que usem isso para insultar alguém. Voltamos ao tempo da escola primária, onde os altos viravam "escadotes" e os que tinham dentes grandes eram os "coelhos dentuças".

Tudo isto para dizer que choraminguei a ouvir a minha Ana Nogueira.  Se aqueles que a insultaram sequer imaginassem a história de vida dela, enfiavam a cabeça num saco com a vergonha. A Ana é uma mulher de garra. Vejam-na aqui.

115 comentários:

  1. Essas pessoas são mesmo tristes.

    Não dês importância. É gente sem vida.

    ResponderEliminar
  2. Porque é que chamar gordo a alguém é um insulto, se for verdade? Isto é, se alguém é gordo, porque não posso dizer que esse alguém é gordo? É tão verdade como dizer que essa pessoa tem cabelos castanhos, se os tiver.
    O problema é que os "gordos" levam isso como uma ofensa porque não se sentem bem na pele em que estão.

    E sim, há gente que é gorda por problemas hormonais, ou de saúde, mas não é esse o caso da maioria dos gordos. São gordos porque são desleixados, preguiçosos, é mais fácil ficar no sofá do que dar cabo do corpo no ginásio. É melhor comer um croissant do que comer uma maçã.

    Não sei se será o teu caso, mas olhando para a comida que publicas aqui, não me parece que possas culpar o excesso de peso em hormonas.



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, eu não falei de mim, nem este post é sobre mim.

      "São gordos porque são desleixados, preguiçosos"... não há por aí tanto magro desleixado e preguiçoso? Nem todos tem o mesmo metabolismo, a mesma genética. Evidentemente que há gente que come mal (eu não como bem!!!), mas a questão não é essa. NINGUÉM tem o direito de insultar a outra pessoa. Se a pessoa for feia, também lhe vai dizer que é feia? Só porque é um facto? Um gordo sabe que é gordo. E não venha com tretas, sabe muito bem que a nossa sociedade vê o "ser gordo" como uma coisa feia e desprezível.

      Eliminar
    2. a sociedade vê o ser gordo como uma coisa feia porque o é. Falo por mim, nunca fui gorda gorda, mas tinha excesso de peso. Nos ultimos meses emagreci dez quilos porque fechei a boca e mexi o rabo, e agora sinto-me muito melhor com quem sou. Olho para o espelho e gosto do que vejo antes nao me sentia assim. Vais ser hipocrita ao ponto de dizer que nao gostavas de ser magra? Nao gostavas de ser jeitosa, de ver que a roupa te fica melhor?
      Soubesses as implicaçoes a longo prazo que excesso de peso e má alimentação tem...

      Eliminar
    3. As pessoas gordas interpretam a palavra "gordo" como um insulto porque a palavra "gordo" é regularmente utilizada como um insulto e como uma agressão, quer no caso das pessoas efectivamente gordas quer no caso das outras. Fácil - o uso das palavras em sociedade também determina o seu significado, não é apenas o dicionário.

      Está cientificamente provado (não quero desanimar ninguém aqui na caixa de comentários, muito menos a mim própria) que 95% das dietas falham a longo prazo, só há resultados diferentes em estudos abaixo dos 5 anos. E, para além dos problemas de saúde de que fala a S* e que levam a que muita gente não consiga perder peso, há a própria reacção do organismo às dietas, que normalmente consiste numa desaceleração do metabolismo (se alguém quiser os estudos, estes e muitos outros estão aqui: http://www.fatnutritionist.com/index.php/articles-evidence/).

      Mas a pergunta importante nem sequer é se todos os gordos são culpados de ser gordos. Imaginemos que eram (eu pelo menos sou razoavelmente responsável pela minha quota parte). Se fossem, isso era justificação para os tratar como ser humanos menos dignos? Isso chegava para aceitar que fossem insultados na rua? Tornava aceitável que fossem discriminados numa série de situações?

      Não sei em que tipo de sociedade é que o anónimo gostavam de viver, mas naquela em que eu gostava de criar os meus filhos a dignidade das pessoas é intrínseca, depende tão pouco do seu peso como da sua raça, género, orientação sexual ou escalão do IRS.

      Eliminar
    4. S*, ser feio não pode ser mudado com exercício e boa alimentação. Não é comparável. Sou gorda e não sou nenhuma vitima. Sou é parva e preguiçosa. E não preciso que me defendam. Se não me sinto bem na minha pele, a culpa é minha. E se me chamam gorda, não estão a dizer mentira nenhuma.

      Eliminar
    5. Eu acho que há aqui muitas ideias misturadas.
      A Rita tem muita razão quando diz que as pessoas gordas se sentem ofendidas quando assim são chamadas porque a sociedade atribuiu ao conceito um valor muito negativo. Quanto à desaceleração do metabolismo, acontece, de facto, mas não é determinante para não perder peso :)

      Quanto à anónima, mais uma vez comprovo algo que já sei há uns tempos: uma pessoa que já teve excesso de peso e deixou de ter é, regra geral, muito cruel com os outros - porque se sente vitoriosa e invencível e olha os que não conseguem com desdém. Regra geral, esquece-se dos tempos em que também ela teve dificuldades.

      Como a S* diz, há muitos magros desleixados, preguiçosos e que comem muito mal . Mas o problema é que nos gordos isso é visível.

      E as pessoas esquecem-se dos problemas psicológicos que estão por trás do excesso de peso e a obesidade.

      Sim, sou gorda. Sim, tenho quota parte de culpa. Sim, sei o que devo fazer para mudar. Ah, e gosto muito mais de comida saudável do que de croissants.

      Eliminar
    6. Teresa, o que eu quero dizer é que eu, com quilos a mais, tenho tanto direito a gostar de pizzas e bolos como uma pessoa magra. Sou saudável, não faço mal a ninguém, pelo que dispenso bocas e conselhos (que recebo cá no blogue) quando como uma pizza. Se estou gorducha, isso só a mim diz respeito... mas, acredita, há muito anónimo que parece adorar controlar o que meto à boca. :D

      Eliminar
  3. Também tenho visto, absolutamente fantásticas as duas reportagens. Sobre o que tratam, chega a ser assustador de tão real. :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aquilo não são reportagens

      Eliminar
    2. Concordo. É sensacionalismo mascarado de reportagem. "racismo é mau", "não gozem com os gordos". Não me digam... Em vez de fazer reportagens sobre problemas verdadeiramente actuais, que ainda não têm resposta e que podem muito bem desafiar o estabelecimento... Fazem aquele lixo. Mas nós merecemos. Somos nós que vê o lixo que eles fazem. Nós não nos importamos. Não queremos ser desafiados e pensar! Para quê?! Queremos é desligar o cérebro até ser hora do jantar e caminha! Façam isso. Vejam televisão, casem com alguém tão aborrecido como vocês, arranjem uma casa, tenham uma família, comprem um carro e morram sem sequer sonhar em fazer do mundo um lugar um pouco melhor. E não. Reciclar não chega para fazer isso.

