domingo, 5 de julho de 2015

Antes quebrar que torcer

Já outros baixaram a cabeça, enfiaram o rabinho entre as pernas e submeteram-se. Nós, orgulhosamente portugueses, já nos rebaixamos e deixamos que mandassem em nós.

Gregos, mais vale quebrar que torcer. Força nesta nova fase. Varoufakis, sou tua fã. "Não" ao terrorismo económico.

48 comentários:

  1. Não sou fã de Varoufakis, nem sou fã da austeridade... seria ideal um meio termo. E governos que realmente se interessassem pelas pessoas e não pelas suas contas bancárias pessoais

    ResponderEliminar
  2. Olá, S.
    Muito francamente, sofro pelo povo grego como sofro por nós, ambos nas mãos das potências da Europa e, para nossa desgraça, às custas da política e jogo de interesses económicos de que fomos vítimas durante décadas - é facto e não podemos negar.
    Mas nem sei... aguardemos.
    bj amg

    ResponderEliminar
  3. Sofia e Carmem, nós fomos submissos e não adiantou de nada. Eles vão tentar uma outra solução.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixar ficar o calote?
      Os gregos pediram dinheiro emprestado e agora não o querem paga!
      Lembrem-se que esse dinheiro não é só dos bancos, tb é de quem lá o tem e que não foi referendado para autorizar que o seu dinheiro seja entregue de bandeja aos gregos, (dificilmente acontece mas) imagina agora que esses bancos vão à falência por causa desse dinheiro? quem fica a arder??
      É muito bonito não dobrar, com o dinheiro dos outros... por isso amanhã estou à porta do banco para avisar que vou deixar de pagar o empréstimo, se quiserem recuperar algum que aumentem as taxas e os spreads aos papalvos que pagam o que devem

      Eliminar
    2. Aqui não se trata de não querer pagar. Trata-se de não deixar que nos digam como vamos pagar. Lá está, como uma leitora disse... eu peço dinheiro, mas eu é que sei onde quero cortar, onde POSSO cortar, para pagar aquilo que devo. Não posso admitir que me digam "corta nas reformas, aumenta os impostos".

      Eliminar
    3. Pois S* muitos têm essa ideia. Eu agora quero férias, eu agora quero carro novo, eu agora quero o dobro do salário, eu agora... mas pagar? Ai não posso...
      Muita gente em Portugal tem essa ideia e faliram... os gregos têm a mesma ideia e ...espante-se, faliram.

      Se não tinham dinheiro para pagar a dívida que não a contraíssem. Eu não compro uma casa de 1 milhão de €€€ porque sei que não a posso pagar...!

      Eliminar
    4. Ai é? Não deixar que digam como vão pagar? O q lhes foi dito foi " tem de pagar até este dia!! O dinheiro onde está? Agora não querem essas coisas

      Eliminar
    5. Obviamente os gregos não sabem como cortar caso contrário não estariam na situação em que estão. Como confiar em quem pede dinheiro emprestado por ter gasto o seu próprio dinheiro de forma irresponsável?

      Eliminar
    6. As coisas são muito bonitas mas assim não pode ser.
      Já perdoaram uma percentagem à grécia.. o que é que eles querem mais?
      Continuam com um ordenado minimo superior ao nosso, por exemplo, e nós que também estamos como estamos, tivemos que lhes emprestar dinheiro...

      Há paises na europa mais pobres do que a grécia e que emprestaram dinheiro à grécia (estónia, eslováquia etc)... agora esses países têm que aceitar que não lhes paguem, ou que o acordo afinal não lhes dá jeito?
      É tudo muito engraçado mas não se trata apenas da Alemanha e do seu monopólio..

      Eles precisam mais da Europa do que a Europa deles e eles sabem isso, o "não" nunca significará sairem.. mas sim.. os outros terem de perder ou fazerem mais esforço do que eles.. que nunca mostraram grande vontade de aceitar nada..

      Se cá há corrupção.. lá então..! Eles não viviam acima das possibilidades, eles viviam no espaço (de tanto em cima que era) subida de ordenados altissimos, cargos milionários, cargos inventados que nada se fazia, pensões para tudo.. o rídiculo... e não era só na alta não! era o próprio povo!

      TInham um 15º mes de ordenado (LOL), a nos cortaram-nos o 13º XD 45 funcionários para 4 arbustos de um hospital (?) ninguém entendo.

      Subsidios para quem levava as mãos (LOL), funcionários públicos que nem apareciam aos postos de emprego.. tipo?

