domingo, 2 de fevereiro de 2014

Odiozinho de estimação

Woody Allen na época em que o caso foi inicialmente divulgado
Woody Allen

"Dylan Farrow, filha adotiva de Woody Allen, relatou hoje, numa carta aberta, os supostos abusos sexuais aos sete anos por parte do cineasta, cuja carreira foi recentemente homenageada.

A carta de Farrow, publicada na edição digital do diário 'The New York Times', conta em pormenores o suposto assédio do diretor de 'Manhattan', que terá ocorrido no início dos anos 90 do século passado.


Diz nomeadamente que, quando tinha sete anos, o realizador a levou para o sótão e abusou sexualmente dela, o que, acrescenta, contou à mãe, a atriz Mia Farrow que, na altura, rompeu a relação com o ator e realizador.

O caso foi divulgado em 1993, mas Woody Allen sempre negou as acusações e nunca chegou sequer a ser julgado.

Dylan Farrow não falou do assunto durante muitos anos mas agora, na primeira pessoa, conta a sua versão.

O seu irmão, Ronan, já tinha criticado a homenagem ao cineasta que foi feita na última edição dos "Globos de Ouro" (prémios anuais aos melhores profissionais de cinema e televisão, nos Estados Unidos)." No DN.



Abusa de uma filha adoptiva, casa com outra filha adoptiva. Por estas e por outras me enerva tanto quando as pessoas elogiam o trabalho dele. O trabalho pode ser bom, o homem nitidamente não presta. E escapa impune, como se nada fosse.

60 comentários:

  1. Eu nem do trabalho dele sou especial fã!!

    ResponderEliminar
  2. Ah! Finalmente alguém que também não gosta do Sr!! E eu nem gosto dos filmes assim por aí além!

    ResponderEliminar
  3. Foi pessoa que nunca gostei ! detesto o homem e desde que soube o que ele fez ainda mais ! ser insuportável

    ResponderEliminar
  4. É triste que qualquer dia nem nos admiremos com notícias destas, no entanto acho estranho que Mia Farrow tivesse tido conhecimento do alegado abuso sexual na altura e não tivesse agido judicialmente...ou agiu?... Quem toma como mulher uma filha adoptiva (uma filha adoptiva não deixa de ser filha) não pode mesmo ser grande espingarda...Reles!
    xx

    ResponderEliminar
  5. Tb tenho um odiozinho de estimação por ele. Pode ser um génio e ter um nome mundialmente conhecido em relação ao trabalho, mas não devia escapar impune ao que faz. Doente é a palavra que o caracteriza.

    ResponderEliminar
  6. Gosto de um ou outro filme dele... mas da pessoa nem tanto... agora que li isto, enfim... gente que não presta.

    ResponderEliminar
  7. O homem não é o seu trabalho. Por essa lógica poderíamos colocar em causa todos os grandes escritores, pintores, cientistas, etc. Principalmente cientistas com a sua falta de ética e falta de respeito para com a doença. Nunca se homenageou o woody pelo carácter, tudo o resto é produção. Não é o primeiro cineasta nessa posição, como sabes. Há que separar as águas. Somos pessoas com alguma capacidade de discernimento e a tua última frase é uma contradição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpe, isso não tem cabimento. Uma pessoa indecente na sua vida não deve ser homenageada, por mais genial que seja o seu trabalho. Se um pedófilo for um grande pintor, por exemplo, continua a ser uma pedófilo, um porco imundo. O seu trabalho é irrelevante!

      Eliminar
    2. "Principalmente cientistas com a sua falta de ética e falta de respeito para com a doença."

      Todos os cientistas têm falta de ética e de respeito para com a doença?!

      E já agora agradecia que me explicasse porque podíamos colocar em causa todos os grandes escritores e pintores. Tinham/têm todos mau carácter, é?!