      Eliminar
    3. Só mais uma coisa. eu reparei que para fazer um comentário aqui é preciso aprovação. Isso, com todo o respeito, na minha opinião, é errado. Nós devemos ver opiniões que não são as nossas. constantemente. É assim que pensamos e evoluímos. Mesmo que isso nos faça desconfortáveis. A não ser que queiras fazer deste blogue um quarto isolador, deves aceitar todo o tipo de opiniões. Menos os que só estão aqui para insultar. Esses podes e deves apagar, porque não merecem atenção nenhuma, e é isso que eles querem.

      Eliminar
    4. Por vezes o comentário é depreciativo e não uma crítica em relação à blogueira!
      Sempre volto porque gosto da S*!

      Eliminar
    5. Anónimo das 20:51, não estou sempre a ver os comentários, pelo que tenho de os moderar. Há gente com demasiado tento livro e que adora insultar. :)

      Eliminar
  4. estou contigo, sofro do mesmo. Agora a frase mais ouvida é «estás mais gorda» BAH

    ResponderEliminar
  5. Já há uns anos que acompanho todos os dias o teu blog. E sinceramente não te acho gorda, nem mal feita. Sim, não tens estatura magra, mas não és gorda. Acho que tens um ar bonito, que és bonita. E se fosses gorda, eras e pronto. Isto pra dizer que quem quer ofender e tratar mal, arranja sempre motivo. Eu sou magra e se me quisessem ofender diriam "os homens gostam de curvas; que magricela; não comes?". Por vezes não concordo com as tuas opiniões, mas o que me "incomoda" é te tratares como gorda, como algo que não és. E gostava que isso não te fizesse sentir mal. Enfim, um desabafo meu num dia em que não estou bem e a tentar com que pelo menos alguém se sinta melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, foi uma querida. Sinceramente, fico feliz por saber que, mesmo numa fase boa, a sua preocupação foi tentar fazer outra pessoa sentir-se bem. Um grande beijinho para si, forte abraço. E, se quiser: asminhaspequenascoisas@gmail.com

      Eliminar
    2. Também não acho que sejas gorda. Acho que te vês como gorda e muitas vezes vestes coisas que te fazem ter uma aparência maior. Mas é lógico que é uma estupidez as pessoas virem aqui chamar-te gorda,é uma infantilidade.

      Eliminar
    3. Anónimo, a questão não é essa. Eu posso ser gorda, que isso não dá direito a ninguém de me gozar por isso. :)

      Eliminar
    4. Sou a anónima que comentou em primeiro lugar e que indicaste o mail, caso eu quisesse falar. Antes de mais, vou-me identificar como Dani. :) E depois agradecer-te por te teres disposto a falar comigo, mas vou acreditar que tudo há-de ficar bem. De qualquer forma, vou continuar a acompanhar-te e digo-te no fim se tudo se compôs. Enquanto isso, espero que sejas feliz. Bejinhos. Dani

      Eliminar
  6. As pessoas às vezes além de cruéis conseguem ser mesquinhas...

    ResponderEliminar
  7. Mas os casos hormonais são uma minoria.
    A maioria é sim por erros alimentares e ausência de atividade física.
    Insultar não óbvio, mas negar a realidade também não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpe, mas negar que realidade? Um gordo sabe que é gordo, escusa de o informar. A mim escusam de me dizer que tenho peso a mais, eu sei. E não gosto que mo digam, porque o dizem sempre como "dica" para perder peso. Quando eu quiser perder peso, faço por isso. Entretanto, não me chateiem. Acho que isso se aplica a toda a gente. Ninguém é cego nem sofre de falta de espelhos em casa, para estarem a constatar o óbvio. :) É a mesma coisa que dizer "ai mulher, que branquela tu estás, pareces um copo de leite!" ou coisa do género.

      Eliminar
    2. O que eu quis dizer foi que tal como não se deve chamar gordos aos gordos, também há magros que sofrem quando isso lhes é apontado. Isso não está em questão.
      Mas que gordura por problemas hormonais é pouco frequente, enquanto que gordura por erros alimentares e preguiça é o que mais se encontra... depois culpam tudo. Até o ar e vento que engorda! :/

      Eliminar
    3. Engraçado que tudo grita ao vento que ser uma consequência hormonal é uma minoria... Mas, pois deviam informar-se melhor e perceber que mais de 80% dos ser humanos têm tendência hormonal a engordar. Depois, claro que nem todos engordam por o "ambiente" em que crescem quebra ou "alimenta" essa tendência.
      Médicos da internet -.-'

      Eliminar
    4. Ana, é muito isso. E ainda gozam, comp se um problema hormonal fosse piada. Enfim. Tristes.

      Eliminar
  8. Acho que para quem é bully, qualquer aspeto serve. Gordo, magro... há imensa gente que sofre por ser magro... (eu não sou magra. visto um 40 e sinto-me enorme. no entanto, até dentro da minha própria família quando eu era mais pequena me chamavam "chumbo", e eu achava que era gorda!!! quando vejo fotos minhas quando era pequena vejo que era uma criança perfeitamente normal, quando olho para as minhas primas mais novas e vejo que elas sim, estão claramente acima do peso e a elas ninguém lhes diz nada) mas sempre achei que fosse gorda, só depois mais tarde quando andava vestida num 34/36 é que achava que estava bem ( entre os 17 e os 23 anos, mas nunca me achei magra!)... agora que visto um 40 sinto-me um elefante... lol. Lá toda a gente me manda fechar a boca e ir fazer exercício :) e eu digo "fuck u!" xD tal e qual como acredito que aos magros lhes dizem coisas inversas "vai comer.", "estás um pau de virar tripas", etc... acredito seriamente que isto também os afeta... se eu fosse demasiado magra sentiria-me bastante mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, ninguém gosta de ser insultado, mesmo que "levemente". E ninguém chama "gordo" ao outro para o fazer sentir bem. Acho de uma falta de sensibilidade atroz. Eu não vou dizer a ninguém "isso fica-te horrível, isso faz-te mais gordo" só porque sim. É insensível... :/

      Eliminar
    2. Mas isso serve para qualquer "aspeto"... se disseres "estás magra, ficas horrível assim tão magra" também é insensibilidade. Não me parece que o problema esteja nas pessoas gordas, magras, wtv, mas sim, nas pessoas que insultam. Que tanto vão insultar gordos, magros como os que têm opiniões diferentes à deles... :) Tal como tu às vezes dizes que uma pessoa "é merda" porque disse algo menos bom em relação a ti... ou a outra pessoa. É ser-se igualzinho a quem insultou. :X só tenho pena que não consigas ver isso. preferia estar como estou, acima do peso, do que ser merda :) és muito olho por olho, dente por dente. Nesse caso não nos podemos sentir ofendidos por coisas que nos digam... porque olha, somos iguais a eles :) é por isso que me ofendo pouco com o que os outros me dizem... o problema é deles. Não é meu. Eles dizem o que querem. Só nos ofendem se nós quisermos também. ;)

      Eliminar
    3. Anónimo das 11:27, não sei se sente o que diz, mas talvez devesse rever as duas ideias.

