quarta-feira, 8 de maio de 2013

Quem não gosta de animais não pode gostar de pessoas

A história é velhinha, mas é real. Ontem a mana partilhou-a no Facebook. Eu li-a, revoltei-me, e acabei a sorrir. Toca a ler.

«E uma história real. Triste, reveladora de desumanidade e preocupante porque espelha o que de mais baixo pode haver no ser humano.

Numa estrada, algures em Portugal, um homem dirigia a sua viatura, conduzindo logo atrás de uma outra que subitamente abrandou a marcha de forma bem significativa, obrigando-o a uma travagem brusca. É então que vê um pequeno " embrulho " ser atirado pela janela do " pendura " tendo caído a uns quatro metros da berma da estrada.

Intrigado o nosso homem resolve parar o automóvel e dirigir-se para o local a fim de constatar o que tinha sido atirado pela janela. E foi com espanto que, ao desatar o nó do saco de plástico, deparou-se-lhe um cachorrinho, ainda bébé, que gania alto.

O homem em causa, de 1,87 m de altura e bem constituído, refeito do espanto e da surpresa, sentiu uma revolta surda que o dominou por completo. Entrou no carro de novo com o cão bébé e arrancou em alta velocidade pela estrada que seguia, tendo conseguido alcançar, ao fim de 15 minutos, a viatura de onde o cachorrinho houvera sido lançado para fora e, numa manobra abrupta mas rápida, fez a ultrapassagem necessária para logo de imediato proceder a uma travagem a fim de conseguir a imobilização da viatura em causa. O que sucedeu.

Saindo do seu automóvel, o homem dirigiu-se para a porta do pendura com o cachorrinho bébé e, para seu espanto, viu que a pessoa em causa era uma mulher.

- Este cachorrinho é seu, não é verdade? -, perguntou ele.

- Não. Deve estar enganado - , respondeu ela.

- Não estou enganado. Vi-a a atirá-lo pela janela fora quando seguia atrás de vós - , continuou ele.

A mulher nada disse, fechando-se num mutismo próprio de quem se sentira apanhada.

Acto contínuo o homem abriu a porta do carro onde ela se encontrava sentada e desferiu duas sonoras e não menos violentas bofetadas no seu rosto. Um homem, que seria o marido da mesma, abre a porta da viatura a fim de tirar o desforço devido e só não fez mais nada porque ouviu a seguinte frase: " A tua mulher levou duas chapadas mas tu, se avanças, não ficas direito ". O marido da senhora resolveu prudentemente fechar a porta do carro e quedar-se no interior.

O homem que tinha o cachorrinho, com voz calma mas que revelava profunda emoção, olhando para a senhora rematou de forma pausada: " É bem verdade que quem não gosta de animais não pode gostar de pessoas ".

O cachorrinho é hoje uma linda cadela de três anos de idade, bem tratada, querida e meiga. O dono dela é o nosso homem que se viu em grandes dificuldades para amamentá-la a biberão em intervalos de duas horas até às seis semanas de vida.

Direitos dos animais? Respeito pela vida? Reconhecimento que a vida é algo que não nos pertence? Tudo isso são conceitos estranhos para uma grande e significativa parte dos homens e mulheres deste mundo. Não podemos, desta forma, admirar-nos do que os homens fazem aos seus semelhantes, porque, na verdade, quem não gosta de animais não pode gostar de pessoas.»


Ler mais: 

57 comentários:

  1. A história é comovente, realmente. Mas não concordo que quem não gosta de animais, não gosta de gosta de pessoas. Nem sequer concordo aquela frase "gosto mais de animais do que pessoas". Eu gosto de animais, mas não sou "típica maluquinha", mas gosto mais de pessoas. Dá mais trabalho gostar de pessoas, é verdade, leva-se muita patada, mas eu ainda tenho fé no ser humano,afinal eu sou um ser humano e gosto de pensar que ainda têm fé em mim.

    ResponderEliminar
  2. É tudo muito bonito. Mas olha, eu não sou capaz de gostar de animais. Não os trato mal, simplesmente para mim não gosto.

    ResponderEliminar
  3. Duas bofetadas foi pouco...
    Merecia muito mais...
    Aqui temos um homem com um grande coração...
    Kitty

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto muito de animais e não tenho que dar provas disso porque quem me conhece sabe o que tenho feito por eles, toda a minha vida (assim como por pessoas).
    Mas não concordo totalmente com o título deste poste. Há quem "não goste de animais" e gosta muito de pessoas.
    Concordo mais com "quem maltrata animais" não pode gostar de pessoas (nem de si mesmo)

    ResponderEliminar
  5. Eu não conhecia mas fiquei emocionada. Há pessoas sem coração e ainda bem que teve um final feliz.
    beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  6. Um par de lambadas muito bem aplicadas, gostava de poder fazer o mesmo a todos os que cometem essas atrocidades.

