quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Uma questão de Ego

De vez em quando, cá no blogue, recebo comentários do género "achas-te mesmo boa", "tens um ego enorme", e preciosidades do género.

Não, não me acho mesmo boa. Não, não sou perfeita. Tenho até muitos defeitos, físicos e de carácter. Nem faço uma lista, para não vos cansar os olhos de tanto terem de ler.

No entanto, já lá vai o tempo em que olhava para mim como um patinho feio e sentia pena de mim. Já lá vai o tempo em que estava permanentemente em dieta, porque sentia que mais magra seria mais feliz. Já lá vai o tempo em que queria mudar isto ou aquilo em mim, à força toda. Se milagres acontecessem, mudava já - de imediato - duas ou três coisas. Mas essas coisas não me chateiam. Mudava porque mudava, não porque me fizessem mais feliz.

Sim, gosto muito de mim. Sim, aprendi a gostar daquilo que vejo ao espelho. Sim, tenho orgulho de mim enquanto pessoa.

Portanto, não se ofendam, mas gosto imenso de mim. 

136 comentários:

  1. Bom dia flor!
    Ainda há pessoal a dizer isso? ...LOOOL tenho pena é dessas pessoas que não conseguem "suportar" a felicidade dos outros e andam sempre com o nariz nos nossos blogues!

    Adorei o teu texto! É isso - chega-se a uma altura em que aprendemos que o que nos faz são coisas diferentes de vestir um 34! :P

    ResponderEliminar
  2. E fazes muito bem em gostar de ti, com as qualidades e defeitos que tens.
    Acredito plenamente que só quando atingimos esse ponto é que podemos olhar em volta e ver (e gostar) efectivamente os outros. Até esse momento vivemos de ilusões!

    ResponderEliminar
  3. e se tu não gostares quem gostará?! :) és uma pessoa positiva...gosto disso :D

    ResponderEliminar
  4. Eu que ja te conheço, estás óptima.... és uma simpatia e com um sorriso enorme :) beijinhoooo

    ResponderEliminar
  5. Eu gosto muito deste post!
    Penso exactamente assim...

    ResponderEliminar
  6. Estás numa fase em que te sentes cheia de ti própria. É natural, ainda tens muito para amadurecer. Aprendes a gostar de ti quando já não sentires necessidade de te explicar, mas isso vem com os anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto não é uma explicação, é uma afirmação.

      Eliminar
    2. Falava no geral, pelo que escreves aqui continuamente, não particularizando este post...

      Eliminar
    3. Tanto tem necessidade de se explicar, que acabou de o fazer. E quando criticam a sua roupa, porque dá explicações? Como diz, se gostam ou não, não lhes diz respeito. Mas continua a dar resposta a quem critica por puro prazer. Pense!

      Eliminar
    4. "Aprendes a gostar de ti quando já não sentires necessidade de te explicar". Certeiro. É exactamente isso, independentemente do que se queira chamar, afirmação, explicação, wtv. Sempre que alguém é pertinente num comentário, a S* ou implica com algum termo, ou limita-se a justificar pela negativa. Acho mesmo, honestamente, que isto parece mais uma daquelas situações em que nos queremos convencer a nós e aos outros. O que é de dentro, transparece. Não carece de ser apregoado.

      Eliminar
    5. Gostei muito deste post, mas também gostei do comentário. Do post é fácil de perceber, por isso do comentário gostei porque provêm de alguém educado. Alguém que lê o blog e acha quem o escreve uma menina, com a maturidade normal para a idade e experiência de vida. Alguém, imagino que com mais de 25 anos, que se apercebe que há muito ainda para amadurecer e polir. Que lê este post, percebe a mensagem mas que discorda. Não do fundo do post - gostarmos de nós tanto, mas tanto que só importa estarmos bem connosco sem sobrevalorizar a opinião e o julgamento alheio - mas da conclusão - a autora gostar mesmo de si, desvalorizando a opinião dos outros -, argumentando que este post prova isso mesmo.

      Antes de mais, discordo ;) Penso desta forma: a S* leu o comentário, pensou: "oh oh, grande abalo! as pessoas são tramadas! pfff", a S*pensa um pouco da maldade de algumas pessoas e tem um blog e lá escreveu qualquer coisa sobre o tema. Acima de tudo acho que as pessoas gostam de ler este género de post quer o autor seja honesto quer não. A mim parece-me que sim. Tal como ela disse, parece-me uma afirmação.

      Aos demais: se deixam um comentário num blog, não gostam de os ver respondidos, principalmente se quiseram efectivamente passar uma ideia? Quando conversam com alguém e lhes dizem o mesmo que dizem à S* aqui (ah já sei, na cara não dizem nada, que costuma ser cobardolas), as pessoas ficam em silêncio, impávidas e serenas, como se nada tivessem dito? Eu não respondo só ao que perguntam directamente, àquilo que termina com um "?"!! Não é o mesmo que dar explicações, é ter um blog para interagir com os seus leitores e fazê-lo.

      Eu não sei se é verdade que a S* sente aquilo que escreveu, parece-me que sim, mas só. O comentário do Anónimo de 16.1.14, 14h52 não não me parece estúpido. Acho que às vezes sentimos necessidade de nos convencermos de algo.

      Eliminar
    6. Mel, o post era uma afirmação, não uma justificação ou uma resposta. Ou melhor, acabava por ser uma resposta a "n" comentários que recebo, do género "tens um ego enorme", como se ter auto-estima fosse uma coisa má. Claro que não é. Toda a gente deve gostar de si, independentemente dos defeitos. Isso não é arrogância ou prepotência. Eu sei reconhecer, por exemplo, que sou muito mandona com o meu namorado, que sou demasiado mansa para quem me faz mal, e que não sou corajosa o suficiente para encarar alguns problemas. Também reconheço que, fisicamente, duas ou três coisas gostaria de mudar em mim.

      Mas e quê? Consigo amar-me mesmo com os defeitos. Consigo olhar ao espelho e sentir-me confiante, mesmo com as gorduras aqui e ali. Consigo gostar do meu carácter, mesmo sendo demasiado mansa na maior parte das situações. Tenho defeitos, pois tenho. Mas gosto de mim. E gostar de mim é uma virtude, uma coisa muito boa. Estou cansada de notar que parece ser algo tabu dizer "eu gosto de mim". Pois olhem, eu gosto!

      E quando me picam, sinto vontade de responder. Ninguém gosta de se sentir atacado. Posso, algumas vezes, fazer pagar o justo pelo pecador, porque já tenho demasiado calo no que toca ao insulto blogosférico.

      Eliminar
    7. Só acho bem! E acho que as pessoas deviam treinar esse amor próprio!

      Eliminar
    8. Opah se és gorda - não sei se és- e gostas ng tem nada que ver com isso. As pessoas são chatas.

      Eliminar
  7. 'Se eu não gostar de mim, quem gostará?'
    Concordo plenamente contigo, esse é o primeiro passo mas estarmos felizes ! Sim ter um ego muitooooo grande faz bem à alma :P

    ResponderEliminar
  8. Eu bem gostava de ter um pouco mais de outo estima.
    Quem sabe um dia chegue lá.
    Bom dia

    ResponderEliminar
  9. fazes tu muito bem querida. Ignora esses comentários, alias comentários assim so nos deixam mais fortes:)

    ResponderEliminar
  10. E o mais importante é mesmo gostarmos de nós :)

    ResponderEliminar
  11. Quem me dera ser um bocadinho assim...esse é o primeiro passo para seres uma pessoa mais feliz:) e quem se ofende com a felicidade dos outros não bete bem do juízo!

    jinhoooossssss

    ResponderEliminar
  12. Costumo dizer: "cada um é como cada qual" e pronto...quem gosta gosta, quem não gosta come menos ;) Beijinhos!

