quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Piratices

Ontem foi um dia de viragem.

O mais-que-tudo é vidrado no cão e por isso nunca lhe ralha e muita menos lhe bate (já eu defendo as palmadas educativas). Temos um quintal grande, felizmente, mas o mais-que-tudo recusa deixar o cão sozinho durante a nossa ausência no quintal. 

A partir de agora, faremos diferente. Temos de fazer diferente. Quero abrir a garagem (que é grande), enfiar lá a caminha dele, e deixá-lo entre a garagem e o quintal. Isto que ele fez ontem não se admite. E penso que para ele até é melhor ficar no quintal do que ficar em casa fechado...

38 comentários:

  1. Outro brinquedo bom é o Kong: É um brinquedo de borracha em que metes ração lá dentro e ele tem de roer e rodar o brinquedo para que a comida saía... Fica muito entretido...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu tenho para o meu cão e ele adora :D

      Eliminar
    2. Indigo e Jacinta, obrigada minhas senhoras. Vou ver se encontro. Ainda hoje lhe comprei mais dois brinquedos.

      Eliminar
  2. Tenho duas cadelas, entre outros companheiros. Uma delas, a Dior, e apesar de serem irmãs, sempre foi um terror, ao passo que a outra sempre foi um doce em tudo. A Dior roeu-me duas ombreiras, todos os batentes das portas, as três camas que lhe comprámos, e quatro sacos de água quente, uma vez que vieram muito bebés para casa, era inverno e achei que além de ficarem quentinhas, não iam sentir tanto a falta da mãe.
    Erro.
    Comeu a lã que envolvia a borracha e os próprios sacos.
    Destruíu-me tantos tapetes que lhes perdi a conta, comedouros idem, comia o cócó dos gatos, fazia cócó, dava meia volta e comia-o. Cadeiras foram todas e carregadores de telemóvel, já lhes perdi a conta. E repara que o ano passado estive a maior parte do tempo em casa. Ausentava-me para consultas, supermercado e pouco mais. A criatura aproveitava esses momentos e zás, era tudo a eito.
    Pensei em desistir, já nem a via bem, metia-a de castigo mas não aguentava os seus latidos por muito tempo, soltava-a e mal tinha oportunidade, fazia outro disparate e eu desesperava. Até ao dia que perdi as estribeiras ao ver a roupa do meu bebé destruída, e o berço já meio comido. E foi o dia em que levou a tareia da sua vida.
    E para ela, esse foi o dia de uma nova vida. De cada vez que fazia disparates, acertava-lhe o passo e hoje, passado um ano de aqui ter chegado, está melhor que a irmã, que nunca me deu o que fazer.
    Quero dizer com isto que sou apologista sim das palmadas e a prova de que funciona está aqui deitada aos meus pés.
    Nunca mais fez xixi em casa, nem cócó, nunca mais estragou nada e nem entra no quarto do João. De vez em quando passa à porta da casa de banho dos gatos, cheira, lá se deve lembrar do chinelo, e vai à vida dela. Ficam todos soltos e portam-se pior os gatos do que ela.
    Força aí que isso passa. Não mostres é pena nem levantes castigo. Faz como eu que batia e ia chorar para o quarto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Filipa, obrigada, excelente testemunho. Eu não tenho problemas em castigar o meu cão porque sei que ele merece - e que percebe os castigos.

      Eliminar
  3. Nunca gostei de animais em casa, é impossível ter as coisas limpas com eles la dentro principalmente mais que um.
    Uma coisa é uma tartaruga ou um peixe outra bem diferente é um cão ou gato.
    Sempre os tive no quintal ou terreno la em trás-os-montes e a convivencia e companhia é normalmente saudável eles andam mais livres, ganham defesas e não nos emporcalham as coisas... Cada macaco no seu galho e tudo fica mais fácil.

    ResponderEliminar
  4. O que for melhor para ele aprender...