    ResponderEliminar
  7. Pode ser só uma história mas confesso que não entendo como podem as pessoas fazer tal coisa.
    Só me faz cada vez gostar mais das outras as "ditas normais" que tratam e cuidam dos animais que um dia decidem ter como companhia.

    ResponderEliminar
  8. Emocionei-me a ler-te S. esta crueldade humana com os animais é das coisas que mais me repugna e tenho a mesma opinião que o autor do texto (e que tu): quem não sabe tratar com respeito os animais aó pode ser completamente distorcido. Bem haja se a história for verdadeira! Espero que seja e que existam mais pessoas capazes de dar dois estalos bem dados a esses idiotas que nem "pessoas" deviam ser chamados! Bjinho

    ResponderEliminar
  9. concordo plenamente ctg.
    como é que existem pessoas capazes de tal atrocidade
    bjs*

    se-tu-saltas-eu-salto.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. História muito comovente, mais comovente ainda por ser verdadeira.
    Obrigada por partilhares!

    E sim, sou da mesma opinião, quem não gosta de animais não gosta de ninguém...

    ResponderEliminar
  11. Não concordo nada com o titulo! E, até acho, que existe muita gente que só gosta de animais e detesta pessoas. Há muita gente que vira o mundo ao contrário para lutar por um animal, mas que não é capaz sequer de respeitar os direitos mais básicos do ser humano... tipo liberdade de escolha, jugar pela "diferença", etc. Gostar de animais não tem de ser obrigatório, se não lhes fizerem mal não vejo nenhum problema nisso. Agora, gostar de pessoas, devia ser obrigatorio, afinal é com elas que temos de nos relacionar, todos os dias, em diferentes contextos. é bem mais facil gostar de animais do que pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também temos de conviver muito com os animais, no nosso dia-a-dia. É tudo uma questão de saber respeitar toda a gente - e todos os bichos.

      Eliminar
    2. Depende. Não temos de conviver obrigatoriamente com animais. Quem não tem animais, quem vive longe deles, não tem de conviver com eles. Cruzar-me com um cão na rua não me obriga a gostar dele e a interagir ou conviver com ele. É o que digo. Se não lhes fizerem mal, não vejo o problema de não gostarem de animais.

      Eliminar
  12. Não concordo com isso de "quem não gosta de animais, não gosta de pessoas", porque há o não gostar de animais na medida em que não se quer ter um, não se sente qualquer afecto ou carinho por eles e depois o ser cruel para animais. E uma pessoa pode bem não sentir absolutamente por gatinhos-oh-tão-fofinhos ou cachorrinhos-que-lindos-que-são sem ser cruel para eles.

    Fora isso, acho que foram duas chapadas muito bem dadas e ainda bem que a cadelinha se salvou.

    ResponderEliminar
  13. Depois da tristeza ao ler a história fiquei contente com o seu final!
    Mas há realmente pessoas capazes de TUDO!

    Um beijo doce xxxx

    ResponderEliminar
  14. É uma história mesmo comovente! Quem não respeita os animais, também não respeita as pessoas! Mas ainda bem que há pessoas que continuam a tratar e a amar os animais com o respeito que eles merecem :)

    ResponderEliminar
  15. Eu gosto de animais e não gosto de pessoas. Gosto de algumas pessoas, mas no geral não aprecio as características dos seres humanos. Obviamente que me abstenho de mal tratar seres humanos. O que mais gostaria é que as pessoas que não gostam de animais fizessem o mesmo - talvez assim eu conseguisse gostar um bocadinho mais de humanos.

    ResponderEliminar
  16. É de louvar a atitude do senhor que acabou por ficar com o cachorrinho. O abandono de animais deveria ser punido por lei, ainda para mais nessas condições. Não deixou num canil/associação, nem procurou um novo dono, nada, apenas tratou um animal como uma mercadoria e lançou-o para morrer mesmo!

    ResponderEliminar
  17. Comovente! E essas 2 bofetadas foram pouco. Um valente enxerto de porrada no mínimo!

    ResponderEliminar
  18. Uma história comovente. Acho que quem trata mal animais também tem tendência para tratar mal as pessoas. É tudo uma questão de sensibilidade e respeito.