    ResponderEliminar
  13. Para sermos verdadeiramente felizes, só precisamos de agradar a nós próprios, e não a gregos e troianos...!

    ResponderEliminar
  14. E acho muito bem que gostes muito de ti...o resto vai com o vento.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Nunca se conseguirá agradar a todos, por isso o importante é que sejas fiel a ti própria. O teu blog deve espelhar a pessoa que és. Quem gosta, lê. Quem não gosta, pode escolher entre os milhares e milhares de blogs disponíveis...

    E se gostas de ti, é uma batalha ganha! :)

    ResponderEliminar
  16. A única coisa que importa é que tu gostes de ti :) A vida é bem mais fácil se nos aceitarmos tal e qual como nós somos.

    ResponderEliminar
  17. Se não gostarmos de nós, quem gostará? Acho muito bem que gostes de ti e essas pessoas é porque não gostam delas próprias.

    :)

    Beijinho
    Andrea

    http://por-ca-e-por-la.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  18. Numa forma generalizada entendo o que queres passar. Contudo, parei nesta parte : "Se milagres acontecessem, mudava já - de imediato - duas ou três coisas. Mas essas coisas não me chateiam. Mudava porque mudava, não porque me fizessem mais feliz." - Quando queremos mudar algo em nós, quando ponderamos tal coisa, é porque de facto nos incomoda o que vemos ao espelho. E, só esse sintoma, já quer dizer tanta coisa...

    No entanto, independentemente de tudo, sem dúvida, temos que gostar primeiro de nós. Porque senão, como podemos gostar, estar bem com os demais, certo? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essência, considero que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. O facto de vermos os nossos defeitos não nos impede de gostarmos de nós. :)

      Eliminar
    2. Oh S*,

      "Mas essas coisas não me chateiam. Mudava porque mudava, não porque me fizessem mais feliz." Mas mudavas na mesma, na hora? Que sentido é que isso faz? Se não incomoda, se o resultado não te faria mais feliz, mudavas por alminha de quem?

      É só bluff.

      Eliminar
    3. Eu mudava os meus dentes tortos. Sou feliz na mesma com eles. Não vou ser mais feliz por ter dentes direitos mas mudava-os, gostava disso. Onde está o bluff?

      Eliminar
    4. (creio que o comentário anterior não foi submetido)

      Conto de fadas, repara que a frase "É só bluff" até está num parágrafo diferente, era referente ao post em geral, à sensação com que fiquei quando o li e um remate. Mas, pegando no que disseste, ninguém muda uma coisa com a qual está feliz e cuja mudança não altere nada. Mudamos o que nos descontenta, o que nos inquieta, a mudança é fruto de uma necessidade, e quando estamos bem e contentes com o que temos, não temos necessidade de o mudar. Isto parece-me, honestamente, mesmo muito básico.

      Acho que, tanto a S* com o post, como tu com este comentário, transmitem o contrário do que gostariam: insegurança. E continuo a achar que o nosso bem-estar, amor próprio e felicidade transparecem, não precisam ser afirmados. A menos que nos perguntem.

      Eliminar
    5. Anónimo, não entendo mesmo esse seu raciocínio. Gosto de mim no geral, o que não quer dizer que, no particular, não tenha olhos na cara para ver os defeitos que tenho. E, neste caso, fala-se de aspectos físicos. Sentir-me-ia mais bonita, por exemplo, mudando isto ou aquilo. Mas isso não altera minimamente a forma como gosto de mim. É apenas um detalhe!

      Eliminar
    6. S*, o meu 'problema' quer com o teu post quer com o comentário da conto de fadas é o facto de misturarem conceitos. De facto são só detalhes e a felicidade pessoal não deve depender de coisas como uns dentes tortos ou uns valentes quilos a mais. A questão é que querem convencer-nos que mudavam por mudar, até nem incomoda e até são felizes e até nem faz diferença e até nem chateia e nem vos fazia mais felizes, etc e tal. Mas então mudam porquê? Quem é que sente necessidade de mudar coisas com as quais está satisfeita? Juro que não entendo. Se querem mudar é porque não gostam, é porque afecta, é porque provoca insegurança, porque podia ser melhor, e por aí fora. É esse o busílis da questão e foi por aí que comentei. E o facto de achar que quando se afirma muito alguma coisa, quando se apregoa, não vem de dentro, é tentativa de convencer. A si ou aos outros. Só isso.

      Eliminar
    7. Anónima, decididamente ou você não quer entender, ou não me faço entender. NÃO, não seria mais feliz se fosse mais magra. Já agora, não tenho "uns valentes quilos a mais". Sentir-me-ia apenas mais bonita, mais jeitosa, mas isso não faria de mim mais feliz.
      Eu sinto-me bem com o corpo que tenho, caso contrário faria por mudar. Se fosse mais magra, era mais jeitosa, mas não necessariamente mais feliz.

      Olhe, se não concorda... é porque temos visões diferentes da felicidade. Estar mais gorda ou mais magra não me faz mais ou menos feliz. O que me faz feliz é ter uma boa família, um grande amor, e uma vida que me realiza.

      Eliminar
    8. Mas se mudar os dentes, perder peso, deixar de ser mandona, etc, não te faz mais feliz, porque razão gostarias de mudar essas coisas? Para isso mais vale ficar quieta. =S Os anónimos "maldosos" (ponho entre aspas porque me refiro àqueles que simplesmente não pensam como tu e não aqueles que te chamam nomes) também são felizes, e no entanto tu acha-los a todos uns invejosos, ignorantes, etc, etc....Tal como tu não queres mudar (porque isso não te faz mais feliz, embora tenho a ideia que o teu namorado por exemplo seria mais feliz com uma namorada menos mandona, porque é suposto ter uma namorada e não uma mãe), os outros também escusam de mudar.

      Eliminar
    9. Outro anónimo, valha-me Deus, é difícil de me fazer entender.

      PRIMEIRO, eu não mandei ninguém mudar. Quero lá saber dos outros, desde que não me chateiem.

      SEGUNDO, qual foi a parte que não entendeu? Explique-me, por favor, devagarinho, que o meu cérebro não está a atingir. Ser mais jeitosa não faria de mim uma mulher mais feliz. Sendo mais magra, poderia gostar mais de me vez ao espelho, mas isso não traz felicidade. Isso não é a felicidade. Por isso, provavelmente achar-me-ia mais gira mais magra, mas isso não me faria mais feliz. A felicidade não é isso.

      TERCEIRO Quem me insulta não é invejoso, é apenas mal educado e mal formado. E isso é um facto, porque insultar alguém é sinónimo de falta de educação.

      E olhe, se não entendeu agora, não vale a pena continuar a explicar.

      Eliminar
    10. S*, mesmo só mais isto e desisto, eu não pus em causa a felicidade:

      "S*, o meu 'problema' quer com o teu post quer com o comentário da conto de fadas é o facto de misturarem conceitos. De facto são só detalhes e a felicidade pessoal não deve depender de coisas como uns dentes tortos ou uns valentes quilos a mais."

      O que pus em causa foi:

      1) O afirmar da felicidade e bem-estar e amor próprio que, a mim, me pareceu uma tentativa de convencer.
      2) O afirmar que mudavas algo que não chateia, só por mudar, mas nem ficavas mais feliz com isso. Porque simplesmente não estamos a falar de mudar os cortinados lá de casa. Estamos a falar de características pessoais que nos compõem e compõem a nossa felicidade.

