quinta-feira, 12 de junho de 2014

Insónias

Não sou pessoa que goste de andar medicada. Não tenho qualquer problema em tomar uma aspirina, mas faz-me confusão depender de algum medicamento para me sentir bem. No entanto, após um ano de insónias constantes e de noites absolutamente tormentosas, a acordar meia dúzia de vezes todas as noites, achei que era altura de ir ao médico.

E lá fui eu. Caramba. Tomei a dose mais fraca de todas e tive uma noite de sono seguido, sem acordar uma única vez. Uma noite como nem me lembro de ter. 

Hoje estou aqui toda zen. Muito calma, muito tranquila. E oh, apesar de parecer meia mocada, sinto-me bem.

52 comentários:

  1. E já tentaste comidas e produtos naturais que fazem bem às insónias?!
    E não me digas que vais para a cama a pensar no dia seguinte?! Um conselho: deita-te e não penses em mais nada.
    Eu demorava todos os dias quase 1hora para adormecer porque me punha a pensar e pensar...chegava a acordava com preopcupações...
    Agora? aprendi a deitar-me e a não pensar em nada! Demoro 5min a adormecer ou menos e só acordo 7/8horas depois. Se tiver mesmo esgotada, 1minuto e já tá :)

    beijinhos e as melhoras !!
    viagemdoceviagem.blogspot.com | Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente não consigo evitar. Fico sempre a pensar em coisas. Até em coisas parvas.

      Eliminar
    2. Ora explique-me lá como se faz para aprender a não pensar? Estou exactamente como a S*, o que dá cabo de mim, em vários aspectos, e essa coisa do não pensar não resulta. Simplesmente porque não consigo decidir pensar o não e, consequentemente, não consigo evitar.

      Mas se tiver dicas, partilhe, faxavor! ;) Ah e que não passe por beber chá, que não gosto :P

      Eliminar
    3. Há uns tempos atrás também me dava para pensar em tudo e mais um penico. Como não podia tomar nada que a amamentação tem destas mariquices, resolvi de forma bastante eficaz:
      Vejo tv até adormecer, coisa que demora, nos dias maus, cinco minutos...
      :)

      Eliminar
    4. Às vezes faço isso, mas mesmo assim não demoro 5 minutos nos dias bons ;)

      Eliminar
    5. Eu tambem costumo ver TV ate adormecer, mas e quando nao temos TV no quarto? E' inevitavel para mim nao pensar, e chego a levar 1h ou 2h a adormecer :(

      Eliminar
  2. Podes substituir os comprimidos por chá. Existe uma grande variedade para teres uma noite tranquila. Tília, flor de laranjeira e cidreira são dos mais indicados.
    Experimenta tomar ao deitar e dps conta :)
    Bons sonhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom eu não gosto de chá, mas pergunto ainda assim: como bebem chá antes de deitar e não acordam a meio da noite uma dúzia de vezes para ir à casa de banho? É que eu evito beber à noite para não ir à casa de banho (e ainda assim é inevitável ir já quase de manhã).

      Obrigada :)

      Eliminar
    2. Ahahah

      Mel, estou contigo. Evito beber depois do jantar e, mesmo assim, quase todas as noites vou fazer xixi!

      Eliminar
  3. Eu tambem nao era pessoa disso, e aliás, não sou. Mas antes dos testes agora tenho de estar sempre com um calmante no sistema, não que me faça alguma coisa, provavelmente não faz ( dada a quantidade de vezes numa semana que os tomei na altura de mais testes), é só para o efeito placebo, entendes?

    ResponderEliminar
  4. És cá das minhas! Esta cabeça não pára de pensar em coisas parvas e depois passo o dia meia nervosa e ansiosa. Volta e meia vou ao medicamento e sinto-me muito mais aliviada.

    ResponderEliminar
  5. Houve um período da minha vida em que tomei os comprimidos para dormir e digo-te que me fizeram maravilhas! Eu já não dormia nada... quando os passei a tomar dormia 5/6 horas seguidas. Já me sentia outra e foi uma óptima ajuda para resolver o problema. O estado em que eu estava é porque havia um problema mais serio.

