Avançar para o conteúdo principal

Alteração de planos

Já tinha tudo combinado. Até há dois dias, ia passar o fim de ano no Porto. Ia jantar com as amigas e o amigo Tiago. O jantar ia ser na casa de uma amiga e cada um levava algumas coisas. Eu ia levar uma bôla de carne e uns rissóis. Depois, provavelmente, ia passar a meia-noite nos Aliados, no meio de uma imensidão de gente, e depois íamos os dois ter com os amigos dele.

Até que na quarta-feira ele me perguntou "e o cão?". Foi aí que me caiu a ficha. O meu cão é um inferno, seria impossível deixá-lo umas oito horas fechado em casa. Também ainda não se habituou a ficar no quintal - e nunca o deixaria no quintal, por causa dos foguetes.

Vai daí, mudança de planos. Não vou impingir o cão a ninguém na noite de ano novo. Vou antes passar a meia-noite na casa de família, com a melhor família do mundo, a comer leitão. E o Pirata estará ao nosso lado, como sempre deve estar.

Para Janeiro, fica prometido uma ida ao Porto, para matar saudades e retomar a Rota do Chocolate Quente com as amigas.

Este ano, a passagem de ano será em casa, com a famelga. E certamente será muito bom.

Comentários

  1. Vai com certeza ser uma óptima passagem para 2014 :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Tenho a certeza que será fantástica, junto da família..e do Pirata claro!
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  3. Certamente que será uma boa passagem de ano :)
    Bom fim-de-semana *

    ResponderEliminar
  4. E já escolheu a roupa? Certamente um outfit pirosinho :D

    ResponderEliminar
  5. Acabas de dar-me uma grande ideia para a passagem de ano; leitão! Adoro e há tempo que não como...:-)
    xx

    ResponderEliminar
  6. Tens que habituar o teu cão a ter o espaço dele, não é bom nem para vocês nem para ele que esse espaço seja dentro de casa mas sim na garagem ou na arrecadação, e tens que o tentar educar agora enquanto é pequenino, porque senão depois já vais tarde. Não faz sentido nem há necessidade de não te poderes ausentar por 8h por causa dele. Se ele estiver bem habituado fica bem e vocês também ficam descansados para ir à vossa vida. Tenho cães desde sempre e é só por isso que te aconselho isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, eu sei... Mas a questão é que o namorado trabalhou em casa nos últimos meses, por isso o cão esteve sempre com ele e sofre de ansiedade pela separação (foi a veterinária que diagnosticou). Quando deixar de chover vamos colocar uma rede no único local por onde ele pode fugir, no quintal, e passará a ficar entre a garagem e o quintal. :) O problema é que o namorado é devoto ao cão e acha que ele vai sofrer!

      Eliminar
    2. O meu cão também estava em casa e agora vai passar a morar na garagem (tem lá a casota dele e o seu espaço) e no jardim. Mas também tenho muito medo que sofra e que não se adapte. =(

      Eliminar
    3. Anónimo, os animais são mimados e algo manhosos, mas habituam-se muito bem. Eu sou hiper relaxada, mas o namorado é hiper mega preocupado. O Pirata vai habituar-se bem à garagem/quintal.

      Eliminar
  7. Desde que passemos com quem gostamos acaba por ser sempre bom.
    O ano passado também passei com a família e olha diversão não faltou:)
    Beijinho e tudo de bom para 2014!!!:D

    ResponderEliminar
  8. Sou só eu a achar isto ridículo? S*, desculpa lá, mas tens as tuas prioridades todas trocadas. Tens de educar o cão para que ele se adapte à tua vida e não ao contrário. E que tal deixá-lo num hotel para cães? É só uma noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu cão é mais importante para mim do que uma jantarada fora, por mais que adore as minhas amigas. Eu sei que ele está a ser difícil de educar, mas não o vou deixar sozinho numa noite em que os foguetes são os reis da festa.

      Eliminar
    2. Eu tenho uma cadela há 9 anos e sempre tive animais a vida toda. Como é óbvio, ela é mais importante do que uma jantarada mas acho que não faz sentido abdicar da vida social para ficar a tomar conta dela. De certeza que há alternativas, além de que nem todos os cães têm medo de foguetes ou trovoada. Quando tiver filhos vai ficar em casa o tempo todo a tomar conta deles? Até eles terem o quê... 16 anos? Continuo a achar toda esta situação escusada.

      Eliminar
    3. Anónimo, claro que ninguém vai viver de acordo com o cão para sempre. Mas o meu cão ainda só tem 6 meses. Nunca ouviu foguetes (ouviu um ou dois, não uma catrefada deles). O meu cão ainda não foi habituado a ficar na garagem ou no quintal... e dentro de casa, tantas horas, ele destrói o que puder. Portanto, por agora, sinto que devo ficar a cuidar dele. Daqui a dois meses provavelmente ele já saberá ficar sozinho na garagem/quintal e já não me vou prender por ele. :)

      Eliminar
  9. Sei que há pessoas que te vão chamar tonta... Prepara-te para os anónimos maldosos que vão dizer mil e uma coisa... Mas eu juro que te compreendo. Agora que tenho um gatinho, que até é calminho e aguenta ficar em casa dois dias sem ninguém (com muita comidinha e agua), mas que depois quando chego vejo-o cabisbaixo, a miar... PARTE-ME O CORAÇÃO! :/

    Beijinho e que a passagem de ano seja muito feliz junto do piratinha como a minha vai ser junto do meu Tom :) :)

    (Quanto ao anel, é tão lindooo)

    ResponderEliminar
  10. Também existem hotéis para cães... Já procuraste aí na zona? A minha cadela também sofre com a separação e é muito mimada, mas já ficou duas vezes, por dois fim-de-semana...
    É bom para eles, que ficam num local que está preparado para os acolher, e para vocês, que vão descansados à vossa vida e vão buscá-lo assim que quiserem :) eu aconselho, até porque ele está em boa idade para se habituar ;)

    ResponderEliminar
  11. ohh pois, e a parte chata de ter os animais, e preciso pensar em como os deixamos em seguranca se eles nao poderem ir. vais ver q vai ser uma passagem de ano em beleza na mesma :) Votos de um excelente ano

    ResponderEliminar
  12. Eu nunca saio na passagem de ano. E se queremos ter as coisas boas dos animais, também temos que ter as menos boas. É como ter filhos. Implica sacrifícios! Parabéns! És uma dona fantástica. Nada que eu já não soubesse minha querida.