      Já agora, não sei quantos quilos tens a mais, foi um exemplo, uma maneira de falar. Se te sentiste afectada ao ponto de centrar a tua resposta toa à volta disso, devo ter tocado algum ponto sensível e peço desculpa por isso. Mas, se nem te incomoda, se gostas do corpo que tens, não dês importância a isso. Nem quando to disserem intencionalmente.

      Eliminar
    11. Para terminar.

      1) Não estou a convencer ninguém. Tenho uma vida feliz.
      2) O meu carácter define a minha felicidade. A minha família, o meu namorado, os meus bichos, ter emprego ou não ter emprego. Isso são coisas que definem a felicidade. Estar loira ou morena, mais gorda ou mais magra, não interfere na minha felicidade. Respeito que interfira na sua, mas pela minha felicidade apenas eu posso falar e ninguém pode dizer se eu era mais ou menos feliz com mais ou menos defeitos físicos, por exemplo. Eu é que sei. Posso-lhe dizer, a título de exemplo, que durante a adolescência tinha uma cisma com uma certa coisa no meu corpo... e hoje em dia nem me lembro de tal coisa. As pessoas mudam. As pessoas são diferentes uma das outras.

      Acha que o meu peso me afecta? Estamos a falar de uns quilos a mais, não considero nada de especial. Se me sentisse feia, fazia dieta. Mas olhe, eu acho-me bonita assim. Não sinto vontade de mudar - mesmo sabendo que gostaria mais de me ver se estivesse mais magra. Mas essas coisas são mesmo assim. Há sempre coisas que poderiam estar mais perfeitas... mas se não são perfeitas, temos de gostar das coisas assim. E eu gosto.

      E agora, boa noite. ***

      Eliminar
    12. Não, não vou explicar bem de-va-ga-ri-nho, porque ainda se põe a dizer que eu a estou a chamar de burra, ou que estou a fazer de propósito para a irritar, ou (pior!) a estou a insultar.;) É que eu fiz questão de dizer que me referia aos anónimos que tinham apenas uma opinião diferente da sua, e não àqueles que a insultavam, mas o seu terceiro ponto vai exactamente bater em quais? Naqueles a quem eu não me estava a referir. ;) Vá-se lá entender...;)
      De qualquer modo, eu espero que seja feliz agora. ;) E sempre. ;) E que continue mandona, irritadíssa e respondona, e tudo o mais que a faz a si feliz e aos outros.;) A única coisa que eu espero que mude é a idade, porque esta traz de facto outra clareza. Mas até lá: seja feliz!!! ;)

      Eliminar
    13. Querida S*
      Tu podes terminar imediatamente com a discussão com esse anónimo chato, chato, chaterrimo para burro, porque ele/a nunca vai cincordar com as tuas explicações, que são mais do que razoáveis e o fito dele/a é chatear-te, se lhe disseres assim:
      Caro/a anónimo/a, apresente-me uma pessoa neste mundo, realizada, feliz e completa, que não mudasse algo em si se pudesse.
      Faz parte da nossa espécie e nunca, mas nunca mesmo, em qualquer circunstância ou condição, o ser humano está completamente realizado. Falta sempre qualquer coisinha mais, que às vezes nem falta e a gente é que pensa que sim.
      Além disso és a menina com a dentição mais perfeita e bonita que já vi, e com o mais lindo sorriso também.
      beijinho pa tu.

      Eliminar
    14. Sheila Carina, tenho de admitir que concordo consigo. Qualquer pessoa, por mais feliz e realizada que seja, mudava sempre algo em si.

      Mas comentários sobre as outras pessoas, no meu blogue, não aceito, está bem? :) Não gosto que o façam comigo, não faço com os outros. Beijo***

      Eliminar
    15. Sheila Carina, mais chato do que um anónimo chato é uma Sheila com dificuldades na interpretação de textos. Ora vá lá ver se não acabou por concordar comigo, (o anónimo, não o 'outro anónimo' já que somos pessoas diferentes). Não há pachorra, honestamente. Se digo que a sensação que fiquei foi que nos está a tentar convencer que é feliz com o corpo que tem e que mudava porque faz diferença sim senhora, é porque estou a dizer que ela me está a tentar convencer que é feliz. Se dou como exemplo uns quilos a mais, brinda-me com um extenso parágrafo acerca do seu peso em específico. eu nunca tive intenção que concordassem comigo, tive intenção de ser entendida na minha opinião, apenas. Mas não se fazem omeletes sem ovos.

      Eliminar
    16. Não me custava responder-lhe, mas não sei se reparou que a S* chamou-me a atenção para não comentar sobre comentadores, por isso calo-me bem caladinha.
      Só é pena a querida S* não utilizar a mesma norma com todos e ter permitido o seu comentário e, assim, ter passado por burra na sua apreciação.

      Eliminar
    17. Sheila, não exagere... ;) Ninguém a ofendeu. Cá no blogue as ofensas são todas para mim. :D

      Eliminar
  19. Eu me amo....e acho que as pessoas tem que se aceitar!
    Amei o texto ótimo dia!

    Beijoss *-*

    ==> Blog Resenhas da Pâm

    ResponderEliminar
  20. TÂO BOM!!!
    Ri muito: "portanto nao se ofendam, mas gosto imenso de mim".
    É assim mesmo :)
    Sinceramente nunca se vai agradar a todos, e mesmo a uma pessoa que simpatize contigo há coisas que certamente nao gosta, mas desde que uma pessoa esteja bem consigo mesma e respeite os outros.....todo o resto é conversa.

    Gostei de ler isto!!!

    ResponderEliminar
  21. E é assim mesmo que temos de encarar a vida. Temos de gostar primeiro de nós e só depois dos outros, como podemos gostar dos outros se não gostarmos primeiro de nós ?

    A nossa autoestima tem de estar sempre em alma para podermos ser felizes e aproveitar tudo o que esta vida nos dá

    ResponderEliminar
  22. Eu acho bem que gostes de ti como és e que te orgulhes da pessoa que és (no fundo, é o que todos deveríamos fazer). Não acho contudo que tenhas grande abertura de espírito, encarando tudo o que te dizem como uma crítica não construtiva. O gostarmos de nós mesmos não deve impedir-nos de parar dois segundos para tentar perceber qual a razão de ser de algumas coisas que nos dizem (e não somos menos ao admitir que talvez os outros até tenham razão). Não estou a querer de todo entrar em discussão contigo (aliás não pretendo comentar mais) e sei que manterás a tua opinião quanto a este assunto, mas queria dar a minha opinião.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tété, sem ofensa, mas estás a querer implicar e eu não entrar nesses jogos. ;)

      Eliminar
    2. Não, S*, não estou. Não vou a blogs alheios implicar. De qualquer forma, como disse, não pretendo voltar a comentar, pois está visto que a interpretação dada aos meus comentários não é a correcta. O blog é teu, a vida é tua (sem ironias), e acho sinceramente que deves gerir tudo como melhor te convém . Boa sorte para tudo.