      As raparigas até aos 28 anos ou até casarem tinham um subsidio..

      Eu fico chocada...

      Ok, que muita coisa foi cortada.. mas é preciso pagar a dívida gerada! Por amor de deus, nem Alemanhas nem Inglaterras tinham este estilo de vida..


      Eliminar
    7. anónimo das 14:34, de pudesse, punha Like :)

      Eliminar
  4. Para mim tudo isto, são manobras de bastidores. Tanto o Syriza como a UE querem ficar fora da moeda única. Esta foi a forma engendrada para o fazerem. As pessoas votaram a aprovação de medidas que já estavam fora de "validade"

    ResponderEliminar
  5. Um grande bem haja ao povo grego, não vai ser fácil, mas mais do mesmo é que não.

    ResponderEliminar
  6. Não adiantou de nada mas ainda tens dinheiro para comer não tens? O q é q achas q vai acontecer com a Grécia? De repente vão passar a viver bem pq não há austeridade? Por favor s, informa-te, a Grécia vai abrir falência

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, eu tenho. Mas milhares de portugueses não têm.

      Eliminar
    2. E isso não vai ser nada comparado com o q a Grécia vai passar

      Eliminar
  7. Não se trata de submissão. Se tu vais pedir um empréstimo ao banco, tens depois prazos para pagar de volta o dinheiro, e juros associados. Aqui é a mesma coisa. Eles pediram dinheiro emprestado ao FMI, e não estão a cumprir com o acordo feito.
    Agora amanhã eu vou ao banco, peço um empréstimo e quando chegar a altura de pagar, faço birra e digo que "não". Que os bancos são todos uns mafiosos, e isto é tudo um jogo de interesses... Não faz o menor sentido.
    Só espero que depois desta loucura, a Grécia não se afunde muito mais...

    ResponderEliminar
  8. Aplaudo de pé o que diz!!! E "os cofres cheios"á nossa custa ,não vão valer de nada !!

    ResponderEliminar
  9. Admiro-te ainda mais por este post! És uma pessoa sensata... sincera.. e tens valor por aquilo que defendes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu diria idealista e ingénua, e para jornalista, achava-a mais informada...

      Eliminar
  10. Nós fomos submissos e melhorou alguma coisa... estamos longe da perfeição mas melhoramos.

    Amanhã, daqui a uma semana veremos com é os gregos estarão.
    Eu não acho que esta tenha sido uma boa solução.
    Eles são o produto de um sistema que não funciona e um sistema que tentou meter a cabeça na areia em vez de fazer reestruturações séries e necessárias para acabarem com o desperdicio e os gastos excessivos, não, acham que toda a Europa deve pagar.

    Não nos esqueçamos que eles também nos devem uns bons milhares, não nos esqueçamos que em plena crise o ordenado mínimo deles subiu para os 751€.... pois não me parece que as medidas tenham tido nem pés nem cabeça.

    Se fizerem um referendo aos europeus sobre quem está disposto a pagar mais impostos para que eles não tenham que pagar a dívida deles (é o que nos acontece se a divida deles for perdoada) - também a nós tuguinhas - ninguém irá votar o sim.

    Que se arrenjem medidas exequíveis sim senhor. Agora que se diga "não pago" e que se meta a dívida de um governo em cima de outros alheios à mesma... não obrigado.

    Ps: A Grécia também não pensou em nós quando exigiu que Portugal desse mais dinheiro para poder entrar na UE.

    ResponderEliminar
  11. Eles vão torcer, quebrar e desaparecer... Se eles sairem do euro(que é o que vai acontecer) a moeda perde valor, os bancos vão ficar pior ainda. Agora só pode, levantar 60€ por dia, não há dinheiro para as pensões, achas mesmo que vão ficar melhor?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não disse que era melhor saírem do euro.

      Eliminar
    2. E vais tu perdoar-lhes os milhões? Pagas a dívida por eles?

      É que se não estiveres disposta a que te aumentem os impostos (muito) não digas que não vão sair da moeda única (podem não ter a moeda e estar na UE). Porque se eles continuarem com a moeda todos nós teremos que pagar para eles poderem manter as mordomias...e os salários.

      Eliminar
    3. eu passei por isso em Argentina quando foia crise do 2001, e posso garantir que em muito difícil dar a volta quando uma moeda desvaloriza, as tuas poupanças ficam pela metade mais os teus créditos seguem em moeda estrangeira. mas também sei que o pais deu a volta por cima. mas Argentina é um pais rico em recursos naturais por isso deu a volta. Não sei se a Grécia o qualquer dos países eurodependentes conseguir sair do euro e dar a volta sozinhos.