    ResponderEliminar
  13. Quem tem cão começa a perceber o que muda quando temos filhos: os nossos planos já não só nossos, não são o que nós gostariamos mas o que eles precisam. Tudo muda mas continua bom. De forma diferente.
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  14. Compreendo perfeitamente, sou igual com a minha cadela. Felizmente ela porta-se lindamente, e ja cheguei a sair de manhã e chegar depois da meia noite e ela passa o dia todo a dormir (e na minha cama, não numa arrecadação ou garagem), não faz parvoices e não faz nada em casa. Aqui quem tem ansiedade de separação sou mesmo eu LOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe, o namorado também sofre de ansiedade pela separação. ahahah

      Eliminar
  15. Aplausos para sua decisão, o Pirata precisa ficar perto de você nesta noite por causa dos fogos que o deixarão apavorado. Feliz 2014!!
    bjs, Maria do Brasil

    ResponderEliminar
  16. Realmente, ter um animal de estimação (especialmente um cão bebé) é ter uma responsabilidade enorme. Acho que tomaste a decisão certa e que te vais divertir imenso na mesma :)

    ResponderEliminar
  17. os Aliados vão estar uma confusao de certeza, e com este tempinho, a famelga sabe sempre bem =)

    Paulinha

    ResponderEliminar
  18. É por isso que gosto muito de cães mas não os teria, não dá para mim. Sempre fui tendo gatos, adoro, e adoro que sejam tão independentes dos donos.
    Mas acho bem que quem os tem, faça o melhor por eles, nem seria aceitável de outro modo. O que é preciso é apostar na educação/habituação do bichinho... e, pelos vistos, do dono :P

    ResponderEliminar
  19. O Porto cá te espera!

    www.prontaevestida.com

    ResponderEliminar
  20. No ano passado passei a passagem de ano em casa com o "quase-marido" e com a Kika e diverti-me muito :)
    Importa é estares com quem amas :)

    ResponderEliminar
  21. Responsabilidades de ter filhotes de 4 patas! Papas 5*

    ResponderEliminar
  22. Filha... entendo a tua decisão, mas só vou abdicar de me divertir por um filho... aí quando o tiver farei isso, e nem sempre porque há alternativas se planear bem... Agora deixar de ir passar o ano novo fora por causa do cão naahahhahaha. Mas entendo-te.

    ResponderEliminar
  23. ah pois é, os animais prendem-nos muito

    ResponderEliminar
  24. Mas passar em casa também será certamente bom ;)

    ResponderEliminar
  25. e será bem passada tambem :) Um bom ano S*

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para dormir - solução, procura-se!

É uma pessoa desesperada que vos escreve, esta manhã. Conhecem soluções naturais para dormir bem de noite? Algo que me faça ferrar o galho e só acordar no dia seguinte? Estou farta de noites mal dormidas. Estou farta de ficar até às 5 ou 6 da manhã sem conseguir dormir. Chego ao desespero, com vontade de chorar. De dia, sinto-me cansada, porque o descanso é uma porcaria. Não sou grande adepta de medicamentos mas, se tem de ser, é. Alguém conhece um remédio, uma erva, o que seja?

I wish

 Faço anos daqui a um mês e, este ano, vou querer prendas muito práticas e objectivas. Algumas coisas preciso comprar, outras substituir, mas acho que vou deixar um pouco as vaidades de lado e optar por poupança real - porque são coisas que teria de comprar. Alisador de Cabelo a vapor BELLISSIMA My Pro (Titânio - 170 °C - 230 °C ) Este ou outro qualquer, desde que seja bom e não me estrague (demasiado) o cabelo. Uns auscultadores. Preferencialmente giros. Preferencialmente sem fios. Estes ainda por cima dobram-se, o que é muito prático para colocar na mala. Um candeeiro de tecto novo para o meu quarto, que o que tenho é antigo e tapa imenso a luz. A minha irmã comprou este candeeiro de mesa para o quarto do meu pequeno (em preto) e amei de paixão. Queria assim em tom cobre para o meu quarto. :) Todos os candeeiros da Leroy Merlin / AKI.

Voltar ao início

Depois de quase 9 anos e meio de relação, não vamos fingir que são tudo rosas. Ultimamente, temos até de admitir que têm sido mais os dias maus do que os dias bons. As chatices do dia-a-dia, os remorsos, os ressentimentos, os problemas a que somos alheios mas que nos afectam... Não é fácil de gerir e mentiria se não admitisse que já pensamos  "será que vale a pena?". Da minha parte, apesar dos momentos menos bons, continuo com a nítida percepção de que é um bom homem, com bons princípios, e que dificilmente encontraria companheiro que encaixasse tão bem em mim (que eu sou osso duro de roer, no que toca ao convívio caseiro). Vale sempre a pena, porque não perdemos esta capacidade de nos reencontrar e voltar ao início. Enquanto soubermos olhar um para o outro e reconhecer o valor um do outro, vale mesmo muito a pena.