      Eliminar
    3. Não me pareceu, de todo, que ela quisesse implicar...."sem ofensa". Não me pareceu. São opiniões, as pessoas são livres, ela foi educada (não me digas que não foi!?!), contida, só não te agradou a opinião, pronto. E pôr um ;) no final do comentário não o torna mais brando...desculpa, mas pareceste-me tu mais desagradável na resposta, embora tenhas todo o direito de manter a tua opinião.
      Aquilo que acabei de fazer também foi uma opinião, gosto de ti, venho aqui muitas vezes, só não concordo com tudo. E estou no meu direito! Não foi, pois, um ataque.Beijinho

      Eliminar
    4. A S* quando não gosta, ou manda á merda ou diz que não quer confusões. Tem blog para mostrar o que come e os trapos que compra e para lhe dizerem que é linda e perfeita. Pffff que seca de miúda.

      Eliminar
    5. Não sendo a conversa comigo, vou meter o bedelho na mesma.

      Eu acho que a Tété tem bastante razão naquilo que diz. Encaras quase todas as críticas como um ataque pessoal e depois, quando a coisa dá para o torto, tens alguma dificuldade em manter a argumentação sem descambar em clichés. A tal questão dos 'smiles' que o anónimo mencionou é uma delas. Não devemos procurar os conflitos, mas também não devemos fugir deles com sorrisos amarelos. Quando nos pomos a jeito ao entrar na arena, devemos assumir que já que lá estamos vamos pegar o touro pelos cornos. "Quem não tem inimigos não é digno de ter amigos”.

      Como é óbvio eu tenho a minha opinião sobre ti (tal como tu terás sobre mim, 'tá claro!). Se ela te deve importar? Nem um bocadinho, para o bem ou para o mal. Nem a minha nem a de ninguém que aqui vem só porque sim e não te conhece de lado nenhum, no entanto, o facto de tu gostares muito de ti não deverá impedir que percebas que se as pessoas dizem que não gostam de determinada fatiota, atitude ou comentário não estão necessariamente a implicar contigo, estão a dar a sua opinião. Há quem o faça com muitos floreados e sorrisinhos, há quem não esteja para isso e diga o que tem a dizer sem pensar em susceptibilidades alheias, já que essas são coisa da cabeça de cada um e variam mais que o tempo.

      Uma coisa é ser maldoso só porque sim, outra bem diferente é não ter a mesma opinião. E aí pode-se discutir e puxar de todos os nossos argumentos; se a outra pessoa tiver um bom poder de encaixe no final ficamos amigos à mesma e vamos beber um copo, ainda que a discussão fique acalorada nalgum momento, se não for possível é porque há algo que não bate certo na relação (seja ela de que tipo for). Para teres uma ideia, de vez em quando os jantares em familia lá por casa vistos de fora parecem a guerra fria e só falta saber quem vai começar a matar primeiro, porque cada um defende o seu ponto de vista com unhas e dentes e há muitos 'não sejas ignorante’ e outras pérolas que tais mas dali a cinco minutos estamos todos a comer tremoços e a descascar amendoins enquanto contamos anedotas porcas. Porque o facto de discutirmos não significa que não respeitamos. E se há lá família que gosta de uma boa discussão é a minha.

      Enfim, baralhando e voltando a dar que isto já vai longo, acho que sim senhora, gostas muito de ti mesma e que te aceitas muito bem como és mas já não aceitas tão bem é o que os outros acham de ti e, por isso, a meu ver, ainda te falta trabalhar bastante o teu poder de encaixe para que tudo se torne mais credível e coerente aos olhos de quem te vê/lê.

      Eliminar
    6. Cláudia, aí está um comentário inteligente e estruturado, em vez da típica crítica que aparece vinda do céu.

      Admito que tens razão em algumas coisas que dizes, nomeadamente sobre o facto de não aceitar bem as críticas. Mas também acho que tem tudo a ver com a forma como se diz. Não sou uma pessoa bruta e não admito que sejam brutos na maneira como falam/escrevem comigo. Ser bruto não é correcto e não podemos dizer que "é feitio". Tudo se pode dizer, desde que se saiba dizer. Há muita gente que não gosta do que eu digo, uso, penso. Dizem-mo e acabou. Agora estar sempre a bater na mesma tecla já soa a tentativa de chatear e isso não gosto nem permito. Depois paga o justo pelo pecador, pois há dias em que uma pessoa fica cansada de tanto insulto ou tentativa de insulto. Também admito que posso algumas vezes responder torto a quem critica sem más intenções... mas é um risco.

      Também não acho que a Cláudia seja a pessoa mais... vá... aberta a nova opiniões... do mundo. Mas não vou chatear-te sempre com essa conversa. E a mim chateiam. E depois eu respondo e não gostam.

      E fico-me por aqui.





      Eliminar
    7. Concordo com o comentário da Cláudia e com o da Tété também.
      Acho que és uma "boa rapariga", mas tens pouco poder de encaixe e reages mesmo mal a críticas. Se és este tipo de pessoa no teu dia-a-dia? Pois, não sei. Mas no blog é essa a imagem que passas.
      Podes gostar de ti, aliás acho que deves fazê-lo, mas não te foques só naquilo que tu vês, naquilo que achas e que acreditas. Por vezes, a opinião dos outros pode levar-nos a melhorar (toda a gente pode melhorar, por mais que goste de si!).
      Sinceramente, acho que este teu "pequeno problema" se deve sobretudo a alguma insegurança e imaturidade, principalmente imaturidade. Mas isso passa, com tempo (ainda és nova) e vontade isso vai suavizar.

      [Ah, e sim comento em anónimo, não porque estou a fazer uma crítica, mas porque não tenho blog e não me apetece escarrapachar aqui o meu mail pessoal. Estou no meu direito.]

      Eliminar
    8. A palavra que procuravas era 'inflexível'. Sim, sou. Se relativamente a trapos, maquiagem e acessórios equiparaveis aceito que me digam que Não percebo nada da poda, no que respeita a ideais/valores/posicoes intelectuais várias a coisa muda de figura. E se eu achar que estou certa não há santo que consiga fazer.me mudar de opinião. Mas é aí que voltamos ao meu comentário anterior, eu posso discutir (e, volto a repetir, se há pessoa que gosta de uma bela discussão essa pessoa sou eu), posso argumentar duramente (sou pessoa pouco dada à bela da emoção) mas no fim, se se tiver mantido o nível de inteligência, seriedade e educação, eu sou a primeira a convidar para tomar o tal copo.
      O facto de terem opiniões diferentes das minhas não os faz meus inimigos, 'encaixo' perfeitamente essa diferença e esse é o ponto principal.

      Eliminar
    9. Ah, só mais uma coisa. Esse ultimo parágrafo da resposta ao comentário da Cláudia era completamente escusado. Sentiste-te um bocadinho atacada e tiveste de espetar a "pontinha da faca". Mais uma vez é tudo uma questão de crescer...

      Eliminar
    10. Anónimo, ora essa, mas eu disse algo de mal à Cláudia? Apenas lhe dei um exemplo. A Cláudia consta da minha lista de blogues, gosto imenso dela, mesmo sabendo que sofre de algum mau feitio - ou inflexibilidade. :P E já discutimos isso, não é novidade para ela. Não vejam maldade onde ela não existe porque em mim não vai encontrar maldade.

      Eliminar
    11. Cláudia, o problema é que recorrentemente tenho os mesmos a criticarem-me. E começa a roçar a implicância. Ou, pelo menos, eu começo a ganhar cisma.

      Acho é que estás a comparar coisas erradas. Se estivermos a discutir política e tivermos opiniões divergentes, amigos à mesma. Mas quando as críticas são sobre mim, sobre o meu carácter, a minha vida, a minha forma de estar, não podem querer que eu fique sorridente a ouvir - ou ler. Especialmente quando as críticas me parecem descabidas e baseadas em meras suposições.