    Depois de descansares é altura de atacares os problemas que te estão a provocar as insonias!

    Eu fui a um psiquiatra e ate a um psicólogo para me ajudarem. E foi o melhor que fiz, uma vez que eu já não vivia, sobrevivia! Claro que o meu estado era muito mais grave!
    Se digo no meu dia a dia isto que estou a contar? não, não digo porque hoje em dia saberem que sofro ou sofri problemas de ansiedade é confirmar às pessoas que podemos ser mais vulneráveis!



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há mal nenhum em ser e em assumir alguma vulnerabilidade.Todos somos vulneráveis a algo ou a alguma coisa e de alguma forma!!!

      Eliminar
  6. sei o que isso é. o sono faz mesmo falta. e se tem de ser ajudado...que remédio, o perigo nisso tudo é a possível habituação! bons sonos! :)

    ResponderEliminar
  7. Eu tive um problema de saúde há uns 4 ou 5 anos atrás e foram-me receitados uns calmantes daqueles fraquinhos porque tinha o sistema nervoso completamente alterado (e que me estava a afetar a outros níveis físicos). Melhor coisinha de sempre! Nos primeiros dias andava muito mais calma, ficava com muito sono. Mas era mesmo o que eu precisava. Depois fui reduzindo até deixar completamente, mas foram semanas de grande alívio. Dormia que nem um bebé! :) Quando é preciso, não há volta a dar. Importante é sentirmo-nos bem porque ninguém consegue estar completamente bem se não dorme :/

    ResponderEliminar
  8. A insónia pode ser do peso da consciência eheheheh:)

    ResponderEliminar
  9. Como te entendo. Desde criança que sofro de insónias. E com os problemas da vida adulta pior. Nunca fui a nenhum médico por causa disto mas acho que me faria bem dado que se deve à minha ansiedade, tão típico em nós mulheres. De há um mês para cá experimentei experimentei o novo Valdispert noite de venda livre e tem feito maravilhas por mim. Tenho dormido mesmo bem que aquilo apesar de ser natural dá-me uma soneira incontrolável. Recomendo:)

    ResponderEliminar
  10. Numa fase muito má da minha vida, com problemas de saúde da minha filha, nem a dose mais forte de um indutor do sono me fazia dormir. O médico disse-me que ou eu dormia ou me internava. Até que resolvi deixar de conter o choro e chorava antes de dormir até à exaustão...depois dormia!

    ResponderEliminar
  11. Para ajudar a descansar durante umas noites é bom, mas cuidado porque a maior parte desses comprimidos causam habituação. Concordo com o Anónimo (até porque passei por uma situação em que precisei de medicação para primeiro descansar e reparar, mas depois tive de lidar). Descansa, recupera, mas depois, força nisso:: tentar arranjar forma de calares a vozinha irritante na cabeça (também me chateia) durante os minutos suficientes para adormecer :) you go girl ;)

    ResponderEliminar
  12. Eu também detesto recorrer a medicamentos, mas às vezes são a única & melhor solução.

    beijinhos*
    http://beautybyci.blogspot.com

    ResponderEliminar
  13. Eu também odeio tomar medicamentos, mas às vezes são a única&melhor solução.

    beijinhos*
    http://beautybyci.blogspot.com

    ResponderEliminar
  14. Ainda bem, as vezes é preciso! A nossa maquina por vezes precisa de uma ajudinha. Faz a "cura do sono" e depois começa a largar gradualmente para não haver habituação.
    beijinhos.

    ResponderEliminar
  15. No último ano a minha vida mudou bastante e passei a estar numa situação muito diferente da que sempre vivi. De resto, sempre fui muito ansiosa, do género que vai para a cama e pensa em tudo e mais um par de botas. Depois, em momentos de stress (e tenho tido uns quantos, este ano), é o fim do mundo. Tive um exame importantíssimo e a última vez que vi as horas antes de adormecer eram 5h30 e tinha que acordar as 7h30.

