quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Coisas que me enervam...

Adultos acompanhados de crianças que, ao passarem por um qualquer cão, começam a gritar "Cuidado com o cão, vai-te ferrar". Não conhecem o cão de lado nenhum, não sabem se é agressivo ou um paz de alma, mas não se coíbem de dizer às crianças que o cão as vai "ferrar" e "atacar".

Criam medos absolutamente idiotas nas crianças sem qualquer motivo. Eu não deixo o meu Pirata - que é amoroso para toda a gente - aproximar-se de crianças sem dizer antes aos pais que ele é meigo. Mas juro que me tenho de conter quando passam por mim, acompanhada pelo meu cão dócil, e dizem às crianças para fugirem que o cão vai atacar. Proteger, sim. Criar medos infundados, não.

Um dia, quem ataca sou eu. Ataco com uma tabefe na cara, para deixares de ser palerma.

104 comentários:

  1. Eu seeeei! Mete-me um nojo pá! Com a minha pirolita, que é metade de um gato, fazem-me isso, fico lixada. Por isso é que conheço gente da minha idade com um medo de cães que é coisa estúpida.

    ResponderEliminar
  2. São os mesmo que devolvem gatos porque " a criança está meia constipada e o médico diz que é da gata". ORa eu, asmática desde criança, mãe auxiliar veterinária, queriam que não tivesse qualquer contato com animal. Ia chegar a um ponto que nem perto da minha mãe podia chegar.. Não, tive sempre animais na minha casa, fosse cão, gato, peixe, tartaruga, hamsters... E hoje em dia não faço alergia ao pelo de nenhum animal.

    São pessoas que provavelmente não foram educadas com animais e querem fechar os filhos a 7 chaves :x

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tratam as crianças como florzinhas de estufa. Eu tenho asma, sempre tive e sempre terei. É crónica. E sempre tive cães e gatos. Provavelmente isso até me tornou mais forte - como indicam vários estudos. E sofri uma operação daquelas mesmo-mesmo complicadas em pequena, mas ninguém me protegeu em demasia. Corri, caí, esfolei os joelhos. Sim, também meti a mão num cão vadio e ele mostrou-me os dentes. Mas olha, aprendi sozinha. Nunca mais repeti a proeza.

      Eliminar
  3. Há pessoas que metem na cabeça que os cães não sabem fazer mais nada senão atacar e ferrar. Certamente essas pessoas não têm animais em casa e, pelo andar da carroagem, nunca vão ter. Imagina eu, que morria de medo de Pitbuls (isto tudo porque desde pequena que me "ensinaram" que os pitbuls são animais extremamente perigosos!) e fui "obrigada" a socializar com o casal de pitbuls do meu namorado. E sabes que mais? Não conheço cães mais meigos e brincalhões do que aqueles! Os cães são dos nossos melhores amigos e agem consoante a educação que lhes damos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu medo é esse. Crianças que crescem a ouvir dizer que os animais são maus nunca lhes vão ganhar amor e respeito...

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Se tu soubesses a quantidade de gente que foge do meu cão... ahahahah

      Eliminar
  5. Tenho aqui uns vizinhos que tanto os pais como os avós têm medo de cães (até da Mel que é uma doçura) e claro que está que as filhas/netas assim que veêm a Mel à frente gritam que nem umas malucas e fogem para trás da pessoa com quem estiverem (avós ou pais). Já andava cheia e no outro dia passei-me da marmita e não os deixei passar a entrada do prédio (eu ia a sair com a Mel), enquanto não explicassem às miudas que a Mel não fazia mal a ninguém e disse-lhes que se não sabiam ficassem a saber que quando se foge, corre, ou se fazem movimentos bruscos à frente dos animais é que elas às vezes acontecem! erguntei-lhes se alguma vez tinham tido alguma experiência má com cães e responderam-me que não, que era só por ouvir dizer que havia cães muito maus… desculpa-me o francês na tua casa mas, BARDAMERDA!. Há gente muito parva (e eu nem sou muito dada a estas explosões)!
    Está bem que eu também tenho medo de tubarões e nunca nenhum me fez mal, é só por ouvir dizer mas caramba, é bastante diferente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Sexo, estás a ver? É isso que digo. Essa gente, SEM MOTIVO PARA TAL, conseguiu enfiar na cabeça das miúdas que os cães são máquinas mortíferas, fazendo com que as crianças se escondam e gritem quando vêem até a tua Mel. Isso não tem pés nem cabeça!

      Eliminar
    2. não, não é diferente.
      eu tenho medo de aranha e a probabilidade de me cruzar com uma venenosa é resudida.
      Os medos das pessoas devem ser respeitados.
      Há quem tenha medo de bichos, das alturas, de assaltos, de caes, etc

      Ninguem deve ser insultado e humilhado, como voces estao a fazer, por causa disso.

      Eliminar
  6. Eu sofro com o preconceito em relação aos gatos. Sou uma cat person, mas no meu grupo de amigos é tudo virado para os cães, de quem eu também gosto, obviamente. Acontece que sempre que vêm cá a casa ouço comentários como "ai os gatos fazem-me impressão, são traiçoeiros" (o meu gato recebe as pessoas com ronrons), e também já ouvi um amigo dizer à filha "não mexas no gato, eles são maus e arranham-te".

    ResponderEliminar
  7. Cuidado contigo...
    O mal que os cães fazem, coisa que é rara, tem origem nas pessoas, principalmente nos donos.
    Eu fui criado no meio de cães, nossos e dos vizinhos, e nunca tive problemas.
    Mas ninguém me dizia cuidado com o cão...
    Tem um bom resto de semana.
    Um beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
  8. Fazem isso com os cães mas também com outras coisas, criando medos infundados/exagerados e que muitas vezes até têm repercussões no futuro. Como meter medo às crianças que se não se portarem bem o polícia os prende, se não comerem a sopa vem o velho que os leva, a bruxa,... aquela velha máxima do "se não te portas bem/comes tudo vem aí o médico e dá-te uma pica" (e depois queixam-se que os filhos se esgoelam quando têm que ir ao médico). Enfim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sou enfermeira e muitas vezes as visitas levam criancinhas aos serviços e basta entrar numa enfermaria, que lá vem o tipico "porta-te bem senão a enfermeira dá-te uma pica". Só me apetece mandá-los à merda com todas as letras

      Eliminar
  9. Fazem isso com a minha cadela. Labrador. Labrador, senhores!!!! Que ódio. Gente burrinha é outro nível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se pesquisar bem verá que a grande maioria de ataques a crianças são feitos por labradores... just saying.
      São exatamente como os outros animais e podem ter temperamentos mais instáveis, também se podem "passar" precisamente porque têm muita paciência mas a mesma esgota.