      O meu blogue tem muito daquilo que eu sou. Mas eu sou algo diferente na vida real. Por exemplo, na vida real, nunca responderia a este tipo de comentários. Simplesmente ignorava. Não sou minimamente resmungona na vida real.

      Eliminar
    12. Eu não disse que disse mal da Cláudia, nada disso! Eu disse, e isto é só a minha opinião, que era escusado ter feito o comentário acerca do que acha do feitio dela, mas sendo para dar um exemplo. Mas disse que o fez por maldade, porque é nítido que não foi esse o caso. Disse que o fez por ser infantil (e mais uma vez isto é a minha opinião em relação a si! que a S* pode aceitar ou não.) e isso é totalmente diferente de ser má!
      Só para terminar, acho a inflexibilidade da Cláudia bem diferente da sua, por isso, acho que não há comparação possível.
      Boa noite S*. Desejo-lhe, sinceramente, tudo de bom.

      Eliminar
    13. Mas se o blog só fala da tua "vida" queres que discutamos política nas caixas de comentários?

      Eliminar
    14. Anónimo das 19.17, tenha dó... tente entender o que escrevi.

      Anónimo das 19:14, tem a sua opinião, eu tenho a minha. Tudo de bom para si também. **

      Eliminar
    15. Mas nesses casos de pura maldade e mesqinhes é dar uso ao botão 'apagar' e cortar o tempo de antena. De vez. Vozes de burro não chegam aos céus.
      Se não houver qualquer feedback eles desistem (pelo menos comigo assim foi), que gente dessa não sabe estar no palco sozinha. A menos que te dê gozo o exercício do sarcasmo como muitas vezes me aconteceu, aí é aproveitar cada bocadinho, bem aproveitado.

      P.s. não me senti minimamente melindrada com o teu comentário, ao contrário do que o anônimo sugeriu.

      Eliminar
    16. Cláudia, tens razão. Apago os comentários com insultos óbvios, mas vou deixando passar as alfinetadas mais educadas. Mas são alfinetadas na mesma. No fundo, sou tonta por não apagar e perder tempo a responder.

      Eliminar
    17. Não acho que sejas tonta por aceitares esses comentários se gostas de ti como afirmas. Acho que tens comentadores tão idiotas que até a mim - alheia a tudo isto - dão calores. Eu não publicaria (como talvez o faças em muitas das vezes) esses comentários nem por nada. Tempo de antena a burros e bestas quadradas é que não - cortava-lhes o pio. Mas isto não resolve tudo, Eu vejo que és atacada noutros blogs, enquanto comentadora. E digo atacada porque já me apercebi que puxam assuntos que não têm que ver nem com o post nem com o teu comentário.

      Por isso, não me parece mal que aqui publiques esses comentários e respondas a alguns, se bem que eu publicaria e deixava sem nenhuma resposta.

      Quanto ao primeiro comentário da Cláudia, perfilo da opinião dela. Mas eu também nunca faço comentários negativos sobre a roupa de ninguém e é raro comentar esse género de coisas, por isso diz-me pouco. Só costumo comentar outro género de post. Gosto de discutir, por exemplo, mas é verdade que não entro em grandes debates aqui. Ainda por cima acho sempre que se disser menos positivo, os anónimos vão arranjar as minhas palavras para te caírem em cima.

      Só uma última coisa, a Cláudia não se melindrou com a parte do teu comentário em que lhe apontaste qualquer coisa. Ainda bem, também deve gostar dela ;) Mas confesso que também não me soou bem, acho feio nos apontarem algo e respondermos que a outra pessoa também tem defeitos ou coisas de que não gostamos. E escusado, uma vez que ninguém é perfeito!

      Eliminar
    18. Mel, a Cláudia é das bloggers que mais respeito e julgo que ela deve perceber isso - ou mais ou menos. Apontar-lhe um defeito não foi "apontar-lhe um defeito", foi dar um exemplo. Foi dizer que, mesmo que veja que alguém tem este ou aquele defeito, não vou para lá dizer "olha que tu és isto, olha que tu és aquilo". E a alegada acusação à Cláudia já não é de hoje, já lhe dei essa opinião há uns bons meses. Mas entendo que alguém possa ver o comentário como algo negativo da minha parte... mas não o era.

      Sou como tu. Não digo a alguém que está feia, pirosa, balofa, etc... mesmo que o esteja. Acho escusado. Quem sou eu para dizer essas coisas? Mas lá está, depois aparece sempre quem diga que critico as fatiotas das famosas... como se as famosas lessem aquilo que eu escrevo. É diferente comentar com uma amiga "aquela mulher é mesmo feia" de ir à beira da mulher e dizer-lhe "és mesmo feia!", a propósito de nada. E mesmo que ela me perguntasse a minha opinião, não seria capaz de lhe dizer tal coisa. Mas isso sou eu. Acho escusado magoar gratuitamente as pessoas.

      Eliminar
    19. Acho que há pessoas que não percebe a diferença, ou acham que tem muito mais piada pegar em coisas nada a ver para "pegarem" contigo. Os nervos, senhores, que isso me dá. gente implicativa e maldosa enerva-me. Não quero ser má, mas acho que as senhoras da passadeira vermelha que cá mostraste não devem cá vir :P

      Eliminar
    20. Mel, fico verdadeiramente chocada por imaginar que a Julia Roberts não perde 5 minutos do seu dia a vir ler as minhas baboseiras! Gente implicativa e maldosa... por causa dessas, pagam alguns que criticam sem segundas intenções. :/

      Eliminar
  23. E tens todas as razões para te orgulhares de ti. Se não gostarmos de nós nunca seremos capazes de gostar verdadeiramente de alguém. Infelizmente há pessoas que confundem auto- confiança e o sentimento de sentirmo-nos bem na nossa pele, independentemente das nossas imperfeições, com arrogância e egos doentios.
    Que se danem!
    xx

    ResponderEliminar
  24. Por isso se diz: Se não gostar de mim quem gostará? Sabes o que te digo, as pessoas são invejosas e, provavelmente, gostavam de ter a tua autoconfiança e como não têm, criticam.

    ResponderEliminar
  25. E é assim que se tem de ser! Quem faz comentários desses primeiro é cobarde porque utiliza o anonimato da internet para puder dizer as coisas, e segundo é porque tem uma auto estima baixa. É bom gostar se de nós e nós temos que ser os primeiros a gostar de nós. Se essa etapa falha, é dificil conseguir passar a imagem do que somos realmente aos outros.

    Viva nós! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tantas certezas, Deuses, tantas certezas...

      Eliminar
  26. E assim é que deve de ser; se eu não gostar de mim, quem gostará?
    :)

    ResponderEliminar
  27. Toma e embrulha. Muito bom, é muito importante gostarmos de nós próprios e e nem ligar a esses invejosos...

    ResponderEliminar
  28. É assim mesmo! O importante é gostarmos de nós, com defeitos e tudo. É sinal que conseguimos ver para além das imperfeições. Se assim não fosse ninguém era feliz, já que ninguém é perfeito.

    ResponderEliminar
  29. E assim é que é, não dá para ser de outra maneira, toda a gente tem defeitos, aprender a viver sem lhes ligar é o primeiro passo para sermos mais felizes e melhores seres humanos.
    beijos

    ResponderEliminar
  30. Realmente, a pessoa em questão não aceita opiniões, críticas, como queiram chamar, ainda que construtivas. É bem ceguinha e grossa nesse aspecto. Mas cada um sabe de si.