      Eliminar
    3. Claro que não é irrelevente. Ninguém deve ser julgado por aquilo que faz na privacidade, para isso estão as entidades competentes. Nós não somos ninguém para julgar o que alguém faz através dos media. Muito menos quando se trata de alegações tão significativas como essa. Porco imundo? Pedófilia é um distúrbio mental. Se fosse o teu filho a nascer com uma doença mental, não gostarias certamente de o ver atacado dessa forma. Em muitas sociedades não existe pedófilia. Em muitas sociedades a homossexualidade é uma porcaria imunda. O mundo é grande demais para seres tão linear nas análises. Muito menos quando reduzes alguém ao seu pior, certamente não gostarias que alguém te considerasse uma porca imunda porque tens o X defeito. (não precisas dizer que a pedofilia é um defeito muito maior, estou ciente disso.)

      Eliminar
    4. Ah, então está bem. Se um dia a senhora/o senhor tiver um vizinho pedófilo, não o julgue. Cá estarão as autoridades competentes para isso.

      Doença ou não doença, é um nojo. E este senhor, o Woody Allen, já provou que é outro nojo.

      Eliminar
    5. Quando o/a anónimo/a tiver filhos e souber que vizinha ao pé de pedófilos depois venha cá contar ok ? Um pedófilo não merece o respeito de ninguém. se é doente é interná-lo e nunca o deixar mais sair pois é uma doença que não tem cura !

      Eliminar
    6. É por causa de pessoas que pensam como vocês que mulheres e homens são mortos todos os dias. Cada um tem direito ao seu extremismo. Pelos vistos, a classe normativa não consegue sequer hipotetizar que se trata apenas de uma alegação e que sendo verdade, ele será penalizado. Quando tiver filhos, e um pedófilo andar por perto, educá-los-ei como fui educada, porque tive um professor pedófilo e nada me aconteceu por estar educada nesse sentido. O senhor foi preso, nada mais sei sobre ele. Se fosse meu filho e pedófilo, faria o que pudesse para o ajudar, evitando que entrasse em contacto com crianças e informando aqueles que como vocês o achariam um porco imundo. Cada um vive como pode, ninguém quis nascer pedófilo, autista, psicopata, obsessivo compulsivo, depressivo, etc. Nem quiseram ter uma vida que os tornaram em algumas dessas coisas. Todos somos responsáveis pela pedofilia, sociopata, depressão, por isso somos todos porcos imundos.

      Eliminar
    7. "Principalmente cientistas com a sua falta de ética e falta de respeito para com a doença."

      Não sou cientista mas luto por isso. E senti-em insultada com este comentário.

      Eliminar
    8. "Principalmente cientistas com a sua falta de ética e falta de respeito para com a doença."

      Não sou cientista mas luto por isso. E senti-em insultada com este comentário.

      Então é porque nunca leste a história da ciência, principalmente neurologia, ou do nosso querido prémio Nobel Egas Moniz. Além do mais, mesmo se potencial cientista, ainda nada fizeste para que tal te cause sentimentos de qualquer ordem.

      Eliminar
    9. A criatura só diz asneiras. "Todos somos responsáveis pela pedofilia." Ah, tá!

      Semana passada devo ter obrigado um pedófilo a abusar de alguém, é que me devo ter esquecido. Poupe-me!

      Eliminar
    10. Oh anónimo, então e foi buscar os sentimentos contra a ciência em que quadrante da sua vida? É cientista? Creio que não. Tem formação para uma compreensão abrangente do que fala? Que já se fez muita coisa errada, não se discute. Como em todas as classes, é transversal, chama-se evolução, passar de pior para melhor. Corrigir, rectificar, encontrar pontos de melhoria e investir neles. O que devia ter feito era contextualizar o comentário, remetê-lo a uma época. Não vivamos do passado porque eu, ligada à investigação biomédica actual e certa de tudo o que temos feito por pessoas que, como você, desprezam os avanços da medicina, avanços esses que um dia lhe podem salvar a vida (ou a alguém que ame), também me senti ofendida. Tenham calma, a menos que vivam no meio do monte, a comer legumes que cultivam e a curar doenças com chás e sumos de fruta, tenham muita calminha. Ou nunca tomou um medicamento na vida? Se disser que sim, já tomou aspirina? Sabe como foi desenvolvida? Se diz que não, imagine que lhe é diagnosticado um cancro. Trata ou espera tranquilamente que ele a consuma. Enfim, já me alonguei demais e o assunto nem era este. S*, desculpa o testamento mas não pude ficar indiferente.