      Facto é que os dados estatísticos demonstram que são os labradores que mais atacam crianças provavelmente porque as pessoas tendem a acreditar que eles sao inofensivos.

      Eliminar
  10. Deixam os putos confusos e "mariquinhas", sem saberem o que fazer na presença de um cão. E o medo não é bom para lidar com cães...
    É isso e só deixarem os "meninos" fazer festinhas por trás, que é a pior maneira de alguém se aproximar de um cão.
    São idiotas que não conhecem os cães. Aliás, acho que muitos dos idiotas que têm cães também não os conhecem. Só assim se compreende que alguém abandone um animal que se dedica a nós de corpo e alma. :/

    ResponderEliminar
  11. Também podes ver por outro prisma: o puto é um sacaninha violento que só faz asneiras, vai daí os pais dizem aquilo para tentar evitar que o miúdo faça mal ao pirata.

    ResponderEliminar
  12. Eu simplesmente punha-me entre a criança e o cão sem dizer nada à criança - porque lá está, não se sabe o que nos aparece pela frente - e claro, se fosse meu filho, já estava mais do ensinado a agir ao pé de animais. Detesto quando se tiram conclusões precipitadas. É que essas crianças nunca vão aprender a respeitar os animais da mesma forma como eles nos respeitam!

    http://miscelaneathesecond.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. da mesma maneira como eles nos respeitam?????

      Eliminar
  13. S*, desculpa mas não sabes se têm razões, ainda que não sejam relacionadas com o teu cão. Se fosses atacada por um cão não terias um medo terrível, ainda que irracional, de te cruzares com um? Se calhar não, mas a maioria das pessoas sim, bem como quem teve o azar de presenciar essas situações.

    Depois, sempre ouvi dizer que o seguro morreu de velho e é melhor avisar os miúdos que os cães podem morder ou os gatos arranhar, do que deixá-los a eles atacar os bichos e sofrerem as consequências. E isso do aprender sozinha, é bonito se não existirem grandes consequências, mas se o cão tivesse arrancado uma face, se calhar não dizias o mesmo.

    E olha que eu nunca me desvio de um cão e sou a primeira a fazer-lhe miminhos aos rafeiros. Não tenho medo de cães, mas calha conhecer casos assim. Além do que referi, de que o seguro morreu de velho, e antes prevenir do que ter que andar a remediar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Melissa, com razões é uma coisa, sem razões é parvoíce. E instigar medos nas crianças é parvoíce.

      Eliminar
  14. O perigo não está no cão, está nos pais!

    ResponderEliminar
  15. Já eu, sou o contrario, como o Meu filho tem medo de cães, sempre que passamos por um e ele começa a encolher-se, começo eu: "Pedro, o cão está na vida dele, ele não te vai fazer mal, ele está tranquilo, não precisas ter medo..."

    ResponderEliminar
  16. Não concordo que se diga isso mas tendo em conta que já tive que proteger o meu filho de um cão de um anormal que dizia "ele não ferra, não faz mal nenhum". Claro que não. Ele nem me ferrou só abriu a boca e fechou.

    Se têm cães grandes não devem andar sem trela. Ponto. É regra de civismo mas os pseudo-amantes de animais acham que eles podem tudo. Eu cá acho que o meu filho -e os dos outros - não têm que levar com a estupidez de alguns donos de cães. Claro que a culpa não é dos animais é dos donos. Infelizmente nem todos os que os têm tem um pingo de inteligência que seja e, na boca dos donos, nenhum ferra, nenhum faz mal.

    O cão de uma amiga minha também não fazia mal, tanto não fazia mal que o pai dela acabou no hospital, um amigo da familia... mas era sempre culpa das pessoas, nunca do cão. Até ao dia em que ela foi parar ao hospital. Porquê? O cão tentou atacar o recém-nascido dela.
    É que não sei se sabem mas os cães são animais e reagem por instinto. Não há cá relações como as humanas à mistura. Só instinto. Por isso e porque todos os donos dizerem "não faz mal" é que os pais têm que proteger as crianças. Eu se vejo um cão de grande porte (pastor alemão, rotweiller, etc) na rua sem trela e sem açaime (ou seja, 99% !!! se vejo 1 ou outro é uma sorte) pego no meu filho ao colo. Se isso lhe passa a imagem que são perigosos... provavelmente. Mas foi graças a eu ter tido tempo de lhe pegar e de me virar com ele no meu colo que me fez a mim ser atacada e sobreviver. Se tivesse sido ele provavelmente teria morrido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, desculpe, mas no texto não referi cães que andam soltos na rua. Esses são difíceis de controlar, porque não podemos ir perguntar ao dono se ferra. E o cão também não nos vai responder. Referia-me exclusivamente a cães que vão acompanhados do dono.

      Ainda há uns dias eu ia com o meu Pirata de trela (como sempre). E estavam a fazer um piquenique. Uma data de miúdos começam a correr para o cão. O meu Piratinha até ficou com receio, baixou as orelhas, mas foi simpático - como sempre. Uma das auxiliares vem a correr, toda histérica (e histérica não é exagero meu), a dizer às crianças que o cão podia atacar. Não teria sido tão mais bonito perguntar-me?

      Eliminar
    2. Por cá os cães passeiam sempre sem trela, principalmente nos parques. Parques esses onde andam crianças.
      O dono do cão que me atacou estava ao lado do cão. Nem ele o segurou.

      Eliminar
  17. Por isso é que os miúdos hoje em dia são tão vidrinhos, crescem com demasiada protecção por parte dos pais. Nem chegam a criar defesas! Enfim...