    ResponderEliminar
  31. Já eu acho-te linda. Eu, que assumidamente adoro as pequenas imperfeições que caracterizam a pessoa aos meus olhos, que gosto de assimetrias e traços vincados, que gosto do que é único e não-padronizado, que gosto do simples e puro ao invés do excêntrico e trendy. E eu, que escolho ver sempre o melhor nas pessoas, acho que és, apesar de todos os defeitos que acho muito bem que tenhas (o perfeito soa-me tããão aborrecido), pura e doce e com uma aura positiva, com uma simplicidade que se reflecte em muito do que dizes e fazes. E fico muito feliz por te sentires feliz com tudo o que és e grata por tudo o que tens. Aliás, acho que é isso que falha a muita gente. Saber estar grata pelo que se tem ajuda muito no modo como encaramos as adversidades. Já disse que te acho linda? ;)

    Mira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mira, infelizmente, há uns dias, não tive a sorte de me cruzar contigo ao vivo. Mas tenho de te dizer isto. És das pessoas mais ternurentas com quem tive o prazer de me cruzar. Encanta-me a maneira absolutamente genuína com que consegues acarinhar uma pessoa, mesmo sem lidares com ela no mundo real. Por favor, tenta manter esse teu espírito. Mereces muita felicidade, porque nitidamente és uma pessoa boa e que gosta de ver os outros felizes.

      Obrigada por tudo.

      Eliminar
    2. Obrigada eu por essas palavras também :) A verdade é que eu luto imenso pela minha felicidade e sou uma pessoa extremamente grata por imensas coisas. E gosto, sim, de acarinhar, apesar de ser contida em afectos. Porque acho que se deve valorizar nos outros o que queremos que se reflicta em nós. Se queremos sorrisos, temos que dá-los ao mundo, temos que agradecer quem nos faz sorrir, temos que tranquilizar os receios dos outros, porque todos fraquejamos e temos que saber distinguir quem merece essa atenção e esse carinho. É um karma do qual eu não prescindo, não te preocupes.

      Um dia, eu apanho-te ;)

      Mira

      Eliminar
  32. A relação mais importante que terás na vida será contigo mesma, por isso, não sejamos tão duros. E AINDA BEM que gostas de ti, é meio caminho andado para os outros gostarem também. Eu gosto!

    ResponderEliminar
  33. Isso é bom, sabermos dar valor ao que somos, termos amor próprio e não sermos felizes só com o que os outros pensam ou dizem de nós.
    Tu és grande, pá! xD

    ResponderEliminar
  34. Eu sou da opinião de que devemos de gostar de nós mesmos, como diz o outro "se não gostarmos quem gostará'" e digo-te mais gosto imenso de ver a pessoa bem formada que és pois consegues ver as coisas boas e menos boas não é como algumas pessoas que a única coisa que sabem fazer é apontar os defeitos dos outros e isso é tão feio.

    ResponderEliminar
  35. Gostei, mas gostei tanto do que escreveste. Acho que gostarmos de nós é meio caminho andado para sermos felizes. Eu ainda não consegui atingir esse estado de satisfação plena comigo e de aceitação dos meus "defeitos" mas já estive mais longe...

    ResponderEliminar
  36. Olha, passei só para te dizer que também gosto muito de mim e de ti! Gosto do teu sorriso e da tua simplicidade.

    ResponderEliminar
  37. A única coisa que tenho a dizer é Ainda bem que gostas :)
    E mai'nada!

    ResponderEliminar
  38. Ainda bem que gostas; antes de gostarmos de outros, de amar outro ser temos que nos amar a nós!

    ResponderEliminar
  39. Somos o que somos e as pessoas tem que nos aceitar assim.
    bjs tenha uma bela semana.
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  40. S*, talvez eu nunca conheça você pessoalmente, mas um dia achei seu blog e gosto de ler suas postagens, porque há algo nelas que me agrada: a simplicidade. Por meio de suas palavras, vejo uma "menina-mulher" que utiliza a blogosfera para deixar registros das coisas que acontecem em sua vida, de sua rotina, de seus desejos, de seus bichinhos amados, de seu "mais-que-tudo", simples assim. O nome do seu blog já diz tudo: "as minhas pequenas coisas", mas há quem discorde de pontos de vista... Nem Jesus agradou a todos... Se eu não gostasse ou concordasse com o que escrevem em um blog, não teria o menor interesse em acompanhá-lo ou perder tempo postando o que quer que seja, mas cada um sabe de si. Não se incomode tanto com comentários de pessoas que você provavelmente nem conheça. Elas têm o direito de gostar ou não do que escreve, relaxe! Curta sua vida em paz, poste o que quiser, abstraia o que não faz bem a você, exiba suas roupas, seus esmaltes, seus bichinhos, suas bolsas, seus sapatos, o que quiser! E o melhor disso tudo é que vc tem amor próprio, o que é fundamental!!! Nunca perca isso de vista. Bjos!

    ResponderEliminar
  41. Essas pessoas se calhar não têm é auto-estima, algo que tu tens! Afinal, é tão bom gostarmos de nós próprios e a felicidade passa por aí!

    ResponderEliminar
  42. e assim é que tem de ser, é bom sentirmo-nos confiantes com o nosso eu. sinceramente nunca te achei convencida mas sim genuina e isso para mim é o mais importante:-)

    ResponderEliminar
  43. S* eu vejo o teu blog e mais uns 500, sempre que posso. Aprendemos uns com os outros digo eu...Há coisas que publicas (comidas ,saias) que eu não gosto, outras gosto muito (não me estoua lembrar de nenhuma, lol). Para o bem e para o mal, seria muito difícil agradar a todos.
    Mas eu já desconfiava que gostavas de ti, porque tens um ar tranquilo, e uma postura educada...e ao gostares de ti, acabarás por fazer com que outros gostem também...

    E que nunca percas esse sentimento, mas que também não permitas que se transforme em Narcisismo.


    P.s...lembrei-me agora, gosto muito do teu cão ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marisa, o meu cão é apaixonante, eu sei. ahahah Assim como sei que não visto muita coisa... hum... consensual!

      Eliminar
    2. Vi poucas fotos...vejo mais o que publicas no instagram. E também não sou apreciadora de moda, não sei dizer:- Uau, gosto tanto...sei lá, é a tua saia, fica-te bem, tu gostas, pronto :)

      Eliminar
  44. Se uma pessoa tem autoestima baixa é porque está baixa se está alta é porque está alta possas...Não ligues!!!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  45. As qualidades e defeitos são o que tornam a pessoa aquilo que é! Li os comentarios por alto e tenho adizer que eu não gosto que me critiquem, quem me apontar o dedo terá o dedo apontado de volta sempre! Faz parte da minha personalidade e não quero mudar :)
    Querida S. O MAIS IMPRTANTE é teres a consciencia limpa que o que fazes vai de acordo com os teus principios. Se o que olhas no espelho agrada ou não, é um problema apenas teu e de mais ninguém. Quem não gosta tem mais é que ir para outro lado.
    O blog é teu, escreves o que gostas e que eu saiba não deves nada a ninguém. Se te achas boa ou tens um ego enorme? Não sei, mas do que vejo és uma boa pessoa por quem tenho um enorme carinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha cozinha, ninguém gosta de não ter razão. ahahah

      Eliminar
    2. A minha cozinha na américa, pior que ter defeitos eu não ambicionar ser sempre uma pessoa melhor. Aponte lá o dedo de volta.