    ResponderEliminar
  19. Amo animais...que sorte teve essa cadelinha, quem me dera que houvesse mais animais abandonados com tanta sorte como esta...!

    ResponderEliminar
  20. Concordo com o titulo do post, quem abandona animais também abandona pessoas, eles têm pele, sangue, sentimentos como as pessoas...
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  21. Discordo em absoluto do título. Além disso, eu não nutro nenhum tipo de afecto especial pelos animais (não tenho culpa, não escolhi ser assim) MAS sou absolutamente incapaz de lhes fazer algum tipo de maldade. E há muita gente que confunde não gostar (ou não ter nenhum afecto especial) com tratar mal, e isso irrita-me, confesso. São duas coisas completamente diferentes.

    ResponderEliminar
  22. Compreendo a história (e é muito bonita) mas discordo totalmente do título. Não tem nada a ver, nem sequer tem implicação mútua. Não interessa nada gostares muito de animais, se bateres nos teus pais e na tua mulher.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Engraçado que a Cat disse o mesmo que várias pessoas que comentaram em anónimo... Mas a ela não lhe respondeste.

      Eliminar
  23. E que ama, adora,e é obcecado os animais não gosta de pessoas!
    Não sei se a história é verdadeira ou não. Claro, que não se atiram animais pela janela, mas também, não se bate em mulheres ou em homens!
    é só isto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gente que atira cachorros por janelas não é gente, é bicho.

      Eliminar
    2. Mas espera lá, um cachorro não é considerado um bicho? E assim sendo, dizer que essa gente é bicho não é errado? Vá, sê coerente!

      Eliminar
  24. Oh S* e as coisas resolvem-se à chapada?
    Olha o Hitler que matou milhões de pessoas mas adorava animais, sobretudo,cães era bicho ou humano?
    Deixa-me cá ver repugnas violência contra animais, mas, é achas aceitável dar bofetadas numa mulher?
    E, como está outra pessoa no carro um homem, a mulher não terá sido coagida a conduzir?
    E, porque, não se dirigiu logo ao homem?
    e para mim homem ou mulher que mal trata animais ou pessoas é bicho!!
    a anónima do comentário anterior

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónima, veja se entende:

      Ninguém é obrigado a gostar de animais. Os bichos podem ser indiferentes para muita gente. No entanto, quem TRATA MAL os animais é NECESSARIAMENTE - no meu entender - má pessoa. Os bichos são inocentes, são puros, não fazem mal a ninguém. Se uma pessoa magoa os bichos "só porque sim", no meu entender, é sinal de mau íntimo.

      No entanto, gostar de animais NÃO faz de ninguém boa pessoa para as outras pessoas.

      Eliminar
    2. "No entanto, gostar de animais NÃO faz de ninguém boa pessoa para as outras pessoas."

      Exactamente. Só estas a contradizer-te S*. Se gostar de animais não faz de ninguém boa pessoa, então não gostar de animais também não faz de ninguém má pessoa. Logo o teu titulo não faz sentido nenhum.

      Eliminar
    3. Mas qual contradição, valha-me Deus? Tratar mal UM ANIMAL INDEFESO é revelador de mau íntimo. Ponto final.

      Eliminar
    4. Bom, eu não gosto lá muito de animais. Daí a fazer-lhes mal vai um universo mas não creio que seja má pessoa. Suponho que era isso que querias dizer.

      Eliminar
    5. Tratar mal não é igual a não gostar! Eu não gosto e não trato mal e adoro pessoas! É que adoro mesmo. Mais dumas que doutras, mas gosto de pessoas no geral, não me imagino a viver sem gente à minha volta, não me imagino a não conversar com elas. Logo volto a afirmar que o seu titulo não faz sentido e é contraditório com aquilo que defendes.

      Eliminar
  25. E o mínimo que essa senhoreca merecia era uma bofetada. Se não concorda, tudo bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. S* veja se entende:
      violência contra mulheres é crime! Todos os anos morrem em portugal pelo menos duas dezenas de mulheres vitimas de violência doméstica.
      E bater em pessoas por causa de animais, por causa de pessoas, por causa de pessoas... não faz ninguém melhor!
      é a minha opinião...
      só por curiosidade se visses a tua irmã, mãe.. etc a correr risco de vida e um animal e se pudesses um quem escolherias?

      Eliminar
    2. Eu nunca comparei pessoas a animais, não faça perguntas sem sentido.

      Eliminar
  26. Entre a senhora que faz mal a bichinhos e o senhor que faz mal há senhora... Não me parece que aja aqui alguma atitude a louvar ou enaltecer. Ambas más muito más atitudes.