      Não me parece minimamente comparável alguém que insulta os demais por ser gordo/magro/careca/whatever e alguém que diz que os outros, por serem maus, sem qualquer motivo, é uma merda.

      Eliminar
  9. Percebo o que dizes, mas averdade é que a larguíssima maioria dos gordos/obesos o São porque comem demais para o que se mexem e, como tal, fechar a boca a excessos e "mexer o fofo" é a solução. Existem outras questões, como as hormonais, mas essas estão em minoria. Mesmo quando falas em outras razões que levam as pessoas a refugiar-se na comida, que as há, estamos a falar mais uma vez em casos em que se come mais do que o que se gasta (se é por pura gula, se é para compensar um vazio, uma depressão, stress, etc, é por outro motivo, só analisando caso a caso) não deixa de ser uma situação em que se come demais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mirone, mas a questão é esta: o que é que os outros têm a ver com isso. Em que é que contribui para a felicidade dizer à Ana, à S*, a quem quer que seja "estás gorda, essa roupa faz-te gorda"? Se eu uso determinada roupa, é porque gosto. Se a Ana usa biquíni, é porque não se importa. Ninguém tem o direito de tentar deitar abaixo os outros. E sabes tão bem como eu que ser gordo, nos dias de hoje, é defeito. Não vale a pena negá-lo.

      E, já agora, SÓ para que conste (que não é desculpa, porque eu como mal!), vivi 27 anos sem saber que tenho um distúrbio hormonal que me faz engordar com facilidade. Mas sim, tenho-o. Pode ser bem mais frequente do que achamos. ;)

      Eliminar
    2. Eu acho que "estás gorda" é diferente do "essa roupa faz-te gorda". A segunda frase pode muito bem se um aviso, uma forma de dizer que não fica bem, algo que facilmente diria à minha mãe, à minha melhor amiga, caso fosse necessário. Não é tanto o que se diz, mas a forma como se diz. E S*, por mais que goste de ti, que gosto, deixou-me triste ver que no post do facebook em que falas deste tema, chamaste merda a quem chama gordo aos outros. Em que é que chamar merda é menos mal do que chamar gordo? Uma pessoa pode estar gorda por ter problemas hormonais e outra poder ser mal educada, deselegante por estar de mal com a vida. Se formos por esse prisma, tudo na vida tem uma resposta. Não te tornes igual, para te defenderes - a chapada de luva branca é sempre a melhor.

      Eliminar
    3. Anónimo, gente má e que maltrata gratuitamente os outros, para mim, é merda. Lamento. Reconheço dureza nas palavras, mas não as retiro.

      Eliminar
    4. Estas a ser igual a eles, é essa a questão. E a chamar-lhes algo que, para mim é bem pior.

      Eliminar
    5. É fácil, eu explico (se a dona do blog me der licença): só cai na categoria de merda, quem chamar outra pessoa de gorda, ou seja, quem importunar uma pessoa de paz, que não pediu opinião sobre o seu peso. A quem servir a carapuça, que se ofenda e que exija um pedido de desculpas. Parece-me, é, que os "ofendidos" se mantêm Anónimos neste post. Vê-se bem o que andam a chamar por aí. Que lógica bela, dizer que a *S cai no mesmo tipo de insulto...

      Eliminar
    6. Barcelence, clap clap clap. Não consegui dizer tão bem.

      Eliminar
    7. Barcelense, não podia estar mais enganada. Não enfio nenhuma carapuça, apenas fico triste quando as pessoas, para se defenderem dos insultos dos outros, fazem exactamente a mesma coisa e fico triste apenas porque gosto da S. Não sabemos da vida de ninguém. não sabemos o que está por trás. Eu acho, honestamente, que quem cai nessa tentação de chamar gorda, feia, desleixada, o que for, é porque tem uma vida triste, é porque lhe falta alegria, porque quem está feliz e de bem com a vida, não tem essa tendência. acho eu...

      Eliminar
    8. Mirone, por acaso neste campo acho q entramos na mm conversa das crianças. O q se passa na casa de cada um só eles o sabem.
      Se a maioria dos gordos o são pq n têm cuidados. Acredito. Mas n serão todos.
      Qt ao chamar alguém gordo, considero insulto se o intuito for esse. Se estiver a descrever alguém a uma pessoa uso essa designação (em sendo a pessoa gorda, claro), tal como digo que é loira, baixa, usa óculos ou tem o nariz grande. São características.
      Um insulto. Bem um insulto é um insulto. E é tão mau chamar gorda, pejorativamente, como chamar vaca, put*, cabra ou algo similar.
      Mas tb te digo S* (enquanto pessoa gorda, q estou uns bons 15 quilos acima do meu peso) que considero que se dá mto destaque ao chamar gordo/gorda.
      Acham que uma magra gosta de ouvir "ai estás taoooooo magra" acompanhado de uma cara de quase nojo? Ou ouvir "que pau de virar tripas" acham que gosta? E quem disse que o é por opção?
      E uma pessoa baixa, acham que gosta de ouvir "aquela caga tacos"?
      É tudo uma questão de complexos. Se a pessoa n se sente bem vai ser sp um insulto. E n é pior chamar gorda do que meia leca.

      Eliminar
    9. Me myself and I, subscrevo. O que mais nos afecta é aquilo que mais nos incomoda. Às vezes, cá no blogue, tentam gozar o meu sorriso. Não me chateia nadica de nada porque adoro o meu sorriso!

      Eliminar
  10. Já tive como tu... e não foi só com a Ana. Tive o programa todo a choramingar. Provavelmente por ter sentido muito do que eles testemunharam na pele e como o caso da Ana, uma das pessoas que me mandava mais abaixo sobre este assunto era o meu pai. Não é fácil. Eu admiro muito a Ana, que se aprendeu a aceitar. Eu fui mais fraca e estou numa batalha vitalícia contra o meu peso.