    Tive momentos em que andava mesmo cansada, até porque sonho muito, mesmo muito, noites inteiras, de tal maneira que chego a acordar e quando volto a adormecer continuo os mesmos sonhos. Acho que não me lembro de sonhar tanto! Por tudo isto e porque andar morta de cansaço estava a dar cabo de mim, um dia falei com o meu médico e pedi-lhe alguma coisa para dormir, não para usar frequentemente, mas apenas quando estivesse mesmo KO.

    Receitou-me xanax. Torci o nariz, tinha ideia de que ia andar toda mocada, como dizes, no dia seguinte e eu precisava era de alguma coisa que me permitisse dormir bem, para que no dia seguinte estivesse no pleno da minha energia e não toda taralhoca. Um dia estava de rastos tão cheia de sono e sem conseguir adormecer que decidi que seria o dia em que tomaria o raio do comprimido. 2 horas depois estava desperta como nunca... Nunca mais tomei.

    Pelo que continuo a precisar de dicas e quanto mais naturais melhor :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mel, hoje andei muiiiiito zen... super relaxada, parecia que andava na lua. Mas dormi bem!

      Eliminar
    2. Mel, há várias coisas que no seu dia-a-dia pode fazer (se não as fizer já, claro) para dormir melhor à noite: nada de sestas, uma hora antes de se deitar comece a fazer qualquer coisa relaxante (a mim aconselharam-me pintar as unhas, algo que eu até acho stressante, de modo que me foi recomendado que lesse algum livro...repetido - pois assim não fico ansiosa com o resto da história pois já a conheço), nada de trabalhar, ou ver televisão, ou estar no computador, ou tratar de coisas de casa. Sente-se e leia revistas cor-de-rosa de forma a que o cérebro comece a relaxar e com poucos estímulos (daí nada de televisão ou computador), para depois adormecer melhor, e não sonhar tanto. E ter hábitos de sono, tentando deitar-se e levantar-se sempre à mesma hora, de forma que o corpo se aperceba que aquelas são as horas para dormir (e daí nem pensar em sestas pequenas no sofá). Há também comprimidos que ajudam a adormecer mas que não nos fazem ficar num sono pesado, e foi esses que tomei, uma vez que ia para a cama e passavam-se horas sem adormecer. Um comprimido daqueles duas horas antes e depois ia para a cama e adormecia. Se alguém me chamasse, eu acordava, e eu gostava disso pois não gosto daquela sensação de estar pedrada.

      Para a S*, tenho outro conselho: se vai para a cama a pensar na vida e nos problemas (eu também o faço), porque não vê uma novela antes de ir dormir? Assim quando se deitar, e já que não consegue forçar-se a pensar em "nada", force-se a pensar na novela, no que aconteceu, no que é que faria no lugar daquela personagem, e assim está a pensar noutras coisas mais agradáveis, nos problemas ficcionais dos outros, e até pode ser que resulte....

      Eliminar
    3. Obrigada, Anónima, gostei da dica do livro repetido! Pintar as unhas já faço, mas fico no pc até dormir e a ver tv... De qualquer maneira, às vezes já estava mesmo cansada e achava que ia adormecer mal chegasse à cama. Mas não. Começava a pensar nas coisas, inevitavelmente, e já não dormia.

      Bom, vou reler uns livros! :) Obrigada!

      Eliminar
  16. O que realmente conta, é o nosso bem estar e se ele for conseguido de forma medicamentosa... Seja! Além do mais os fármacos existem e têm por função aumentar a nossa qualidade de vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "aumentar a nossa qualidade de vida" Ahahah
      Como diz a música do Tony das camietes "sonhador, sonhador..."

      Eliminar
    2. "aumentar a qualidade de vida"
      Ahahah
      Como diz a música do Tony das caminetes "sonhador, sonhador... "

      Eliminar
  17. Epá, se te habituas a isso, nunca mais vais conseguir dormir sem estares "pedrada". Ainda se fossem uns "Valdispet", que são de venda livre e não têm efeitos secundários, nem viciam...
    Ainda és muito nova para tomar medicação para dormir. Vai "maisé" trabalhar, arranja uma horta para as horas vagas, e vais ver que passas a dormir bem. Ahahah
    Vai plantar batatas. Ahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não diria melhor, uma horta faz milagres. O chá também, mas a bexiga é pequena, é muito melhor porcarias para o buxo.