      Eliminar
    3. Mel. Eu ambiciono ser uma pessoa melhor, todos os dias. Faz parte da natureza humana evoluir. No entanto os defeitos são tão importantes como as qualidades. Fazem de nós aquilo que somos. Não me diga que conseguiu ser uma pessoa sem defeitos, ou conseguiu?
      Não a conheco por isso não posso falar de si. Mas também não parece que me conheca o suficiente para dizer que não ambiciono ser uma pessoa melhor.


      Eliminar
    4. Toda gente tem defeitos e virtudes. TODA GENTE PODE MELHORAR OS SEUS DEFEITOS.
      Foi isso que o Anónimo disse.
      Eu acho que aqui há meia liberdade de expressão: publica-se quase tudo, dando-se voz a comentários, péssimos, maus, discordantes mas educados, bons, muito bons e de bajulice. Mas, a liberdade de expressão é "coartada" quando, mesmo que a pessoa use de todas as artimanhas para ser educada e branda numa opinião discordante da autora, TODA gente cai em cima, pondo tudo no mesmo saco. Os broncos e aqueles que, embora não o sendo, não concordam, e acham que devem opinar.
      E não me digam que "não concordam, não venham aqui"! Isso não é argumento.
      As pessoas, umas vezes concordam, outras não. E isso acontece até entre amigos.
      Dizer que a S* terá de amadurecer alguns aspectos (opiniões, muitas vezes, dadas por quem tem idade para ser mãe dela), não é ser-se mau, invejoso, implicante, pouco feliz, mal amado...bla bla bla. Não se têm de apontar dedos de volta! Há que se responder com educação, sem agressividade, com convicção mas sem arrogância, e principalmente sabendo distinguir trigo do joio.
      É essa capacidade que distingue os inteligentes dos restantes.
      Eu sei que S* é que é dona do espaço, que está cansada de ser perseguida por certas pessoas. Mas também alguns seguidores, de há anos, como eu, que nunca fizeram mal nenhum, também já estão cansados de, quando, por acaso, dizem algo que sai do padrão do "muito amoroso", ser rotulado de pouco educado e de pessoa que "não está, ou não quer compreender a explicação", etc.
      Vou desistir....sim há muitos blogs. Com pena minha, mas também já cansa ler estas coisas, e ver estas peixeiradas.
      Boa sorte para tudo.

      Eliminar
    5. Concordo o anónimo das 18:24

      Já leio este blogue há alguns anos porque é leve, divertido...Mas também me estou a cansar da perseguição feita a quem comenta educadamente mas de forma oposta. Compreendo que ler certos comentários maldosos chateie, mas tanto a autora como as amigas atacam (e atacam mesmo) quem simplesmente não concorda com algo. Leio outros blogs muitas vezes pelas discussões educadas que se geram nas caixas de comentários (porque é interessante assistir a trocas de argumentos inteligentes), mas aqui, mesmo com assuntos que puxam para trocas de argumentos saudáveis, isso não é possível. Tenho pena. Acho que o facto de haverem realmente comentadores maldosos criou um clima de "mania da perseguição" e implica-se com todos os comentários, pois vê-se segundas intenções em tudo. E ninguém tem interesse em abrir a boca e ser simplesmente rotulado de ignorante ou invejoso.

      Eliminar
    6. Reconheço que posso fazer pagar o justo pelo pecador. E tentarei estar mais atenta a isso e ser menos intempestiva.

      No entanto, a verdade é que ninguém é obrigado a ler-me. Só o faz quem gosta e quem acredita que eu não sou maldosa, mesmo quando respondo menos bem a quem não merece.

      Esta discussão já foi chão que deu uvas, não a prolongarei.

      Eliminar
  46. Acho que fazes muito bem em gostar de ti mesma pois sem auto-estima a nossa vida torna-se num borrão de negatividade (falo por experiência). Também me orgulho de hoje em dia ser mais feliz por ser eu mesma mas durante muitos anos também me achava um patinho feio como dizias. Não ligues às pessoas que dizem que tens um ego enorme porque deviam haver mais pessoas a pensar como tu e a sentirem-se bem com o que são mesmo com defeitos. Continua assim e ignora comentários maldosos! Beijos

    http://my-diary-in-pink.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  47. Olá querida S!

    É a primeira vez, desde que te leio, que comento um post teu. Não te comecei a ler há muito tempo, é um facto, mas leio-te há tempo suficiente para já ter percebido o quanto és genuinamente uma boa pessoa. E é isto, muito honestamente, que te distingue. Assim como é isto, precisamente isto, que provoca tanta dor de cotovelo em algumas pessoas. És boa pessoa e, mesmo com todos os teus defeitos (que todos temos), és feliz. E ser-se feliz incomoda muita gente. Incomoda, principalmente, quem vive no escuro, quem não tem luz própria e que, por isso, vive permanentemente frustrado. E, neste caso, incomoda quem se esconde atrás de um ecrã e que, na incapacidade (por causa da frustração) de tecer um elogio, se rege pela critica e, acima de tudo, pela critica fácil. Pelo julgamento, se quiseres.

    Continua a ser quem és e como és. Continua a ser genuína e feliz. E se alguma coisa tiveres de mudar, muda apenas a forma como expões o teu dia-a-dia aqui no blog. Podes continuar a ser tu sem precisares de dar tanto a conhecer tudo o que fazes. Porque embora se veja, claramente, que o fazes de forma genuína e, corrigi-me se estiver errada, com alguma inocência, há sempre quem use isso para te atacar.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também é dos comentadores que é feito este blogue. :) obrigada!

      Eliminar
  48. E ainda bem! E quem não gosta de si mesmo que vá aprender a gostar. Porque podemos ter de viver e conviver com muita gente nesta vida, mas a nós, connosco vamos estar sempre. E já que vamos ter de viver com o eu é melhor viver-mos com alguém que amamos ;)

    ResponderEliminar
  49. Leio seu blog diariamente e isto significa que gosto de saber sobre você e seus bichos e suas roupas etc, então por favor continue escrevendo tudo que te der na telha ok?
    bjs

    ResponderEliminar
  50. Ainda bem que ao olhar para trás te sentes melhor contigo nesta fase do que em fases anteriores. É óptimo estar bem connosco próprios e ter orgulho da pessoa que somos. Além disso, à medida que os anos passam, esse sentimento tende a cimentar-se cada vez mais e acho que a preocupação (insegurança?) em relação a aspectos físicos diminui e a pessoa que somos interiormente conta mais do que tudo o resto. Ainda hás de crescer e amadurecer mais. Alguns comentadores dizem (e eu concordo) que não encaixas bem as críticas e isso deixa transparecer exactamente o contrário que dizes no post. Podes sentir orgulho na pessoa que és, mas talvez não tenhas a confiança e convicção suficientes para dar respostas à altura daquilo que as discussões neste blog às vezes exigem. Como dizes numa resposta ai acima, uma coisa são insultos, outra coisa são opiniões diferentes, mas manifestar opiniões diferentes não é um ataque a ti nem aos teus valores, daí não haver necessidade de responderes torto ou fugires da discussão com um "eu gosto" ou "eu penso assim e não vou mudar". Ainda és nova e com o passar dos anos se calhar vais olhar para alguns posts e comentários aqui e rir de como te passaste com uma coisa qualquer sem jeito nenhum! Já te sigo há bastante tempo e nota-se alguma diferença na blogger que eras há uns anos e que és agora. Mas admito que sobre a questão das críticas é fácil falar de fora, embora eu nunca me sujeitaria a um tipo de exposição destes em que vem gente que não conheces de lado nenhum dizer que és isto e aquilo (tanto sejam comentários de apoio ou críticas). Não acho que tenhas um ego enoooorme, mas como certamente tens noção, ninguém sabe tudo nem ninguém está sempre absolutamente certo. Estamos sempre a aprender e acho que deves usar este teu espaço da melhor forma para ti, porque tens muitas visitas e muitas opiniões. Como diz a outra, isto são só blogs, mas espero que o feedback que obtens por aqui não te torne numa pessoa fechada e obtusa com essa mania do "eu é que sei, a vida é minha, é só gente mal amada, etc". Afinal isto é um meio de comunicação, e (com as devidas reservas, claro) há inputs que por vezes poderias usar em teu proveito. Mas pronto, é só o que eu acho.