    ResponderEliminar
  18. Olá :) pois é, uma triste realidade essa. Desde pequena sempre tive e convivi com animais. Por diversas vezes já presenciei situações percebidas ao qual descreveu. Tenho um labrador, quantas e quantas vezes já ouvi comentários desagradáveis na rua e isso deixa-me muito revoltada. Os animais não deviam ser vistos dessa forma...enfim, mentes pequenas e ignorantes é o que eu acho.

    ResponderEliminar
  19. Paizinhos histéricos enervam-me. Pessoas que não gostam de animais, pior. Haja pachorra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Pessoas que não gostam de animais, pior".

      Não percebo está discriminação. Não temos de gostar todos do mesmo, nem somos obrigados a sentir um amor desmesurado por animais. Não somos todos diferente?

      Pelo menos da parte que me toca, não gosto de animais, mas respeito-os, e nunca faria mal a um animal que fosse. E mais acrescento, que tendo um filho, sempre tive a preocupação em transmitir-lhe a ideia de que, quando vê um cão, que não tem de ter medo, precisamente para não lhe incutir um medo irracional.

      Mas depois há sempre alguém, que tem que inferiorizar os outros, só porque não gostam do mesmo. Não gosto de animais, mas não sou um monstro por isso, nem sou um ser inferior por isso. Considero-me uma pessoa civilizada, e tal como respeito todos aqueles que gostam e adoram animais, gostava que um dia, não fosse "discriminada" por pensar de forma oposta.

      Eliminar
    2. Desculpe, mas isso revela muito de si. NÃO GOSTA de animais porquê? Qual o motivo? Dizer que não é especial fã dos bichos é uma coisa, dizer que não gosta é outra.

      Eliminar
    3. Não revela absolutamente nada de mim, a não ser, que não gosto. E para mim, não gostar e não ser especialmente fã é exactamente a mesma coisa. Eu não gosto, porque não gosto. Não sinto nenhum tipo de atracção por animais em geral, não me sinto nem mais feliz ou triste. Não me entusiasmo. Não me dizem absolutamente nada. Mas lá está, no entanto, respeito-os e não faço nem nunca fiz mal a nenhum.

      Não tem que existir um motivo concreto para não gostar. Não gosto e ponto. E gostava de ser respeitada por isso. Porque não temos de gostar todos do mesmo, porque não tenho de ser rotulada por isto, e porque isto não revela nada da minha personalidade. Uma pessoa não é melhor que outra, se gostar de animais. Não faltam exemplos históricos de pessoas demoníacas que adoravam os seus animais.

      E explicar ao meu filho que um cão, não tem necessariamente que lhe fazer mal, já não diz nada sobre mim?

      Eliminar
    4. Anónimo, para mim revela algo de sim. Frieza e falta de empatia, pelo menos. Para mim. Para si, a realidade será diferente. O facto de explicar ao seu filho que um cão não tem necessariamente que lhe fazer mal apenas revela lucidez.

      Eliminar
    5. Eu também não sou fã de animais. Espero que tratem bem deles, que os cuidem, que sejam amigos dos seus animais. Eu não gosto de tocar em animais, tenho um medo irracional de cães (nunca fui atacada, simplesmente tenho e pronto, azarecos) e não sou menos pessoa por isso. Pior é, como já vi, gente que trata tão bem do seu caozinho e depois está-se nas tintas para a sua avó no lar. Isso é que é frieza e falta de empatia.
      Acho muito feio julgar alguém por não ser tão "animal lover". Não ser especialmente fã não significa que se queira mal aos animais, significa que a liberdade de um dono de um animal acaba onde começa a minha, e não sou obrigada a mexer e a brincar com animais só porque "ele é muito bonzinho".

      Eliminar
    6. S*, sinceramente está a ser injusta e fundamentalista com quem escreveu as palavras acima. O meu marido, por exemplo, nunca teve animais de estimação, não lhes acha piada, mas respeita, muito; os meus pais têm cães e ele lida com eles naturalmente, faz festas ocasionalmente mas não morre de amores, o que é natural, ele nunca foi habituado a ter animais de estimação. Isso diz alguma coisa sobre ele? Diz! Diz que nunca teve animais de estimação e que não quer ter, mas respeita-os, o que para mim é o fundamental. E basta.
      Concordo totalmente com o anónimo acima, afirmar que quem não gosta de animais revela frieza revela, por sua vez, no mínimo a total incapacidade de lidar com a diferença, revela até alguma falta de respeito, sinceramente, o que não é comum na S*..., e alguma ignorância até, desculpe que o diga.

      Eliminar
    7. Anónimo das 16:26, e você está a misturar conceitos. O seu marido tem todo o direito a não achar piada a animais... mas daí a alguém dizer que "não gosta" de animais, vai uma grande distância.

      Ou acharia bonito se alguém dissesse que não gosta de crianças? Para mim, vai dar no mesmo. São seres inofensivos e inocentes.

      Eliminar
    8. Rita, leia novamente o texto. Não é obrigada a amar animais, mas tem de os respeitar. E dizer "não gosto de animais" não é respeito.

      Ou eu posso, por exemplo, dizer que não gosto de pretos (e eu uso o termo pretos, que eu não tenho necessidade de eufemismos), mas dizer que os respeito?