    ResponderEliminar
  11. Também vi o pº do racismo e sim, é obvio que ele existe e vai existir sempre. O desta segunda não vi, mas sei que a gordura nem sempre é o que as pessoas pensam, mas sim por problemas de saúde como dizes e não só. É certo que toda a gente quer ser magra, mas uns são porque querem, outros nem por isso. Eu por exp para 1,70 de alt com 80k sei que estou gorda, mas também sei que é por exagero na comida, estou a tentar "tratar disso" maus hábitos é uma coisa!outra coisa são os problemas de saúde.
    Beijinhos S*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se iluda. Ou tem um problema hormonal descontroladíssimo (que tem que ter outras manifestações além da gordura!) e que não trata porque não quer/ainda não lhe caiu a ficha... ou tem maus hábitos alimentares/de estilo de vida, sim!

      Eliminar
    2. Ponha o seu nome aqui, que depois lhe respondo. Ou tem medo?

      Eliminar
  12. A partir do momento em que tenho conhecimento de uma pessoa que não pos determinado nome ao filho porque conhecia um gay com o mesmo nome já acredito em tudo. Já não sei se são as pessoas que são pequenas, se é este país em geral. Enfim. As pessoas não pensam mesmo :( Esses magros têm muita piada têm (eu sou magra mas tenho a prima mais linda do mundo que é gordinha e sempre foi infeliz por isso). Cada um é como é. E sim, há pessoas que podem ter cuidado mas se as coisas fossem tão simples assim toda a gente era linda maravilhosa alta e magra. Por favor...

    ResponderEliminar
  13. Para mim estúpido é insultar, independentemente do insulto usado...
    Não costumo ver televisão, mas assim que tiver tempo quero espreitar estes programas :)

    ResponderEliminar
  14. Eu não me considero melhor pessoa do que o cidadão comum mas nunca entenderei a crueldade de certas pessoas... como é que se chega a esse ponto?

    ResponderEliminar
  15. Nunca tinha ouvido falar do programa...vou tomar nota para ver.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  16. Olhe, a mim passam a vida a perguntar se estou doente, tás tão magrinha, ai que horror, és tão magra, monte de ossos esquelética, enfezada, anoretica e eu não passo a vida a choramingar porque sou magra, demais, aos olhos dos outros. Já chateia esta coisa dos coitadinhos. Uns porque são pretos, outros porque são gordos, outros porque são magros. Também era.a caixa de óculos na escola, a quatro olhos, a vidrinhos e a palete, que rima com o meu nome e oh, sobrevivi e não tenho nenhum trauma diagnosticado. É só florzinhas este país, só florzinhas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não necessariamente. Pode não ser florzinha, mas sentir-se magoada com os insultos constantes.

      Eliminar
    2. Apetece-me escrever isto: "quando voltar a nascer, espero que tenha os pais que eu tive, garanto-lhe que será flor, florzinha... de estufa". Às vezes gostava de conseguir ver a força desta gente no dia-a-dia -.-'

      Eliminar
    3. Ana, é tão fácil criticar. Calçar os sapatos dos outros e parar para pensar é que parece ser mais difícil... ;)

      Eliminar
  17. Usar uma característica física para tentar rebaixar alguém é muito feio e mesquinho não há como não concordar... O problema neste teu discurso é que é extremamente hipócrita!! Tu quando estás com as tuas pessoas fazes comentários tão maus ou piores do que aqui descreves! Já estive sentada ao teu lado numa mesa de café em que estavas em família e vocês em menos de meia hora fizeram um sem número de comentários infelizes sobre outras pessoas... Portanto, é verdade que é muito feio apontar o dedo à cara das pessoas mas ainda é mais feio e cobarde fazê-lo nas costas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora diga-me lá onde é que me viu a fazer isso... e a dizer o quê? Adoraria que me dissesse onde assistiu a essa alegada cena. :D

      Já agora, há uma COMPLETA diferença entre achar / comentar com família "porra, aquela roupa é horrível" e dizer algo e bom som, à pessoa, "essa roupa é horrível". Ter opinião não significa ter a falta de bom gosto de partilhar a opinião.

      Eliminar
    2. olha já vai à bastante tempo, acho que foi no verão até, mas foi na esplanada em frente ao jardim e estavam aí umas 7/8 pessoas na mesma mesa. Fizeste comentários sobre pessoas que passaram e outros sobre pessoas de quem estavam a falar... ficou-me na memória porque até comentei com o meu namorado quem tu eras e foi ele até que falou sobre o modo desagradável da vossa conversa. óbvio que tu podes ter opinião mas agora dizê-la em forma de gozo mesmo que seja em família demonstra hipocrisia com este teu texto. O que não falta é gente que tem sempre o que dizer nas costas mas quando chega o momento da verdade fica calado que nem coragem para dar um pio tem. Prefiro gente mal-educada mas frontal do que gente que se desfaz em sorrisos e por detrás é só corta na casaca. Ao menos com os primeiros sei com o que posso contar.

      Eliminar
    3. TL, não sei do que fala. Incrivelmente, gabo-lhe a memória, se o que diz for verdade. É que eu e a minha família já não frequentamos esse referido café há uns bons quatro anos, por motivos pessoais... E ainda lhe gabo a paciência de estar a ouvir a conversa dos outros. É que eu não costumo gritar, muito menos faço comentários sobre as outras pessoas à frente dos meus tios e da minha falecida avó. Se ainda tivesse dito que era eu, a minha irmã e a minha mãe... acreditava. Assim, parece-me incrivelmente inverosímil. Especialmente porque há quatro anos atrás eu não dava a cara aqui no blogue, seria um bocado incrível a TL saber quem eu era. Mas ei, se a leitora diz, quem sou eu para o negar?

      Eliminar
    4. Por acaso tb já presenciei a pura s a falar mal dos outros hipocrisia

      Eliminar
    5. Oh vai-me à loja e traz o troco!

      Eliminar
  18. 1. Não a conheço mas, depois de uma vista rápida pelas fotos publicadas, parece-me uma pessoa normal, não é gorda e muito menos obesa. No entanto, ninguém sabe porque é que uma pessoa obesa é obesa, e certamente quem critica não gostaria de estar na 'pele' de um obeso! O "pôr-se no lugar do outro" é um exercício difícil mas muito útil. Infelizmente as pessoas usam tudo o que se destaca nos outros para os atacar, jamais para os elogiar!

    2. A questão do racismo é mais complexa, não falo pelos outros, falo por mim quando digo que não é tanto a cor da pele mas as atitudes, vide o exemplo da rixa de ontem no Cais do Sodré. A maioria dos africanos, mais que outras raças (indianos, chineses, etc) sempre teve dificuldades de integração na sociedade portuguesa e muitas vezes por culpa deles e também da imagem glamorizada, veiculada pelos medias (sobretudo americanos) dos 'gangs' e dos 'rapers'. Eu aceito e respeito toda a gente mas lembrem-se que o respeito tem que ser de parte a parte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, a questão é essa - " ninguém sabe porque é que uma pessoa obesa é obesa". No programa uma investigadora disse que é uma DOENÇA, não é tão simples como "é gorda porque come".

      Eliminar
  19. Ainda não vi o programa desta semana por isso não me posso manifestar sobre o que lá foi dito. Mas sim, reconheço que se vive muito a ditadura da imagem e que as diferenças são usadas como armas de arremesso contra as pessoas sem saber as consequências que esses ditos "insultos" têm nas pessoas.

    nem mais nem menos | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  20. Uma coisa é dizer a alguém que é gordo para ofender outra coisa é chamar a atenção de alguém relativamente a um aumento de peso. Isso para mim pode ser fundamental em determinadas situações. No meu caso pessoal, nunca fui gorda mas tenho tendência para ganhar peso com facilidade. E uma das coisas que mais me irrita é que, quando estou mais magra, me venham dizer: "Ah, pois, já estavas a ficar cheinha..." Ora, diz-me lá, não teria sido mais útil terem dado esse input na altura certa? Mas isto sou eu, que tenho mau feitio :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, claro, eu admito perfeitamente que a minha família mo diga. É um conselho. Mas isso é a minha família. :)

      Eliminar
  21. Eu acho que ninguém tem o direito de ofender ninguém por ser gordo, magro, alto, baixo, preto, amarelo, etc.

    ResponderEliminar
  22. Tenho um post agendado para falar sobre isto tb :(

    ResponderEliminar
  23. Um disturbio hormonal não mete fast food na boca das pessoas. Nem as obrigada a estar sentadas no sofá.
    Se as pessoas sabem que têm isso disturbio mais uma razão para fazerem algo pela sua saúde!
    E tenha cuidado com "se eu quero ser gorda, ou se quero vestir determinada roupa, ninguem tem nada a ver com isso" porque quantos e quantos posts já fez a criticar o aspeto de outra pessoa, as roupas, as opções de vida...
    Seja coerente.
    E se tem esse disturbio cuide de si e não escreva este tipo de posts. O importante é sentir-se bem consigo própria, mas será que sente?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu engordei 15kgs este último 1.5 ano. Não como fast food, não como mais do que as pessoas magras ao meu redor, faço exercicio com uma amiga que é magríssima. Essa amiga come Mac constantemente, pizza, etc. Mas socialmente a saudável é ela e a pessoa que segue tudo o que é dito pela nutricionista sou eu.

      Parei a pilula há 2 meses, parei de engordar mas ainda não consegui emagrecer. Pessoas como o/a caro(a) dão-me vontade de lhe dar uns valentes murros.

      Quando era adolescente e à conta de um disturbio hormonal do género, desesperada por não parar de engordar parei praticamente de comer, entrei em anorexia e ainda assim só atingir o meu peso adequado e não emagrecia mais. "Então ainda bem, certamente que estavas a comer o que devias". Nope. Eu comia 1 bolacha de água e sal de manha e só me permitia almoçar uma sopa (água dos legumes) e à noite comia outra bolhacha de água e sal. Os meus órgãos começaram a falhar, deixei de ter menstruação, as análises péssimas...e eu ainda assim era gabada porque estava finalmente muito bem.
      Pois é mas o "muito bem" daquela fase quase me matava. Agora sou uma pessoa diferente, se gostava de emagrecer? Gostava sim, estou a ser acompanhada para o tentar atingir mas não me venham com merdas porque eu conheço muito mais magros a terem alimentações de merda e a culpar os outros por má alimentação e maus hábitos de vida quando eles têm é simplesmente sorte. Só não se esqueçam é de uma coisa: a saúde não é visivel, é o que está por dentro. Eu sei que eu como coisas saudáveis, sigo uma dieta equilibrada, com vitaminas e nutrientes bons... não interessa muito se os aparentemente magros são muito bonitos pois se só se alimentarem com porcarias e comerem em excesso, os nutrientes e as vitaminas que entram no corpo não passam a ser boas.

      Just saying.
      Mas metem-me nojo certos comentários porque provavelmente como eu existem inúmeras crianças e adolescentes cada vez com mais disturbios alimentares pois quando se faz tudo o que é suposto para emagrecer e nada resulta...a única alternativa é mesmo parar de comer. E isso é anorexia, mesmo que aparentemente se esteja bem. Porque lá está, quem vê uma pessoa magra também não vê a saúde que está por dentro do organismo.

      Eliminar
    2. Por acaso é isso o que me chateia mais. Os aparentemente magros podem comer hambúrgueres uma vez por semana, pizzas duas vezes, bolachas todos os dias. Os gordos, pelos vistos, nem têm direito a uma refeição calórica de vez em quando. Como se não soubesse bem a toda a gente.

      Eu posso ter peso a mais, mas tenho excelentes analises. Faço check up todos os anos e estou sempre impecável, por isso não venham com as tretas da saúde.

      Também gostam de dizer que eu só publico comida calórica cá no blogue. É um facto. Não me apetece fotografar a panela de sopa que fiz na segunda feira. Ou a fruta que como sempre que me dá um "ratinho". Ou a cenoura que comi ontem quando cheguei a casa para enganar a fome.

      Se como mal? Muitas vezes. Mas compenso comendo muita fruta e vegetais - que adoro. É tão fácil julgar sem conhecer a realidade. :)

      Força, cara anónima. :)***

      Eliminar
  24. Tu és gorda? Credo, mas anda tudo doido da cabeça? Se tu és gorda, eu devo ser esquelética...As pessoas quando querem insultar alguém, pegam nas coisas mais estúpidas. A mim é "não tens corpo para a idade que tens", é, sou uma nuvem, queres ver...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gente com maldade no coração, é o que é.

      Eliminar
  25. Vi o programa e gostei bastante.

    ResponderEliminar
  26. Quando as pessoas pretendem apenas insultar e mandar o outro abaixo a única solução é ignorar e pronto. Parece fácil. Não é. Mas é muito compensador.
    Essas pessoas, os bullies das Redes Sociais e da vida são bastante dignas de pena porque são pessoas que têm problemas maiores que a obesidade, têm uma obesidade mental que os atrofia e não deixa ser felizes de forma nenhuma.
    Não ligo absolutamente nada a conversas parolas de gente idiota. Às vezes tenho pena, às vezes nem isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por este comentário, nota-se mesmo que o faz.

