segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Perseguição nas lojas

Eu sei que o comércio tradicional vive momentos muito difíceis. Eu sei que todas as estratégias de captação de clientes são necessárias. Eu sei que algumas cadeias de lojas instituem a regra do "olá, boa tarde, posso ajudar?". Mas caramba, não suporto quando me perseguem nas lojas.

Existe uma loja aqui na cidade que tem sempre montras muito engraçadas. Antes do Natal entrei na loja, para dar uma espreitadela e, quem sabe, comprar algo para mim. Missão impossível. Absolutamente agoniante. A dona da loja, uma senhora assim toda "folclórica", vem logo à minha beira chamar-me "querida", para saber se eu precisava de ajuda. Disse que não. Sempre que eu tocava numa peça de roupa, ela dava dois passos, pegava no cabide, punha-se a mexer na roupa e a dizer que era "um espectáculo", "um luxo" e disparates do género. Eu só queria escolher uma peça de roupa em paz.

As roupas até eram giras, mas não conseguia ver nada com aquela pressão psicológica. Aproveitei que duas senhoras entraram no estabelecimento para me tentar pirar de fininho. E não é que quando eu estava a sair a mulher começa a falar alto e a dizer "então menina, não gostou daquele casaquinho? Ia ficar-lhe tão bem!".

Não, obrigada. Dispenso.

60 comentários:

  1. Também não gosto nada da pressão. E confesso que não entro em lojas que estejam vazias exactamente para evitar essas perseguições.

    ResponderEliminar
  2. ai como eu te entendo. Deixo de comprar muitas coisas por causas dessas "lapas" lol

    ResponderEliminar
  3. Eu sou fã do comércio tradicional em termos alimentares e de outras coisas domésticas. Adoro mercearias de bairro. Adoro lojas de ferragens, Mas, para comprar roupa, tal como tu, prefiro uma loja onde me cumprimentem, onde me ajudem apenas quando solicitados para o efeito (há algumas lojas em que as empregadas fingem não nos ver) e onde eu, depois de escolher me possa dirigir, sossegadamente para a caixa, sem que me impinjam 500 artigos antes.

    ResponderEliminar
  4. É coisa para me por os nervos em franja. Mais valia colocarem um cartaz na porta a dizer "Consumo obrigatório"...

    ResponderEliminar
  5. Aiii detesto que me façam isso!!!

    ResponderEliminar
  6. ahaha! odeio a pressão mas por outro lado, odeio quando preciso de ajuda e as vendedoras evaporam...
    ah e quando te perseguem como se fosses roubar algo? quando vou ás compras com a minha irmã, ando sempre de "guarda-costas" atrás lol

    ResponderEliminar
  7. Uiii também odeio isso!!! Uma coisa é ajudar quando nós solicitamos outra coisa é andarem sempre em cima de nós...

    ResponderEliminar
  8. Concordo. Quando me sinto "perseguida" numa loja, o caminho passa a ser um: a saída!

    ResponderEliminar
  9. Eu detesto entrar na Salsa sò por " Bem vindo à Salsa".
    E na Parfois? Ainda estàs com um pè dentro e outro fora "0LÀ BOA TARDE"
    Nota-se o desespero :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente com os dois casos e ainda acrescento a Promod do Norteshopping. Há umas semana fui lá com um amigo e procurávamos um casaco para oferecer. Assim que pus as mãos num casaco veio dona e funcionária que ficaram a dizer coisas como "a cor é linda", "o toque é maravilhoso", "é muito quente", e muito em conta (129€). Só me apetecia gritar-lhes "vão-se encher de moscas!"

      Quanto à salsa, pelo menos no Dolce Vita do Dragão dizem essa lengalenga e ainda acrescentam "o meu nome é João, em que posso ajudar" ou algo semelhante.

      Eliminar
    2. Mel, graças a Deus nessa Promod nunca me chatearam. Antes do Natal comprei lá uma saia e a menina queria à força toda que eu comprasse uma blusa a combinar... mas foi só isso. :P

      Eliminar
    3. A Promod do Vasco da Gama é igual, a funcionária é chata q se farta. Fala muito, tenta impingir coisas, e o que mais me irrita: trata as clientes por querida. Gosto muito da loja, mas às vezes evito de lá ir p não me enervar.

      Eliminar
  10. É por isso que eu me limito ao sorridente "Bom dia / Boa tarde " e dali a um bocado "se precisar de alguma coisa, disponha. Esteja à vontade para experimentar" e sorriso. E acabou a conversa. A menos que me aperceba de que o cliente quer ajuda, ou se está confuso com algum artigo, intervenho. Se não, calo-me e não incomodo quem está.

    Às vezes até finjo que estou ocupada, a fazer laços ou a escrever coisas, para que o silêncio (que não é silêncio porque tenho música ambiente) não incomode o cliente.