      Eliminar
  12. Não compreendo a falta de solidariedade que anda pelo nosso país, é tão triste :( os gregos proposeram outras soluções para substituir os cortes nos salários (aumentar impostos em jogos online, cortes na Defesa, etc), e o FMI não aceitou... eles que se fodam. desculpa o termo, mas é mesmo assim. Acho que o povo grego esteve muito bem hoje. Se existem outras vias, porque é que o FMI obriga a ir por uma? É como se eu te emprestasse dinheiro e te dissesse que não podias cortar na roupa que compras mas que tinhas de cortar naquilo que comes. lol. (Eu não sou da área da economia e a minha analogia deve ser uma merda, mas é como eu vejo as coisas, agora vem alguém aí já bater-me! mas se explicarem com jeitinho talvez eu perceba porque razão é melhor cortar salários :D)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acertou em cheio, diria eu.

      Eliminar
    2. Não percebe de economia não...
      Facto é que o FMI não agiu sempre bem, já os gregos que sabiam que tinham que pagar a dívida até à data prevista nada fizeram para que conseguissem fazê-lo. Deixaram até à última.
      Quando lhe aumentarem a carga fiscal em várias centenas para pagar a dívida grega (não há perdões de dívida, alguém a paga) depois venham falar de "solidariedade". Se quiserem ser solidárias façam um favor e paguem aquilo que me vai calhar a mim e a todos os portugueses.

      A Grécia vai falir porque tem um governo que não só não cortou em muita coisa como fez aumentos irreflectidos.

      Se tiverem um vizinho com uma casa de 500.000€ e um mercedes novos à porta que custa os olhos da cara e ele vos vier dizer que precisa da vossa solidariedade...vocês dão-lhe de comer ou mandam-no reestruturar as dívidas? Vender a casa, o carro...comprar coisas mais modestas e aprender a viver com menos?
      É isso que se passa na Grécia....

      Eliminar
    3. Toda esta situação tem de ter um fim, está mais que provado que o sistema capitalista é um fracasso, os tempos são de mudança, por muito que nos vá custar a todos. Muitos lutaram e tombaram para chegar ao que ainda temos hoje e que está a desaparecer passo a passo. Há que ter coragem e dizer NÃO.

      Eliminar
    4. Sim Ana eles que digam não... só que não digam não à espera que aqueles que a quem devem milhões lhes emprestem mais (Portugal incluído).

      É assim cara Ana se eu fizesse um contrato consigo no qual dissesse que lhe pagaria a sua casa, carro e lhe dava a comida mas que daqui a X anos teria que me pagar o que lhe emprestei agora e a Ana assinasse e aceitasse o compromisso mas chegada a hora de pagar me fizesse o manguito e andasse para aí a dizer que eu sou muito injusta porque quero o MEU dinheiro de volta, dinheiro esse que faz falta para a MINHA economia... pois que eu até poderia não poder fazer nada, não a obrigar a pagar mas garanto que EU não lhe emprestaria nem mais um cêntimo.

      A Grécia já não se conseguia sustentar, era a Europa (nós incluídos) que lhes injectamos dinheiro, E eles em vez de cortar: aumentaram salários, despesas... não fizeram cortes nem reestruturações mas agora - depois de terem esbanjado todo o dinheiro que eu lhes emprestei - batem o pé e dizem que não pagam nada a ninguém. Não disseram que não quando o contrato foi feito...só agora que é para pagar é que dizem que não.

      Eles podem dizer não, podem não pagar. Burros somos nós se lhes perdoarmos a dívida e lhes dermos mais dinheiro.
      o "não" não pode ser só para os deveres, é também para as regalias - se a Europa a partir de agora lhes dizer "não" como é que eles vão chegar à proxima 6ª-feira? Não tem dinheiro para comer, nem para medicamentos, nem para nada.
      Ontem disseram não e festejaram em conjunto...vamos ver quantos dias até se andarem a matar uns aos outros para terem um bocado de pão e água.

      Eliminar
    5. e era mesmo com essas medidas que iam conseguir dinheiro? cortavam na defesa, taxavam os jogos e continuavam a viver à grande sem cortar naquilo que realmente gastam demasiado?

      Eliminar
    6. Cortes na despesa, foram os gregos que não aceitaram, pois têm medo de serem invadidos pela Turquia, um inimigo de há séculos.