    ResponderEliminar
  5. Parece-me uma boa ideia assim pode estar quentinho na garagem e pode ir dar uma volta ao quintal para não estar sempre preso =)

    ResponderEliminar
  6. É uma boa ideia...uma cama abrigada. Também não deixaria o cão na rua....

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Eu sei que tu adoras animais, e cães não são muito a minhas onda, mas eu seria incapaz de ter um cão em minha casa. Por muito que gostemos deles, eles são irracionais e fazem todo esse tipo de 'peripécias' nada agradáveis... Acho que tomaste uma decisão acertada.

    ResponderEliminar
  8. Eu também concordo, até é bom para ele, ter mais espaço ;)

    ResponderEliminar
  9. Obriga mas é o teu namorado a limpar a porcaria que o cão faz. Se não ainda te vais chatear com ele e não há cão que valha a desarmonia do casal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe, excelente resposta. Gostei!

      Eliminar
    2. Sem dúvida! Boa sorte para a viragem :)

      Eliminar
  10. Eu concordo :) Desde que ele nas noites frias do inverno tenha uma caminha quentinha para dormir, ele é mais feliz no quintal do que fechado em casa (mesmo que dê os seus passeios). Têm é que ter cuidado quando ele for mais velho para ele não fugir e ir atrás das cadelas. A melhor hipótese é sempre castrar! Já tive vizinhas que mesmo com muros altos perderam os cães dessa forma...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Durante a noite ele continuaria a ficar em casa... o quintal é só mesmo para quando nós saímos.

      Eliminar
  11. S. se fosse a ti comprava um livro chamado "A encantadora de cães" Li há uns anos e é maravilhoso, ensina tudo sobre educar os cães n um método fácil e que dá resultado.
    Se quiseres empresto-to.
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, bela ideia, tenho de arranjar. :)

      Eliminar
    2. O livro é este e garanto-te que é muito bom, o método é fácil, com apenas alguns pequenos gestos o cão muda.
      http://www.wook.pt/ficha/a-encantadora-de-caes/a/id/63122

      Eliminar
    3. e das coisas mais importantes é a regra dos 5 minutos, quando chegas a casa e ele vem ter contigo aos pulos não lhe ligues nada durante 5 minutos, faz de conta que ele não existe e quando saires de casa não lhe passes cartão porque parece que o problema dele é a ansiedade por separação, ele destroi tudo porque fica angustiado quando voces saem de casa.

      Eliminar
  12. Claro que é melhor ficar na rua do que fechado em casa! Eles fez isso tudo porque é bebé e aborreceu-se, se estivesse na rua entretia-se com mil e uma coisas e não fazia nada desses estragos. Se algum dia tiver um cão é no quintal que irá ficar, com uma boa casa para se proteger se for preciso, mas na rua (quanto muito dormir dentro de casa no Inverno)! Os animais não se fizeram para estarem engaiolados entre quatro paredes.

    ResponderEliminar
  13. Sim, Fazes bem! Na garagem fica abrigada e quando quiser fazer piratices ... vai para o quintal! Muito melhor do que o deixar fechado em casa!! Beijinho***

    ResponderEliminar
  14. Acho que saem as duas partes a ganhar. Ele porque passa a ter espaço e vós que passais a ter mais sossego.
    Depois, se não houver o mesmo empenho na educação de todos os que lidam com o cão dificilmente ele vai aprender regras. Por muito que custe, é mais ou menos como com crianças, há que saber dizer não sem remorsos e não ceder facilmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudia, o namorado é uma pessoa de cães e andava ansioso por ter um cão. Agora só o mima... e estraga o cão.