    ResponderEliminar
  11. Detesto quando usam o "querida" é tão desdenhar ..

    ResponderEliminar
  12. Detesto. Imagino o quanto é ruim também para quem trabalha nas lojas, e precisa fazer isso para ganhar o sustento, já que tal coisa é obrigação do vendedor na maioria dos estabelecimentos. Triste!

    ResponderEliminar
  13. também ja me aconteceu algo assim... entrei numa loja, a sra veio ter comigo e perguntou se eu precisava de ajuda, eu disse que estava so a ver e se precisasse que pediria, mas cada vez que eu pegava numa peça a sra insistia e mostrar-me todas as cores que havia daquela peça e como se não bastasse ainda mostrava outras peças parecidas mais todas as cores que haviam... escusado será dizer que sai de lá sem comprar nada e nunca mais la voltei, e a verdade é que não pretendo lá voltar... mas há historias piores, uma amiga minha trabalhou numa loja e a dona da loja, cada vez que via alguém a ver a montra da loja ia chamar para entrar e que ria qu a minha amiga fizesse o mesmo
    Tânia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na Tiffosi obrigavam-nos a colar aos clientes. Ao final de uns meses demiti-me sobretudo por esse motivo. E atenção que eu era, de longe, a melhor vendedora de lá... precisamente porque não era tão óbvia.

      Eliminar
    2. Acredito, Conto de Fadas. Fui recentemente à Salsa, fui brindada com a conversa ensaiada que acima já se descreveu mas também notei que a pessoa o disse com algum embaraço. Percebo, cumprem ordens, não quer dizer que gostem daquele comportamento. Quando é assim, faço um esforço para ser tão simpática quanto são comigo. Mas não suporto é que me digam que algo é a minha cara ou uma pechincha, uma vez que de mim só eu sei.

      Eliminar
  14. Nada que me afugente mais do que esse tipo de abordagem na loja...nunca mas nunca compro nada...!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  15. Aff, detesto funcionárias/donas de loja assim. Tiram qualquer vontade de comprar o que quer que seja.

    www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
  16. Aiii como eu odeio essas pressões, credo!!!! Às vezes basta apenas tocar no que quer que seja e já está uma vozinha: "temos outras cores, tamanhos, feitios e mimimimimi..." Grrrr odeio!!

    ResponderEliminar
  17. Não, de facto não. Essas pessoas até prejudicam o seu próprio negócio, não são nada naturais e não deixam o cliente à vontade.

    ResponderEliminar
  18. Lol! Eu também embirro com isso. Porque é que não nos deixam ver as coisas em paz?!... Eu também quando me vêm chatear piro-me logo.
    xx

    ResponderEliminar
  19. Eu trabalho no comércio e sei bem o que isso é.... Muitas vezes o meu patrão pressiona-nos a estar junto aos clientes. Nós estamos sempre a dizer-lhe que é odioso tentar ir ver algo ou comprar e ter que gramar com a conversa fiada de quem está atrás do balcão, logo não o queremos fazer aos nossos clientes. Boa tarde, posso ajudar? - Estou só a ver. - Se precisar chame. Ponto final parágrafo. As pessoas sentem-se melhor se tiverem um tempo para olhar e pensar, depois hão-de precisar de nós.

    ResponderEliminar
  20. acho que conheço essa loja... só lá entro quando tem mais de 3 clientes e mesmo assim nem sempre me safo

    ResponderEliminar
  21. eu odeio quando as meninas da loja fazem isso -.-

    ResponderEliminar
  22. Era caso para responder: "Do casaquinho até que gostei ... mas da lapa-dona... não"
    depois não dava para voltar

    ResponderEliminar
  23. Também detesto quando me perguntam isso, sempre que entro numa loja :s

    ResponderEliminar
  24. Ainda se fosse uma empregada, coitadas elas às vezes trabalham à comissão, ou então sabem que têm os olhos da patroa cravados nelas. Agora a dona, mandava-a ir encher-se de moscas e ia embora.
    - Precisa de ajuda?
    - Agora ainda não. Talvez precise quando for pagar. eheheheh

    ResponderEliminar
  25. Eu gosto do comercio tradicional. Gosto porque normalmente os cortes das roupas são diferentes, cintados e bem feitos. Mas dispenso à primeira impressão esse tipo de abordagem, detesto!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. Isto só podia vir da menina S*, humilhar quem precisa.
    Queira deus que nunca precises, ó princesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já trabalhei em comércio e nunca fui chata. Há que saber quais os limites.

      Eliminar
    2. Fogo que a rapariga nao pode abrir a boca!!! A S humilhou alguem??? que azeda!! Tambem ja trabalhei numa loja e o patrao era assim e obrigava-nos a "andar atras das pessoas" eu detestava e as pessoas ate percebiam o nosso desconforto. Oh S eu se fosse a ti fazia posts em branco..espera acho que mesmo assim estas anormais vinham aqui te criticar..
      Catarina

      Eliminar
    3. Na loja da tua irmã. xD

      Eliminar
    4. Anónimo das 11:40, que comentário tão pouco inteligente. Já trabalhei em duas lojas e nada tinham a ver com a da minha irmã.