      Eliminar
    11. Por mais que eu concorde com as críticas, não publico comentários que insultem comentadores...

      Eliminar
    12. A violência doméstica é um crime público, pode e deve ser denunciado, mesmo que se passe na "privacidade" de cada um. A pedofilia acho que também é crime público. Também pode e deve ser denunciada.

      Eliminar
    13. Lara, o comentário não faz sentido nenhum... Por isso, o melhor mesmo é nem tentar perceber. ;)

      Eliminar
    14. Lara, precisamente por estar ligada à investigação na ciência é que teci o comentário. Obviamente que não leu o meu comentário com a atenção devida, já que todo o seu discurso discorreu emoção e nada de racionalizada. Deve trabalhar num meio muito linear da ciência para considerar que tudo são benesses bondosas que os nossos queridos colegas produzem. Estamos demasiado condicionados monetária e socialmente para sermos boas pessoas. Além do mais, detenha lá o seu egocentrismo de classes porque mesmo que não fosse ligada à ciência poderia saber tanto ou mais sobre o desenvolvimento científico. Devia ser menos emocional para cientista.

      Eliminar
    15. Anónimo, antes de mais, parece-me que para alguém ligado à investigação, está muito desactualizado, a começar pelo exemplo que deu anteriormente. Os cortes que se sofrem na ciência são muitos, mas não são sinónimo de investigação de má qualidade, são sinónimo de menos investigação, isso sim, porque há, de facto, menos verba para a financiar. E sim, sou muito emotiva quando falo de ciência porque gosto muito do que faço e não se pode adorar uma profissão com a razão, percebe? Mais lhe digo que para ser cientista/investigador não tem de ser apenas racional e desprezar a emoção, tenha juízo. Permita-me aconselhá-lo a mudar de profissão, claramente a que executa não o satisfaz e eu preferia lamber o chão a exercer funções nas quais não acredito, principalmente numa área como esta que precisa tanto de pessoas com vocação. Repare que eu defendo a minha área, a investigação biomédica, é a que conheço como a palma das mãos. Não tenho a pretensão de saber melhor de jornalismo do que um jornalista, de medicina que um médico, ou de mecânica mais que um mecânico. Cada macaco no seu galho. O anónimo pode aprender a história da ciência, o que se fez ou se vai fazendo, pode ler o que lhe apetecer mas faltar-lhe-ia sempre meter as mãos na massa, não seja arrogante, jamais saberá tanto como quem dedica a vida a isto ou a outra coisa qualquer. Eu li com muita atenção, ou só se estivesse desatenta é que podia ser emotiva? Para cientista devo ser sempre emocional, devo ter sempre paciência para responder a pessoas como o senhor e devo ter esperança que sejam só alminhas mal informadas ou frustradas, na profissão errada. Devo ser racional na execução das tarefas, no tratamento de dados, no planeamento de experiências, etc. Mas devo ser emocional nas conquistas, na transmissão do conhecimento e na troca de ideias, sim. Não há só boas pessoas na ciência, como não há só boas pessoas em nicho nenhum, mas o que se faz de bom suplanta, e muito, o que não corre bem e, enquanto assim for, estarei ligada a esta área. Quando chegar a um ponto de desesperança como me parece o seu, dedico-me a outra coisa, tenho mais talentos. Sabe, há quem seja feliz com o que faz e se sinta realizado, há quem acredite no que faz, quem veja frutos da sua dedicação, quem prefira sempre concentrar-se no que é bom, ainda que reconhecendo que nem tudo são rosas. E depois há os outros. Um grande bem-haja.

      Eliminar
  8. http://www.thedailybeast.com/articles/2014/01/27/the-woody-allen-allegations-not-so-fast.html
    Sim, porque tudo o que vem nas notícias é verdadeiro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um facto que ele casou com a filha adoptiva de uma das ex-mulheres. Uma miúda que ele viu crescer. ;)

      Eliminar
    2. Está bem, s*, ele casou com ela mas ela também casou com ele. Ninguém foi obrgado a nada (nesse caso. No da abusada é obviamente incomparável.)