      Eliminar
    9. Podes. Podes dizer que não gostas de ciganos, mas respeitá-los. Podes não gostar de crianças, mas conseguires ser simpática com elas, por uma questão de respeito. Podes não gostar de homossexuais e não ter necessidade de os atacares ou ofenderes. Etc etc etc. Ninguém é obrigado a gostar de coisa nenhuma. Sejam pessoas, animais ou outros seres vivos. Toda a gente pode não gostar, desde que os respeite, que não lhes faça mal, que não interfira com a liberdade deles.
      Eu não gosto de animais. Gosto dos meus. Mas em geral não sinto qualquer atracão por eles, não tenho vontade de interagir com eles. Não gosto, estou no meu direito. Mas não os trato mal, muito pelo contrário. Tive um gato que infelizmente adoeceu e acabou por morrer. Era o meu gato e o meu dever era cuidar dele e respeita-lo enquanto estivesse comigo. Abdiquei das minhas férias para poder dar-lhe todos os tratamentos médicos que necessitou. Posso dizer-lhe que gastei cerca de 1000€ em menos de um mês. Fiz o que pude para o salvar e, logicamente, fiquei triste por o perder. Mas volto a dizer, eu não morro de amores por animais.
      E não sou pior pessoa por isso! Respeito quem os ama acima de tudo, mas eu não sou assim. Lamento.
      E posso dizer-lhe: eu não gosto da S*. Por aquilo que leio é uma pessoa com quem não gostava de privar, de manter uma relação de amizade, etc. Desculpe, mas não consigo identificar-me consigo. Mas posso garantir-lhe que nunca lhe faltei ao respeito. Nunca aqui comentei a insultar, nunca fui desagradável, jamais seria capaz de ser mal educada. Porque eu tenho todo o direito de não gostar de si, mas não tenho o direito de lhe faltar ao respeito e/ou tratar mal. É um problema meu. Se venho aqui e leio o que não gosto ou o que não concordo, só tenho de fechar a página e ir a.minha vidinha. Porque a S não tem culpa de ei não "engraçar" consigo e continuar a vir aqui ler o que escreve.
      Tudo isto para explicar que sim, que toda a gente pode não gostar de animais, pessoas, etnias, crianças, velhos... Desde que não se interfira com a sua liberdade e que não se desrespeite ou magoe ninguém.
      Não gostar e não respeitar estão longe de ser sinônimos!

      Eliminar
    10. Anónimo, acho que você não sabe bem o que significa "não gostar de". Mas vamos antes ao conceito de Gostar.

      Gostar, assim de uma forma geral, significa adorar, ter consideração por, acarinhar, sentir ternura, sentir afecto. Você pode não achar particular graça aos animais, mas sem dúvida que gostava dos SEUS animais, o que é substancialmente diferente. Se não gostasse, não cuidava, como cantava o Caetano Veloso.

      Percebo perfeitamente que me digam "não sinto ternura pelos animais". Pronto, não nascemos todos iguais. Não sentimos os mesmos afectos. Isso é radicalmente diferente de "não gostar". Há muita gente pela qual não sinto absolutamente nada... mas isso não significa que não goste delas. Apenas me são indiferentes. Entende onde quero chegar?

      Quanto ao não gostar de mim... Paciência. Eu sei o que valho, sei o que sou, e gosto de mim. Isso basta-me.

      Eliminar
    11. Eu percebo o que quer dizer, mas não concordo. Eu gostava do meu gato, mas é porque era meu, cresceu comigo, afeiço ei-me a ele. Mas os outros animais, das outras pessoas, não me dizem nada, não gosto deles. Para mim, não gostar é não sentir afecto, não ter grande consideração, não ter vontade de acarinhar, etc. E é isso que eu sinto pelos animais em geral. A minha namorada tem uma gata e eu sou obrigada a conviver com ela, mas posso garantir-lhe que não nutro por ela nenhuma das coisas que a S* enumerou acima, mas respeito-a e trato-a bem. Logicamente que não ando por ai a bater nos animais só por não gostar deles. Eu não gosto de touros (posso mesmo dizer que não gosto, acho-os perigosos, brutos, etc), mas não sou a favor de touradas, acho uma crueldade e maldade pura.
      Eu já percebi que não concorda comigo, que temos diferentes conceitos para gostar ou não gostar e isso não me aflige, é natural discordarmos uns dos outros, felizmente. O que lhe queria explicar é que o facto de não gostar não está Intrínsecamente ligado com o desrespeito. Uma coisa não tem necessariamente de acompanhar a outra. Entende?
      Quanto ao facto de não gostar de si, foi apenas um exemplo para lhe explicar isso mesmo, que o respeito pode existir na mesma. E acho muito bem que goste de si e que se esteja a cagar para o que os outros pensam, mas lembre-se isso não implica que tenha o direito de desrespeitar ou ser mal educada para quem não concorda consigo.

      Eliminar
    12. Anónimo, eu não sou mal educada. A não ser que sejam demasiado mal educados comigo. Mas raramente respondo. No entanto, gosto de defender as minhas ideias e convicções. E, neste caso, estou convicta que nenhum animal merece ser "desgostado", digamos assim. Pode não ser amado, mas tem de ser respeitado e minimamente aprecia por aquilo que é - um ser vivo sem maldade.

      Eliminar
    13. Obviamente, acho muito bem que defenda aquilo em que acredita. Tente apenas fazer um esforço e não julgar quem não acredita no mesmo que a S*. É só isso. Acho que por vezes é essa capacidade de encaixe que lhe falta. Não pode logo catalogar uma pessoa de insensível ou menos humana ou o que for por não ir de encontro aos seus gostos. Eu não concordo consigo neste caso em particular, mas não a vou julgar por isso. Olhe, ha gostos para tudo!
      Ah, deixe-me só esclarecer que não acho que tenha sido mal educada comigo. Apenas estamos a "conversar" e cada qual a defender aquilo em que acredita. Não ha nada mais saudável do que isto.
      Ah, e posso também dizer, que em parte, concordo com o que escreveu no texto. Em vez assustarem as crianças só têm de lhes explicar os "potenciais",perigos, mas sem dramatizar a situação.
      E pronto, vá lá a sua vida que não a chateio mais. Concordamos que discordamos e fica o assunto resolvido.
      Bom resto de semana S*.

      Eliminar
    14. Qual o mal de não gostar de animais? Não gosto!! Sou uma pessoa horrorosa por isso? Por amor de Deus!

      Eliminar
    15. eu não gosto de crianças, mas gosto de animais, o que diz de mim?

      Eliminar
    16. Eu tambem não gosto de animais e sou inapaz de fazer mal a uma mosca , no entanto já conheci "amantes de animais" montruosos como seres humanos.

      ps: já agora um dos grandes impolsionadores da defesa de animais foi Hitlel, faz dele uma pessoa amorosa, não?

      Eliminar
    17. Exactamente o que ia dizer, Hitler era amoroso com os seus cães, e fez o que fez...

      Eu tenho uma amiga que admite não gostar de animais, mas há uns tempos atropelaram um cãozito à porta de casa dela e ela cuidou dele. Levou-o ao veterinário, pagou os tratamentos todos, e alimentou-o até encontrar quem quisesse efetivamente ficar com ele.

      É ou não uma pessoa com bons princípios?

