sábado, 10 de maio de 2014

A avaliar pela caixa de comentários do post anterior...

Um dos problemas da nossa sociedade (pelo menos da "sociedade blogosférica"...) é não entender que nem todos pensamos igual. E, em alguns casos, não existe uma forma de pensar correcta. Apenas existem diferentes formas de pensar, sendo que nenhuma delas está errada. Há que seguir o coração, como dizem alguns.   :)

75 comentários:

  1. Minha querida S*, os cães ladram e a caravana passa.
    Go on, vive a tua vida do teu jeito e cumprindo os teus sonhos.

    ResponderEliminar
  2. Podes crer... Que confusão! :D
    Até fiquei azul ao ler certas coisas...
    Que consigas realizar os teus sonhos e sejas muito feliz, é o que eu te desejo! ;)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. A julgar pelos comentários que aqui leio realmente fico a pensar se só porque alguém acha determinada coisa também tenho de achar. E as deduções que fazem... Uau, um miminho. Just saying.

    ResponderEliminar
  4. Pensarmos todos de maneiras diferentes é que é saudável, desde que saibamos sempre respeitar as ideias dos outros, por muito que nos custe!
    :)

    ResponderEliminar
  5. Concordo, cada um com a sua opiniao. Infelizmente nao temos todos a capacidade de aceitar opinioes diferentes. Sao ideias :) deixa la. Beijinho xxx

    ResponderEliminar
  6. Se essas pessoas doassem 1€ cada já tinhas casório pago :D

    ResponderEliminar
  7. Gosto quando falas assim! Parece que somos obrigados a pensar da mesma maneira dahhhh!!!

    ResponderEliminar
  8. Concordo plenamente. E ficas tranquila, e aja conforme o teu coração e desejo.

    Beijo

    ResponderEliminar
  9. O que mais me chamou a atenção foi a quantidade de preconceitos que as pessoas têm e a forma como os assumem com unhas e dentes, usando-os para criticar todos os que acham e fazem diferente. Como em tudo na vida, acho que devemos seguir o nosso coração, não nos preocupando nunca com o que os outros acham ou pensam. È a nossa vida, a nossa felicidade, o resto são detalhes sem importância.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tal e qual. Cada um faz como se sente feliz.

      Eliminar
  10. Eu ainda nem abri a caixa de mensagens e vejo que, meu deus, deve ser a verdadeira rambóia por ali! De qualquer forma, entendo a tua forma de pensar! Sinceramente ainda não moldei a minha! :)

    ResponderEliminar
  11. As formas de pensar são todas correctas, live and let live. O resto não interessa. Eu por acaso até concordo com a tua maneira de pensar, mas se não concordasse também seria normal não concordar, só que num assunto tão pessoal não há nada para concordar ou discordar...:-)
    xx

    ResponderEliminar
  12. Concordo plenamente contigo. Cada pessoa tem os seus valores, seus ideais e a educação na qual foi criada, somos estes os aspetos que levam a determinadas atitudes, pensamentos e maneiras de pensar. Cada um tem a sua propria forma de agir, pensar e forma de estar na vida. Não existe uma formula correcta de agir e pensar, por isso cada um a sua maneira pode estar correcto.

    ResponderEliminar
  13. O casamento não é tão lindo como muitos pensam... Vou casar para a semana. Vou ter o meu casamento de sonho. O vestido foi feito à medida, maravilhoso. Mas... estou apaixonada pela minha melhor amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh M., não faça isso a si mesma. Desejo-lhe muitas felicidades.

      Eliminar
    2. Oh M., então é simplesmente parva e desonesta, por amor de deus. E parece-me imatura também. Preconceitos há, claro. Mas ter tudo "de sonho" é estapafúrdio. Está a casar-se. Devia ser uma atitude adulta, consciente, de respeito mútuo (para além de acordo mútuo, que não sei se será o caso) e honestidade. Se assim não o é, tem que se os ter no sítio e defender aquilo em que acredita. Em vez de viver a lamentar-se em blogues. Mesmo que a "melhor amiga" não esteja para aí virada...

      Mira

      Eliminar
    3. Os anónimos não podem insultar. Mas Mira já pode chamar parva e desonesta. Que integridade de gente.

      Eliminar
    4. Terá de se contentar com o penes.

      Não ligue a miras e a mirones. Faça o melhor para si. Ninguém é alguém pra insultar ao desbarato, pois cada um sabe do caminho que pisa e do que passa.