      Eliminar
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  28. Toda a discussão em cima é rídicula. O grave não é chamar gordo a alguém. Não é dizer a alguém que está gordo ou gordinho. Não é sugerir que faça dieta ou que deixe de comer bolos. Não vejo mal nenhum nisso! O que eu acho muito grave, triste é ser julgado pela aparência. Os gordos são vistos como desleixados, preguiçosos, menos inteligentes e contentes. Este é o verdadeiro preconceito. As tretas referidas no texto e comentários q se sucederam são só questões do politicamente correto. Prefiro mil vezes que digam que estou gorda do que estou forte. Que é essa merda do forte? Ando no ginásio por acaso? Estou à vontade para falar deste assunto. Já pesei 86 já pesei 56. Agora estou no meio. Com esforço pq a minha competência e inteligência são mais valorizadas e notadas se estiver mais magra. É triste? É a realidade que temos.

    Outra grande treta é fazer dos gordos coitadinhos. Qd estou mais gorda é pq como mais. Se como a mais engordo- lógica da batata! É sim tenho problemas na tiróide que me facilitam a engorda! Mais cuidado tenho que ter. Problemas hormonais se doagnosticados e medicados não são desculpa. Mais uma vez repito o problema não está nas pessoas que te chamam gorda. O problema está nas q te acham burra e desjuizada por seres gorda. Essas normalmente não abrem a boca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Resumiu a questão na perfeição. Na reportagem abordaram isso mesmo - gente que deixa de ser considerada competente para um trabalho por ser gorda.

      Eliminar
  29. Um programa na SIC a defender as pessoas com "excesso de peso", ora se não comessem tantas bolachas e tanto tulicreme não eram assim. E os magros como eu, as pessoas normais? Ninguém nos defende? Já pensaram no que é por exemplo chegar a uma festa e só já haver sumos porque foi tudo comido? Já pensaram porque a SIC faz programas para gordos emagrecerem? E não fazem o contrário... Não és gorda muito menos obesa.. mas defender gordos.... ou atacar magros...acho contraditório...comer bolachas, hamburguers é alguma doença? Pois vai ao McDonalds e Vê quem escolhe o maior que lá há.. repara num carrinho de supermercado.. o do gordo vai cheio de refigerantes e batatas fritas....pouca fruta lá vês...
    As pessoas magras deviam ser defendidas!! Os gordos não sabem o que é chegar a um mac e ter medo de ser comido por um Obeso! Não foi a SIC que fez programas com gordos a perder peso ?Agora defende-os. Mete asco, ver a sic a preocupar-se com estes não assuntos. Sempre com a mesma táctica da vitimização. Defender e promover obesidade é um atentado a saude publica! Já alguma vez pensaram que há gente que é obesa só pelo facto de não ter tempo suficiente para exercitar? Pois, até parece que comer não é algo que gasta muito tempo... Uma pessoa passa 30 minutos a fazer do bom farnel para o 1°lanche e repara que já está na hora do 2° e nem dá para exercitar porque temos mais que fazer (nomeadamente comer e preparar o 2° farnel).. É comer e beber prá frente caraí...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não li este comentário pois não? Digam-me que é brincadeira...

      Eliminar
    2. Ai o que eu me ri! Obrigada

      Eliminar
    3. Há verdades no que foi escrito. Sou gorda e detesto que se vitimizem os gordos. Há casos de doença e distúrbios hormonais mas a maioria é por má alimentação e zero exercício. Há quem queira e goste de ser gordo, logo, não são vitimas. E há quem tenha preguiça e força de vontade de emagrecer. Que é o meu caso, logo, não sou vitima. Ter excesso de peso não é saudável e deveria ser combatido. Ponto. Parem com isso.

      Eliminar
    4. Caro anónimo defensor dos magros e oprimidos. Aconselho-o a escrever para a Sic e sugerir esse tema. Os magros como vítimas de marginalização e preconceito na sociedade. Já estou a ver uma bela encenação: Num restaurante de fast food dizem a uma pessoa alta e magra que não a servirão pois não se enquadra no perfil dos clientes. "Desculpe mas nós aqui só servimos obesos mórbidos que vivem para comer. A única coisa que lhe posso vender para fazer-lhe o favor é o menu salada com compal light". E depois era ver a reacção dos outros clientes. Ou então outra: "Ir a uma loja de roupa e a vendedora dizer, olha que o 34 assim deve-lhe ficar muito largo, acho que não tenho número para si, é melhor ir à Bershka". Rídiculo Sr. Anónimo, é só o que lhe digo. Mostra ignorância porque não entendeu nada do que se tratava o programa, ou nem o viu. E sim a obesidade é uma doença vá informar-se. Quando ao ser gordo, cada um é como é e o importante nestes casos é ser saudável e feliz com o seu corpo. Olha que os gordos ainda podem emagrecer mas para o preconceito e ignorância não há regime alimentar quel lhe valha. Tenho dito.

      Eliminar
    5. Eu vejo muitos mais magros com os carrinhos cheios de porcarias do que os ditos gordos...

      Eliminar
    6. O magro que tem medo de ser comido pelo gordo no Mac é só... priceless. Obrigada!

      Eliminar
    7. Temos muitas vezes de se rir.. dái o meu comentário.. Houve quem não percebesse.. mas pronto!... sou o anónimo das 9h47m

      Eliminar
  30. A inteligência, a competência e a educação não se medem pelo peso, nem pela cor da pele, sexo, idade, beleza, ter ou não filhos, ou o que for.
    Mas isso é o prato do dia.
    Enfim...

    ResponderEliminar
  31. Acho que quando se vive bem com o corpo que se tem, não é ouvir um "és gordo" que te vai deitar a baixo.
    Eubsou homossexual, chamam-me "fufa" e eu estou-me a cagar. É o que sou e vivo maravilhosamente bem com isso. Se é a palavra mais bonita ou desprovida de preconceito? Não, mas são só palavras. Não me afectam.
    Acho que com questões de peso é um pouco o mesmo. Se és gorda e vives bem com isso, se aceitas o teu corpo, se gostas de ti assim, não são as palavras dos outros que te vão afetar.
    O problema é quando não nos sentimos bem com o corpo que temos. Aí qualquer comentário nos vai derrubar.
    Voltando ao meu exemplo: antes de me aceitar como homossexual, até a palavra lésbica era ofensiva para mim, se ouvia alguém comentar que era lésbica ficava logo magoada.
    Por isso, acho que tem excesso de peso, ou peso a menos, tem de analisar um bocadinho a sua situação. Sou gorda, mas gosto do que vejo, ou, sou gorda e não sei ser feliz assim, vou fazer algo por mim e pedir ajuda para perder peso.
    Acho que tudo isto é uma questão de aceitação. Quando te aceitas, não há insulto que te afecte. Pura e simplesmente não queres saber. Porque aquilo que os outros vêem como um problema/defeito para ti não o é!