      AnaC

      Eliminar
    18. S*, leia o texto também. Em nenhum momento eu disse que não respeito animais, respeito e muito. No entanto, não tenho de lhes tocar nem de brincar com eles para respeitar. Mas gostava desde logo que me respeitassem a mim, e ao facto de não ser especialmente fã deles e não deixassem os seus cães saltarem para cima de mim. Acho que se tem de respeitar para ser respeitado, e acho que dizer que uma pessoa é insensível por que não adora animais não é lá muito correcto.
      A minha melhor amiga tem um Golden Retriever. É óbvio que eu quero que o cão seja feliz e viva muitos anos, mas nunca lhe toco. O mais engraçado é que a minha amiga respeita e não me força. O próprio cão quando me vê não me salta para cima. No entanto, no passado já levei com muitos "ele só quer brincar". Tudo bem, mas eu não quero brincar com ele. No entanto, espero que ninguém nunca o trate mal.
      As coisas são diferentes e nem tudo é branco ou preto. Eu respeito quem tenha animais, considero que quem os trate mal deve ser penalizado, mas não quero ter nenhum, nem tocar, nem brincar. Não é por isso que sou pior pessoa.

      Eliminar
    19. Rita, isso são opiniões, lamento. Para mim, quem aprecia touradas, por exemplo, não é sensível. É cruel, para dizer a verdade. Não terá de ser cruel em tudo, mas nesse ponto é muito cruel.

      E não me cabe na cabeça tamanha aversão aos animais, ao ponto de nem lhes querer tocar. Respeito que não lhes queira tocar - e você tem de respeitar a opinião que eu tenho de alguém que diz tal coisa. E não, não é a melhor opinião do mundo. Quem não gosta de animais, ao ponto de nem lhes querer tocar, para mim (para mim!), revela frieza e falta de empatia. São opiniões, são posições. Esta é a minha. E tanto a senhora tem direito a nem querer tocar no bicho que apenas quer brincar consigo, como eu tenho o direito a achar esse tipo de atitude de uma frieza imensa. É que você não fala em medo - fala só mesmo em aversão.

      Eliminar
    20. S* sabes o que revelas ao achar uma pessoa é fria? Revelas falta de abertura e preconceito, a uma posição que é oposta à tua. Isto é muito simples, eu respeito quem gosta de animais não fazendo juízos de valor, muito menos sobre a personalidade de uma pessoa, mas tu já não consegues admitir que alguém não goste de animais, sem primeiro definires essa pessoa como fria. E já agora, temos também de ser todos calorosos? É uma característica obrigatória do ser humano? É menos boa? O teu mundo e a tua realidade e muito quadrada. Alarga os teus conceitos, e começa a pensar nas coisas por diversos prismas.

      Eliminar
    21. "e eu uso o termo pretos, que eu não tenho necessidade de eufemismos" versus "Prefiro o termo "rechonchuda", "roliça" e afins" (visto no blog da Picante a propósito do tema Gordos).
      Really?

      Eliminar
    22. Revela falta de empatia? Valha-nos Deus... empatia é a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro. Que é que isso tem a ver com as pessoas que não gostam de animais e que não gostam de lhes tocar?
      Ora bolas!!!! Quadrada quadrada mesmo, como alguém diz ali acima. Isso sim, é falta de empatia. É muito bonito respeitar a postura dos outros e não os chamar de "frios" só porque não gostam do que a menina gosta. Ah, já sei! Quem gosta de animais é amoroso!!! Os outros... ai os outros...!! A sério que há pessoas que pensam mesmo assim???

      Eliminar
    23. S tenha a noção do que está a dizer, não seja uma fanatica porque isso é perigoso.
      Os fanaticos são as pessoas mais perigosas que existem, não há nada mais grave que o fanatismo.

      Se gosta de animais , tudo bem, mas respeite quem não gosta, não gostar de algo não é sinonimo de ser má pessoa, assim como gostar não é sinonimo de ser boa pessoa.
      Não é assim que se mede a bondade das pessoas, um amante de animais pode ser o maior dos monstros, atenção!!!

      Eliminar
    24. S* mas para quem tem tanto gosto pelos animais, não me lembro de achar muita piada quando tinha ratos na cave/garagem de sua casa. Não ia lá pegar-lhes nem fazer-lhes festas, pois não? E no entanto têm 4 patas, pêlo, cauda....Ou da mesma forma que matou a aranha no outro dia no seu carro. Sabes que há pessoas que nem se importam de ter aranhas a passear pelas mãos? Se for a casa de uma amiga que tenha uma aranha de estimação (que as há) vai pegar-lhe? Ou vai dizer à amiga que não gosta de aranhas?

      Eliminar
    25. Anónimo, animais domésticos são completamente diferentes de aranhas e ratos. Não misture.

      Eliminar
    26. Se é para ir por aí, vamos! Tenho amigos timorenses que comem carne de cachorro em Timor e gostam. São pessoas frias? Sem empatia? Por acaso até têm mais coração que muita gente por cá!

      Eliminar
    27. Não S*, são animais. Da mesma forma que há quem goste de aranhas, iguanas, camaleões, cobras, pássaros, tartarugas (e até tenha todos estes como animais de estimação) há quem goste de cães e gatos. Só não entendo a dualidade de critérios: quem não gosta de uns tem falta de empatia, mas de outros já não há problema.

      Eliminar
    28. Anónimo das 15:44 e das 16:43, desculpem mas estão a faltar à verdade de forma deliberada. Sabem muito bem que há diferença entre animais ditos domésticos e outros animais. Os domésticos, supostamente, vivem connosco, são considerados por muitos parte da família. Vai daí que EM PORTUGAL é absolutamente normal comer vaca, porco e afins, mas absolutamente impensável comer cão ou gato. EM PORTUGAL, na nossa sociedade, os gatos e cães são animais de casa, animais que partilham connosco a vida. Não digo que mereçam mais amor ou respeito que todos os outros animais (que não merecem, merecem todos o mesmo amor e respeito), mas cada sociedade enquadra os animais de forma diferente. Na Índia não se come vaca, nós comemos. É assim que as coisas são.