      Eliminar
  18. Às vezes precisará por um tempo e depois não mais. Não sei o que o médico lhe recomendou, mas um bom acompanhamento clínico é necessário.

    ResponderEliminar
  19. Melhor do que um medicamento, é um livro :) Na cama, é tiro e queda para adormecer!!

    ResponderEliminar
  20. Eu já cheguei a tomar alguns produtos naturais mas nem isso fizeram efeito!

    ResponderEliminar
  21. Eu passei por isso, durante 2 anos, acordava durante a noite e passava horas a olhar para o tecto. Como sou uma pessoa cismada e stressada por natureza pensei sempre que era disso. Evitei tomar medicamentos, pois não queria ficar dependente. Até que nas ultimas férias, por acaso, deixei de tomar a pílula à noite (o que fazia sempre), e passei a tomar de manhã e a partir daí nunca mais tive insónias. Não sei se tomas a pílula á noite, se sim aconselho-te a mudar o horário da toma.
    Boa sorte para as insónias e Felicidades :)

    ResponderEliminar
  22. Eu também só recorro a medicação quando já não há mais volta nenhuma a dar, mas se noutras maleitas eu vou aguentando quase ad eternum, na questão da falta de descanso é muito complicado.
    Funciono por fases e se há aquelas em que eu pareço uma pedra a dormir, outras há que se não for com ajuda de drunfos eu não prego o olho a noite inteira. E depois entro num ciclo vicioso: não durmo porque tenho problemas, os problemas parecem cada vez maiores porque não durmo e já nem consigo pensar em condições.

    Não é qualquer fraqueza recorrer a ajudas eficazes para resolvermos um problema concreto. A única coisa a ter em atenção é que, como já referiram, este tipo de medicação cria habituação. Logo deve ser usada como excepção e não como regra.
    Se a cada noite menos bem dormida começas a drunfar-te chegará a altura em que só aumentando mais e mais a dose é que vês resultados. Agora, com moderação e acompanhamento especializado são uma enorme mais-valia.
    Quanto aos auxilios ditos naturais, se fores como eu, o único que te poe a dormir é uma traulitada na cabeça, porque cházinhos, ervinhas e cheirinhos pelo quarto só servem para gastar dinheiro e aumentar os nervos.

    ResponderEliminar
  23. Zen, calma, tranquila, mocada e a sentir bem.
    A julgar por essa descrição parece que estás no Woodstock! Só falta a música! :P

    ResponderEliminar
  24. Eu para ter uma noite minimamente decente de sono tenho que me dopar por completo com medicação já pensei em começar baixar a dose que é bem elevadas mas todos os dias penso "ah eu preciso mesmo de dormir" e lá me encharco eu de comprimidos

    ResponderEliminar
  25. Eu não tenho insónias nem nada que se pareça, mas quando preciso de ir cedo para a cama (tipo 10h) e estou habituada a ir tarde tomo alguma coisa :) Fizeste bem em procurar ajuda, essas insónias devem ter uma origem qualquer!

    http://miscelaneathesecond.blogspot.com

    ResponderEliminar
  26. Tens de te cansar mais fisicamente. Caio logo à cama... E tenho muita dificuldade em adormecer.

    ResponderEliminar
  27. Também não gosto de tomar medicação, só mesmo em último caso. Por isso acho que fizeste bem procurar ajuda. É claro que o ideal será tentar encontrar uma alternativa à medicação! Boa sorte!

    ResponderEliminar
  28. Olá

    Que haja sempre
    uma inspiração
    para acordar
    as palavras
    adormecidas
    em tua vida.

    São elas que dão sentido a tua vida,
    e as vidas que passeiam por tuas palavras.

    ResponderEliminar
  29. Sou como tu, também não gosto de medicação. Se tenho dor de cabeça espero que passe, se estou com sintomas de gripe espero que o corpo reaja... De todas as vezes que meti um comprimido no corpo é porque estava mesmo à rasca. Bom, excepto a pílula que é um mal necessário.