      Eliminar
  13. Aqui não se trata de não querer pagar. Trata-se de não deixar que nos digam como vamos pagar. Lá está, como uma leitora disse... eu peço dinheiro, mas eu é que sei onde quero cortar, onde POSSO cortar, para pagar aquilo que devo. Não posso admitir que me digam "corta nas reformas, aumenta os impostos".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar de achar que a Europa também tem culpa, acho que chegou a hora de os gregos assumirem as suas responsabilidades. Sabia que em 2012, 100 mil milhões da sua dívida pública foram perdoados? Perdoaram-nos alguma coisa a nós? Não estamos a pagar pelos anos de esbanjamento? Os gregos (a maioria) vivia acima das suas possibilidades, lógico que um dia a corda rebentava. Acha que batendo o pé vão ficar melhores? E normalmente quem empresta é quem põe as condições e não o contrário.

      Rosa

      Eliminar
    2. Isso é muito bonito e eu até aprecio a tua visão romântica e cor de rosa do assunto. Mas no mundo real, quem tem o dinheiro é que manda. Não é bonito de se ouvir, mas é assim que funciona.
      E é no mundo real que nós vivemos, não é naquele que gostaríamos que existisse mas não existe.

      Eu também gostava que o meu patrão me pagasse mais do que aquilo que paga, mas o dono do dinheiro é ele e ele diz que não e é com isso que eu tenho que viver.

      Admiro as pessoas que vivem no mundo da fantasia e até acho que são mais felizes do que eu, mas o mundo que eu vejo à minha volta não é esse.

      Eliminar
    3. Na verdade o seu patrão não é dono do dinheiro que lhe paga o ordenado... peço imensa desculpa, mas não é. lol infelizmente há muitos patrões a pensarem dessa maneira... e é por isso que há tantas empresas com dívidas estúpidas que depois se vão acumulando e é uma bola de neve...

      Eliminar
    4. Pois, como eu dizia ali em cima, essa visão é muito bonita e romântica, mas não é com isso que eu me governo. Independentemente da sua opinião sobre quem é o dono do dinheiro, é ele quem me paga o ordenado.
      Eu também acho que é uma pena os patrões pensarem assim. Mas quem quiser defender o oposto, se calhar é melhor garantir primeiro alguma independência financeira. Não é o meu caso. É que protestar de barriga vazia é um bocadinho mais difícil. E ele sabe disso.
      Infelizmente, eu também.

      Eliminar
    5. Acho que está a comparar o incomparável anón 19.06h a anónima trabalha e tem que ser paga pelo que trabalhou.

      Outra coisa é a anonima pedir um empréstimo ao banco e chegar ao momento de saldar a dívida e dizer "não pago".

      Diferente é a anonima trabalhar para o patrão e este não lhe pagar porque não quer...

      Eliminar
    6. Acho que o que a anon queria dizer é que se combina com o patrão pagar X, no dia do pagamento não pode experar que lhe seja pago X+Y, certo?

      Apesar de lhe dar jeito. Já foi acordado e o patrão (o tal dono do dinheiro) não vai querer subir apesar de ela querer (se fosse ela decidir).

      Acho que era isso.

      Eliminar
    7. Obrigada, anónimo-01:48. Era isso mesmo que eu queria dizer e acho que está bem explicito. Agradeço-lhe a generosidade em tentar explicar aquilo que outros deturpam só porque sim. Eu não me dei ao trabalho, já não perco tempo com gente assim. Ainda comecei, mas desisti.

      Eu não disse em lado nenhum que o meu patrão não me paga. Paga sim e no dia combinado. Mas não paga é o que eu gostaria de receber, paga somente o que se comprometeu a pagar (e abençoado seja por isso). Porque o restante, aquele que não se comprometeu a pagar-me, é dele. É ele o dono do dinheiro, repito. Ou seja, ele tem a faca e o queijo na mão.

      Essa ideia de que o dinheiro é de todos e bora lá abolir o fosso entre ricos e pobres é muito bonita e lírica, mas não é verdade. E eu bem gostaria que fosse, porque também faço parte dos pobres (salvo seja).

      O mundo é injusto? Pois é, mas não temos outro para viver, só este.

      Eliminar
  14. A pergunta referendada foi, na prática "renegna mais austeridade, sendo que isso só é possível se outros nos derem mais dinheiro, porque nós não o temos?"
    Ora esses "outros" somos tu e eu, entre muitos mais. Mas a pergunta não nos foi feita a nós. Foi feita a quem iria beneficiar do nosso dinheiro.
    Da tua parte, eu não sei. Mas por mim, acho caricata desta solidariedade que só funciona num dos sentidos.
    E não estou disponível para tal. Infelizmente, não me fizeram nenhuma pergunta. Sei muito bem qual seria a minha resposta. Acho mesmo muito curioso perguntarem aos Gregos se eles estão disponíveis para receberem um dinheiro que não é deles, mas não fazerem a mesma pergunta àqueles que eles estão à espera que lho oferecem. Porque eles não têm intenção de pagar, como se viu pelos últimos 5 anos.