      Em Portugal, cão e gato são animais de família, animais domésticos. Não podem querer comparar a afeição que sentimos por cães e gatos com a afeição que sentimos por tarântulas e répteis - embora algumas pessoas tenham aranhas e répteis como animais de estimação. Mas estamos a falar do quê? 99,9% dos portugueses aceitam cães e gatos como animais de estimação. E, vá, vou inventar um número, se calhar só 1% dos portugueses quereriam uma tarântula ou uma iguana em casa. Não podemos comparar o que, na sociedade em que vivemos, não tem comparação. Faz parte do bom senso.

      Eliminar
    29. Tem toda a razão, cara amiga. Vê como chegou lá? É uma questão cultural até! Ou seja, as pessoas não são mais frias nem menos empática ou o que lhes quiser chamar porque assumem "não gosto de animais domésticos". É apenas isso que me incomoda na sua atitude, é continuar a achar que quem não gosta de cães e gatos revela frieza e falta de empatia (?!). Mas fique lá com a sua opinião de pessoas calorosas se gostam de cães e gatos, que eu fico aqui no meu mundo gelado de quem não gosta de cães e gatos. Vou-me chicotear um bocadinho mais logo, prometo :)

      Eliminar
    30. Mas vocês não vivem em Portugal? Então conhecem perfeitamente a sociedade daqui.

      Não gostam de animais, não gostem. Que coisa fabulosa. Sintam-se orgulhosos de não gostarem de bichos puros e que só nos fazem bem. Parabéns.

      Discutam sozinhos que eu já me cansei de explicar o que acho. São opiniões e cada um tem a sua.

      Eliminar
    31. Vivo em Portugal. Não tenho animais. Não gosto. Não gosto também que façam julgamentos pela minha atitude com animais de estimação, que sempre mas sempre respeitei. Já estou cansada de perceber a sua opinião e o seu fanatismo, acho fantástico que seja tão inflexível. Parabéns por ser calorosa já que vive em Portugal, lugar onde ou gostamos de animais de estimação ou somos frios! Viva!!

      Eliminar
    32. O que a S* não entende é que da mesma forma que olha para um rato, uma iguana, uma aranha, etc, e não lhes deseja mal, acha que devem ser respeitados, etc, mas não gosta deles sem que isso faça de si uma pessoa insensível e sem empatia, há outras pessoas que olham para os cães e para os gatos, respeitam-nos, acham cruel alguém fazer-lhes mal, mas simplesmente não gostam deles. E são iguais a si: simplesmente não gostam/gostam de animais diferentes da S*. E eu nem me estou a defender a mim, porque até gosto de cães e gatos (e tartarugas), mas acho estranho alguém ter tão pouca abertura de espírito.

      Eliminar
  20. Totalmente de acordo S*, é uma valente estupidez! Até me passo com isso, também me acontece com o meu cão, um terrier de 8 quilos que não faz mal a uma mosca (bem, na verdade ele caça moscas...). É mesmo o que tu dizes, crianças ensinadas a ter medo dos animais nunca lhes vão ter amor e respeito. Coisa diferente é ensinar uma atitude cautelosa, perguntar aos donos se se podem aproximar para fazer festas, ensinar a não lhes puxar as orelhas nem fazer movimentos bruscos e tal. A mim, que sempre tive cães, ensinaram-me a não ir mexer em cães desconhecidos e desacompanhados - eu ia na mesma, mas felizmente nunca tive nenhuma má experiência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. S, nada como ensinar os meninos a perguntar "ele é meigo?" antes de meterem a mão.

      Eliminar
  21. Os cães não são todos iguais,tal como as pessoas...;)

    ResponderEliminar
  22. Tens toda a razão, os paizinhos ensinam mais depressa o "dá-lhe um pontapé" do que "pergunta se podes fazer uma festinha"...uns tótós a passear tótózinhos!
    Daqui a uns anos queixem-se de gerações sem afectos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa dos paizinhos lembrou-me este texto: http://www.educaremportugues.com/2014/09/os-paizinhos-nao-valem-nada.html

      Por acaso não é professora, não?

      Eliminar
    2. Não por acaso não mas até tive oportunidades para...hoje, se seguisse os passos das minhas colegas de turma estaria superiormente e saudavelmente mestrado e doutorado como elas estão...não interessa, mas que já ouvi "olha que a enfermeira vai-te dar uma pica", isso ouvi, e sem dizer nada em troca por questões de postura profissional, falei com os meus botões e aí sim disse "eu sei o que tu precisavas, era que te dessem uma pica a ti!"...mas como também disse a minha Tilinha por aí, os cães são como o ser humano, há uns que mordem outros não e os cães quando mordem é mesmo mordedura já os humanos que mordem pela calada são assustadores.
      S*, milhentas desculpas por este comentário absurdo, depois sei que me vais detestar por ser um bloguista de #$#$#, quem vai rezar o credo sou eu: "creio em Deus...Amén"

      Eliminar
  23. R. Eu ando é desejosa de umas boas castanhas assadas :)
    Infelizmente fazem isso muitas vezes :s

    ResponderEliminar
  24. E depois não entendem como é que as crianças têm medos irracionais de cães?! Simples transmitem-lhes esse medo, ainda que não directamente, e os miúdos pensam que os animais fazem mal... Eu sou completamente a favor que as crianças tenham contacto com um cão, poderá mesmo vir a ser o seu melhor amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lady Cat, o problema é esse. Martirizam as crianças sem motivo e criam medos parvos.

      Eliminar
  25. Concordo completamente. É uma estupidez de todo o tamanho.

    ResponderEliminar
  26. Mesmo que me assegurem que estou perante um cão meigo, tenho sempre algum receio, dou a mão a cheirar e aproximo-me devagar. A minha irmã foi mordida na cara por uma cadela rafeira que tínhamos em casa; sempre tivemos muitos cães e nunca tínhamos passado nada assim; a cadela "passava-se" mesmo...
    Não acho bem que aterrorizem os miúdos, mas acho bem, isso sim, que tenham sempre cautela, nada de ter demasiada confiança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma coisa é dar demasiada confiança - concordo, não se deve dar. Outra coisa é amedrontar.