    Não ter uma noite de sono descansado é das piores coisas porque quando não se descansa parece que tudo fica baralhado. Acho que fizeste o mais acertado em procurar aconselhamento médico. E olha sabes o que me faz relaxar bastante? Acupunctura. Dá-me um sono que nem imaginas! Devias experimentar! Se não te fizer bem, mal não faz e as agulhas nem se sentem.

    ResponderEliminar
  30. Apercebi-me agora que, apesar de ler o teu blog todos os dias há já bastante tempo, nunca te deixei nenhum comentário. Esta questão das insónias é um tópico sensível para mim. Eu também, quando ando mais cansada ou com mais problemas, tenho imensas dificuldades em adormcer. Num dos anos mais desgastantes do meu curso, em plena época de exames e com imenso para estudar, não conseguia dormir. Noite após noite, sempre a mesma história: exausta, morta de sono, mas não conseguia desligar e adormecer. Cheguei a dormir cerca de apenas duas horas por noite durante vários dias seguidos. Precisava desesperadamente de algo que me permitisse dormir, para recuperar energias e conseguir restabelecer plenamente as minhas capacidades, a concentração e o racíocinio. Nessa altura, um médico amigo da família também me prescreveu medicação para dormir, Kainever, que é fortíssimo, mas nem isso me fazia adormecer. Comecei a misturar, por minha auto-recriação, diversos ansíoliticos e exagerava na quantidade que tomava, sem qualquer supervisão médica. Mesmo com essas bombas, muitas vezes era difícilimo adormecer. Felizmente não aconteceu nada de mal. Os exames fizeram-se (e correram bem! Milagre, milagre :p), mas no rescaldo, se assim posso chamar, dessa fase, os problemas em dormir mantiveram-se. Não podia, nem queria, continuar a afogar-me em ansíoliticos todas as noites (na verdade, acho que já nem faziam grande efeito). Comprometi-me comigo mesma, numa altura um pouco mais calma (neste caso, no fim dessa época de exames, em que apesar de necessitar de estar bem para aproveitar as aulas, não estava no nível de stress dessa maldita época de exames) a deixar de tomar o que quer que fosse para dormir. O meu pensamento nessa altura era o de que "se não dormir esta noite, amanhã vou estar exausta, mas ninguém vive sem dormir e amanhã vou estar tão cansada que mal caia na cama adormeço logo". Tanta conversa para dizer apenas isto: não desvalorizo minimamente, de maneira nenhuma, até porque sei o que isso é, a tua dificuldade para dormir, mas é possível contornar isso. O mais natural é que, sabendo tu que vais ter dificuldade em dormir, te deites já a contar os minutos que demoras a adormecer, que vejas as horas a passar e penses que já devias ter adormecido, que no dia seguinte já vais andar morta de sono outra vez... o meu truque é aquele que disse, limpar a cabeça destas preocupações, aceitar a possibilidade de não dormir nem um minuto nessa noite, sabendo que no dia seguinte o cansaço acumulado me fará dormir - mas mentalizando-me de que as insónias, mesmo no tal "dia seguinte" poderão voltar e que posso ficar então duas, três, quatro noites sem dormir - a verdade é que isso é impossível de acontecer! Continuo a ter alguns problemas de sono... mas é sem dúvida esta minha forma de "assumir" o problema que me ajuda a dormir. Basicamente, é "não ter medo de não dormir, mas cedo ou mais tarde vou capitular de sono XD".

