quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Aventuras caninas

Ao fim de uma semana a passear livremente, o Pirata acaba de fazer o primeiro inimigo: o cocker do vizinho.

O cão veio cheirar o Piratinha, cheirou e cheirou. O Pirata começou com a palhaçada do costume. Tudo normal. Entretanto pára um carro ao nosso lado, com um casal. "Olhem que ele é agressivo com outros cães". O namorado responde "oh, eles estão só a cheirar-se...".

Nisto o cocker volta disparado (achamos que se sentiu confiante ao ver pessoas que conhecia) e atira-se ao meu pequeno Pi. O namorado, estupefacto, tentava erguer o Pirata, mas o coitado corria disparado a toda a volta, preso pela trela. O cocker sempre a rosnar e a tentar ferrar-lhe. O namorado a tentar erguê-lo sem o esganar. Eu a "panicar".

O senhor que nos tinha avisado - que devia ser amigo dos donos do cocker, eu sei lá - todo aflito, a dizer "eu avisei que ele era agressivo, eu avisei!". 

Lá conseguimos fugir para dentro do portão. Raisparta o cocker.

14 comentários:

  1. (já deixei no Face mas volto a deixar aqui): Avisou..pois avisou...mas cães que podem ser agressivos, com outros cães ou com pessoas, têm é de andar à trela e de rédea curta!!! Raiosparta mas é o DONO do cocker, oh S*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, eu sou uma pessoa cautelosa, especialmente porque o meu Pirata tem apenas 3 meses. O Cocker esteve a cheirá-lo, estiveram a conviver cerca de 2 minutos, tudo normal. Só quando o casal chegou é que o cocker se virou ao meu cão. E ainda investiu duas vezes contra ele. Felizmente não o ferrou, apenas o amarrou com as patas.

      Nunca mais permito proximidades com cães que não estejam acompanhados pelos donos - os donos é que sabem o feitio dos seus bichos. :/

      Eliminar
    2. Os cockers podem ser muito agressivos, sim!E como são pequenos as pessoas não o esperam e ficam à vontade (ao contrário do que acontece com os cães grandes, de quem todos ficam "em guarda")e depois são mordidas (conheço alguns casos).

      Eliminar
  2. Acho que os Cocker têm um parafuso a menos.
    A velha que mora aqui ao lado tem uma que só sabe ladrar. Ou então é a velha que tem um parafuso a menos e não a sabe educar.
    Eu quando estou com os azeites vou à varanda e mando um berro:
    Lá estão as duas putas aluadas.
    Metem as duas o rabo entre as pernas e bazam a 100 à hora. ahahahahahahah

    ResponderEliminar
  3. Tenho uma situação idêntica aqui com o cocker do vizinho... parece que é da raça, é bastante comum essa situação,mas concordo com a 'Maria...', culpa do dono que não anda com o cão com a trela (até nisso aqui é a mesma coisa).

    ***

    ResponderEliminar
  4. Há animais que são muito territoriais e atacam qualquer um que venha de novo, sobretudo se forem do mesmo sexo.
    Eu até hoje fico sempre nervosa com cães que não conheço e com a Mel que é uma paz d´alma....

    ResponderEliminar
  5. Não tem nada a ver com raça...tive uma cocker durante 12 anos que era um amor, uma paz e uma delícia! e uma das grandes "amigas" do meu cão é uma doberman...tem a ver com cada cão - os bichos também têm personalidades diferentes -, com territorialidade e com eventuais traumas que o cão tenha sofrido e lhe geraram medo ou antissociabilidade. sobretudo quando são dois cães machos - agora que tenho um cão percebi isso - acontece muito zangarem-se e tentarem-se ferrar. O meu, que não é agressivo com cão nenhum, já foi atacado duas vezes (por cães acompanhados por donos inconscientes e estúpidos) e outros tantos (felizmente com donos mais responsáveis) já se viraram a ele. Se esse cocker fosse de um vizinho meu, S*, podes crer que faria questão de lhe chamar a atenção e pedir encarecidamente para não voltar a soltar o cão na rua - o que além de irresponsável é ilegal. Só uma pessoa muito mal formada deixa um animal que ainda por cima sabe que é agressivo com outros andar solto e desacompanhado na rua...grrr. este assunto vai-me aos nervos, desculpa lá o testamento :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa coisa dos traumas dos cães é coisa que me assusta muito. Acho que se devia arranjar uns psicólogos para os cães, assim para defender a humanidade.

      Eliminar
    2. Comentário idiota, que não merece resposta. Aliás, quero de volta os 5 segundos que perdi a ler. Uff haja paciência

      Eliminar
    3. Anónimo, não sabe do que fala.

      Eliminar
  6. Olha...então queres lá ver que, afinal, sempre há animais maus?
    E se em vez do teu Pi tivesse sido um bebé?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não há animais maus. Existem sim animais frustrados, que NUNCA PASSEIAM - que é o caso do cocker.

      Eliminar
  7. Foi uma aventura, que felizmente acabou bem para o pirata.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Isso é que foi um susto! Os cães têm todos diferentes personalidades, mas os donos também t~em culpas no cartório.
    xx

    ResponderEliminar