      Eliminar
    3. Anónimo das 21.22h, por acaso, a psicologia explica bem isso - chama-se síndrome de Estocolmo.

      Eliminar
    4. S* se te desses ao trabalho de ler o artigo - eu sei, é bastante longo, é mais fácil ler o resumo já com conclusões no correio da manhã e comer sem questionar, mas pronto, eu ajudo - ficavas a saber que:

      Relativamente à sua mulher de há 16 anos:

      1 - Ele nunca foi casado com Mia Farrow nem nunca viveu com ela, e nem nunca dormiu em casa dela

      2 - Soon-Yi não era filha adoptiva dele, era filha adoptiva de Mia Farrow com outro homem, Andre Previn (de quem tem o apelido)

      3 - W.A não a viu crescer, não conviveu com ela praticamente até cerca dos seus 18/19 anos.

      4 - envolveram-se quando ela tinha 19 ou 21 anos

      (ok, podes sempre dizer que te faz confusão, mas não há crime nem o homem andou a cobiçar uma "criança que viu crescer")

      Quanto ao suposto abuso:

      1- depois de 6 meses de investigações por uma equipa médica concluiu-se que não houve abuso.

      (Mia’s allegations of molestation automatically triggered a criminal investigation by the Connecticut State Police, who brought in an investigative team from the Yale-New Haven Hospital, whose six-month long inquiry (which included medical examinations) concluded that Dylan had not been molested)

      2 - Não houve quaisquer indícios físicos de lesões genitais que confirmem a alegação.

      ( On the stand, Allen’s attorney asked Mia about the second doctor’s findings: “There was no evidence of injury to the anal or vaginal area, is that correct?” Farrow answered, “Yes.”)

      3 - o filme com as acusações tem vários cortes

      (As for the evidentiary videotape of young Dylan’s claims, it’s been noted that there were several starts and stops in the recording, essentially creating in-camera “edits” to the young girl’s commentary. This raises questions as to what was happening when the tape wasn’t running. Was Mia “coaching” her daughter off-camera, as suggested by the investigators?)

      4- a equipa de psicólogos/psiquiatras que avaliou a situação na altura notou vários indícios de encenação do discursos e várias incoerências

      (Leventhal further swears Dylan’s statements at the hospital contradicted each other as well as the story she told on the videotape. “Those were not minor inconsistencies. She told us initially that she hadn’t been touched in the vaginal area, and she then told us that she had, then she told us that she hadn’t.” )

      5 - uma ama testemunhou dizendo que foi pressionada por Farrow para confirmar o abuso, revelando ainda uma conversa com outra ama que diz nunca ter tirado os olhos da vitima mais de 5 minutos

      (former nanny Monica Thompson (whose salary was paid by Allen, since three of the brood were also his) swore in a deposition to Allen’s attorneys that she was pressured by Farrow to support the molestation charges, and the pressure led her to resign her position. Thompson had this to say about the videotape: ““I know that the tape was made over the course of at least two and perhaps three days. I recall Ms. Farrow saying to Dylan at that time, ‘Dylan, what did daddy do… and what did he do next?’ Dylan appeared not to be interested, and Ms. Farrow would stop taping for a while and then continue.”

      Thompson further revealed a conversation she had with Kristie Groteke, another nanny. “She told me that she felt guilty allowing Ms. Farrow to say those things about Mr. Allen. (Groteke) said the day Mr. Allen spent with the kids, she did not have Dylan out of her sight for longer than five minutes. She did not remember Dylan being without her underwear.”)

      6 - Mia Farrow recusou-se a fazer o teste do polígrafo (Woody Allen fez e passou)

      (why Mia wouldn't take a lie detector test. (Woody took one and passed.))

      Eliminar
    5. 7 - um outro filho adoptivo de Mia Farrow confirma a "lavagem cerebral" contra Woody

      (Moses Farrow [...] has been estranged from Mia for several years. During a recent conversation, he spoke of “finally seeing the reality” of Frog Hollow and used the term “brainwashing” without hesitation. He recently reestablished contact with Allen and is currently enjoying a renewed relationship with him and Soon-Yi.)