      Anónimo das 10:21, já fiquei tentada a fazer esse teste... ;)

      Eliminar
  27. Há uma diferença entre ser prestável e simpático e ser chato e "perseguidor". Não há paciência.

    ResponderEliminar
  28. Que 2014 seja um ano excelente e promissor e te faça sorrir bastante!
    Bjs,
    S.

    ResponderEliminar
  29. Aqui há uma sapataria assim. Se estiveres só a ver a montra, ela vem cá fora chamar-te!!!!
    Claro que espanta a maior parte dos possíveis clientes, mas alguns vence pelo cansaço....

    ResponderEliminar
  30. Querem ser tão prestáveis que depois podem cair no exagero :( Tenho pena.

    ResponderEliminar
  31. Eu já desisti de entrar em lojas que estejam às moscas por esse motivo. Fazem de tudo para que eu compre a loja toda.
    Engraçado que eu ontem fui à Salsa e a única coisa que me disseram foi "Boa Noite" e só vieram ter comigo quando eu pedi ajuda. Assim já gosto :)

    http://miscelaneathesecond.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  32. É complicado entrar em lojas assim.
    Desejo-te um Feliz 2014, com muita felicidade e harmonia!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  33. Curiosa a tua opinião, S*, sendo tu própria tão folclórica.
    Já eu, bem mais comedida do que tu, adora essa gente folclórica e simples

    ResponderEliminar
  34. Felizmente que passo despercebida nas lojas. xD

    ResponderEliminar
  35. É horrível entrar numa loja e, atacarem-me logo. O meu sogro quando vai a uma loja e basta mostrarem um produto ele com pena das empregadas compra sempre mesmo que ele nem tenha gostado. é um cromo. Feliz 2014.

    ResponderEliminar
  36. Pior, pior, só aquelas que nos tratam por tu. Saio logo porta fora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Juro que sou uma pessoa acessível, despojada, simples, que não gosta de ser tratada por Dra., que não gosta de manias nem nada dessas trampas, mas confesso que sinto o mesmo! Detesto que estranhos me tratem por tu por dá cá aquela palha. Respeitinho é bonito, e posso ser uma menina, mas mereço respeito, que isso não tem que ver com idades! É uma questão de educação e respeito.

      Eliminar
    2. Anónimo e Mel, por acaso é verdade. Sou super descontraída, mas não gosto de ser tratada de forma diferente só porque sou jovem. É isso e quando entro numa loja mais cara e sou ignorada... devem achar que não tenho dinheiro para comprar o que vendem. Pois realmente não nado em dinheiro, mas se vou a uma loja mais cara é porque pretendo comprar. lol

      Eliminar
  37. Quando trabalhava na Seaside, tinha instruções para cumprimentar o cliente com um sorriso (pormenor importante - afinal, um sorriso marca logo a diferença!), deixá-lo à vontade e, passado algum tempo, ir perguntar-lhe se precisava de ajuda. Nada mais. E acho que isto é o ideal. O cliente tem o seu espaço mas, ao mesmo tempo, sabe que se precisar tem alguém por perto para o ajudar. Odeio entrar numa loja e sentir que o vendedor está colado a mim, a mostrar-me mil e um artigos, muitos dos quais nem sequer me interessam. Tal como odeio estar a comprar um artigo e o vendedor estar a insistir para que compre ainda outro. (Na Tezenis, por exemplo, perguntam sempre: Então, não quer mais nada? Uma cuequinha a combinar? Já viu que temos os pijamas em promoção? Etc e tal. Eu bem sei que elas apenas estão a cumprir ordens, mas é extremamente irritante...)

    ResponderEliminar
  38. Eu trab numa loja e, embora nao goste,psou obrigada a faze-lo :/ quando a supervisora nao esta tento ser o mais soft possível, mas quando ela esta tem mesmo que ser. Grrr

    ResponderEliminar
  39. Ah, e tanto como cliente como lojista detesto que me tratem por tu. acho k é uma questao de educaçao

    ResponderEliminar
  40. Também odeio isso. Eu quando vou a uma loja de roupa gosto de ver as peças, os preços, comparar e muitas vezes não compro logo na hora porque também gosto de ver outras lojas e compara-las entre si.

    ResponderEliminar
  41. Eu detesto isso. Normalmente quando se colam a mim, dou meia volta e saio. No mês passado fui a uma loja de bijuteria em que a mesma criatura me perguntou 4!! vezes se precisava de ajuda. A sério, fiquei sem perceber se a rapariga era lerda ou apenas tinha uma memória tipo Dory.

    ResponderEliminar