    Bj!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, gostei dos conselhos. No entanto, deixe-me fazer uma ressalva... não dou respostas do género "é assim que eu penso e não vou mudar". Não me lembro de as dar e, se dei, reconheço a minha idiotice. Dou sim respostas do género "eu gosto e não vou mudar" quando falamos de temas tão pouco importantes sobre a roupa que uso. Aí sim, algumas pessoas acham que eu devo mudar só porque elas não gostam... e eu não mudo. Se eu gosto, a roupa é minha, eu é que a uso, não tenho de mudar só porque outros não gostam.

      Vamos lá ver se 2014 me traz mais calma.

      Eliminar
    2. Tenho ideia de alguns posts terem dado origem a contários desse género irredutível, mas talvez só os mais polémicos...mas não tenho paciência para ir agora procurar e não serve de nada lol. Mas acho que já aconteceu, sim.
      Sobre isso da roupa é claro que cada um tem o seu gosto e o seu estilo. Por exemplo eu não gosto da maioria dos outfits da Pipoca, e ela é suposto ser especialista na matéria e seguir ou até ditar tendências. Mas como o blog dela é negócio percebo que ela tenha de usar certas fatiotas, e normalmente escolhe coisas que a favorecem. No teu caso, és livre de usar o que quiseres (já que acho que não fazes negócio com as roupas e looks do dia lol), e há de haver sempre quem goste e quem não goste. Se te sentes bem a ponto de a mostrar, mostra! Não vale a pena é vir peixeirar para a caixa de comentários se de facto usas o que queres e não te interessa o que criticam. 2 exemplos: aposto que um dia até tu vais achar infeliz o outfit saia comprida, t-shirt semáforo, e noutro dia criticaram uma roupa q tu usaste (casaco com carapuço, foi na semana passada acho eu) - eu também achei que vir mostrar uma saia com borbotos e depois peixeirar por causa de criticarem isso é parvo, podias ter dado menos destaque ao ponto menos positivo (os borbotos lol).

      Anyway, como disse é só uma opinião. Vale o que vale:)

      Eliminar
  51. "Para ser grande sê inteiro: nada teu exagera ou exclui.
    Sê todo em cada coisa.
    Põe quanto és no mínimo que fazes.
    Assim em cada lago a lua toda brilha, porque alta vive"
    (Fernando Pessoa, poema do heterónimo Ricardo Reis)

    Continua! Beijinho :)

    ResponderEliminar
  52. e eu tb gosto de tiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!! ignora normalmente a inveja costuma ser lixada! bjosss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essas pessoas sem argumento a tudo chamam inveja. zzzzzzzzzzzzz

      Eliminar
  53. S*......vai para aqui uma conversa...que confesso não tenho tempo de ler...e olha só te digo "Se nós não gostarmos de nós próprios...quem gostará?" :)

    Claro que isso não quer dizer que somos os maiores, os mais lindos, os mais inteligentes, os mais....ponto!!!! Há e é bom que vejamos e saibamos lidar com elas, coisas menos boas ou mesmo más em nós e querermos mudar, queremos evoluir, crescer ... é uma forma de melhorarmos, não propriamente para sermos "melhores" mas para nos sentirmos melhor! Connosco próprios e com os outros! Beijinho de Lisboa!

    ResponderEliminar
  54. Ia escrever um comentário...mas depois li todos os anteriores e...acredita que estou cansada. Ufffff...
    Bom, o que queria dizer é que cada um é como cada qual e é óptimo que te sinta bem e feliz. Se precisas de o afirmar? E porque não? Há quem diga que todas nós deveríamos ter colado no espalho da casa de banho um papel a dizer eu amo-me! Gosto de ti S*. Gosto da tua simplicidade. Do teu carinho pelos animais. Da tua ingenuidade até...Um beijinho grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta, na blogosfera, existem meia dúzia de pessoa que realmente me fazem sentir carinho por elas. Tu és uma delas. **

      Eliminar
    2. A quantidade de "anonimos" e menos anónimos que comentaram o teu post é de facto bem reveladora: O facto de alguem se sentir bem incomoda.
      No verdadeiro espírito lusitano do "se eu não tenho não quero que tu tenhas" está patente.
      Três conselhos para quem tenha azia do bem estar alheio:
      1) Façam-se à vida e façam por ser felizes também, em vez de se aziarem com o sorriso dos outros;
      2) Se não gostam do blog ou do que a autora nele publica, não leiam. Blogs há muitos.
      3) Comentem, mas comentem com a mesma postura como falariam cara-a-cara, porque todos sabemos que frente a frente muitos valentões não dizem porra nenhuma.

      Quanto à S. , continua feliz, sorridente e com bom íntimo que de gente má e carrancuda está o mundo cheio.
      Beijo.


      Eliminar
  55. Ainda bem que assim é, e não ligues a comentários maldosos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  56. Acho que todos os que dizem isso, ainda não se sentem totalmente bemm com eles. É óptimo que te aceites tal como és. Além disso, mesmo que assim não fosse, tinhas todo o direito de querer passar essa imagem no blog. É teu e metes aqui o que bem queres. Se acho normal que, no blog, a pessoas metam no blog as coisas que gostam e não as que demonstram os seus defeitos? Claramente que sim.

    ResponderEliminar
  57. É o que mais importa, S*, gostares de ti e ainda bem que chegaste a essa maturidade sendo tão jovem. :) Beijoca.

    ResponderEliminar
  58. É assim mesmo S* =D Sem tirar nem por..E não há nada melhor do que nos sentirmos bem connosco..Quem não gostar tem bom remédio, não olha (neste caso não lê xD)

    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  59. ÉS BOA! E se eu digo que ÉS BOA é porque és, e não se fala mais no assunto! :-)

    ResponderEliminar
  60. E a isso chama-se MATURIDADE! Aceitar que temos defeitos como todos e que eles nos tornam únicos, uma peça exclusiva neste Universo. Pena tenho eu de quem, se achando um balde de merda, ganha os dias a tentar que os restantes se sintam igual a ele.

    ResponderEliminar
  61. irra, mulher até num post a dizer que gostas de ti tens 128 comments. gostas de ti e ponto final, caga nos outros.

    ResponderEliminar
  62. "Jasus"...tantos comentários...Juro que tentei ler...mas honestamente acho que o que realmente importa é a mensagem original e não o que entretanto se foi escrevendo com a tentativa de deturpar o que disseste no Post... ( Claro que nesta frase não estou a incluir os que vieram por bem!)
    E só quero dizer uma coisa...
    S.* gosto mesmo de ti!! ;)
    Até já!***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahah A caixa de comentários está assustadora, eu sei. :) Mas, de facto, o que mais importa é a mensagem que deixei, da forma como a senti. Obrigada.

      Eliminar
  63. E é assim mesmo que deves ser e sentir-te! A ideia é essa :)
    Adoro <3

    ResponderEliminar