      8 - Soon-Yi e W.A. adoptaram duas crianças depois de passarem o moroso e rigoroso processo de adopção

      (Anyone who has adopted is familiar with the vetting process conducted by social workers and licensed government agencies charged with looking out for the child’s welfare. Suffice it to say, the case of Woody and Soon-Yi was no exception, especially considering the highly-publicized events of 1992-93. Both adoptions, in two different states, were thoroughly reviewed by state court judges who found no reason why Woody and his wife shouldn’t be allowed to adopt. )

      9 - Mia Farrow criticou a homenagem dizendo que mostrava desprezo pelas vítimas de abuso "“A woman has publicly detailed Woody Allen’s molestation of her at age 7. GoldenGlobe tribute showed contempt for her & all abuse survivors.” mas autorizou que a sua imagem fosse utilizada nessa mesma homenagem

      (Mia willfully participated in the festivities by expressly agreeing to the use of her clip, when she had every opportunity to decline.)

      10 - Apesar das acusações públicas a WA e da preocupação com as vítimas de abusos, Mia não fala no irmãe condenado a 10 anos de cadeia por abuso de crianças e é amiga pessoal de Polanski, que confessou e foi condenado por dormir com uma rapariga de 13 anos - weird, hã?

      ( [...]the recent 10-year jail sentence received by her brother, John Charles Villiers-Farrow, for multiple counts of child molestation—a topic she’s been unusually quiet about, considering her penchant for calling out alleged (let alone, convicted) molesters to whom she’s exposed her children.)

      (One of the witnesses who testified on Polanski’s behalf was Mia Farrow, who, I’m told, remains friendly with the director to this day. I commend her for standing by her friend and going on record as a character witness. That’s what friends do. In fact, her support of Polanski is so steadfast that when he won the Oscar for best director for his 2002 masterpiece, The Pianist, Mia never even suggested that the Motion Picture Academy showed contempt for all abuse survivors in so honoring him.)


      Portanto, resumindo e baralhando, esta história tem mais buracos que um queijo suíço e ninguem sabe o suficiente para fazer julgamentos em praça pública quando todos os indícios apontam para que o abuso não tenha acontecido.

      Há uma vítima sim, que acredita que aconteceu, seja porque realmente aconteceu, ou se convenceu que aconteceu ou porque foi convencida disso numa altura de guerra aberta contra WA que era visto como um vilão - existem vários casos de falsas memórias relatados (http://en.wikipedia.org/wiki/False_memory_syndrome).

      Eliminar
    6. Luna, quando existem indícios de ambos os lados, acho que cada um acaba por acreditar no que quer. Obviamente que me podes apresentar esses argumentos, mas também podes acreditar na palavra da rapariga que foi abusada (e, infelizmente, nem todos os abusos deixam indícios físicos). Eu admito a minha implicância com o senhor, pelo que não acredito na inocência dele. Acho demasiado estranho ser tudo uma cabala contra ele... mas pode ser. Também pode é não ser.

      Eliminar
    7. S* repara: eu não sei se ele é culpado ou não. Apenas vejo os buracos da história e não me apresso a julgar. É tudo muito estranho. E atenção, eu não culpo a vítima - que o é, porque acredita que aquilo aconteceu, seja porque de facto aconteceu, ou porque lhe foi incutida essa ideia. Só não sei se é vítima dele (o pai), ou de uma vingança dela (a mãe). De qualquer forma ambas as hipóteses são abjectas para a rapariga - se ele abusou dela é terrível, se a mãe a convenceu de que foi abusada é ainda mais maquiavélico.

      Eliminar
    8. Luna, no que toca a pedofilia talvez julgue sempre demasiado rápido. Acredito que pedófilos não têm solução e não fazem falta ao mundo. Era "raça" a exterminar. Talvez por isso, desde que conheci as acusações, tenho um odiozinho de estimação pelo Woody Allen. Se tudo for mentira, é coisa de mulher muito maluca e desequilibrada. Mas a dúvida, essa é eterna...

      Eliminar
  9. When there's smoke, there's fire.
    É impossivel isto ser coincidência.

    ResponderEliminar
  10. Também tenho lido sobre a polémica e li que a mulher actual do WA não era filha adoptiva dele, era filha adoptiva da companheira da altura (Mia Farrow). Ainda assim é estranho, mas não tão mau como está implicado no post. A queixosa (Dylan Farrow) era sim filha adoptiva dos 2. A notícia do DN diz que foram as queixas de abuso que motivaram o fim da relação de Mia Farrow e WA, mas também li que o que motivou a separação foi a relação de WA com a actual mulher (que não sei que idade tinha na altura, na wiki diz q teria cerca de 19).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não interessa se era filha adoptiva da Mia Farrow. Era filha adoptiva da mulher com quem o senhor estava casado. Uma miúda!!

      Eliminar
    2. Não interessa?...ok. Outra coisa que dás a entender nesta resposta e não é verdade: eles (woody-mia) nunca foram casados, mantinham uma relação, sim, mas segundo o artigo que o anónimo de cima linkou não viviam sequer juntos, e quando a relação Woody-Mia começou já a filha adoptiva hoje mulher de Woody Allen era já adolescente. Por isso ele não a viu crescer, nem era nenhuma espécie de figura paternal para ela, era apenas o namorado da mãe e pelos vistos pouco conviveu com a "miuda", sendo que quando começaram a conviver, teria ela 18, 19 anos envolveram-se e estão juntos até hoje. A mim também me faz confusão mas hey, a mulher não se queixa e ela está com ele porque quer. Também vi outro dia no 5 para a meia noite que a namorada do Carlos Areias tem 21 anos e ele tem 70 e tal...e começaram a namorar quando ela tinha 16 anos...mas se eles gostam, deixai os ser felizes.

      Eliminar
    3. Valha-me Deus, mas você acha normal o senhor VIVER COM UMA MULHER e olhar com OLHOS DE DESEJO para a MIÚDA que é filha adoptiva dessa mulher? Se acha, eu não acho. Acho nojento e desprezível. Se não concorda, tem direito à sua opinião.

      Eliminar
    4. Não deves ter lido a parte em ambos os comentários em que eu disse que é estranho e que me faz confusão (a minha versão de nojento e desprezível, se nesta linguagem entenderes melhor, então siga). Vim aqui apenas desmistificar 2 erros que escreveste sobre a relação do Woody Allen com a mulher: 1º ela não era filha adoptiva dele; 2º já era adolescente quando a conheceu e não tinha o tipo de convivência clássico que um namorado de mãe (ainda que adoptiva mas ainda assim mãe) que estás a querer atribuir-lhe. Acrescento um 3º ponto, porque também não deves ter lido no comentário anterior: o Woody Allen nunca viveu com a Mia Farrow. Mantinham uma relação mas não viviam juntos.

      Eliminar
    5. A S* faz uma leitura muito selectiva daquilo que lhe dá jeito.

      Eliminar
  11. Sinto exatamente o mesmo quando falam do Micheel Jackson

    ResponderEliminar
  12. Como é possível isto acontecer numa América puritana e conservadora?
    Oh my god! eheheh

    ResponderEliminar
  13. Nunca gostei dele como pessoa, é daquelas pessoas que me causam repulsa!!

    ResponderEliminar
  14. Não sabes distinguir o homem da obra e isso é completamente ridículo. Por essa ordem de ideias, ninguém poderia ver o seu trabalho homenageado sem uma investigação prévia detalhada à sua vida pessoal. Por essa ordem de ideias não poderíamos apreciar a obra do Polanski, Michael Jackson, do Picasso...(assim só de repente os que me vêm à cabeça).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso, o Michael Jackson, dá-me nojo a ideia de haverem pessoas a deixarem os seus filhos a dormirem com ele, a levá-lo à "terra do nunca" para passar a noite na mesma cama... ouçam lá as musiquinhas dele à vontade mas não era eu que metia o meu filho na cama com um pedófilo que pagou para calar a boca a quem abusou sexualmente... se não sentem nojo dos pedófilos..bem, explica porque muitos foram abusados e molestados e têm sempre medo em denunciar. Na volta ainda vão dizer que a culpa é da criança...