      Eliminar
  27. Coisas que me enervam: os donos dos cães que levam os bichinhos à rua para fazer as suas necessidades e lá deixam as poias por todo o lado, sem o mínimo de civismo e respeito pelo próximo, e eu juraria que esta espécie de gente deve rondar aí os 95%. Há dias assisti a uma cena ainda mais maravilhosa. Uma madame super fina passeava seu cãozinho e o mesmo plantou a sua poia em plena via pública. A madame sacou de um lencinho de papel e limpou o rabinho do animal, tal como se faz às crianças, deitou o papelinho para o chão, ao lado da poia e seguiu o seu caminho alegre, elegante, loura platinada e feliz. Se eu disse alguma coisa? Não disse. E porquê? Porque não iria valer a pena. Com este tipo de gentinha não há hipótese. Sentem-se os donos do mundo e jamais iriam sequer ter capacidade para parar para pensar.

    Cada vez me convenço mais de que quem gosta muito de animais não gosta de pessoas. Se uma criança baixasse as calças no parque infantil e os pais ali deixassem a poia, o que seria, Deus meu! Mas o cão pode. Isso já é normal, não é porcaria.

    Desculpa o desabafo, que nada tem a ver com o post (apenas por falar de cães) mas acho mesmo que as pessoas devem reflectir naquilo que escrevi e pensar um pouco. E neste post vai haver muitas dessas pessoas descritas acima. Aos 5% que não pertencem a categoria, nada temais, eu amo animas, mesmo, não amo é as pessoas que são de tal maneira obcecadas por eles que nem uma coisa tão simples como esta conseguem compreender.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, olhe que não sei em que zona você vive, mas felizmente na minha zona é raro ver poias no chão. E os cães são aos magotes. Quando vim ver o apartamento pela primeira vez, uma das coisas que comentei logo com o namorado foi o facto de a relva estar tão limpinha e arranjada. Aqui toda a gente apanha a poia!

      Mas já vi um pai a pôr uma menina de 5 ou 6 anos a fazer xixi no meio da relva. ahahah

      Eliminar
    2. E então? Onde é que o Pirata (e os outros cães todos) fazem os xixis?

      Eliminar
    3. Anónimo, e então nada. Mas não é normal de se ver!

      Eliminar
  28. Não é onde vivo, é onde trabalho. É uma zona super cara, as casas são uma verdadeira fortuna. E depois é isto que se vê.

    Que sorte a tua não teres dessas cenas. Aqui infelizmente é uma coisa desesperante.

    ResponderEliminar
  29. Concordo. É tão estúpido, tão estúpido... Deve proteger-se as crianças, claro, mas criar medos inúteis não!

    ResponderEliminar
  30. Tenho alguma simpatia por cachorros. Cães de grande porte assustam-me e não confio neles, nem nos pequenos, verdade seja dita. Aos 4 anos fui atirada para um hospital com a cara toda desfeita pelo cãozinho lá de casa. Com quem convivia desde o dia em que nasci, Um dia "passou-se" e atacou-me.
    A minha filha tem 3anos e tb se assusta com cães, acho que inconscientemente fui eu quem lhe passou isso. Nunca lhe disse que se afastasse ou que o cão fazia mal, pelo contrário.
    A S* é tão rápida e certeira a defender os donos de animais, só pq partilham do seu gosto e tão veloz a criticar os que se não gostam, já tentou perceber o porquê das pessoas não gostarem?!
    A mim irritam-me os donos que não respeitam nada nem ninguém, que passeiam com os animais, sem trela, nem açaime, em parques infantis, em jardins e outros locais públicos, onde estão precisamente crianças. Aqueles que deixam o bicho fazer as necessidades nas caixas de areia que deviam ser para as crianças brincarem e vão embora de cara alegre.
    E odeio que me respondam que o cão é meigo, que gosta de crianças e bláblá. O cão com quem sempre vivi e me atirou para um hospital tb era. A lei diz algo do género (pelo menos acho que diz) que os animais devem usar trela sempre que frequentem um local publico e caso não a tragam devem usar açaime, e se forem de raça perigosa devem usar as 2 coisas.
    Ponha-se lá no lugar do outro, por uma vez e deixe de ser fundamentalista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Unknown, desculpe a expressão, mas o que tem o cu a ver com as calças? Falta de educação é uma coisa - quem deixa o cão fazer necessidades em sítios onde é suposto só andarem crianças é mal educado.

      E o que tem a trela a ver com o meu texto? Eu sou a primeira a só passear o meu cão de trela.

      Eliminar
    2. Segundo me disseram ontem na PSP a lei só obriga a trela e açaime para os cães de raças perigosas. Os restantes não têm sequer que andar com trela, não é ciminalizado.
      E percebi claramente que, a fazer-se algo, quem pagará será sempre o cão e não o dono... ainda temos muito que caminhar...

      Eliminar
    3. Não tem nada a ver, nunca tem, a menos que seja para defender as tuas ideias, não é?
      O problema é que a falta de civismo é praticado pela grande maioria dos amantes dos animais, os mesmos que os dizem amar, que querem todos os direitos mas depois não respeitam minimamente as pessoas, principalmente as crianças.

      Eliminar
    4. Os animais não têm culpa que as leis sejam uma porcaria.

      Todos os cães têm obrigatoriamente de passear com trela.

      Eliminar
    5. Precisamente: a culpa não é dos animais é dos donos deles que se dizem muito amantes de animais mas depois não conseguem ter qualquer discernimento/empatia/amor pelos outros humanos e perceber que seja qual for o cão, seja qual for o seu tamanho, se apanhar uma criança de 1 ano pode fazer-lhe mal. Mas não...é sempre o "ele não faz mal".

      (eu gosto de cães, eu gosto de animais mas também gosto de poder ir à rua em segurança sem ter medo de ser ferrada. Como já fui.)

      Eliminar
  31. Aí S*... Este post dava pano para mangas... Mas eu também não gosto daquelas pessoas que não gostam de crianças perto dos cães.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas. Mas já nem entro por aí...