    Fazer boa figura com o dinheiro dos outros é fácil. Assim, também eu era Primeiro-Ministro. Da Gécia ou de outro país qualquer.

    ResponderEliminar
  15. fala-se muito por aí que na verdade esta crise é, antes de mais, uma crise se valores e eu concordo. Antigamente, não pagar uma dívida era uma vergonha. Agora é um orgulho (sic) e tudo é aceitável, tudo menos a "submissão" (sic).

    Tenham vergonha! Qualquer coisa, seja lá o que for, que se peça emprestado é para devolver!

    ResponderEliminar
  16. Estou aqui meia confusa. S*, vamos supor que me emprestas 5000€ porque eu gastei tudo o que tinha em roupas. Combinamos que eu te pago de volta até ao fim do mês de novembro, com um juro de 5%. Chegamos ao dia 25 de novembro e eu já torrei tudo o que emprestaste (4500€ em roupas e o resto em comida). Nesse dia vou falar contigo e digo "S* desculpa lá, mas não vou ter o dinheiro pra te dar no dia combinado. Não, vamos fazer diferente, afinal eu pago-te o que te devo em suaves prestações ao longo dos próximos 3 anos e com um juro de 2%. E vou continuar a gastar boa parte do meu dinheiro em roupas. Sabes, é que eu não tenho dinheiro para te pagar... Continuei a gastar o que me emprestaste quase da mesma maneira que antes disso... Tu vais esperar até eu ter o dinheiro todo que te devo porque eu é que sei quando e onde cortar para te poder pagar, e não quero cortar nas roupas." Parece-te bem? Em que mundo é que isto podia ser vagamente justo???

    ResponderEliminar
  17. S*, eu não concordo. Pediram, têm de pagar. Não se pode ser orgulhoso à custa do dinheiro dos outros.
    Sabes que Portugal foi obrigado a emprestar dinheiro à Grécia? 5.000 milhões (acho, não tenho a certeza). E agora? Vamos ficar a arder? Andamos nós a levar cortes e mais cortes, soterrados em impostos, para lhes dar o dinheiro de mão beijada? Por alma de quem?

    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que foram 4.8 mil milhões... não tenho a certeza absoluta.
      Se não nos for devolvido teremos que subir a carga fiscal (= mais impostos), se a Europa decidir perdoar a dívida grega, para além de lhe perdoar a dívida eles necessitam de mais um resgate... se for a Europa a pagar-lhe nós vamos ter que emprestar mais dinheiro (= mais impostos).

      Depois quero ver onde fica a "solidariedade".

      Eliminar
    2. Eu acabei de me aperceber do erro :/ (eu tinha lido 5000€)

      Os gregos no total já tiveram emprestados 400 mil milhões de euros (não só por nós). E sim nós emprestamos-lhe perto de 5000 milhões

      Eliminar
  18. S*, esquece.. isto só é bom para os gregos. Para todos os europeus isto é péssimo.
    Ou eles pagam a divida deles ou pagamos nós por eles.

    "O governo grego só se esqueceu de uma coisa: foi de perguntar aos outros contribuintes europeus se também lhes dava jeito continuar a pagar as contas da Grécia."

    ""Há países mais pobres do que a Grécia – como Malta, a Eslováquia, a Eslovénia ou a Estónia – que enterraram na dívida grega valores que correspondem a quatro ou mesmo cinco por cento do seu PIB. Acham que esses países estão disponíveis para perder uma parte desse dinheiro e, ao mesmo tempo, entregarem a Tsipras ainda mais dinheiro dos seus contribuintes?"
    A negociação não ficou mais fácil, tudo indica que ficou mais difícil. Mesmo sem Varoufakis."

    ResponderEliminar
  19. se portugal emprestou 5000milhões de euros e nós somos cerca de 10milhões de habitantes, quanto é que cada português vai ter que baixar a cabeça, enfiar o rabinho entre as pernas e compensar em impostos e cortes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São só 500€ por cada um de nós....Fora o que temos que pagar aos nossos credores e fora o quanto podemos ser prejudicados no mercado financeiro por causa da Grécia...

      Eliminar