    É lógico que sou completamente contra alguém usar o peso de uma pessoa para gozar ou ofender. Isso é só parvo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim, tens razão. E eu não gosto de ter peso a mais, por isso não gosto que mo digam. Quer dizer, eu não me importo, por mim... mas importo-me que me achem gorda, admito. Confesso que não gosto que mo digam, porque parece que é um defeito. E não é defeito se não influenciar a nossa saúde.

      Eliminar
    2. Acho que é uma questão de analisares se gostas de ti assim, ou não. Mas pelo que vejo em fotos, tu não és assim tão gorda como parece que te vês. É mesmo uma questão de te aceitares assim é, talvez, valorizares o que tens de melhor no teu corpo. Muitas vezes focamo-nos só naquilo que não gostamos.

      Voltando ao assunto do post, há apenas uma coisa que quero esclarecer.
      Todos podemos lidar bem com os "nomes" que nos chamam, mas nunca devemos deixar que nos discriminem com base no nosso aspecto físico/orientação sexual/cor da pele. Isso é algo totalmente diferente.
      Porque por mais que te aceites, estás sempre sujeita ao preconceito dos outros. E, se umas vezes o preconceito passa por chamarem-te gorda, outras vezes passa por te quererem impedir de fazer algo por seres gorda. E isso é que é grave.
      E cabe a cada um de nós lutar contra isso. Eu não aceito que me digam que não posso fazer algo, ou que ponham em causa a minha competência, por ser lésbica. Para além de ilegal é ridículo. Não deixo que me façam isso.
      Mas não é com vitimização que isso se resolve (achei que no programa algumas das entrevistadas estavam ali a fazer o papel de vítima, apenas), é com luta, é bater o pé e marcar uma posição. Mas aí voltamos ao comentário anterior, tens de te aceitar como és, só assim tens confiança be força para lutar contra o preconceito dos outros.

      Um quarto para duas (não me apetece iniciar sessão :) )

      Eliminar
    3. Um quarto para duas, acho que ninguém é imune a críticas. Há gente que lida melhor ou pior com críticas, mas ninguém é imune.

      Hoje em dia gosto de mim e do que vejo ao espelho, apesar de saber que podia estar melhor. Mas, por motivos cá meus, durante toda a adolescência tive complexos.

      Naturalmente que não gosto de ser gozada, mesmo que goste de mim. Uma coisa não creio que anule a outra. :)

      Eliminar
    4. Claro que ninguém é imune a críticas. Mas há formas e formas de lidar com elas. Quando gostas de ti e tens confiança, as críticas acabam por te passar um bocado ao lado. Quando não te aceitas como és, até as críticas construtivas vês como um ataque. E daí ao papel de vítima é um passinho.
      Por isso é que digo, antes de tudo o importante é aprendermos a gostar de nós. Magros ou gordos.
      E, tal como tu, 90% das pessoas tiveram complexos na adolescência, ou por ser gordo, ou por ser magro, ou por usar óculos, ou aparelho, é natural. É preciso saber dar a volta a isso quando nos tornamos adultos, não vamos viver presos aos complexos do passado.
      E, so para terminar, acho que muitas pessoas pecam por nao pedir ajuda. Temos complexos, temos problemas com o que vemos no espelho, não aceitamos aquilo que somos, mas nunca procuramos ajuda para ultrapassar a imagem negativa que temos de nos. Não tem problema nenhum pedir ajuda, seja um psicólogo, seja um nutricionista, seja ao medico. Sozinhos nem sempre conseguimos tudo.

      E não estou a dizer que este é o teu caso. Estou apenas a escrever isto porque muita gente pode ver neste comentário um incentivo a pedir ajuda. Questões de peso, de aspecto físico, de gostar do que se vê ao espelho, são sempre complexas. Acho que muitas vezes o melhor é ter apoio profissional.

      Eliminar
    5. Opá, parece-me ter lido que este post não era sobre ti... no entanto só tens feito comentários sobre ti própria.

      Nem sequer te acho gorda. Nem percebo de onde vem tanta insegurança da tua parte. Deves é saber selecionar melhor o que vestes, valorizando o que tens de bom e disfarçando o pior.

      Também tenho meia dúzia de kg a mais! Se me chateio com isso?? Nadinha!! Tenho apenas o cuidado de só vestir o que me valoriza e olha que meto muitas chamadas a magras a um canto.

      Gordas ou magras, não interessa! É preciso é saber como nos vestirmos de forma a valorizarmos o que temos de bom e disfarçar o menos bom.

      Eliminar
    6. Um quarto para duas, isto nem está nada relacionado com a discussão que está aqui a ocorrer, mas lembrei-me de algo. Desde a minha adolescência que sempre tive amigos homossexuais (homens e mulheres), e actualmente continuo a ter. A questão da designação continua a ser algo complicada, mas sempre a resolvi perguntando directamente aos meus amigos quais são os seus limites (lá está, também porque tenho liberdade para isso). Ou seja, há amigos meus a quem a palavra 'mariquice' faz confusão (por exemplo, dizer 'ah eu acho que ter música no parto é uma mariquice'), enquanto que há outros que se auto-intitulam de bichonas (que, para mim, é uma palavra com uma conotação ofensiva). No fundo, acho que as palavras acabam por ter o sentido que nós lhes queremos dar. Embora os meus amigos frequentassem a minha casa e a minha família soubesse que eles eram homossexuais, a minha avó nunca gostou da palavra homossexual. Vai daí, para ela são os gays e as fofas. Sim, fofas com o. Acredito que ela acha mesmo que a palavra é fofa, e não a diz com qualquer tipo de conotação negativa. Enfim, lembrei-me por causa de te chamarem fufa (que, lá está, é uma palavra que também acho ofensiva, embora tenha amigas lésbicas que acham um piadão - principalmente quando descobriram que a minha avó diz fofa) :D

      Eliminar
    7. Joana, ahahah, a minha avozinha também dizia Fofa! E, hoje em dia, por brincadeira também dizemos fofas.

      Uma amiga da minha avó tinha uma cadela. Disse à minha avó que ia chamar Fofa à cadela. A minha avó disse-lhe: "Oh, isso são. Fofas são as mulheres que andam amigadas". :D Ficou a palavra!

      Eliminar
  32. É vergonhoso quando o preconceito começa no ginásio.
    Um dia destes o grande( not) professor do ginásio que frequento, ao ver uma senhora com grande excesso de peso, disse e passo a citar:
    " Espero que a barra do trx aguente com essa".
    Fiquei chocada e tive e tenho nojo desse professor.