    ResponderEliminar
  31. continuação do comentário anterior:
    Todas aquelas dicas de não beber café a partir das 4 da tarde, evitar televisão ou luzes fortes mesmo antes de dormir, tentar relaxar antes de ir para a cama, manter horários para dormir, são válidas e deves esforçar-te por cumprir, mas não deixes que o medo de não dormir, te impeça de viajar até ao mundo dos sonhos. Se tens tendência para as insónias, elas vão voltar sempre nas piores alturas ;), a diferença é que tu vais aprender a lidar com elas. Não te sintas minimamente mal por estares atomar um medicamento para te ajudar a dormir, se é eficaz ótimo. Eles causam habituação, mas isso não acontece de um dia para o outro. E muito pior que a habituação a um medicamento são as consequências de semanas seguidas a dormir mal. Experimenta também coisas mais naturais, como passiflora e valeriana que se vendem nas ervanárias. Eu às vezes, quando preciso mesmo de dormir, por ter algum compromisso importante no dia seguinte, tomo um actifed (é anti-histamínico e dá um sono impossível de aguentar e penso que não tenha efeitos secundários tão maus como alguns ansioliticos, mas eu não sou médica - e isto do actifed faço nem meia dúzia de vezes por ano). Beijinhos e bons sonhos ;)

    ResponderEliminar
  32. Um médico da minha estima disse-me que nao tomasse medicacao quando o procurei a pedir ajuda para um mal como o teu. Na altura tinha 25 anos e ele avisou que em meio ano estaria viciada no descanso proporcionado. Que tudo comecava por reeducacao do sono e era isso que eu teria de fazer. Mas nao fiz. Continuei o ritmozinho de pupu a que estava habituada e aesticar ao limite da resistencia. Descambou de noites mal dormidas para 3 directas por semana, dias de 40h sem pregar olho, noites de 3-4h, fosse por trabalho ou em consequencia dele e ritmos invertidos.
    É algo com que lidei durante mais de 8 anos e, foi preciso um near burnout em Dezembro para fazer o clic. Desde Janeiro que estou nessa tal reeducacao e sei que foi a melhor coisa que fiz pela minha saúde. Reestruturei os horários de trabalho, reduzi a carga (que era algo voluntária confesso) e implementei a rotina de sono. Tem sido uma luta mas já espreitei o abismo da privacao de sono, por isso estou a apreciar muito a subida à vida normal :)
    Ainda assim nao nego que valha a pena um comprimido esporadicamente, em situacoes muito muito pontuais, jamais a regra.
    O anónimo das 03:17 tem sugestoes boas no 2o comentário.
    Se quiseres detalhes, podes contactar por email. As melhoras!

    ResponderEliminar
  33. Sabes, apesar de tudo sou como tu, nao gosto de todo de medicamentos. Mas se para ter uma noite de sono tranquila dependo disso entao faco-o. Pois prefiro a andar a "morrer" todos os dias. Ao menos assim apesar de te sentires mocada, senteste viva. Pelo menos e' esse o sentimento que por vezes tenho. E como o menino ca em casa tem depressao... as noites de acordar constantemente sao mais que muitas ca :( pelo que assim tem de ser! Um beijinho grande e bom fim de semana xxx

    ResponderEliminar
  34. Também já não sei o que é dormir realmente bem à mais de um ano!
    E também sou como tu odeio medicamentos por isso nem ao médico vou

    ResponderEliminar
  35. quando uma pessoa precisa de uma ajuda extra tem de ser :)

    ResponderEliminar
  36. Este tema tem pano para mangas, mas deixo a minha opinião/testemunho.
    Eu tomo medicação para dormir, e devidamente prescrita pelo psiquiatra. E nem penso em deixá-la. Para mim é simples: prefiro depender de um comprimido e meio para descansar devidamente (afianço que são as doses mais baixas que existem porque não ando drogada), de que não dormir, não ter um sono de qualidade, dormir cansada e acordar ainda mais. Esse para mim é o facto. E atrevo-me a deixar o conselho: toma o comprimido exactamente antes de deitares e se certifica-te que te deram uma dose baixa. Não é preciso cair na cama porque isso não é bom, é preciso sim que te ajude a descansar.

    ResponderEliminar
  37. S* vi aqui alguns comentários sobre pessoas a aconselhar medicamentos de venda livre. É preciso ter cuidado com esses medicamentos, se alguma vez quiseres entrar por essa via, há um pelo menos que tem mais do que a dose permitida para venda sem receita médica. Se tiver que haver medicação à mistura que pelo menos ela seja supervisionada por um médico :) chá de camomila a mim ajuda-me a dormir, chá de canela, menta e especiarias também...

    ResponderEliminar