    Até logo

    ResponderEliminar
  27. Acho ridículo estes aplausos todos pelo senhor que ficou com o cachorrinho! Fez muito bem em adoptar o cachorro, não me interpretem mal, mas mostrou ser uma grande besta se de facto deu as estaladas na senhora!

    Até porque, vamos lá raciocinar, a senhora estava a conduzir o carro. Logo, que deve ter atirado o cachorro carro fora, deve ter sido o marido. A uma mulher, mais fraca fisicamente, é muito fácil dar duas chapadas! E só demonstra uma grande cobardia atacar logo a mulher quando se tem problemas com um casal (e nem sequer devia ter chegado ao ponto da violência!).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois eu acho ridículo e asqueroso atirar um cão pela janela de um carro. Para gente dessa, eu ditava prisão imediata. Um estalo parece-me pouco para o que essas criaturas - homens ou mulheres - mereciam.

      Eliminar
    2. Desculpa S*, mas estás a ser insensata e irracional. A violência nunca foi nem nunca será motivo de solução de problemas. E acho particularmente interessante o facto de ele se ter dirigido directamente à mulher quando tinha um homem ali, também ele culpado!

      É tão boa pessoa,tão cuidadoso com os animais e tudo mais e espeta dois estalos assim numa pessoa?

      O CASAL errou, muito! Se fosse eu também iria atrás da pessoa mas tentava que percebessem as bestas que tinham sido. No entanto, nunca faria uma travagem brusca no meio da estrada (arriscando vidas, quer queiramos quer não) e muito menos desataria à estalada! Porquê? Porque se o fizesse não seria melhor que aquelas pessoas que abandonaram o cão e porque perderia a razão.

      Radicalismos nunca levaram a lado nenhum, sabes?
      O que era bom era a nossa Assembleia fazer leis decentes para a protecção dos animais e penalizar severamente as pessoas que os abandonam, por exemplo.

      Eliminar
    3. Defender qualquer forma de violência parece-me tão pouco inteligente...

      Eliminar
    4. São opiniões. Eu, por exemplo, acho que os pedófilos deviam ser capados. A sangue frio, até.

      Eliminar
    5. Porque é que o assunto pedofilia veio à baila? E claro que são opiniões... Haveriam de ser o quê? :s

      Eliminar
  28. 'E o mínimo que essa senhoreca merecia era uma bofetada.'

    A sério que há pessoas que defendem agressões para resolver qualquer tipo de situação? Deviamos andar às bofetadas com todas as pessoas cujos comportamentos condenamos? Espero que nunca encontres uma dessas pessoas na tua vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hmmmm acho que não precisava da tua permissão para pensar o que bem entender... Mas fiquei a achar que defendes realmente a violência em todas as situações, para além dos casos de abandono de animais e de pedofilia. Além de se abrir um precedente sem fim, é arcaico e retrógrado.

      Eliminar
  29. S* não me querendo meter mas já me metendo porque dá

    ResponderEliminar
  30. Queria eu dizer pq dás tempo de antena a gente desocupada que resolveu distorcer o que escreveste e simplesmente chatear-te? Nada como lhes arranjar uma ocupaçãozinha útil na vida... Bjinho F

    ResponderEliminar
  31. É por isso que muita gente faz o que faz, porque não há ninguém que lhe dê uma bofetada bem dada! Assim como muitas crianças que fazem o que querem e bem lhe apetece porque se convencionou que os pais não podem tocar com um dedo nos filhos! Ai senhor Anónimo é tão arcaico e retrógrado mas em muitas situações palavrinhas mansas nunca resolveram nada. S* não ligues a gente que pensa que sabe tudo, e vem criticar-te porque a sua vida deve ser realmente muito frustrante....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Andreia, falou e disse. :)

      Eliminar
    2. A minha vida é frustrante porque acho que defender a violência é arcaico e retrógrado? Hm... Pois...

      Eliminar
  32. Eu gosto muito de animais e pessoas que não gostam deles deviam rever os seus conceitos. Isto porque os animais são Criação de Deus Todo-Poderoso e foram feitos para servirem de ajuda e amizade ao Homem.
    Compreendo que exista quem não queira animais domésticos em casa, ou quem não queira ser incomodado pelo cão do vizinho (o que eu concordo totalmente! Eu tenho um cão que foi ensinado a não ladrar exactamente para não incomodar ninguém que mora no meu prédio) mas dizer que não Gosta de animais é muito estranho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Falta de empatia pelos animais é coisa que me faz imensa confusão.

      Eliminar