      Eliminar
    2. Nunca ficou provado NADA contra ele. E que tipo de pai ou mãe aceitaria dinheiro se o filho realmente tivesse sido molestado? Essa é mais uma coisa que me faz crer que era tudo extorsão. E ele não queria pagar, segundo o biografo, os consultores é que o pressionaram a pagar o que o pai do garoto estava pedindo para acabar logo com o estardalhaço que a mídia estava fazendo, e não ter a carreira mais prejudicada. E logo após Michael Jackson morrer em 2009, o garoto que hoje é um homem foi até a mídia e disse finalmente nunca ter sido abusado por ele, mas sim que apenas falou o que o pai o instruiu a falar. Já o pai do garoto se matou pouco depois da morte do cantor. Será que foi coincidência? Eu penso que foi consciência pesada. O outro caso de 2005 ficou PROVADO por A mais B que ele era inocente, e a mãe do garoto em questão já havia se envolvido em um processo onde mentiu ter sido agredida e fez os filhos mentirem para tentar extorquir dinheiro de uma loja americana. Um homem com tanta fama e dinheiro não poderia passar a vida sem ter inúmeros abutres pelo caminho querendo dinheiro fácil. Vá procurar se informar antes de sair acusando sem saber da missa a metade. Santa ignorância!

      Eliminar
    3. Anda mal informado, o suposto "abusado" pelo Michael Jackson, depois da morte dele veio assumir que tinha sido tudo mentira para lhe sacar dinheiro, coagido pelo pai.

      Eliminar
  15. Não gosto de julgar as pessoas em praça pública, especialmente quando não há condenação. E mesmo no caso em que há, como no do Roman Polanski, é difícil rejeitar a obra. Já agora, sobre falsas acusações de pedofilia, é ver um dos nomeados a melhor filme estrangeiro e, mais antigo, o Capturing the Friedmans. Já embirrações é que é difícil de ultrapassar...

    ResponderEliminar
  16. Eu neste caso penso sempre se sera verdade...é que ate se prove toda a gente é inocente mas lá que é estranho é :s Nunca mais vou olhar pra ele com os mesmos olhos :S

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  17. Pessoas famosas raramente lhes acontece alguma coisa!

    ResponderEliminar
  18. Adoro-o como cineasta. Mas realmente, algo nele soa a doente.

    ResponderEliminar
  19. É, pois me parece que há muita mais sobre ele que não sabemos. Acredito que muitas pessoas tidas como ilustres tem vida cretina.

    ResponderEliminar
  20. A ser verdade esta história - que, sinceramente, até acredito que seja! -, como pessoa não presta, mas de facto não consigo não gostar do trabalho dele só por não ser uma boa pessoa... Não é o primeiro "famoso" que se revela uma pessoa detestável, que se vem a saber ter comportamentos totalmente inapropriados e censuráveis, nem certamente será o último. Para além disso acredito que, para além daqueles em que as situações vêm a público haverá os outros, cujas histórias nunca saberemos. Nós conhecemos o trabalho deles. Não os conhecemos como pessoas...

    ResponderEliminar
  21. Oh, S, entao! Uma coisa é a obra, outra coisa é o homem. Nós só conhecemos a obra,e a essa podemos julgar, mas não sabemos o que se passa ao certo na vida do homem. E ainda que soubessemos, existem tribunais para isso. O que devia acontecer era o senhor ser premiado e, a provar-se a verdade das acusações, ser preso. Tão simples quanto isso.

    ResponderEliminar
  22. Não gosto dele, não sei porque mas o ar que tem não me inspira grande confiança, no entanto, aprecio bastante os seus filmes.

    ResponderEliminar
  23. Eu adoro os filmes dele, a vida particular dele é uma coisa, as obras são outras. Considero-o um génio do cinema, acho que os prémios que ganhou são bem merecidos, quanto aos filhos, a ter existido, foi a justiça que falhou, pode ser um ser humano execrável mas o público gosta das suas obras e não da pessoa, são coisas completamente diferentes, até porque nunca chegamos a conhecer bem quem nos rodeia, quanto mais quem admiramos profissionalmente....
    beijinhos

    ResponderEliminar