      Eliminar
  15. Sei que é chato chegar a casa e estar tudo um caos mas há que pensar que ele ainda é bebezinho e por isso ainda está na fase da asneira, e 10 horas é muito tempo... Quanto às palmadinhas, eu também acreditava nelas mas a verdade é que nunca funcionaram com a nossa cadela de família, que hoje tem 13 anos e ainda faz asneiras (se bem que o facto de estar ligeiramente demente não ajuda). Se eu pudesse começar de novo com ela, teria lido mais revistas e livros sobre como educar cães. Hoje sei, por conhecer pessoalmente exemplos disso, que as recompensas funcionam melhor que os castigos. Recompensar o cão quando ele faz algo bom, seja o que for, promove a repetição desses comportamentos. Basta fazer uma festinha ou dar uma goluseima para cães.
    De qualquer forma, acho que ter acesso ao jardim e à garagem durante a vossa ausência é uma boa opção mas não se esqueçam de deixar cobertores para ele, e quem sabe vestir-lhe um casaco para não passar frio. Beijinhos e desculpa o mini testamento,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana, é o cão mais apaparicado de todo o sempre, mas precisa de disciplina.

      Eliminar
  16. Umas palmaditas educativas nunca fizeram mal a ninguém. Também eu as dei ao Yoshi e só fizeram bem, tanto que agora é um gajo educado ehhehe

    ResponderEliminar
  17. Parece boa ideia, ele deve gostar mesmo mais de ficar no quintal do que em casa :)

    ResponderEliminar
  18. Para ti com um beijinho.
    http://www.youtube.com/watch?v=0MWy5DDk3wY

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahah Bonita música. É rebelde e não é pouco!

      Eliminar
  19. É uma boa ideia. Assim ele tem espaço e liberdade mas está protegido.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  20. Nunca tive cães e de todos os gatos que tive nunca fui capaz de lhes dar uma palmada por muito grande que asneira fosse.
    Sei bem que os gatos são diferentes dos cães, mas pelo que observei os meus gatos tem tendência a respeitar muito mais a minha mãe pois é ela que "lhes dá educação". Quero com isto dizer que sim... uma palmada nunca fez mal a ninguém; é uma maneira de perceberem que fizeram algo de errado. Mas eu sou um coração mole, não sou capaz de bater ao bichano! Talvez seja o caso do teu mais-que-tudo X)

    ResponderEliminar
  21. Um faz de polícia bom, outro de polícia mau! :)

    ResponderEliminar
  22. Ninguém nasce ensinado, até os bebés têm que ser educados, logo com os animais a coisa não difere muito. O teu cão não tem noção que mora numa casa em que as coisas estão em ordem e é para continuarem assim. Ele não entende que os companheiros (sim ele é que é o vosso dono) saem para trabalhar porque ele também não sabe que é preciso dinheiro para viver. Ele só sabe que tem a energia de um cachorro e que os amigos foram embora e ele fica com muita coisa para fazer durante o dia. E depois há 2 amigos diferentes, o da palhaçada e aí o respeito é nenhum e uma amiga meio "apanhada" (Termo carinhoso) que ora dá muitos miminhos ora farta-se e já não quer brincar mais e ralha. Se ele falasse ele também teria algumas coisinhas a dizer. E olha se lhe bateres ele nunca irá para a cama pensar sobre o que fez de mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tânia, ele deve achar mesmo que sou chanfrada, porque ora o encho de beijos, ora grito com ele e o ponho no quintal. Mas ele sente remorsos daquilo que faz. Quando o vejo a fazer xixi ou cocó em casa ele olha para mim com ar de "ups" e desata a fugir.

      Eliminar
  23. Lá está é a expressão que fazes que diz tudo! Mas ele quando não andas por perto não pensa "epá não vou fazer aqui que a outra lixa-me". Tive um cão 14anos que tinha o descaramento de abrir o frigorífico só para petiscar. Comecei a deixá-lo no quintal para poder passar-se à vontade e resultou, 5anos depois. É um puto ainda! O que ajuda muito são palavras de ordem curtas e sempre iguais e gestos a acompanhar. Agora tenho 3 gatos de rua que me fazem cabelos brancos. Esses sim são pestes selvagens!

    ResponderEliminar
  24. Habitua-o desde pequenino que ele fica bem cá fora, meus ficam cá fora desde pequenos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar