segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O mundo está mesmo perdido (e viciado!)

Fui passear à beira-mar com mais-que-tudo e Dom Pirata. Um senhor dos seus trinta e tal anos aproxima-se de nós.

Senhor estranho - Boa noite!

Mais-que-tudo - Boa noite!

Senhor estranho - Tudo bem?

Mais-que-tudo - Está tudo bem, obrigada. Mas não o conheço. E consigo?

(entretanto o Pirata salta e dá-lhe uma pequena ferradela de entusiasmo, fazendo o senhor estranho exclamar um sonoro "ah foda-se!")

Senhor estranho - Por acaso não fumam uns charrinhos?

(eu fiquei boquiaberta, o namorado acho que ficou na dúvida sobre ele ele achava que nós tínhamos charros para vender ou se nos estava a anunciar que era vendedor)

Mais-que-tudo - Não, não.

Senhor estranho - Perguntar não ofende! (todo sorridente; e lá foi ele à sua vida)

De facto, perguntar não ofende. Mas caramba, já nem se pode ir passear descansado.

42 comentários:

  1. ahahahhahahahahahahahahahahahahhahah é tudo que tenho a exprimir !

    ResponderEliminar
  2. AhAh :) Como diria a minha avó: O mundo está perdido :)
    Em relação ao post anterior, acontece-me o mesmo mas com o yoga... Todos os dias acho que me vou levantar mais cedo para fazer yoga, mas na hora H o sono fala mais alto.
    Boa semana :)

    ResponderEliminar
  3. A única vez que me abordaram na rua com esse género de perguntas era mesmo para vender. Assim que pude pus-me de lá a 7 pés!

    ResponderEliminar
  4. Nunca te tinham pedido um charro??? Já me aconteceu tantas vezes à noite ou em festivais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1 charro não é heroína!

      Eliminar
    2. Graças a Deus? lol que exagero!!

      Eliminar
    3. Anónimos, eu respeito que vocês achem as drogas leves menos más... mas, para mim, todas as drogas são más.

      Eliminar
  5. Acho que o Pirata é que o topou logo!...:-)

    ResponderEliminar
  6. Minha querida o meu namorado cada vez que vai a lisboa tentam vender-lhe droga. Sempre. Não falha. Uma vez sózinhos e duas comigo. A primeira vez (comigo) o sr. até foi relativamente discreto, mas este de agora que horror. Uma bolota (acho que é assim que os entendidos chamam) grande, o sr. atrás de nós a falar a falar, eu já meio a fugir que ou uma borradinha, e por aí. Grrr, e o meu moço é muito bem apessoado por acaso, não entendo :s

    ResponderEliminar
  7. É cada coisa que acontece :/ incrível.

    ResponderEliminar
  8. Respostas
    1. Vê-se que nunca vai a Lisboa, para dizer uma coisa dessas.

      Eliminar
    2. Joanita, vê-se logo que não conhece Viana. E, ainda por cima, o acontecimento nem foi em Viana.

      Eliminar
  9. Sim, também a mim aconteceu quando fui a Lisboa. Ora vivo no Porto, farta de sair à noite quando era mais nova, desde ribeira, cais de Gaia e etc, e nunca nunca ninguém me ofereceu ou tentou vender nadita. Pois que chego a Lisboa também há uns anitos (6/7 anos) e nesse dia ofereceram me a mim e ao meu amigo que estava comigo umas 4 vezes droga (a que quiséssemos) nos sítios mais variados de Lisboa!!! Eu estava vestida normalmente assim como o meu amigo, e não paravam de nos fazer essas "ofertas". Fiquei a pensar que Lisboa é um pórtico de droga!
    Afinal já chegou a Viana.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claramente não falamos do mesmo Porto :)

      Eliminar
  10. Hehehe!
    O Pirata é que o "topou" logo...pelo menos estás bem protegida! :)

    ResponderEliminar
  11. Bem me parecia que tens cara de drogada. Ahah

    ResponderEliminar
  12. Isto dá-me medo... Já nem um passeio se pode dar, em paz e sossego?!
    Este mundo está, realmente, subvertido!

    ResponderEliminar
  13. Há uns anos enquanto seguia mais excelso esposo Rua Augusta, Lisboa, abaixo, num espaço de 500 metros fomos aliciados a comprar haxixe 3 vezes. TRES!!! Lá mais ao final da rua já olhavamos um para o outro para ver se tinhamos assim tanta cara de quem mandava abaixo brocas como se fosse água.

    São experiências, vá.

    ResponderEliminar
  14. Realmente já não se pode andar descansado, há pessoas com uma lata, credo!

    ResponderEliminar
  15. Lol Então nunca circules pela Baixa/ Chiado/ Bairro Alto. Já não me choca por aí além, "não, obrigado" e sigo o meu caminho.

    ResponderEliminar
  16. Caramba existe cada maluco Deus nos livre.

    ResponderEliminar
  17. Lá estás tu a falar mal das pessoas. Por acaso tu e o teu namorido não consomem, mas se consumissem iam agradecer e já era um bom senhor muito prestável, não era?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério que não te zangaste? Nem posso acreditar. Contrariei-te e tu riste? Vai-se a ver que em calhando consomes mesmo e estavas pedrada quando me respondeste.

      Eliminar
  18. Hoje em dia tudo é muito normal e natural, daí... É dose.

    ResponderEliminar
  19. Esse último anônimo não bate mesmo bem. Que criatura amarga! Deve ser muito frustrado para andar despejando merda assim aos quatro ventos, sem motivo, como se alguém fosse obrigado a gostar de traficantes... Pelo jeito que fala, parece que a S* deveria tê-lo levado para casa e oferecido um jantar suntuoso após a oferta de drogas. Morre, estúpido!

    ResponderEliminar