      Eliminar
    5. Parva, parvinha, tontinha toda a gente é em alguma altura na vida. Eu incluída. Dizer que "o casamento não é tão lindo como parece porque me vou casar com quem não quero/amo, mas vou ter tudo de sonho" é tontinho. Já começa a lamentar-se assim e ainda não casou. É uma escolha. E com tanto para viver banaliza e desdenha de uma coisa que nem compreende. É imaturo. São ilações retiradas de um comentário. É desonesta pelo menos consigo própria. São factos e não insultos. Eu gosto de ver pessoas felizes e não a lamentarem-se de escolhas que tomam que podem ser revistas.

      Mira

      Eliminar
    6. Mau maria. Aprovo os comentários que, mesmo mais brutos, nitidamente não têm mau fundo. Entendo perfeitamente o ponti de vista da Mira mas também entendo que a leitora vá casar com quem não ama... ou melhor, não entendo mas não julgo, pois não conheço a história.

      Eliminar
  14. A avaliar pelos comentários do post anterior percebes que a nossa sociedade (e não só a da blogosfera) está muito mais preocupada com a vida dos outros, com o que os outrs fazem , os outros tem do que com a sua própria vida. Ah e também percebes que há muito fel a precisar de ser destilado!

    ResponderEliminar
  15. Não ligues. No meu caso são os filhos, todos se preocupam muito e se perguntam quando é que eu vou ter filhos. É quando eu quiser, eu é que sei. Até parece que alguém os vai criar por mim ou pagar as minhas contas. Esse pessoal tão opinativo dá-me sempre "nerbos". Cada um sabe de si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita, ui, o drama dos filhos. As pessoas adoram pressionar...

      Eliminar
  16. Fui ler. Tive de gravar um comentário que lá tens: "Defender um preconceito com o argumento de cada um faz o que quer da sua vida desfez qualquer intenção de esgrimir pontos de vista, rematou a conversa e solidificou opiniões. Há coisas que não valem a pena.

    ResponderEliminar
  17. É de longe o comentário mais passive-agressive que já li. E eu já lo muita coisa por esta internet fora... :P
    Eu e o Nuno marcamos a uma segunda o casamento para essa sexta e fomos ao registo sozinhos. Mas concordo que o casamento reforça o amor e o compromisso e acho muito bem que se tenha um dia especial como sonhado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mafalda, acho esse impulso lindo e romântico. Mas eu sou muito tradicional nessas coisas. :D

      Quanto a comentários passivo-agressivos, não fazem sentido quando o post é sobre uma vontade pessoal.

      Eliminar
  18. É necessário mais tolerância. E menos julgamento também. E mais senso de humor. Olha, ignorar é o melhor remédio.

    ResponderEliminar
  19. Dei-me ao trabalho de ir ler os comentários, e sim vi por lá muito preconceito, muito mal dizer. Mas também me parece que não devias dar tanta importância aos comentários que são para te espicaçar.

    ResponderEliminar
  20. Não comentei o post anterior mas deixa-me dizer-te que cada vez há menos respeito, a todos os níveis, na sociedade actual. E uma enormeee falta de valores. "Sign o'times", como diria o Prince?

    ResponderEliminar
  21. O que importam o que os outros pensam? Cada pessoa é única e tem o direito de pensar e fazer o que acha melhor e o que quer. Não ligues a essa gente. Espero que consigas o que tanto deseja, bjs

    ResponderEliminar
  22. Eu só ou metade dos comentários anteriores porque já nao tenho pachorra para certas coisas. Cada um sabe da sua vida. Em relação a um comentário maldoso de não conseguires batizar os teus filhos por não estares casada na igreja só tenho a informar que é possível, depende do padre. Nós éramos ambos divorciados e o padre aceitou.

    ResponderEliminar
  23. E conseguiste muitos mais comentários do que no post sobre pornografia em cartazes publicitários. Ahahahah

    ResponderEliminar
  24. "O cão ladra e a caravana passa" - é tal e qual!

    ResponderEliminar
  25. Eu não senti necessidade de casar, mas tive uma irmã que tal como tu quis o dia especial com o vestido especial e ao fim de 20 anos de casamento ainda fala do dia especial.
    Acho que deves seguir o teu coração.
    :D

    ResponderEliminar
  26. Isto dito por ti chega a ter piada!

