Avançar para o conteúdo principal

Mundo de merda

A mulher sudanesa condenada à morte por não se converter ao islamismo deu à luz com as pernas atadas. Foi o marido, Daniel Wani, quem o contou, numa entrevista ao jornal britânico «The Telegraph»: «Eles mantiveram-lhe as correntes nas pernas». TVI 24

Que mundo cruel. Desumano, cruel, maldoso. Mundo de merda, liderado muitas vezes por líderes de merda, que tratam as pessoas como merda. Não vejo forma disto melhorar.

Comentários

  1. Não consigo compreender tal coisa, é muito triste!

    ResponderEliminar
  2. Fico arrepiada com estas coisas. Só me apetece chorar!

    ResponderEliminar
  3. Haverá sempre maldade no mundo infelizmente...

    ResponderEliminar
  4. É nestas coisas que se vê que a mulher ainda é muito mal tratada. Achamos que isto não existe, pois está longe e não o vemos. Ontem também deu no noticiário o caso de uma que foi apedrejada até à morte, pelos irmãos, por casar com quem amava!

    ResponderEliminar
  5. É este o mundo que existe e eu por vezes tenho vergonha dele! Como somos nós capazes de fazer tanto mal..:(

    ResponderEliminar
  6. Há muito tempo que eu perdi a ilusão de "um mundo melhor", porque em nome do quer que seja (chamem-lhe cultura, religião, tradição "whatever"!), comentem-se as maiores atrocidades e barbaridades.

    [...perante estas e outras situaçãoes, quiçá foi boa ideia não ter tido filhos, sofria só de pensar que deixava os meus filhos num mundo de merda...]

    ResponderEliminar
  7. E as violações na Índia que continuam?
    Mais 2 vítimas

    ResponderEliminar
  8. Ai meu Deus... até me arrepiei :( a sério...

    ResponderEliminar
  9. que horror :(
    bom fim de semana :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Para quem acha que o feminismo já não faz sentido, que as mulheres já são iguais aos homens e tratadas da mesma maneira, atentem bem nestes casos.
    E como já disse um anónimo, na India mais duas raparigas de 14 anos foram violadas em grupo e depois enforcadas.
    Nós aqui vivemos no paraíso, mesmo apesar dos inúmeros casos de violência doméstica.

    ResponderEliminar
  11. Infelizmente não. Não vejo a situação melhorar em mundas partes deste mundo tão injusto para muitos.

    ResponderEliminar
  12. É muito triste e sem dúvida, não há nada que nos traga esperança.

    ResponderEliminar
  13. Tens razão, é mesmo um mundo de merda!! Onde as pessoas valem segundo o que outras acham que valem. Não somos todos iguais, nem os poderosos querem isso.
    Triste :/

    ResponderEliminar
  14. Isso não me choca mas irrita-me o facto de toda a gente saber que essas coisas (e piores) acontecem e ninguém faz nada para corrigir! Enquanto não houver ninguém com tomates para pôr fim a esse tipo de "cenas", isso vai continuar e continuar a crescer como uma bola de neve.

    ResponderEliminar
  15. Estas notícias deixam-me com vontade de matar.
    Primeiro as 200 miúdas raptadas. Agora isto... nem sei como lhe chamar.
    Cambada de "cabeças de trapo", idiotas, atrasados mentais...
    No Paquistão apareceram mais duas miúdas enforcadas depois de violadas. E a polícia cagou-se nas queixas apresentadas pelos pais.
    Outra desgraçada foi apedrejada até à morte pelo pai e restante família, à porta do tribunal, com a bófia a assistir de camarote, só porque não casou com o noivo arranjado pelo anormal do pai...
    Eu mandava derreter estes gajos, juntava potassa às banhas e fazia sabão com eles. :\

    ResponderEliminar
  16. Culturas de merda se é que isto se chame cultura ou a puta que os pariu... nojo, profundo nojo.

    ResponderEliminar
  17. infelizmente as mulheres ainda são tratadas abaixo de cão! até dão mais valor aos animais do que às mulheres!

    ResponderEliminar
  18. Este mundo é assustador, infelizmente há muita gente a sofrer e principalmente mulheres...

    ResponderEliminar
  19. As mulheres na sociedade de hoje em dia em metade dos países são muito mal tratadas.
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  20. S* o problema são as pessoas que são,na sua maioria,uma valente merda!
    Portanto...

    ResponderEliminar
  21. Quando li a notícia até me apetecia chorar....em que Mundo vivemos??? Dar à luz de pernas atadas??? As mulheres são seres humanos tão ou mais poderosos que os homens....se é que a esses senhores podemos chamar homens!!! Até revolta!!!!

    ResponderEliminar
  22. O que a mim me parece uma merda até nem são as diferenças "culturais" que nos parecem bárbaras. É mesmo a ONU que pelos vistos está esquecida do motivo pelo qual foi criada. Só intervem quando lhe dá jeito à carteira. Nojentos.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã.

Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte?

Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria.

Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

O que é nacional é bom

Anda Portugal a usar cestas desde sempre e esta vossa S* a usá-las há sete ou oito anos... e vem agora a Carolina Herrera descobrir a pólvora (imagens acima).
Por favor, acho isto verdadeiramente errado. A desfaçatez que é pegar em algo tradicional de um país e de o apresentar como uma "criação"... Ainda por cima chamar-lhe "Aveiro"... E em nenhum sítio dizer que tem inspiração portuguesa.
E a pechincha que está? Quase 500 euros por uma cesta. Não tinha nada contra o preço... se efectivamente fosse um produto de original.
É só googlar "cesta portuguesa" e encontram-se imensos exemplares realmente nossos... E sem custarem quase um salário mínimo.
Querem cestas de classe? Então comprem das nossas. Das verdadeiras. Cópias descaradas? Não, obrigada.
Sugiro a Victoria Handmade. Não são caras, são dispendiosas e têm o preço do que é realmente bom. São feitas à mão, são portuguesas e assentam na nossa tradição. 

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos "será que vale a pena?".
Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro).
Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.