      Eliminar
    2. E quando os animais atacam as crianças, culpam as crianças, os cães ou os donos?
      Eu cá não quero animais de grande porte que já tenham demonstrado agressividade perto do meu filho. Fui tão criticada por uma amiga que tinha um cão com estas características... uns anos mais tarde foi ela parar ao hospital porque o cão tentou atacar o filho dela. Que convivia com o cão desde que nasceu.
      Era "natural" naquele cão atacar tudo e todos apesar de ela dizer a todos que ele não fazia mal e que era meigo. Tivemos muitas discussões porque eu me recusei a deixar o meu filho perto daquele cão. São pessoas que amam tanto animais que quando aquela miuda de 2 anos morreu atacada no Porto disseram que a culpa era dela -DELA, criança inocente porque tinha gritado. É que as crianças não gritam!!
      Nem um ano depois a sogra dela já não achou que a culpa era do neto - afinal a culpa era do cão que sempre fora agressivo.
      Se gostam tanto de animais ao ponto de acharem que têm o direito de pôr em risco de vida crianças façam um favor à humanidade e fiquem-se pelos cães e não tenham filhos. A humanidade agradece.

      Já agora, eu própria fui ataca em criança por um cão que "não fazia mal a ninguém" e isso nunca me impediu de gostar deles, de os respeitar mas o respeito passa também por entender que não são pessoas e o seu entendimento jamais será igual ao de uma pessoa. São animais: agem e reagem por instinto e é perigoso pensar o contrário. Sentem ciúmes, são possessivos e territoriais, se acham que a criança pertence à alcateia, aceitam-na, se acham que está a tirar-lhes o lugar atacam-na. Se o líder -alfa - for o dono os riscos de atacarem são inferiores, se acharem que são eles o alfa só não atacam se a criança for submissa e fizer o que eles querem. "psicologia" canina.

      O problema é que as pessoas em vez de saberem que estão perante um animal racional pensam que têm ali alguém que os entende como se de uma pessoa se tratasse...e depois inocentes sofrem pela burrice dos outros.

      Eliminar
    3. Cuidado, aqui não se pode dizer a frase "eu não gosto "
      Isso torna-a automaticamente insensivel, não sabia?

      Chama-se a isso falta de empatia.

      Eliminar
    4. Não misturem conceitos. Não têm de misturar animais que já tenham mostrado agressividade com crianças. Mas também não se deve ofender (eu acho ofensivo) dizerem alto e bom som que o meu cão vai atacar quando ele vai de trela, ao meu lado, e sem chatear ninguém.

      Eliminar
  32. Eu detesto pessoas que passeiam os caes sem trela. Eu tenho sempre que mudar de passeio por causa disso e os donos ainda olham para mim a gozar.

    ResponderEliminar
  33. S*

    Eu não digo ao meu filho q o cão vai atacar, mas digo para se afastar e não me interessa minimamente se os donos gostam, se não. Não conheço o cão de lado nenhum e pode muito bem atacar (como não). E não há mau humor de dono nenhum q valha pôr em risco a segurança do meu filho.

    E dizerem-me que "ah não faz mal nenhum, é meiguinho"... é o msm q merda. Porque cães "q não fazem mal a ninguém" há aí muitos e q acabam por ferrar o dente em alguém. Não importa o quanto os donos confiem neles.

    Não é q não goste de cães. Mas não confio neles só pq os donos me dizem q devo confiar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O texto foca-se em quem amedronta as crianças de forma irracional. Proteger os filhotes é normal, claro.

      Eliminar
    2. Pois, é verdade. Mas num post destes há sempre uma linha ténue entre as duas coisas. E surgem sempre pontos de vista diferentes, como o facto de distinguires animais domésticos de aranhas. Há quem as tenha como bichos de estimação (diga-se de passagem que me mete muita impressão, eheh, mas quem sou eu!). O que tu vês não é necessariamente igual ao que os outros vêem. Da mesma forma que há muita gente por esse país fora a festejar que as pessoas sejam penalizadas por maltratar animais. Mas as touradas continuam orgulhosamente a fazer parte da nossa tradição (shame...). Pelo simples facto de q é impossível concordar em tudo. O teu ponto de vista não é um facto, é só a tua opinião e vale tanto como qualquer outra.

      Os teus posts dão sempre pano para mangas, lol :)

      Eliminar
    3. Cynthia, então se o blogue é meu e eu escrevi o texto que escrevi, pois claro que é a minha opinião. Mas também é um facto que não se deve dizer "o cão vai ferrar-te" sem se conhecer o animal. É ofensivo para o dono do animal, se este o leva pela trela - que era o meu caso. E absolutamente desnecessário incutir receios nas crianças.

      De resto, ninguém obriga ninguém a querer socializar os filhos com os animais. Basta afastar-se. Mas eu não gosto que digam que o meu cão vai ferrar. O meu cão foi muito bem socializado desde os primeiros meses. Não querem tocar-lhe, não toquem. Mas não gosto que digam que ele vai atacar.

      Eliminar
  34. Concordo. Nos temos um cão, pequeno, e a minha filha adora todos os bichinhos que vê. Só a deixo aproximar-se de um cão se o dono disser que não há perigo (e eu aproveito também parados encher de mimos).
    Por isso foi com grande revolta que ouvi através da janela de minha casa uma criança que ia com um adulto dizer: 'levo este pau para bater no cão'. Não sei se foi pior o comentário ou a de resposta por parte do adulto/a que acompanhava o menino

    ResponderEliminar
  35. Há por aí um certo fundamentalismo animal. Agora apenas os animais são bons, mas pelos vistos só os de companhia. Porque será? Sim porque os animais acabam por também serem brinquedo. Afinal não oiço ninguém na net a de defender as galinhas. Os gatos e cães são uma espécie de adorno de alguma senhoras e o bicho tem que condizer com a toilette da dita. Há cães e gatos a serem mais bem tratados que pessoas que vivem ao relento. Eu não tenho cão nem gato porque não sinto qualquer necessidade de os ter, e sei bem que os problemas de solidão não se resolvem com a adopção de animais. Vergonha é haver locais de venda de bichos que deviam ser encerrados, mas pelos vistos o negócio das rações de animal é hoje de enorme interesse para as grandes superfícies comerciais. O mundo anda virado do avesso e agora descobriram que os animais são melhores que as pessoas. Óbvio não reclamam e não vão embora se lhe derem comida e abrigo. Isto já começa a parecer uma religião, porque afinal já se questiona que se coma carne de vaca, significa que esta gente vai fazer com que a vaca venha a desaparecer dos verdes prados. Deixem-se de fundamentalismos e adoptem um animal de duas patas que há muitos a precisarem de casa comida e afectos.

    ResponderEliminar