    ResponderEliminar
  27. É sempre assim...principalmente quando se podem esconder por detrás de um ecrã as pessoas são mais sinceras...mas também não filtram de todo a informação que lhes é dada. Cada um é dono da sua opinião...quem não quer não concorda mas não faz dela menos válida =)

    ResponderEliminar
  28. Vou comentar o post anterior antes de ler a "polémica". Eu assumidamente não compreendo certas necessidades, esses sonhos em casar em quintas e afins. No entanto, EU não sou muito tradicionalista. EU nunca admitiria que pai meu me pagasse um cêntimo que fosse de um capricho meu. E, no entanto, tenho amigos em cujo convite de casamento se lê o nome dos respectivos pais dos noivos a convidar para a boda dos filhos. E, naturalmente, a suportá-la integralmente financeiramente. Não me cabe na cabeça. Não julgo, quero lá saber, eu quero é comer e beber.
    EU vejo como um capricho, sim. Mas se uma amiga minha me diz que me quer como madrinha de casamento e que para ela é importante que eu lhe dê isto ou aquilo, eu dou. Devido ao significado que acarreta para ela, pela forma como cresceu e olha para esses rituais. Não julgo, apenas não compreendo.

    Para mim são rituais. E eu também tenho os meus. E quero os meus. São é diferentes. Toda a gente dá valor a coisas diferentes. E tem prioridades diferentes. Acho que depende muito também dos valores incutidos por quem, neste caso, te criou, S*, visto que falas em ser muito menina da mamã, da tia e da tua querida avó.

    No fundo, no fundo, é chato querer muito uma coisa, mas uma coisa mesmo muito importante e ser limitada por uma coisa tão fútil como dinheiro. É a isto que, para mim, se resume o texto. Nada tem a ver com "casar ou não casar".

    Mira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mira, resumo perfeito, princesa. Também quero ter filhos e não posso. Quero coisas para a casa e não posso.

      Quero casar com o amor da minha vida numa cerimónia que me encha as medidas... e não posso. Só pretendo casar uma vez, quero ter tudo aquilo que é importante para mim. :)

      Cada um tem os seus sonhos e vontades.

      Eliminar
    2. Só um aparte Mira: conheço muitos casais que colocam no convite o nome dos pais a convidar as pessoas mas são eles que o pagam. Integralmente. (Aliás eu só conheço uma pessoa a quem os pais pagaram tudo, de resto foram os noivos que pagaram tudo e os pais deram a prenda que quiseram e acharam bem, nada mais).

      É que há pais cujo sonho é ter os seus nomes nos envelopes a convidar para o casamento dos filhos - um exemplo disso foram os meus pais e sogros. Mas deles não recebi um cêntimo para o casamento.

      Eliminar
    3. Obviamente, anónimo/a. Eu não falo do que não sei e nesse exemplo que referi, obviamente, tratava-se de pais a suportar os custos inerentes à cerimónia. Se não fosse esse o caso não o presumiria. Nesse e em outros exemplos que poderia dar, porque conheço muitos jovens que cresceram com esse "valor" e que não lhes cabe na cabeça serem eles a pagar a cerimónia.

      Como a mim não me cabe que os meus me pagassem o que quer que seja. São formas de ver a vida, são idealismos muitas vezes. Eu gosto de pragmatismo e não aceitaria "aparências" e nomes em convites, porque nem entendo o que é que os pais têm a ver com o que quer que seja. Acredito que cresceu noutros tempos e que "teve" que aceitar esses nomes nos envelopes e se sente ressentida por não terem contribuído. É hipócrisia, a meu ver, são "valores" de outros tempos. Lamento que assim tenha sido.

      Mira

      Eliminar
    4. S*, eu quero certas viagens, quero absorver mais mundo, quero ser mãe jovem, por razões que me competem a mim. Quero uma vida fora da confusão. Gosto de coisas simples. Mas a minha área e vida é complicada demais para concretizar tudo o que quero. A única coisa boa e concretizável, no fundo, é que sei muito bem o que não quero nem permito na minha vida. E para isso não preciso de dinheiro, vá lá.

      Mira

      Eliminar
  29. Há pessoas muito porcas de língua.

    ResponderEliminar
  30. Olá S*, apesar de já te ler há imenso tempo é a primeira vez que comento. Isto em parte porque só recentemente me decidi a criar um blog. Não sei que género de casamento tu idealizas mas pelo que percebi não é nada por aí além, tipo com 200 pessoas, certo? Bom, eu e o meu marido pensámos casar e organizámos tudo em cerca de 6 meses (viviamos juntos há mais de 4 anos e fazia sentido). Como não queria gastar o que tinha e não tinha num grande casamento e não quisemos "paitrocínios" (achamos que já fizeram muito mais do que lhes competia), resolvemos fazer uma lista restrita com a família mais chegada e meia dúzia de amigos (cerca de 40 pessoas). O passo seguinte foi contactar quintas. E que absurdo, meu Deus. Chegaram a pedir-nos 100 euros por pessoa para um jantar. Começámos a elaborar planos e concordámos casar a meio da tarde. Falámos com uma Quinta lindíssima que nos decorou uma zona no jardim para casarmos pelo civil (com imensas jarras de flores, uma tenda e uma decoração fantástica), entradas depois da cerimónia + um prato de carne + um prato de peixe + sopa + sobremesas, bebidas, digestivos à descrição por 30 euros por pessoa. O meu casamento foi fantástico e foi sem dúvida o melhor dia da minha vida (muito melhor do que alguma vez tinha imaginado). Toda a gente adorou, tivemos tempo para falar e dar atenção a todos. A única coisa que foi excessivamente cara foram as nossas alianças (cerca de 1200 euros as duas) que fizémos questão. O meu vestido custou menos de 500 euros numa loja em Paris e consegui fazer um casamento Low Cost com muita pinta. Posto isto, peço imensa desculpa pelo testamento, e só te quero dizer que não desistas porque vais conseguir com toda a certeza fazer um casamento à medida das tuas possibilidades e maravilhoso, como todos devem ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      Obrigada pelas dicas. 200 pessoas?? Estava a atirar mais para as CINQUENTA pessoas. A minha família é pequena, a dele também, amigos chegados também tenho poucos. 50 ou 60 pessoas deve ser o suficiente.

      Mas, lá está, mesmo que seja a 50 euros o preço da quinta, por pessoa, já dá um dinheiro considerável.

      Como me disseram algures, é esperar pelo pedido e depois logo se vê. Nem que fique noiva dez anos. ahahah

      Eliminar
    2. Dica extra, S*: casar ao domingo é mais barato do que ao sábado :) Como hoje em dia a maior parte das pessoas se casam ao sábado, são os dias em que as quintas têm mais procura e acabam por ter um preço mais simpático para quem escolhe o domingo.

      Eliminar
    3. Já que vamos nas dicas: Alianças vai directamente a uma fábrica. Aas minhas foram compradas na fábrica do ouro em Milheirós de Poiares (fica aqui um link sobre algumas opiniões: http://onossocasamento.pt/forum/sobre-fabrica-ouro)

      As minhas custaram 480€ quando na loja queriam 1500€ pelas mesmas.

      Eliminar
    4. Exacto, e casar durante a semana ou num feriado é ainda mais barato. Casar no Inverno também fica muitooo mais barato.

      Eliminar
    5. Casar à semana deve ser complicado para os convidados... não?

      Ao Domingo parece-me muito bem. :)

      Essa de ir ao fabricante comprar as alianças é impecável!

      Eliminar
    6. Outra sugestão: set a date ;)
      Um amigo meu pediu a namorada em casamento. Marcaram a data para dali a um ano. E olha que não estavam nas melhores condições financeiras... claro que fizeram um esforço para poupar e dirigir os seus esforços para aquele objectivo comum de realizarem o seu sonho. Não houve jantares fora só "porque sim", idas ao cinema, compras de bijuteria, etc. etc.

      O que há a reter aqui é que, com um ano de antecedência, foi-lhes muito mais fácil gerir a despesa e a organização. Um mês o vestido da noiva (em que primeiro dás um sinal e só depois pagas o restante - como está sujeito a provas e etc., convém ser das primeiras coisas a tratar; uma dica que li aqui algures de comprar vestido da colecção anterior é excelente), outro mês escolher a quinta (mais uma vez, primeiro dás um sinal e depois pagas o restante), noutro mês, o fotógrafo; depois ir tratando dos convites, feitos por ele, mas com papel profissional e impressão profissional - podes tratar tu de comprar o papel e depois levar a algum sítio para imprimir, em casa nunca fica com tanta qualidade, mas pedir a uma gráfica que os crie e os produza é que sai realmente caro; englobaram nos convites um pequeno mapa para a quinta, embora quase toda a gente já tenha gps; noutro mês, o fato do noivo, que tb não precisa de ser pago de uma vez (e pode ser comprado mais em cima da hora que o vestido de noiva), noutro mês os sapatos, noutro mês os acessórios da noiva; mais em cima da data, as lembranças para os convidados; noutro mês tratar da prova de maquilhagem (se puderes faz um workshop, assim escusas de contratar a maquilhadora e ainda ficas com ensinamentos para a vida :p).
      E pronto, em suma é esta a ideia: não fiques à espera de um dia ter, sei lá, 10 000 euros disponíveis para pagar tudo. Vai-se fazendo e pagando, com a grande vantagem de que a maior parte das coisas tem pagamentos faseados. Dar prioridade àquilo de que um casamento realmente exige: vestido, quinta, fato do noivo - porque até de um fotógrafo se pode prescindir se tiveres convidados com jeito para a coisa :)

      Eliminar
  31. Nem vale a pena perder tempo com gente assim....

    ResponderEliminar
  32. Se os dois quisessem mesmo casar não se mudavam agora para uma casa onde têm de pagar renda. Esperavam, amealhavam. Desistiam de saídas, de compras supérfulas. Faziam um sacrificio daqueles mesmos grandes, mas realizavam o grande sonho. Se OS DOIS quisessem mesmo casar .
    Ps.: só faço referencia a informações que costumas transmitir, nada mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, não vale a pena falar do que não sabe. ;)

      Eliminar
    2. Sim, mais vale parar de viver no presente, olhar para o tecto e contar o dinheiro. Como se a vida fosse assim. Toda a gente tem os seus sonhos, que são difíceis de concretizar na sua plenitude, provavelmente implicam já sacrifícios que nem eu nem o anónimo sabemos, nem temos nada que saber. E provavelmente o sonho em si implicará desistir de isto e aquilo, porque nada é perfeito.

      O que importa são os momentos e não faz sentido prescindir deles hoje no presente. O que importa para a S* é, por certo, criar um momento com o seu "sonho" e não abdicar de tudo só para ter uma festa. É assim tão inteligível isto?

      Mira

      Eliminar
  33. Querida ' S "
    Seguir o coração, ou ser assertivo ?
    Beijos, do Brazil.

    ResponderEliminar
  34. Cada um sabe da sua vida, querida S. Não ligues a comentários.
    Se é um sonho teu, luta por ele.

    ResponderEliminar
  35. Olá S*:) Sinceramente não percebi a imensa quantidade de comentários ao teu post anterior. Quando o li achei-o normal e nada polémico. Exprimias um sonho teu, um desejo teu. Não me lembro de ter lido em lugar algum que achavas que toda a gente que vivia em união de facto se devia casar e só depois ter filhos. Essa é a tua vontade e ninguém a não seres tu e o teu parceiro tem nada a ver com isso mas enfim. Preconceito ou não como li algumas pessoas classificarem que já vivendo em união de facto não valia a pena casar ou que desejar ter filhos só depois de casa, para mim, e repito para mim, o casamento no papel faz diferença sim. E só quero ter filhos depois de casar. Já vivi 5 anos em união de facto com uma pessoa antes do meu actual namorado e na hora da separação ele foi muito justo mas o certo é que desde que começamos a morar juntos ajudei-o na empresa dela a triplicar o património e pela lei sairia se mãos a abanar. Como disse não foi o caso pois foi uma separação amigável e ele foi super justo. É uma excelente pessoa e apesar de não termos dado como casal somos bons amigos. E também porque sou uma romântica incorrigível e adorava ter o meu dia vestida de noiva:) A minha mãe engravidou de mim quando ainda namorava o meu pai e eles casaram com a minha mãe num lindo vestido cor-de-rosa com um barrigão de 8 meses. Estiveram casados 35 anos até ao meu pai morrer. Se calhar herdei isso da minha mãe. Ela não queria porque não queria que eu nascesse sem eles serem casados. No fundo estas opções são tão pessoais e íntimas que nem sei porque causam polémica. Cada um sabe de si e desde que não prejudique ninguém, não sei porque se metem…A minha querida avó, que também perdi este ano costumava dizer que achava muito bem esta "modernice" dos casais viverem juntos antes de casaram. Para não irem ao engano…Assim uma espécie de test - drive ahahah. Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim, que sou uma incurável romântica, o casamento faz todo o sentido e mais algum. Tenho mesmo muita pena de não ter a minha avó comigo nesse dia. Mas certamente será o dia que ela desejou para mim.

      Eliminar
  36. Confesso que a caixa de comentários do post em questão mete Me-do!

    ResponderEliminar
  37. Esse é o lado menos simpático da blogosfera. O respeito pela opinião do Outro deve ser respeitada, concorde-se ou não com ela. Podemos trocar impressões, dizer qual a nossa opinião, não mais do que isso.
    Li parte de alguns comentários que, obviamente, me abstenho de classificar.

    Em síntese. Sabes o que te desejo? Que concretizes o teu sonho, que sejas feliz. Tudo o resto? Tudo o resto não interessa nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos pensamos diferente. Algumas vezes a linha que separa o certo e o errado é muito clara... outras vezes é inexistente.

      Eliminar
  38. A "sociedade blogosférica" é apenas e só uma amostra dA Sociedade. Tem ainda a agravante de poder ser pior pela facilidade do anonimato e sabemos que dessa forma as pessoas são muito "frontais" (???) - ou antes dizem e são o que são capazes de assumir cara a cara. Sobre a falsidade, o engano, etc...não será assim muito diferente pois quantas vezes não somos estupidamente surpreendidos por comportamentos de pessoas que conhecemos "bem" ou antes, julgávamos conhecer...

    ResponderEliminar
  39. casamento de sonho. todos têm direito ao seu, sendo que esse sonho pode variar de pessoa para pessoa. se houver possibilidade de escolher tudo antecipadamente, fica mais fácil arranjar opções que podem vir a ser muito bem suportadas por uma bolsa menos vitaminada. eu não fui ler os comentários anteriores, mas a avaliar pelo que aqui fica, deve ter sido duro. beijinho. :)

    ResponderEliminar
  40. Por falar em caixa de comentários as tuas estão sempre cheias :o
    Mas é verdade o que aqui disseste.
    Aliás se pensássemos todos da mesma maneira o mundo seria uma seca, mas em certos aspectos só complica também...

    ResponderEliminar
  41. Li tudo atentamente e gostava de lhe fazer uma pergunta, que obviamente só responderá se assim quiser, porque é que só quer ter filhos depois de estar oficialmente casada?

    Eu entendo perfeitamente o desejo de casar, quer o seu dia de princesa em plena harmonia com a familia unida mas já me custa mais a entender essa posição dos filhos e do casamento e o que deixa transparecer por essa afirmação é que há de facto algum género de preconceito interior completamente inconsciente sobre o assunto filhos fora do casamento.
    Claro que pode ter uma justificação absolutamente válida para essa vontade que nunca tenha mencionado mas se se resumir unicamente a isso mesmo, a uma vontade, eu também estou de acordo que há uma espécie de preconceito e de toda esta celeuma que foi aqui discutida é aquilo que me deixa mais triste, S*. Porque gosto de si e da forma como pensa mas custa-me entender estes pequenos senãos que não deixam a sociedade avançar.

    Bem haja,
    Pássaro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pássaro, por razão nenhuma. Simplesmente porque quero.

      Da mesma forma que quis fazer o mestrado logo a seguir à licenciatura. Da mesma forma que quis viver junta antes de casar. São escolhas. Não têm explicação. São o que são.

      Eliminar
    2. Passaro

      A mim é me indiferente se as pessoas têm filhos antes ou depois de casar .
      E quando li o seu comentario vi preconceito em relação a quem opta por ter filhos só depois de casar. No entanto a Passaro viu automaticamente preconceito na situação oposta.
      Não se esqueça que é essa sua intolerancia que tambem não deixa a sociedade avançar.

      São gostos, aceite.

      Eliminar
  42. Dizes que queres casar e recebes logo 200 comentários com palpites.... este mundo anda maluco, só pode....

    ResponderEliminar
  43. Cada qual sabe da sua vida, cada qual vive a sua vida como entende, o importante é ser feliz e viver os nossos sonhos. Quando leio muito do que li no outro post, fico triste...triste porque pensava que a grande maioria dos portugueses tinha mudado um pouco de mentalidade, que a tolerância fizesse parte de mais dicionários...o que vejo é um monte de gente cheio de preconceitos que fazem lembrar os anos da ditadura. Não falo de todos, mas de alguns. É muito mau...e não acho que seja cheia de modernices, não sou...simplesmente sou pela felicidade de todos desde que ninguém seja prejudicado.
    Continua a sonhar com o teu casamento e realiza-o S, felicidades!

    http://thelusofrenchie.blogspot.pt

    ResponderEliminar