    ResponderEliminar
  33. Eu consegui deixar de fumar, mas não consigo voltar ao peso ideal.
    Se como muito? Nem por isso. Já comi muito mais e nesse tempo era magro. Ando quilómetros a pé (correr está fora de questão, devido a problemas com as articulações e cardíacos) e faço dieta por causa da diabetes, mas quando perco 5 quilos, a seguir engordo 10. A idade altera o metabolismo e transforma-nos o corpo num armazém de gordura. E só tenho cerca de 15 quilos a mais... imagino o drama de um obeso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo perfeitamente. Eu fiz meio ano de reeducação alimentar em 2015. Ia ao ginásio duas vezes por semana, treinava a sério, e poucos resultados vi. Torna-se frustrante. Para engordar tudo novamente precisei de um mês! Só!

      Eliminar
    2. Eu volto a dizer o que te disse na altura, a tua reeducação alimentar não é reeducação nenhuma. Tens de eliminar os processados e comer mais fruta mais legumes e até mais pão, bolachas iogurtes e gelatinas é que não. Isso é uma armadilha. Vê o documentário That sugar film, e vais perceber que de benéfico esses alimentos têm 0.

      AnaC

      Eliminar
  34. Quem quer magoar os outros encontra sempre um jeito.Em criança e jovem, por ser magra, chamavam-me: pau de virar tripas, trinca espinhas etc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é mau e cruel e quer ofender, é isso mesmo, arranja sempre um jeito, e sejamos nós como formos, haverá sempre alguém a criticar e censurar...

      Eliminar
  35. com um gordo numa festa...Nunca há leitão. E o frango assado que sobra é sempre aquela parte do peito..só sobram ossos para os magros..Defendem os gordos agora, ja se esqueceram que fizeram o "peso pesado" e "peso pesado kids". O tipico degredo televisivo.... E um/a gordo/a sentar-se nas nossas pernas... no mínimo oartem-nos os ossinhos todos,,,, BRinquem com a situação.. ninguém é vítima . só se asim se considerar.. magro ou gordo.. o que importa se tiver humor? Boa disposição? dassssssssss lá para preconceitos !

    ResponderEliminar
  36. Quem insulta acha-se "acima" disso...Coitados, ainda não perceberam que ninguém está "acima" de ninguém, que as circunstâncias de cada um, só cada um sabe, e eles próprios têm as suas, que infelizmente os leva a se acharem "superiores"...mas em quê exactamente? Tristes...

    ResponderEliminar
  37. Eu, enquando obesa mórbida, não me revi de todo com a reportagem. Não me revi apenas porque, pessoalmente, não vivi nem experienciei nenhuma das situações retratadas na reportagem.
    Sempre fui obesa e ao contrario do que dizem dos obesos, fui uma obesa muitissimo ativa. Fui federada em duas modalidades desportivas, fiz pinos e pontes e esparregatas e rodas sem qualquer dificuldade, em adulta fiz ginásio de segunda a sabado até ter sido operada a uma hérnia discal e passar a poder fazer apenas desporto de baixo impacto e de forma moderada ( Pilates ou hidroginástica no máximo 3x por semana). No meu caso é muito difícil contrariar o fator hereditariedade, passei por uma banda-gástrica que não resultou, estou num processo para nova cirurgia bariátrica onde me vou sujeitar à amputação de parte de um orgão vital, sujeitei-me toda a vida a dietas rigorosíssimas e muito restritivas para perder peso(com mais ou menos sucesso), fui picada centenas de vezes com injeções de sei-lá-eu-o-quê por médicos que prometiam emagrecimento eficaz mas que parando, se verificou que foi eficaz enquanto lá enterrei 50 eur por semana. sujeitei-me ( e voltarei a sujeitar-me daqui a umas semanas) a semanas de dieta composta apenas por 50 ml de líquidos para perder peso... Portanto não ousem assumir que os gordos são preguiçosos, relaxados e têm falta de vontade.
    Nunca nos meus 38 anos deixei que o meu corp mais ou menos volumoso, condicionasse aquilo que sou enquanto pessoa. Sempre tive namorados, casei, tenho uma filha maravilhosa, sou licenciada, nunca fui preterida em candidaturas de emprego por ser gorda...ser gorda nunca me tornou numa pessoa deprimida, isolada...porque eu não deixei!
    Como disse Saint-Exupéry: "só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos. Os homens esqueceram essa verdade, mas tu não a deves esquecer. Tu tornas-te eternamente responsável por aquilo que cativas." e diz-me também a minha experiência de vida que quanto mais nos regermos por esta forma de estar na vida, menos importância vai ter o que os outros pensam do teu "exterior". Claro que não acho especial piada a que me chamem gorda, como não acharia se me chamassem preta caso o fosse, ou trinca-espinhas se fosse magra, ou caixa-de-óculos se usasse óculos, mas apenas porque acho que é um não-argumento ,não me afeta, até porque no auge da minha "magreza" passaram a chamar-me cavalona por causa do meu 1,78m...e foi aí que percebi que sejas o que fores e como fores, quem quer tentar magoar-te e ofender-te vai usar o que está mais à vista e isso deixa de ser um argumento para passar a ser uma constatação da realidade.

    De tudo o que vi na reportagem só lamento que existam famílias que não saibam "aconselhar" recorrendo ao reforço positivo. Dizer a um filho que não se sente bem com a sua imagem que está gordo, que é uma baleia, que a roupa não serve porque está obeso... é diferente de incentivar a mudança, sugerir uma atividade física ( eventualmente até juntar-se a ele nessa prática)para redução do peso e aumento do bem-estar, focar os aspetos positivos, mostrar amor incondicional e ensinar que um corpo é apenas isso.
    Eu sou uma felizarda por ter tido uns pais e uma família assim e penso que me deram a melhor base para me aceitar primeiro e ter o discernimento para escolher o caminho que acho ser o melhor para mim, neste caso escolher ser saudável primeiro mentalmente, depois fisicamente, contrariando a minha própria tendência biológica e estilo de vida.
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta, sim, de acordo. Totalmente assustador saber que os insultos começaram na família.

      Eliminar
  38. Sabes, andei longe dos blogs um tempo porque honestamente nem aos fins-de-semana me conseguia sentar com tempo.
    E hoje ando a passear no teu (mesmo que muitas vezes calada), aqui tinha que te dar um beijinho no coração por cada palavra, pelo apoio de sempre e por seres simplesmente quem és. Um abraço gigante minha S.
    <3 (obrigada de coração, por tudo!)

    ResponderEliminar